Linha do tempo da Rainha Tamar

Linha do tempo da Rainha Tamar

  • 1178

    Tamar é coroada rainha da Geórgia por seu pai, George III da Geórgia (Giorgi III).

  • 1184 - 1213

    Reinado da Rainha Tamar sobre o Reino da Geórgia.

  • 1184

    Tamar se torna o único monarca da Geórgia.

  • 1185

    Tamar convoca um sínodo da igreja para tentar derrubar o Catholicos Mikel Marianisdze.

  • 1188

    O casamento de Tamar com Yuri Andreevich Bogolyubsky é anulado.

  • 1192

    Tamar dá à luz o futuro George IV da Geórgia (Giorgi IV).

  • 1193

    O exército georgiano derrota Yuri Andreevich Bogolyubsky, o ex-marido de Tamar, para sempre.

  • 1195

    As forças georgianas sob o comando de David Soslan derrotam os exércitos muçulmanos combinados na Batalha de Shamkor.

  • 1202

    As forças georgianas comandadas por David Soslan derrotam o exército Seljuk na Batalha de Basiani.

  • 1204

    O Império de Trebizonda é fundado por Aleixo I Megas Comneno e seu irmão David, com a ajuda de sua tia, a Rainha Tamar da Geórgia.

  • 1206

    As forças georgianas sob o comando de Tamar ocupam as cidades armênias de Erzurum e Kars.

  • 1207

    O marido de Tamar da Geórgia, David Soslan, morre.

  • 1209

    O sultão de Ardabil saqueia a cidade armênia de Ani, controlada pela Geórgia.

  • 1213

    Morre a Rainha Tamar da Geórgia.


Na reunião anual da Cunard Line, o presidente Sir Thomas Royden faz o primeiro anúncio oficial de que "a questão da nova tonelagem está constantemente em nossas mentes". A Cunard Line inicia planos para projetar um novo par de super transatlânticos para substituir a Mauritânia, a Aquitânia e a Berengária em sua rota do Atlântico Norte.

28 de maio

A Cunard Line anuncia que a John Brown & amp Company, LTD., De Clydebank, Escócia, foi selecionada como construtora do novo navio.

1 de Dezembro

A primeira placa de quilha é colocada para o trabalho # 534 (que acabou sendo chamado de Queen Mary) no Estaleiro John Brown.

30 de Junho


Quem era Tamar na Bíblia?

Existem três mulheres chamadas Tamar nas Escrituras. Uma Tamar, a bela filha de Absalão, é mencionada apenas de passagem em 2 Samuel 14:27, esta Tamar tornou-se a mãe da Rainha Maacá, que se casou com o Rei Roboão. As outras duas Tamars são ambas figuras trágicas, mulheres que foram arruinadas pela negligência e abuso de familiares próximos. Suas histórias parecem estar incluídas nas Escrituras com o propósito de fornecer informações históricas e espirituais sobre a linhagem messiânica. Este artigo enfocará Tamar, a nora de Judá, e Tamar, filha de Davi.

O filho de Jacó, Judá (patriarca da linhagem de Judá), teve três filhos: Er, Onã e Selá. Uma mulher chamada Tamar casou-se com Er, mas Er morreu, deixando-a viúva. Como era exigido que o parente mais próximo cuidasse da viúva de um irmão, Tamar foi dada a Onan, mas ele também morreu. Selá ainda era um menino e não podia se casar com Tamar, então Judá pediu que ela voltasse para a casa de seu pai e esperasse até que Selá crescesse. No entanto, quando Selá teve idade suficiente, Judá não honrou sua promessa. Tamar continuou viúva solteira. Tamar então foi para a cidade disfarçada de prostituta, enganou Judá e o fez dormir com ela. Ela então engravidou de Judá e deu à luz dois filhos gêmeos chamados Perez e Zerah. A história está registrada em Gênesis 38.

A outra Tamar era filha do rei Davi. Ela tinha um irmão, Absalão, e um meio-irmão, Amnon. Amnon tinha um desejo obsessivo por sua meia-irmã Tamar, e um dia ele fingiu estar doente e chamou-a para ir até ele em seu quarto para ajudá-lo. Quando ela estava sozinha com ele, ele a estuprou. Infelizmente, embora Davi estivesse com raiva, ele não puniu Amnom nem exigiu que ele se casasse com Tamar, então Absalão decidiu matar Amnom como vingança (2 Samuel 13: 1 & ndash22). A raiva e amargura de Absalão para com seu pai por causa desses eventos eventualmente levaram à sua tentativa de usurpar seu trono e desonrar Davi ao cometer imoralidade pública com as concubinas de seu pai.

Esperaríamos que os filhos gêmeos da união incestuosa de Judá com sua nora fossem rejeitados, escondidos ou talvez nem mesmo mencionados na Bíblia. No entanto, surpreendentemente, a linha messiânica continua por meio do filho de Tamar, Perez. Deus não forneceu uma maneira “mais limpa” de continuar a linha que eventualmente incluiria Seu Filho. Perez foi o ancestral de Jesus de Nazereth.

É o mesmo com a história do Rei Davi. A raiva de Absalão e a rejeição ao governo de seu pai parecem ter nascido de uma amargura inflamada por David. Embora Absalão estivesse claramente errado pelo assassinato de Amnom, simpatizamos com ele e com sua irmã desgraçada. Considerando a própria imoralidade de Davi e o assassinato que ele cometeu, é fácil ver por que Absalão se considerava o melhor homem. Mas, apesar das falhas de Davi, Deus ainda escolheu continuar a linhagem do Messias por meio de Davi, em vez de por Absalão.

Por que essas histórias desagradáveis ​​estão incluídas nas Escrituras, e por que as pessoas envolvidas - pessoas que machucam os outros, até mesmo seus próprios familiares - concederam o privilégio de serem incluídas na linhagem messiânica? Pode ser simplesmente para nos mostrar que o propósito de Deus é cumprido, apesar da injustiça do homem. Em Hebreus 11, há uma longa lista de pessoas do Antigo Testamento que são elogiadas por sua fé, e entre elas estão muitas pessoas pecadoras que fizeram coisas terríveis. Mas, porque eles creram em Deus, sua fé foi creditada a eles como justiça (Gênesis 15: 6).


Cronologia da vida e reinado de HM The Queen

HM The Queen celebrará seu aniversário oficial em 11 de junho. Crédito: Getty Images / Shutterstock

1926, 21 de abril: A princesa Elizabeth Alexandra Mary Windsor nasceu às 02h40 na casa de seus pais em 17 Bruton Street, Mayfair, Londres. Ela foi a primeira filha do Duque e da Duquesa de York, que mais tarde se tornou o Rei George VI e a Rainha Elizabeth.

29 de maio de 1926: A jovem princesa é baptizada na capela privada em Palácio de Buckingham. Ela recebeu o nome de sua mãe, enquanto seus dois nomes do meio são de sua bisavó paterna, Rainha Alexandra, e de sua avó paterna, Rainha Maria.

A jovem princesa passa parte de sua infância com sua família no White Lodge em Richmond Park. Crédito: VisitBritain / Britain on View

1930: Os primeiros anos da princesa são passados ​​em 145 Piccadilly, a casa londrina tomada por seus pais após seu nascimento, e em White Lodge em Richmond Park.

1930, 21 de agosto: Nasce a irmã de Elizabeth, a princesa Margaret Rose.

1936: Seus pais assumem o Royal Lodge em Windsor Great Park como sua casa de campo. No terreno da Loja Real, a Princesa Elizabeth tem sua própria pequena casa, Y Bwthyn Bach (a Pequena Casa), que foi dada a ela pelo povo de Gales em 1932.

20 de janeiro de 1936: A vida familiar da princesa Elizabeth chegou ao fim em 1936, quando seu avô, o rei George V, morreu. Seu filho mais velho subiu ao trono como Rei Edward VIII.

1936, 11 de dezembro: O pai de Elizabeth torna-se rei quando seu irmão mais velho, o rei Eduardo VIII, deixa o cargo. A princesa Elizabeth é agora uma presunçosa herdeira.

1942: Seu primeiro compromisso público. Ela inspeciona os soldados da Guarda Granadeiro em seu aniversário de 16 anos.

Uma jovem princesa Elizabeth quando morava em Malta. Crédito: Shutterstock

1947, 20 de novembro: Elizabeth se casa com Philip Mountbatten em Abadia de westminster em 20 de novembro.

1947: Sua primeira visita oficial ao exterior. Ela comemora seu 21º aniversário em uma turnê de África do Sul.

1949 a 1951: Ela vive para o tempo em Malta onde o Príncipe Philip está servindo como oficial da Marinha Real. É o único país estrangeiro em que ela vive e a vida na ilha lhe proporciona uma existência relativamente normal.

14 de novembro de 1948: O primeiro filho da princesa, o príncipe Charles, nasceu em Palácio de Buckingham. Ela tem 22 anos.

1950, 15 de agosto: Nasce a princesa anne Clarence House em 15 de agosto de 1950.

1952: Seu pai, o rei George VI, morre dormindo. A princesa elizabeth está em Quênia quando ele fica sabendo da morte de seu pai.

Abadia de westminster. Crédito: iStock

2 de junho de 1953: Sua coroação ocorre em Abadia de westminster. Ela é coroada Rainha Elizabeth II, aos 27 anos.

1960, 19 de fevereiro: Príncipe Andrew nasceu em Palácio de Buckingham em fevereiro. Ele é o primeiro filho de um monarca reinante rainha VictoriaA filha mais nova, a princesa Beatrice, em 1857.

1964, 10 de março: Príncipe Eduardo nasceu em Palácio de Buckingham.

1977: O Jubileu de Prata da Rainha - marcar 25 anos no trono é celebrado com visitas à Comunidade e o Dia do Jubileu, 7 de junho de 1977, é marcado com um feriado público e um serviço de ação de graças em Catedral de São Paulo e festas de rua em todo o país.

1986: A Rainha comemora 60 anos.

Castelo de Windsor Crédito: VisitBritain / Craig Easton

1992, 20 de novembro: Um incêndio destrói parte da casa da Rainha em Castelo de Windsor.

1997: A Rainha e o Duque de Edimburgo celebram seu Casamento de Ouro com uma festa especial no jardim para casais que também celebram seu Casamento de Ouro em Palácio de Buckingham.

1997, 31 de agosto: Princesa Diana morre em um acidente de carro na França.

2002, 9 de fevereiro: A irmã mais nova da Rainha, Princesa Margaret, morre após uma longa doença.

30 de março de 2002: A rainha-mãe morre aos 101 anos.

2002: Durante este ano, ela também marca seu Jubileu de Ouro - passando 50 anos no trono.

2006, 21 de abril: A Rainha comemora seu 80º aniversário.

O Palácio de Buckingham é a residência principal da rainha em Londres. Crédito: Visit Britain / Andrew Pickett

4 de junho de 2012: As rainhas Jubileu de Diamante é comemorado com um fim de semana espetacular fora do Palácio de Buckingham.

2015, 9 de setembro: A rainha se torna a monarca com o reinado mais longo. Ela reinou por 23.226 dias, 16 horas e aproximadamente 30 minutos - superando o reinado de sua tataravó, a Rainha Vitória.

21 de abril de 2016: A Rainha completa 90 anos.

6 de fevereiro de 2017: A Rainha celebra seu Jubileu de Safira, marcando 65 anos desde que subiu ao trono.


Conteúdo

Encontro com Darius

Tamar se encontrou com Darius Davis no Momo Korean Restaurant, expressando preocupação com sua obsessão por Geoffrey Wilder. Ao ouvir as descrições de Davis sobre as crianças que viu, ela disse que achava que ele não usava drogas. Imaginando que ele dormiria no carro naquela noite, ela foi ao Steak n 'Shake. & # 913 & # 93

Interferência de Alex Wilder

De volta de uma consulta médica, Tamar ficou chateada ao saber que Darius Davis não a havia escutado em relação à escolha da cor da pintura para seu futuro filho. Além disso, ela reconheceu o jovem que Davis havia se alistado para o trabalho como Alex Wilder, um conhecido fugitivo, embora Tamar inicialmente não tenha mencionado isso. Ela então insistiu que as cores da parede deveriam ser alteradas, pedindo a sua irmã Livvie que apoiasse sua afirmação. Então, ela saiu da sala, seguida por Davis e Livvie. Tamar disse a Livvie quem era Wilder e exigiu que Darius deixasse Wilder, mas Davis recusou, afirmando que trabalhar com Wilder iria beneficiar a todos no final. & # 911 e # 93

No dia seguinte, Tamar estava presente na casa de Darius Davis quando Wilder voltou e ofereceu sua ajuda, sendo instruído a carregar os vinis de Tamar para cima. Apesar de sua relutância inicial em deixar Wilder entrar em sua vida, Tamar o convidou para jantar com a família, comentando como ele era magro e como o frango apimentado de Nana B o deixaria em boa forma. Mais tarde, porém, Tamar e Davis decidiram que deviam devolver Wilder aos pais que contataram, vendo isso como uma oportunidade de melhorar suas vidas. & # 914 e # 93

Tamar passou algum tempo com sua família e Wilder na frente da casa, trançando cabelos com Livvie enquanto Davis e Wilder jogavam dominó. Embora tenha sido instruída a permanecer fora da conversa, Tamar lembrou que o pai de Wilder costumava jogar dominó com Davis, mas que provavelmente ele desistiu desse ritual para esquecer de onde vinha. Ela também insistiu com Davis que ele não poderia forçá-la a apreciar Wilder.

Mais tarde, Tamar recebeu um telefonema de seu marido instruindo-a a encontrá-lo no Gordon Hotel, onde Davis planejava desfrutar de uma suíte reservada para eles por Geoffrey Wilder depois que Davis devolvesse seu filho para ele. No entanto, a vida de Tamar deu uma guinada dramática quando ela chegou ao hotel e descobriu que Davis havia sido encontrado morto, assim como havia sido assassinado por Catherine Wilder. Tamar gritou de horror e tentou ver o marido morto, mas foi impedida pelo detetive Flores e outros policiais da polícia de LA na cena do crime. & # 915 e # 93

War on the Wilders

Pouco depois da morte do marido, Tamar foi para o South Los Angeles Medical Center para dar à luz seu filho, a quem deu o nome de Xerxes Davis. Ela foi visitada por sua irmã Livvie antes de viver no hospital para voltar para casa e ficou irritada ao descobrir que Alex Wilder também tinha vindo para tentar se reconciliar com sua namorada. Tamar pediu a Livvie que encerrasse sua discussão com Alex, alegando que ela não queria que fosse gravado em vídeo enquanto ela filmava seu bebê indo para casa. Tamar então ouviu Alex explicar que Davis havia sido assassinado por causa das atividades do Pride, e Tamar expressou surpresa com a ideia de o Pride ser uma organização criminosa.

Enquanto Tamar colocava Xerxes Davis em seu carro enquanto Alex explicava que queria ajudá-los, Tamar e Livvie foram atacadas por oficiais corruptos do LAPD liderados por AWOL, que foram enviados para intimidar Livvie devido aos seus esforços para limpar o nome de Davis. No rescaldo do ataque, Tamar ficou chateada com Livvie insistir para o oficial Caprarelli que eles haviam sido atacados por um policial também. Mandando Caprarelli checar outras pessoas, Tamar explicou a Livvie que havia cometido um erro ao procurar um advogado e pediu à irmã que reconsiderasse seus planos, pois ela não queria passar por um segundo ataque que poderia ser fatal.

Tamar voltou para a Residência de Nana B, onde concordou em se encontrar com Geoffrey Wilder, embora eles tenham permanecido na porta e Tamar não o deixou entrar. Tamar recebeu os documentos de propriedade do canteiro de obras do PRIDE e uma grande quantia de dinheiro de Geoffrey, que explicou que nunca queria que Davis fosse morto e que sentia pena de sua perda. Tamar mencionou com carinho como Davis a chamava de sua rainha que merecia seu próprio reino e como eles esperavam construí-lo graças ao acordo com os Wilders. Tamar aceitou o dinheiro de Geoffrey, mas avisou-o de que eles não estavam perto de se igualar e que ela estava apenas começando a conseguir o que pensava ser dela. & # 912 e # 93

Tamar mais tarde notou que Livvie não havia voltado para casa e enviou várias mensagens de texto para ela saber onde ela estava, eventualmente descobrindo que Livvie e os Runaways encontraram o time de ataque do LAPD. Tamar foi então visitado por Geoffrey e Catherine Wilder, a quem ela contou sobre Livvie, e foi oferecido que os Wilders poderiam garantir sua segurança. No entanto, Tamar recusou a oferta, afirmando que a única pessoa de quem ela precisava de proteção era Catarina, já que ela havia matado seu marido. Tamar então voltou para dentro de sua casa, onde AWOL a esperava. Na verdade, Tamar realmente planejava fechar um acordo com o AWOL, alimentando-o com informações sobre o Pride em troca de sua família ser deixada fora de problemas.

Inicialmente, parecia que o negócio entre Tamar e AWOL funcionou bem. Quando Livvie voltou para casa e encontrou o AWOL ainda na casa, Tamar admitiu que sabia que o AWOL era perigoso, mas que eles não tinham outra escolha a não ser trabalhar com ele. No entanto, a aliança acabou saindo pela culatra em Tamar depois que AWOl se livrou de Flores e assumiu a liderança do time de ataque: Tamar e Livvie foram atacados pelo time de ataque, que sequestrou Livvie enquanto Tamar e Xerxes Davis continuavam ameaçados por Mitch. & # 916 & # 93 Com Livvie levada para a Caixa Preta, Tamar permaneceu em sua casa com Xerxes Davis, mas Mitch, sob as ordens de AWOL para intimidar Livvie, agarrou Xerxes Davis de seus braços, ameaçando machucar os dois. Tamar implorou a Livvie para ajudá-los, o que fez com que Livvie revelasse a localização do albergue onde os fugitivos estavam se escondendo.

Após o Cerco ao Albergue, depois que Livvie voltou para casa e foi contatada por Alex para obter ajuda, Tamar decidiu que seria ela quem se encontraria com ele. Enquanto Alex avançava para verificar o porta-luvas de seu carro, Tamar revelou que já havia encontrado a arma que ele procurava. Tamar aceitou dar a arma a Alex, que queria usá-la para incriminar seus pais por assassinato, embora Tamar o aconselhou a simplesmente atirar neles. Tamar então ordenou que Alex nunca mais se aproximasse de sua família, afirmando que ele nunca mais veria Livvie antes de partir com seu carro. & # 917 e # 93


Rainha

Poucas bandas incorporaram a criatividade destemida e a atitude do rock dos anos 1970 como o Queen. Abraçando a pompa exagerada do rock progressivo e do heavy metal e a singularidade do music hall vaudevillian na mesma medida, o quarteto britânico coloriu seus arranjos complexos com camp e bombast, criando um som imenso de ópera com camadas de guitarras e vocais overdub. Por anos, seus álbuns ostentavam o lema "nenhum sintetizador foi usado neste álbum", sinalizando sua aliança com bandas de hard rock pós-Led Zeppelin. Mas equilibrando essa seriedade, o vocalista Freddie Mercury trouxe um extravagante senso de diversão para o Queen, levando-os ao humor kitsch e arranjos pseudo-clássicos como sintetizado em sua canção mais conhecida, "Bohemian Rhapsody". Abençoado com uma gama extensa e pitch perfeito, Mercury foi um dos cantores de rock mais carismáticos e tecnicamente talentosos de sua geração, sua reputação grandiosa apoiada por um senso de humor franco e irônico e uma variedade de trajes de palco que definiram a era . Por meio de suas lendárias apresentações teatrais, o Queen se tornou uma das bandas mais populares do mundo em meados dos anos 70, liderando as paradas na Inglaterra e regularmente chegando ao Top Ten da Billboard 200 com álbuns como A Night at the Opera de 1975, A Day de 1976 nas corridas, e 1977's News of the World. Eles também mudaram as engrenagens estilísticas aparentemente à vontade, mergulhando no funk e disco, um traço que ajudou a transformar canções como o baixo "Another One Bites the Dust" em sucessos mundiais. A banda manteve seguidores fanáticos nos anos 80, ganhando três álbuns em primeiro lugar no Reino Unido com The Game de 1980, A Kind of Magic de 1986 e The Miracle de 1989. Eles ganharam ainda mais fama na cultura pop ao longo do caminho, alegremente fornecendo as trilhas sonoras para filmes de ação de ficção científica como Flash Gordon e The Highlander. Embora a morte de Mercury devido a complicações devido à AIDS em 1991 tenha encerrado o reinado inicial do Queen (seu último álbum foi o lançado postumamente Made in Heaven), sua influência continuou a ser ouvida nas gerações de artistas e bandas que se seguiram, do Metallica e do Smashing Abóboras, para George Michael, Prince e Lady Gaga. Um ano após a morte de Mercury, "Bohemian Rhapsody" voltou às paradas depois de ter sido destaque na comédia de sucesso Wayne's World. O Queen finalmente voltou ao palco, fazendo uma turnê com o cantor do Bad Company, Paul Rodgers, nos anos 2000 e mais tarde emparelhado com o ex-vice-campeão do American Idol Adam Lambert no início de 2011. Junto com as turnês e mercadorias contínuas, eles permaneceram uma presença vital na música, e em 2018 foi tema da biografia ganhadora do Oscar Bohemian Rhapsody.

As origens do Queen estão no grupo psicodélico de hard rock Smile, ao qual o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor se juntaram em 1967. Após a saída do vocalista principal do Smile, Tim Staffell, em 1971, May e Taylor formaram um grupo com Freddie Mercury, o ex-vocalista do Wreckage. Em poucos meses, o baixista John Deacon se juntou a eles, e eles começaram a ensaiar. Nos dois anos seguintes, quando todos os quatro membros concluíram a faculdade, eles simplesmente ensaiaram, fazendo apenas alguns shows. Em 1973, eles começaram a se concentrar em sua carreira, lançando seu primeiro álbum, Queen, naquele ano e iniciando sua primeira turnê. Produzido pela banda, junto com Roy Thomas Baker e John Anthony, o Queen foi mais ou menos um álbum de metal puro e atraiu comparações favoráveis ​​com o Led Zeppelin.

No entanto, foi com seu segundo álbum, Queen II, que a banda estourou inesperadamente na Grã-Bretanha no início de 1974. Antes de seu lançamento, a banda tocou Top of the Pops, tocando "Seven Seas of Rhye". Tanto a música quanto a performance foram um sucesso estrondoso, e o single disparou para o Top Ten, preparando o palco para o Queen II alcançar o número cinco. Após o lançamento, o grupo embarcou em sua primeira turnê americana, abrindo para Mott the Hoople. Com a força de suas performances dramáticas, o álbum subiu para o número 43 nos Estados Unidos.

O Queen lançou seu terceiro álbum, Sheer Heart Attack, antes do final de 1974. O music hall-encontra-Zeppelin "Killer Queen" subiu para o número dois nas paradas do Reino Unido, levando o álbum ao segundo lugar também. Sheer Heart Attack fez algumas incursões na América, preparando o cenário para a descoberta de A Night at the Opera, de 1975. O Queen trabalhou muito pelo disco, de acordo com muitos relatos, foi o disco de rock mais caro já feito na época de seu lançamento. O primeiro single do álbum, "Bohemian Rhapsody", tornou-se a canção característica do Queen, e com sua bombástica e simulada estrutura operística pontuada por riffs de heavy metal, encapsulou sua visão musical ambiciosa e inovadora. Para apoiar "Bohemian Rhapsody", o Queen filmou um dos primeiros videoclipes conceituais, e a aposta valeu a pena, já que o single passou nove semanas como número um na Inglaterra, quebrando o recorde de maior corrida como número um. A música e A Night at the Opera foram igualmente bem-sucedidas na América, com o álbum subindo para o Top Ten e rapidamente alcançando o disco de platina.

Após A Night at the Opera, o Queen foi estabelecido como superestrela, mas continuou a trabalhar em um ritmo rápido. No verão de 1976, eles realizaram um concerto gratuito no Hyde Park de Londres que quebrou recordes de público e lançaram o single "Somebody to Love" alguns meses depois. Foi seguido por A Day at the Races, que era essencialmente uma versão reduzida de A Night at the Opera que alcançou o número um no Reino Unido e o número cinco nos EUA. Eles continuaram a acumular singles de sucesso na Grã-Bretanha e na América ao longo nos cinco anos seguintes, quando cada um de seus álbuns entrou no Top Ten, sempre ganhando disco de ouro e geralmente platina no processo. Apresentando o single duplo A-sided Top Five "We Are the Champions" / "We Will Rock You", News of the World se tornou um hit Top Ten em 1977. No ano seguinte, Jazz quase replicou esse sucesso, com o single " Fat Bottomed Girls "/" Bicycle Race "se tornando um sucesso internacional.

O Queen estava no auge de sua popularidade ao entrar nos anos 80, lançando The Game, seu álbum mais diverso até agora, em 1980. Com a força de dois singles número um - o inspirado no rockabilly "Crazy Little Thing Called Love" e o disco-fied "Another One Bites the Dust" - The Game se tornou o primeiro álbum americano número um do grupo. Sua trilha sonora amplamente instrumental para Flash Gordon chegou mais tarde naquele mesmo ano. Com a ajuda de David Bowie, o Queen conseguiu competir com sucesso com a nova onda com o single "Under Pressure" de 1981 - seu primeiro número um no Reino Unido desde "Bohemian Rhapsody" - que foi incluído em Greatest Hits de 1981 e 1982's Hot Space. Hot Space provou ser um sucesso moderado e pavimentou o caminho para o rock-rock The Works, que chegou em 1984. Também foi um sucesso menor, com os singles "Radio Ga Ga", "Hammer to Fall" e "I Quero me libertar." Pouco depois, eles deixaram a Elektra e assinaram com a Capitol.

Durante este período, o Queen começou a fazer turnês em mercados estrangeiros, cultivando uma grande e dedicada base de fãs na América Latina, Ásia e África. Em 1985, eles voltaram a ter uma popularidade renovada na Grã-Bretanha após sua apresentação no Live Aid. No ano seguinte, eles lançaram A Kind of Magic com fortes vendas na Europa. Estreou como número um no Reino Unido e permaneceu lá por mais de 60 semanas, gerando os singles "A Kind of Magic", "One Vision", "Friends Will Be Friends" e "Who Wants to Live Forever". The Miracle veio em 1989 e teve o mesmo sucesso, estreando como número um no Reino Unido e quebrando o Top 30 da Billboard 200.

O 14º álbum de estúdio do grupo, Innuendo de 1991, foi saudado de forma ainda mais favorável, chegando ao ouro e chegando ao número 30 nos EUA. Foi um sucesso muito maior na Europa, entrando nas paradas do Reino Unido em primeiro lugar. No entanto, em 1991, o Queen reduziu drasticamente sua atividade, fazendo com que rumores circulassem sobre a saúde de Freddie Mercury. Em 23 de novembro, o cantor emitiu um comunicado confirmando que tinha AIDS. Mercury morreu no dia seguinte de pneumonia brônquica resultante de sua doença. Na primavera seguinte, os membros restantes do Queen realizaram um concerto memorial no Estádio de Wembley que foi transmitido para um público internacional de mais de um bilhão. Apresentando artistas convidados como David Bowie, Elton John, Annie Lennox, Def Leppard e Guns N 'Roses, o show arrecadou milhões para o Mercury Phoenix Trust, estabelecido para conscientizar sobre a AIDS. O concerto coincidiu com um renascimento do interesse por "Bohemian Rhapsody", que alcançou o segundo lugar nos EUA e o primeiro no Reino Unido após sua aparição na comédia de Mike Myers, Wayne's World.

Após a morte de Mercury, os membros restantes do Queen ficaram bastante quietos. Brian May lançou seu segundo álbum solo, Back to the Light, em 1993, dez anos após o lançamento de seu primeiro álbum. Roger Taylor gravou alguns álbuns com o Cross, com os quais tocava desde 1987, enquanto Deacon essencialmente se aposentou. Os três se reuniram em 1994 para gravar fitas de apoio para as faixas vocais que Mercury gravou em seu leito de morte. O álbum resultante, Made in Heaven, foi lançado em 1995 com vendas fortes, principalmente na Europa. Crown Jewels, um box set reempacotando seus primeiros oito LPs, surgiu em 1998. Gravações de arquivos ao vivo, DVDs e compilações continuaram a aparecer no novo milênio.

O nome Queen foi revivido em 2005, mas desta vez com "+ Paul Rodgers" anexado a ele. Rodgers, o ex-vocalista do Free and Bad Company, juntou-se a Brian May e Roger Taylor (John Deacon permaneceu aposentado) para vários shows ao vivo, um dos quais foi documentado no Return of the Champions de 2005, um lançamento de disco duplo lançado por Hollywood rótulo. A turnê internacional continuou, assim como um novo álbum de estúdio com os vocais de Rodgers. Lançado sob a marca "Queen + Paul Rodgers", The Cosmos Rocks apareceu em setembro de 2008, seguido por um lançamento americano um mês depois. A recepção foi decididamente mista. Rodgers deixou o Queen em 2009 e em seu rastro veio uma nova compilação chamada Absolute Greatest.

As aparições na TV seguiram nos dois anos seguintes, incluindo uma vaga no final do American Idol de 2009, onde se apresentaram com Adam Lambert, e em 2010 o Queen acabou deixando sua casa na EMI para a Island, que trouxe todas as gravações do grupo para a Universal Records. Uma nova rodada de relançamentos se seguiu em 2011, junto com uma apresentação com Lambert no MTV Europe Music Awards, e o vocalista logo se tornou um elemento fixo com a banda, com o Queen realizando vários grandes shows e apresentações na televisão em 2012 e 2013, seguido por um turnê completa em 2014. Também naquele ano, o Queen lançou outra compilação, Queen Forever, que foi ancorada por versões retrabalhadas de três canções antigas, incluindo um número solo de Mercury, onde ele fez um dueto com Michael Jackson. O álbum de arquivo ao vivo, A Night at the Odeon, apresentando a apresentação da banda na véspera de Natal de 1975 no Hammersmith Odeon de Londres, apareceu em 2015.

Nos dois anos seguintes, a banda se manteve ativa, aparecendo ao vivo com Lambert. Em 2018, Queen foi o tema do filme biográfico Bohemian Rhapsody, estrelado por Rami Malek como Freddie Mercury. A banda contribuiu para a trilha sonora, que incluiu faixas clássicas, bem como gravações ao vivo e várias canções retrabalhadas para o filme. Uma coleção de concertos com Lambert, Live Around the World, chegou em outubro de 2020.


Referências

  • Wilhelm Baum (2007). & quotRusudani (Russutuna) & quot. Em Bautz, Traugott. Biographisch-Bibliographisches Kirchenlexikon (BBKL) (em alemão) 27. Nordhausen: Bautz. cols. 1179 e # x20131184. ISBN 978-3-88309-393-2.

A rainha Rusudan (georgiana: & # x10e0 & # x10e3 & # x10e1 & # x10e3 & # x10d3 & # x10d0 & # x10dc & # x10d8) (c. 1194 & # x20131245), da dinastia Bagrationi, governou a Geórgia em 1223 & # x20131245.

Filha da Rainha Tamar da Geórgia com David Soslan, ela sucedeu seu irmão George IV da Geórgia em 18 de janeiro de 1223. A morte prematura de George # x2019 marcou o início do fim da Idade de Ouro da Geórgia. Rusudan estava muito fraco para preservar o que quer que fosse ganho por seus predecessores.

No outono de 1225, a Geórgia foi atacada pelo xá Khwarezmian Jelal ad-Din Mingburnu, perseguido pelos mongóis. Os georgianos sofreram uma derrota amarga na Batalha de Garni, e a corte real com a rainha Rusudan mudou-se para Kutaisi, quando a capital georgiana, Tbilisi, foi sitiada pelos khwarezmianos. Um ano depois, Jelal ad-Din tomou Tbilisi em 9 de março de 1226. Os cidadãos lutaram corajosamente e mais de 100.000 perderam a vida quando a cidade caiu nas mãos dos Khwarezmians. Os derrotados georgianos receberam ordens de mudar de religião e se tornarem muçulmanos, mas recusaram e quase toda a população de Tbilisi foi massacrada. Em fevereiro de 1227, os georgianos aproveitaram-se dos fracassos de Jelal ad-Din & # x2019 na Armênia e retomaram Tbilisi, mas logo foram forçados a abandonar a cidade & # x2013 que eles próprios incendiaram em sua batalha contra as forças de ocupação. Rusudan fez uma aliança com os governantes seljúcidas vizinhos de R & # x00fcm e Ahlat, mas os georgianos foram derrotados pelos khwarezmianos em Bolnisi, antes que os aliados pudessem chegar (1228).

Os khwarezmianos foram substituídos pelos mongóis. Eles avançaram para a Geórgia em 1235. Devastada e saqueada pelas incursões de Jelal ad-Din & # x2019s, a Geórgia se rendeu sem qualquer resistência séria. Em 1240, todo o país estava sob o jugo mongol. Forçado a aceitar a soberania do Mongol Khan em 1242, Rusudan teve que pagar um tributo anual de 50.000 moedas de ouro e apoiar os mongóis com um exército georgiano.

Temendo que seu sobrinho David VII da Geórgia aspirasse ao trono, Rusudan o manteve prisioneiro na corte de seu genro, o sultão Kaykhusraw II, e enviou seu filho David VI da Geórgia ao tribunal mongol para obter seu oficial reconhecimento como herdeiro aparente. Ela morreu em 1245, ainda esperando o retorno do filho.

Ela se casou em 1224 com o príncipe seljúcida Ghias ad-din, neto de Kilij Arslan II que se converteu ao cristianismo com o casamento. Eles eram os pais de David VI da Geórgia e uma filha chamada Tamar, que se casou com seu primo, o sultão Kaykhusraw II, e após sua morte em 1246, o Pervane Mu'in al-Din Suleyman como uma das pré-condições para o acordo de paz .

[. Os khwarezmianos foram substituídos pelos mongóis. Eles avançaram para a Geórgia em 1235. Devastada e saqueada pelas incursões de Jelal ad-Din & # x2019s, a Geórgia se rendeu sem qualquer resistência séria. Em 1240, todo o país estava sob o jugo mongol. Forçado a aceitar a soberania do Mongol Khan em 1242, Rusudan teve que pagar um tributo anual de 50.000 moedas de ouro e apoiar os mongóis com um exército georgiano.

Temendo que seu sobrinho David VII da Geórgia aspirasse ao trono, Rusudan o manteve prisioneiro na corte de seu genro, o sultão Kaykhusraw II, e enviou seu filho David VI da Geórgia ao tribunal mongol para obter seu oficial recognition as heir apparent. She died in 1245, still waiting for her son to return.

She married in 1224 to the Seljuk prince Ghias ad-din, a grandson of Kilij Arslan II who converted to Christianity on his marriage. They were the parents of David VI of Georgia and a daughter named Tamar, who married her cousin, the sultan Kaykhusraw II, and following his death in 1246, the Pervane Mu'in al-Din Suleyman as one of the preconditions of the peace settlement. ]


Esther and Mordecai under Xerxes of Persia

King Xerxes of Persia was the world’s most powerful monarch who ruled the Persian Empire around 486 B.C., which is where he appears on the Biblical Timeline with World History. He was the son of the former Persian king Darius I. He is traditionally considered to be the Persian King Ahasuerus referred to in the Biblical story of Esther.

During the third year of Xerxes reign, he held a huge festival so that he could display all of his wealth to the high ranking governors and officials of his empire. King Xerxes also had a wife named Queen Vashti, and she was holding a celebration for the women of the empire. As the ceremonies progressed, King Xerxes summoned Queen Vashti so that he could show off her beauty to the people in attendance. Instead of appearing before the king the queen refused to listen to her husband’s request. Since she was disobedient to her King, Queen Vashti was forever banished from his presence.

King Xerxes had to send out a decree that women were not to follow her example. He did this to avoid civil unrest that could have resulted from massive domestic abuse and chaos within the empire. This story sets the background for the rise of an extremely beautiful woman named Esther and her godly cousin Mordecai. God had decided to allow the people of Judah to go into captivity to Babylon because of their sins, and Mordecai was a young boy when this incident had taken place. Mordecai had an uncle named Abihail who had a daughter named Hadassah. Now Hadassah was an extremely beautiful young woman, and she was also called Esther. Mordecai had taken her into his home after her father Abihail and her mother had passed away. Esther grew up secure inside of Mordecai’s care, and she also learned about the importance of her Jewish heritage from him as well. The people all over the region of Susa knew about Esther’s beauty. One day King Xerxes decided to find a new queen, and he had appointed agents inside of each province for the purpose of making them responsible for finding beautiful virgin females to bring to the king. Well, this activity took place over a period before they came across Esther. Once Esther was chosen for this task, Mordecai reminded her that she must never tell the king or his servants about her Jewish identity.

Esther eventually won the heart of the king and his servants, and she was selected to become the new queen of Persia. Mordecai held a position inside of the king’s palace, and he went their every day to perform his duties. One day he overheard a conspiracy between two of the king’s guards who wanted to assassinate Xerxes. Mordecai alerted the king and the guards were found to be treasonous and were eliminated. King Xerxes appreciated Mordecai’s information, but he didn’t reward him. Meanwhile a powerful prince within the Persian Empire named Haman had become the second most powerful ruler in the land. King Xerxes told the people that they should bow down to him whenever they see him. Everybody agreed to this decree except for Mordecai. Whenever Haman came into the palace, every official would bow except for Mordecai and his defiance made Haman extremely angry. Haman decided to devise a plot to not only kill Mordecai for his defiance but the rest of the Jewish people as well. Haman was an Agagite, and his people were old enemies of the Jews. Prime Minister Haman influenced King Xerxes to kill off a group of people within his empire that were different than the rest of the people because they would not obey the laws of the land. Prime Minister Haman had cast lots before he approached the king with this request. Prime Minister Haman cast lots so that he could determine the best day to carry out the king’s decree once it was approved. The king agreed to his plan even though he didn’t know that the people were Jewish. Prime Minister Haman also decided to build a 75-foot tall hanging platform for Mordecai.

While this platform was being constructed King Xerxes had read through his royal records and realized that he never rewarded Mordecai for saving his life from the assassination plot. He summoned Haman and asked him what he should do to honor a man for his service. Prime Minister Haman naturally thought he was talking about himself and told him to dress the man in royal garments and to lead him through the streets on his royal horse. King Xerxes told Prime Minister Haman to do this for Mordecai and Haman was humiliated by the experience. Mordecai found out what Prime Minister Haman had done and began to despair. He knew that he had to appeal to Esther to save the people.

Esther wanted to save the people, but there was one major problem. She just couldn’t go into the presence of the king she had to be invited otherwise she might lose her life. Mordecai had to convince her that if she didn’t follow through with these actions that God was going to get another savior to take her place and that she would be killed. Esther agreed and fasted and went in to see the king. The king honored her presence, and she requested a two-day banquet with the king and Prime Minister Haman. On the second day of the banquet, Queen Esther revealed to the king what had happened, and Haman was hanged on the pole he designed for Mordecai. The Jewish people managed to avoid being exterminated by Haman’s sympathizers, and Mordecai was elected to his position. God used Queen Esther and her cousin Prime Minister Mordecai to save the Jewish people from being exterminated while under the rule of the Persian Empire. The Festival of Purim was established by Mordecai to remind Jewish people how they were saved by Queen Esther and Mordecai from extermination. Biblical References: The book of Esther in the Bible contains the whole entire story of Esther and Mordecai.


Queen Tamar Timeline - History

Our editors will review what you’ve submitted and determine whether to revise the article.

Esaú, também chamado Edom, in the Old Testament (Genesis 25:19–34 27 28:6–9 32:3–21 33:1–16 36), son of Isaac and Rebekah, elder twin brother of Jacob, and in Hebrew tradition the ancestor of the Edomites.

At birth, Esau was red and hairy, and he became a wandering hunter, while Jacob was a shepherd. Although younger, Jacob dominated him by deception. At one time, when Esau returned from an unsuccessful hunt and was hungry, Jacob bought Esau’s birthright (i.e., the rights due him as the eldest son) for some red pottage (soup). When Isaac was dying, Jacob, with Rebekah’s help, cheated Esau out of his father’s blessing. Esau would have killed Jacob, but Jacob fled when he returned 20 years later, Esau forgave him.

The story reflects the relationship of Israel and Edom. It sought to explain why Israel (in the time of the United Monarchy) dominated the kingdom of Edom, although the latter was older.


Golden Age Georgia, Queen Tamar to be playable in famed ’Civilization’ video game

Video gaming enthusiasts around the world will soon be able to replicate the "Golden Age” of Georgia’s history, as an upcoming expansion for legendary strategy game Civilization is being prepared for release next month.

Georgia’s famed 12th century Queen Tamar and some iconic national features of the country will be part of Civilization VI: Rise and Fall, the first official expansion pack for the latest edition of the game, the developers announced on Tuesday.

Tamar will be cast in the game as the leader of playable faction Georgia, which will also come with specific gameplay bonuses and unique units.

In the theme of unique unit types for in-game factions, players selecting Georgia as their side will be able to count on warriors from the mountainous Khevsureti province.

The unique Khevsur warriors featured for the Georgian faction. Photo: civilization.com.

Players of the Civilization series are also able to build special structures for their faction. Georgia’s featured structure type is the tsikhe , the historical fortresses that overlooked strategic roads and settlements across the country.

While efficient in their military designation earlier on, with the later eras players will also be able to benefit from tsikhe structures as tourist destinations.

Other faction- and leader-specific bonuses will also be part of the experience for players picking Georgia as their in-game nation.

The ‘tsikhe’ is the special structure players will be able to build when playing as Georgia. Photo: civilization.com.

Civilization VI: Rise and Fall will feature Georgia among nations including Mongolia, the Netherlands, India and more. The roster of playable factions is still being announced by the developers.

The expansion is developed by Firaxis Games and published by 2K Games, with celebrated game developer Sid Meier serving as director of the developer team.

Among other video game titles, Meier is known for having co-created Sid Meier's Civilization — the first installment of the now-famous strategy series.

The Rise and Fall expansion for Civilization VI will release on the Microsoft Windows platform and feature both singleplayer and multiplayer modes.


Assista o vídeo: Victor e Leo Grandes sucessos