Galeria de fotos e mapas para Guadalcanal

Galeria de fotos e mapas para Guadalcanal


Força Aérea Cactus

Situação estratégica no Pacífico Sul, verão de 1942. Os círculos vermelhos são bases japonesas. As setas azuis são linhas de envio e comunicação aliadas entre os EUA e a Austrália e a Nova Zelândia.

Linhas de comunicação aliadas no Pacífico Sul, 1942.

Mapa das Ilhas Salomão e Santa Cruz.

Mapa da área das Solomons mostrando a localização das bases aéreas japonesas e do Campo de Henderson.

O Major da Marinha dos EUA John L. Smith, fotografado após seu retorno aos EUA, recebeu uma Medalha de Honra por suas ações e serviços no Campo de Henderson durante a Batalha de Guadalcanal.

O Fuzileiro Naval norte-americano CAPT J. J. FOSS, do VMF-121, recebeu a Medalha de Honra por notável heroísmo como piloto de caça durante a campanha de Guadalcanal voando para fora do Campo de Henderson.

O comandante da Força Aérea Cactus, MajGen Roy S. Geiger, posa com o Capitão Joseph J. Foss, o principal ás em Guadalcanal com 26 aeronaves japonesas abatidas.

Brigadeiro-general Geiger do USMC com membros da equipe em Guadalcanal, 1942.

MAJGEN ROY S. GEIGER, comandante veterano da aviação da Marinha, estabeleceu o 1º Quartel General da Asa Aérea dos Fuzileiros Navais em Guadalcanal em 3 de setembro. Seu comando misto de todos os serviços logo ficou conhecido como "Força Aérea Cactus", por causa do codinome da ilha.

Pilotos da "Força Aérea Cactus" da Marinha dos EUA no Campo de Henderson, em meados de setembro de 1942.

MAJ R.E. GALER recebeu a Medalha de Honra por heroísmo conspícuo como piloto de caça e oficial comandante do VMF-224 no Campo de Henderson em Guadalcanal.

Três pilotos da CAF, Smith, Galer e Carl, após receberem a Cruz da Marinha do Almirante Nimitz, 30 de setembro de 1942.

1stLt Stanley S. Nicolay ao lado de um Wildcat, provavelmente pouco antes de ser implantado no Pacífico em 1942.

Tenente Coronel Bauer do USMC em Guadalcanal, algum tempo antes de sua morte em combate.

Smith, Mangrum e Carl após retornar aos EUA

O capitão do USMC Jefferson J. DeBlanc, premiado com a Medalha de Honra por suas ações com a Força Aérea de Cactus em Guadalcanal em 1942.

A U.S. F4F Wildcat em Henderson Field em Guadalcanal, agosto de 1942.

Aquarela retratando uma luta de cães entre um U.S. Marine Wildcat e um Zero Japonês sobre o Campo de Henderson em Guadalcanal.

Destroços de um bombardeiro explorador SBD, ainda em chamas depois de ter sido destruído por um ataque aéreo japonês no Campo de Henderson, Guadalcanal, 1942.

Cinco P-400s do Exército dos EUA chegaram ao Campo de Henderson, o primeiro pessoal ou aeronave do Exército a chegar a Guadalcanal, em 22 de agosto de 1942.

Um TBF Avenger operando em Henderson Field, Guadalcanal, provavelmente por volta de agosto ou setembro de 1942.

Este MAG-23 F4F-4 Wildcat está sendo salvo por métodos de brigada de balde. Observe as lâminas da hélice perfuradas por balas. A aeronave foi danificada durante um ataque aéreo japonês no Campo de Henderson, Guadalcanal, provavelmente em agosto ou setembro de 1942.

Os F4F Wildcats dos EUA saíram do campo de Henderson, Guadalcanal, provavelmente em agosto ou setembro de 1942, para interceptar aeronaves japonesas que chegassem.

Um TBF Avenger dos EUA estacionou em Henderson Field, Guadalcanal, provavelmente no final de setembro ou outubro de 1942.

Aquarela de aeronaves da Marinha dos EUA operando no Campo de Henderson em outubro de 1942.

Aquarela do Capitão Joe Foss enquanto ele atira um Zero Japonês sobre o Campo de Henderson em Guadalcanal em outubro de 1942.

Aquarela do Capitão da Marinha dos EUA Joe Foss abatendo um Zero sobre Guadalcanal em outubro de 1942.

Aviões da Força Aérea Cactus lotam o Campo de Henderson, Guadalcanal em outubro de 1942.

Aeronave "Short Stroke" do Exército dos EUA P-400 que operou com a Força Aérea Cactus.

Wildcat com o capitão da aeronave no campo de Henderson.

Uma aeronave japonesa cai em chamas sobre Guadalcanal após ser abatida por um caça da Força Aérea Cactus em algum momento de 1942.

A tripulação do Fuzileiro Naval TBF Avenger do MAG-23 se prepara para embarcar em sua aeronave no Campo de Henderson.

Os pilotos da Força Aérea Cactus realizam uma reunião permanente em torno do "quadro de serviço" no Campo de Henderson.

O campo de aviação em Lunga Point em Guadalcanal, mais tarde chamado de Campo de Henderson pelos Aliados, visto em construção pelos japoneses em julho de 1942.

Vista aérea do Campo de Henderson em Guadalcanal, 7 de agosto de 1942.

Vista aérea do Campo de Henderson, final de agosto de 1942.

A primeira aeronave aliada a pousar no Campo de Henderson, um PBY Catalina, pousa em 12 de agosto de 1942. Ele evacuou dois fuzileiros navais americanos feridos.

Imagem do "Pagode", um antigo edifício japonês usado como centro de operações aéreas no Campo de Henderson em Guadalcanal até ser demolido em meados de outubro de 1942.

Vista frontal do "Pagoda" no Campo de Henderson em Guadalcanal antes de ser demolido em outubro de 1942.

Fuzileiros navais dos EUA feridos são evacuados de Guadalcanal por aeronaves no Campo de Henderson em algum momento entre agosto e dezembro de 1942.

Campo de Henderson em Guadalcanal como parecia em setembro de 1942.

O Campo de Henderson em Guadalcanal é bombardeado durante a ofensiva japonesa de 24 a 25 de outubro de 1942.

AS ARMAS ANTIAIRCRAFT 90MM do Batalhão de Defesa 3D apontam para o céu no Campo de Henderson em alerta contra os ataques de bombardeiros japoneses.

Arma antiaérea e tripulação do Batalhão de Defesa 3D da Marinha dos EUA ajudando a defender o Campo de Henderson do ataque aéreo japonês a Guadalcanal em outubro de 1942.

Vista aérea da área "Pagoda" do Campo de Henderson, provavelmente em setembro de 1942.

Henderson Field em agosto de 1944.

Pilotos alistados do Tainan Kokutai posam em Rabaul em 1942. Vários desses aviadores estariam entre os melhores ases japoneses, incluindo Saburo Sakai (linha do meio, segundo da esquerda) e Hiroyoshi Nishizawa (de pé, primeiro à esquerda). Esses pilotos lutaram com pilotos de caça aliados durante a Batalha de Guadalcanal e a campanha das Ilhas Salomão

Tenente (j.g.) Junichi Sadai do Tainan Air Group. Esta foto de 1942 mostra o jovem líder de combate, de homens como Sakai e Nishizawa, pouco antes de sua morte em Guadalcanal.

Esses A6M3s são do Taman Air Group com base em Rabaul em 1942, e várias fontes identificaram a aeronave 106 como sendo pilotada pelo ás Nishizawa. Normalmente, esses caças carregam um único tanque de combustível de linha central.

Japonês A6M3 Zero "Hamp" no aeródromo de Buka ou Buin durante a campanha de Guadalcanal.

Lutador japonês A6M2-N float Zero, operado pela Força Aérea da Área "R" durante a campanha de Guadalcanal.

Bombardeiros japoneses G4M "Betty", talvez durante a campanha de Guadalcanal.

Aeronaves japonesas se preparam para o lançamento em uma missão de um campo de aviação em Rabaul, Nova Grã-Bretanha, em algum momento entre agosto e novembro de 1942.

Martin Clemens, representante do governo do Reino Unido em Guadalcanal, bem como membro da organização do Coastwatcher. O pessoal da força policial das Ilhas Salomão ajudou a resgatar pelo menos seis pilotos da Força Aérea Cactus durante a campanha de Guadalcanal.

Paul Mason (à esquerda), um vigia da costa no sul de Bougainville durante a campanha das Ilhas Salomão, costumava avisar com antecedência sobre ataques aéreos japoneses em direção a Guadalcanal.

Jack Read, guarda costeiro estacionado no norte de Bougainville durante a campanha das Ilhas Salomão, freqüentemente dava notícias antecipadas sobre ataques aéreos japoneses em direção a Guadalcanal.

O guarda costeiro Donald Kennedy (à esquerda), que estava estacionado na Nova Geórgia, nas Ilhas Salomão, em 1942 e 1943, costumava avisar com antecedência sobre ataques aéreos japoneses em direção a Guadalcanal.

Estação de rádio base Coastwatcher operando em Guadalcanal em outubro de 1942 para receber mensagens e avisos de outros observadores costeiros estacionados nas Ilhas Salomão.


Mapas de Honiara

Este mapa detalhado de Honiara é fornecido pelo Google. Use os botões abaixo do mapa para alternar para os diferentes tipos de mapas fornecidos pelo próprio Maphill.

Veja Honiara de uma perspectiva diferente.

Cada tipo de mapa tem suas vantagens. Nenhum estilo de mapa é o melhor. O melhor é que o Maphill permite que você olhe cada lugar de muitos ângulos diferentes.

Claro, este mapa rodoviário detalhado é bom. Mas há uma boa chance de você gostar ainda mais de outros estilos de mapa. Selecione outro estilo na tabela acima. Veja Honiara e Guadalcanal de um ponto de vista diferente.


Você pode importar fotos e vídeos armazenados no cartão SD da câmera, em uma unidade USB ou em outro dispositivo.

Use um cabo USB para conectar seu dispositivo ao PC.

Na caixa de pesquisa da barra de tarefas, digite fotos e então selecione o Fotos aplicativo a partir dos resultados.

Selecione Importar e siga as instruções para importar de uma pasta ou dispositivo USB. O aplicativo seleciona automaticamente os itens que você não importou antes, ou você pode escolher o que importar.

Observação: Se você estiver usando um telefone Android e o Import não estiver funcionando, pode ser necessário alterar a configuração USB do telefone para permitir a transferência de fotos.

Ajude o aplicativo a encontrar mais fotos

O aplicativo Fotos exibe automaticamente as fotos e vídeos na pasta Imagens do seu PC e OneDrive. Veja como adicionar mais pastas de origem à pasta Imagens.

Na caixa de pesquisa da barra de tarefas, digite fotos e então selecione o Fotos aplicativo a partir dos resultados.

Selecione Mais … & gt Definições .

Debaixo Fontes, selecione Adicionar uma pasta .

Escolha uma pasta do seu PC, uma unidade externa ou uma unidade de rede conectada ao seu PC e, em seguida, selecione Adicione esta pasta às imagens para adicioná-lo ao aplicativo. As subpastas das pastas que você adicionar também serão incluídas.


Batalha pelo Campo de Henderson

Situação estratégica no Pacífico Sul, verão de 1942. Os círculos vermelhos são bases japonesas. As setas azuis são linhas de envio e comunicação aliadas entre os EUA e a Austrália e a Nova Zelândia.

Linhas de comunicação aliadas no Pacífico Sul, 1942.

Ilhas Salomão e Santa Cruz e área da Nova Caledônia, 1942.

Mapa das Ilhas Salomão e Santa Cruz.

Mapa da ação de Matanikau entre os fuzileiros navais dos EUA e as forças japonesas, de 24 a 27 de setembro de 1942, em Guadalcanal.

Mapa aéreo de Point Cruz, Guadalcanal sobreposto com ações das forças americanas e japonesas durante as operações no final de setembro de 1942.

O 1º Batalhão, 7º Fuzileiros Navais, retira-se de sua posição perigosamente exposta a oeste de Point Cruz, Guadalcanal, sob a cobertura de tiros navais e apoio de artilharia no final de setembro de 1942.

Ações dos EUA e do Japão ao longo do Rio Matanikau, Guadalcanal, 23-27 de setembro de 1942.

Perímetro Lunga, final de setembro de 1942.

Ofensiva americana de Matanikau em Guadalcanal, 7 a 9 de outubro de 1942.

AÇÃO NO MATANIKAU, Guadalcanal, de 7 a 9 de outubro de 1942, permitiu ao General Vandegrift estabelecer posições avançadas naquela área durante o balanço da campanha.

Posições dos EUA ao longo do Matanikau e Lunga Point, 9 de outubro de 1942.

Posições defensivas da Marinha dos EUA ao longo do Rio Matanikau, Guadalcanal, outubro de 1942.

O 1º Batalhão de Incursores e o 2º Batalhão, 5º Fuzileiros Navais, foram imobilizados pelos japoneses ao longo do rio Matanikau em Guadalcanal em outubro de 1942.

Ataques japoneses contra as forças dos EUA, 23 a 25 de outubro de 1942.

Ataques japoneses no perímetro dos EUA em Guadalcanal, 23 a 25 de outubro de 1942.

Ataques japoneses, 23 a 25 de outubro.

Ação de Conoley, 24-26 de outubro de 1942, perto do Rio Matanikau, Guadalcanal.

General da Marinha dos EUA Alexander A. Vandegrift.

Tenente General Harukichi Hyakutake em frente ao QG em Rabaul.

Contra-almirante japonês Raizo Tanaka, principal líder das operações do Tokyo Express e vencedor da Batalha de Tassafaronga.

O Maj Gen Maruyama japonês comandou as forças japonesas em Guadalcanal.

O Tenente Coronel da Marinha dos EUA "Chesty" Puller em Guadalcanal em setembro de 1942.

O major-general japonês Kiyotake Kawaguchi (sentado ao centro) em uma foto de grupo com sua equipe de brigada em Palau, pouco antes de partir para Guadalcanal. Kawaguchi foi dispensado de seu comando durante esta batalha.

As tropas japonesas são carregadas em um contratorpedeiro em preparação para um "Transporte de Ratos" (chamado de "Expresso de Tóquio" pelas forças Aliadas) para Guadalcanal em 1942.

Um transporte japonês destruído por uma aeronave do Campo de Henderson em Tassafaronga, Guadalcanal em 14 de outubro de 1942.

As tropas japonesas do 4º Regimento de Infantaria "Aoba" marcham ao longo da costa de Guadalcanal logo após o desembarque em setembro de 1942.

Soldado japonês demonstra o uso do Descarregador de Granadas Pesadas de 50mm Modelo 89 (1929). Muitas vezes chamado de "morteiro de joelho" pelas tropas dos EUA, eles foram amplamente usados ​​nas batalhas do Pacífico pelas forças japonesas, incluindo em Guadalcanal.

Naufrágio da 1ª Companhia de Tanques Independente Japonesa no banco de areia na foz do Rio Matanikau em Guadalcanal após a fracassada ofensiva de outubro para tomar o Campo de Henderson.

Soldados japoneses mortos do 4º regimento de infantaria de Nakaguma jazem perto da foz do Matanikau após seu ataque fracassado em 23 e 24 de outubro.

Soldados da 2ª Infantaria mortos após seus ataques fracassados ​​nas linhas de Hall e Puller, 26 de outubro de 1942.

Um obuseiro M1918 de 155 mm é disparado por tripulantes de artilharia dos 11º fuzileiros navais em apoio às forças terrestres que atacam o inimigo em Guadalcanal.

Acampamento da Marinha dos EUA inundado perto do Campo de Henderson.

Um 11º Fuzileiro Naval dos EUA 75 mm empacota obuseiro e tripulação em Guadalcanal, setembro ou outubro de 1942.

Uma patrulha da Marinha dos EUA cruza o rio Matanikau em Guadalcanal, provavelmente no final de setembro ou início de outubro de 1942.

Fuzileiros navais dos EUA sofrendo de malária em um hospital de campanha em Guadalcanal, provavelmente em outubro de 1942.

Um fuzileiro naval dos EUA guarda a colina 80 em "Edson's" Ridge, Guadalcanal em 1942. A vista é para o sul, de onde os japoneses atacaram durante a batalha em outubro de 1942.

Uma patrulha da Marinha dos EUA desce de "Edson's" Ridge, Guadalcanal, em algum momento de 1942. O Campo de Henderson está ao fundo.

Posições dos fuzileiros navais ao sul do Campo de Henderson em outubro na área que foi atacada durante a batalha.

Durante a calmaria na Batalha pelo Campo de Henderson, um artilheiro da Marinha faz uma pausa para um café, com sua submetralhadora no joelho e sua metralhadora leve calibre .30 em posição.

U.S. Marine 150mm howizter dispara contra as forças japonesas em Guadalcanal a oeste do Rio Matanikau no final de outubro de 1942.

Canhão da marinha americana de 105 mm em Guadalcanal, setembro de 1942.

Arma antiaérea e tripulação do Batalhão de Defesa 3D da Marinha dos EUA ajudando a defender o Campo de Henderson do ataque aéreo japonês a Guadalcanal em outubro de 1942.

esta vista voltada para o sul sobre Point Cruz mostra a confusão de cristas com grama acentuada, contrafortes e selva montanhosa que era Guadalcanal.

Vista aérea do Campo de Henderson no final de agosto de 1942.

O campo Henderson em Guadalcanal parecia em setembro de 1942.

O Sgt John Basilone da Marinha dos EUA foi premiado com a Medalha de Honra por suas ações durante as batalhas do final de outubro de 1942 em Guadalcanal.

SGT MITCHELL PAIGE recebe a Medalha de Honra do Gen Vandegrift como recompensa por heroísmo notável enquanto tripulava uma metralhadora do 2º Batalhão, 7º Fuzileiros Navais durante as batalhas do final de outubro de 1942 pelo Campo de Henderson em Guadalcanal.

O Campo de Henderson em Guadalcanal é bombardeado durante a ofensiva japonesa de 24 a 25 de outubro de 1942.

Terceiro a partir da esquerda, o tenente-gen Thomas Holcomb, décimo sétimo comandante do Corpo de Fuzileiros Navais, examina um despacho japonês capturado durante sua inspeção de linha de frente em Guadalcanal em outubro de 1942.


Sargento da Marinha Al Schmid relembra o combate sangrento em Guadalcanal

Em 1945, a Warner Brothers lançou um filme intitulado Pride of the Marines, baseado em um livro de Roger Butterfield, estrelado por John Garfield, Eleanor Parker e Dane Clark. Tanto o livro quanto o filme foram baseados na vida e nas experiências de um herói americano único, o Sargento da Marinha Albert & # 8220Al & # 8221 Schmid. Al Schmid lutou em Guadalcanal e, quando voltou para casa, travou outra batalha pela sanidade, saúde e felicidade.

Al Schmid (Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA)

Nascido em 1920, filho do Sr. e da Sra. Adolph E. Schmid, Al cresceu como um garoto alegre e sardento em Burholme, Pensilvânia, um bairro da Filadélfia. Depois que sua mãe morreu, Schmid ficou sozinho. Ele trabalhou em fazendas e outros empregos estranhos. Em 1940, ele se tornou aprendiz de queimador na Dodge Steel Company, no nordeste da Filadélfia, perto do rio Delaware.

Como não tinha dinheiro para comprar sua própria casa, Schmid morava com o colega da Dodge Steel Jim Merchant e sua esposa, Ella Mae, em uma casa geminada na Tulip Street, perto da ponte Tacony-Palmyra. Enquanto vivia com os Mercadores, Schmid conheceu Ruth Hartley, uma amiga da família, que trabalhava em uma loja de departamentos da Sears na Filadélfia. Com o tempo, Schmid se apaixonou por Ruth, a quem chamava de & # 8220Babs. & # 8221 & # 8216

No domingo, 7 de dezembro de 1941, Schmid estava esparramado no chão da casa de Jim Merchant & # 8217s, olhando o jornal e tentando reunir forças para se vestir para um encontro que teria com Ruth naquela noite.

Então, de repente, o rádio parou de tocar música de dança e uma voz transmitiu a notícia surpreendente de que os japoneses haviam atacado Pearl Harbor.

Achando que era uma piada, Schmid sintonizou outra estação. Logo eles disseram a mesma coisa. & # 8220Todo esse tempo, & # 8221 Schmid lembrou, & # 8220 eu estava deitado lá como um cacarejo idiota, sem pensar nisso, finalmente liguei para Jim e disse: & # 8216Oi, Jim, o rádio continua dizendo que há uma guerra com o Japão & # 8211 onde diabos fica Pearl Harbor? '& # 8221 Então ele se vestiu e levou Ruth para patinar no gelo. Ruth não ficou sabendo sobre Pearl Harbor (Schmid não lhe contou) até que ela voltou para casa mais tarde naquela noite.

Por um ou dois dias, Schmid não conseguiu ver como a guerra o afetou. Então as coisas mudaram. Ele conversou com Ruth sobre se alistar na Marinha, mas ela não o levou a sério, ele sempre falava alto. Em 9 de dezembro de 1941, ele disse a ela: & # 8220I & # 8217 estou dentro. Fui à alfândega e me inscrevi. & # 8221

Schmid deixou a Filadélfia em 5 de janeiro de 1942. Após o treinamento de recrutamento em Parris Island, SC, e posterior treinamento em New River, NC, ele retornou à Filadélfia em uma curta licença antes de seguir para & # 8220destino desconhecido. & # 8221 Ele recebeu um bônus da Dodge Steel por seu trabalho durante 1941 e usou o dinheiro para comprar um anel de noivado para Ruth.

Logo depois, Schmid embarcou no transporte de tropas George F. Elliot como parte do 11º Esquadrão de Metralhadoras, Companhia H, 2º Batalhão, 1º Regimento, 1ª Divisão de Fuzileiros Navais. Em 7 de agosto de 1942, os 10.000 homens da 1ª Divisão de Fuzileiros Navais, sob o comando do General Alexander Archer Vandegrift, a maior força de fuzileiros navais já engajada em operações de desembarque até então, atacaram Guadalcanal, dando início à primeira ofensiva americana contra os japoneses.

Os fuzileiros navais esperavam um contra-ataque no momento em que pousaram, mas não encontraram nenhuma oposição real durante as primeiras duas semanas. Em seguida, os japoneses enviaram um regimento do exército de elite comandado pelo coronel Kiyono Ichiki de Rabaul para retomar Guadalcanal. Ichiki desembarcou suas tropas de elite em Guadalcanal em 18 de agosto, então marchou para o oeste em direção às posições dos fuzileiros navais ao longo do rio Ilu (erroneamente marcado nos mapas americanos como Tenaru). O Tenente Coronel Edwin Pollock e o 2º Batalhão de Fuzileiros Navais nº 8217 estavam esperando.

O esquadrão de metralhadoras da Companhia H também estava lá. Schmid e dois outros fuzileiros navais, o cabo Leroy Diamond e o Pfc John Rivers, pilotavam uma metralhadora calibre .30 refrigerada a água dentro de um saco de areia e toras camufladas com folhas de palmeira e vegetação da selva. A posição era na margem oeste do Ilu, que tinha 50 jardas de largura naquele ponto.

Às 3 horas da manhã de 21 de agosto de 1942, Ichiki, confiante na vitória, foi atacado pela luz verde doentia dos foguetes. Os japoneses gritaram, tagarelaram e dispararam metralhadoras, tentando forçar os fuzileiros navais a revelar suas posições. Os fuzileiros navais contiveram o fogo.

Do outro lado do rio a partir de seu ninho, Schmid viu uma massa escura balançando na beira da água. & # 8220Parecia um rebanho de gado descendo para beber, & # 8221 ele se lembrou. Cinquenta japoneses cruzaram o rio gritando, & # 8220Marine, você morre hoje à noite & # 8221 e & # 8220Banzai & # 8221 disparando seus rifles quando vieram.

Johnny Rivers abriu a boca para eles e a massa se desfez. Gritos de raiva e dor vieram do outro lado enquanto os japoneses concentravam tudo o que tinham na posição de Schmid & # 8217 e em outra posição de metralhadora 150 jardas a jusante. As balas passaram zunindo pelas cabeças dos fuzileiros navais e # 8217, jogando lama e lascas de madeira ao redor deles. O coração de Schmid & # 8217s disparou rapidamente.

A metralhadora à direita parou de atirar, fora de ação. Então, uma dúzia de balas atingiu o rosto de Rivers, matando-o. Seu dedo congelou no gatilho, enviando 200 tiros na escuridão. Raiva fria crescendo dentro dele, Schmid empurrou o corpo de Rivers & # 8217 para fora do caminho e assumiu a arma. O cabo Diamond entrou em posição de carregá-lo para ele.

Cada vez que Schmid varria os japoneses que atacavam, ele os ouvia gritando quando as balas os atingiam. Ele ouviu um oficial japonês em particular & # 8220 gritando e latindo comandos para os outros, ele tinha uma voz estridente desagradável que se destacava sobre os outros. & # 8221 Schmid disparou contra a voz, mas não conseguiu silenciá-la. Isso o assombraria por anos.

Diamond então foi atingido no braço, a bala o acertando parcialmente nos pés de Schmid & # 8217s. Ele não conseguia mais carregar, mas enquanto Schmid disparava a arma, Diamond ficou ao lado dele, avistando os alvos. Schmid atiraria pelo rio à esquerda, sentiria Diamond acertando-o com força no braço e apontando para a direita, giraria a arma e ouviria japoneses gritando quando suas balas os atingiram.

Schmid agora carregava e disparava a metralhadora. Quando ele chegasse perto do fim de um cinturão de munição de 300 tiros, Diamond socaria seu braço. Schmid dispararia uma rajada, rasgaria o carregador, colocaria um novo cinto e voltaria a atirar. A certa altura, um soldado japonês colocou uma série de balas no calibre .30 e na jaqueta d'água # 8217s. Água jorrou sobre o colo e o peito de Schmid & # 8217s, a arma estalou e superaqueceu, mas não emperrou.

Schmid continuou carregando e disparando a metralhadora por mais de quatro horas, com e sem ajuda. De alguma forma, um soldado japonês atravessou o riacho congestionado e chegou perto o suficiente para lançar uma granada de mão na posição Schmid & # 8217s.

& # 8220 Houve um clarão e uma explosão ofuscantes, & # 8221 Schmid lembrou. & # 8220Meu capacete foi derrubado. Algo me atingiu no rosto. & # 8221 Quando ele levantou a mão, tudo o que sentiu foi sangue e carne viva. Então ele sentiu dor no ombro esquerdo, braço e mão. Ele não conseguia ver nada. Ele caiu de costas no ninho. & # 8220Eles me acertaram nos olhos & # 8221 ele murmurou para Diamond, que estava deitado ao lado dele.

Os japoneses ainda estavam despejando balas na posição de metralhadora. Schmid alcançou o coldre e tirou seu .45. Diamond o ouviu reclamando e gritou: & # 8220Não & # 8217não faça isso, Smitty, não atire em si mesmo. & # 8221

& # 8220Hell, não & # 8217não se preocupe com isso & # 8221 Schmid disse. & # 8220I & # 8217m vou pegar o primeiro japonês que tentar entrar aqui! & # 8221

& # 8220Mas você não pode & # 8217não ver & # 8221 Diamond o lembrou.

& # 8220Basta me dizer de que lado ele está & # 8217s vindo e eu & # 8217 irei buscá-lo, & # 8221 Schmid respondeu.

Os dois homens estavam indefesos no buraco e começava a clarear. Um atirador em uma árvore do outro lado do rio estava atirando quase direto contra eles. A única coisa que os protegia era a prateleira onde ficava a metralhadora, com cerca de 60 centímetros de diâmetro.

Embora sua visão não tivesse voltado, Schmid posicionou-se entre as pernas abertas do tripé da metralhadora, apertou o gatilho e, com Diamond berrando instruções no ouvido, voltou a atirar nos japoneses do outro lado do rio.

O soldado Whitey Jacobs, um dos membros do esquadrão & # 8217s, enfrentou o contínuo tiroteio japonês, pulou no ninho e estancou os ferimentos de Schmid & # 8217s e Diamond & # 8217s. A próxima coisa que Schmid soube foi que eles o estavam levando para fora em um cobertor. Ele tinha a .45 automática na mão. Ao ouvir a voz de seu tenente & # 8217s, Schmid estendeu a arma. & # 8220Acho que não & # 8217não preciso mais disso, senhor & # 8221, disse ele. Então Schmid desmaiou.

Durante toda a noite os japoneses continuaram seus ataques, mas as armas anti-tanque # 8217 dos fuzileiros navais, metralhadoras e artilharia derrubaram os homens de Ichiki & # 8217s. Ao amanhecer, quando ficou claro que a posição se manteria, Vandegrift enviou um batalhão de reserva para o outro lado do rio para atacar os japoneses pelo flanco e pela retaguarda. Dos 800 japoneses que atacaram através do Ilu em 21 de agosto, apenas 14 feridos foram presos e um foi capturado ileso. O resto foi morto. Ichiki queimou as cores do regimento e cometeu suicídio. O número de corpos contados ao alcance da metralhadora Al Schmid & # 8217 atingiu centenas. Os outros fuzileiros navais que estavam lá naquela noite creditaram a ele a morte de pelo menos 200 japoneses.

Schmid foi colocado em um navio-hospital e enviado de volta aos Estados Unidos. Ele foi internado no hospital naval de San Diego, Califórnia, em 20 de outubro de 1943, onde passou por muitas operações para remover fragmentos de balas de seu rosto e olhos. Sua recuperação foi ajudada pelos cuidados e compreensão de Virginia Pfeiffer, uma funcionária da Cruz Vermelha no hospital, que escreveu uma carta de quatro páginas para Ruth explicando as feridas de Schmid & # 8217s. & # 8220Hoje ele me disse que poderia muito bem informá-lo, & # 8221 ela escreveu. & # 8220Ele perdeu um olho e o outro está seriamente danificado. Os médicos não saberão por vários meses se ele terá alguma visão naquele olho. & # 8221 Virginia encorajou Ruth a continuar escrevendo para Schmid. Em 18 de fevereiro de 1943, Schmid recebeu a Cruz da Marinha & # 8220 por heroísmo extraordinário e coragem excepcional. & # 8221 Ele foi para Washington, D.C., e foi elogiado pelo presidente Franklin D. Roosevelt e pelo Estado-Maior Conjunto.

Na Filadélfia, um desfile foi dado em homenagem a Schmid & # 8217s, e o Philadelphia Inquirer o presenteou com seu Prêmio de Herói e US $ 1.000. Em Nova Orleans, Schmid recebeu a chave da cidade. Artigos sobre ele apareceram nas revistas Life e Cosmopolitan, e um livro, Al Schmid & # 8211Marine, foi escrito por Roger Butterfield. Em 1944, o estúdio Warner Brothers iniciou a produção de um filme baseado no livro de Butterfield & # 8217s, Pride of the Marines, estrelado por John Garfield.

Antes de começar o filme, Garfield foi para a Filadélfia, conheceu o verdadeiro Al Schmid, tornou-se seu amigo, morou em sua casa e o estudou. Garfield também passou duas semanas no Hospital Naval de San Diego, estudando as características e atitudes mentais das vítimas cegas. Pride of the Marines foi lançado em 1945 e se tornou um sucesso instantâneo.

Schmid nunca se considerou um herói. & # 8220Quando voltei, eu era o homem mais enojado que você já viu. Eu não queria me incomodar em fazer nada. Eu podia ver as pessoas desviando o olhar das minhas cicatrizes horríveis. Eles não gostariam de se associar a mim. Eu até disse à minha garota que estava tudo acabado. & # 8221

Ruth não aceitaria não como resposta. Ela e Schmid se casaram em abril de 1943. Em junho de 1944, ela deu à luz um filho, Albert A. Schmid, Jr. A publicidade gerada pelo casamento trouxe uma enxurrada de pedidos de obrigações de guerra, hospital e aparições de caridade.

Embora não quisesse ir, Schmid aceitou todos os convites. & # 8220Eu queria ajudar os meninos e, ao mesmo tempo, estava ajudando a mim mesmo & # 8221, explicou ele. & # 8220Eu me acostumei com as pessoas novamente. Sempre que alguém me queria, eu estava lá, fosse para um pequeno lucro ou tudo para caridade. & # 8221

Schmid foi dispensado com honra da Reserva do Corpo de Fuzileiros Navais em 9 de dezembro de 1944. Depois de uma oferta malsucedida na política, ele e sua família se mudaram para a Flórida para que ele pudesse ficar perto do Hospital de Veteranos de Bay Pines, em São Petersburgo. Schmid recuperou a visão parcial em seu olho restante e passou seus anos perseguindo seus hobbies como tocar órgão, rádio amador e pesca. Um de seus momentos de maior orgulho foi pegar um tarpão de 130 libras em Long Boat Key.

Al Schmid morreu de câncer ósseo em 2 de dezembro de 1982, em São Petersburgo. Ele foi enterrado com todas as honras militares no Cemitério Nacional de Arlington. *


Conteúdo

Editar Batalhas

Navios afundados Editar

Edição Japonesa

Cabo Esperance 11-12 de outubro de 1942

Primeira Batalha Naval de Guadalcanal 13 de novembro de 1942

Segunda Batalha Naval de Guadalcanal 15 de novembro de 1942

Tassafaronga 30 de novembro de 1942

Outras batalhas de superfície e ações aéreas 1942-43

    (Japonês Mutsukidestruidor de classe) (perdido para ataque aéreo da Marinha dos EUA em 4 de maio de 1942) (caça-minas japonês) (perdido para ataque de torpedo aéreo da Marinha dos EUA em 4 de maio de 1942) (transporte militar japonês) (encalhou e perdeu para ataque aéreo em 15 de outubro de 1942) (japonês transporte militar) (aterrado e perdido por ataque aéreo em 15 de novembro de 1942)
    (Transporte militar japonês) (aterrado e perdido em ataque aéreo em 15 de novembro de 1942) (submarino japonês Tipo J1) (torpedeado pelo barco USN PT em 9 de dezembro de 1942) (japonês Akizukidestruidor de classe) (torpedeado pelo barco USN PT em 12 de dezembro de 1942) (submarino JapaneseType J1) (abalroado por RNZN ASW Corvettes, encalhou em 29 de janeiro de 1943) (japonês Yūgumodestruidor de classe) (atingiu a mina enquanto estava sob ataque do barco PT em 1 ° de fevereiro de 1943)

Edição Aliada

Ilha de Savo 9 de agosto de 1942

Cabo Esperance 12 de outubro de 1942

Primeira Batalha Naval de Guadalcanal 13 de novembro de 1942

    (NÓS Atlanta-class antiaéreo cruzador) (EUA Bensondestruidor de classe) (EUA Mahandestruidor de classe) (EUA Bensondestruidor de classe) (EUA Gleaves-class destroyer)

Segunda Batalha Naval de Guadalcanal 15 de novembro de 1942

Tassafaronga 30 de novembro de 1942

Operação I-Go [Ataque Aéreo em Tulagi] 7 de abril de 1943

Outras batalhas de superfície e ações aéreas 1942-1945

    (NÓS Heywood- transporte de ataque em classe) (perdida em ataque aéreo em 8 de agosto de 1942) (EUA Bagleydestruidor de classe) (afundado em ataque aéreo de torpedo em 9 de agosto de 1942) ^ (EUA Bagleydestruidor de classe) (torpedeado pelo contratorpedeiro IJN em 22 de agosto de 1942) (EUA Wickesdestruidor de classe) (afundado em ataque de bombardeio de mergulho em 30 de agosto de 1942) (EUA Wickesdestruidor de classe) (perdido com Pequeno em combate de superfície contra destróieres IJN 5 de setembro de 1942) (EUA Wickesdestruidor de classe) (perdido com Gregory em ação sem nome contra destróieres IJN 5 de setembro de 1942) (EUA Navajo-classe rebocador oceânico) (perdido com YP-284 ao tiroteio de destróieres IJN 25 de outubro de 1942)
  • YP-284 (Nave US Yard Patrol) (perdido com Seminole ao tiroteio de destróieres IJN 25 de outubro de 1942)
  • Juneau (NÓS Atlanta-classlight cruiser) (torpedeado pelo submarino IJN em 13 de novembro de 1942) ^^
  • PT-44 (Barco US PT) (perdido em ação de superfície sem nome vs. destróieres IJN 12 de dezembro de 1942)
  • PT-112 (Barco PT dos EUA) (perdido em combate de superfície contra destróieres IJN em 11 de janeiro de 1943) (EUA Fletcherdestruidor de classe) (perdido no ataque de bombardeio de mergulho 1 de fevereiro de 1943)
  • PT-37 (Barco US PT) (afundado com PT-111 pelo destruidor IJN 1 de fevereiro de 1943)
  • PT-111 (Barco US PT) (afundado com PT-37 pelo destruidor IJN 1 de fevereiro de 1943)
  • PT-123 (Barco PT dos EUA) (perdido em ataque aéreo em 1 de fevereiro de 1943) (transporte de ataque dos EUA) (torpedeado em ataque aéreo em 13 de agosto de 1943) (navio Liberty tripulado pela Guarda Costeira dos Estados Unidos) (explodiu durante o carregamento de cargas de profundidade em 29 de janeiro de 1945)

^Jarvis esteve brevemente envolvido na Batalha da Ilha de Savo, mas na verdade não afundou no Estreito, ela se perdeu em um ataque de bombardeiro separado mais tarde naquele dia em retirada de Guadalcanal. ^^Juneau é geralmente descrito como tendo sido afundado após a [Primeira] Batalha Naval de Guadalcanal, sua perda ocorreu longe do Estreito, no Mar de Salomão, a sudeste.

A localização do Ironbottom Sound é usada no filme de animação de 2016 KanColle: o filme.


GUADALCANAL.com

Este é o preço de venda, portanto, se você tem família ou interesses comerciais em Guadalcanal, esta é sua chance de possuir um pedaço de ouro de domínio de propriedade da Internet inestimável a um preço baixíssimo. Compradores sérios entre em contato aqui.

LINKS RÁPIDOS:

Guias de viagem das Ilhas Salomão

Particulars:

- Idiomas: Inglês (1-2%) (oficial), pidgin melanésio (língua franca), 120 línguas indígenas

- Latitude / Longitude: 9 e 32 'S, 160 e 12' E

- Unidade monetária: dólar das Ilhas Salomão

- População: Ilhas Salomão: aprox. 477.000. Honiara: aprox. 68.000.

- Etnias / raças: Melanésia 94,5%, Polinésia 3%, Micronésia 1,2%, Outro / não especificado 1,3%

- Governo: democracia parlamentar

Guias de viagem das Ilhas Salomão

Links relacionados e relevantes

Visite mais BASECAMP INTERNATIONAL Guias de viagem

& gt Burkina, África
Guia para o fascinante país de Burkina Faso.

> Patan, Nepal
Visit one of the 3 Royal cities in the famous Kathmandu valley.

> Bhaktapur, Nepal
One of 3 of Nepals "Royal cities" and a cultural gem popular with travelers.

> Piura, Peru
South America's oldest Spanish city and the Piura region.

> Chiclayo, Peru
Peru's fourth largest city is an archeological treasure chest.

> Cajamarca, Peru
The ancient and archeologically significant city of Cajamarca is the capital of this region of Peru.

> Mildura, Australia
This region is known for its wineries & river-centered recreational opportunities.

> Krumlov, Czech Republic
Traveler's info for the UNESCO world heritage site Cesky Krumlov.

> Tokelau, New Zealand
A non-self-governing territory consisting of three coral atolls in the South Pacific.

> Tulcea, Romania
One of the larger cities in Romania- located at the mouth of the famous Danube River.

> Talca, Chile
Historical Talca is the capital city of Chile's Maule Region.

Introduction to Guadalcanal:

Guadalcanal is the largest island in the Solomon Islands, the third largest archipelago in the South Pacific, with 992 islands and a total area of 28,450 square kilometers.

The capital of the Solomon Islands, Honiara, a picturesque seaport with a population of 54,600, is located on the northern coast of Guadalcanal.

The island of Guadalcanal is mountainous and covered in tropical rainforests and its coasts are lined with palms and white sandy beaches.

Guadalcanal is well-known for its pivotal role in World War II, with the Battle of Guadalcanal turning the tide in favor of the Allies in the Pacific theater.

Guadalcanal today is still filled with many World War II relics and monuments.

Learn more about the importance of Guadalcanal in World War II.

Trivia & Quick Points:

Guadalcanal is a tropical island with an average temperature of 29 °C and high humidity. Guadalcanal's wet season runs from November to May. At this time of year, the island is more prone to experiencing cyclones.

On April 1, 2007, a magnitude 8.0 earthquake occurred about 215 miles west north west of Honiara. A tsunami hit the Solomon Islands, killing at least 40 people, leaving many others missing, and destroying several villages. About 300 homes, schools, and a hospital were destroyed in the Solomon Islands city of Sasamunga in Choiseul Province.

Guadalcanal is 90 miles long and about 25 miles wide. It has coral reefs on the south shores and mountains up to 8000 feet high in the interior

The western and eastern coasts of Guadalcanal were the sites of many World War II battles.

Many of these sites have war relics, monuments, and memorials. The northern coast is the heart of the province, whereas the southern coast, called the "weather coast" because of heavy rainfall, is host to small villages and is less accessible.

Facts & Information:


On Guadalcanal, you can see well preserved American made WILDCAT F4F fighter planes. Photo courtesy of John Shively

História:

The Solomon Islands have been inhabited for thousands of years, initially by settlers from New Guinea. The islands were named by a Spanish explorer, Alvaro de Mendaña de Neira, who, on finding alluvial gold on Guadalcanal in 1568, believed he had found the biblical King Solomon's source of gold.

For two hundred years after this, there were few visits to the island by Europeans. Then, in the 1800's the British took an interest in the islands. A trade in laborers began, with workers from the Solomon Islands being taken sometimes brutally to Fiji and Australia to work on sugar plantations.

The British created the Western Pacific High Commission in Fiji in 1877, to protect British interests and British subjects in the Solomons. Germany also took an interest in the Solomon Islands during the late 1800's.

These Japanese helmets are collected by the locals and sold as souvenirs.
Photo courtesy of John Shively

Britain and Germany both vied for control of these islands and eventually divided them. The northernmost island, Bougainville, became part of the German islands of New Guinea, and then a province of independent Papua New Guinea.

The rest of the Solomon Island chain became a British Protectorate in 1893. In the last years of the century, more islands were added to the British Protectorate of the Solomon Islands. In 1900, Germany transferred the islands they had controlled to Britain.

The island of Guadalcanal was the scene of a pivotal battle when it was invaded by the Japanese in World War II. Read more about the Battle of Guadalcanal here.

After the war, in 1945, the British regained control of the Solomon Islands. In 1976, the islands became self-governing. They gained independence in 1978.

In 1999, a militia group made up of people from the Isatabus tribe on Guadalcanal, called the Isatabu Freedom Movement, began to expel people from the nearby island of Malaita. The Isatabus had become resentful of the Malaitans, who moved to Guadalcanal and obtained jobs in Honiara.

In response, a Malaitan militia was formed, called the Malaita Eagle Force. Using stolen police weapons, the Malaita Eagle Force ousted Prime Minister Bartholomew Ulufa'alu in June, 2000, and seized control of the capital. The rival militias signed the Townsville Peace Agreement in October 2000, but lawlessness persisted.

In July 2003, the prime minister requested intervention by an international peacekeeping force. Australia led this force, and on August 13, 2003, the Isatabu Free Movement leader, Harold Keke, surrendered to the peacekeepers.

Since then, the country has been relatively stable, although in April, 2006, rioting took place after Snyder Rini was appointed prime minister. Opponents claimed that Rini was beholden to Chinese interests and forced him to resign 8 days later. The parliament then elected opposition candidate, Manasseh Sogavare, to be the prime minister.

Cultura

Some Solomon Islanders maintain a traditional lifestyle in small villages around the island. Some maintain traditional religious beliefs or a combination of these beliefs and Christianity, which was taught by missionaries who began arriving in the late 1800's.

These traditional beliefs were passed to the five clans, which came from each of the five sons of the heroine, Koevasi, who is believed to have created the first humans.

Each clan has spirits of the dead, shark spirits, and snake spirits. Each of these spirits is believed to possess nanama, a supernatural power that they can wield over the living. Practitioners pray to each spirit for different purposes.

For example, they pray to the shark spirits for issues related to fishing. Priests guide clan members in sacrifices and divinations, but other clan members can cast spells.

In the traditional religion, believers hold feasts for weddings, funerals, births, and the completion of new homes. The afterlife is important, and practitioners pray to deceased ancestors in the belief that they can intervene on behalf of the living through nanama.

Preocupações com a saúde

Malaria is endemic to the Solomon Islands. Yellow fever is another disease of concern, also transmitted by mosquitos. Travelers should consult a physician before traveling to Guadalcanal.

Travel & Tourism:

Guadalcanal is known as a top diving spot, with clear water and a rich array of wildlife, as well as shipwrecks to explore.

The island is also a wildlife and bird watcher's paradise, where over 200 species of birds can be seen.

Many tourists also come to Guadalcanal to visit World War II battle sites and museums and take in the culture of the island at traditional performances.

Highlights & Features of the Capital, Honiara:

- A cultural treat awaits at the Mendana Hotel in Honiara, which hosts weekly panpipe performances.

- The National Museum is located across from the Mendana Hotel, and contains traditional handicrafts and historical artefacts.

- A variety of traditional architectural styles of the Solomon Islands are on display at the Cultural Centre behind the museum.

- The former Old Government House is now the National Art Gallery and offers painting exhibitions.

- The National Archives contain the most extensive collection of historic information in the Solomon Islands. Located next to the National Museum, the National Archives are open to the public.

- The Botanical Gardens, located near the Solomon Islands Broadcasting Corporation (SIBC) studios (through the Rove prison gate and down the road), have collections of orchids and tropical plants as well as an herbarium.

What to Do & See Outside Honiara

Visitors interested in the military history of Guadalcanal can take guided tours of historic sites from the Battle of Guadalcanal, including Bloody Ridge, Henderson Field (now the Solomon's international airport), Mataniko River, Red Beach, and the Western and Eastern Battlefields.

The Battle of Guadalcanal was featured in the recent film "The Thin Red Line", which was filmed partly on Guadalcanal.

The Vilu War Museum, 25 km west of Honiara, is home to both US and Japanese artefacts.

Tourists can dive and snorkel in the clear, warm waters where a variety of marine life live, including barracuda, trevally, lion fish, giant clams, hammerhead sharks, and whale sharks.

One popular dive spot is Bonegi Beach, a few miles west of Honiara. A dive spot where military relics can be explored is Iron Bottom Sound. Divers can explore sunken battleships, including the Bonegi I and II, and aircraft, incling B17 bomber wrecks. One famous recent wreck is the world Discoverer cruise ship, which ran aground on a reef in 2001.

Snorkelers can enjoy a coral reef called Marau Sound, which is home to tropical fish, giant clams, and rare sea shells.

Tourists can enjoy many other water sports on Guadalcanal, including sea kayaking, yachting, sailing, and canoeing on sheltered waterways.

At the Betikama High School, outside Honiara, tourists can see and purchase handicrafts, including wood carvings, trays, shell jewelry, ebony carvings, pottery, and WWII relics.

Guadalacanal offers excellent opportunities for hikers and bird watchers. Hikers can see turtles, flying foxes, and many birds, including white-eyes, rails, honeyeaters, fantails, coucal (the world's largest cuckoo), thrushes, and megapodes (birds that lays eggs in volcanic sands and whose chicks can fly right after digging themselves out).

In addition, there are several stunning waterfalls to visit, including Mataniko Falls, which is a two-hour walk from Honiara. There, the waterfall pours over a cave with resident bats and swallows.

The Tenaru Falls, a 60 meter waterfall is another spectacular site and is a day's drive and trek east of Honiara.

Cycling, golf, and spelunking (cave exploration) are a few of the other outdoor activites visitors can enjoy on Guadalcanal.

Tourists are welcome to visit the Giant Clam farm, 22 km west of Honiara. This farm was established in 1988.

Onde ficar

Honiara offers a full range of accomodations, from budget lodges to upscale casino hotels. Information on accomodations in Honiara is coming soon.

Getting There & Away

By Air:
The main airport in the Solomon Islands is Henderson International Airport, 8 km outside Honiara, on Guadalcanal. Solomon Airlines flies into this airport from cities around the South Pacific, including Brisbane, Australia, Auckland, New Zealand, and Nadi, Fiji. Solomon Airlines also serves several Asian cities, including Bangkok, Thailand, Bombay, India, and Jakarta, Indonesia.

In addition, flights are available from London, England, Frankfurt, Germany, and Amsterdam, Netherlands. Fiji's national airlines, Air Pacific, flies from Los Angeles as well as cities in the South Pacific to Honiara.

Air Nauru also offers flights from Brisbane and several South Pacific islands to Honiara. The Visit South Pacific Pass offers island hoppers discounted airfares for touring islands in the South Pacific.

By Boat:
There are a few boats (mostly diving charters) that include cruises to Guadalcanal and other South Pacific Islands from Nadi, Fiji and Cairns, Australia. We will list them here shortly.

Getting Around

Honiara has car rental facilities, including rentals at the airport. Taxis and minibuses are also available in Honiara. For island hopping, Solomon Airlines offers many flights and several tour operators offer domestic cruises.

TRAVEL to Guadalcanal!

VALOR TOURS


Valor Tours, Ltd. is a resource for veterans, their families, military service organizations, unit associations, reunion groups, historical societies and government institutions with an interest in the Pacific and Europe wartime theaters.

(It was a consultant to the Pentagon's WWII 50th Anniversary Committee.)

Today, tour participants are largely veterans' sons, daughters, grandchildren and the general public, especially WWII history buffs, seeking a meaningful focus for their vacation travels.

Dive Guadalcanal

See the coral reefs, colorful sea life, and World War II wrecks.


Picture and Map Gallery for Guadalcanal - History

2ª Guerra Mundial - Marinha dos Estados Unidos em Guerra

UNITED STATES MARINE CORPS CASUALTIES

Part 2 - BY DATE , SEPTEMBER 1942, Battles for Guadalcanal

Esta lista de vítimas da Marinha - aqueles que morreram ou foram mortos - é compilada a partir dos USMC Casualty Cards (mc), complementada por outras fontes - clique para abreviações das fontes. Para abreviações de unidades, consulte o 'Glossário de abreviações navais dos EUA ", OPNAV 29-P1000 disponibilizado online pela Hyperwar.

Mais informações sobre cada vítima estão sendo adicionadas a:

1stMarDiv
BELET, Robert Alfred, 256662, 1stSigCo, DivspTrps, killed in action (mc)

1stMarDiv, 1stMar
BELL, Durward C, 272971, CoH, 2ndBn, killed in action (mc)
HUNT, Dan Rellerford, 334362, CoC, 1stBn, killed in action (mc)

Thursday, September, 3, 1942

GUADALCANAL: Brigadier General Roy S. Geiger, commanding the 1st Marine Aircraft Wing, arrived on the island with the command echelon of the wing
SOLOMONS: The 1st Raider Battalion scouted Savo Island, found it free of Japanese, and returned to Guadalcanal

Saturday, September, 5, 1942

PACIFIC: Admiral Nimitz, CinCPac, requested the relocation of the Marine Aircraft Wings, Pacific, from San Diego to Pearl Harbor
GUADALCANAL: The 1st Raider Battalion and the 1st Parachute Battalion, supported by planes of Marine Aircraft Group 23 and two destroyer transports, landed just east of Tasimboko, advanced west into the rear of the reported Japanese positions, and carried out a successful raid on a Japanese supply base

1stMarDiv
KEILEY, Joseph Francis, 331750, H&SCo, 1stAmphTracBn, died (mc)

1stMarDiv, 5thMar
HAJDASZ, Robert Henry, 357092, WpnsCo, killed in action (mc)

GUADALCANAL: Japanese bombers and Zeroes attacked Henderson Field. F4F's from the USS Saratoga arrived on the field from Espiritu Santo

1stMarDiv
TUMBER, James Madison, 335211, CoA, 1stPionBn, killed in action (mc)

1stMarDiv, 11thMar
ALEXANDER, Richard Kershaw, 383011, H&SCo, 3rdBn, killed in action (mc)
NEVINS, John Peter, 6730, H&SBtry, 4thBn, killed in action (mc)
KEITH, Julius Cleveland, Jr, 318941, BtryP, 5thBn, killed in action (mc)
WOJDVLA, Edward John, 321502, H&S, 3rdBn, killed in action (mc)

Saturday, September, 12, 1942

GUADALCANAL: The Battle of the Ridge. The 1st Raider Battalion, commanded by Lieutenant Colonel M. A. Edson, launched a counteroffensive against Kawaguchi's Force but was forced to withdraw north of its initial position. The Japanese attacked the center and right of the raider-parachute line defending the ridge

1stMarDiv
NAGLER, Richard Douglas, 330748, 1stSigCo, HqBn, killed in action (mc)
HOLTZAPPEL, William Harrison, 281739, CoA, 1stPionBn, died of wounds (mc)

Marine Corps Aircrew, VMF212, VMSB231, VMSB232
BALDINUS, Lawrence, 10015, VMSB232, MAG23, 2ndMAW, died of wounds (mc)
HARING, Richard Donald, 8634, VMF212, MAG21, 2ndMAW, killed in action (mc)
JOHNSON, Owen Dale, 9488, VMSB231, MAG23, 1stMAW, killed in action (mc)
ROSE, Donald Vincent, 9968, VMSB232, MAG23, 2ndMAW, died of wounds (mc)
WEINTRAUB, James Wistar, 10324, VMSB231, MAG23, 2ndMAW, died of wounds (mc)

1stMarDiv
ALEXANDER, Robert Walker, 305456, CoB, TkBn, killed in action (mc)
BEASLEY, Howell James, 238602, HQ, killed in action (mc)
BROWNSON, Harry Nicholas, Jr, 256135, CoB, TkBn, killed in action (mc)
DANIELS, Raymond Thomas, 316538, CoB, TkBn, killed in action (mc)
HEATH, John William, 269757, CoA, 1stEngrBn, killed in action (mc)
LIND, Paul Joseph, 291715, CoB, 1stTkBn, DivSupTrps, killed in action (mc)
LINT, Jean Irving, 321543, CoB, 1stTkBn, killed in action (mc)
MARTIN, John Joseph Bernard, 351715, Hq&SCo, 1stEngrBn, killed in action (mc)
MCDANIEL, Edward Harris, 324877, CoB, TkBn, killed in action (mc)
MCGURER, Robert Leroy, 269929, CoC, 1stEngrBn, killed in action (mc)
MCKINLEY, Robert George, 299106, CoC, 1stEngrBn, killed in action (mc)
PRATT, Milton Camp, 284561, CoD, 1stEngrBn, killed in action (mc)
SCHWARTZ, Leon Lazar, 268152, CoB, 1stTkBn, DivSupTrps, killed in action (mc)

1stMarDiv, 1stMar
CHILDERS, Claude Gay, 320888, CoA, 1stBn, killed in action (mc)
ENIAS, Harold William, 367360, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
GROVER, Haven Raymond, 255972, HqCo, 2ndBn, killed in action (mc)
HANSCOM, Bertram Allen, 350439, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
JARRETT, C L, Jr, 291870, CoA, 1stPionBn, killed in action (mc)
RICE, Ambrose Iziah, 353549, CoF, 2ndBn, killed in action (mc)

1stMarDiv, 5thMar
BALDWIN, Carter Shepherd, III, 334778, CoE, 2ndBn, killed in action (mc)
BARRINGTON, Robert Oscar, 327848, CoL, 3rdBn, killed in action (mc)
BISHOP, Lawrence Ernest, 350409, CoE, 2ndBn, killed in action (mc)
CLINTON, Lewis Francis, Jr, 299664, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
COMER, Avis Owen, 367111, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
FAHRENWALD, Frank Louis, 367108, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
GOODE, Fred Hillard, 363742, CoI, 3rdBn, killed in action (mc)
HEIMBROCK, Robert Frank, 358195, CoG, 2ndBn, killed in action (mc)
HUFF, Robert Burton, 323157, CoG, 2ndBn, 5thMar, killed in action (mc)
LAVALLEE, Louis James, 290632, CoG, 2ndBn, killed in action (mc)
LENOIR, William Walter, 272986, CoI, 3rdBn, killed in action (mc)
MAGUIRE, John Gillard, 355528, CoG, 2ndBn, killed in action (mc)
MALOVER, John William, 355614, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
MCAULIFF, Kenneth Stephen, 295779, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
MITCHELL, Francis Martin, 348533, CoE, 2ndBn, killed in action (mc)
MONDAK, Joseph, 299894, CoD, 1stBn, killed in action (mc)
PALMORE, James Kaye, 325979, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
PRESSLEY, Vance Melvyn, 367066, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
RICKETTS, Edward John, 358997, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
SUESS, Carl Arthur, 274279, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
TOTH, John Joseph, 299031, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
TURNER, William Whitney, 337678, CoK, 3rdBn, killed in action (mc)
WHRITENOUR, Sylvester Joseph, 319656, CoE, 2ndBn, killed in action (mc)
ZAGRANIS, Lawrence Chester, 293023, CoG, 2ndBn, 5thMar, killed in action (mc)

1stMarDiv, 7thMar
FINAN, Francis Kennedy, 6350, CoB, 1stTkBn, killed in action (mc)

1stMarDiv, 11thMar
BARRETT, Ralph William, Jr, 301878, H&SBtry, 4thBn, killed in action (mc)
MICHAEL, Paul Rollin, 12118, H&SBtry, 4thBn, killed in action (mc)

1stMarDiv, 1stMarRdrBn
ARNOLD, Herman Franklin, 318681, HqCo, killed in action (mc)
BENISH, James Arthur, 355623, CoD, killed in action (mc)
BERGSTRAND, Wallace Hellgerd, 282172, CoB, killed in action (mc)
BROWN, Robert Samuel, 4661, Forward Echelon, killed in action (mc)
BUGALA, Anton Albert, 309109, CoE, killed in action (mc)
COFFEY, Donald James, 353706, CoA, killed in action (mc)
CORZINE, Jimmy Wilson, 342546, CoC, killed in action (mc)
DANOWSKI, Martin Marion, 372095, CoA, killed in action (mc)
DEES, Howell Cobb, 294740, CoE, killed in action (mc)
FRINK, Leslie Victor, 338291, CoG, killed in action (mc)
HUDSPETH, Daniel Wayne, 294194, CoC, killed in action (mc)
KAMINOWSKI, Joseph John, 364329, CoD, killed in action (mc)
KEBLISH, William Andrew, 293695, HqCo, killed in action (mc)
KOPS, Stanley Daniel, 291225, CoC, 1stMarRdrBn, AmphCorps, PacFleet, killed in action (mc)
LANGDON, John Micheal, 362569, CoC, killed in action (mc)
MATTHEWS, William Ernest, 311942, CoC, killed in action (mc)
MAYNARD, Ludger Andre, 337199, CoC, killed in action (mc)
METRAS, Albert, 354995, CoC, killed in action (mc)
QUIGLEY, John Joseph, 246955, CoC, killed in action (mc)
RILEY, Joseph Francis, 350531, CoH, killed in action (mc)
RITTER, Kenneth Earl, 281346, CoE, killed in action (mc)
ROBERTS, Charles Wyndam, 350567, CoC, killed in action (mc)
ROBERTS, Francis Laverne, 356116, CoC, killed in action (mc)
ROCK, John Clinton, 367220, CoC, killed in action (mc)
ROLLAG, Austin Truman, 317625, CoB, killed in action (mc)
STACKPOLE, Gerald Burton, 193201, HqCo, killed in action (mc)
WHITTLESEY, Frank Russell, 372015, CoB, killed in action (mc)

1stMarDiv, 1stParaBn
BOYD, Marion Roscoe, 305453, CoA, killed in action (mc)
CASTNER, Howard Welton, 282209, CoA, killed in action (mc)
CRAWFORD, Lawrence William, 277310, killed in action (mc)
EGRI, Andrew John, 286173, CoB, killed in action (mc)
FARRELL, Clyde Rothwell, 254125, CoB, DivSupTrps, killed in action (mc)
HERNDON, Raymon William, 264793, CoA, killed in action (mc)
HURN, John Patrick, 300425, CoC, killed in action (mc)
JAMES, Stanley Dyess, 266338, CoA, killed in action (mc)
KIRKMAN, Adrian London, 276625, CoA, killed in action (mc)
LOCKE, Garrick, 279909, CoA, killed in action (mc)
MALNAR, Rudolph Francis, 259472, CoA, killed in action (mc)
MAXWELL, David Nathaniel, 299194, CoA, killed in action (mc)
MAYE, Joseph Francis, 280940, CoA, killed in action (mc)
PEERY, Charles Wesley, 299373, killed in action (mc)
PERKINS, Keith, 256535, CoA, killed in action (mc)
RATHBUN, Robert Cady, 284806, CoA, killed in action (mc)
SMITH, Charles Lewis, 259043, CoA, killed in action (mc)


Naval Battle of Guadalcanal

South Pacific area in 1942. From a US Navy publication from 1944.

Map of Solomons area in 1942 before invasion of Guadalcanal showing Japanese bases circled in red.

View of Ironbottom Sound looking southwest towards Savo Island (center) and Cape Esperance on Guadalcanal (left). Most of the nighttime warship surface engagements of November 13-15, 1942 took place in this area of water.

Aerial view of Henderson Field on Guadalcanal, late August 1942. The view looks northwest with the Lunga River and Lunga Point at the top of the image. Several aircraft are parked to the left.

Smoke rises from two Japanese planes shot down during the Naval Battle of Guadalcanal, 12 November 1942. Photographed from USS President Adams (AP-38) ship at right is USS Betelgeuse (AK-28).

Japanese air attack on ships off Guadalcanal. 12 Nov 42.

U.S. Navy RAdm Daniel J. Callaghan, killed in the Naval Battle of Guadalcanal, November 13, 1942.

U.S. Navy map of U.S. and Japanese ship locations, just prior to opening fire during battle of November 13, 1942. U.S. ship locations are fairly accurate, except that the first U.S. ships in line began to jumble formation just before opening fire. The Japanese ship locations aren't completely accurate.

Modified U.S. Navy map showing probable locations of Japanese ships just before battle commenced. Click on image for full explanation.

Further modification of previous map.

U.S. Navy map of naval surface battle of November 13, 1942 off Guadalcanal. U.S. ship movements are probably accurate. However, Japanese ship movements and losses are conjectured and inaccurate.

Japanese, Type 93, "Long Lance" torpedo, on display outside U.S. Navy headquarters in Washington, DC, during World War II.

Japanese battleship Hiei em 1942.

Damage to Battle II and Sky Aft of USS San Francisco as a result of actions of 12 and 13 November, taken shortly after the battle.

U.S. Navy map showing battle between U.S. ships and Japanese battleship Hiei on November 13, 1942.

Japanese captain Tameichi Hara, captain of the destroyer Amatsukaze during the battle.

B-17s of the 11th Bombardment Group based at Espiritu Santo bomb the damaged Japanese battleship Hiei north of Savo Island on November 13, 1942. Hiei appears to be trailing fuel and smoking from fires.

USS Portland undergoing repair in Sydney, Australia a month after the battle of November 13, 1942.

U.S. Navy recognition drawing for Japanese Aoba-class heavy cruisers which included Kinugasa.

US Navy map of air attacks on Japanese transport convoy approaching Guadalcanal on November 14, 1942.

Japanese Vice Admiral Nobutake Kondo.

Kondo's warship force heads towards Guadalcanal on November 14.

Map of first phase of naval battle on November 14-15, 1942. Click on image for full description.

Map of second phase of naval battle on November 14-15, 1942. Click on image for full description.

Photo taken during the Naval Battle of Guadalcanal on November 14-15, 1942, showing the U.S. battleship Washington firing upon the Japanese battleship Kirishima. The low elevation of the barrels shows how the close range of the adversaries only 8,400 yards, point blank range for the 16"/45 caliber main armament of Washington.

Two Japanese transports, beached and burning after U.S. air attack near Tassafaronga, Guadalcanal on November 15, 1942.

Two Japanese transport ships, beached and burning after U.S. aerial attack near Tassafaronga, Guadalcanal on November 15, 1942.

U.S. battleship Dakota do Sul (top) under repair several days after the battle of November 14-15, 1942.

Mortally stricken by aircraft from Henderson on November 14, Kinugawa Maru, one of Tanaka's troop ships, lies close to the mouth of the Bonegi River, near Tassafaronga, after being deliberately run ashore. (Arquivos Nacionais)


Assista o vídeo: Tutorial app mapas históricos -