6 coisas que você pode não saber sobre Butch Cassidy

6 coisas que você pode não saber sobre Butch Cassidy

1. A família de Butch Cassidy estava entre os primeiros colonos mórmons de Utah.

O mais velho de 13 filhos, Butch Cassidy nasceu Robert LeRoy Parker em 13 de abril de 1866, em Beaver, Utah. Seus avós e pais eram mórmons que se mudaram da Inglaterra para a América na década de 1850 em resposta ao chamado de Brigham Young para que os membros da Igreja dos Santos dos Últimos Dias no exterior ajudassem a estabelecer comunidades em Utah.

Em 1879, a família Parker mudou-se para uma propriedade perto de Circleville, Utah, onde cultivavam e criavam gado. Para ajudar a contribuir para as finanças de sua família, o futuro Butch Cassidy saiu de casa para trabalhar em outras fazendas na área. Aos 13 anos, enquanto trabalhava em uma dessas fazendas, ele teve seu primeiro desentendimento com a lei após ser acusado de roubar um macacão de uma loja. Conforme a história continua, ele fez uma longa viagem até a cidade apenas para descobrir que a loja estava fechada, então ele entrou, pegou as calças e escreveu uma nota prometendo devolver o pagamento. Em vez disso, o dono da loja o prendeu. Embora o adolescente tenha sido dispensado, a experiência o deixou ressentido com o sistema legal e as pessoas em posição de autoridade.

2. Ele pode ter ganhado parte de seu apelido enquanto trabalhava em um açougue.

No início da década de 1880, enquanto trabalhava em um rancho em Utah, Robert LeRoy Parker conheceu Mike Cassidy, um vaqueiro, pequeno ladrão de gado e ladrão de cavalos. Parker admirou o homem mais velho, que o ensinou a treinar cavalos e atirar com uma arma. No entanto, depois de ter problemas com a lei, Mike Cassidy fugiu da área, e o próprio Parker partiu de Utah em busca de novas oportunidades depois de completar 18 anos em 1884.

Nos anos seguintes, ele passou um tempo na cidade de expansão da mineração de Telluride, Colorado, seguida por Wyoming e Montana. Em 24 de junho de 1889, Parker realizou seu primeiro assalto a banco, quando ele e vários companheiros fugiram com mais de US $ 20.000 do Banco do Vale de San Miguel em Telluride. Não muito tempo depois, Parker começou a usar o sobrenome Cassidy, em homenagem a seu antigo mentor, e se referiu a si mesmo como Roy Cassidy. Ele acabou se mudando para Rock Springs, Wyoming, onde conseguiu um emprego em um açougue e, de acordo com a lenda popular, ficou conhecido como Butcher Cassidy, que se transformou em Butch Cassidy.

3. Cassidy começou sua vida no crime como ladrão de cavalos e ladrão de gado.

Em 1894, Cassidy foi considerado culpado de roubar um cavalo no valor de US $ 5 em Wyoming e condenado a dois anos na penitenciária estadual. Ele estava convencido de que tinha sido enganado por criadores de gado que não o queriam por perto. Depois de 18 meses atrás das grades, ele foi solto por bom comportamento, embora, supostamente, não antes de prometer ao governador que deixaria os fazendeiros do Wyoming em paz.

Depois da prisão, Cassidy se reuniu com membros do Wild Bunch - um bando de homens frouxos que começaram como ladrões de ladrões e cavalos - e passou a roubar bancos e trens. Ele e seus companheiros bandidos desenvolveram um padrão para cometer esses crimes que envolvia fazer o reconhecimento do local que planejavam roubar, bem como guardar suprimentos e cavalos extras ao longo da rota de fuga pretendida. Embora Cassidy tenha se tornado famoso por realizar assaltos em todo o Ocidente na década de 1890, ele não era conhecido por violência excessiva com armas de fogo. Na verdade, ao não cometer crimes, Cassidy era considerado amigável e tinha a reputação de ser útil aos vizinhos.

4. O Sundance Kid não era seu melhor amigo.

Graças ao filme vencedor do Oscar de 1969 "Butch Cassidy and the Sundance Kid", estrelado por Paul Newman e Robert Redford, o Sundance Kid da vida real, Harry Alonzo Longabaugh, é muitas vezes considerado o melhor amigo de Cassidy. Na verdade, esse papel foi preenchido pelo membro do Wild Bunch, William Ellsworth “Elzy” Lay (1868-1934).

Cassidy e Lay provavelmente se conheceram por volta de 1889, enquanto trabalhavam em um rancho em Browns Park, uma área próxima às fronteiras de Utah, Colorado e Wyoming que às vezes servia como esconderijo para bandidos. Em 1899, Lay foi condenado pelo assassinato de um xerife após um assalto a trem perto de Folsom, Novo México. Ele foi condenado à prisão perpétua, mas foi perdoado em 1906 depois de ajudar a impedir um motim na prisão.

Longabaugh, filho de um trabalhador que nasceu na Pensilvânia e se mudou para o oeste na adolescência, ganhou seu apelido colorido (e uma pena de prisão de 18 meses) depois de roubar um cavalo perto de Sundance, Wyoming, em 1887. Em meados da década de 1890, Sundance conheceu o mulher que se tornou sua companheira, Etta Place, e mais tarde se tornou afiliada ao Wild Bunch, depois que ele e Place residiram em uma tenda perto de Butch Cassidy em Robbers Roost, um remoto esconderijo fora da lei no sudeste de Utah.

5. Cassidy fugiu para a América do Sul no início do século XX.

Com recompensas sendo oferecidas por sua captura e posses e detetives Pinkerton perseguindo-o, Cassidy decidiu fugir. No início de 1901, Sundance e Etta Place viajaram para a Argentina. Não se sabe se Cassidy estava com eles ou se, como alguns historiadores acreditam, ele ficou para trás e em julho daquele ano participou de um assalto a trem perto de Wagner, Montana. Em algum ponto de 1902, Cassidy estava na América do Sul e ele e Longabaugh, usando nomes falsos, compraram um terreno em Cholila, na Argentina, onde administravam uma fazenda de pecuária.

No final de 1904, preocupados que os Pinkerton tivessem descoberto sua localização, os bandidos americanos venderam seus rebanhos e deixaram a propriedade, encontrando mais tarde trabalho nas Minas de Estanho Concordia, na Bolívia. Ao longo de seu tempo no exterior, Cassidy e Sundance continuaram a realizar assaltos, embora a América do Sul fosse o lar de outros bandidos dos EUA que estavam cometendo assaltos durante este período, e é provável que alguns desses crimes tenham sido atribuídos aos mais famosos Butch e Sundance.

6. Os detalhes de sua morte permanecem um mistério.

Alguns relatos afirmam que em 4 de novembro de 1908, perto da cidade de Tupiza, no sul da Bolívia, dois homens que se pensavam ser Cassidy e o Sundance Kid roubaram uma folha de pagamento quando ela estava sendo transportada para a mina Aramayo. Três dias depois, os supostos bandidos chegaram a San Vicente, Bolívia, mas depois que os moradores começaram a suspeitar que os estranhos estavam ligados ao roubo, soldados bolivianos foram chamados e um tiroteio começou. Durante o tiroteio, os bolivianos teriam atirado nos suspeitos ou um dos bandidos matou seu parceiro e depois apontou a arma para si mesmo. Posteriormente, os corpos foram enterrados em túmulos não identificados em um cemitério de San Vicente.

Na verdade, não há evidências conclusivas ligando Cassidy e Sundance ao roubo e tiroteio. No final do século 20, pesquisadores exumaram os restos mortais que se pensava ser dos bandidos da folha de pagamento do cemitério de San Vicente e determinaram que não eram dos dois bandidos americanos.

Enquanto isso, após as supostas mortes de Cassidy e Sundance na América do Sul, houve vários relatos de que os dois homens haviam retornado aos Estados Unidos (não está claro o que aconteceu com Etta Place), onde viveram por vários anos sob pseudônimos. Mais de um século após suas mortes presumidas, o verdadeiro destino de Butch e Sundance permanece um mistério.


Butch Cassidy

Robert LeRoy Parker (13 de abril de 1866 - 7 de novembro de 1908), mais conhecido como Butch Cassidy, [1] era um ladrão de trem e banco americano e líder de uma gangue de bandidos criminosos conhecida como "Grupo Selvagem" no Velho Oeste.

Parker se envolveu em atividades criminosas por mais de uma década no final do século 19, mas as pressões de ser perseguido por policiais, notadamente a agência de detetives Pinkerton, forçaram-no a fugir do país. Ele fugiu com seu cúmplice Harry Alonzo Longabaugh, conhecido como o "Sundance Kid", e a namorada de Longabaugh, Etta Place. O trio viajou primeiro para a Argentina e depois para a Bolívia, onde Parker e Longabaugh foram mortos em um tiroteio com o Exército boliviano em novembro de 1908. As circunstâncias exatas de seu destino continuam sendo contestadas.

A vida e a morte de Parker foram amplamente dramatizadas no cinema, na televisão e na literatura, e ele continua sendo um dos ícones mais conhecidos dos mitos do "Velho Oeste" nos tempos modernos.


A MORTE DE BUTCH CASSIDY CONTINUA A OBTER CURIOSO E CURIOSO

Se você viu o filme, pode acreditar que Butch Cassidy e o Sundance Kid, os bandidos que aterrorizaram o Ocidente no final dos anos 1800, foram mortos a tiros em um tiroteio na Bolívia.

Aqui embaixo, eles contam histórias diferentes.

Butch Cassidy, dizem, foi abatido em Cholila, um assentamento a cerca de 160 quilômetros ao sul daqui, onde ele operou um rancho de sucesso por cinco anos. Ou talvez, dizem, ele foi morto depois de um assalto a banco no Rio Pico, mais ao sul nos pampas argentinos.

Então, novamente, talvez ele não tenha sido morto. Há quem afirme que Cassidy viveu uma vida longa e frutífera após sua suposta morte, morrendo pacificamente em 1935 no Paraguai, ou no mesmo ano no Chile, ou em Spokane, Wash., Em 1937.

Faça sua escolha. Há muitos contos de Butch Cassidy nesta parte da Argentina porque ele passou muito tempo aqui. Muitos descendentes dos que conheceram Cassidy vivem em Bariloche ou na zona rural próxima, e o museu local exibe fotos e documentos relativos aos bandidos norte-americanos.

O único traço comum que permeia as histórias é que Butch Cassidy muito provavelmente não morreu em um tiroteio na Bolívia. Essa história, esboçada pela primeira vez por Arthur Chapman em um artigo da revista Elks em 1930, foi seguida no filme estrelado por Paul Newman e Robert Redford, mas poucos que pesquisaram os movimentos de Cassidy acham que é precisa.

O falecido presidente Rene Barrientos da Bolívia, um aficionado pela história ocidental, colocou uma equipe de investigação na história, entrevistou os moradores pessoalmente, verificou arquivos do exército e da polícia, exumou corpos e concluiu que a história era pura invenção, de acordo com Bruce Chatwin, autor do excelente livro,

“Nem os Pinkerton acreditaram nisso”, escreveu Chatwin. A agência de detetives Pinkerton foi contratada pelas vítimas dos ladrões nos Estados Unidos para rastreá-los. '' Eles têm sua própria versão, baseada nas evidências mais escassas, de que (ele) morreu em um tiroteio com a polícia uruguaia em 1911. ''

O que, então, realmente aconteceu com Butch Cassidy?

Registros mostram que George (Butch) Cassidy - nome verdadeiro Robert LeRoy Parker

--vaiu a Buenos Aires em 1902 com seus bons amigos, Harry Longabaugh (o Sundance Kid) e a consorte de Longabaugh, Etta Place, uma jovem e bela mulher que já fora professora. O trio entrou na Argentina com nomes falsos: Cassidy como James Ryan, o Sundance Kid e Etta como Sr. e Sra. Harry E. Place.

A "família de três", como Cassidy se referiu ao trio em uma carta a Utah no mesmo ano, alugou terras em Cholila, onde tinham "300 cabeças de gado, 1.500 ovelhas e 28 cavalos de sela bons, dois homens para fazer meu trabalho, também (a) boa casa de quatro cômodos, estábulo de vestiário (sic), galinheiro e algumas galinhas. . . ''

Durante vários anos, os três seguiram em linha reta, dedicando-se ao rancho dos Pampas e confraternizando com os vizinhos e até com a família do governador.

Cassidy foi vista várias vezes em Bariloche. Quando estava lá, ele costumava ficar na casa de Jared Jones, de acordo com vários que pesquisaram as histórias. Em uma visita posterior a Cholila, no entanto, Jones disse ter suspeitado que eles eram ladrões e esfriou as relações com eles. Os descendentes de Jones ainda ocupam sua casa na fazenda nos arredores da cidade.

Uma delas, a neta Barbara Jones, acredita que Cassidy acabou indo para o Paraguai, onde estabeleceu uma fazenda de sucesso com outro nome e morreu pacificamente em 1935.

Outro residente de Bariloche que entrou em contato com Cassidy foi Martin Sheffield, um aventureiro americano que alegou ser um ex-xerife do Texas.

“Acho que meu avô deu a ele um quarto em seu rancho”, disse Alberto Sheffield, neto de Martin, que é guia turístico aqui. '' Meu pai e meus tios dizem que Martin nunca soube que o homem era Butch Cassidy. '' Martin Sheffield alcançou grande notoriedade ao alegar ter visto um pleisossauro vivo no Lago Nahuel Huapi.

Por volta de 1905, acredita-se, o trio retomou seus hábitos de bandidos. Talvez a vida de fazendeiros argentinos tenha azedado, talvez a chegada de outro amigo bandido americano, Harvey Logan ('' Kid Curry ''), os tenha impelido, talvez fosse simplesmente falta de fundos ou o fato de os Pinkerton terem rastreado Cassidy até a Argentina e o aquecimento foi ligado novamente. O trio vendeu a fazenda Cholila em 1907 e rumou para o norte.

O que aconteceu com Cassidy então é uma questão de disputa. Alguns dizem que ele e seus companheiros bandidos saíram em uma onda de roubos no sudeste da Bolívia. Alguns dizem que começaram a roubar gado, se é que já não o fizeram. Outros dizem que estavam transportando gado contrabandeado pelas passagens dos Andes para o Chile.

"Os ladrões foram para o Rio Manso (40 milhas a oeste de Bariloche)", disse Ricardo Vallmijana, fotógrafo de Bariloche que pesquisou as histórias de Cassidy. '' Eles usaram as antigas passagens sobre os Andes para cruzar o gado, Paso Cochamo e Paso Christie. Muitos (descendentes dos ladrões) moram aqui agora, mas não posso nomeá-los porque eles são boas pessoas agora.

“Quando os ladrões estavam na prisão, eles escreveram canções que contavam o que faziam. Eles nunca escreveram, mas seus descendentes cantam essas canções agora. Eu ouvi três ou quatro deles. Eles contam o que realmente aconteceu, e muitas coisas ditas deles aqui não são verdade. ''

Butch Cassidy, disse Vallmijana, morreu em 1935 no lado chileno do Rio Manso.

O argentino que mais conhece Cassidy é Francisco Juarez, um locutor de rádio que recentemente se mudou de Buenos Aires para Bariloche.

Juarez, que passou 18 anos estudando a lenda de Cassidy, concorda que muitas das coisas ditas sobre Cassidy são falsas, mas disse que agora tem certeza de que Cassidy morreu afinal na Bolívia. '' Trabalho apenas com documentos e tenho uma fotocópia de um resumo (boletim de ocorrência). Também encontrei jornais do período que relatam a morte de dois norte-americanos, assassinados pelo exército e pela polícia na Bolívia. ''

Outros cronistas questionam a identidade desses homens. Cassidy, é sabido, há muito queria endireitar-se, sua suposta morte na Bolívia lhe daria a chance de começar uma nova vida.

Ele pode ter ido para o Paraguai, para o Chile ou permanecido na Argentina, mas vários escritores acreditam que Cassidy voltou para os Estados Unidos. O autor Chatwin diz que a partir de 1915 centenas de pessoas viram, ou pensaram ter visto, Cassidy nos Estados Unidos. Entre eles estavam Will Simpson, o advogado que o processou em 1894, e Wyatt Earp, que supostamente conversou com ele no salão de jogos de Earp em Anchorage, Alasca. Chatwin entrevistou a irmã de Cassidy, Lula Parker Betenson, que disse a ele que jantou com Cassidy em uma reunião de família no outono de 1925 em Circleville, Utah. Lula Betenson também escreveu um livro sobre seu irmão, no qual ela disse que ele morreu de pneumonia em Washington na década de 1930.

Isso está de acordo com a história contada em um livro fascinante de Larry Pointer intitulado '' Em ​​Busca de Butch Cassidy ''. Pointer diz que Cassidy sobreviveu ao tiroteio na Bolívia, foi para Pernambuco e depois para a Europa antes de emergir em Michigan em 1908 como William T. Phillips. Ele se casou lá e se mudou para Spokane, Wash., Em 1910. Em viagens para Utah e outros lugares onde o antigo Hole-in-the-Wall ou Wild Bunch Gang de Cassidy operava, Phillips foi reconhecido como Cassidy por várias pessoas que o conheciam o desesperado, incluindo sua ex-namorada, Mary Boyd Rhodes. Seu filho adotivo diz que era aceito pela família que ele era, na verdade, Butch Cassidy.

O mais intrigante é um manuscrito que Phillips escreveu em 1934 intitulado

'' Bandit Invincible, the Story of Butch Cassidy. '' Neste relato, Phillips diz que Cassidy, Sundance e um terceiro bandido foram de fato presos em um tiroteio na Bolívia, mas que só ele escapou e foi para os Estados Unidos. Mas Phillips encerrou sua história com a chegada de Cassidy aos Estados Unidos e nunca admitiu que ele e Cassidy eram a mesma pessoa.

Phillips morreu em Spokane, em julho de 1937. Com ele morreu um intrigante capítulo da lenda - e talvez a verdadeira história - do que aconteceu a Butch Cassidy.


Galeria de fotos

- Liberação de ímã de cortesia -

Postagens Relacionadas

Charles Kelly era um impressor de Salt Lake City quando conheceu o artista cowboy e o inferno

A melhor edição em DVD de Butch Cassidy e Sundance Kid é o “Ultimate Collector’s & hellip

Butch Cassidy estava cansado da trilha do fora-da-lei. Então, em 1899, ele tentou cortar


Imposto de Butch Cassidy exposto

LARAMIE, Wyo. - Larry Pointer tem perseguido o rastro do fora-da-lei Butch Cassidy por 40 anos. Ele tinha certeza de que o havia imobilizado - que Cassidy enganou a morte em um tiroteio na América do Sul, mudou seu nome para William T. Phillips e viveu sua vida em Spokane, Wash. Mas Cassidy deixou Pointer escapar.

Acontece que Phillips em Spokane não era Cassidy, afinal.

Tudo começou na década de 1970, quando Pointer descobriu um manuscrito de 96 páginas de Phillips intitulado "O bandido invencível: a história de Butch Cassidy". Superficialmente, era uma biografia ficcional de Cassidy, mas Pointer notou que Phillips escreveu sobre detalhes obscuros e incomuns que parecia que apenas o próprio Cassidy saberia.

Phillips morreu em 1937. Sua viúva disse ao historiador Charles Kelly que seu falecido marido não era Cassidy, mas "conhecia Cassidy muito, muito bem". Isso foi em 1938. O filho adotivo de Phillips, porém, tinha certeza de que era Cassidy.

Pointer examinou as evidências circunstanciais e até mesmo fez com que especialistas em caligrafia confirmassem que a caligrafia de Phillips era igual à caligrafia das cartas conhecidas de Cassidy. Além disso, o Phillips mais velho parecia o Cassidy mais jovem. Pointer concluiu que a biografia de Phillips era na verdade uma autobiografia.

"O peso da evidência em 1977 era que se tratava de Butch Cassidy", disse Pointer.

E então ele escreveu sua teoria no livro "In Search of Butch Cassidy".

Os historiadores acreditam que Cassidy nasceu em uma família mórmon em Utah e recebeu o nome de Robert LeRoy Parker. Parker fugiu e escolheu uma vida de crime e uma série de pseudônimos - incluindo Butch Cassidy. Cassidy supostamente morreu em um tiroteio em 1908 na Bolívia com Harry "the Sundance Kid" Longabaugh. Pode ser.

O historiador de Cassidy, Dan Buck, disse em um e-mail: "No geral, porém, é um assunto intrigante, uma colisão de história e folclore ... O destino de bandidos como Cassidy está mais perto de um mistério do que de um quebra-cabeça."

O mistério atraiu Brent Ashworth, um aficionado por história e proprietário dos livros raros e colecionáveis ​​de B. Ashworth em Provo. Ashworth começou a coletar itens de Butch Cassidy cerca de 30 anos atrás. Quando Ashworth descobriu um manuscrito diferente de "Bandit Invincible" de Phillips, Pointer aproveitou a oportunidade para examiná-lo. O manuscrito tinha quase o dobro do tamanho da versão que Pointer usava em 1977. "Há muitos mais detalhes nele", disse Pointer.

Um dos detalhes que o manuscrito mais longo deu foi mais nomes de pessoas que conheciam Cassidy. Pointer estava comparando alguns desses nomes com o "Atlas dos Prisioneiros da Prisão Territorial de Wyoming", de Elnora Frye. Ele encontrou um nome, Ed Selley, que foi enviado para a penitenciária de Wyoming ao mesmo tempo que alguém chamado William T. Wilcox.

William T. como em William T. Phillips?

"Este William T. e William T. me fizeram olhar", disse Pointer. Pointer pesquisou a carreira criminosa de William T. Wilcox no Wyoming Newspaper Project. "Parte disso, de repente, parecia 'Bandido Invencível'", disse Pointer.

De acordo com relatos de jornais, Wilcox se gabou de um roubo ao "Cão da pradaria Wilson" e foi capturado perto da fazenda de Wilson por um deputado Morrow e foi para a prisão.

O livro de Phillips tem uma história semelhante de Cassidy sendo capturada por um deputado chamado Morgan. Cassidy então vira o jogo contra Morgan, rouba seu cavalo e deixa Morgan caminhar até o rancho do "cão da pradaria Wilson".

"Simplesmente parecia muito falso. Muito estranho. Muita coincidência", disse Pointer.

Pointer então pesquisou a genealogia de Wilcox e a comparou com a de Phillips. Phillips aparece do nada com um casamento em Michigan em 14 de maio de 1908. Nesse registro, Phillips é listado como filho de Celia Mudge. Pointer descobriu que a mãe de Wilcox era a irmã de Celia, Flora. "Tudo sobre Wilcox se encaixava na história de Phillips", disse Pointer.

Wilcox e Cassidy estavam na prisão ao mesmo tempo.

Wilcox saiu da prisão em dezembro de 1895. Cassidy foi libertado no mês seguinte. Ambos foram para perto de Lander, Wyo.

Pointer aprendeu sobre um velho pastor de ovelhas chamado James Regan. Regan disse que Phillips não era Cassidy, porque viu os dois quando moravam em uma cabana perto de seu acampamento de ovelhas. Isso se encaixa com outras coisas em "Bandit Invincible".

No final de 1896, Wilcox estava sob custódia e desta vez uma fotografia foi tirada.

"Depois de ver as fotos, não pude mais negar", disse Pointer. “É difícil para mim porque há 40 anos coloquei meu coração e minha alma nisso. Mas se você não tem integridade, não tem nada. E, honestamente, não posso negar que este é o mesmo homem. William T. Wilcox e William T. Phillips são o mesmo homem. "

Pointer disse que Lula Parker Betenson, irmã de Cassidy, disse a Pointer anos atrás que Cassidy morreu em Spokane em 1937, mas ele não era Phillips. "Acho que isso acaba com um conjunto de controvérsias e abre uma janela totalmente nova", disse Pointer. "Quem era aquele cara Cassidy? O que aconteceu com Parker?"

Ashworth não está desapontado que o manuscrito que ele descobriu derrubou as teorias originais de Pointer. Ele acha que o livro escrito por Phillips, amigo de Cassidy, fornece fortes evidências de que Cassidy sobreviveu à emboscada na América do Sul e pode ter se mudado para perto de Phillips em Spokane. "Eu pensei que o manuscrito levaria a Butch," Ashworth disse, e então acrescentou, "Mas pode eventualmente levar a Butch."

Pointer também está otimista de que o manuscrito de Wilcox, também conhecido como Phillips, levará a Parker, também conhecido como Cassidy.

"Isso é emocionante e vai nos levar a novos caminhos que nunca teriam sido possíveis se não fosse pela descoberta de Brent Ashworth do expandido 'Bandit Invincible'", disse Pointer. "Talvez em algum lugar de Washington haja uma resposta, e com certeza iremos persegui-la."


Graças ao planejamento minucioso de Cassidy & aposs, o Wild Bunch conseguiu muitos roubos bem-sucedidos

A notoriedade de Cassidy and the Wild Bunch & # x2019s cresceu à medida que acumulavam uma média impressionante de US $ 35.000 por roubo. Embora Patterson ache que o bando provavelmente roubou apenas quatro bancos, quatro trens expressos e um escritório de folha de pagamento de uma empresa de carvão, eles logo foram responsabilizados por todos os roubos no noroeste.

Foi o planejamento meticuloso de Cassidy que tornou seus roubos tão bem-sucedidos. De acordo com Patterson:

Pouco foi deixado ao acaso. Butch e alguns membros de gangue selecionados passavam dias, às vezes semanas, explorando um local de roubo e a melhor rota de fuga. Sabiamente, eles sempre escolheram os meses de verão para todos os seus assaltos, quando o tempo era favorável para iludir posses. Parece que Cassidy também evitou matar. Embora tiros tenham sido disparados durante as fugas, Butch nunca foi conhecido por ter atirado em alguém durante um assalto. O mais próximo que Butch chegou de prejudicar uma vítima de roubo foi quando usou explosivos para entrar à força em um carro expresso. Alguns mensageiros expressos ficaram feridos nas explosões, mas nenhum gravemente. A gangue sempre avisou quando eles usariam dinamite, e eles foram sábios o suficiente para se protegerem escondendo-se atrás da carga.

As poderosas empresas ferroviárias logo estavam no caminho certo para o Wild Bunch & # x2019s. O detetive de Pinkerton Charlie Siringo, que chamou Cassidy de & # x201C o mais astuto e ousado fora-da-lei da era atual & # x201D perseguiu a gangue por todo o oeste, muitas vezes se passando por um fora da lei para procurar os ladrões.

Uma pausa para os agentes Pinkerton parece ter sido o resultado de uma das cotovias lendárias de Cassidy. Em 1900, parte do Wild Bunch estava no Texas para visitar seus bordéis favoritos e desabafar. Eles decidiram fazer um retrato formal feito uma piada. Esta foto do Sundance Kid, Will Carver, Ben Kilpatrick, Harvey Logan (Kid Curry) e Cassidy foi um raro passo em falso para ele. Diz-se que um agente do Wells Fargo reconheceu os bandidos quando a foto foi exibida na janela do estúdio do fotógrafo em Fort Worth. Logo estariam em cartazes de procurado em todo o Ocidente.


6 coisas que você pode não saber sobre Butch Cassidy - HISTÓRIA

O popular filme de faroeste, & # 8220Butch Cassidy e The Sundance Kid, & # 8221 recebeu muito interesse na época em que foi lançado em 24 de outubro de 1969. Lembro-me com clareza de ter visto Paul Newman e Robert Redford em ação no tela grande na minha própria cidade natal. Eu estava em um encontro, então talvez não tenha conseguido ver tudo. :-)

  1. Melhor trilha sonora original para um filme
  2. Melhor Cinematografia
  3. Melhor Roteiro Original
  4. Melhor música

Em um mundo onde os personagens de filmes são frequentemente meros artifícios, projetados por escritores de ficção habilidosos, a pergunta é: & # 8220Houve alguma vez um honesto Butch Cassidy e o Sundance Kid? & # 8221 O curta é & # 8220Sim. & # 8221

Na parte 1 deste artigo de duas partes, você aprenderá sobre os personagens da vida real retratados neste filme amplamente aclamado. Você aprenderá sobre algumas das trapalhadas que Cassidy e Sundance fizeram, incluindo a empresa criminosa que foi tão apropriadamente chamada de & # 8220 The Wild Bunch. & # 8221 Nós & # 8217 também discutiremos o motivo pelo qual a dupla finalmente achou necessário deixar o país.

Os primeiros anos

Butch Cassidy era na verdade Robert Leroy Parker, nascido em 13 de abril de 1866 em Beaver, Utah. Ele era o mais velho de 13 irmãos, uma família geralmente grande pertencente a Maximillian Parker e Ann Campbell Gillies. Apenas uma década antes, seu pai havia migrado do Reino Unido (UK) quando ele próprio tinha apenas 12 anos de idade. Sua mãe migrou do Reino Unido para os Estados Unidos em 1859, quando ela tinha 14 anos. Maximillian e Ann se casaram em 1865, um ano antes do nascimento de Robert.

Robert Parker e sua família moravam a aproximadamente 215 milhas ao sul de Salt Lake City, perto de uma pequena cidade chamada Circleville, Utah.

Ok, se o nome real de Butch & # 8217 fosse Robert Parker, como ele adquiriu o nome Butch Cassidy? Essa é uma excelente pergunta e aqui está a resposta, pelo menos o mais próximo que alguém pode dizer:

Destaques da Carreira Criminal de Cassidy e # 8217s


O banco do Vale de San Miguel, em Telluride, foi o local de seu primeiro assalto a banco. O saque com que ele escapou foi de $ 21.000. Em termos de moeda atual, isso equivaleria a mais de $ 580.000. Nada mal para um único roubo. Ele não estava sozinho nesta manobra, no entanto. Ele estava acompanhado por Matt Warner, um sócio seu no negócio de corridas de cavalos, bem como dois dos irmãos McCarty.

Em 1894, Cassidy foi preso em Lander, Wyoming, por roubar cavalos e fazer um esquema de proteção com os fazendeiros locais. Ele foi preso na Prisão Estadual de Wyoming, localizada em Laramie. Depois de cumprir uma sentença de 18 meses, ele foi perdoado pelo então governador William Alford Richards.

  1. George & # 8220Flat Nose & # 8221 Curry
  2. Ben Kilopatrick
  3. William Ellsworth & # 8220Elzy & # 8221 Lay
  4. Will & # 8220News & # 8221 Carver
  5. Harvey & # 8220Kid Curry & # 8221 Logan
  6. Laura Bullion
  7. Harry Tracy

O roubo seguinte foi em 22 de abril de 1897, quando o Wild Bunch interceptou a folha de pagamento da Pleasant Valley Coal Company, com sede em Castle Gate, Utah, uma pequena cidade de mineração.

Digite: The Pinkerton Detective Agency

Foi em 2 de junho de 1899, quando o Wild Bunch roubou um trem de passageiros perto de Wilcox, Wyoming, chamado Union Pacific Overland Flier, de propriedade da Overland Limited. Após o roubo, no entanto, os dois irmãos Curry encontraram e mataram o xerife Joe Hazen durante um tiroteio que se seguiu.

Este roubo em particular colocou o Wild Bunch no mapa, o suficiente para que os homens da lei de toda a área se juntassem à caçada, mas o Wild Bunch escapou novamente sem ser apreendido. No entanto, Cassidy evidentemente não sabia sobre o tiroteio em Curry, não até ser informado sobre isso por Tom Horn, um assassino contratado a serviço de Pinkerton.

Dizer que Cassidy e seus & # 8220merry men & # 8221 escolheram o trem errado para roubar é uma expressão moderada. Essa trapaça foi o catalisador que levou a Overland Limited a contratar a Pinkerton Detective Agency para ir atrás da gangue e levá-la à justiça. Charlie Siringo, um detetive Pinkerton, foi designado para rastrear e capturar Cassidy e seu grupo. Seu plano era localizar os bandidos por meio do irmão de Kid Curry & # 8217s.

As coisas agora estão esquentando para Butch Cassidy, Sundance Kid e o nativo Wild Bumch.

O que virá na parte 2

O filme de 1969, assim como a história de Butch Cassidy e Sundance Kid em geral, envolve a eventual morte da dupla em San Vicente, na Bolívia, que fica no sul dos Andes bolivianos. A história oficial é que eles foram mortos pelas autoridades bolivianas após uma série de eventos que chamaram a atenção das autoridades bolivianas. Por causa de discrepâncias na narrativa oficial, além de outras contra-alegações, as mortes de Cassidy e Sundance receberam ainda mais atenção ao longo dos anos desde então.

Na parte dois, falaremos sobre mais algumas cambalhotas, bem como a fuga da dupla para a Argentina e a Bolívia, onde foram procurados pelas autoridades locais, em conjunto com a Agência de Detetives Pinkerton. Também discutiremos as afirmações feitas por uma variedade de pesquisadores, incluindo a própria irmã de Cassidy, Lula Parker Betenson em seu livro de 1975 intitulado & # 8220Butch Cassidy, My Brother, & # 8221 de que os boatos e afirmações bolivianos foram inventados, sem fundamento , e tudo errado. Também discutiremos várias das recentes descobertas, uma delas envolvendo a exumação do corpo e o uso de testes de DNA.


Artigos com Butch Cassidy da History Net Magazines

No final do filme Butch Cassidy e o Sundance Kid, Paul Newman e Robert Redford recarregam seus seis tiros e trocam uma rodada final de piadas, depois correm bravamente para uma praça cercada de soldados bolivianos. O filme, um grande sucesso de bilheteria em 1969 e um fracasso na televisão hoje, termina com os bandidos feridos enfrentando uma condenação quase certa. O quadro congela antes da queda dos anti-heróis, no entanto, deixando em aberto a menor possibilidade de sua sobrevivência.

O filme é baseado em uma história real, que começou logo após a Guerra Civil. O fora da lei conhecido como Butch Cassidy, nascido Robert LeRoy Parker em 13 de abril de 1866, era o mais velho de 13 filhos em uma família mórmon em Utah. Sua admiração por um jovem cowboy chamado Mike Cassidy e uma passagem como açougueiro inspirou seu nom de crime. Um trecho em uma prisão de Wyoming pelo roubo de um cavalo de US $ 5 o impeliu a uma vida em fuga.

O Sundance Kid, nascido Harry Alonzo Longabaugh na primavera de 1867, era o caçula de cinco filhos em uma família batista na Pensilvânia. Depois de ir para o oeste aos 15 anos, ele correu com parentes no Colorado, depois percorreu as Montanhas Rochosas dos EUA e do Canadá, trabalhando como tropeiro e broncobuster. Ele ganhou seu apelido cumprindo 18 meses de prisão em Sundance, Wyoming, por roubar um cavalo.

Inscreva-se online e economize quase 40%.

Sundance’s companion in the movie was Etta Place. His companion in real life was an enigma. Although she has been described as a prostitute, a teacher, or both, no one knows her true origin or fate. Even her name is a mystery. The Pinkerton Detective Agency called her Etta on its wanted posters, but she called herself Ethel, which may or may not have been her real name. Traveling as Sundance’s wife, she shared the alias Place (his mother’s maiden name).

Butch and Sundance belonged to a loose-knit gang that included the likes of Elzy Lay, Matt Warner, Harvey ‘Kid Curry’ Logan, Ben ‘Tall Texan’ Kilpatrick and Will Carver. Dubbed the Train Robbers’ Syndicate, the Hole-in-the-Wall Gang and the Wild Bunch, the band held up trains and banks and stole mine payrolls in the Rocky Mountain West, making off with a total of $200,000 (the equivalent of $2.5 million today) between 1889 and the early 1900s.

With $1,000 rewards on their heads and the Pinkertons on their tails, Butch and Sundance fled to South America with Ethel in 1901. The movie takes them directly from New York City to Bolivia, but their initial destination was actually Argentina. After steaming into Buenos Aires on the British ship Herminius in March and taking the train to Patagonia in June, they settled in the Chubut Territory, a frontier zone in southern Argentina sparsely populated by immigrants, pioneers and Indians. Although most of the immigrants were Welsh or Chilean, several North Americans had journeyed to the same corner of the world, looking for open ranges. The bandits’ nearest neighbor, for example, was John Commodore Perry, who had been the first sheriff of Crockett County, Texas. Butch and Sundance also traded and socialized with another Texan, Jarred Jones, who lived a two days’ ride north, near Bariloche.

Calling themselves James ‘Santiago’ Ryan and Mr. and Mrs. Harry ‘Enrique’ Place, the Wild Bunch exiles peacefully homesteaded a ranch in the Cholila Valley, raising sheep, cattle and horses. All three got on well with their neighbors, and if anyone came to know about Butch and Sundance’s shady past, it never interfered with those good relations. So highly were they regarded that when Territorial Governor Julio Lezana visited the valley in early 1904, he spent the night in their home, a well-kept four-room log cabin on the east bank of the Blanco River. During the welcoming festivities, Sundance played sambas on his guitar and Lezana danced with Ethel.

Meanwhile, in March 1903, the Pinkertons had sent agent Frank Dimaio to Buenos Aires, after receiving a tip that Butch and Sundance were living in Argentina. Dimaio traced their whereabouts, then cabled his superiors, saying the rainy season prevented him from going to Cholila. Before leaving Buenos Aires, he supplied the police with translated versions of the bandits’ wanted posters.

On February 14, 1905, two English-speaking bandits held up the Banco de Tarapacá y Argentino in Río Gallegos, 700 miles south of Cholila, near the Strait of Magellan. Escaping with a sum that would be worth at least $100,000 today, the pair vanished north across the bleak Patagonian steppes. Although Butch and Sundance were never positively identified as the culprits (whose descriptions didn’t fit them as well as the modo de operação did), they were the prime suspects.

Responding to a directive from the Buenos Aires police chief, Governor Lezana issued an order for Butch and Sundance’s arrest. Before the order could be executed, however, Sheriff Edward Humphreys, a Welsh Argentine who was friendly with Butch and enamored of Ethel, tipped them off. In early May, the trio hustled north to Bariloche and took the steamer Cóndor across Lake Nahuel Huapi to Chile.

Almost nothing is known about what the bandits did in Chile, but they apparently spent time in Antofagasta, the center of the nitrate trade on the northern coastal desert. The Pinkertons learned from a postal informant that Frank D. Aller, the U.S. vice consul in Antofagasta, had bailed Sundance (alias Frank Boyd) out of a scrape with the Chilean government in 1905.

Late that year, the outlaws returned to Argentina on business. On December 19, Butch, Sundance, Ethel and an unidentified confederate heisted 12,000 pesos (worth about $137,500 today) from the Banco de la Nación in Villa Mercedes, a livestock center 400 miles west of Buenos Aires. With several posses chasing them, they slogged west over rain-drenched pampas and the Andes to safety in Chile.

A few months later, Sundance briefly visited Cholila to sell some sheep and mares he and Butch had left with their friend Daniel Gibbon, a Welsh rancher. By then, Ethel was in San Francisco, having returned to the United States for good, and Butch was in Antofagasta, en route to Bolivia.

In 1906, Butch (alias James ‘Santiago’ Maxwell) found work at the Concordia Tin Mine, 16,000 feet up in the Santa Vela Cruz range of the central Bolivian Andes. Sometime after selling the livestock in Cholila, Sundance (alias H.A. ‘Enrique’ Brown) hired on with contractor Roy Letson, who was driving mules from northern Argentina to a railroad-construction camp near La Paz. Sundance worked awhile breaking mules at the camp, then joined Butch at Concordia, where their duties included guarding payrolls.

Assistant manager Percy Seibert, who had first met Butch and Sundance during a Christmas party at the Grand Hotel Guibert in La Paz, knew that his employees were outlaws, but he ‘never had the slightest trouble getting along with’ either of them. He found Sundance somewhat taciturn, but grew quite fond of Butch. After Seibert became the manager at Concordia, they were his regular guests for Sunday dinner. To avoid unpleasant surprises, Butch always took the seat with a view of the valley and the trail to Seibert’s house.

Having been forced to give up his quiet life in Argentina, Butch still wanted to settle down as a respectable rancher. In late 1907, he and Sundance made an excursion to Santa Cruz, a frontier town in Bolivia’s neotropical eastern savannah, and Butch wrote to friends at Concordia, saying that he had found ‘just the place [he had] been looking for 20 years.’ Now 41, he was burdened with regret. ‘Oh god,’ he lamented, ‘if I could call back 20 years…I would be happy.’ He marveled at the affordability of good land with plenty of water and grazing, and made a prediction: ‘If I don’t fall down I will be living here before long.’

The bandits quit their jobs in 1908, after an inebriated Sundance bragged publicly about their criminal exploits. Although there is no proof of their having been anything other than model employees during their tenure at Concordia, Seibert credited them with several holdups in Bolivia. He said, for example, that they had robbed a railroad-construction payroll at Eucaliptus, south of La Paz, in 1908. The payroll was actually robbed twice that year. According to newspaper accounts, the perpetrators of the first holdup, which occurred in April, were ‘three Yankees who had been employed as contract-workers.’ The newspapers provided no details about the second robbery, which took place in August, after Butch and Sundance had left Concordia.

Later that month, they turned up in Tupiza, a mining center in southern Bolivia. Intent on robbing a local bank, perhaps to finance their retirement in Santa Cruz, the outlaws needed a place to lie low while making their plans. They found a perfect hideout at the camp of British engineer A.G. Francis, who was supervising the transportation of a gold dredge on the San Juan del Oro River. Introducing themselves as George Low and Frank Smith, Butch and Sundance appeared at Francis’ camp at Verdugo, 15 miles south of Tupiza, and asked to rest their mules for a spell. Their legendary charm soon won Francis over, and they wound up bunking with him for several weeks.

While Sundance stayed with Francis, Butch made frequent forays into Tupiza, casing the bank and formulating his plans. Unfortunately, a detachment of visiting soldiers from the Abaroa Regiment, the Bolivian army’s celebrated cavalry unit, was ensconced at a hotel on the same square as the bank–too close for Butch’s comfort. Frustrated, and tired of waiting for the soldiers to leave town, the bandits turned their attention to the Aramayo, Francke y Compañía, which had mines in the area. Although the operational headquarters were at Quechisla, three days’ journey to the northwest, the Aramayo family lived in Tupiza, and the money for the payrolls came through the Tupiza office. In conversations with an unidentified Aramayo employee, the outlaws learned that manager Carlos Peró would soon be taking an unguarded 80,000 peso payroll (worth half a million of today’s dollars) to Quechisla.

In late October, Francis moved his headquarters to Tomahuaico, three miles south of Verdugo, on the west bank of the San Juan del Oro. Shortly thereafter, Butch and Sundance decamped to Tupiza, where they staked out the office behind the Aramayo family’s Italianate mansion, Chajrahuasi.

Inscreva-se online e economize quase 40%.

Early on the morning of November 3, Carlos Peró picked up a packet of money wrapped in homespun cloth and set off from Chajrahuasi with his young son Mariano, a peon and several mules, trailed discreetly by Butch and Sundance. Peró and his companions spent the night at the Aramayo hacienda in Salo, then resumed their journey at dawn. The outlaws were now ahead of them, watching through binoculars as the group made its way up Huaca Huañusca (Dead Cow Hill), the peon and the boy on mules and Peró on foot in the rear.

At 9:30 a.m., Peró’s party rounded a curve on the far side of the cactus-studded hill and found the trail blocked by Butch and Sundance, wielding brand-new small-caliber Mauser carbines with thick barrels. Dressed in dark-red corduroy suits, with bandannas masking their faces and their hat brims turned down so that only their eyes were visible, the bandits had Colt revolvers in their holsters and Browning pocket pistols tucked into their cartridge belts, which bulged with rifle ammunition.

Sundance kept his distance and said nothing. Butch politely ordered Mariano Peró and the peon to dismount and asked Carlos Peró to hand over the payroll. Unable to offer any resistance, Peró replied that they could take whatever they wanted. Butch began to search their saddlebags but could not find the money, so he told Peró to open their luggage. Speaking in English, Butch explained that he was not interested in the money or personal articles of Peró or his companions but only in the 80,000 pesos they were carrying for the Aramayo company. When Peró replied that they had only 15,000 pesos (worth $90,000 today), the larger payroll having been scheduled for the following week, Butch was stunned into silence. Perhaps as compensation, he took not only the packet of money but also a fine dark-brown mule that belonged to the company.

After the bandits departed, Peró’s party continued north toward the village of Guadalupe. At noon, they encountered a muleteer named Andrés Gutiérrez. Peró scribbled a note in pencil and gave it to Gutiérrez to deliver to the Aramayo hacienda in Salo. Another messenger took the note from Salo to Chajrahuasi, and the alarm went out via telegraph to local authorities in surrounding communities, as well as to Argentine and Chilean officials in all the nearby border towns. Military patrols and armed miners (whose pay had been stolen) were soon combing the ravines, watching the roads, guarding the train stations, and looking for strangers in villages throughout southern Bolivia.

Peró spent the night in the mining camp at Cotani, a day’s journey shy of Quechisla. In a letter detailing the morning’s events to his superiors, he surmised that the brigands had ‘undoubtedly planned their retreat carefully otherwise, they would not have left us with our animals, or they would have killed us in order to avoid leaving witnesses or to gain time.’

In the meantime, Butch and Sundance had made their way south, through rough, uninhabited terrain. They skirted Tupiza under cover of darkness and arrived at Tomahuaico after midnight. Butch was sick and went to bed at once, but Sundance stayed up late, telling Francis about the holdup.

The bandit also spoke of having ‘made several attempts to settle down to a law-abiding life, but [said that] these attempts had always been frustrated by emissaries of the police and detective agencies getting on his track, and thus forcing him to return to the road.’ Nonetheless, he averred, ‘he had never hurt or killed a man except in self-defense, and had never stolen from the poor, but only from rich corporations well able to support his ‘requisitions.” Although Francis disapproved of his visitors’ misdeeds, he had found them ‘very pleasant and amusing companions’ and did not intend to betray them to the authorities.

The next morning, a friend hastened to Tomahuaico to warn the bandits that a military patrol from Tupiza was headed in their direction. Butch and Sundance packed their belongings and saddled their mules. To Francis’ horror, they insisted that he accompany them. Expecting them to flee south to Argentina, he was surprised when they said they were going to ‘Uyuni and the north.’ (Their destination may have been Oruro, a city with several thousand foreign residents, among whom the outlaws would have been inconspicuous. Oruro was also Sundance’s last known mailing address.)

Fearing that he would be caught in the cross-fire if the soldiers overtook them, Francis nervously led the bandits south and west along the San Juan del Oro, then north through a narrow, twisting ravine to the village of Estarca. Francis arranged for them to spend the night in a room at the home of Narcisa de Burgos. Early the next morning, Butch and Sundance thanked Francis for his help and let him go, with instructions to tell any soldiers he encountered that he had seen the bandits making for the Argentine border.

They paused for directions in Cucho, 10 miles north of Estarca, then followed the long, rugged trail to San Vicente, a mining village in a barren, dun-colored bowl 14,500 feet up in the Cordillera Occidental. At sundown on November 6, 1908, they rode into town on a black mule and the dark-brown Aramayo mule, stopping at the home of Bonifacio Casasola. Cleto Bellot, the corregidor (chief administrative officer), approached and asked what they wanted. An inn, they responded. Bellot said that there wasn’t one but that Casasola could put them up in a spare room and sell them fodder for their mules.

After tending to their animals, Butch and Sundance joined Bellot in their room, which opened off Casasola’s walled patio. They asked Bellot about the road to Santa Catalina, an Argentine town just south of the border, and the road to Uyuni, about 75 miles north of San Vicente. They then asked where they could get some sardines and beer, which Bellot sent Casasola to buy with money provided by Sundance.

When Bellot took his leave, he went straight to the home of Manuel Barran, where a four-man posse from Uyuni was staying. The posse, made up of Captain Justo P. Concha and two soldiers from the Abaroa Regiment and Inspector Timoteo Rios from the Uyuni police department, had galloped in that afternoon and had told Bellot to be on the lookout for two Yankees with an Aramayo mule. Captain Concha was asleep when Bellot reported the arrival of the suspects, but Inspector Rios and the two soldiers loaded their rifles at once.

Accompanied by Bellot, they went to Casasola’s home and entered the patio. As they approached the bandits’ room in the dark, Butch appeared in the doorway and fired his Colt, wounding the leading soldier, Victor Torres, in the neck. Torres responded with a rifle shot and retreated to a nearby house, where he died within moments. The other soldier and Rios also fired at Butch, then scurried out with Bellot.

After a quick trip to Barran’s house for more ammunition, the soldier and Rios positioned themselves at the entrance to the patio and began firing at the bandits. Captain Concha then appeared and asked Bellot to round up some men to watch the roof and the back of the adobe house, so that the bandits couldn’t make a hole and escape. As Bellot rushed to comply, he heard ‘three screams of desperation’ issue from the bandits’ room. By the time the San Vicenteños were posted, the firing had ceased and all was quiet.

The guards remained at their stations throughout the bitterly cold, windy night. Finally, at dawn on November 7, Captain Concha ordered Bonifacio Casasola to enter the room. When he reported that both Yankees were dead, the captain and the surviving soldier went inside. They found Butch stretched out on the floor, one bullet wound in his temple and another in his arm, and Sundance sitting on a bench behind the door, hugging a large ceramic jar, shot once in the forehead and several times in the arm. According to one report, the bullet removed from Sundance’s forehead had come from Butch’s Colt. From the positions of the bodies and the locations of the fatal wounds, the witnesses apparently concluded that Butch had put his partner out of his misery, then turned the gun on himself.

The outlaws were buried in the local cemetery that afternoon. The Aramayo payroll was found intact in their saddlebags. Once their possessions had been inventoried and placed in a leather trunk, Captain Concha absconded to Uyuni with the lot, leaving the Aramayo company to battle for months in court to recover its money and its mule.

Two weeks after the shootout, the bandits’ bodies were disinterred, and Peró identified them as the pair who had held him up. Tupiza officials conducted an inquest of the robbery and shootout, interviewing Peró, Bellot and several other area residents, but were unable to ascertain the dead outlaws’ names.

In July 1909, Frank D. Aller, Sundance’s benefactor in Antofagasta, wrote the American Legation in La Paz for ‘confirmation and a certificate of death’ for two Americans–one known as Frank Boyd or H.A. Brown and the other as Maxwell–who were reportedly ‘killed at San Vicente near Tupiza by natives and police and buried as ‘desconocidos’ [unknowns].’ Aller said that he needed a death certificate to settle Boyd’s estate in Chile. The legation forwarded the request to the Bolivian foreign ministry, stating that the Americans had ‘held up several of the Bolivian Railway Company’s pay trains, as also the stage coaches of several mines, and…were killed in a fight with soldiers that were detached to capture them as outlaws.’

In late 1910, after considerable procrastination, the Bolivian government finally responded with a summary of the Tupiza inquest report and ‘death certificates for the two men, whose names [were] unknown.’

Inscreva-se online e economize quase 40%.

In May 1913, a Missouri carpenter named Francis M. Lowe was arrested in La Paz on suspicion of being George Parker (Butch’s real name, according to the Pinkertons’ wanted posters). With the aid of the American Legation, Lowe established that his was a case of mistaken identity. In filing a report on the matter, an official at the legation advised U.S. Secretary of State William Jennings Bryan that ‘certain Englishmen and others here assert that a man known as George Parker [whom the La Paz police were seeking] had been killed in one of the provinces two or three years ago while resisting’ arrest.

Shortly before Lowe was detained, William A. Pinkerton had heard about the San Vicente shootout, but had dismissed ‘the whole story as a fake.’ The agency never officially called off the search for Butch and Sundance. Indeed, in 1921, Mr. Pinkerton told an agent that ‘the last we heard of [the Sundance Kid]…he was in jail in Peru for an attempted bank robbery. Butch Cassidy had been with him but got away and is supposed to have returned to the Argentine.’ Needless to say, the Pinkertons never caught up with the pair.

This article was written by Anne Meadows and Daniel Buck and originally appeared in the February 1997 issue of Wild West. For more great articles, order your subscription of Wild West revista hoje!


The truth about the death of Butch Cassidy and the Sundance Kid

Butch Cassidy’s well known story ends in Bolivia – but a different story brings him back to the desert southwest of the United States.

Witnesses and family members say the bandits didn’t die in a South American shootout after all. Mystery Wire’s George Knapp says historians will tell you – “nothing changes more than the past.”

The commonly accepted story about Butch Cassidy and the Sundance Kid is that they fled to South America and were gunned down in a Bolivian shootout. The marked grave site became a tourist attraction, but there’s one hitch. The men in that grave were not Butch and Sundance. DNA evidence proves it. So what became of the affable bandits? Here’s a look!

The story is Butch Cassidy and the Sundance Kid has been told and re-told in history books and Hollywood movies, but did they get it wrong? Watch this and share your thoughts!


40. The Lesser Known Chapter of Butch Cassidy&rsquos and the Sundance Kid&rsquos Career: The Finale

Towards the end of the nineteenth century, Butch Cassidy, real name LeRoy Parker (1866 &ndash 1908) was America&rsquos most infamous outlaw. He led a Wild West bandit crew known as the &ldquoHole in the Wall Gang&rdquo and &ldquoWild Bunch&rdquo &ndash which hich included his equally infamous sidekick the Sundance Kid &ndash that specialized in train and bank robberies.

The gang got away with a series of high value scores that made them folk heroes to some, and made a mockery of the authorities&rsquo impotence. By 1900, however, things had gotten hot enough for Cassidy to try to negotiate an amnesty with Wyoming&rsquos governor. He wrecked the deal by robbing yet another train while negotiating. So he and the Sundance went on the lam, fleeing first to New York City, then to South America. There, the gringo fugitives wrote a fascinating but lesser known final chapter to their outlaw careers.


THE VOICE OF CHICAGO'S GAY, LESBIAN, BI, TRANS AND QUEER COMMUNITY SINCE 1985

This article shared 1806 times since Tue Aug 18, 2020

That man there? He's just a nice guy.

Kind and generous, respectful and friendly, he's a true gentleman, and he's never judgmental. He loves children and animals, truth and honor. He's a good sport, a good man—and in the new book Butch Cassidy, by Charles Leerhsen, he's a good shot, too.

Eight years before the film Butch Cassidy and the Sundance Kid was released in 1969, the last of Cassidy's Wild Bunch "went into the ground." Her name was Laura Bullion and, says Leerhsen, she was one of a small handful of female groupies who followed the outlaw gang, led by the man played by Paul Newman.

"It was easy," Leerhsen says "to be smitten by Cassidy. "

Born Robert Parker in a tiny cabin in Beaver, Utah, Cassidy grew up uninterested in both his parents farm, and his ancestors' Mormon religion. He was too fun-loving, too full of mischief and an appreciation for guns, horses, and gambling to settle down—and yet, unlike many Wild West scoundrels, he was well-read, kind and goodhearted which, in the hearts and minds of Old West citizens, set him apart from all the others during his life of crime. Later, though apparently not deceitfully, he began using "Cassidy" as a surname, alternating with his given name.

Despite its appeal as an American legend, however, the story of Butch Cassidy and Harry "Sundance" Longabaugh might've merely enfolded into history, were it not for Hollywood, although Tinseltown messed with the myth. Reel men and real men were two different things and, says Leerhsen, it's possible that Sundance wasn't Cassidy's best friend. Their bones may not lie in South America, and historians believe that Cassidy may have been bisexual indeed, Cassidy's mother commented on it. About the bank heists, train robberies, and horse thefts: Cassidy was a criminal but was Hollywood correct in portraying him as an "extraordinary human being?"

"Oddly enough," says Leerhsen, "the answer, it seems, is yes. "

Thankfully, that doesn't mean a cliched riding-off-into-the-sunset scene inside Butch Cassidy. There's no such sentimentality here instead, you'll find lots of delightful set-you-rights and the chance to meet a roguish scoundrel who's hard to historically hate—a notion that many of Cassidy's victims would have surprisingly agreed with.

In explaining why that's so, author Leerhsen shows why Cassidy's exploits loomed so large in the West but were then largely forgotten for so long. In this, readers may get the sense that the movie memorializing didn't please Leerhsen, and that he is no fan of the general Hollywoodization of history.

But that's one small part of what's here. The real appeal of this book—what's fully half the fun of it—is the sense that Leerhsen isn't just telling this tale. He's growling it, grizzled-like, perhaps over campfire and cowpoke stew, surrounded by rustled cattle.

Absolutely, historians will want this book. For sure, L'Amour and McMurtry fans will enjoy it. As for lovers of a good tale, well, if you want something different this summer, Butch Cassidy will be a nice change.

This article shared 1806 times since Tue Aug 18, 2020

Windy City Media Group does not approve or necessarily agree with the views posted below.
Please do not post letters to the editor here. Please also be civil in your dialogue.
If you need to be mean, just know that the longer you stay on this page, the more you help us.

BOOKS Grandma, Grace Jones are heroes in non-binary author's children's book 2021-06-22
- Non-binary author, alternative hip hop artist, mother and activist Ris iRAWniQ Anderson has published the children's book in Charlie's Best Work Yet. Charlie's Best Work Yet tells the semi-autobiographical story of Charlie—a shy, artistic .

New book: Majority Leader Hoyer unsung hero of Don't Ask, Don't Tell repeal 2021-06-22
--From a press release - WASHINGTON, DC &mdash In a new book, LGBTQ Lobbying in the United States, authored by Dr. Christopher Pepin-Neff, LGBTQ researcher and Senior Lecturer in Public Policy at the University of Sydney and first lobbyist for Don't .

The Cost of Pride: Research goes inside LGBTQ movement's two decades of progress 2021-06-21
--From a press release - Sydney, Australia — With LGBTQ Pride Month upon us, new University of Sydney research released today paints a vivid picture of how the LGBTQ community has achieved groundbreaking advancements over the past two decades. The study .

BOOKS Precious Brady-Davis has arrived 2021-06-18
- Recently honored by Mayor Lightfoot and the LGBTQ Advisory Council as a community leader who has "helped build the foundation for a more welcoming, equitable and inclusive Chicago," Precious Brady-Davis wants to do it all. She .

"Chicago: Where comics came to life 񢇘-1960)" at Chicago Cultural Center 2021-06-18
--From a press release - "Chicago: Where comics came to life 񢇘-1960)" opens Saturday, June 19 at Chicago Cultural Center. The new exhibition celebrates Chicago as the comics capital of the world. Current exhibitions include .

New book sets the record straight on Act Up New York 2021-06-10
- Novelist, playwright, nonfiction writer, journalist, screenwriter, LGBTQ+-rights activist and AIDS historian Sarah Schuman preserves the power of the AIDS Coalition to Unleash Power (ACT UP) while laying everything out about .

Lambda Literary Award winners announced 2021-06-09
- On June 1, Lambda Literary announced the winners of its 33rd Annual Lambda Literary Awards. The winners were selected by a panel of more than 60 literary professionals from more than 1,000 book submissions from more .

Temple Beth-El to offer 'Drag Queen Story Time' on June 5 2021-05-31
- Temple Beth-El, a Reform Jewish synagogue in Northbrook, will hold "Drag Queen Story Time" on Saturday, June 5, 4-4:45 p.m., on Zoom. The all-ages event will feature Merriam Levkowitz, described on a flyer as "Chicago's premier .

An Evening with Fran Lebowitz at the Auditorium Theatre on April 15, 2022 2021-05-25
--From a press release - Chicago, IL May 24, 2021 — An Evening with Fran Lebowitz on Friday, April 15th at Auditorium Theatre located at 50 E. Congress Pkwy Chicago, IL. This show is all ages and begins at 7:30 PM .

Little library honoring John Pennycuff is unveiled 2021-05-24
- Chicago's Unity Park Advisory Council (UPAC) held "Park Day" May 22 at the site, 2636 N. Kimball Ave.—and one of the events involved the unveiling of a custom-designed little library that honors late LGBTQ-rights activist John .

'Real Housewives' expert Brian Moylan keeps it real in new tell-all book 2021-05-21
- Bravo's Real Housewives franchise, which has been stirring the pot for more than 15 years, has launched 31 books and a cocktail line featured two jail sentences and a couple of supermodel daughters made Andy Cohen .

Women and Children First hosts 'Documenting LGBTQ+ Histories' virtual panel 2021-05-18
- To celebrate the release of Diana Souhami's book No Modernism Without Lesbians, Women and Children First hosted a "Documenting LGBTQ+ Histories" virtual panel May 16. Gerber/Hart Library and Archives volunteer .

NBJC and Out in Tech kick off Pride with launch of Lavender Book app 2021-05-18
--From a press release - As Pride Month approaches, the National Black Justice Coalition (NBJC) and Out in Tech are launching Lavender Book, a web based app dedicated to finding safe and inclusive spaces for members of the Queer BIPOC community .

BOOKS Lesbian author Amanda Kabak to release hate-crime novel July 20 2021-05-15
- Lesbian author Amanda Kabak—a Chicago native who now resides in Lakeland, Florida—is releasing the novel Upended on July 20. In Upended, Maddie, a driven entrepreneur, finds her world thrown into disarray when she survives a hate .

'An Evening with Fran Lebowitz' in April 2022 in NYC 2021-05-12
- Legendary author, journalist and social observer Fran Lebowitz is slated to return to The Town Hall stage in New York City for two live, in conversation events on April 6-7, 2022. Lebowitz is coming off her .


Copyright © 2021 Windy City Media Group. Todos os direitos reservados.
Reprint by permission only. PDFs for back issues are downloadable from
our online archives. Single copies of back issues in print form are
available for $4 per issue, older than one month for $6 if available,
by check to the mailing address listed below.

Return postage must accompany all manuscripts, drawings, and
photographs submitted if they are to be returned, and no
responsibility may be assumed for unsolicited materials.
All rights to letters, art and photos sent to Nightspots
(Chicago GLBT Nightlife News) and Windy City Times (a Chicago
Gay and Lesbian News and Feature Publication) will be treated
as unconditionally assigned for publication purposes and as such,
subject to editing and comment. The opinions expressed by the
columnists, cartoonists, letter writers, and commentators are
their own and do not necessarily reflect the position of Nightspots
(Chicago GLBT Nightlife News) and Windy City Times (a Chicago Gay,
Lesbian, Bisexual and Transegender News and Feature Publication).

The appearance of a name, image or photo of a person or group in
Nightspots (Chicago GLBT Nightlife News) and Windy City Times
(a Chicago Gay, Lesbian, Bisexual and Transgender News and Feature
Publication) does not indicate the sexual orientation of such
individuals or groups. While we encourage readers to support the
advertisers who make this newspaper possible, Nightspots (Chicago
GLBT Nightlife News) and Windy City Times (a Chicago Gay, Lesbian
News and Feature Publication) cannot accept responsibility for
any advertising claims or promotions.


Assista o vídeo: 9 Coisas Que Você Não Sabe Para Que Servem