Oficiais do 30º Grupo de Bombardeio

Oficiais do 30º Grupo de Bombardeio

Oficiais do 30º Grupo de Bombardeio

Esta imagem mostra um grupo de oficiais do 30º Grupo de Bombardeio. Da esquerda para a direita, vemos o tenente Vandenhoof, o tenente Dilkey, o tenente Sean, o tenente coronel Edwin B Miller (comandante do grupo de 30 de agosto de 1943 a novembro de 1944, John Marie Robert Audette ('eu'), o tenente Levesque (?) E o tenente Boone.

Muito obrigado a Robert Hall por nos enviar essas fotos, que vieram de seu sogro, o tenente-coronel John Marie Robert Audette, um oficial de inteligência no Pacífico, servindo no 38º Esquadrão de Bombardeio, 30º Grupo de Bombardeio.


30º Grupo de Bombardeio Segunda Guerra Mundial

Localização. 39 & deg 0.979 & # 8242 N, 104 & deg 51.31 & # 8242 W. Marker está localizado na United States Air Force Academy, Colorado, no condado de El Paso. Marker está no cemitério da Academia da Força Aérea dos Estados Unidos, no Parade Loop a oeste do Stadium Boulevard, à direita ao viajar para o oeste. Toque para ver o mapa. O marcador está nesta área dos correios: USAF Academy CO 80840, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. 379º Grupo de Bombardeio (H) (aqui, próximo a este marcador) Pilotos de planadores da Segunda Guerra Mundial (aqui, próximo a este marcador) 306º Grupo de Bombardeio (H) (aqui, próximo a este marcador) 95 º Grupo de Bombas H (aqui, próximo a este marcador) 492º Grupo de Bombas (H) e 801º Grupo de Bombas (P) (aqui, próximo a este marcador) 416º Grupo de Bombardeio (L) (aqui, próximo a este marcador) 20º Grupo de Caças ( aqui, próximo a este marcador) 344º Grupo de Bombas (M) AAF (aqui, próximo a este marcador). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores na Academia da Força Aérea dos Estados Unidos.

Mais sobre este marcador. Deve ter um documento de identidade válido para entrar no terreno da Academia USAF.

Veja também . . .
1. 30º Grupo de Bombardeio. Entrada do site da Biblioteca e Museu do Corpo de Aviação do Exército (Enviado em 7 de abril de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)

2. 30º Grupo de Bombardeio. Entrada no site da História da Guerra (Enviado em 7 de abril de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)

3. Pessoal do 30º Grupo de Bombardeios. Artigo da 7ª Força Aérea na Segunda Guerra Mundial (Enviado em 7 de abril de 2021, por William Fischer, Jr. de Scranton, Pensilvânia.)


Linhagem

  • Estabelecido como 30 Grupo de Bombardeio (Pesado) em 20 de novembro de 1940
  • Redesignado 30 Grupo de Operações em 1 de novembro de 1991

Atribuições

    , 15 de janeiro de 1941, 24 de maio de 1941, 5 de setembro de 1941, dezembro de 1941, 20 de janeiro de 1942
    , 11 de outubro de 1943, 17 de outubro de 1943
  • Forças Aéreas do Exército, Área do Oceano Pacífico, 17 de março de 1945, 15 de agosto de 1945 a 25 de junho de 1946, 19 de novembro de 1991-presente

Componentes

  • 2 Esquadrão de Lançamento Espacial: 19 de novembro de 1991 a 1 de dezembro de 2003
  • 4 Esquadrão de Lançamento Espacial: 15 de abril de 1994-29 de junho de 1998
  • 21 Esquadrão de Bombardeio: 15 de janeiro de 1941-1 de novembro de 1943 (destacado, 9 de janeiro de 1942 a setembro de 1943)
  • 27 Esquadrão de Bombardeio: 15 de janeiro de 1941 a 20 de março de 1946
  • 38 Esquadrão de Bombardeio: 15 de janeiro de 1941 a 20 de março de 1946
  • 392 Esquadrão de Bombardeio: anexado em 15 de janeiro de 1941-21 de abril de 1942, atribuído em 22 de abril de 1942 a 30 de novembro de 1945
  • Esquadrão de Bombardeio 819: 11 de outubro de 1943 a 30 de novembro de 1945

Estações

    , Califórnia, 15 de janeiro de 1941, Louisiana, c. 7 de junho de 1941, Califórnia, 14 de dezembro de 1941, Califórnia, 7 de fevereiro de 1942-28 de setembro de 1943, Havaí (Território), 20 de outubro de 1943, Nanumea, Ilhas Gilbert, 12 de novembro de 1943, Abemama, Ilhas Gilbert, 4 de janeiro de 1944
    , Kwajalein, Ilhas Marshall, c. 20 de março de 1944, Saipan, Ilhas Marianas, 4 de agosto de 1944, Havaí (Território), 17 de março de 1945
  • Campo de Kahuku, Havaí (Território), 29 de setembro de 1945, Havaí (Território), Fev -25 de junho de 1946, Califórnia, 19 de novembro de 1991-presente

Aeronaves e mísseis

  • YB-17, 1941
  • B-18, 1941-1942
  • A-29, 1941-1942
  • LB-30, 1941, 1942
  • B-25, 1942
  • B-24, 1942-1946
  • Atlas Missile, 1990-1995
  • UH-1, 1993-2007
  • Míssil Titan II, 1997-1999, 2002-2003
  • Titan IV Missile, 1995-1997, 1999-2003
  • Atlas II Missile, 2000-2003
  • Míssil Delta II, 2000-2003
  • Pegasus Missile, 2000-2003
  • Míssil Minuteman III, 2000-2003
  • Míssil Minotauro I, 2000-2003

Operações

Patrulhou a costa oeste, 1942-1943, enquanto treinava equipes para outras unidades.

Começou as operações no Pacífico em novembro de 1943. Instalações inimigas atacadas nas Ilhas Gilbert em apoio à invasão dos EUA invadiram campos de aviação inimigos em Marshalls para impedir o lançamento de aviões japoneses contra Tarawa. De janeiro a março de 1944, instalações bombardeadas nos Marshalls em preparação para sua ocupação. Durante abril-julho, invadiram aeródromos e instalações da marinha nas Ilhas Truk para mantê-los neutralizados durante o ataque dos EUA às Marianas, que também bombardearam Wake, Guam e Saipan. De agosto de 1944 até os Estados Unidos tomarem Iwo Jima no início de 1945, o grupo atacou aeródromos e navios nas ilhas Bonin e Vulcão e atingiu as ilhas contornadas nas Carolinas e Marianas até março de 1945, quando o grupo retornou ao Havaí para patrulhas de rotina e treinamento até a desativação .

Missões de busca, resgate e recuperação na área de Vandenberg AFB, CA, 1993-. Lançados satélites meteorológicos e de vigilância na órbita polar da Terra, 1990-. Lançado o primeiro míssil interceptor no programa Ground-Based Midcourse Defense (GMD), setembro de 2006. Aviadores enviados em todo o mundo para cumprir os compromissos nacionais, 2005-.


Etiqueta: 477º Grupo de Bombardeio

Registro no Freeman Field em 1944, cortesia dos Arquivos do Estado de Indiana.

Em 1945, no Freeman Field, oficiais do African American 477th Bombardment Group desafiaram a exclusão ilegal de negros do oficial & # 8217 club, resultando em sua prisão. O levante imediatamente chamou a atenção do Departamento de Guerra, NAACP e de legisladores como o senador Arthur H. Vandenberg. A recusa de mais de 100 oficiais negros & # 8217s em cumprir as políticas & # 8220Jim Crow & # 8221 sublinhou a pressão mais ampla pelos direitos civis na era da Segunda Guerra Mundial.

O envolvimento dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial expôs a grande disparidade entre a luta pela liberdade no exterior e o tratamento dos afro-americanos em casa. Em 1945, The Pittsburgh Courier alegou que era difícil entender como o governo do presidente Harry S. Truman & # 8217s & # 8220 pode alegar que está iniciando uma guerra para levar a democracia a todo o mundo quando não vai cumprir suas próprias ordens, supostamente estabelecendo a democracia em seu próprio país. & # 8221 Da mesma forma, o empresário Hoosier e candidato presidencial republicano Wendell Willkie expressou preocupação com o tratamento dispensado aos afro-americanos nas Forças Armadas. Em seu artigo de 1944 "Citizens of Negro Blood" para Collier’s Revista, Willkie afirmou que a Segunda Guerra Mundial “nos tornou conscientes das contradições entre nosso tratamento de nossa minoria negra e os ideais pelos quais lutamos. O tratamento equitativo das minorias raciais na América é fundamental para nossa chance de uma paz justa e duradoura. ” Roberta West Nicholson, legisladora do estado de Indiana e nora da autora de Hoosier Meredith Nicholson, trabalhou com o Centro de Militares de Indianápolis durante a Segunda Guerra Mundial e observou o mesmo tipo de discriminação no Camp Atterbury. Ela lutou com sucesso pelos direitos dos militares negros & # 8217s de utilizar exatamente as mesmas comodidades e instalações recreativas que seus colegas brancos, lamentando & # 8220. É difícil de acreditar, mas isso é verdade porque o próprio Exército era segregado. & # 8221

Indianapolis Recorder, 7 de abril de 1945, acessado Hoosier State Chronicles.

A discriminação forçou os afro-americanos a lutar para até mesmo serem admitidos no Army Air Corps, que era uma organização exclusivamente branca até o final dos anos 1930. De acordo com James Allison & # 8217s & # 8220Mutiny at Freeman Field & # 8221, com a eclosão da guerra global, o Exército revisou sua política e recrutou unidades negras, mas as manteve segregadas das contrapartes brancas. O Air Corps patrocinou escolas de voo para afro-americanos devido à pressão dos líderes do Congresso e da NAACP, mas não aceitou nenhum de seus graduados, apesar de registros exemplares. Allison observou que & # 8220As pressões contrárias de políticos que buscam o voto negro e negros empreendedores que ameaçaram processar resultaram na decisão do Air Corps de formar um esquadrão de caças afro-americano & # 8221 em 1941. O esquadrão, denominado & # 8220Tuskegee Airmen, & # 8221 foi treinado no Alabama & # 8217s Tuskegee Field e produziu um recorde de combate formidável.

Ao contrário do esquadrão Tuskegee, o 477º Grupo de Bombardeio foi treinado em uma base em Seymour, Indiana, que incluía soldados brancos. O grupo foi estabelecido pela primeira vez em Selfridge Field, perto de Detroit, sob o comando do oficial branco coronel Robert W. Selway. O grupo foi transferido para o Kentucky & # 8217s Godman Field como resultado de tensões raciais e protestos semelhantes aos que ocorreram posteriormente em Freeman Field. O 477º foi então transferido para a base aérea do Freeman Field em março de 1945 para treinar com melhores instalações. o Gravador de Indianápolis observou em abril que:

A chegada do grupo aqui estimulou a hostilidade aberta por parte dos comerciantes da cidade vizinha de Seymour. . . A maioria dos comerciantes anunciou que não forneceria nenhum serviço ou venderia mercadorias para os recém-chegados ao Freeman Field. Moradores negros de Seymour, menos de 100, estão se esforçando bravamente para atender às necessidades dos soldados.

Aeroporto de Freeman Field e Campo Industrial, 1947, Indiana Historical Society, Digital Images Collection.

Esses homens, muitos dos quais receberam a Distinguished Flying Cross e Purple Heart, enfrentaram discriminação racial por parte de militares brancos em Freeman Field. Poucas coisas mudaram em relação ao tratamento deles desde a Primeira Guerra Mundial, durante a qual a empresária afro-americana Madame C.J. Walker e seus agentes de vendas escreveram uma carta ao presidente Woodrow Wilson condenando oficialmente os maus-tratos às tropas negras. De acordo com Gravador, Oficiais afro-americanos em Freeman tiveram sua entrada negada nas quadras de tênis, na piscina e no clube de oficiais afro-americanos da base aérea & # 8217s após as 17h00. pelo oficial Selway, que criou uma classificação & # 8220 superficial que os impedia de desfrutar das instalações estabelecidas para o pessoal comissionado. & # 8221 Esta classificação violava o Regulamento do Exército 210-10, que proibia a segregação racial de oficiais em acampamentos do exército. Segundo Allison, policiais negros se mobilizaram para desafiar a ação discriminatória, reunindo-se em hangares para planejar um protesto pacífico.

Em 5 de abril de 1945, Selway soube do plano e ordenou que um policial reitor guardasse o clube e rejeitasse soldados negros. No final da noite, 61 policiais foram presos por tentativa de entrada no clube, três dos quais enfrentaram um júri em julho por & # 8220 empurrar um marechal do reitor [sic]. & # 8221 Nos dias 7 e 8, mais policiais foram presos por tentativa de entrada no clube. Em um movimento que poderia institucionalizar ainda mais a segregação, Selway pressionou os oficiais negros a & # 8220 assinar uma declaração que atestasse seu entendimento da ordem que havia estabelecido um clube para estagiários e outro para pessoal de supervisão & # 8221 (Allison). Os oficiais leram um Artigo de Guerra ameaçando de morte por não obedecerem ao comando e, em seguida, emitiram uma ordem direta para assinar. Sem se deixar abater, 101 policiais se recusaram a assinar e foram posteriormente presos e enviados de volta para Godman Field. De acordo com a historiadora Emma Lou Thornbrough, um comandante de um posto da Legião negra americana local afirmou que & # 8220Os negros devem travar duas guerras - uma contra os poderes do Eixo, a outra pela cidadania plena em casa. & # 8221 Os oficiais do Freeman Field fizeram exatamente isso.

Oficiais, Tuskegee Army Air Field, Alabama, por volta de março de 1945, Clanin Collection, M0783, Box 3, Folder 68, Indiana Historical Society.

O primeiro-tenente Quentin P. Smith estava entre aqueles que se recusaram a assinar e chamaram de volta & # 8220 & # 8216Eu pensei, & # 8216Oh meu Deus, isso não pode estar acontecendo. . . Ele me deu uma ordem direta para assinar. Eu tinha terminado a faculdade e tudo o que precisava fazer era apenas permanecer vivo e serei um general. Eu não tinha voz na época '& # 8221 (1992, Merrillville Times) Depois de se recusar a assinar, ele foi escoltado até o quartel sob a mira de uma arma e mantido sob prisão por 12 dias. Em um documento endossado por Smith em 25 de abril, ele sustentou & # 8220O regulamento citado apareceu e ainda parece ser um & # 8216Jim Crow & # 8217 regulamento & # 8221 e que ele:

não poderia, e não consigo entender como os Oficiais Médicos qualificados como Cirurgiões de Voo e tendo concluído todo o treinamento médico exigido do Exército e tendo completado anos de prática médica privada poderiam ter sido classificados como pessoal de & # 8216trainee & # 8217, a menos que a distinção fosse exclusivamente de cor.

Ele acrescentou que deseja indicar & # 8220 sua crença inabalável de que o preconceito racial é fascista, não americano e diretamente contrário às idéias pelas quais ele está disposto a lutar e morrer. & # 8221

Quentin P. Smith (centro) com graduados de honra da Classe 45-A, Campo Aéreo do Exército de Tuskegee, Alabama, por volta de março de 1945, Coleção Clanin, M0783, Caixa 3, Pasta 68, Sociedade Histórica de Indiana.

o Gravador relatou que & # 8220A prisão em massa que é considerada sem precedentes na história do Exército gerou um alvoroço neste posto e interrompeu todo o programa de treinamento do 477º grupo de Bombardeio. & # 8221 No dia 26, parecia que o levante estava começando para influenciar a política do Exército, como o jornal observou que & # 8220Oficiais do Bureau de Regulamentações Públicas do departamento em Washington admitiram que mudanças importantes estão sendo consideradas como resultado de uma investigação das condições em torno do & # 8221 incidente. Em 28 de abril, The Pittsburgh Courier pediu a libertação imediata e & # 8220retorno ao dever & # 8221 dos homens presos e que & # 8220Tudo menos será uma farsa na justiça. & # 8221

Repreensão administrativa de Smith por Selway, cortesia de Clanin Collection, M0783, Box 38, Folder 3, Indiana Historical Society. Roger C. Terry, cortesia de indianamilitary.org

Após o clamor público e os esforços da NAACP, todos foram libertados e servidos com uma reprimenda administrativa, com exceção de três homens. o Gravador observou em 30 de junho que Selway havia sido substituído pelo coronel B.O. Davis Jr. No entanto, os três homens presos por & # 8220jostling & # 8221 um oficial continuaram confinados e foram proibidos de obter advogado. Em julho, um júri absolveu o tenente Marsden A. Thompson e o tenente Shirley R. Clinton de & # 8220disobediência de ordem direta & # 8221 junto com o tenente Roger C. Terry, embora ele tenha sido considerado culpado de & # 8220jostling & # 8221 um oficial e forçado a pagar $ 150. Em 1995, a Força Aérea anulou a condenação de Terry & # 8217s. Em um Estrela de Indianápolis artigo, Terry declarou que isso removeu o peso que ele carregava desde a provação e que & # 8220O que saiu das minhas costas foi que todo o meu ódio foi embora. Tudo isso. & # 8221

Embora seus registros militares tenham permanecido manchados até a década de 1990, os protestos não violentos, bem como a violência contra soldados negros que retornaram, provavelmente influenciaram a decisão do presidente Truman & # 8217 de dessegregar as forças armadas em 26 de julho de 1948. Ao negar a condenação de Terry & # 8217s, o ex-secretário assistente da Força Aérea concluiu que o motim de Freeman foi crucial para a integração militar e um & # 8220 & # 8216 passo gigante para a igualdade. '& # 8221


DOE PARA AS UNIDADES GOFUNDME AQUI

O 307º Grupo de Bombardeios fazia parte da 13ª Força Aérea e consistia nos 370º, 371º, 372º e 424º Esquadrões. O grupo ficou conhecido como "The Long Rangers" devido às suas múltiplas distâncias recordes voadas para suas missões de combate, que incluíam: Wake, Rabaul, Truk, Yap, Palau, Balikpapan, Borneo, (o Ploesti do leste) e as Filipinas.

Muitas das missões duraram mais de 17 horas de ida e volta sem escolta por vastas extensões do Oceano Pacífico. Este site foi criado para preservar e documentar a história do 307º Grupo de Bombardeios.


Seu legado não deve ser armazenado em um sótão ou garagem, onde pode ser perdido ou danificado. Peça a seus filhos, netos e até bisnetos que participem desse esforço para preservar sua história.


30º Grupo de Bombardeio

Tópicos Este marcador histórico está listado nestas listas de tópicos: Air & Space & bull Patriots & Patriotism & bull War, World II. Um ano histórico significativo para esta entrada é 1942.

Localização. 39 & deg 46.736 & # 8242 N, 84 & deg 6.775 & # 8242 W. Marker está na Base Aérea Wright-Patterson, Ohio, no condado de Montgomery. Marker (Memorial # 059) está no Memorial Park do Museu Nacional da Força Aérea dos Estados Unidos, com acesso ao museu pela Springfield Street. Toque para ver o mapa. O marcador está neste endereço postal ou próximo a este: 1100 Spaatz Street, Dayton OH 45433, Estados Unidos da América. Toque para obter instruções.

Outros marcadores próximos. Pelo menos 8 outros marcadores estão a uma curta distância deste marcador. 461º Grupo de Bombardeiros (H) (aqui, ao lado deste marcador) 339º Esquadrão de Caça (a poucos passos deste marcador) Boy Scouts of America Liberty and Freedom Memorial (a poucos passos deste marcador) 89º Grupo de Transporte de Tropas (a poucos passos de este marcador) 312º Grupo de Bombardeio (alguns passos deste marcador) 463º Grupo de Bombardeio (H) (alguns passos deste marcador) Bombardeiros da Segunda Guerra Mundial (alguns passos deste marcador) 450º Grupo de Bombardeio (H) (alguns passos deste marcador). Toque para obter uma lista e um mapa de todos os marcadores na Base da Força Aérea de Wright-Patterson.


Conteúdo

Em 8 de setembro de 1986, a Sétima Força Aérea foi ativada na Base Aérea de Osan na Coréia do Sul e assumiu a missão de manter o frágil armistício na península coreana anteriormente executado pela 314ª Divisão Aérea.

Desde então, tanto como Força Aérea dos EUA da Coreia, sob as Forças Conjuntas dos EUA da Coreia, e como componente da Força Aérea dos EUA para o Comando do Componente Aéreo do Comando das Forças Combinadas dos Estados Unidos e da República da Coreia, 7 AF tem sido parte integrante da dissuasão da agressão do Norte Coréia. Ele desenvolve a campanha aérea total e os planos de reforço para a defesa ROK e mantém a prontidão para a missão de 117 unidades operacionais e 8.300 membros da Força Aérea dos EUA.

Opera em conjunto com o Comando dos Estados Unidos do Pacífico (USPACOM), o Comando das Nações Unidas, as Forças dos EUA, o Comando das Forças Coreanas / Combinadas e as Forças dos Estados Unidos da Coreia (USFK).

As unidades principais da Sétima Força Aérea são:

Unidades não voadoras (Base Aérea de Osan)

  • 607º Centro de Operações Aéreas e Espaciais
  • 607º Grupo de Apoio Aéreo
  • 607º Grupo de Operações de Apoio Aéreo
  • 607º Grupo de Apoio

Editar origens

Formação da Força Aérea Havaiana Editar

O Exército dos Estados Unidos Departamento Havaiano foi criada em 6 de fevereiro de 1913, que estabeleceu formalmente a presença do Exército no Território do Havaí. A história da Sétima Força Aérea pode ser rastreada até a chegada do 6º Esquadrão Aeronáutico, Seção de Aviação, Corpo de Sinalização do Exército, no Forte Kamehameha, Havaí em 13 de março de 1917 sob o Air Office, Departamento do Havaí, que foi estabelecido em 1916.

Os aviões atribuídos ao 6º Esquadrão Aeronáutico consistiam em três hidroaviões Curtiss N-9, que eram biplanos monomotores com uma tripulação de duas pessoas e capazes de atingir uma velocidade máxima de 70 milhas por hora. No final de 1917, o governo dos EUA comprou Ford Island em Pearl Harbor para uso como aeroporto e, em setembro de 1918, o 6º Esquadrão Aeronáutico, então composto por dez oficiais e um pequeno grupo de soldados, mudou-se para Ford Island.

O primeiro voo entre as ilhas ocorreu em fevereiro de 1919 e em 1920 os voos entre as ilhas eram usados ​​para fins de treinamento. No início de 1920, o 4º Esquadrão de Observação chegou a Ford Island, conhecido na época como Luke Field, em homenagem ao "destruidor de balões" Frank Luke, que caiu em ação durante a Primeira Guerra Mundial na Frente Ocidental em 1918. Também nessa época, Luke Field estava utilizado em conjunto pelas forças aéreas do Exército e da Marinha. O ano de 1920 marcou um avanço considerável da aviação nas Ilhas. O primeiro vôo noturno sobre Oahu ocorreu em 30 de junho de 1920.

Também o poder aéreo começou a ocupar seu lugar nas manobras militares do Departamento Havaiano. Uma seção de fotos aéreas se juntou a outras unidades aéreas que o 23º Esquadrão de Bombardeio mudou para Luke de March Field, Califórnia em 25 de janeiro de 1923, e o 72º Esquadrão de Bombardeio foi ativado em Luke em 1º de maio de 1923.

O primeiro destacamento de vinte homens começou a limpar a terra ao sul de Schofield Barracks para Wheeler Field em fevereiro de 1922. Este campo foi nomeado para o Major Sheldon H. Wheeler, que assumiu o comando do Luke Field em 1920 e morreu em um acidente aéreo em 1921. Em junho de 1923, Wheeler ostentava seis hangares de 112 x 200 pés, três usados ​​para lojas de habitação e três outros para aviões, além de quatro hangares usados ​​como armazéns e tanques de armazenamento de óleo com capacidade para 50.000 galões. Tendas e cabanas abrigavam os homens. O primeiro comandante do Wheeler Field foi o major George E. Stratemeyer, que em 1941 era general de brigada e chefe interino do Corpo de Aviação do Exército.

O primeiro reflorestamento conhecido por avião foi realizado para o Departamento de Agricultura por um avião de Wheeler em 1926. O primeiro vôo havaiano sem escalas de Oakland, Califórnia para Wheeler Field foi feito em junho de 1927 por L.J. Maitland e A.F. Hegenberger. (O comandante da Marinha John Rodgers havia estabelecido um recorde de hidroavião sem escalas em São Francisco em 1925 e não atingiu a marca de Honolulu, pousando na Ilha de Kauai), o famoso vôo Dole também ocorreu em 1927, com Art Goebel e Tenente WV Davis, USN, os únicos pilotos que completam o vôo para o Havaí.

Durante o período de 1917 a 1931, o componente aéreo militar no Havaí cresceu para sete esquadrões táticos e dois esquadrões de serviço. Em 1931, a 18ª Ala Composta foi ativada com sede em Fort Shafter e combinada com o Escritório Aéreo do Departamento do Havaí. O Hawaiian Air Depot era baseado em Luke Field. Uma vez que a Marinha contemplou usar toda a área disponível em Ford Island, os planos de compra de terras adjacentes a Pearl Harbor perto de Fort Kamehameha para a construção de um campo de aviação resultaram na compra pelo Exército dos EUA em 20 de fevereiro de 1935 dessas terras de Faxon Bishop et al. por US $ 1.091

O Campo de Hickam foi inaugurado em 31 de maio de 1935, em homenagem ao Tenente Coronel Horace M. Hickam, C.O. 3º Grupo de Ataque, morto em 5 de novembro de 1934 em Ft. Crockett, Texas. O primeiro destacamento de 12 homens (o 31º Esquadrão de Bombardeios) chegou a Hickam em 1º de setembro de 1937 e foi alojado em tendas. Em setembro de 1938, quando a base foi oficialmente ativada, o Hawaiian Air Depot começou a se mover de Luke Field. A mudança foi concluída em 31 de outubro de 1940.

Em 1 de novembro de 1940, o Força Aérea Havaiana foi estabelecido como parte do programa geral de expansão do Corpo Aéreo do Exército dos Estados Unidos de 1939/1940. Foi organizado e ativado com sede em Fort Shafter - as primeiras Forças Aéreas do Exército fora do território continental dos Estados Unidos - movendo-se para Hickam em julho de 1941. Consistia em dois comandos de base aérea:

    Anteriormente, 18ª Asa Composto (B-10's) em Hickam Field Ativada em 1º de novembro de 1940 (P-26's) em Wheeler Field

A força das aeronaves no início do ano de 1941 consistia em 117 aviões, a maioria obsoletos. Em conexão com os planos de defesa para o Pacífico, aviões foram trazidos para o Havaí ao longo de 1941 (principalmente P-36 e P-40) por porta-aviões. O primeiro vôo em massa de bombardeiros do Exército (21 B-17 Flying Fortresses) de Hamilton Field, Califórnia, chegou a Hickam em 13 de maio de 1941. Nove dos 21 bombardeiros foram enviados a Clark Field em setembro para iniciar um reforço tardio do Departamento das Filipinas . Em 7 de dezembro de 1941, a Força Aérea Havaiana havia sido um comando integrado por pouco mais de um ano sob o comando do Major General Frederick L. Martin, e consistia em 754 oficiais e 6.706 homens alistados com 231 aeronaves militares.

Ordem da Batalha, 6 de dezembro de 1941 Editar

Um dia antes do Ataque Japonês ao Havaí e subsequente entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, a Força Aérea Havaiana consistia no seguinte:

Os esquadrões B-17 foram equipados com uma mistura dos modelos B-17B, B-17C e B-17D. As unidades adicionais atribuídas à Força Aérea Havaiana em 6 de dezembro de 1941 foram:

Além das unidades acima, durante a noite de 6-7 de dezembro de 1941, outro esquadrão, o 38º Esquadrão de Reconhecimento do 41º Grupo de Bombardeio, Campo Davis-Monthan, Arizona, estava a caminho do Havaí com quatro B-17Cs e dois B -17Es para reforçar a 18ª Asa de Bombardeio.

Além disso, seis B-17Es do 88º Esquadrão de Reconhecimento, 7º Grupo de Bombardeio, também estavam a caminho do Havaí de Hamilton Field, Califórnia, com destino final em Clark Field, Luzon, Filipinas.

Essas unidades estavam sendo implantadas devido ao aumento das tensões entre os Estados Unidos e o Império do Japão. Eles chegaram ao Havaí no auge do ataque em 7 de dezembro (os operadores de radar erroneamente pensaram que a força de ataque japonesa era este vôo chegando da Califórnia). Dois dos B-17Es conseguiram pousar em uma curta pista de caça em Haleiwa, um B-17E pousou em um campo de golfe, um pousou em Bellows Field e cinco B-17Cs e três B-17Es pousaram em Hickam sob o bombardeio de Aviões japoneses.

Edição da Segunda Guerra Mundial

Edição de ataque a Pearl Harbor

O ataque a Pearl Harbor ou Operação Havaí, como foi chamado pelo Quartel General Imperial Japonês, devastou a Força Aérea Havaiana. O total de baixas da Força Aérea durante o ataque japonês em 7 de dezembro foi de 163 mortos. 43 desaparecidos e 336 feridos, dos quais 121 mortos, 37 desaparecidos e 274 feridos estavam no Campo de Hickam. De um total de 231 aeronaves da Força Aérea Havaiana, 64 foram destruídos e não mais do que 79 foram deixados em uso. Alguns caças foram embaralhados e conseguiram enfrentar aeronaves japonesas.

Sétima Força Aérea Editar

Em 5 de fevereiro de 1942, a Força Aérea Havaiana foi redesignada 7ª Força Aérea.

    substituiu a 18ª Asa de Bombardeio substituiu a 14ª Asa de Perseguição
  • O VII Comando da Base assumiu a responsabilidade por várias funções de base e serviço, junto com o Hawaiian Air Depot. O VII Comando da Base da Força Aérea tornou-se o VII Comando da Força Aérea sob o Brig. General Walter J. Reed em 15 de outubro de 1942. [3]

o 7ª Força Aérea foi redesignado Sétima Força Aérea em 18 de setembro de 1942

O reequipamento do comando após o ataque japonês a Oahu levou um tempo significativo. A Sétima Força Aérea reequipada consistia nas seguintes unidades:

VII COMANDO DE LUTADOR GRUPOS DE LUTADORES GRUPOS DE BOMBAS DIVERSOS
548th Night Fighter Squadron (Northrop P-61 Black Widow) 15º Grupo de Caças 5º Grupo de Bombardeio (Boeing B-17 Flying Fortress / Consolidated B-24 Liberator) 28º Esquadrão de Reconhecimento de Foto (Lockheed F-5B Lightning)
549th Night Fighter Squadron (Northrop P-61 Black Widow) 18º Grupo de Caças 11º Grupo de Bombardeio (Consolidated B-24 Liberator) 9º Esquadrão de Transporte de Tropas (Douglas C-47 Skytrain / Curtiss C-46 Comando)
21º Grupo de Caças 30º Grupo de Bombardeio (Consolidated B-24 Liberator) Esquadrão de Ligação 163d (Stinson L-5 Sentinel)
318º Grupo de Caças 41º Grupo de Bombardeio (norte-americano B-25 Mitchell) 41º Esquadrão de Reconhecimento de Fotos (Lockheed F-5 Lightning)
508º Grupo de Caças 307º Grupo de Bombardeio (Boeing B-17 Flying Fortress / Consolidated B-24 Liberator)
319º Grupo de Bombardeio (Douglas A-26 Invader)

No Havaí, a Sétima Força Aérea usou os seguintes campos de aviação militares. Alguns eram operados exclusivamente pela AAF, outros eram usados ​​em conjunto com a Marinha dos Estados Unidos. Imagens de guerra desses campos de aviação estão ligadas aos seus nomes, já que a maioria deles eram campos de pouso de instalações mínimas.

Editar operações de guerra

A Sétima Força Aérea manteve a missão de seu antecessor de defesa das Ilhas Havaianas e, até os meses finais da guerra, manteve seu quartel-general no Campo de Hickam. Clarence L. Tinker, um Osage e oficial de carreira, foi nomeado Comandante da Sétima Força Aérea e promovido a Major General em janeiro de 1942, o primeiro nativo americano a atingir esse posto e o mais graduado do Exército. Ele liderou uma força de B-24s durante a Batalha de Midway, e seu avião caiu em junho de 1942. Nenhum corpo foi recuperado.

No Havaí, o comando cresceu em uma posição-chave na organização logística da guerra do Pacífico. Um dos maiores elementos dessa organização era o Hawaiian Air Depot em Hickam, que servia como centro de abastecimento, reparo e modificação em trânsito para unidades de força espalhadas por todo o caminho até a Austrália. O Air Depot teve de expandir suas atividades, que em tempos de paz incluíam montagem, reparo e recondicionamento de aeronaves, para lidar com um grande número de P-39s e P-40s. Estes foram transportados em caixotes para montagem, teste de voo e entrega a unidades de combate desdobradas para a frente.

A Sétima Força Aérea também se tornou o centro da rede aérea do Pacífico. Além das funções de Depósito, ele apoiava o transporte de 4 motores para todos os climas, usado no transporte de tropas, suprimentos e na evacuação de feridos das áreas avançadas. Esses aviões de transporte estavam sob o comando da Divisão do Pacífico, Comando de Transporte Aéreo. O comando também desempenhou um papel importante durante a Guerra do Pacífico como centro de treinamento, preparação e abastecimento de tropas aéreas e terrestres.

O comando desdobrou a maioria de suas unidades de combate no Pacífico Central, onde as operações foram melhor resumidas por suas vistas do ar e do solo como "Apenas uma maldita ilha após a outra!"

Unidades da Sétima Força Aérea desdobradas 2.000 milhas a sudoeste das Ilhas Gilbert, a seguir 600 milhas a noroeste das Ilhas Marshall, 900 milhas a oeste das Ilhas Caroline, 600 milhas a noroeste das Ilhas Marianas, 600 milhas ao norte de Iwo Jima, 1.000 milhas a oeste de Okinawa , sempre se aproximando do centro do poder japonês. Uma história de mapa da Sétima Força Aérea cobriria 3.000 milhas ao norte e ao sul de Midway Atoll até Fiji, e 5.000 milhas a leste e oeste de Pearl Harbor ao Ryukus. O registro de combate de suas unidades principais é o seguinte:

  • O 15º Grupo de Caças foi reequipado após o ataque a Pearl Harbor e permaneceu no Havaí como parte da Força de Defesa Havaiana, embora esquadrões rotacionados para o Pacífico Central anexados aos grupos da Décima Terceira Força Aérea. Em abril de 1944, recebeu caças norte-americanos P-51 Mustang e foi treinado para missões de escolta de bombardeiros de longo alcance. O grupo foi implantado em Iwo Jima em fevereiro de 1945 e foi transferido para a Vigésima Força Aérea pelo resto da guerra. Em novembro de 1945, ele retornou ao Havaí e à Sétima Força Aérea em novembro de 1945.
  • A 18ª Ala de Caça foi reequipada após o ataque a Pearl Harbor, então foi implantada no Pacífico Central e reatribuída para a Décima Terceira Força Aérea. Começou as operações a partir de Guadalcanal. Movendo-se pelo Pacífico, no final da guerra, o grupo mudou-se para Clark Field em Luzon e tornou-se uma parte permanente das Forças Aéreas do Extremo Oriente após a guerra.
  • O 21º Grupo de Caças foi criado no Havaí em março de 1944 e inicialmente fazia parte da Força de Defesa do Havaí pilotando o Bell P-39 Airacobras. Re-equipado com P-51 Mustangs em janeiro de 1945 e treinado para missões de escolta de bombardeiros de longo alcance. O grupo foi implantado em Iwo Jima em fevereiro de 1945. Foi transferido para a Vigésima Força Aérea pelo resto da guerra, sendo desativado em Guam em abril de 1946.
  • O 318º Grupo de Caças foi criado no Havaí em maio de 1942 como parte da Força de Defesa Havaiana, voando P-39s, P-40s e, posteriormente, Republic P-47 Thunderbolts. Desdobrado no Pacífico Central sendo anexado à Décima Terceira Força Aérea em junho de 1944. Transferido para a Oitava Força Aérea em julho de 1945, em preparação para a Invasão do Japão. Retornou aos Estados Unidos em janeiro de 1946 e foi desativado.
  • O 508º Grupo de Caças foi criado em 12 de outubro de 1944 em Peterson Field, Colorado. O grupo treinou com P-47 Thunderbolts para fornecer escolta de longo alcance para unidades de bombardeio do Boeing B-29 Superfortress no Southwest Pacific Theatre. A falta de uma defesa de caça japonesa significativa no final de 1944 causou uma mudança de missão e o grupo foi transferido para a Sétima Força Aérea no Havaí em janeiro de 1945 e serviu como parte da Força de Defesa Havaiana. No Havaí, o grupo também treinou pilotos substitutos para outras organizações, reparou P-47s e P-51s recebidos de unidades de combate e transportou aeronaves para áreas avançadas. The unit was inactivated in Hawaii on 25 November 1945 when it replaced by the 15th Fighter Group.
  • The 5th Bombardment Group was re-equipped after the Pearl Harbor attack with a mixture of B-17 Flying Fortresses and Consolidated B-24 Liberator bombers. The unit was engaged primarily in search and patrol missions off Hawaii from December 1941 to November 1942. In Hawaii, the group was used in the Battle of Midway to attack Japanese surface fleets. It was deployed to Espírito Santo in the Solomon Islands and served in combat with Thirteenth Air Force during the Allied drive from the Solomons to the Philippines. It was assigned to the Philippines in 1945 till the end of the war.
  • The 11th Bombardment Group was re-equipped after the Pearl Harbor attack with B-24 Liberators and initially flew patrol missions around Hawaii. It was deployed to the New Hebrides in July 1942 where it became part of Thirteenth Air Force and engaged in combat operations in the central Pacific.
  • The 30th Bombardment Group was reassigned to Seventh Air Force in October 1943 from March Field, California where it flew west coast antisubmarine patrols for Fourth Air Force. It was deployed to the Ellice Islands in the central Pacific during November 1943, where its B-24 Liberators took part in the invasion of the Gilbert Islands. Remaining part of Seventh Air Force, the group moved westward across the Pacific, taking part in several campaigns until returning to Wheeler Field, Hawaii in March 1945. From Wheeler, the group flew patrol missions until being inactivated in June 1946.
  • The 41st Bombardment Group was formed at March Field, California in January 1941 and performed antisubmarine patrols along the west coast until deploying to Seventh Air Force in Hawaii during October 1943 for final overseas training. From Hawaii, the group deployed its North American B-25 Mitchell medium bombers to Tarawa in the central Pacific in December 1943. Remaining as part of 7AF, the group took part in combat operations across the western Pacific as well as attacking targets on Taiwan and mainland China as well as the Japanese home islands. It was inactivated at Clark Field, Philippines on 27 January 1946.
  • The 307th Bombardment Group was reassigned to Seventh Air Force in October 1942 from Fourth Air Force, where it flew patrols off the west coast, first in B-17s and later in B-24s. In Hawaii, the group trained and flew patrol and search missions. Attacked Wake Island in December 1942 and January 1943, by staging through Midway Island. The group deployed to Guadalcanal in February 1943 and was assigned to Thirteenth Air Force. It served in combat, primarily in the Central and Southwest Pacific, until the war ended.
  • The 319th Bombardment Group was assigned to Seventh Air Force late in the war, after spending three years in combat with the Twelfth and Fifteenth Air Forces in the North African Campaign and Italian Campaign in the Mediterranean Theater. It joined Seventh Air Force in Okinawa flying Douglas A-26 Invaders during April 1945 and flew combat missions over China and the Japanese home islands. It returned to the United States in December 1945 where it was inactivated at Fort Lewis, Washington.

The Seventh Air Force along with Thirteenth Air Force in the Central Pacific and Fifth Air Force in Australia were assigned to the newly created United States Far East Air Forces (FEAF) on 3 August 1944. FEAF was subordinate to the U.S. Army Forces Far East and served as the headquarters of Allied Air Forces Southwest Pacific Area. By 1945, three numbered air forces—5th, 7th and 13th—were supporting operations in the Pacific. FEAF was the functional equivalent in the Pacific of the United States Strategic Air Forces (USSTAF) in the European Theater of Operations.

From mid-1944 to July 1945, the Seventh Air Force tried to prevent the Japanese air attacks on the Mariana Islands by attacking Iwo Jima and other Japanese-held islands and providing fighter protection for the Marianas. During the summer of 1945, the 15th Fighter Group (along with the 21st and 318th from the VII Fighter Command) were reassigned to the Twentieth Air Force. They continued fighter sweeps against Japanese airfields and other targets, in addition to flying long-range B-29 escort missions to Japanese cities, until the end of the war. In addition, effective 14 July 1945, the Seventh Air Force command echelon was moved to Okinawa, Ryukyu Islands, and assigned to United States Far East Air Force. VII Fighter Command remained attached to 20th Air Force until the end of the war.

Pacific Air Command Edit

On 1 January 1946, Seventh Air Force was reassigned without personnel or equipment to Hickam Field, Hawaii, where it resumed its prewar mission of defense of the Hawaiian Islands. In May 1946 the Hawaiian Air Depot assumed jurisdiction of Hickam Field.

On 15 December 1947, Seventh Air Force was re-designated Pacific Air Command (PACAIRCOM) and elevated to major command status. The Hawaiian Air Depot was re-designated Hawaiian Air Materiel Area (HAWAMA) both at Hickam. PACAIRCOM's mission was to oversee air defense and other operations in the Pacific Ocean area, of the Pacific Region from the Hawaiian Islands west to include Wake, Midway Atoll, the Mariana, Caroline, Solomon and Marshall Islands.

Pacific Air Command was discontinued effective 1 June 1949 as a result of a budgetary actions. Its mission, functions, responsibilities and command jurisdiction of installations and facilities transferred to the Pacific Division, Military Air Transport Service.

Edição da Guerra Fria

During the Korean War, and the years following, Hawaii again became the hub of trans-Pacific military air activity. On March 1954, the Joint Chiefs of Staff directed that Pacific Air Force be established. This unit came into being on 1 July 1954, the primary mission being to serve as the USAF component on the staff of the Commander-in-Chief Pacific (CINCPAC). Responsibilities included preparation of plans to support CINCPAC and allied operations. For purely Air Force matters, the new command was placed under the command of Far East Air Forces Headquarters located in Japan. That headquarters completed its move to Hickam on 1 July 1957, its designation being changed to Pacific Air Forces.

With the reactivation of Pacific Air Force, Seventh Air Force was reactivated on 5 January 1955 at Hickam AFB. It was assigned to Pacific Air Force (later, Pacific Air Force/FEAF [Rear]) and transferred to Wheeler AFB, Hawaii, in March 1955.

Seventh Air Force oversaw Pacific Air Force's area of responsibility east of 140 degrees east longitude, including the Hawaiian Islands. Seventh was also responsible for the air defense of the islands. However, the movement of United States Far East Air Force (renamed Pacific Air Forces) from Japan to Hawaii led to the inactivation of Seventh Air Force on 1 July 1957.


30th Bombardment Group B-24 Liberators at Kwajalein Airfield, Kwajalein, Marshall Islands, 1944

For additional history and lineage, see 30th Space Wing

Patrolled west coast, 1942–1943, while training crews for other units.

Began operations in the Pacific in November 1943. Attacked enemy installations on the Gilbert Islands in support of U.S. invasion raided enemy airfields in the Marshalls to prevent Japanese airplanes launching against Tarawa. From January–March 1944, bombed installations in the Marshalls in preparation for their occupation. During April–Jul, raided airfields and navy facilities in the Truk Islands to keep them neutralized during the U.S. attack on the Marianas also bombed Wake, Guam, and Saipan. From August 1944 until the U.S. took Iwo Jima in early 1945, the group attacked airfields and shipping in the Bonin and Volcano Islands and hit bypassed islands in the Carolines and Marianas until March 1945, when group returned to Hawaii for routine patrols and training until inactivated.

Search, rescue, and recovery missions in area of Vandenberg AFB, CA, 1993–. Launched meteorological and surveillance satellites into polar earth orbit, 1990–. Launched first interceptor missile in Ground-based Midcourse Defense (GMD) program, September 2006. Deployed airmen worldwide to meet national commitments, 2005–.


WWII AAF Mission Report

I am trying to locate a &ldquoMission Report” of a single plane of the 7th AAF (raid on Puluwat Atoll 23 Apr 1944) that was referenced in CINCPAC Press Release No. 370 of 24 Apr 1944: "&hellipPuluwat Island was bombed before Dawn on April 23 by a single Seventh Army Air Force Liberator, &hellip" I have concluded it may have been a plane assigned to 7 th AAF, 30th Bombardment Group , 27th Bombardment Squadron.

I am a novice with identifying where records may be filed, but this description seems to fit: 18.7.1 Records of the Office of the Commanding General Textual Records: &hellip AAF World War II combat operations records ("Mission Reports"), consisting of narrative and statistical summaries, intelligence reports, field orders, loading lists, and other records, arranged by unit, 1941-46 (1,855 ft.) &hellip

I cannot determine who I contact to receive a copy. Alguém sabe?

Re: WWII AAF Mission Report
Ryan Bass 27.04.2017 11:27 (в ответ на Martha Collins)

Thank you for your History Hub question. The reference (18.7.1) is from our guide to federal records and it is a vague description of the records that we hold in our custody but does not actually lead to records. I have quickly checked both our finding aids and in our catalog for the Army Air Forces Mission Reports (Record Group 18 Entry (NM-6) 7A for records concerning the 27th Bomb Squadron and the 30th Bomb Group. Unfortunately, we do not have any records for 27th Bomb Squadron but we do have records for the 30th Bomb Group. The following files cover the time frame for the raid on Puluwat Atoll.

Two other useful places to look for information regarding bombing in the Pacific Theater would be the following two series:

RG 341 Entry (NM-215) 217: Military Intelligence Photographic Interpretation:https://catalog.archives.gov/id/654709

RG 243 Entry (I-10) 41: Pacific Survey Reports and Supporting Records, 1928-1947:https://catalog.archives.gov/id/561631

If you have any other questions or wish to order copies of these records please write to the Textual Reference Staff at the National Archives in College Park, MD since all of these records are located here. Their email is [email protected] .

Please note that you can only order three files at a time. Best of luck in your research!

Re: WWII AAF Mission Report
Megan Dwyre 28.04.2017 8:48 (в ответ на Martha Collins)

Officers of 30th Bombardment Group - History

Statistics for Group History

Number of Officers, 1 January 1944
Number of Enlisted Men, 1 January 1944
Number of Airplanes, 1 January 1944
Number of Officers, 31 January 1944
Number of Enlisted Men, 31 January 1944
Number of Airplanes, 31 January 1944
Number of flying hours for January 1944
Accidents in January 1944
221
1,265
19
396
647
40
4,142
1
ARNOLD E. LEDER
2nd Lt, AC,
Statistical Officer

486TH BOMBARDMENT GROUP (H)
História da Unidade

Period: 9 February 1944 to 29 February 1944

For the Officers and the Enlisted men of the 486th Bombardment Group (H) the month of February 1944, brought almost to final successful completion a task began last: September. The original nucleus of the Group, drawn from the anti-submarine Command in Miami, Florida, and augmented by officers and men sent into the groups while it was undergoing preliminary training at Tucson, had long ceased to operate as a new and therefore somewhat disorganized Air Corp. Unit. Preliminary training Tucson, special training for the key personnel at the Army Air Forces School of Applied Tactics at Orlando, Florida, and the relatively short but highly intensive three phases of training which the four squadrons of the Group had undergone, at Davis-Monthan Field Tucson, Ariz., had made each squadron of the Group an efficient unit, The efficiency of each Squadron coupled with close inter- squadron, co-operation was reflected in every phase of activity as the Big Day drew nearer -- the date that the 486 Group would be required to prove itself under this stiffest test of all -- Combat.

From a handful of officers and men, the Group had swollen to 396 officers, 1673 enlisted men including 75 combat crews and operating 46 airplanes by February 1,1944. On the 29

h of the same month, overages had been adjusted and vacancies filled and the Group morning reports were showing 380 officers, 1639 enlisted men, including 70, combat crews flying 77 airplanes. February was a month of intensive second and third phase training with 3370 hours being flown by the crews. The month was highlighted by to inspections. Colonel David Ellenger of the Inspector Generals Department, Washington, D. C. Headed an inspection party which carried out an inspection February 13,1944. Colonel R. L. Easton and party from the Office of the Field Inspector, Santa Anna, California, gave the Grouped its P.O.M, inspection. Careful clothing inspections were also carried out by each squadron with all personnel being instructed and checked out to clothing, which they would need.

The personal affairs of the men--wills, powers of attorney, pay cards, immunization records, etc., which have received careful attention in each orderly room since the group arrived at Tucson, again came in for a last careful check. A processing detail was formed in each squadron processed as a unit. This processing provided a last close check to assure unit commanding officers that the personnel records and affairs of all the members of their command were in good shape.

The group, despite the hundreds of hours flown and training, had flawless safety record until February 18 when planes collided in mid air, claiming 17 lives. This History attempts only to report the incident and the names of the casualties and makes no effort to determine the cause since that is the responsibility of a duly appointed Board of Officers. On the same day, the #2 engine of the plane piloted by Captain Roper caught fire in mid-the air but was landed without loss of life or serious injury. Captain Roper and crew are members of the 833rd Squadron while the two ships, which collided were carrying members of the 835th Squadron. The list of casualties of crewmembers follows:

Lt. Block, Albert J. Jr. 0-801419
Lt. Zellers, George W. 0-693446
Lt. Lieberman, Earle M. 0-703640
Lt. Poett, Robert J. 0-694942
Sgt. Drummond, Robert H.
Sgt. Bassett, William R.
Sgt. Dennis, Robert D.
Sgt. Chestnutt, Edward E.
Pfc. Hentgen, Robert E.
Sgt. Fanning, Harvey M.