Jordan Timeline

Jordan Timeline


Linha do tempo: Jordan

1948 - Estado de Israel criado na Palestina sob mandato britânico. Milhares de palestinos fogem dos combates árabes-israelenses para a Cisjordânia e Jordânia.

1950 - Jordânia anexa a Cisjordânia.

1951 20 de julho - o rei Abdullah é assassinado por um pistoleiro palestino zangado com sua aparente conivência com Israel na divisão da Palestina.

1952 11 de agosto - Hussein proclama-se rei depois que seu pai, Talal, é declarado mentalmente incapaz de governar.

1957 - As tropas britânicas concluem sua retirada da Jordânia.

1967 - Israel assume o controle de Jerusalém e da Cisjordânia durante a Guerra dos Seis Dias, grande afluxo de refugiados à Jordânia.

1970 - Grandes confrontos estouram entre as forças do governo e os guerrilheiros palestinos, resultando em milhares de vítimas na guerra civil lembrada como o Setembro Negro.

1972 - Tentativa de golpe militar frustrada.

1974 - O rei Hussein reconhece a OLP como o único representante legítimo do povo palestino.

1986 - Hussein rompe ligações políticas com a OLP e ordena o fechamento de seus escritórios principais.

Hussein apóia revolta

1988 - Hussein apóia publicamente o levante palestino, ou intifada, contra o domínio israelense.

1989 - Tumultos em várias cidades por causa dos aumentos de preços.

1989 - Primeira eleição geral desde 1967, contestada apenas por candidatos independentes devido à proibição de partidos políticos em 1963.

1990 - A Jordânia está sob forte pressão econômica e diplomática como resultado da crise do Golfo após a invasão do Kuwait pelo Iraque.

1994 - Jordânia assina tratado de paz com Israel, pondo fim ao estado de guerra oficial de 46 anos.

1996 - Motins nos preços dos alimentos após a remoção dos subsídios de acordo com o plano econômico supervisionado pelo Fundo Monetário Internacional.

1997 - Eleições parlamentares boicotadas por vários partidos, associações e personalidades.

1998 - King Hussein tratou de câncer linfático nos Estados Unidos.

1999 Janeiro - Após seis meses de tratamento, o rei Hussein retorna para casa e recebe uma recepção calorosa, mas voa de volta para os Estados Unidos logo depois para tratamento adicional.

1999 Fevereiro - o rei Hussein volta para casa e é colocado em uma máquina de suporte de vida. Ele é declarado morto em 7 de fevereiro. Mais de 50 chefes de estado comparecem ao funeral.

1999 7 de fevereiro - o príncipe herdeiro Abdullah ibn al-Hussein presta juramento como rei.

2000 Setembro - Um tribunal militar condena seis homens à morte por tramarem ataques contra alvos israelenses e americanos.

2001 Março - O rei Abdullah e os presidentes Bashar al-Assad da Síria e Hosni Mubarak do Egito inauguram uma linha de eletricidade de $ 300 milhões (& pound207m) ligando as redes dos três países.

2002 Janeiro - Rebentam motins na cidade de Maan, no sul do país, os piores distúrbios públicos em mais de três anos, após a morte de um jovem sob custódia.

2002 Agosto - Discussão com o Catar por causa de um programa na TV Al-Jazeera, do Catar, que Jordan diz ter insultado sua família real. Jordan fecha o escritório da Al-Jazeera em Amã e chama de volta seu embaixador no Catar.

2002 Setembro - Jordânia e Israel concordam em um plano para canalizar água do Mar Vermelho para o Mar Morto, que está encolhendo. O projeto, que custou US $ 800 milhões, é a maior joint venture das duas nações até o momento.

2002 Outubro - O diplomata sênior dos EUA Laurence Foley é morto a tiros do lado de fora de sua casa em Amã, no primeiro assassinato de um diplomata ocidental na Jordânia. Dezenas de ativistas políticos são arredondados.

2003 Junho - primeiras eleições parlamentares sob o rei Abdullah II. Candidatos independentes leais ao rei conquistam dois terços das cadeiras.

2003 Agosto - Ataque a bomba contra a embaixada da Jordânia em Bagdá, capital do Iraque, mata 11 pessoas e fere mais de 50.

2003 Setembro - o Banco Central da Jordânia retira sua decisão de congelar contas pertencentes a líderes do Hamas.

2003 Outubro - Um novo gabinete é nomeado após a renúncia do Primeiro Ministro Ali Abu al-Ragheb. Faisal al-Fayez é nomeado primeiro-ministro. O rei também nomeia as três ministras.

2004 Fevereiro - o rei Abdullah da Jordânia e o presidente sírio Bashar al-Assad lançam o projeto da Represa Wahdah em uma cerimônia no rio Yarmuk.

2004 Abril - Oito militantes islâmicos são condenados à morte por matar um funcionário do governo dos Estados Unidos em 2002.

Autoridades apreendem carros cheios de explosivos e prendem vários suspeitos relacionados à Al-Qaeda e que planejam um ataque com bomba química contra o quartel-general dos serviços de inteligência em Amã.

2005 Março - A Jordânia retorna seu embaixador a Israel após uma ausência de quatro anos. Amã chamou de volta seu enviado em 2000, após a eclosão do levante palestino.

2005 Abril - Um novo gabinete é empossado, liderado pelo primeiro-ministro Adnan Badran, depois que o governo anterior renunciou em meio a relatos sobre a infelicidade do rei com o ritmo das reformas.

2005 Agosto - Três mísseis são disparados do porto de Aqaba. Dois deles perdem um navio da Marinha dos Estados Unidos, um terceiro aterra em Israel. Um soldado jordaniano é morto.

2005 Novembro - Sessenta pessoas são mortas em atentados suicidas em três hotéis internacionais em Amã. A Al-Qaeda no Iraque assume a responsabilidade. A maioria das vítimas são jordanianos. Um dia de luto é declarado.

2006 8 de junho - o primeiro-ministro do Iraque anuncia que o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, líder da Al Qaeda no Iraque, foi morto em um ataque aéreo.

2006 Agosto - o rei Abdullah critica os Estados Unidos e Israel pelos combates no Líbano.

2006 Setembro - Um atirador abre fogo contra turistas no anfiteatro romano em Amã, matando um homem britânico.

2007 Julho - Primeiras eleições locais desde 1999. O principal partido da oposição, a Frente de Ação Islâmica, se retira após acusar o governo de fraude eleitoral.

2007 Novembro - as eleições parlamentares fortalecem a posição dos líderes tribais e outros candidatos pró-governo. As fortunas da oposição Frente de Ação Islâmica declinam. O moderado político Nader Dahabi foi nomeado primeiro-ministro.

2008 Agosto - o rei Abdullah visita o Iraque. Ele é o primeiro líder árabe a visitar o país desde a invasão dos Estados Unidos em 2003.

2009 Julho - Tribunal militar condena à morte um militante da Al-Qaeda por seu envolvimento no assassinato de 2003 do diplomata americano Laurence Foley em Amã.

2009 Dezembro - o rei Abdullah nomeia novo primeiro-ministro para promover a reforma econômica.


1999 Fevereiro - o rei Hussein morre, seu filho mais velho, o príncipe herdeiro Abdullah, assume o trono.

2000 Setembro - Um tribunal militar condena seis homens à morte por tramarem ataques contra alvos israelenses e americanos.

2001 Março - O rei Abdullah e os presidentes Bashar al-Assad da Síria e Hosni Mubarak do Egito inauguram uma linha de eletricidade de $ 300 milhões (£ 207 milhões) ligando as redes dos três países.

2002 Janeiro - Rebentam distúrbios na cidade de Maan, no sul do país, os piores distúrbios públicos em mais de três anos, após a morte de um jovem sob custódia.

2002 Setembro - Jordânia e Israel concordam em um plano para canalizar água do Mar Vermelho para o Mar Morto, que está encolhendo. O projeto, com custo de US $ 800 milhões, é a maior joint venture das duas nações até o momento.

2002 Outubro - O diplomata sênior dos EUA Laurence Foley é morto a tiros fora de sua casa em Amã por combatentes da Al-Qaeda, no primeiro assassinato de um diplomata ocidental na Jordânia. Dezenas de ativistas políticos são arredondados.

2003 Junho - primeiras eleições parlamentares sob o rei Abdullah II. Candidatos independentes leais ao rei conquistam dois terços das cadeiras.

2004 Fevereiro - o rei Abdullah e o presidente sírio Bashar al-Assad lançam o projeto da represa Wahdah em uma cerimônia no rio Yarmuk.


Jordan Timeline - História

Aquele que começou tudo: uma história do Jordão 1

Qualquer que seja o adjetivo que você queira atribuir a ele, a coisa mais reveladora sobre a Air Jordan 1 é que a Air Jordan 1 existe porque Michael Jordan não queria assinar com a Nike. Como diria a história, o calçado favorito de Jordan para usar a bola durante a faculdade era o Converse e o Chuck Taylor, um calçado com o qual ninguém sonharia seriamente jogar hoje. Mas Jordan adorou o sapato e queria assinar com a Converse quando sua carreira na NBA começou.

A Nike fez uma barganha difícil (chegou a pedir aos pais que o arrastassem para o campus da Nike em Beaverton, Oregon). A proposta da Nike foi abrangente: eles iriam criar uma marca inteira em torno de Jordan, empurrá-lo para frente como o rosto da marca e realizar seus sonhos mais loucos. Mas Jordan não estava convencido: ele não gostava dos sapatos - as solas de Nike eram muito grossas, ele não conseguia sentir a quadra sob seus pés. A Nike capitulou nesse ponto, foi uma mudança fácil para eles fazerem. Assim eles fizeram, e o Air Jordan 1 nasceu. O que aconteceu nos anos seguintes mudaria a direção da Nike e da cultura do tênis para sempre.

O diretor criativo da Nike, Peter C. Moore, foi encarregado de projetar o primeiro calçado de Jordan. O novato deu a Moore um pouco de orientação (que o sapato precisava ser "diferente" e "emocionante", além do desejo mencionado de ser mais baixo), e inicialmente odiou o que Moore criou dizendo: "Eu não estou usando esse sapato . Vou parecer um palhaço. " Mas o design do calçado que conhecemos cresceu nele e era hora de lançá-lo para as massas.

O Jordan 1 foi lançado em 1985 no final do ano de estreia de Jordan e, como não estaria pronto até novembro, Jordan jogou com um tênis diferente: o Nike’s Air Ship. Eles escolheram o Air Ship porque ele compartilha muitos elementos de design semelhantes ao Jordan 1, e eles queriam enganar o mundo. Nas telas de TV e câmeras de filme em 1985, era difícil distinguir um navio aéreo do que se tornaria o Air Jordan, e a Nike queria vender aqueles Jordans, então eles deixaram o engano durar. Foi aquele pequeno truque visual que levou a uma das maiores lendas do tênis de todos os tempos.

O primeiro Jordan 1 que os fãs de tênis pensam quando pensam no Air Jordan 1 é o "Banned" colorway, também conhecido como "Bred" ou Black and Red. Eles são chamados de "Banidos" porque a história diz que Jordan foi multado em US $ 5.000 por jogo que ele usou, pois eles quebraram as regras do uniforme da liga. É verdade que Jordan usava tênis preto e vermelho, e é verdade que o comissário da NBA, Russ Granik, enviou à Nike uma carta sobre os sapatos, mas o resto é pura lenda, pelo que qualquer um pode dizer. Os sapatos em questão eram Air Ships, e ele os calçou apenas uma vez em 18 de outubro de 1984, antes do início oficial da temporada - a carta era um aviso, não uma cobrança de multa. Não há confirmação de quaisquer violações subsequentes, exceto fotos de Jordan usando o Air Jordan 1s na mesma cor durante o Dunk Contest de 1985. Não há confirmação de multas.

A realidade não importava. Assim que se espalhou a notícia de que a NBA não estava feliz com os calçados de Jordan no outono de 1984, a Nike e sua agência de publicidade (Chiat / Day) aderiram imediatamente. Poucas semanas se passaram antes que um novo anúncio aparecesse nas televisões de todo o país:

“Em 15 de outubro, a Nike criou um novo e revolucionário tênis de basquete”, entoa o narrador. “Em 18 de outubro, a NBA os expulsou do jogo. Felizmente, a NBA não pode impedir você de usá-los. Air Jordans. Da Nike. & Quot

Isso é tudo que alguém precisava. Os sapatos caíram e se esgotaram imediatamente. A Nike fixou o varejo em US $ 65 a unidade, caro para a época, e eles se esgotaram tão rapidamente quanto hoje. Os revendedores até ganharam algum dinheiro na época, vendendo os sapatos por US $ 100 - um hábito que basicamente não tinha precedentes.

Durante aquela primeira temporada, e aquela que saiu pela primeira vez com o tênis, a Nike lançou 13 cores do calçado. Os famosos "Banned", "Chicago", "Royal", "Black Toe", "Shadow" e "Carolina Blue" colorways, bem como Black & amp White, Blue & amp White, Metallic Red, Metallic Purple, Metallic Blue, Verde Metálico e Cinza Natural. Embora dezenas de cores Jordan 1 tenham seguido os primeiros 13, essas cores sempre permanecerão como a base para o que o Air Jordan 1 viria a se tornar. Por mais estranho que possa parecer agora, no entanto, em 1985, o sapato significava menos que o homem, e o 1 não era mais poderoso do que os modelos que os seguiriam.

Até, é claro, Jordan se aposentar.

Tão rapidamente quanto os sapatos se esgotaram, a Nike os reabasteceu. Mas eles fizeram muitos na segunda vez, e eles se sentaram nas prateleiras. E sentou. E sentou. Eles sentaram-se durante anos, literalmente, eventualmente recebendo descontos em alguns lugares até US $ 20, e muitos varejistas simplesmente os retiraram das prateleiras para marinar no estoque, esquecidos por uma geração. O Jordan 1 foi rapidamente ofuscado por modelos posteriores, especialmente o Jordan 3, e efetivamente esquecido.

A inundação de 1985 de Jordan 1s no mercado veio ao mesmo tempo que a comunidade do skateboarding procurava algo novo, e as duas comunidades convergiram. Com Jordan 1s nas prateleiras por US $ 20 e skatistas procurando tênis acessíveis que fossem mais robustos do que os sapatos de lona que usavam, era um casamento perfeito. Embora a cultura do skate tenha feito pouco para impulsionar o sucesso da Air Jordan, a cultura ajudou a impulsionar a cultura do tênis em larga escala: você não precisa ir além do programa SB Dunk da Nike anos depois (o Dunk, deve-se notar, compartilha muito semelhanças estéticas com o Jordan 1). Esse par aparentemente aleatório teria retorno anos depois, quando o programa de skate da Nike colocou as mãos no tênis oficialmente com a colaboração de Lance Mountain e outros.

O reabastecimento de Air Jordan 1s em 1985 também explica por que, embora ainda raro, é fácil encontrar pares daquele ano. Determinar o valor comercial desses sapatos é quase impossível porque, apesar de sua raridade, a demanda séria também é limitada. Mas limitado a um custo alto. Dependendo de sua condição e proveniência, os pares foram vendidos nos últimos anos por algo entre US $ 3.000 e US $ 33.000. Preço de venda alto à parte, é importante notar: mais de 30 anos depois, as solas não andam mais sem desmoronar, então apenas os colecionadores mais comprometidos as mantêm como artefatos culturais e monumentos para um design de sucesso.

Depois de 1986, o Jordan 1 foi engavetado por quase uma década, mas antes desse ano sabático veio um breve capítulo misterioso. Mais ou menos na mesma época em que o Jordan 1 foi lançado pela primeira vez, o Air Jordan K.O. lançado também. Conhecido como “AJKO”, o sapato tem as mesmas cores do Jordan 1, com quase exatamente o mesmo cano, mas feito de tela e com alguns ajustes. Quase não há documentação contemporânea de por que a Nike criou o calçado, quem era o mercado-alvo, ou mesmo uma palavra oficial sobre o que "K.O." apoia. A maioria assume que significa "Knock Out", mas não há nenhuma fonte primária para oferecer clareza. A menos que ainda haja segredos escondidos no cofre da Nike, talvez nunca saibamos. Os AJKOs foram aposentados junto com a versão clássica de couro, e isso parecia ser o fim do sapato.

Enquanto o mundo seguia a carreira de Michael Jordan, eles também seguiram o que estava em seus pés. E a cada ano, com o lançamento de um novo tênis de jogo, havia um novo para comprar. Naquela época, o Air Jordan 1 não era chamado de "The Air Jordan 1." Nenhum dos sapatos estava numerado. Eles eram apenas “Air Jordans” e o que você recebia era o que havia nas lojas. Mas em 1994, oito anos após o último Air Jordan 1 produzido, Jordan Brand teve a ideia maluca de trazer de volta um pedaço da história. Então eles relançaram alguns colorways, principalmente os colorways “Banned” e “Chicago”. Surpreendentemente, foi praticamente um fracasso.

O time de beisebol da liga secundária Barons - uma fonte de grande inspiração para o tênis nos anos posteriores. Em retrospecto, não há dúvidas sobre as circunstâncias da decisão de Jordan ou como ela se encaixa na jornada de sua própria vida, mas foi uma confusão para seus fãs - e isso ficou evidente nas vendas de tênis. Os consumidores ficaram confusos com a mudança de Jordan para o beisebol e, enquanto procuravam por novos heróis do basquete, eles estavam menos do que entusiasmados com a perspectiva de comprar tênis que comemorassem a carreira supostamente encerrada de Jordan na NBA. Foi também a primeira vez que uma marca de tênis trouxe de volta um tênis que havia saído de produção dessa forma. Em 2017, há um lançamento de tênis "retro" quase todas as semanas, mas em meados de 1990 a mera ideia de trazer um tênis de volta dos mortos não fazia sentido. A tecnologia era velha e a história estava acontecendo na TV (exceto quando a história era Jordan balançando tacos nas bolas atadas). A nostalgia ainda não havia feito efeito.

Jordan voltou ao jogo de basquete novamente no ano seguinte. E se aposentou novamente em 1999. Ele voltou em 2001 e o Jordan 1. Nos três anos seguintes, Jordan Brand trouxe de volta alguns dos 13 clássicos de cores (Royals e Breds), bem como lançou um pequeno número de novas cores no sapato antigo que se tornaria clássico como a Marinha do Japão, White Chrome (que apresentava um logotipo Jumpman em vez de um swoosh), Black / Metallic Gold e introduziu o tênis em uma versão de baixo perfil - a primeira mudança na silhueta desde o AJKO. Michael Jordan se aposentou oficialmente pela última vez em 2003, e Jordan Brand aposentou o Jordan 1 no ano seguinte, em 2004.

Até que voltou para sempre.

Em abril de 2007, a Air Jordan lançou o Jordan 1 como um pacote de dois que eles chamaram de "Old Love, New Love" que incluía um retro do original "Black Toe" colorway emparelhado com um par inteiramente novo que era preto e amarelo. Os fãs hardcore de Jordan se misturaram com o colorway New Love, uma vez que foi uma das poucas novas versões do tênis em seus 22 anos de história. Depois das 13 cores originais, muito poucas novas adições foram feitas na história das cores e os tênis ainda não estavam prontos para abrir seus corações para o Novo Amor. Isso era uma pena, porque as comportas estavam prestes a se abrir.

Assim que o pacote “Old Love, New Love” foi lançado, a metafórica mangueira foi ligada e os dez anos seguintes apresentaram um dilúvio de novas cores. No primeiro mês, houve dez colorways (com muito poucos dignos de nota). Então, em junho, apareceu o audacioso “Alpha” com uma tela impressa da imagem de Jordan no trimestre. Isso era certamente algo novo.

Os anos seguintes trouxeram mudanças na silhueta que traçou tendências de estilo. Correias foram adicionadas, uma versão “Phat” injetou mais enchimento. Em 2010, o “Air Jordan 1 Alpha” distorceu tudo para parecer uma versão de pesadelo do futuro, enquanto o “Anodizado” passou todo o calçado por um tratamento VacTech como se estivesse embrulhado em Spandex. Os anos se passaram com poucos novos lançamentos dignos de nota (os pares de prata do “25º aniversário” de 2009 ainda se sustentam, a colaboração de Dave White de 2011 ainda tem alguns fãs fanáticos, e a versão do SB que Lance Mountain ofereceu em 2014 foi um momento seminal ), até o final de 2014, quando a Air Jordan lançou sua colaboração com a Fragment Design.

Quando as fotos dos "Frags" surgiram pela primeira vez, parecia haver pouco para eles. O esquema de cores era o mesmo do Black Toes, exceto que Hiroshi Fujiwara usou o azul dos Royals em vez do tradicional vermelho de Chicago. Havia também um logotipo Fragment gravado no calcanhar. Por uma ou várias razões (ou porque os sapatos eram tão limitados, ou eles mantiveram um tema reconhecível, ou ficaram dentro das quatro cores básicas), os sapatos foram caçados implacavelmente e imediatamente se tornaram o bilhete mais quente da cidade. Até os Frags, os únicos lançamentos de Jordan 1 que comandavam esse tipo de atenção eram dos 13 colorways originais, e mesmo assim eram apenas cinco ou seis deles. O lançamento do Fragment 1s representou uma recuperação moderna de um tênis que tinha quase 30 anos.

Depois dos Frags, veio uma série de novos sucessos de cores em 2016 que iriam ultrapassar seus irmãos mais tradicionais: Shattered Backboards (tanto em casa quanto fora, inspirado no momento de tabela estilhaçado de Jordan em Torino, Itália), baixos sem swoosh em tons pastéis e um “Top 3 ”Pegue aquela mistura de Breds, Black Toes e Royals em um sapato. Agora, mais da metade de 2017, já vimos os All-Star 1s decolarem por meio de vários estoques e os pares incrivelmente limitados "Mars Blackmon Promo" de Spike Lee que exigem preços exorbitantes. Mas 2017 ainda não acabou.

No que talvez seja o lançamento de tênis mais aguardado do ano, Virgil Abloh e Off-White colocaram as mãos no Jordan 1. Abloh conceitualmente desconstruiu o tênis (junto com outras nove silhuetas da Nike) como parte de seu "The Ten" coleção, em um tratamento que ele chamou de “Reveladora”. Se você apertar os olhos, os sapatos se parecem com os Chicago Jordan 1s com todas as peças constituintes, mas Abloh juntou as peças de uma forma que revela como são feitos, o que os torna, e inverte nossas expectativas sobre o que o sapato deve , e poderia significar. Quer seja o Swoosh pregado que substitui um painel normal, peças que são perfuradas para pontos, mas não são costuradas, ou uma única unidade com "AIR" escrito diretamente nele, os componentes nos forçam a reconhecer nossas expectativas e suposições sobre isso. icônico de tênis.

32 anos é muito tempo para um tênis ser continuamente reimaginado, recontextualizado e reinjetado na cultura, mas 32 anos após o sapato chegar ao mercado, Abloh o destruiu para que possamos ver como chegamos aqui em conceito e materiais. 32 anos depois, o sapato será caçado como se fosse a primeira vez, provando que há um longo futuro pela frente.


A história de cada ar Jordan


Depois de muitas temporadas decepcionantes, a sorte do Chicago Bulls começou a mudar na noite de 19 de junho de 1984, quando recrutaram um jovem de 21 anos de Wilmington, Carolina do Norte, chamado Michael Jordan. No final da temporada 1984-85, o estonteante estreante se tornou o assunto da liga e ajudou os Bulls a chegar aos playoffs. Agora, mais de 30 anos depois, o impacto de Jordan no jogo de basquete é incomparável. O mesmo também pode ser dito sobre o efeito de sua Air Jordan na indústria de tênis.

Depois que Jordan foi redigido e começou a procurar um contrato de patrocínio de tênis, ele voltou seus olhos para sua marca favorita, a adidas. Mas a adidas estava em um estado de convulsão. O fundador da empresa, Adi Dassler, faleceu recentemente e as tensões estavam altas devido à reorganização dentro da organização. A Adidas não fez ofertas a Jordan e, portanto, com o apoio de seu pai, Jordan começou a procurar outro lugar.

Ele sempre usava Converse enquanto jogava na Universidade da Carolina do Norte e, embora a marca já tivesse superestrelas como Larry Bird, Magic Johnson e Julius “Dr. J ”Erving, Jordan conseguiu uma reunião com a marca. Ele participou de um campo junto com seu pai James, onde Converse prometeu tratar Jordan da mesma forma que o resto de suas estrelas. Isso não foi suficiente para o pai de Jordan, que perguntou aos representantes da Converse se eles tinham novas ideias. A Converse disse que não poderia justificar pagar a Michael mais do que a qualquer um de seus três melhores atletas. O pai de Jordan não ficou impressionado.

Entra na Nike. O agente de Jordan, David Falk, tinha um relacionamento de longa data com o "homem de negócios" da Nike, Rob Strasser, e sabia que a marca queria desesperadamente um novo atleta famoso. Embora tenha começado como uma estrela em rápido crescimento no mundo das marcas esportivas, a Nike estagnou um pouco em meados dos anos 80. Era preciso impulsionar sua imagem, produto e marketing, e eles decidiram que Jordan era a solução.

Quase não aconteceu, no entanto. Jordan estava cansado de mais arremessos. Ele disse a Falk para conseguir um acordo com a adidas e acabar com isso. Mas Falk persistiu e finalmente colocou Jordan em um avião para a sede da Nike em Oregon.

Assim que chegou, Jordan mencionou que uma das razões pelas quais gostava dos tênis adidas era porque eles eram mais baixos do que a maioria dos tênis que a Nike estava produzindo. Ao contrário do resto dos argumentos que ele ouviu, a Nike estava disposta a trabalhar com Jordan e disse que poderia personalizar um sapato de acordo com o seu gosto. Jordan recebeu a oferta de um contrato de 5 anos / $ 500.000 por ano, um valor sem precedentes na época.

Jordan aceitou e todos começaram a trabalhar imediatamente. A Nike se comprometeu a colocar US $ 1 milhão no marketing dos sapatos. Falk veio com o nome Air Jordan na primeira semana. Ao projetar os tênis Air Jordan I, a Nike intuiu que todos os tênis Jordan precisavam ser reconhecidos meramente por sua silhueta - arrojado e inigualável em estilo por qualquer outro tênis de basquete de desempenho no mercado. E assim, o apelo crossover da Air Jordan para os mundos casual e fashion foi estabelecido.

Logo, Jordan estava quebrando as regras de uniforme da NBA bastante conservadoras com um novo par de tênis preto e vermelho chamativo toda vez que ele colocava os pés na quadra. Inspirados pelo Nike Dunk, os Air Jordans originais eram relativamente simples, mas criaram uma silhueta esteticamente agradável e eram reconhecíveis do outro lado da sala. Jordan foi multado em US $ 5.000 para cada jogo que ele usou. A Nike pagou com prazer cada multa, e um burburinho significativo começou a se formar em torno dos calçados. A Nike fez um comercial realmente se gabando de que os sapatos estavam proibidos, o que só os tornava mais desejáveis. Isso ocorreu antes mesmo de o calçado estar disponível para o público em geral, criando um precursor para o hype de tênis de hoje.

No final da temporada 1984-85, Michael Jordan havia sido nomeado o Rookie of the Year, com uma média de 28,2 pontos por jogo, e sua estrela estava claramente em ascensão. Jordan evoluiu rapidamente de um humilde novato para a maior atração da NBA, e seus sapatos foram uma parte importante disso. Air Jordan 1s chegou às lojas em todo o país em março de 1985, a US $ 65 o par. Em maio, a Nike havia vendido US $ 70 milhões.

Isso foi apenas o começo. Mais de 30 anos depois, a linha Air Jordan se tornou uma lenda no mundo dos calçados esportivos. Eles são mais do que apenas sapatos para seus donos. Air Jordans se tornou um estilo de vida.

UMA LINHA DO TEMPO DE CADA AR JORDÂNIA

A história da Air Jordans é de um timing impecável, design visionário e um atleta incrível.

Air Jordan 1

Designer: Peter Moore
Lançado: 1985
Preço original: $ 65

O tênis que começou tudo. O Air Jordan 1 original continua sendo um dos tênis mais populares de todos os tempos, e sempre está em alta demanda quando relançado, especialmente em suas cores originais. A Air Jordan I foi o único tênis da Air Jordan a apresentar um proeminente Nike Swoosh e também apresentou o logotipo Jordan wings.

Air Jordan 2

Designer: Bruce Kilgore
Lançado: 1986
Preço original: $ 100

Em 1986, a estrela de Michael Jordan subiu consideravelmente, e o Air Jordan 1 foi um sucesso sem precedentes. Portanto, o segundo design precisava apresentar algo novo e fresco. Conhecida como a primeira sapatilha de “luxo”, a Air Jordan 2 teve um design de inspiração italiana. Ele apresentava couro premium com detalhes de pele de lagarto falso. Uma jogada ousada na época, a Nike decidiu retirar o Swoosh do design do calçado, permitindo que o nome Air Jordan se destacasse por si só.

Air Jordan 3

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1988
Preço original: $ 100

A Air Jordan 3 trouxe ainda mais reconhecimento para a linha Air Jordan. O primeiro modelo da Air Jordan projetado pelo agora lendário designer da Nike Tinker Hatfield, o sapato chamou a atenção com o uso do painel com estampa de elefante, agora icônico, na ponta e no calcanhar. O Air Jordan 3 também foi o primeiro calçado Jordan a apresentar o icônico logotipo Jumpman. A introdução do Air Jordan 3 foi impulsionada por um comercial de TV que apresentava o diretor / ator Spike Lee como Mars Blackmon.

Air Jordan 4

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1989
Preço original: $ 110

A popularidade da linha Air Jordan continuou a crescer em 1989 com o lançamento do Air Jordan 4. O segundo tênis Jordan projetado por Tinker Hatfield, o Air Jordan 4 é caracterizado por grandes painéis de malha no meio do pé e lingueta junto com grandes “asas” incorporadas no sistema de laço. O momento mais famoso de Jordan no Air Jordan 4 foi sua cesta vencedora nos playoffs da NBA de 1990 contra o Cleveland Cavaliers, que ficaria conhecido simplesmente como "The Shot".

Air Jordan 5

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1990
Preço original: $ 125

O tênis característico de Michael Jordan ficou ainda mais chamativo com o Air Jordan 5 em 1990. Inspirando-se nos caças da era da Segunda Guerra Mundial com pinturas de cabeça de tubarão, o designer Tinker Hatfield adicionou detalhes parecidos com dentes à entressola. Um material prateado reflexivo foi adicionado à língua, o que a fez estalar quando atingida pelo flash da câmera. A Air Jordan 5 também foi a primeira vez que uma sola de borracha transparente foi usada na série.

Air Jordan 6

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1991
Preço original: $ 125

Michael Jordan e o time do Chicago Bulls finalmente ganharam um campeonato da NBA em 1991. O tênis nos pés de MJ para o primeiro de seus muitos títulos foi o Air Jordan 6. Como o Air Jordan 5, o sexto calçado de Jordan tinha borracha transparente na sola e Ar visível no calcanhar. Mas o Air Jordan 6 tinha um design mais elegante e incluía uma lingueta de borracha com dois grandes orifícios e uma aba de calcanhar para fácil acesso.

Air Jordan 7

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1992
Preço original: $ 125

O Air Jordan 7 era um pouco mais aerodinâmico do que alguns dos modelos anteriores da Air Jordan, com um design de volta ao básico por Tinker Hatfield. O Air Jordan 7 deixou cair o Air visível no calcanhar e incorporou elementos do Nike Huarache, como uma bota interna de neoprene que sustentava o pé. As linhas nítidas da parte superior e da sola do sapato foram inspiradas na arte e no design tradicionais africanos.

Air Jordan 8

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1993
Preço original: $ 125

Em 1993, Michael Jordan continuou seu domínio na quadra no novo Air Jordan 8. Mais uma vez desenhado por Tinker Hatfield, o calçado apresentava um sistema de tiras cruzadas para travar o pé durante o jogo. O design é acentuado com painéis gráficos no calcanhar. O Air Jordan 8 foi o que Jordan usou quando completou seu primeiro "Three-Peat" com os Bulls.

Air Jordan 9

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1993
Preço original: $ 125

Michael Jordan se aposentou no auge de seu sucesso depois de ganhar seu terceiro título da NBA, em 1993. Enquanto Jordan estava jogando basquete nas ligas menores, a Nike continuou na linha Air Jordan. Air Jordan 9, de Tinker Hatfield, teve um tema internacional, aproveitando o fato de que Michael Jordan era, a essa altura, um atleta mundialmente conhecido. Os personagens de vários idiomas são encontrados na sola, enquanto o salto do sapato apresenta o logotipo do Jumpman sobre a Terra.

Air Jordan 10

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1994
Preço original: $ 125

Com Michael Jordan ainda aposentado quando chegou a hora de projetar o Air Jordan 10, Tinker Hatfield deu ao sapato um tema comemorativo ao listar os destaques da carreira de His Airness na sola. A parte superior apresenta um design relativamente simples, confeccionada em couro premium com um sistema de amarração rápida. Quando Jordan decidiu voltar para a NBA em 1995, o Air Jordan 10 foi o sapato em seus pés pelo resto da temporada.

Air Jordan 11

Designer: Tinker Hatfield
Lançado: 1995
Preço original: $ 125

Aclamado por muitos como o maior modelo da Air Jordan de todos os tempos, o Air Jordan 11 lançado em 1995 e foi usado por Michael Jordan durante a histórica temporada de 72 vitórias dos Bulls, que culminou no quarto título da NBA de Jordan. O design de Tinker Hatfield era diferente de qualquer tênis de basquete anterior. O Air Jordan 11 apresentava uma base de náilon balístico com revestimento de couro brilhante acima da sola translúcida. Além de ser um dos tênis mais populares de todos os tempos, o Air Jordan 11 também ficou imortalizado no telão quando apareceu no clássico filme Space Jam.

Air Jordan 12

Designer: Tinker Hatfield
Released: 1996
Original Price: $135

The beloved Air Jordan 11 was a hard act to follow, but Tinker Hatfield produced another hit in 1996 with the Air Jordan 12. Inspired by the Japanese rising sun motif, the shoe featured a distinct two-tone color block with full grain leather for the body and basketball-textured pebbled leather for the large panels that run from the toe to midfoot. The Air Jordan 12 was the first of Michael Jordan’s signature shoes to be released under the newly created Jordan Brand imprint of Nike.

Air Jordan 13

Designer: Tinker Hatfield
Released: 1997
Original Price: $150

Inspired by Michael Jordan’s “Black Cat” nickname, the Air Jordan 13 features a fierce design modeled after a panther. The upper features a holographic “eye” jewel at the heel, while the shape of the outsole is reminiscent of the big cat's paw. The Air Jordan 13 was the first model since the Air Jordan 2 to be available at launch in both a low-top and mid-top version.

Air Jordan 14

Designers: Tinker Hatfield, Mark Smith
Released: 1998
Original Price: $150

The Air Jordan 14 is most noteworthy for being the last sneaker that Jordan wore as a member of the Chicago Bulls. Jordan debuted the shoe during the 1998 NBA Finals, capping off his legendary Bulls career with the memorable “Last Shot,” a championship-clinching jumper in Game 6. Tinker Hatfield teamed up with Mark Smith to create the shoe, which was inspired by the clean lines of a Ferrari as a nod to Jordan’s love of exotic sports cars.

Air Jordan 15

Designer: Tinker Hatfield
Released: 1999
Original Price: $150

Jordan announced his retirement in January 1999, so for the Air Jordan 15, Hatfield was challenged to come up with a unique shoe that Michael would never wear on the court. The heel counter contained numbers that corresponded with special details of Jordan’s career — his jersey number, the number of titles he won, his birthday, and also the shoe's model number. The unusual tongue design jutting forward was an ode to Jordan’s habit of sticking out his tongue when he took a shot.

Air Jordan 16

Designer: Wilson Smith III
Released: 2001
Original Price: $160

Things transitioned for Nike and Jordan during the early 2000s. Jordan was moving into his role as part owner and president of basketball operations for the Washington Wizards, and Wilson Smith was appointed the new designer for the latest Air Jordan model. The Air Jordan 16 was made of full-grain leather and featured a shroud lace cover inspired by fine dress shoes. The Air Jordan 16 would also be the first shoe on Michael’s feet for his return to the court in 2001 with the Wizards.

Air Jordan 17

Designer: Wilson Smith III
Released: 2002
Original Price: $200

After wearing the Air Jordan 16 during the 2001-02 NBA preseason, Jordan switched to the brand-new Air Jordan 17 for the remainder of the season. Designed by Wilson Smith, the Air Jordan 17 took inspiration from jazz. Music notes were part of the design of the snap-on lace cover. The design also took cues from Aston Martin cars, while the outsole mimics the look of a golf course.

Air Jordan 18

Designer: Tate Kuerbis
Released: 2003
Original Price: $175

The Air Jordan 18 was the last sneaker Michael Jordan ever wore while playing an NBA game. It was also the first Air Jordan designed by Tate Kuerbis, who took inspiration from the sleek design of Formula 1 race cars as well as the streamlined design of the suede footwear drivers in the sport wear. Just like a race car, the shoe was packed with plenty of high-performance tech, including a full-length Zoom Air unit in the sole and carbon fiber support.

Air Jordan 19

Designers: Tate Kuerbis, Wilson Smith III, Jason Mayden, Josh Heard, and Suzette Henri
Released: 2004
Original Price: $165

The bold design of the Air Jordan 19 features a stealthy design inspired by the black mamba snake. The unique lace cover is constructed in a material called Tech Flex that was designed for extra support has also compared to a fencing mask. The Air Jordan 19 originally released in three different versions: the initial “shrouded” construction, the "SE" with no lace cover, and a low-top edition.

Air Jordan 20

Designer: Tinker Hatfield
Released: 2005
Original Price: $175

For the special occasion of the 20th anniversary of the Air Jordan line, Tinker Hatfield returned to design the Air Jordan 20. One of the most unique silhouettes in the entire Air Jordan series, the Jordan 20 features a free-floating ankle collar that connects to the rest of the shoe at the heel. The luxurious yet sporty design was partly inspired by Michael Jordan’s love for motorcycle racing. It also introduced the now-iconic lasered graphic with nods to Jordan’s career achievements.

Air Jordan 21

Designer: D’Wayne Edwards
Released: 2006
Original Price: $175

The Air Jordan 21 returned to more of a traditional sneaker silhouette but preserved the luxurious and ultra-sporty design. The lush red suede was the most famous of the original colorways. Once again turning to luxury automobiles for inspiration, the design was based off of the Bentley Continental GT, with the mesh panels near the base of the shoe modeled after the car’s grill. Another high-end feature of the Air Jordan 21 was the interchangeable “pod” cushioning in the heel that offered Zoom Air or Nike’s standard encapsulated Air.

Air Jordan 22

Designer: D’Wayne Edwards
Released: 2007
Original Price: $165

The Air Jordan line went into stealth mode in 2007 for the Air Jordan 22. The sleek design of the shoe was inspired by the Raptor F-22 fighter jet, borrowing the cutting edge military aircraft’s sharp lines and speedy look. All versions of the Air Jordan 22 were built in premium leather, and it was also released in a limited edition pebbled basketball leather upper.

Air Jordan 23

Designer: Tinker Hatfield
Released: 2008
Original Price: $185

Michael Jordan made 23 one of the most famous numbers in sports history, so it only made sense that the Air Jordan 23 live up to the number's legacy. Tinker Hatfield’s design certainly didn’t disappoint, as the blend of luxury and performance achieved in the Air Jordan 23 quickly became regarded as one of the best models released after Jordan’s retirement.

Air Jordan 2009

Designer: Jason Mayden
Released: 2009
Original Price: $190

In 2009, Jordan Brand decided to change the naming convention of their flagship model. Instead of Air Jordan 24, they named it after the year, thus the Air Jordan 2009. The Jason Mayden-designed shoe featured diamond-cut detailing and was characterized by sharp lines and luxe materials across the upper. The design also introduced a new technology to Air Jordan shoes: a separated heel platform named Articulated Propulsion Technology modeled after carbon fiber leg prosthetics for athletes.

Air Jordan 2010

Designers: Tinker Hatfield, Mark Smith
Released: 2010
Original Price: $170

Pushing the boundaries of sneaker design once again, Tinker Hatfield and Mark Smith created one of the most unique Air Jordans yet with the Air Jordan 2010, featuring clear windows on each side of the upper for a see-through effect. The theme of transparency continued on the clear outsole which allowed for a look at the full-length Zoom Air unit. Dwyane Wade helped debut the Air Jordan 2010 shortly after his move from Converse to Jordan Brand.

Air Jordan 2011

Designers: Tinker Hatfield, Tom Luedecke
Released: 2011
Original Price: $180

The Air Jordan 2011 allowed the wearer to “Choose Your Flight” with interchangeable insoles for different cushioning options. One “Quick” sole utilized Zoom Air ideal for the faster play of guards, while the “Explosive” sole was built with softer encapsulated Air for big men. The versatile performance was complemented with a clean look for the upper in premium textured leather.

Air Jordan 2012

Designers: Tinker Hatfield, Tom Luedecke
Released: 2012
Original Price: $180

Building off the interchangeable cushioning options for the Air Jordan 2011, the Air Jordan 2012 added even more customization. In addition to three cushioning systems available in three different insoles, the sneaker also featured two drop-in booties for a variety of support options. There was a standard mid top and an extra high top with a velcro strap for a lockdown fit.

Air Jordan 28

Designer: Tinker Hatfield
Released: 2013
Original Price: $250

The Air Jordan line reached new heights in 2013 with the release of the Air Jordan 28. The radical design by Tinker Hatfield featured an ultra-high shroud covering the entire upper and extending up past the ankle. The bold and stealthy design also debuted Jordan Brand’s new Flight Plate technology, which utilizes separate heel and forefoot platforms with Zoom Air cushioning connected with a carbon fiber plate in the midfoot for lightweight and responsive performance. The Air Jordan 28 was also later released in a second edition without the shroud, the Air Jordan 28 SE. This model reverted back to the original naming system of the Air Jordan line, designating it as the “XX8” instead of “2013.”

Air Jordan 29

Designer: Tinker Hatfield
Released: 2014
Original Price: $225

The Air Jordan 29 was the lightest Air Jordan signature shoe yet. It was the world’s first basketball shoe constructed in a fully woven knit upper, which provided ample support, natural movement of the foot, and durability in a lightweight material. The Air Jordan 29 also featured the Flight Plate technology used in the Air Jordan 28 before it. All together, it was the most advanced Air Jordan yet.

Air Jordan 30

Designers: Tinker Hatfield, Mark Smith
Released: 2016
Original Price: $200

Much like the design of the Air Jordan 29, the Air Jordan 30 featured a knit upper with the same Flight Plate tooling. The Air Jordan 30 featured an out of this world “cosmos” graphic and a bold “XXX” motif on the heels.

Air Jordan 31

Designer: Tate Kuerbis
Released: 2016
Original Price: $185

For the Air Jordan 31, the brand decided to pay homage to the original Air Jordan 1 by taking the iconic silhouette’s DNA and transforming it into a modern performance basketball shoe. The luxe construction of the Air Jordan 31 featured a blend of premium leather and Flyknit on the upper. The Jordan 31 released in colorways inspired by the Air Jordan 1, including the beloved “Banned” and “Royal” editions.

Air Jordan 32

Designer: Tate Kuerbis
Released: 2016
Original Price: $185

For the Air Jordan 32, designer Tate Kuerbis wanted to blend a nod to the past with a fresh look straight from the future, reimagining the design of the Air Jordan 2 with modern technology including a Flyknit upper. The resulting Jordan 32 features a mixture of high performance with luxury aesthetics. The launch of the Air Jordan 32 also marked the first time that an Air Jordan shoe was initially released in both a low and mid version at the same time.


The Future of Jordan Brand!

From the banned AJ1’s to the Jordan 13 He Got Game shoe, the Jordan brand has shown they think outside of the box. It’s crazy to think that this brand has been growing from Jordan himself to players like Russell Westbrook, Blake Griffin, Jayson Tatum, Kemba Walker, and their newest addition Zion Williamson. They are constantly changing the game and will continue to do so in the future.

These sneakers are still loved to this day. You will see hundreds, if not thousands, camped out waiting for a release of a Retro Jordan Brand shoe. The demand for these shoes is insane and, because of that, the shoe game has developed into a multi-million dollar industry. There are teenagers selling sneakers and making thousands off just one pair. When we think of the future of the shoe game, Jordans will always be the first ones that come to mind.

Yeah, Adidas has been on the come up and New Balance has Kawhi Leonard now, but Jordan is at the top. It’s a legendary name. They are always finding ways to improve and have a winning mentality.

When Michael Jordan came to the NBA, he took over the shoe game and took over the NBA. It’s crazy to think that, even to this day, he is still at the top. With the current state of demand for the Retro Jordans, I don’t think we will see a decline in Jordan Brand’s worth. It only solidifies that he will continue to rise and his shoe legacy will rise as well.