'Ragtime' ganha o prêmio National Book Critics Circle Award

'Ragtime' ganha o prêmio National Book Critics Circle Award

Em 8 de janeiro de 1976, Ragtime por E.L. O livro trata das relações raciais dos anos 1920, mesclando personagens fictícios com figuras reais da época. O livro foi transformado em um filme de 1981 e um musical em 1997. O livro estabeleceu Doctorow como um grande romancista contemporâneo.

Doctorow nasceu em Nova York em 1931 e foi criado no Bronx. Leitor ávido, aos 9 anos decidiu se tornar escritor. Ele se formou no Kenyon College e depois estudou na Columbia. Ele trabalhou como balconista de reservas no aeroporto de La Guardia, depois se tornou editor de livros, chegando a editor-chefe da Dial Press aos 33 anos. Enquanto isso, ele estava escrevendo romances paralelamente. Ele publicou seu primeiro, Bem-vindo ao Hard Times, em 1960. O livro, sobre uma cidade de fronteira, recebeu pouca atenção, assim como seu próximo livro, Grande como a vida (1966). Em 1969, ele largou o emprego, mudou-se para a Califórnia com sua esposa e três filhos e começou a escrever em tempo integral. Seu romance de 1971, O Livro de Daniel, sobre a execução de 1953 de Julius e Ethel Rosenberg por espionagem, teve mais sucesso, e no próximo, Ragtime, tornou-se um best-seller.

Doctorow continuou escrevendo e começou a ensinar redação criativa na Sarah Lawrence e na NYU. Ele publicou vários romances nas décadas de 1980 e 90, incluindo uma história de gângster amadurecendo, Billy Bathgate (1989, filme 1991), e The Waterworks (1994), sobre a Nova York do século XIX. Ele morreu em 2015.

LEIA MAIS: The Roaring Twenties


O romance é centrado em uma família rica que mora em New Rochelle, Nova York, conhecida como pai, mãe, irmão mais novo da mãe, avô e "o menino", filho pequeno do pai e da mãe. A empresa familiar é a fabricação de bandeiras e fogos de artifício, uma fonte fácil de riqueza devido ao entusiasmo nacional pelas exibições patrióticas. Meu pai se junta à expedição de Robert Peary ao Pólo Norte, e seu retorno vê uma mudança em seu relacionamento com sua esposa, que experimentou a independência em sua ausência. O irmão mais novo da mãe é um gênio em explosivos e fogos de artifício, mas é um personagem inseguro e infeliz que persegue o amor e a emoção. Ele fica obcecado pela notória socialite Evelyn Nesbit, perseguindo-a e iniciando um breve e insatisfatório caso com ela.

Nessa configuração insegura vem uma criança negra abandonada, depois sua mãe gravemente deprimida, Sarah. Coalhouse Walker, o pai da criança, visita regularmente para conquistar o afeto de Sarah. Músico profissional, bem vestido e falante, ganha o respeito da família e supera o preconceito inicialmente tocando ragtime no piano. As coisas vão bem até que ele é humilhado por um corpo de bombeiros racista, liderado por Will Conklin, que vandaliza seu Ford Modelo T. Ele começa uma busca de reparação por meio de uma ação legal, mas descobre que não pode ter esperança de ganhar por causa do preconceito inerente ao sistema. Sarah é morta na tentativa de ajudá-lo, e Coalhouse usa o dinheiro que estava economizando para o casamento deles para pagar um funeral extravagante.

Tendo esgotado os recursos legais, Coalhouse começa a matar bombeiros e bombardeios de bombeiros para forçar a cidade a atender às suas demandas: que seu Modelo T seja restaurado à sua condição original e Conklin seja entregue a ele para a justiça. Mãe adota não oficialmente o filho negligenciado de Sarah e Coalhouse, apesar das objeções do pai, colocando pressão sobre o casamento deles. Com um grupo de jovens furiosos, todos os quais se autodenominam "Coalhouse Walker", Coalhouse continua sua campanha de vigilantes e se junta ao irmão mais novo, que traz seu conhecimento sobre explosivos. Coalhouse e sua gangue invadem a Biblioteca Morgan, tomando como refém a coleção inestimável e conectando o prédio com dinamite. Meu pai é atraído para o conflito crescente como mediador, assim como Booker T. Washington. Coalhouse concorda em trocar a vida de Conklin por uma passagem segura para seus homens, que partem em seu modelo restaurado T. Coalhouse é então baleado enquanto se entrega às autoridades.

Entrelaçada a esta história está uma representação da vida nas favelas da cidade de Nova York, focada em um imigrante do Leste Europeu conhecido como Tateh, que luta para sustentar a si mesmo e a sua filha depois de expulsar sua mãe por aceitar dinheiro para sexo com seu empregador . A beleza da garota chama a atenção de Evelyn Nesbit, que dá suporte financeiro. Quando Tateh descobre a identidade de Nesbit, no entanto, ele leva sua filha para fora da cidade.

Tateh é um artista talentoso e ganha a vida recortando novas silhuetas de papel na rua. Ele tenta trabalhar em uma fábrica, onde experimenta uma greve operária bem-sucedida, mas fica desiludido ao ver que isso pouco muda na vida dos trabalhadores, embora no capítulo final ele ainda se descreva como um socialista. Ele começa a fazer e vender livros de imagens em movimento para uma empresa de brinquedos inovadores, tornando-se um pioneiro da animação na indústria cinematográfica. Tateh torna-se rico e se autodenomina "o Barão" para se mover mais facilmente na alta sociedade. Ele conhece e se apaixona por mamãe, que se casa com ele depois que papai é morto no naufrágio do RMS Lusitania. Eles adotam os filhos um do outro, assim como o filho de Coalhouse, e se mudam para a Califórnia.

Misturados nas histórias entrelaçadas estão subtramas que seguem figuras proeminentes da época, incluindo aquelas citadas acima, bem como na seção de figuras históricas abaixo.

O romance é incomum pela maneira irreverente com que figuras históricas e personagens de ficção são tecidos na narrativa, criando conexões surpreendentes e ligando diferentes eventos e linhas de pensamento sobre fama e sucesso, de um lado, e pobreza e racismo, do outro. Harry Houdini desempenha um papel proeminente, mas incidental, refletindo sobre o sucesso e a mortalidade. O arqui-capitalista financista J. P. Morgan, perseguindo seus complexos delírios de grandeza, recebe um castigo claramente falado do pé-no-chão Henry Ford. A socialite Evelyn Nesbit se envolve com a família da favela e é auxiliada pela agitadora anarquista Emma Goldman. O político negro moderado Booker T. Washington tenta negociar com Coalhouse Walker, sem sucesso.

Outros personagens históricos mencionados incluem o explorador polar Robert Peary e seu assistente negro Matthew Henson, o arquiteto Stanford White, o marido mentalmente desequilibrado de Nesbit Harry Kendall Thaw (que assassinou White por supostamente agredir sexualmente Nesbit quando ela tinha 15 anos), o arquiduque Franz Ferdinand da Áustria, Condessa Sophie Chotek, Sigmund Freud, que cavalga o Túnel do Amor em Coney Island com Carl Jung, Theodore Dreiser, Jacob Riis e o revolucionário mexicano Emiliano Zapata. Vários funcionários da vida real da cidade de Nova York também aparecem no livro: o procurador distrital de Manhattan Charles S. Whitman e o comissário de polícia Rhinelander Waldo.

O nome Coalhouse Walker é uma referência à novela alemã de Heinrich von Kleist Michael Kohlhaas (1811). A parte da história envolvendo a humilhação de Coalhouse e sua busca cada vez mais desequilibrada por uma resolução digna segue de perto o enredo e os detalhes do trabalho anterior de Kleist. A conexão foi reconhecida por Doctorow, [3] mas é uma questão de opinião entre os críticos se isso constitui adaptação literária ou plágio. [4]

Livro de Fredric Jameson de 1991 Pós-modernismo, ou a lógica cultural do capitalismo tardio dedica cinco páginas a Doctorow's Ragtime, para ilustrar a crise da historiografia e uma resistência à interpretação. [6]


Críticos de livros nacionais premiam vozes ouvidas com menos frequência

O National Book Critics Circle oferece prêmios de livros há quase 50 anos. Na quinta à noite, pela primeira vez, ele os apresentou virtualmente.

Foi uma cerimônia animada e às vezes comovente, combinando segmentos gravados e ao vivo. Antes da premiação, que homenageou livros publicados em 2020, quase todos os 30 finalistas compareceram para a leitura de seus livros.

Se os prêmios tiveram um tema recorrente, foi o reconhecimento de vozes menos ouvidas.

Sou membro do conselho de 21 pessoas que selecionou a maioria dos ganhadores do prêmio deste ano, em uma teleconferência da Zoom que durou apenas sete horas. Escolhemos entre 30 finalistas, todos livros extraordinários, em seis categorias. Um prêmio de sétimo livro, para o melhor primeiro livro, é votado entre os membros do grupo de cerca de 600. A organização também apresenta um prêmio para as críticas escritas por um de seus membros e um prêmio pelo conjunto da obra.

Os prêmios são os únicos prêmios de livros americanos escolhidos pela crítica.

A vencedora da autobiografia foi Cathy Park Hong por Sentimentos menores: um cálculo asiático-americano, que combina ensaios pessoais e crítica cultural. Em sua aceitação, Hong dedicou sua vitória às oito mulheres, seis delas asiático-americanas, que foram assassinadas no início deste mês na área de Atlanta: “Diga seus nomes”.

Na biografia, o prêmio foi para Estranho na cidade do Shogun: uma mulher japonesa e seu mundo por Amy Stanley. Ele conta a vida fascinante de uma mulher do século 19 que se mudou de uma pequena vila de pescadores para Edo na época em que a cidade estava se transformando na Tóquio moderna.

Nicole R. Fleetwood ganhou o prêmio na categoria crítica por seu estudo inovador da arte criada por prisioneiros, Marcando o tempo: a arte na era do encarceramento em massa.

A vencedora do prêmio de ficção foi Maggie O’Farrell por seu romance Hamnet, um estudo transcendente e maravilhosamente escrito sobre o luto e a arte, cujos personagens principais são a esposa e o filho de William Shakespeare.

No Ilha em chamas: a revolta que acabou com a escravidão no Império Britânico, o vencedor para não-ficção, Tom Zoellner vividamente ilumina um capítulo pouco conhecido na história do colonialismo e da escravidão.

A vencedora de poesia Francine J. Harris escreve convincentemente sobre a complexa interação entre sexualidade, raça e poder nos poemas em Aqui está a doce mão.

O Prêmio John Leonard para o primeiro livro de qualquer gênero foi concedido a Raven Leilani por seu romance Brilho, que os juízes chamaram de leitura "compulsiva" sobre uma jovem que é "um redemoinho maravilhosamente retratado de pintura, videogame e saudade".

A Citação Nona Balakian por Excelência em revisão foi para o membro Jo Livingstone, redatora da equipe de cultura da Nova República, cujas críticas ganharam por sua ampla inteligência, perspicácia e sagacidade.

O prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto da obra deste ano (um prêmio que pode ser concedido a indivíduos ou organizações literárias) homenageou a Imprensa Feminista. Agora em seu 50º ano, a imprensa publicou trabalhos de escritores como Charlotte Perkins Gillman, Anita Hill, Grace Paley e Barbara Ehrenreich. A declaração de missão da Feminist Press diz: “Comemorando nosso legado, levantamos vozes insurgentes e marginalizadas de todo o mundo para construir um futuro mais justo”.


Conteúdo

Prêmio National Book Critics Circle Awards
Concedido por"os melhores livros e resenhas publicadas em inglês"
EncontroMarço, anual
PaísEstados Unidos
Apresentado porCírculo Nacional de Críticos de Livros
Premiado pela primeira vezPublicações de 1975 (1976)
Local na rede Internet bookcritics .org

Edição de Ficção

Publicados
1975 E. L. Doctorow Ragtime
1976 John Gardner Luz de outubro
1977 Toni Morrison Canção de Salomão
1978 John Cheever As histórias de John Cheever
1979 Thomas Flanagan O ano dos franceses
1980 Shirley Hazzard O Trânsito de Vênus
1981 John Updike Coelho é rico
1982 Stanley Elkin George Mills
1983 William Kennedy Ironweed
1984 Louise Erdrich Remédio do amor
1985 Anne Tyler O turista acidental
1986 Preço Reynolds Kate Vaiden
1987 Philip Roth The Counterlife
1988 Bharati Mukherjee O intermediário e outras histórias
1989 E. L. Doctorow Billy Bathgate
1990 John Updike Coelho em repouso
1991 Jane Smiley Mil Acres
1992 Cormac McCarthy Todos os cavalos bonitos
1993 Ernest J. Gaines Uma lição antes de morrer
1994 Carol Shields The Stone Diaries
1995 Stanley Elkin Sra. Ted Bliss
1996 Gina Berriault Mulheres em suas camas
1997 Penelope Fitzgerald A flor azul
1998 Alice Munro O amor de uma boa mulher
1999 Jonathan Lethem Brooklyn sem mãe
2000 Jim Crace Estar morto
2001 W.G. Sebald Austerlitz
2002 Ian McEwan Expiação
2003 Edward P. Jones O mundo conhecido
2004 Marilynne Robinson Gilead
2005 E. L. Doctorow A marcha
2006 Kiran Desai A herança da perda
2007 Junot Diaz A Breve Vida Maravilhosa de Oscar Wao
2008 Roberto Bolaño 2666
2009 Hilary Mantel Wolf Hall
2010 Jennifer Egan Uma visita do Goon Squad
2011 Edith Pearlman Visão binocular: histórias novas e selecionadas
2012 Ben Fountain Longa caminhada de intervalo de Billy Lynn
2013 Chimamanda Ngozi Adichie Americanah
2014 Marilynne Robinson Lila
2015 Paul Beatty The Sellout
2016 Louise Erdrich LaRose
2017 Joan Silber Melhoria
2018 Anna Burns Leiteiro
2019 Edwidge Danticat Tudo dentro
2020 Maggie O’Farrell [8] Hamnet

Edição de não ficção geral

Publicados
1975 R. W. B. Lewis Edith Wharton: uma biografia
1976 Maxine Hong Kingston A mulher guerreira: memórias de uma infância entre fantasmas
1977 Walter Jackson Bate Samuel Johnson
1978 Garry Wills Inventando a América: a Declaração de Independência de Jefferson
1978 Maureen Howard Fatos da vida
1979 Telford Taylor Munique: o preço da paz
1980 Ronald Steel Walter Lippmann e o século americano
1981 Stephen Jay Gould A má medida do homem
1982 Robert Caro O caminho para o poder: os anos de Lyndon Johnson
1983 Seymour M. Hersh O preço do poder: Kissinger na Casa Branca de Nixon
1984 Freeman Dyson Armas e esperança
1985 J. Anthony Lukas Terreno Comum: Uma Década Turbulenta na Vida de Três Famílias Americanas
1986 John W. Dower Guerra sem misericórdia: raça e poder na guerra do Pacífico
1987 Richard Rhodes A fabricação da bomba atômica
1988 Taylor Branch Parting the Waters: America in the King Years, 1954-63
1989 Michael Dorris O cordão quebrado
1990 Shelby Steele O conteúdo do nosso personagem: uma nova visão da raça na América
1991 Susan Faludi Reação: A guerra não declarada contra as mulheres americanas
1992 Norman Maclean Rapazes e Fogo
1993 Alan Lomax A terra onde o blues começou
1994 Lynn H. Nicholas The Rape of Europa: O destino dos tesouros da Europa no Terceiro Reich e na Segunda Guerra Mundial
1995 Jonathan Harr Uma Ação Civil
1996 Jonathan Raban Terra ruim: um romance americano
1997 Anne Fadiman O espírito te pega e você cai
1998 Philip Gourevitch Queremos informar que amanhã seremos mortos com nossas famílias
1999 Jonathan Weiner Tempo, amor, memória: um grande biólogo e sua busca pelas origens do comportamento
2000 Ted Conover Newjack: Guarding Sing Sing
2001 Nicholson Baker Dobra dupla: Bibliotecas e o assalto ao papel
2002 Samantha Power Um problema do inferno: a América e a era do genocídio
2003 Paul Hendrickson Filhos do Mississippi
2004 Diarmaid MacCulloch A Reforma: Uma História
2005 Svetlana Alexievich Vozes de Chernobyl: a história oral de um desastre nuclear
2006 Simon Schama Rough Crossings: Britain, the Slaves and the American Revolution
2007 Harriet A. Washington Apartheid médico: a história sombria da experimentação médica em negros americanos desde os tempos coloniais até o presente
2008 Dexter Filkins A guerra para sempre
2009 Richard Holmes The Age of Wonder: como a geração romântica descobriu a beleza e o terror da ciência
2010 Isabel Wilkerson O calor de outros sóis: a história épica da grande migração da América
2011 Maya jasanoff Exilados da liberdade: legalistas americanos no mundo revolucionário
2012 Andrew Solomon Longe da árvore: pais, filhos e a busca pela identidade
2013 Sheri Fink Cinco dias no memorial: vida e morte em um hospital devastado pela tempestade
2014 David Brion Davis O problema da escravidão na era da emancipação
2015 Sam Quinones Dreamland: A verdadeira história da epidemia de opiáceos da América
2016 Matthew Desmond Expulso: Pobreza e Lucro na Cidade Americana
2017 Frances FitzGerald Os Evangélicos: A Luta para Moldar a América
2018 Steve Coll Direcção S: O C.I.A. e as guerras secretas da América no Afeganistão e no Paquistão
2019 Patrick Radden Keefe Não diga nada: a verdadeira história de assassinato e memória na Irlanda do Norte
2020 Tom Zoellner [8] Ilha em chamas: a revolta que acabou com a escravidão no Império Britânico

Edição de memórias / autobiografia

Publicados
2005 Francine du Plessix Grey Them: A Memoir of Parents
2006 Daniel Mendelsohn The Lost: A Search for Six of Six Million
2007 Edwidge Danticat Irmão estou morrendo
2008 Ariel Sabar O paraíso do meu pai: a busca de um filho por seu passado judaico no Iraque curdo
2009 Diana Athill Em algum lugar perto do fim
2010 Darin Strauss Meia vida
2011 Mira Bartók O palácio da memória
2012 Leanne Shapton Estudos de Natação
2013 Amy Wilentz Adeus, Fred Voodoo: uma carta do Haiti
2014 Roz Chast Não podemos falar de algo mais agradável?
2015 Margo Jefferson Negroland
2016 Hope Jahren Menina de laboratório
2017 Xiaolu Guo Nove continentes: um livro de memórias dentro e fora da China
2018 Nora Krug Pertencer: um cálculo alemão com história e casa
2019 Chanel Miller Conheça meu nome: uma memória
2020 Cathy Park Hong [8] Sentimentos menores: um cálculo asiático-americano

Edição de biografia

Publicados
2005 Kai Bird e Martin J. Sherwin Prometeu americano: o triunfo e a tragédia de J. Robert Oppenheimer
2006 Julie Phillips James Tiptree, Jr .: The Double Life of Alice B. Sheldon
2007 Tim Jeal Stanley: a vida impossível do maior explorador da África
2008 Patrick French O mundo é o que é: a biografia autorizada de V.S. Naipaul
2009 Blake Bailey Cheever: A Life
2010 Sarah Bakewell Como viver, ou uma vida de Montaigne
2011 John Lewis Gaddis George F. Kennan: An American Life
2012 Robert A. Caro A passagem do poder: os anos de Lyndon Johnson
2013 Leo Damrosch Jonathan Swift: sua vida e seu mundo
2014 John Lahr Tennessee Williams: a peregrinação louca da carne
2015 Charlotte Gordon Outlaws românticos: as vidas extraordinárias de Mary Wollstonecraft e sua filha Mary Shelley
2016 Ruth Franklin Shirley Jackson: uma vida bastante assombrada
2017 Caroline Fraser Prairie Fires: The American Dreams of Laura Ingalls Wilder
2018 Christopher Bonanos Flash: The Making of Weegee the Famous
2019 Josh Levin A Rainha: a vida esquecida por trás de um mito americano
2020 Amy Stanley [8] Estranho na cidade do Shogun: uma mulher japonesa e seu mundo

Biografia / Autobiografia (descontinuada) Editar

Publicados
1983 Joyce Johnson Personagens secundários
1984 Joseph frank Dostoiévski: os anos de provação, 1850-1859
1985 Leon edel Henry James: A Life
1986 Arnold Rampersad The Life of Langston Hughes, Vol. I: 1902-1941
1987 Donald R. Howard Chaucer: sua vida, suas obras, seu mundo
1988 Richard Ellmann Oscar Wilde
1989 Geoffrey C. Ward Um temperamento de primeira classe: o surgimento de Franklin Roosevelt
1990 Robert A. Caro Meios de ascensão: os anos de Lyndon Johnson, vol. II
1991 Philip Roth Patrimônio: uma história verdadeira
1992 Carol Brightman Escrevendo perigosamente: Mary McCarthy e seu mundo
1993 Edmund White Genet
1994 Mikal Gilmore Tiro no coração
1995 Robert Polito Arte selvagem: uma biografia de Jim Thompson
1996 Frank McCourt Cinzas de Angela
1997 James Tobin Guerra de Ernie Pyle: testemunha ocular da América na Segunda Guerra Mundial
1998 Sylvia Nasar Uma Mente Brilhante
1999 Henry Wiencek The Hairstons: An American Family in Black and White
2000 Herbert P. Bix Hirohito e a fabricação do Japão moderno
2001 Adam Sisman Tarefa presunçosa de Boswell: The Making of the Life of Dr.Johnson
2002 Janet Browne Charles Darwin: The Power of Place, vol. II
2003 William Taubman Khrushchev: O Homem e Sua Era
2004 Mark Stevens e Annalyn Swan De Kooning: um mestre americano

Poesia Editar

Publicados
1975 John Ashbery Auto-retrato em um espelho convexo
1976 Elizabeth Bishop Geografia III
1977 Robert Lowell Dia a dia
1978 L. E. Sissman Hello, Darkness: The Collected Poems of L. E. Sissman
1979 Philip Levine Cinzas: poemas novos e antigos e 7 anos de algum lugar
1980 Frederick Seidel nascer do sol
1981 A.R. Ammons Uma costa de árvores
1982 Katha Pollitt Viajante antártico
1983 James Merrill A mudança de luz em Sandover
1984 Sharon Olds Os mortos e os vivos
1985 Louise Glück O Triunfo de Aquiles
1986 Edward Hirsch Gratidão Selvagem
1987 C.K. Williams Carne e sangue
1988 Donald Hall Aquele dia
1989 Rodney Jones Gestos Transparentes
1990 Amy Gerstler Anjo amargo
1991 Albert Goldbarth Céu e Terra: Uma Cosmologia
1992 Hayden Carruth Poemas curtos coletados de 1946 a 1991
1993 Mark Doty Minha alexandria
1994 Mark Rudman Cavaleiro
1995 William Matthews Tempo e dinheiro
1996 Robert Hass Sun Under Wood
1997 Charles Wright Zodíaco Negro
1998 Marie Ponsot O apanhador de pássaros
1999 Ruth Stone Palavras Ordinárias
2000 Judy Jordan Carolina Ghost Woods
2001 Albert Goldbarth Salvando vidas
2002 B.H. Fairchild Primeiros sistemas de memória oculta do Baixo Meio-Oeste
2003 Susan Stewart Columbário
2004 Adrienne Rich A escola entre as ruínas
2005 Jack Gilbert Recusando o paraíso
2006 Troy Jollimore Tom Thomson no Purgatório
2007 Mary Jo Bang Elegia
2008 August Kleinzahler Dormindo em Rapid City [uma]
2008 Juan Felipe Herrera Metade do mundo em luz [uma]
2009 Rae Armantrout Versado
2010 CD. Wright Um com os outros
2011 Laura Kasischke Espaço, em cadeias
2012 D. A. Powell Paisagem inútil ou um guia para meninos
2013 Frank Bidart Cão metafísico
2014 Claudia Rankine Citizen: An American Lyric
2015 Ross Gay Catálogo de Gratidão Implacável
2016 Ishion Hutchinson Câmara dos Lordes e Commons
2017 Layli Long Soldier Enquanto que
2018 Ada Limón The Carrying
2019 Morgan Parker Negro mágico
2020 Francine J. Harris [8] Aqui está a doce mão

Edição de crítica

Publicados
1975 Paul Fussell A Grande Guerra e a Memória Moderna
1976 Bruno Bettelheim Os usos do encantamento: o significado e a importância dos contos de fadas
1977 Susan Sontag Na fotografia
1978 Meyer Schapiro Arte Moderna: Séculos 19 e 20 (Artigos Selecionados, Volume 2)
1979 Elaine Pagels Os Evangelhos Gnósticos
1980 Helen Vendler Parte da natureza, parte de nós: poetas americanos modernos
1981 Virgil Thomson Um leitor de Virgil Thomson
1982 Gore Vidal A Segunda Revolução Americana e Outros Ensaios
1983 John Updike Hugging the Shore: Essays and Criticism
1984 Robert Hass Prazeres do século XX: prosa sobre poesia
1985 William H. Gass Habitações da Palavra: Ensaios
1986 Joseph Brodsky Menos de um: ensaios selecionados
1987 Edwin Denby Escritos de dança
1988 Clifford Geertz Obras e Vidas: O Antropólogo como Autor
1989 John Clive Não apenas por fato: ensaios sobre a escrita e a leitura da história
1990 Arthur C. Danto Encontros e reflexões: a arte no presente histórico
1991 Lawrence L. Langer Testemunhos do Holocausto: as ruínas da memória
1992 Garry Wills Lincoln em Gettysburg: as palavras que refizeram a América
1993 John Dizikes Opera in America: A Cultural History
1994 Gerald Early The Culture of Hematomas: Ensaios sobre Prizfighting, Literatura e Cultura Americana Moderna
1995 Robert Darnton Os best-sellers proibidos da França pré-revolucionária
1996 William H. Gass Encontrar um formulário
1997 Mario Vargas Llosa Fazendo ondas
1998 Gary Giddins Visões do jazz: o primeiro século
1999 Jorge luis borges Não-Ficções Selecionadas
2000 Cynthia Ozick Discussão e dilema
2001 Martin Amis The War Against Cliché: Essays and Reviews, 1971-2000
2002 William H. Gass Testes de Tempo
2003 Rebecca Solnit Rio das Sombras: Eadweard Muybridge e o Velho Oeste Tecnológico
2004 Patrick Neate Onde você está: notas da linha de frente de um planeta hip-hop
2005 William Logan O país desconhecido: poesia na era do estanho
2006 Lawrence Weschler Tudo que surge: um livro de convergências
2007 Alex Ross O resto é barulho: ouvindo o século XX
2008 Seth Lerer Literatura infantil: uma história do leitor: a história do leitor de Esopo a Harry Potter
2009 Eula Biss Notas da Terra de Ninguém: ensaios americanos
2010 Clare Cavanagh Poesia lírica e política moderna: Rússia, Polônia e o Ocidente
2011 Geoff Dyer Também conhecido como condição humana: ensaios e resenhas selecionados
2012 Marina Warner Stranger Magic: Charmed States e as Arabian Nights
2013 Franco Moretti Leitura à Distância
2014 Ellen Willis The Essential Ellen Willis, editado por Nona Willis-Aronowitz
2015 Maggie Nelson Os argonautas
2016 Carol Anderson White Rage: a verdade tácita de nossa divisão racial
2017 Carina Chocano You Play the Girl: On Playboy Bunnies, Stepford Wives, Train Wrecks e amp outras mensagens confusas
2018 Zadie Smith Sinta-se à vontade: Ensaios
2019 Saidiya Hartman Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de revolta social
2020 Nicole R. Fleetwood [8] Marcando o tempo: arte na era do encarceramento em massa

Edição do prêmio John Leonard

Prêmio de melhor primeiro livro em qualquer gênero.

Publicados
2013 Anthony Marra Uma constelação de fenômenos vitais, romance
2014 Phil Klay Reimplantação, coleção de contos
2015 Kirstin Valdez Quade Noite nas festas, coleção de contos
2016 Yaa Gyasi Ida para casa, romance
2017 Carmen Maria Machado Seu corpo e outras partes, coleção de contos
2018 Tommy Orange Pronto pronto, romance
2019 Sarah M. Broom The Yellow House_ (livro), memória
2020 Raven Leilani [8] Brilho

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Ivan Sandrof foi um dos fundadores do National Book Critics Circle [1] e seu primeiro presidente. [9]

O Prêmio Sandrof também foi apresentado como o "Prêmio Ivan Sandrof pelo Conjunto de suas realizações em Publicações" e como "Prêmio Ivan Sandrof, Contribuição para a American Arts & amp Letters".

1981 Nenhum
1982 Leslie A. Marchand [10]
1983 Nenhum
1984 A biblioteca da américa
1985 Nenhum
1986 Nenhum
1987 Robert Giroux
1988 Nenhum
1989 James Laughlin
1990 Donald Keene
1991 Nenhum
1992 Gregory Rabassa
1993 Nenhum
1994 William Maxwell
1995 Alfred Kazin
Elizabeth Hardwick
1996 Albert Murray
1997 Leslie Fiedler
1998 Nenhum
1999 Lawrence Ferlinghetti
Pauline Kael
2000 Barney Rosset
2001 Jason Epstein
2002 Richard Howard
2003 Studs Terkel
2004 Louis D. Rubin, Jr. fundador da Algonquin Press, autor e editor de mais de 50 livros
2005 Bill Henderson fundador da Pushcart Press
2006 John Leonard
2007 Emilie Buchwald co-fundador da editora Milkweed Editions
2008 PEN American Center [11]
2009 Joyce Carol Oates
2010 Dalkey Archive Press
2011 Robert Silvers editor de New York Review of Books
2012 Sandra Gilbert
Susan Gubar
2013 Rolando Hinojosa-Smith
2014 Toni Morrison
2015 Wendell Berry
2016 Margaret Atwood
2017 John McPhee
2018 Arte Público Press
2019 Naomi Shihab Nye
2020 The Feminist Press da City University of New York [8]

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

A Citação Balakian é anual. Ele homenageia Nona Balakian, que foi um dos três fundadores do NBCC. [1] [12] Por 43 anos, Balakian foi um editor na equipe do Crítica de livros do New York Times. [13] Cinco finalistas são anunciados a cada ano, um dos quais é selecionado como o vencedor da citação. O prêmio foi denominado "o prêmio de crítica literária de maior prestígio do país". [14]

Publicados
1991 George Scialabba
1992 Elizabeth Ward
1993 Brigitte Frase
1994 JoAnn C. Gutin
1995 Laurie Stone
1996 Dennis Drabelle
1997 Thomas Mallon
1998 Albert Mobilio
1999 Benjamin Schwarz
2000 Daniel Mendelsohn
2001 Michael Gorra
2002 Maureen N. McLane
2003 Scott McLemee
2004 David Orr um contribuidor para Crítica de livros do New York Times e Poesia Revista
2005 Wyatt Mason um contribuidor para Harper's, O Nova-iorquino, A nova república
2006 Steven G. Kellman
2007 Sam Anderson do Nova york revista
2008 Ron Charles do The Washington Post
2009 Joan Acocella do O Nova-iorquino
2010 Parul Sehgal do Publishers Weekly
2011 Kathryn Schulz crítico de livro em Nova york revista
2012 William Deresiewicz um escritor colaborador em A nação e The American Scholar
2013 Katherine A. Powers colaborador de muitas seções de resenhas de livros nacionais, incluindo o Boston Globe e Washington Post. Pela segunda vez na história do Balakian Citation, inclui um prêmio em dinheiro de $ 1.000.
2014 Alexandra Schwartz do O Nova-iorquino
2015 Carlos Lozada do The Washington Post
2016 Michelle Dean crítico literário para O Nova-iorquino, Nova República e outros
2017 Charles Finch crítico literário para O jornal New York Times e outros
2018 Maureen Corrigan crítico literário para NPR e The Washington Post
2019 Katy Waldman do O Nova-iorquino
2020 Jo Livingstone [8] crítico para A nova república

Edição de 2007

Os vencedores do prêmio de 2007 () foram anunciados em 6 de março de 2008. [15] [16]

Edição de Ficção

    , Jogos Sagrados (HarperCollins) Junot Díaz, A Breve Vida Maravilhosa de Oscar Wao (Riverhead), No país dos homens (Tecle Pressione), A filha do Coveiro (Ecco), O apanhador de sombras (Simon e Schuster)

Edição de não ficção geral

    , Transcendentalismo Americano (Hill e Wang), O que Deus fez: A transformação da América 1815-1848 (Oxford University Press) Harriet Washington, Apartheid médico: a história negra da experimentação médica em negros americanos desde os tempos coloniais até o presente (Doubleday), Legado de Cinzas: Uma História da CIA (Doubleday), O mundo sem Nós (Thomas Dunne BKs / St. Martin’s)

Edição de autobiografia

    , Coração como água: sobrevivendo ao Katrina e à vida em sua zona de desastre (Imprensa gratuita) Edwidge Danticat, Irmão estou morrendo (Knopf), The Journals of Joyce Carol Oates, 1973–1982 (Ecco), Escrevendo em uma era de silêncio (Verso), Diário russo: o último relato de um jornalista sobre a vida, corrupção e morte na Rússia de Putin (Casa aleatória)

Edição de biografia

    Tim Jeal, Stanley: a vida impossível do maior explorador da África (Yale University Press), Edith Wharton (Knopf), Ralph Ellison (Knopf), A Life of Picasso: The Triumphant Years, 1917-1932 (Knopf), Thomas Hardy (Penguin Press)

Poesia Editar

    Mary Jo Bang, Elegia (Lobo cinza) , Vida moderna (Lobo cinza) , Dormindo e acordando (Enchente) , A balada de Jamie Allan (Enchente) , Novos Poemas (Arquipélago)

Edição de crítica

    , Vinte e Oito Artistas e Dois Santos (Panteão), Era uma vez uma Quniceanera (Viking), O sonho de terror (Metropolitan / Holt), Coltrane: a história de um som (Farrar, Straus & amp Giroux) Alex Ross, O resto é barulho: ouvindo o século XX (Farrar, Straus e amp Giroux)

The Nona Balakian Citation for Excellence in Review Edit

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição de 2008

Os vencedores de 2008 () foram anunciados em 12 de março de 2009. [17]

Edição de Ficção

    Roberto Bolaño, 2666 (Farrar, Straus e Giroux), O projeto Lázaro (Riverhead), Casa (Farrar, Straus e Giroux), Olive Kitteridge (Casa aleatória) , A balada de Trenchmouth Taggart (West Virginia University Press)

Edição de não ficção geral

    , Esta República do Sofrimento (Knopf) Dexter Filkins, A guerra para sempre (Knopf), Da Colônia à Superpotência: Relações Exteriores dos EUA desde 1776 (Imprensa da Universidade de Oxford) , Nação Protestante Branca (Atlântico), O lado obscuro (Doubleday)

Edição de autobiografia

    , Por que vim para o oeste (Houghton Mifflin), The House on Sugar Beach (Simon e Schuster), A filha do bispo (W.W. Norton), Os beirais do céu (Livros da Harmonia) Ariel Sabar, O paraíso do meu pai: a busca de um filho por seu passado judaico no Iraque curdo (Algonquin)

Edição de biografia

    , Os Bin Ladens: uma família árabe em um século americano (Penguin Press) Patrick French, O mundo é o que é: a biografia autorizada de V.S. Naipaul (Knopf), Ida, uma espada entre os Leões: Ida B. Wells e a campanha contra o linchamento (Amistad), Os Hemingses de Monticello: Uma Família Americana (Norton), White Heat: a amizade de Emily Dickinson e Thomas Wentworth Higginson (Knopf)

Poesia Editar

    Juan Felipe Herrera, Metade do mundo em luz (University of Arizona Press) [a], Fontes (Turtle Point Press) August Kleinzahler, Dormindo em Rapid City (Farrar, Straus e Giroux) [a] (trad. John Ashbery), O paisagista (Sheep Meadow Press), Human Dark with Sugar (Copper Canyon Press)

Edição de crítica

    , Tudo é Cinema: A Vida Profissional de Jean-Luc Godard (Livros metropolitanos), Os Homens da Minha Vida (Boston Review / MIT), Maimonides: a vida e o mundo de uma das maiores mentes da civilização (Doubleday) Seth Lerer, Literatura infantil: a história de um leitor de Esopo a Harry Potter (University of Chicago Press), Orfeu no Bronx: Ensaios sobre identidade, política e liberdade de poesia (University of Michigan Press)

The Nona Balakian Citation for Excellence in Review Edit

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição de 2009

Os vencedores de 2009 () foram anunciados em 11 de março de 2010.

Edição de Ficção

    , American Salvage (Wayne State University Press), O Livro das Mulheres da Noite (Riverhead), Culpa (Sarah Crichton Books / FSG) Hilary Mantel, Wolf Hall (Holt), Cotovia e cupim (Knopf)

Edição de não ficção geral

Edição de crítica

    Eula Biss, Notas da terra de ninguém: ensaios americanos (Graywolf Press), Fechar telefonemas sem sentido: ler nova poesia (Graywolf Press), Dançando no escuro: uma história cultural da Grande Depressão (Norton), Heróis e vilões: ensaios sobre música, filmes, quadrinhos e cultura (Da Capo Press), Aperfeiçoando o som para sempre: uma história auditiva da música gravada (Faber)

Edição de biografia

    Blake Bailey, Cheever: A Life (Knopf), Flannery: A Life of Flannery O'Connor (Pequeno, marrom), Por que este mundo: uma biografia de Clarice Lispector (Imprensa da Universidade de Oxford) , Primavera amarga: uma vida de Ignazio Silone (Farrar, Straus e Giroux), Passing Strange: um conto de amor e decepção da era dourada em toda a linha de cores (Penguin Press)

Edição de autobiografia

    Diana Athill, Em algum lugar perto do fim (Norton), Viva com isso: memórias de uma mãe sobre filhas em fuga e amor recuperado (Houghton Mifflin Harcourt), Aceso (Harper), Inimigos do povo: a jornada de minha família para a América (Simon & amp Schuster), Menino da cidade (Bloomsbury)

Poesia Editar

    Rae Armantrout, Versado (Wesleyano), Uma Vida na Aldeia (Farrar, Straus e Giroux), Crônica (Graywolf Press), Captive Voices: New and Selected Poems, 1960–2008 (Louisiana State University Press), Museu de Acidentes (Wave Books)

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição de 2010

Os vencedores de 2010 () foram anunciados em 10 de março de 2011. [18]

Edição de Ficção

    Jennifer Egan, Uma visita do Goon Squad (Knopf), Liberdade (Farrar, Straus e Giroux), Até o fim da terra (Knopf), Comédia em um tom menor (Farrar, Straus e Giroux), Skippy morre (Faber e Faber)

Edição de não ficção

Edição de crítica

    , Os possuídos: aventuras com livros russos e as pessoas que os lêem (Farrar, Straus e Giroux), O Professor e Outros Escritos (Harper) Clare Cavanagh, Poesia lírica e política moderna: Rússia, Polônia e o Ocidente (Yale University Press), The Cruel Radiance (University of Chicago Press), Ponto de fuga: não é uma memória (Lobo cinza)

Edição de biografia

Edição de autobiografia

Poesia Editar

    , Nox (Novas direções) , A cidade eterna (Princeton University Press), Farol (Poetas pinguins), O melhor de tudo (Grove) C.D. Wright, Um com os outros (Copper Canyon)

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição 2011

Os prêmios () foram entregues em 8 de março de 2012, na New School, em Nova York. [19]

Edição de Ficção

Edição de não ficção

Edição de crítica

    , Isso é um peixe na sua orelha ?: Tradução e o significado de tudoGeoff Dyer, Também conhecido como condição humana: ensaios e resenhas selecionados , The Ecstasy of Influence: Nonfictions, Etc. , Cultura de Karaokê: Ensaios , Out of the Vinyl Deeps: Ellen Willis na música rock

Poesia Editar

    , Devoções , O sofá camaleão , Kingdom Animalia , Amostras principais do mundoLaura Kasischke, Espaço, em cadeias

Edição de autobiografia

    , Cem nomes para o amor: um derrame, um casamento e a linguagem da curaMira Bartók, O palácio da memória , Harlem não está em lugar nenhum: uma jornada à Meca da América Negra , Ele te chama de volta: uma odisséia pelo amor, vício, revoluções e cura , Revolução: o ano em que me apaixonei e fui me juntar à guerra

Edição de biografia

    , Amor e capital: Karl e Jenny Marx e o nascimento da revoluçãoJohn Lewis Gaddis, George F. Kennan: An American Life , Barco de Hemingway: tudo que ele amou na vida e se perdeu, 1934-1961 , Malcolm X: uma vida de reinvenção , Deng Xiaoping e a transformação da China

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição de 2012

Os finalistas foram anunciados em 14 de janeiro de 2013. [20] Os vencedores () foram anunciados em 28 de fevereiro de 2013. [21]

Edição de Ficção

Edição de não ficção

Edição de crítica

    , Reinventando Bach , Esperando pelos Bárbaros: Ensaios dos Clássicos à Cultura Pop , Madness, Rack e HoneyMarina Warner, Stranger Magic: Charmed States e as Arabian Nights , O Álbum Cinza: On the Blackness of Blackness

Poesia Editar

    , Perplexidade: novos poemas e traduções , No espectro de possíveis mortes , Atos FrágeisD. A. Powell, Paisagem inútil ou um guia para meninos , Azeitonas

Edição de autobiografia

    , A distância entre nós , Meus poetas , Casa de Pedra: um livro de memórias de casa, família e um Oriente Médio perdidoLeanne Shapton, Estudos de Natação , Na Casa do Intérprete

Edição de biografia

    Robert A. Caro, A passagem do poder: os anos de Lyndon Johnson , Tudo o que sabemos: três vidas , Retrato de um romance: Henry James e a produção de uma obra-prima americana , Robert Duncan, O Embaixador de Vênus: Uma Biografia , O Conde Negro: Glória, Revolução, Traição e o Conde Real de Monte Cristo

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição 2013

Os finalistas foram anunciados em 14 de janeiro de 2014. [22] Os vencedores () foram anunciados em 13 de março de 2014. [23]

Edição de Ficção

    Chimamanda Ngozi Adichie, Americanah (Knopf), Alguém (Farrar, Straus & amp Giroux), As paixões, traduzido por Margaret Jull Costa (Knopf), Um conto para o momento (Viking), O pintassilgo (Pequeno, marrom)

Edição de não ficção

    e Shelley Murphy, Whitey Bulger: o gângster mais procurado da América e a caça ao homem que o levou à justiça (Norton) Sheri Fink, Cinco dias no memorial: vida e morte em um hospital devastado pela tempestade (Coroa) , Obrigado por seu serviço (Sarah Crichton Books / Farrar, Straus & amp Giroux), The Unwinding: An Inner History of the New America (Farrar, Straus & amp Giroux), Limpo: Cientologia, Hollywood e a Prisão da Crença (Knopf)

Poesia Editar

    Frank Bidart, Cão metafísico (Farrar, Straus & amp Giroux), Fica, Ilusão (Knopf), Soprar (University of Pittsburgh Press), Elegy Owed (Copper Canyon), Leite e Sujeira (University of Arizona Press)

Edição de autobiografia

    , Aceno (Knopf), O livro da minha vida (Farrar, Straus & amp Giroux), The Faraway Perto (Viking), Homens que colhemos (Bloomsbury) Amy Wilentz, Adeus, Fred Voodoo: uma carta do Haiti (Simon e Schuster)

Edição de biografia

    , Lawrence na Arábia: guerra, engano, loucura imperial e a construção do Oriente Médio moderno (Doubleday) Leo Damrosch, Jonathan Swift: sua vida e seu mundo (Yale University Press), Bach: Música no Castelo do Céu (Knopf), Segurando de cabeça para baixo: a vida e a obra de Marianne Moore (Farrar, Straus & amp Giroux), Certidão de Nascimento: A História de Danilo Kis (Cornell University Press)

Edição de crítica

    , Meninas brancas (McSweeney’s), Enfrentando os clássicos: tradições, aventuras e inovações (Liveright), O Projeto Kraus: Ensaios de Karl Kraus, traduzido e anotado por Jonathan Franzen com Paul Reitter e Daniel Kehlmann (Farrar, Straus & amp Giroux), Quarenta e um falsos começos: ensaios sobre artistas e escritores (Farrar, Straus & amp Giroux) Franco Moretti, Leitura à Distância (Verso)

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição do Prêmio John Leonard

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição de 2014

Os finalistas foram anunciados em 19 de janeiro de 2015. [24] Os vencedores () foram anunciados em 12 de março de 2015. [25]

Edição de Ficção

Edição de não ficção geral

    David Brion Davis, O problema da escravidão na era da emancipação e Petra Couvee, O caso Zhivago: o Kremlin, a CIA e a batalha por um livro proibido , A sexta extinção: uma história não natural , Capital do Século XXI, traduzido do francês por Arthur Goldhammer, No fundo escuro: as histórias não contadas de 33 homens enterrados em uma mina chilena e o milagre que os libertou

Poesia Editar

Edição de autobiografia

    , As coisas esplêndidas que planejamos: um retrato de famíliaRoz Chast, Não podemos falar de algo mais agradável? , O outro lado , Pequena falha , Havia e não havia

Edição de biografia

    , William Wells Brown: uma vida afro-americana , Rebel Yell: A Violência, Paixão e Redenção de Stonewall JacksonJohn Lahr, Tennessee Williams: a peregrinação louca da carne , "Literchoor Is My Beat": A Life of James Laughlin, editor do New Directions , As Cruzadas de Cesar Chavez: Uma Biografia

Edição de crítica

    , Sobre a imunidade: uma inoculação , Geek Sublime: A Beleza do Código, o Código da Beleza , Citizen: An American Lyric , O que Lynne Tillman faria?Ellen Willis, The Essential Ellen Willis, editado por Nona Willis Aronowitz

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição do Prêmio John Leonard

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição 2015

Os finalistas foram anunciados em 18 de janeiro de 2016. [26] Os vencedores () foram anunciados em 17 de março de 2016 na New School em Nova York. [27]

Edição de Ficção

Edição de não ficção

    , SPQR: Uma História da Roma Antiga , Dê-nos a votação: a luta moderna pelos direitos de voto na América , Ghettoside: uma verdadeira história de assassinato na AméricaSam Quinones, Dreamland: O verdadeiro conto da epidemia de opiáceos da América , O que o olho ouve: uma história do sapateado

Edição de autobiografia

Edição de biografia

    , Fortune’s Fool: The Life of John Wilkes BoothCharlotte Gordon, Outlaws românticos: as vidas extraordinárias de Mary Wollstonecraft e sua filha Mary Shelley , Os Julgamentos de Custer: Uma Vida na Fronteira de uma Nova América , Filha de Stalin: a vida extraordinária e tumultuada de Svetlana Alliluyeva e Shelly Frisch, Dietrich e Riefenstahl: Hollywood, Berlim e um século em duas vidas

Edição de crítica

    , Entre o mundo e eu , O nascer do sol da eternidade: o mundo imaginativo de William BlakeMaggie Nelson, Os argonautas , Em Elizabeth Bishop , A coisa mais próxima da vida

Poesia Editar

    Ross Gay, Catálogo de Gratidão Implacável , Como ser desenhado , Coisas mortas brilhantes , Paralaxe: e poemas selecionados , E sobre isso: Poemas coletados de Frank Stanford

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição do Prêmio John Leonard

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição 2016

Os finalistas foram anunciados em 17 de janeiro de 2017. [28] Os vencedores () foram anunciados em 17 de março de 2017 na New School em Nova York. [29]

Edição de Ficção

Edição de não ficção

    Matthew Desmond, Expulso: Pobreza e Lucro na Cidade Americana , Marcado desde o início: a história definitiva das idéias racistas na América , Dark Money: a história oculta dos bilionários por trás da ascensão da direita radical , Nothing Ever Dies: Vietnam and the Memory of War , Escrevendo para Salvar uma Vida: O Arquivo Louis Till

Edição de autobiografia

Edição de biografia

    , Noites de Moscou: a história de Van CliburnRuth Franklin, Shirley Jackson: uma vida bastante assombrada , Black Elk: a vida de um visionário americano , Krazy: George Herriman, uma vida em preto e branco , Coisa Culpada: A Vida de Thomas De Quincey

Edição de crítica

    Carol Anderson, White Rage: a verdade tácita de nossa divisão racial , Contra tudo: ensaios , Procurando o estranho: Albert Camus e a vida de um clássico literário , A cidade solitária: aventuras na arte de estar sozinho , Estou sozinho aqui ?: Notas sobre como viver para ler e ler para viver

Poesia Editar

    Ishion Hutchinson, Câmara dos Lordes e Commons , Olio , Trabalhos e Dias , No Hospital Foundling , Blackacre

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição do Prêmio John Leonard

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição 2017

Os finalistas foram anunciados em 21 de janeiro de 2018. [30] [31] Os vencedores () foram anunciados em 15 de março de 2018 na New School em Nova York. [32]

Edição de Ficção

Edição de não ficção

    , Golfo: a construção de um mar americanoFrances FitzGerald, Os Evangélicos: A Luta para Moldar a América , O futuro é história: como o totalitarismo recuperou a Rússia , Fronteira: uma viagem até os limites da Europa , Uma breve história de todos os que já viveram: a história humana recontada por meio de nossos genes

Edição de autobiografia

    , O melhor que poderíamos fazer: uma memória ilustrada , Fome: uma memória do (meu) corpo , Admissões: Life as a Brain Surgeon , A garota do hotel Metropol: crescendo na Rússia comunistaXiaolu Guo, Nove continentes: um livro de memórias dentro e fora da China

Edição de biografia

    Caroline Fraser, Prairie Fires: The American Dreams of Laura Ingalls Wilder
  • Edmund Gordon, A invenção de Angela Carter: uma biografia , Os Kelloggs: os irmãos batalhadores de Battle Creek , Gorbachev: sua vida e tempos , Hoover: uma vida extraordinária em tempos extraordinários

Edição de crítica

    Carina Chocano, You Play the Girl: On Playboy Bunnies, Stepford Wives, Train Wrecks e amp outras mensagens confusas , A Arte da Morte: Escrevendo a História Final , Guia para parentes estranhos: jornadas pela raça, maternidade e história , Diga-me como isso termina: uma dissertação em quarenta perguntas
  • Kevin Young, Beliche: The Rise of Hoaxes, Humbug, Plagiarists, Phonies, Post-Facts and Fake News

Poesia Editar

  • Nuar Alsadir, Quarta Pessoa Singular , TerráqueoLayli Long Soldier, Enquanto que , A escuridão da neve
  • Ana Ristovic, Instruções de uso

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Edição do Prêmio John Leonard

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição 2018

Os finalistas foram anunciados em 22 de janeiro de 2019. [33] Os vencedores () foram anunciados na New School em Nova York em 14 de março de 2019. [34]

Edição de Ficção

    Anna Burns, Leiteiro , Velho escravo. Traduzido por Linda Coverdale, O Largesse da Donzela do Mar , The Mars Room , A Casa dos Anjos Quebrados

Edição de não ficção

  • Francisco Cantú, A linha se transforma em rio: despachos da fronteiraSteve Coll, Direcção S: O C.I.A. e as guerras secretas da América no Afeganistão e no Paquistão e Jonathan Haidt, O mimo da mente americana: como boas intenções e más ideias estão preparando uma geração para o fracasso , Nós, as corporações: como as empresas americanas conquistaram seus direitos civis , God Save Texas: Uma Viagem à Alma do Estado da Estrela Solitária

Edição de autobiografia

    , O dia que desapareceu: uma história de família , Tudo o que você pode sempre saber: uma memória , O que afoga as flores em sua boca: uma memória da fraternidadeNora Krug, Pertencer: um cálculo alemão com história e casa , Velho na escola de arte: uma memória de um recomeço , Educado: uma memória

Edição de biografia

    Christopher Bonanos, Flash: The Making of Weegee the Famous , Noventa e nove vislumbres da princesa Margaret
  • Yunte Huang, Inseparáveis: os gêmeos siameses originais e seu encontro com a história americana , O Homem na Casa de Vidro: Philip Johnson, Arquiteto do Século Moderno , O Big Fella: Babe Ruth e o mundo que ele criou

Edição de crítica

    , Ainda é bom para você ?: Cinquenta anos de crítica do rock, 1967-2017 , Tirano: Shakespeare na política , Para flutuar no espaço entre: uma vida e obra em conversa com a vida e obra de Etheridge Knight , The Reckonings: EssaysZadie Smith, Sinta-se à vontade: Ensaios

Poesia Editar

    , American Sonnets for My Past and Future AssassinAda Limón, The Carrying , Holy Moly Carry Me , Natureza morta com dois pavões mortos e uma garota , Assimetria. Traduzido por Clare Cavanagh

Edição do Prêmio John Leonard

Ivan Sandrof Lifetime Achievement Award Editar

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão de Edição

Edição 2019

Os finalistas foram anunciados em 11 de janeiro de 2020. [36] Os vencedores () foram anunciados em 12 de março de 2020. [37]

Edição de Ficção

Edição de não ficção

    , Manual para Sobrevivência: Um Guia de Chernobyl para o Futuro , Os enterrados: uma arqueologia da revolução egípciaPatrick Radden Keefe, Não diga nada: uma verdadeira história de assassinato e memória na Irlanda do Norte , Fora das sombras: reinventando a vida dos gays , Sem hematomas visíveis: o que não sabemos sobre a violência doméstica pode nos matar

Edição de autobiografia

    , Cinco dias se passaram: o mistério do desaparecimento de minha mãe quando criança , Pegar e matar: mentiras, espiões e uma conspiração para proteger predadores , Parece Titanic: A Memoir , Good Talk: A Memoir in ConversationsChanel Miller, Conheça meu nome: uma memória

Edição de biografia

    , Deuses do Alto Ar: como um círculo de antropólogos renegados reinventou raça, sexo e gênero no século XXJosh Levin, A Rainha: a vida esquecida por trás de um mito americano , L.E.L .: A Vida Perdida e a Escandalosa Morte de Letitia Elizabeth Landon, a Celebrada “Mulher Byron” , Nosso homem: Richard Holbrooke e o fim do século americano , Uma mulher sem importância: a história não contada do espião americano que ajudou a vencer a segunda guerra mundial

Edição de crítica

    , Vá em frente na chuva , Ensaios UmSaidiya Hartman, Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de revolta social , Quente, Frio, Pesado, Leve, 100 Escritos de Arte 1988-2018 , Axiomático

Poesia Editar

    , A tradição , República SurdaMorgan Parker, Negro mágico , Burro
  • Brian Teare, Doomstead Days

Edição 2020

Os finalistas foram anunciados em 24 de janeiro de 2021. [38] Os vencedores foram anunciados em 25 de março de 2021. [39]


Anúncio dos vencedores do prêmio de 2019

Nova York, NY (12 de março de 2020)—Nesta noite, o National Book Critics Circle anunciou os destinatários de seus prêmios de livros para o ano de publicação de 2019.

Os vencedores incluem destinatário de não ficção Patrick Radden Keefe para Não diga nada: a verdadeira história de assassinato e memória na Irlanda do Norte (Doubleday). Walton Muyumba diz: "História política do mistério do assassinato de Keefe, Não diga nada, é sobre independência e partição, travas coloniais e sonhos pós-coloniais, nacionalismo protestante legalista do Ulster e radicalismo católico republicano irlandês. ”

Morgan Parker foi premiado com o prêmio de poesia para Negro mágico (Tin House), da qual Hope Wabukesays, "a versatilidade sem esforço de Morgan Parker com a linguagem em Negro mágico é uma experiência maravilhosa e envolvente. Aqui está um poeta que nos lembra o que a linguagem pode ser - inovadora e verdadeira em suas construções rítmicas de significado ”.

O prêmio de crítica foi concedido a Saidiya Hartman para Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de revolta social (W.W. Norton), para o qual Walton Muyumba diz: “Vidas rebeldes, belos experimentos geme sensual e filosoficamente, adicionando uma novidade brilhante, redonda e linda ao grito prolongado da tradição crítica afro-americana. ”

Chanel Miller ganhou o prêmio de autobiografia por Conheça meu nome: uma memória (Viking) Marion Winik diz: "A descrição detalhada de Miller de sua agressão sexual e suas consequências, os anos de sua vida entre o estupro e a sentença, expõe as ironias, injustiças e crueldades da maneira como nossa sociedade e sistema judicial lidam violência sexual. ”

O prêmio da biografia foi para Josh Levin para A Rainha: a vida esquecida por trás de um mito americano (Little, Brown), sobre o qual a juíza Elizabeth Taylorsays "A" rainha do bem-estar "meme foi construída sobre um mito que Josh Levin leva a suas origens nodosas e contraditórias em seu lúcido e envolvente A rainha, uma façanha de reportagem investigativa combinada com um profundo entendimento da história. ”

Minhas preocupações estavam relacionadas ao fato de que percebi minhas habilidades masculinas. Não queria esperar por tal eventualidade e decidi comprar Levitra na farmácia https://levivard.com. Após o primeiro uso, minha vida sexual começou a melhorar, então todos estão satisfeitos.

Edwidge Danticat venceu por sua coleção de contos, Tudo dentro (Knopf), para o qual Michael Schaub diz: “Não há finais felizes forçados, nem libertações imerecidas. O mundo, ela parece dizer, é implacavelmente cruel, o que torna os raros momentos de alegria que seus personagens experimentam ainda mais preciosos. Tudo dentro é um livro impressionante, o melhor da carreira notável de Danticat. & # 8221

Memórias de Sarah M. Broom, A casa amarela (Arvoredo), foi o destinatário do John Leonard Prize, reconhecendo um primeiro livro de destaque em qualquer gênero. Sarah M. Broom é jornalista e autora treinada. Seu trabalho apareceu em O Nova-iorquino, a New York Times Magazine, O, The Oprah Magazine e em outros lugares. Em 2016, recebeu o prestigioso Whiting Award for Creative Nonfiction, o que lhe permitiu terminar o seu primeiro livro, THE YELLOW HOUSE (Grove Press), que ganhou o National Book Award em novembro de 2019.Broom formou-se em antropologia e comunicação de massa pela University of North Texas antes de fazer um mestrado em jornalismo pela University of California, Berkeley. Ela começou sua carreira de escritora como jornalista trabalhando em Rhode Island, Dallas, New Orleans e Hong Kong (por TEMPO Ásia). Broom também trabalhou como editor na O, The Oprah Magazine por muitos anos. Broom também trabalhou extensivamente no mundo sem fins lucrativos, incluindo como Diretor Executivo da organização sem fins lucrativos global, Village Health Works, que tem escritórios no Burundi e em Nova York. Ela ensinou não ficção no departamento de redação criativa da Universidade de Columbia. Ela é nativa de New Orleanian, a caçula de doze irmãos. Ela mora na cidade de Nova York.

O destinatário do Citação Nona Balakian de 2019 por Excelência em Revisão, dado a um membro da NBCC por um trabalho crítico excepcional, foi Katy Waldman. Waldman é redator da equipe da O Nova-iorquino. Anteriormente, ela foi redatora da Slate, onde escreveu sobre linguagem, cultura e política, e apresentou o podcast Slate Audio Book Club. Ela é a vencedora do prêmio 2018 da American Society of Magazine Editors para jornalistas com menos de trinta anos. Katy nasceu em Washington, DC e mora no Brooklyn. O Balakian Citation traz consigo um prêmio em dinheiro de $ 1.000, concedido por Gregg Barrios, membro do conselho da NBCC de longa data.

O destinatário do Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra era Naomi Shihab Nye. Naomi Shihab Nye nasceu em St. Louis, Missouri, em 1952, filha de pai refugiado palestino e mãe americana, e foi criada em Jerusalém e San Antonio, Texas. Ela é uma poetisa, romancista e compositora que tem dedicado sua carreira ao ensino de poesia, defendendo a paz em todo o mundo e lutando contra a discriminação contra os árabes americanos. Seus livros incluem Diferentes maneiras de orar (1980), Abraçando a Jukebox (1982), Mala Vermelha (1994) e The Tiny Journalist (2019). Em 2019, ela se tornou a primeira árabe-americana a ser nomeada Poetisa Laureada dos Jovens. Ela mora em San Antonio.

Por causa do COVID-19, a cerimônia originalmente planejada para esta noite na New School foi cancelada. O Conselho da NBCC planeja homenagear os vencedores e finalistas em uma gala na cidade de Nova York em 12 de setembro de 2020.

Vencedores do National Book Critics Circle Awards 2019

Autobiografia

Chanel Miller, Conheça meu nome: uma memória (Viking)

Josh Levin, A Rainha: a vida esquecida por trás de um mito americano (Pequeno, marrom)

Saidiya Hartman, Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de revolta social (W.W. Norton)

Edwidge Danticat, Tudo dentro (Knopf)

Patrick Radden Keefe, Não diga nada: uma verdadeira história de assassinato e memória na Irlanda do Norte (Doubleday)

Morgan Parker, Negro mágico: poemas (Casa de lata)

Prêmio John Leonard

Sarah M. Broom, A Casa Amarela: uma memória (Arvoredo)

A Citação Nona Balakian para Excelência em Revisão

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

Biografias dos ganhadores do prêmio:

Edwidge Danticat é autor de vários livros, incluindo Respiração, olhos, memória, uma seleção do Oprah Book Club, Krik? Krak !, finalista do National Book Award, A Agricultura de Ossos, O Quebra-orvalho, crie perigosamente, Claire of the Sea Light, e Tudo dentro. Ela também é editora de The Butterfly & # 8217s Way: Voices from the Haitian Dyaspora nos Estados Unidos, Best American Essays 2011, Haiti Noir e Haiti Noir 2. Ela escreveu sete livros para crianças e jovens: Anacaona, Behind the Mountains, Eight Days, The Last Mapou, Mama & # 8217s Nightingale, Untwine, My Mommy Medicine, bem como uma narrativa de viagem, Depois da dança. Suas memórias, Irmão, eu & # 8217m morrendo, foi finalista em 2007 do National Book Award e vencedor em 2008 do National Book Critics Circle Award por autobiografia. Ela é bolsista MacArthur de 2009, bolsista "The Art of Change" da Fundação Ford 2018 e vencedora do Prêmio Internacional Neustadt 2018 e do Prêmio Literário St. Louis 2019.

Saidiya Hartman recebeu um BA da Wesleyan University e um PhD da Yale University. Ela foi professora do Departamento de Estudos Ingleses e Afro-Americanos da University of California, Berkeley (1992–2006), antes de ingressar no corpo docente da Columbia University, onde atualmente é professora do Departamento de Inglês e Literatura Comparada. Ela é a ex-diretora do Instituto de Pesquisa sobre Gênero e Sexualidade da Universidade de Columbia e foi Whitney Oates Fellow na Princeton University (2002), Cullman Fellow na Biblioteca Pública de Nova York (2016-2017) e uma Visita de Investigação Crítica Professor da Universidade de Chicago (2018). Além de seus livros, ela publicou artigos em periódicos como South Atlantic Quarterly, Brick, Small Axe, Callaloo, The New Yorker e The Paris Review.

Patrick Radden Keefe é um redator premiado da O Nova-iorquino revista e autor do best-seller do New York Times Não diga nada: uma verdadeira história de assassinato e memória na Irlanda do Norte, bem como dois outros livros: The Snakehead: um conto épico do submundo de Chinatown e o sonho americano, e Chatter: despachos do mundo secreto da escuta global. Ele escreve não-ficção narrativa investigativa sobre uma variedade de assuntos. Patrick começou a contribuir para a The New Yorker em 2006. Ele recebeu o Prêmio National Magazine de Reportagem em 2014 e foi finalista do National Magazine Award for Reporting em 2015 e 2016. Não diga nada recebeu o Prêmio Orwell de Redação Política em 2019 e foi selecionado por Entretenimento semanal como um dos “10 melhores livros de não ficção da década”. Keefe cresceu em Dorchester, Massachusetts e foi para a faculdade em Columbia. Ele recebeu o grau de mestre da Cambridge University e da London School of Economics, e um JD da Yale Law School. Além de O Nova-iorquino, seu trabalho apareceu em The New York Review of Books, The New York Times Magazine, Ardósiae outras publicações. Ele recebeu uma bolsa Guggenheim e bolsas da Rockefeller Foundation, da New America Foundation, do Woodrow Wilson International Center for Scholars e do Cullman Center for Scholars e Writers da New York Public Library. Ele vive em Nova Iorque.

Josh Levin é o autor de A Rainha: a vida esquecida por trás de um mito americano, a história nunca antes contada de Linda Taylor, a "rainha do bem-estar" original da América. Levin também é Slate’s editor nacional e apresentador de “Hang Up and Listen”, um podcast semanal de esportes que ele coapresenta com Stefan Fatsis. Antes disso, Levin foi estagiário na Washington City Paper. Ele também é freelancer para o atlântico, Esportes ilustrados, GQ, A saúde dos homens, a San Francisco Chronicle, e Jogue: The New York Times Sports Magazine. Levin se formou na Brown University em ciência da computação e história. Ele nasceu e foi criado em Nova Orleans e atualmente mora em Washington, D.C.

Chanel Miller é uma escritora e artista que se formou em Literatura pelo College of Creative Studies da University of California, Santa Barbara. Ela mora em San Francisco, Califórnia.

Morgan Parker é poeta, ensaísta e romancista. Ela é a autora das coleções de poesia Negro mágico (Tin House 2019), Existem coisas mais bonitas do que Beyoncé (Tin House 2017), e O conforto das outras pessoas me mantém acordado à noite (Switchback Books 2015) e um romance para jovens adultos, Quem colocou esta música? Seu primeiro livro de não-ficção será lançado no One World. Parker recebeu o prêmio National Endowment for the Arts Literature Fellowship em 2017, ganhou um prêmio Pushcart e foi saudado por o New York Times como "um artesão dinâmico" de "consequências consideráveis ​​para a poesia americana".

SOBRE O CÍRCULO DE CRÍTICAS DO LIVRO NACIONAL

O National Book Critics Circle foi fundado em 1974 no lendário Algonquin Hotel de Nova York por um grupo dos críticos mais influentes da época. Composta por 750 críticos em atividade e editores de resenhas de livros em todo o país, incluindo membros estudantes e apoiadores da Friends of the NBCC, a organização concede anualmente seus prêmios em seis categorias, homenageando os melhores livros publicados no ano passado nos Estados Unidos. É considerado um dos prêmios de maior prestígio da indústria editorial. Os finalistas para os prêmios NBCC são nomeados, avaliados e selecionados pelo conselho de administração de 24 membros, que consiste em editores e críticos das principais publicações impressas e online do país. Para obter mais informações sobre a história e as atividades do National Book Critics Circle e para saber como se tornar um membro ou apoiador, visite http://www.bookcritics.org. Siga o NBCC no Facebook e em Twitter (@bookcritics).

Minhas preocupações estavam relacionadas ao fato de que percebi minhas habilidades masculinas. Não queria esperar por tal eventualidade e decidi comprar Levitra na farmácia https://levivard.com. Após o primeiro uso, minha vida sexual começou a melhorar, então todos estão satisfeitos.

Edwidge Danticat venceu por sua coleção de contos, Tudo dentro (Knopf), para o qual Michael Schaub diz: “Não há finais felizes forçados, nem libertações imerecidas. O mundo, ela parece dizer, é implacavelmente cruel, o que torna os raros momentos de alegria que seus personagens experimentam ainda mais preciosos. Tudo dentro é um livro impressionante, o melhor da carreira notável de Danticat. & # 8221

Memórias de Sarah M. Broom, A casa amarela (Arvoredo), foi o destinatário do John Leonard Prize, reconhecendo um primeiro livro de destaque em qualquer gênero. Sarah M. Broom é jornalista e autora treinada. Seu trabalho apareceu em O Nova-iorquino, a New York Times Magazine, O, The Oprah Magazine e em outros lugares. Em 2016, ela recebeu o prestigioso Whiting Award for Creative Nonfiction, que lhe permitiu terminar seu primeiro livro, THE YELLOW HOUSE (Grove Press), que ganhou o National Book Award em novembro de 2019. Broom recebeu seu diploma de graduação em antropologia e comunicação de massa da University of North Texas antes de obter um mestrado em Jornalismo pela University of California, Berkeley. Ela começou sua carreira de escritora como jornalista trabalhando em Rhode Island, Dallas, New Orleans e Hong Kong (por TEMPO Ásia). Broom também trabalhou como editor na O, The Oprah Magazine por muitos anos. Broom também trabalhou extensivamente no mundo sem fins lucrativos, incluindo como Diretor Executivo da organização sem fins lucrativos global, Village Health Works, que tem escritórios no Burundi e em Nova York. Ela ensinou não ficção no departamento de redação criativa da Universidade de Columbia. Ela é nativa de New Orleanian, a caçula de doze irmãos. Ela mora na cidade de Nova York.

O destinatário do Citação Nona Balakian de 2019 por Excelência em Revisão, dado a um membro da NBCC por um trabalho crítico excepcional, foi Katy Waldman. Waldman é redator da equipe de O Nova-iorquino. Anteriormente, ela foi redatora da Slate, onde escreveu sobre linguagem, cultura e política, e apresentou o podcast Slate Audio Book Club. Ela é a vencedora do prêmio 2018 da American Society of Magazine Editors para jornalistas com menos de trinta anos. Katy nasceu em Washington, DC e mora no Brooklyn. O Balakian Citation traz consigo um prêmio em dinheiro de $ 1.000, doado por Gregg Barrios, membro do conselho da NBCC de longa data.

O destinatário do Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra era Naomi Shihab Nye. Naomi Shihab Nye nasceu em St. Louis, Missouri, em 1952, filha de pai refugiado palestino e mãe americana, e foi criada em Jerusalém e San Antonio, Texas. Ela é uma poetisa, romancista e compositora que tem dedicado sua carreira ao ensino de poesia, defendendo a paz em todo o mundo e lutando contra a discriminação contra os árabes americanos. Seus livros incluem Diferentes maneiras de orar (1980), Abraçando a Jukebox (1982), Mala Vermelha (1994) e The Tiny Journalist (2019). Em 2019, ela se tornou a primeira árabe-americana a ser nomeada Poetisa Laureada dos Jovens. Ela mora em San Antonio.

Por causa do COVID-19, a cerimônia originalmente planejada para esta noite na New School foi cancelada. O Conselho da NBCC planeja homenagear os vencedores e finalistas em uma gala na cidade de Nova York em 12 de setembro de 2020.

Vencedores do National Book Critics Circle Awards 2019

Autobiografia

Chanel Miller, Conheça meu nome: uma memória (Viking)

Josh Levin, A Rainha: a vida esquecida por trás de um mito americano (Pequeno, marrom)

Saidiya Hartman, Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de revolta social (W.W. Norton)

Edwidge Danticat, Tudo dentro (Knopf)

Patrick Radden Keefe, Não diga nada: uma verdadeira história de assassinato e memória na Irlanda do Norte (Doubleday)


Dos arquivos: Uma revisão de E.L. 'Ragtime' de Doctorow

Nota do editor: Em 12 de março, o National Book Critics Circle apresentará sua 40ª premiação anual em seis categorias - ficção, não ficção, autobiografia, biografia, crítica e poesia. Esta semana, relembramos uma resenha do Tribune em 1975 do primeiro romance a ganhar o Prêmio NBCC: E.L. "Ragtime" de Doctorow.

Alguns acadêmicos musicais astutos ainda descartam o ragtime como "música de bordel". Foi isso, mas não é descartável. Tudo o que Scott Joplin, seu mestre, soma é o melhor compositor americano até agora, além de Charles Ives. Peças como "The Easy Winners" - rigidamente controladas como obras clássicas, em nítido contraste com o romantismo da descendência dionisíaca do ragtime, o jazz - expressam com uma precisão e pungência indescritíveis o humor gay-triste dos negros americanos na virada do século. Além disso, por serem obra de um gênio, e o gênio não conhece raça, cor ou época, eles também expressam, até certo ponto, o humor alegre e triste de todos em todos os lugares e em todos os momentos.

"Ragtime" não é um romance sobre música ragtime, na verdade, a música ragtime mal é mencionada de passagem. Por que, então, começar uma revisão dele com um parágrafo sobre a música ragtime? Porque este é um romance claramente inspirado por aquela música e pela luz estranha que ela lança sobre a época em que floresceu e se impregnou de seu estado de espírito e quase seus ritmos. Porque não é um romance sobre ragtime, mas um romance no ragtime.

"Ragtime" é basicamente a história de uma família branca de classe média alta em New Rochelle, Nova York, e sua empregada negra e sua filha e amante, nos anos 1902-1913. Seu herói, um músico negro chamado Coalhouse Walker Jr., não é apresentado até a metade - dificilmente dentro das regras para o "romance bem feito". Mas o dispositivo está perfeitamente dentro deles para um ragtime bem feito, que se caracteriza pela introdução em série de temas inteiramente novos. Seu estilo narrativo é heterodoxo, consistindo inteiramente em discurso indireto sem diálogo e um ponto de vista que não é nem subjetivo nem onisciente, meramente reportório, mas a música ragtime era tão perturbadora para os ouvintes ortodoxos que eles tinham que classificá-la como música de prostíbulo. Está cheio de coincidências e implausibilidades porque, como o ragtime, não é sobre a vida, mas sobre um sonho de vida.


Ragtime

Ragtime, o romance mais conhecido de E. L. Doctorow, destaca o caldeirão americano e como a nação veio a ser o que é hoje. Passada no início dos anos 1900, a história se concentra em uma família rica que vivia em New Rochelle, Nova York, simplesmente chamada de pai, mãe, irmão mais novo da mãe, avô e o menino. O menino, filho pequeno do pai e da mãe, talvez narre o romance de uma perspectiva adulta reminiscente, mas o narrador onisciente nunca é definitivamente identificado. A jornada de adaptação da família na virada do século aborda as tensões entre reagir à evolução da era e executar a revolução.

No entanto, o Ragtime é muito mais do que a narrativa da família. Em uma bela execução de ficção histórica, o romance tece subtramas biográficas de figuras proeminentes da época, incluindo J.P. Morgan, Harry Houdini, Henry Ford, Sigmund Freud e Emma Goldman. O resultado: o Ragtime foca não apenas nos anônimos ou famosos, mas em como os dois grupos criam a história juntos.

Escrito quando o Vietnã estava chegando ao fim, Ragtime aborda questões que afetavam os Estados Unidos na época - do abuso de poder ao racismo e ao uso do sexo para vender qualquer coisa - mas também inclui temas clássicos e duradouros de moralidade, repressão e injustiça , mudança e tempo.

Ragtime foi indicado ao Prêmio Nebula de Melhor Romance e ganhou o Prêmio National Book Critics Circle de ficção em 1975. Também ganhou o Prêmio da Academia Americana e do Instituto de Artes e Letras no ano seguinte. O romance foi adaptado para um filme de 1981 e para um musical da Broadway vencedor do prêmio Tony de 1998. Ragtime está incluído nos "100 melhores romances" da TIME (desde 1923) e classificado em 86º lugar na lista dos "100 melhores" romances em inglês do século 20 na Modern Library.


Anunciados os vencedores do prêmio NBCC em cerimônia emocional

Em uma cerimônia virtual em 25 de março, o National Book Critics Circle anunciou os vencedores em seis categorias para seus prêmios anuais que homenageiam os melhores livros do ano de publicação anterior. Os livros publicados pela Harvard University Press ganharam dois dos prêmios, enquanto os livros publicados pelas editoras Big Five ganharam os prêmios restantes.

Os vencedores em cada categoria são os seguintes:

  • Autobiografia: Sentimentos menores: um cálculo asiático-americano por Cathy Park Hong (One World)
  • Biografia: Estranho na cidade de Shogun e rsquos: uma mulher japonesa e seu mundopor Amy Stanley (Scribner)
  • Crítica: Marcando o tempo: arte na era do encarceramento em massa por Nicole Fleetwood (Harvard UP)
  • Ficção: Hamnetpor Maggie O & rsquoFarrell (Knopf)
  • Não-ficção: Ilha em chamas: a revolta que acabou com a escravidão no Império Britânico por Tom Zoellner (Harvard UP)
  • Poesia: Aqui está a doce mão por francine j. Harris (FSG)

Além disso, Raven Leilani ganhou o Prêmio John Leonard por seu primeiro livro, julgado por membros votantes do NBCC, por seu romance Brilho (FSG). Conforme anunciado anteriormente, a Menção Nona Balakian de US $ 1.000 por Excelência em Revisão foi para Jo Livingstone, redatora da equipe do Nova República, e o prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra foi para a Feminist Press, que celebrou seu 50º aniversário no ano passado.

Durante a cerimônia, que foi transmitida online, os autores ficaram visivelmente emocionados e aproveitaram a ocasião para comentar os acontecimentos recentes. Em seu discurso de aceitação do Prêmio John Leonard, Leilani disse que o prêmio veio depois de um ano que superou seus "sonhos mais selvagens", mas também continha "dor intransponível".

Jo Livingstone disse que eles encontraram esperança em outros escritores, já que parecemos estar "vivendo até o fim do mundo". Jamia Wilson, ex-editora e editora da Feminist Press & mdash, que se mudou para a Random House em janeiro & mdashnotou: "Estudos de pesquisa mostraram que a pessoa com maior probabilidade de ler um livro em qualquer formato hoje é uma mulher negra com formação universitária." Ela acrescentou que se lembrou de "como era importante fazer esse trabalho hoje". Este momento foi seguido por uma montagem de luminares literários, incluindo Molly Crabapple e Michelle Tea, homenageando a imprensa enquanto Bikini Kill & # 39s "Rebel Girl" tocava.

Maggie O & # 39Farrell dedicou seu prêmio ao falecido editor da Knopf, Sonny Mehta. francine j. Harris, às lágrimas com sua vitória, citou a influência duradoura e a orientação de gerações anteriores de poetisas negras, e observou o falecimento do poeta Adam Zagajewski no início desta semana.

O momento mais intenso foi quando Cathy Hong Park, visivelmente emocionada com a vitória, dedicou seu prêmio às oito pessoas assassinadas na Geórgia na semana passada. & ldquoIsso é para suas famílias, e isso é para todas as mulheres asiáticas, as mulheres da indústria do sexo, da indústria de serviços, as trabalhadoras migrantes, as operárias, as mães e filhas que vieram de pátrias dilaceradas pelo império, que trabalharam, lutaram e morreram nas sombras da história americana ", disse ela." Suas dificuldades e espírito não serão em vão. Nós nos lembraremos de você. Vamos lutar por você. Suas vidas não são dispensáveis. Você será lembrado. & Rdquo

David Varno, presidente do conselho da NBCC (e PW& # 39s editor de resenhas de ficção), observou: & ldquoEste culminar de um ano de leitura foi uma ocasião alegre e profundamente comovente, desde as leituras íntimas por trinta dos finalistas até os emocionantes e poderosos discursos de aceitação dos vencedores, todos cujos trabalhos demonstram excelência literária e relevância cultural e política. "


Ragtime: Resumo do livro e resenhas de Ragtime por E.L. Doctorow

Publicado nos EUA em junho de 1975
270 páginas
Gênero: Ficção Histórica

Sobre este livro

Resumo do livro

Uma tapeçaria extraordinária, Ragtime captura o espírito da América na era entre a virada do século e a Primeira Guerra Mundial.

A história começa em 1906 em New Rochelle, Nova York, na casa de uma abastada família americana. Em uma preguiçosa tarde de domingo, o famoso escapista Harry Houdini vira seu carro em um poste de telefone fora de sua casa. E quase que magicamente, a linha entre fantasia e fato histórico, entre personagens reais e imaginários, desaparece. Henry Ford, Emma Goldman, JP Morgan, Evelyn Nesbit, Sigmund Freud e Emiliano Zapata entram e saem da história, cruzando caminhos com a família imaginária de Doctorow e outros personagens fictícios, incluindo um mascate imigrante e um músico ragtime do Harlem cuja insistência em um ponto de justiça o leva à violência revolucionária.

  • Avaliações
  • Artigos "Além do livro"
  • Livros grátis para ler e revisar (somente nos EUA)
  • Encontre livros por período de tempo, configuração e tema
  • Sugestões semelhantes por livro e autor
  • Discussões do clube do livro
  • e muito mais!
  • Apenas $ 12 por 3 meses ou $ 39 por um ano.

Avaliações

Críticas da mídia

"[Um] complexo de epifanias sociais lindamente realizado, tudo protegido pelo espírito de Scott Joplin." - Comentários Kirkus.

"Ragtime é tão estimulante quanto uma respiração profunda de oxigênio puro. Às vezes, as frases curtas e rápidas sugerem a cintilação primitiva do filme mudo em outras, os ângulos agudos e a implantação sarcástica de detalhes em Cidadão Kane . A graça e a vivacidade superficial de Ragtime torná-lo muito divertido de ler. Mas por trás de seus ritmos vigorosos e estimulantes soam a valsa elegante e triste de Gatsby e as melodias de promessas traídas. A história ressoa com clareza especial aqui. Doctorow encontrou uma nova maneira de orquestrar os temas da inocência americana, energia e ambição incipiente. "- Newsweek.

". (É) está neste romance excelente, cujas silhuetas e trapos não só fazem ficção da história, mas também revelam as ficções a partir das quais a história é feita. Incorpora as ficções e realidades da era do ragtime enquanto esfarrapa nossas ficções sobre isso. É um romance antinostálgico que incorpora nossa nostalgia sobre o assunto. É legal, difícil, controlado, totalmente não sentimental, uma arte de contornos nítidos e frases cortadas. No entanto, implica tudo o que poderíamos pedir no sentido de textura, humor, caráter e desespero. " - Books of the Century, The New York Times, julho de 1975.

Esta informação sobre Ragtime mostrado acima foi apresentado pela primeira vez em "The BookBrowse Review" - revista de membros do BookBrowse e em nosso boletim informativo semanal "Publishing This Week". Na maioria dos casos, as resenhas são necessariamente limitadas àquelas que estavam disponíveis para nós antes da publicação. Se você é o editor ou autor e acha que as resenhas mostradas não refletem adequadamente a gama de opiniões da mídia agora disponível, envie-nos uma mensagem com as resenhas da mídia convencional que gostaria de ver adicionadas.

Qualquer "Informação sobre o autor" exibida abaixo reflete a biografia do autor no momento em que este livro em particular foi publicado.


Conteúdo

2010 [editar | editar fonte]

Os vencedores de 2010 foram anunciados em 10 de março de 2011. & # 913 & # 93 (vencedores em negrito)

  • Jennifer Egan, Uma visita do Goon Squad (Knopf) , Liberdade (Farrar, Straus e Giroux), Até o fim da terra (Knopf), Comédia em tom menor (Farrar, Straus e Giroux), Skippy morre (Faber e Faber)
    , Nada a invejar: vidas comuns na Coreia do Norte (Spiegel e amp Grau), Império da lua de verão: Quanah Parker e a ascensão e queda dos comanches, a tribo indígena mais poderosa da América (Scribner), Anjos de Apolo: uma história do balé (Aleatória ) , O Imperador de Todas as Doenças: Uma Biografia do Câncer (Escriba)
  • Isabel Wilkerson, O calor de outros sóis: a história épica da grande migração da América (Aleatória)
    , Os possuídos: aventuras com livros russos e as pessoas que os lêem (Farrar, Straus e Giroux), O Professor e Outros Escritos (Harper)
  • Clare Cavanagh, Poesia lírica e política moderna: Rússia, Polônia e o Ocidente (Yale University Press) , The Cruel Radiance (University of Chicago Press), Ponto de fuga: não é uma memória (Lobo cinza)
    , Cruzando o portão de Mandelbaum chegando à maturidade entre árabes e israelenses, 1956-1978 (Scribner), A autobiografia de uma execução (Doze) , Hitch-22: A Memoir (Doze) , Hiroshima pela manhã (Feminst Press), Apenas crianças (Ecco)
  • Darin Strauss, Meia vida (McSweeney's)
    , Nox (Novas direções) , A cidade eterna (Princeton University Press), Farol (Poetas pinguins), O melhor de tudo (Arvoredo)
  • CD. Wright, Um com os outros (Copper Canyon)

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

2009 [editar | editar fonte]

Os vencedores de 2009 foram anunciados em 11 de março de 2010 (vencedores em negrito)

    , American Salvage (Wayne State University Press), O Livro das Mulheres da Noite (Riverhead), Culpa (Sarah Crichton Books / FSG)
  • Hilary Mantel, Wolf Hall (Holt) , Cotovia e cupim (Knopf)
    , Os hindus: uma história alternativa (Penguin Press), Fordlândia: a ascensão e queda da esquecida cidade da selva de Henry Ford (Livros metropolitanos)
  • Richard Holmes, The Age of Wonder: como a geração romântica descobriu a beleza e o terror da ciência (Panteão) , Força no que resta (Casa aleatória) , Imperial (Viking)
  • Eula Biss, Notas da terra de ninguém: ensaios americanos (Graywolf Press) , Fechar telefonemas sem sentido: ler nova poesia (Graywolf Press), Dançando no escuro: uma história cultural da Grande Depressão (Norton), Heróis e vilões: ensaios sobre música, filmes, quadrinhos e cultura (Da Capo Press), Aperfeiçoando o som para sempre: uma história auditiva da música gravada (Faber)
  • Blake Bailey, Cheever: A Life (Knopf) , Flannery: A Life of Flannery O'Connor (Pequeno, marrom), Por que este mundo: uma biografia de Clarice Lispector (Imprensa da Universidade de Oxford) , Primavera amarga: uma vida de Ignazio Silone (Farrar, Straus e Giroux), Passing Strange: um conto de amor e decepção da era dourada em toda a linha de cores (Penguin Press)
  • Diana Athill, Em algum lugar perto do fim (Norton) , Viva com isso: memórias de uma mãe sobre filhas em fuga e amor recuperado (Houghton Mifflin Harcourt), Aceso (Harper), Inimigos do povo: a jornada de minha família para a América (Simon & amp Schuster), Menino da cidade (Bloomsbury)
  • Rae Armantrout, Versado (Wesleyano) , Uma Vida na Aldeia (Farrar, Straus e Giroux), Crônica (Graywolf Press), Captive Voices: New and Selected Poems, 1960–2008 (Louisiana State University Press), Museu de Acidentes (Wave Books)

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

2008 [editar | editar fonte]

Os vencedores de 2008 foram anunciados em 12 de março de 2009 (vencedores em negrito). Β]

  • Roberto Bolaño, 2666. (Farrar, Straus e Giroux) , O projeto Lázaro, (Riverhead), Casa, (Farrar, Straus e Giroux), Olive Kitteridge, (Casa aleatória) , A balada de Trenchmouth Taggart, (West Virginia University Press)
    , Esta República do Sofrimento, (Knopf)
  • Dexter Filkins, A guerra para sempre, (Knopf) , Da Colônia à Superpotência: Relações Exteriores dos EUA desde 1776. (Imprensa da Universidade de Oxford) , Nação Protestante Branca, (Atlântico), O lado obscuro, (Doubleday)
    , Por que vim para o oeste, (Houghton Mifflin), The House on Sugar Beach, (Simon e Schuster), A filha do bispo, (W.W. Norton), Os beirais do céu, (Livros de harmonia)
  • Ariel Sabar, O paraíso do meu pai: a busca de um filho por seu passado judaico no Iraque curdo, (Algonquin)
    , Os Bin Ladens: uma família árabe em um século americano, (Penguin Press)
  • Patrick French, O mundo é o que é: a biografia autorizada de V.S. Naipaul, (Knopf) , Ida, uma espada entre os Leões: Ida B. Wells e a campanha contra o linchamento, (Amistad), Os Hemingses de Monticello: Uma Família Americana, (Norton), White Heat: a amizade de Emily Dickinson e Thomas Wentworth Higginson, (Knopf)
  • Juan Felipe Herrera, Metade do mundo em luz, (University of Arizona Press)Γ] , Fontes, (Turtle Point Press)
  • August Kleinzahler, Dormindo em Rapid City, (Farrar, Straus e Giroux)& # 915 & # 93 (trad. John Ashbery), O paisagista, (Sheep Meadow Press), Human Dark with Sugar, (Copper Canyon Press)
    , Tudo é Cinema: A Vida Profissional de Jean-Luc Godard, (Livros metropolitanos), Os Homens da Minha Vida. (Boston Review / MIT), Maimonides: a vida e o mundo de uma das maiores mentes da civilização, (Doubleday)
  • Seth Lerer, Literatura infantil: a história de um leitor de Esopo a Harry Potter, (University of Chicago Press) , Orfeu no Bronx: Ensaios sobre identidade, política e liberdade de poesia, (University of Michigan Press)

A Citação Nona Balakian para Excelência em Revisão

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

2007 [editar | editar fonte]

Os vencedores do prêmio de 2007 (negrito) foram anunciados em 6 de março de 2008. & # 917 & # 93 & # 918 & # 93

    , Jogos Sagrados (HarperCollins)
  • Junot Díaz, A Breve Vida Maravilhosa de Oscar Wao (Riverhead) , No país dos homens (Tecle Pressione), A filha do Coveiro (Ecco), O apanhador de sombras (Simon e Schuster)
    , Transcendentalismo Americano (Hill e Wang), O que Deus fez: A transformação da América 1815-1848 (Imprensa da Universidade de Oxford)
  • Harriet Washington, Apartheid médico: a história negra da experimentação médica em negros americanos desde os tempos coloniais até o presente (Doubleday), Legado de Cinzas: Uma História da CIA (Doubleday), O mundo sem Nós (Thomas Dunne BKs / St. Martin’s)
    , Coração como água: sobrevivendo ao Katrina e à vida em sua zona de desastre (Imprensa livre)
  • Edwidge Danticat, Irmão estou morrendo (Knopf) , The Journals of Joyce Carol Oates, 1973–1982 (Ecco), Escrevendo em uma era de silêncio (Verso), Diário russo: o último relato de um jornalista sobre a vida, corrupção e morte na Rússia de Putin (Casa aleatória)
  • Tim Jeal, Stanley: a vida impossível do maior explorador da África (Yale University Press) , Edith Wharton (Knopf), Ralph Ellison (Knopf), A Life of Picasso: The Triumphant Years, 1917-1932 (Knopf), Thomas Hardy (Penguin Press)
  • Mary Jo Bang, Elegia (Lobo cinza) , Vida moderna (Lobo cinza) , Dormindo e acordando (Enchente) , A balada de Jamie Allan (Enchente) , Novos Poemas (Arquipélago)
    , Vinte e Oito Artistas e Dois Santos (Panteão), Era uma vez uma Quniceanera (Viking), O sonho de terror (Metropolitan / Holt), Coltrane: a história de um som (Farrar, Straus e amp Giroux)
  • Alex Ross, O resto é barulho: ouvindo o século XX (Farrar, Straus e amp Giroux)

A Citação Nona Balakian para Excelência em Revisão

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra


Finalistas

Os finalistas foram anunciados em 18 de janeiro de 2016. [13] Os vencedores () foram anunciados em 17 de março de 2016 na New School em Nova York. [14]

    , SPQR: Uma História da Roma Antiga , Dê-nos a votação: a luta moderna pelos direitos de voto na América , Ghettoside: uma verdadeira história de assassinato na AméricaSam Quinones, Dreamland: O verdadeiro conto da epidemia de opiáceos da América , O que o olho ouve: uma história do sapateado
    , Fortune’s Fool: The Life of John Wilkes BoothCharlotte Gordon, Outlaws românticos: as vidas extraordinárias de Mary Wollstonecraft e sua filha Mary Shelley , Os Julgamentos de Custer: Uma Vida na Fronteira de uma Nova América , Filha de Stalin: a vida extraordinária e tumultuada de Svetlana Alliluyeva e Shelly Frisch, Dietrich e Riefenstahl: Hollywood, Berlim e um século em duas vidas
    , Entre o mundo e eu , Nascer do sol da eternidade: o mundo imaginativo de William BlakeMaggie Nelson, Os argonautas , Em Elizabeth Bishop , A coisa mais próxima da vida
    Ross Gay, Catálogo de Gratidão Implacável , Como ser desenhado , Coisas mortas brilhantes , Paralaxe: e poemas selecionados , E sobre isso: Poemas coletados de Frank Stanford

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão

Os finalistas foram anunciados em 19 de janeiro de 2015. [15] Os vencedores () foram anunciados em 12 de março de 2015. [16]

    David Brion Davis, O problema da escravidão na era da emancipação e Petra Couvee, O caso Zhivago: o Kremlin, a CIA e a batalha por um livro proibido , A sexta extinção: uma história não natural , Capital do Século XXI, traduzido do francês por Arthur Goldhammer, No fundo escuro: as histórias não contadas de 33 homens enterrados em uma mina chilena e o milagre que os libertou
    , Prelúdio para contusão , Os sucessos essenciais de Shorty Bon BonClaudia Rankine, Citizen: An American Lyric , Uma vez no oeste , Residir
    , As coisas esplêndidas que planejamos: um retrato de famíliaRoz Chast, Não podemos falar de algo mais agradável? , O outro lado , Pequena falha , Havia e não havia
    , William Wells Brown: uma vida afro-americana , Rebel Yell: A Violência, Paixão e Redenção de Stonewall JacksonJohn Lahr, Tennessee Williams: a peregrinação louca da carne , "Literchoor Is My Beat": A Life of James Laughlin, editor do New Directions , As Cruzadas de Cesar Chavez: Uma Biografia
    , Sobre a imunidade: uma inoculação , Geek Sublime: A Beleza do Código, o Código da Beleza , Citizen: An American Lyric , O que Lynne Tillman faria?Ellen Willis, The Essential Ellen Willis, editado por Nona Willis Aronowitz

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão

Os finalistas foram anunciados em 14 de janeiro de 2014. [17] [18] Os vencedores () foram anunciados em 13 de março de 2014. [19]

    Chimamanda Ngozi Adichie, Americanah (Knopf), Alguém (Farrar, Straus & amp Giroux), As paixões, traduzido por Margaret Jull Costa (Knopf), Um conto para o momento (Viking), O pintassilgo (Pequeno, marrom)
    e Shelley Murphy, Whitey Bulger: o gângster mais procurado da América e a caça ao homem que o levou à justiça (Norton) Sheri Fink, Cinco dias no memorial: vida e morte em um hospital devastado pela tempestade (Coroa) , Obrigado por seu serviço (Sarah Crichton Books / Farrar, Straus & amp Giroux), The Unwinding: An Inner History of the New America (Farrar, Straus & amp Giroux), Limpo: Cientologia, Hollywood e a Prisão da Crença (Knopf)
    Frank Bidart, Cão metafísico (Farrar, Straus & amp Giroux), Fica, Ilusão (Knopf), Soprar (University of Pittsburgh Press), Elegy Owed (Copper Canyon), Leite e Sujeira (University of Arizona Press)
    , Aceno (Knopf), O livro da minha vida (Farrar, Straus & amp Giroux), The Faraway Perto (Viking), Homens que colhemos (Bloomsbury) Amy Wilentz, Adeus, Fred Voodoo: uma carta do Haiti (Simon e Schuster)
    , Lawrence na Arábia: guerra, engano, loucura imperial e a construção do Oriente Médio moderno (Doubleday) Leo Damrosch, Jonathan Swift: sua vida e seu mundo (Yale University Press), Bach: Música no Castelo do Céu (Knopf), Segurando de cabeça para baixo: a vida e a obra de Marianne Moore (Farrar, Straus & amp Giroux), Certidão de Nascimento: A História de Danilo Kis (Cornell University Press)
    , Meninas brancas (McSweeney’s), Enfrentando os clássicos: tradições, aventuras e inovações (Liveright), O Projeto Kraus: Ensaios de Karl Kraus, traduzido e anotado por Jonathan Franzen com Paul Reitter e Daniel Kehlmann (Farrar, Straus & amp Giroux), Quarenta e um falsos começos: ensaios sobre artistas e escritores (Farrar, Straus & amp Giroux) Franco Moretti, Leitura à Distância (Verso)

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão

Os finalistas foram anunciados em 14 de janeiro de 2012. [20] Os vencedores () foram anunciados em 28 de fevereiro de 2012. [21]

    , Reinventando Bach , Esperando pelos Bárbaros: Ensaios dos Clássicos à Cultura Pop , Madness, Rack e HoneyMarina Warner, Stranger Magic: Charmed States e as Arabian Nights , O Álbum Cinza: On the Blackness of Blackness
    , Perplexidade: novos poemas e traduções , No espectro de possíveis mortes , Atos FrágeisD. A. Powell, Paisagem inútil ou um guia para meninos , Azeitonas
    , A distância entre nós , Meus poetas , Casa de Pedra: um livro de memórias de casa, família e um Oriente Médio perdidoLeanne Shapton, Estudos de Natação , Na Casa do Intérprete
    Robert A. Caro, A passagem do poder: os anos de Lyndon Johnson , Tudo o que sabemos: três vidas , Retrato de um romance: Henry James e a produção de uma obra-prima americana , Robert Duncan, O Embaixador de Vênus: Uma Biografia , O Conde Negro: Glória, Revolução, Traição e o Conde Real de Monte Cristo

Prêmio Ivan Sandrof pelo conjunto de sua obra

Citação de Nona Balakian por Excelência em Revisão

Os prêmios () foram entregues em 8 de março de 2012, na New School, em Nova York. [22]