Handel compõe o messias - história

Handel compõe o messias - história

George Frideric Handel compôs o oratiorio, O Messias, entre agosto e setembro de 1741, em Londres, Inglaterra. A obra estreou no Music Hall de Dublin, Irlanda, em 14 de abril de 1742. O texto para O Messias vem da Bíblia e do Livro de Oração Saltério, e foi compilado por Charles Jennens. A tradição de defender o Coro do Aleluia começou na primeira apresentação.

Perspectiva histórica sobre messias Performances

George Frideric Handel escreveu messias no final do verão de 1741, quando seu futuro como compositor estava em perigo real. Os empreendimentos de ópera que ele instituiu, e que prosperaram por quase duas décadas, estavam perdendo popularidade e prestes a falir. Para ajudar a pagar as contas, Handel recorreu ao oratório, gênero musicalmente relacionado à ópera, mas sem encenação e figurino. Mesmo com messiasentretanto, Handel ainda estava se firmando no oratório. Ele havia escrito apenas um punhado de obras do gênero, algumas das quais (especialmente Israel no Egito, a partir de 1739) foram inicialmente um fracasso. E messias já era um projeto arriscado. Embora o público inglês tenha por várias décadas abraçado Handel como seu compositor favorito, essa admiração não era garantia do sucesso desta obra.

Principalmente em questão era o tema do oratório. Vários críticos e clérigos consideraram uma blasfêmia um “entretenimento teatral” baseado na vida e nos ensinamentos de Jesus Cristo. Ainda mais polêmico, a letra de messias foram extraídas diretamente das escrituras, em uma colação de Charles Jennens, um aristocrata e músico / poeta de talento modesto que havia trabalhado com Handel em alguns oratórios anteriores. E ter cantores de ópera e atores declamando as escrituras em um teatro era, de acordo com alguns, semelhante a um sacrilégio. (Handel não poderia vencer - quando messias foi agendada para ser realizada na Abadia de Westminster, outros membros do clero declararam que era uma blasfêmia que um entretenimento público ocorresse em uma igreja consagrada!)

Mas Jennens se superou com messias, compilando um libreto com profunda coerência temática e uma maior sensibilidade à estrutura dramática e musical. Ele enviou o libreto a Handel em julho de 1741, e Handel começou a musicá-lo no mês seguinte. Excepcionalmente para Handel, ele começou no início dos textos e trabalhou consecutivamente através deles, traçando e acentuando através da música o poderoso arco dramático que Jennens havia criado. Em alguns lugares, Handel pegou emprestado e modificou a música que havia escrito para outras ocasiões, adaptando-a para De messias textos e estrutura.

Handel completou a pontuação inteira em apenas 24 dias. Os românticos entusiastas de épocas posteriores atribuíam essa rapidez à inspiração divina, embora Handel tenha composto outras obras de tamanho comparável, de natureza mais secular, com a mesma rapidez. Ele era por natureza um compositor fácil. O milagre de De messias composição, então, não é a rapidez com que Handel escreveu a música, mas o quão abrangente ela é astuta, finamente detalhada e consistentemente poderosa.

A primeira performance de messias foi realizada em Dublin em 13 de abril de 1742 e, embora tenha sido um sucesso impressionante, a obra teve uma recepção medíocre em Londres na temporada seguinte. Handel cancelou metade das seis apresentações programadas e retirou-se messias da programação de 1744. Após um breve reavivamento em 1745, messias não foi ouvido novamente em Londres até 1749 em uma apresentação em Covent Garden.

Mas foi um concerto de arrecadação de fundos ao meio-dia na capela ainda inacabada do Hospital Foundling de Londres no final daquele ano que ajudou a mudar De messias fortunas. Na ocasião, Handel encerrou o concerto com o "Foundling Hospital Anthem", uma montagem de música recém-composta com trechos de algumas de suas peças mais antigas, incluindo todo o coro de "Hallelujah" de messias, que ainda era relativamente desconhecido entre o público de Londres. O concerto foi tão popular que ele foi convidado a voltar no ano seguinte para conduzir outro concerto beneficente, e nessa ocasião Handel decidiu executar o oratório completo.

Este desempenho de caridade de messias em sua totalidade no Foundling Hospital em 1750 foi um sucesso sem precedentes, e uma segunda apresentação foi rapidamente arranjada duas semanas depois. Apresentações na época da Páscoa de messias continuou a cada ano no Foundling Hospital, e Handel conduziu ou atendeu cada um deles até sua morte em 1759. Em gratidão, ele legou ao hospital uma partitura de regência e um conjunto completo de peças de desempenho para messias.

Handel compôs originalmente este trabalho com a intenção de sustentar sua própria fortuna decadente. Mas ele descobriu com o desempenho do Foundling Hospital que messias atingiu seu potencial máximo quando empregado para o benefício daqueles com necessidades maiores do que as suas: os viúvos, os doentes, os órfãos e os pobres. O risco que assumiu ao escrever um “espetáculo teatral” sobre o tema Jesus Cristo foi recompensado muitas vezes durante os séculos seguintes, quando a obra-prima de Handel foi universalmente saudada como “o oratório sagrado”, “uma obra consagrada por gênios e consagrada pelo costume para a sagrada causa da caridade. ” messias acabou se tornando, então, o meio para pôr em prática os próprios princípios de fé, esperança e amor expressos em suas letras sagradas e música inspiradora.

Enquanto Handel estava compondo messias, ele não tinha ideia de quantos artistas estariam disponíveis para ele. Para a estreia em Dublin, havia cerca de 30 cantores treinados pela catedral no coro, acompanhados por uma orquestra de cordas, sopros, trompetes e tímpanos do mesmo tamanho. Mas para aquele concerto em Dublin e todas as apresentações subsequentes sob sua direção, Handel continuou a fazer revisões na partitura, personalizando-a para se adequar aos músicos disponíveis, enquanto conciliava os custos de produção e compensação para cada cantor e instrumentista. Donald Burrows - o principal estudioso de Handel de nossos dias - propôs que messias talvez nunca tenha sido executada da maneira que Handel originalmente pretendia, pelo menos não durante a vida do compositor.

O que Handel pode ter "originalmente pretendido" para a escala e instrumentação de messias se nenhuma daquelas primeiras apresentações representasse totalmente sua visão? É uma pergunta espinhosa. Mas a história subsequente de 250 anos de messias prova que seja o que for que Handel possa ter imaginado, a obra em si se manteve muito bem, mesmo em meio às manipulações e multiplicações às vezes extraordinárias de sua pontuação original.

Em 1784, uma performance de messias foi encenado na Abadia de Westminster em Londres para o 25º aniversário da morte de Handel. O coro nessa ocasião contava com cerca de 300 cantores, acompanhados por uma orquestra de tamanho correspondente. Nunca saberemos se Handel teria aprovado tais proporções épicas, mas ele certamente não se intimidava com efeitos musicais dramáticos e marcantes em suas próprias obras, quando as circunstâncias e o orçamento permitiam. Sua suíte Music for the Royal Fireworks de 1749, por exemplo, empregava uma banda ao ar livre com mais de 50 instrumentos de sopro mais cordas - potencialmente quase 100 músicos. As orquestras de ópera e oratório de Handel cresceram consistentemente em tamanho à medida que ele adicionava sopros e metais e multiplicava o número de tocadores de cordas além do mínimo sempre que podia. Mesmo na pontuação de messias, entre as passagens camaristas íntimas, há lugares como o coro "Aleluia" e "Digno é o Cordeiro", que clamam por tanta grandeza e espetáculo quanto possível, e seções (em "Glória a Deus" e "Levante suas cabeças, ”Por exemplo) onde o compositor parece desejar ter um coro duplo à sua disposição. Talvez as principais considerações que impediram Handel de planejar messias pois um coro e uma orquestra de tamanho maior eram simplesmente o custo, a dificuldade de montar tais conjuntos na época e a falta de um salão grande o suficiente para acomodá-los.

Isso tudo mudaria em breve.

No início do século 19, as condições estavam maduras para performances ainda maiores de messias. O advento de sociedades corais amadoras entusiastas na Inglaterra, o foco romântico no "sublime" e De messias reputação naquela época como um favorito infalível do público garantiu que as apresentações fossem frequentemente encenadas em uma escala especialmente grande. E não apenas em Londres, onde o recém-construído Exeter Hall podia receber grupos e multidões maiores, mas também nos festivais corais de catedral que aconteciam em York, Worcester, Gloucester, Hereford, Birmingham e outros locais ao redor do país.

Para essas performances de proporções ambiciosas, a pontuação barroca de Handel foi simplesmente inadequada, e numerosas novas edições tentaram acomodar o apego crescente pela amplitude. Em 1789, Mozart criou uma orquestração notavelmente mais rica de messias, adicionando sopros e metais clássicos ao conjunto, editando pesadamente as dinâmicas e articulações, e até mesmo alterando algumas notas e ritmos. O objetivo de Mozart não era de forma alguma "melhorar" o que Handel havia produzido originalmente, ele uma vez observou que "Handel sabe melhor do que qualquer um de nós o que fará um efeito." Em vez disso, ele apenas esperava organizar o trabalho de Handel de uma forma mais apropriada aos gostos e expectativas do público vienense do final do século 18.

Os "acompanhamentos adicionais" de Mozart (como vieram a ser conhecidos) também permitiram as apresentações maiores que estavam se tornando uma prática padrão na Inglaterra no século 19. Com ventos e metais dobrando as partes corais, centenas de coristas amadores puderam ouvir melhor suas notas na orquestra, e os instrumentos adicionais contribuíram com maior peso e variedade de timbre do que poderia ser conseguido apenas adicionando mais cordas.

Em meados do século 19, messias performances ocasionalmente alcançavam proporções gigantescas. Nos Festivais de Handel no Crystal Palace de Londres, começando em 1857, o coro contava com cerca de 4.000 cantores, com uma orquestra de quase 500, entretendo um público de mais de 20.000. Essas apresentações extravagantemente concentradas usaram uma orquestração amplamente expandida do primeiro maestro do Festival de Handel, Sir Michael Costa. Mas eles não eram necessariamente a "melhor" maneira de ouvir a obra-prima de Handel. A maioria dos músicos da época compreendia perfeitamente as desvantagens de tentar executar em uma escala romântica tão exagerada uma obra concebida em estilo barroco. Mas havia outras considerações que, por um tempo, superaram qualquer impulso de recriar as proporções e sons exatos da época de Handel. Os Festivais de Handel, por exemplo, tinham como objetivo principal homenagear a memória do “grande compositor saxão” e celebrar sua inglesaidade, com apresentações de magnificência sem precedentes - na verdade, insuperável. (Como um crítico observou nesses festivais, "Handel tornou a Inglaterra musical, e a música tornou Handel inglês.") Os festivais de catedrais menores, por outro lado, com artistas contando apenas na casa das centenas, tinham dois objetivos: melhorar todas as classes de sociedade através da exposição à grande arte, e para continuar a tradição reverenciada de performance messias como um fundraiser de caridade para os pobres e viúvos. Quanto mais espetacular for o desempenho e quanto mais pessoas estiverem envolvidas, melhores serão as chances de que esses dois objetivos sejam cumpridos.

No final do século 19, alguns críticos de música começaram a fazer apelos públicos para um retorno a um estilo autenticamente Handel messias, indicando uma iminente mudança radical nos gostos. Uma publicação fac-símile de 1868 de uma das pontuações de Handel revelou algumas diferenças gritantes entre o que Handel havia escrito originalmente e o que o costume tinha posteriormente estabelecido. Depois de suportar outra extravagância do Festival de Handel em 1891, George Bernard Shaw implorou para ouvir apenas uma vez antes de morrer "uma apresentação de O Messias[sic] ... com um coro de vinte artistas competentes. ”

Apresentações em tamanho de câmara de messias começou a aparecer novamente no início do século 20, embora os conjuntos maiores ainda dominassem. Ebenezer Prout produziu uma edição muito usada (e mais tarde, muito difamada) de messias em 1902, que pretendia facilitar as apresentações em festivais desses coros e orquestras amadoras. Mas Prout também propôs especificamente um retorno a alguns dos objetivos originais de Handel do século 18, pelo menos tanto quanto as práticas musicais do final do século 19 e as restrições do desempenho amador permitiriam. Ele cortou uma boa parte dos "acompanhamentos adicionais" de Mozart e defendeu um piano, sempre que possível, para acompanhar a maioria dos recitativos (o cravo barroco havia muito desaparecido da plataforma do concerto naquela época).

Durante o século XX, esse crescente interesse pelas práticas performáticas barrocas, com o objetivo explícito de produzir sons que o próprio Handel possa ter reconhecido, inflacionou fundamentalmente performances de messias. Nas últimas décadas, o equilíbrio caiu drasticamente em direção a essas recriações "historicamente informadas", e as edições de Mozart e Prout foram amplamente rejeitadas como lamentáveis ​​relíquias do passado, ou revividas como "peças de museu" apenas de interesse histórico. Certamente, os tempos novos, os timbres brilhantes e as texturas enxutas do novo estilo "antigo" de desempenho foram uma revelação para o público que herdou um legado de 200 anos de solenes e épicas messias shows.

Mas essas novas versões de especialistas profissionais em música antiga às vezes queriam para o tipo de humanidade leiga e direta que compareceu messias ao longo da maior parte de sua história. Conforme o público estava descobrindo a vitalidade de tocar e cantar no estilo barroco, especialmente nas gravações, eles também se aglomeraram em um "cantar junto" amador. messias concertos, onde o sentido de comunidade, a participação grupal e a fé partilhada que tradicionalmente assistiram a este trabalho ainda estiveram muito presentes.

O que esta cisão atual demonstra é que não há simplesmente uma melhor maneira de realizar a messias. Ao longo de sua história, o trabalho revelou uma variedade de forças potentes por meio de cada uma de suas tradições de desempenho distintas. A paleta estimulante do movimento da Música Antiga agora é parte integrante do messias paisagem sonora. No entanto, o poder sublime, a gama dinâmica e o peso emocional das orquestras modernas e grandes coros que sustentaram a reputação do Messias por dois séculos também ganharam um lugar permanente.

Pelo Dr. Luke Howard, professor associado de história da música na Brigham Young University.

Siga-nos para mais informações sobre as músicas e apresentações do Coro:


Conteúdo

Família Editar

Handel nasceu em 1685 (o mesmo ano que Johann Sebastian Bach e Domenico Scarlatti) em Halle, Ducado de Magdeburg (então parte de Brandemburgo-Prússia). Seus pais eram Georg Händel, de 63 anos, e Dorothea Taust. [8] Seu pai foi um eminente barbeiro-cirurgião que serviu à corte de Saxe-Weissenfels e à Margraviata de Brandemburgo. [9] [d]

Halle era uma cidade relativamente próspera, lar de uma indústria de mineração de sal e centro de comércio (e membro da Liga Hanseática). [11] O Margrave de Brandenburg tornou-se o administrador dos territórios arquiepiscopais de Mainz, incluindo Magdeburg quando eles se converteram, e no início do século 17 manteve sua corte em Halle, que atraiu músicos renomados. [e] Até mesmo as igrejas menores tinham "organistas competentes e bons coros", [f] e as humanidades e as letras prosperaram (Shakespeare era encenado nos teatros no início do século 17). [13] A Guerra dos Trinta Anos trouxe extensa destruição a Halle, e na década de 1680 ela estava empobrecida. [10] No entanto, desde o meio da guerra, a cidade estava sob a administração do duque da Saxônia e, logo após o fim da guerra, ele traria músicos formados em Dresden para sua corte em Weissenfels. [14]

As artes e a música, no entanto, floresceram apenas entre os estratos superiores (não apenas em Halle, mas em toda a Alemanha), [15] dos quais a família de Handel não era membro. Georg Händel (sênior) nasceu no início da guerra e foi aprendiz de barbeiro em Halle aos 14 anos, após a morte de seu pai. [g] Quando ele tinha 20 anos, ele se casou com a viúva do barbeiro-cirurgião oficial de um subúrbio de Halle, herdando sua prática. Com isso, Georg determinadamente iniciou o processo de tornar-se autossuficiente à força de seu estilo de vida "conservador, estável, econômico e nada aventureiro", [16] ele guiou os cinco filhos que teve com Anna, que chegaram à idade adulta, para a profissão médica (exceto seu filha mais nova, que se casou com um funcionário do governo). [17] Anna morreu em 1682. Em um ano, Georg se casou novamente, desta vez com a filha de um ministro luterano, o pastor Georg Taust da Igreja de São Bartolomeu em Giebichenstein, [18] que veio de uma longa linhagem luterana pastores. [16] Handel foi o segundo filho deste casamento, o primeiro filho nasceu morto. [19] Duas irmãs mais novas nasceram após o nascimento de George Frideric: Dorthea Sophia, nascida em 6 de outubro de 1687, e Johanna Christiana, nascida em 10 de janeiro de 1690. [20]

Edição de educação infantil

No início de sua vida, Handel teria participado do Ginásio em Halle, [21] onde o diretor, Johann Praetorius [de], era considerado um músico fervoroso. [22] Se Handel permaneceu lá, e se permaneceu por quanto tempo, é desconhecido, mas muitos biógrafos sugerem que ele foi retirado da escola por seu pai, com base na caracterização dele pelo primeiro biógrafo de Handel, John Mainwaring. Mainwaring é a fonte de quase todas as informações (embora pequenas) sobre a infância de Handel, e muitas dessas informações vieram de J.C. Smith, Jr., confidente e copista de Handel. [23] Quer tenha vindo de Smith ou de outro lugar, Mainwaring frequentemente relata desinformação. [h] É de Mainwaring que vem o retrato do pai de Handel como implacavelmente oposto a qualquer educação musical. Mainwaring escreve que Georg Händel ficou "alarmado" com a propensão muito precoce de Handel para a música, [i] "tomou todas as medidas para se opor a ela", incluindo proibir qualquer instrumento musical na casa e impedir Handel de ir a qualquer casa onde pudesse ser encontrado . [25] Isso não fez nada para diminuir a inclinação do jovem Handel, na verdade, fez o contrário.Mainwaring conta a história do cravo secreto do sótão de Handel: Handel "encontrou meios para levar um pequeno clavicórdio em particular para um quarto no topo da casa. Para este quarto ele roubava constantemente quando a família estava dormindo". [26] Embora tanto John Hawkins quanto Charles Burney tenham creditado esta história, Schoelcher a achou quase "incrível" e uma façanha de "imaginação poética" [27] e Lang a considera uma das "histórias românticas" não comprovadas que cercaram a infância de Handel. [28] Mas Handel deve ter tido alguma experiência com o teclado para ter causado a impressão em Weissenfels que resultou em seu treinamento musical formal. [29]

Educação musical Editar

Em algum momento entre as idades de sete e nove anos, Handel acompanhou seu pai a Weissenfels, onde foi avisado por alguém que Handel sempre considerou ao longo da vida como seu benfeitor, [30] o duque Johann Adolf I. [j] De alguma forma, Handel fez seu caminho ao órgão da corte na capela do palácio da Santíssima Trindade, onde surpreendeu a todos com a sua execução. [33] Ouvir esta apresentação e notar a juventude do intérprete fez com que o duque, cujas sugestões não deviam ser desconsideradas, recomendasse a Georg Händel que Handel recebesse instrução musical. [34] O pai de Handel contratou o organista da igreja paroquial de Halle, o jovem Friedrich Wilhelm Zachow, para instruir Handel. Zachow seria o único professor que Handel já teve. [28] Por causa de seu emprego na igreja, Zachow era um organista "da velha escola", deleitando-se com fugas, cânones e contraponto. [30] Mas ele também estava familiarizado com a evolução da música em toda a Europa e suas próprias composições "abraçaram o novo estilo dramático concertado". [k] Quando Zachow descobriu o talento de Handel, ele o apresentou "a uma vasta coleção de música alemã e italiana, que ele possuía, sagrada e profana, composições vocais e instrumentais de diferentes escolas, diferentes estilos e de todos os mestres". [30] Muitos traços considerados "Handelianos" podem ser rastreados até a música de Zachow. [36] Ao mesmo tempo, Handel continuou a praticar cravo, aprendeu violino e órgão, mas de acordo com Burney, sua afeição especial era para o hautbois (oboé). [37] Schoelcher especula que sua devoção juvenil ao instrumento explica o grande número de peças que compôs para o oboé. [38]

No que diz respeito ao ensino da composição, além de fazer Handel se dedicar ao trabalho tradicional de fuga e cantus firmus, Zachow, reconhecendo os talentos precoces de Handel, sistematicamente apresentou a Handel a variedade de estilos e obras-primas contidos em sua extensa biblioteca. Ele fez isso exigindo que Handel copiasse as partituras selecionadas. “Eu costumava escrever como o diabo naquela época”, lembrou Handel muito mais tarde. [39] Muitas dessas cópias foram inseridas em um caderno que Handel manteve pelo resto de sua vida. Embora tenha desaparecido desde então, o caderno foi suficientemente descrito para compreender quais peças Zachow desejava que Handel estudasse. Entre os principais compositores representados neste livro de exercícios estavam Johann Krieger, um "velho mestre" na fuga e proeminente compositor de órgão, Johann Caspar Kerll, um representante do "estilo sulista" após seu professor Frescobaldi e imitado posteriormente por Handel, [l ] Johann Jakob Froberger, um "internacionalista" também estudado de perto por Buxtehude e Bach, e Georg Muffat, cujo amálgama de estilos francês e italiano e sua síntese de formas musicais influenciaram Handel. [41]

Mainwaring escreve que durante esse tempo Zachow começou a fazer com que Handel assumisse alguns de seus deveres na igreja. Zachow, afirma Mainwaring, estava "frequentemente" ausente, "por causa de seu amor pela companhia e por uma taça alegre", e Handel, portanto, tocava órgão com frequência. [42] Além do mais, de acordo com Mainwaring, Handel começou a compor, aos nove anos, serviços religiosos para voz e instrumentos "e a partir dessa época realmente compôs um serviço semanal por três anos sucessivamente." [43] Mainwaring termina este capítulo da vida de Handel concluindo que três ou quatro anos foram suficientes para permitir que Handel ultrapassasse Zachow, e Handel tornou-se "impaciente por outra situação" "Berlim era o lugar combinado." [44] O descuido com datas ou sequências (e possivelmente a interpretação imaginativa de Mainwaring) torna este período confuso. [m]

Após a morte do pai de Handel. Editar

O pai de Handel morreu em 11 de fevereiro de 1697. [45] Era costume alemão para amigos e familiares compor odes fúnebres para um burguês importante como Georg, [46] e o jovem Handel cumpriu seu dever com um poema datado de 18 de fevereiro e assinado com seu nome e (em deferência aos desejos de seu pai) "dedicado às artes liberais". [47] Na época, Handel estava estudando no Halle's Lutheran Gymnasium ou na Escola de Latim. [46]

Mainwaring fez Handel viajar para Berlim no ano seguinte, 1698. [44] O problema com Mainwaring como uma autoridade para esta data, no entanto, é que ele conta como o pai de Handel se comunicou com o "rei" [n] durante a estada de Handel, recusando a oferta do Tribunal de enviar Handel para a Itália com um estipêndio [49] e que seu pai morreu "após seu retorno de Berlim." [50] Mas, uma vez que Georg Händel morreu em 1697, a data da viagem ou as declarações de Mainwaring sobre o pai de Handel devem estar erradas. Os primeiros biógrafos resolveram o problema fazendo o ano da viagem de 1696, observando então que aos 11 anos de idade Handel precisaria de um tutor, então eles têm o pai de Handel ou um amigo da família acompanhando-o, o tempo todo se perguntando por que o mais velho Handel, que queria que Handel se tornasse advogado, gastaria a soma para levar seu filho ainda mais à tentação da carreira musical. [51] Schoelcher, por exemplo, fez com que Handel viajasse para Berlim às 11, encontrando Bononcini e Attilio Ariosti em Berlim e depois voltando na direção de seu pai. [52] Mas Ariosti não estava em Berlim antes da morte do pai de Handel, [53] e Handel não poderia ter conhecido Bononcini em Berlim antes de 1702. [54] Os biógrafos modernos aceitam o ano como 1698, já que as autoridades mais antigas e confiáveis ​​concordam com e desconsidere o que Mainwaring diz sobre o que aconteceu durante a viagem ou assuma que Mainwaring confundiu duas ou mais visitas a Berlim, como fez com as viagens posteriores de Handel a Veneza. [55]

University Edit

Talvez para cumprir uma promessa a seu pai ou simplesmente porque se considerava "dedicado às artes liberais", em 10 de fevereiro de 1702, Handel matriculou-se na Universidade de Halle. [56] Essa universidade havia sido fundada recentemente. Em 1694, o eleitor de Brandenburg Frederick III (mais tarde rei prussiano Frederick I) criou a escola, em grande parte para fornecer um fórum de palestras para o jurista Christian Thomasius, que havia sido expulso de Leipzig por suas opiniões liberais. [13] Handel não se matriculou na faculdade de direito, embora quase certamente assistisse a palestras. [57] Thomasius foi um cruzado intelectual e acadêmico que foi o primeiro acadêmico alemão a dar palestras em alemão e também denunciou os julgamentos de bruxas. Lang acredita que Thomasius incutiu em Handel um "respeito pela dignidade e liberdade da mente do homem e pela solene majestade da lei", princípios que o teriam atraído e mantido na Inglaterra por meio século. [58] Handel também encontrou o teólogo e professor de línguas orientais August Hermann Francke, que era particularmente solícito com as crianças, especialmente os órfãos. O orfanato que ele fundou tornou-se um modelo para a Alemanha e, sem dúvida, influenciou o próprio impulso de caridade de Handel, quando ele atribuiu os direitos de messias para o Foundling Hospital de Londres. [59]

Pouco depois de iniciar sua educação universitária, Handel (embora luterano [p]) em 13 de março de 1702 aceitou o cargo de organista na catedral calvinista em Halle, a Domkirche, substituindo J.C. Leporin, de quem atuou como assistente. [61] O cargo, que foi um compromisso probatório de um ano, mostrou que a fundação que ele recebeu de Zachow, para um organista de igreja e cantor, era um cargo de alto prestígio. Dele ele recebeu 5 táleres por ano e hospedagem no castelo degradado de Moritzburg. [62]

Nessa mesma época, Handel conheceu Telemann. Quatro anos mais velho de Handel, Telemann estudava direito e ajudava o cantor Johann Kuhnau (o predecessor de Bach na Thomaskirche lá). Telemann lembrou quarenta anos depois em uma autobiografia para Mattheson's Grundlage: "A escrita do excelente Johann Kuhnau serviu de modelo para mim na fuga e no contraponto, mas na modelagem de movimentos melódicos e examiná-los. Handel e eu estávamos constantemente ocupados, visitando-se frequentemente e também escrevendo cartas." [63]

Editar composições Halle

Embora Mainwaring registre que Handel escreveu semanalmente quando era assistente de Zachow e como organista estagiário em Domkirche parte de seu dever era fornecer música adequada, [q] nenhuma composição sagrada de seu período Halle pode ser identificada agora. [65] Mattheson, no entanto, resumiu sua opinião sobre as cantatas da igreja de Handel escritas em Halle: "Handel naqueles dias criava árias muito, muito longas e cantatas totalmente intermináveis ​​que, embora não possuíssem o talento adequado ou o gosto correto, eram perfeitas no que diz respeito harmonia está em causa. " [66]

Existem obras de câmara anteriores, mas é difícil datar qualquer uma delas com a época de Handel em Halle. Muitos historiadores até recentemente seguiram Chrysander e designaram as seis sonatas do trio para dois oboés e baixo contínuo como sua primeira composição conhecida, supostamente escrita em 1696 (quando Handel tinha 11 anos). [67] Lang duvida da data com base na data manuscrita de uma cópia (1700) e em considerações estilísticas. Lang escreve que as obras "mostram um conhecimento profundo do estilo de sonata destilada da escola Corelli" e são notáveis ​​pela "segurança formal e limpeza da textura". [68] Hogwood considera todas as sonatas do trio de oboé espúrias e até sugere que algumas partes não podem ser executadas no oboé. [69] O fato de não existirem fontes manuscritas autênticas e de Handel nunca reciclar nenhum material dessas obras torna sua autenticidade duvidosa. [70] Outras primeiras obras de câmara foram impressas em Amsterdã em 1724 como opus 1, mas é impossível dizer quais são as primeiras obras em sua forma original, em vez de retrabalhos posteriores de Handel, uma prática frequente dele. [68]

A nomeação probatória de Handel para Domkirche expirou em março de 1703. Em julho [r] Handel estava em Hamburgo. Como ele não deixou nenhuma explicação para o movimento, os biógrafos ofereceram suas próprias especulações. Burrows acredita que a resposta pode ser encontrada desvendando a cronologia confusa de Mainwaring da viagem a Berlim. Burrows data esta viagem em 1702 ou 1703 (após a morte de seu pai) e concluiu que, uma vez que Handel (por meio de um "amigo e parente" na corte de Berlim) recusou a oferta de Frederico de subsidiar sua educação musical na Itália (com o entendimento implícito de que ele tornaria-se músico da corte em seu retorno), Handel não podia mais esperar preferência (seja como músico, advogado ou outro) dentro de Brandemburgo-Prússia. E como ele foi atraído pela música dramática secular (por conhecer os italianos Bononcini e Attilio Ariosti e pela influência de Telemann), Hamburgo, uma cidade livre com uma companhia de ópera estabelecida, foi a escolha lógica. [74] A questão permanece, no entanto, por que Handel rejeitou a oferta do rei, dado que a Itália era o centro da ópera. Lang sugere que, influenciado pelos ensinamentos de Thomasius, o caráter de Handel era tal que ele era incapaz de se tornar subserviente a ninguém, mesmo a um rei. Lang vê Handel como alguém que não podia aceitar distinções de classe que exigiam que ele se considerasse um inferior social. "O que Handel ansiava era a liberdade pessoal para se elevar de seu ambiente provinciano para uma vida de cultura." [75] Burrows observa que, como seu pai, Handel foi capaz de aceitar favores reais (e aristocráticos) sem se considerar um servo da corte. [76] E assim, dada a situação financeira embaraçosa de sua mãe, [50] Handel partiu para Hamburgo para obter experiência enquanto se mantinha.

Em 1703, ele aceitou o cargo de violinista e cravista na orquestra da Oper am Gänsemarkt de Hamburgo. [77] Lá ele conheceu os compositores Johann Mattheson, Christoph Graupner e Reinhard Keizer. Suas duas primeiras óperas, Almira e Nero, foram produzidos em 1705. [78] Ele produziu duas outras óperas, Daphne e Florindo, em 1708. Não está claro se Handel dirigiu essas performances.

De acordo com Mainwaring, em 1706 Handel viajou para a Itália a convite de Ferdinando de 'Medici. (Outras fontes dizem que Handel foi convidado por Gian Gastone de 'Medici, que Handel conheceu em 1703-1704 em Hamburgo. [79]) Ferdinando, que tinha um grande interesse por ópera, estava tentando fazer de Florença a capital musical da Itália atraindo o os principais talentos de sua época. Na Itália, Handel conheceu o libretista Antonio Salvi, com quem colaborou posteriormente. Handel partiu para Roma e, como a ópera foi (temporariamente) proibida nos Estados papais, compôs música sacra para o clero romano. Seu famoso Dixit Dominus (1707) é desta época. Ele também compôs cantatas em estilo pastoral para encontros musicais nos palácios da duquesa Aurora Sanseverino (a quem Mainwaring chamou de "Donna Laura") [80] uma das patronas mais influentes do Reino de Nápoles, e os cardeais Pietro Ottoboni, Benedetto Pamphili e Carlo Colonna. Dois oratórios, La resurrezione e Il trionfo del tempo, foram produzidos em um ambiente privado para Ruspoli e Ottoboni em 1709 e 1710, respectivamente. Rodrigo, sua primeira ópera totalmente italiana, foi produzida no teatro Cocomero em Florença em 1707. [81] Agripina foi produzido pela primeira vez em 1709 no Teatro San Giovanni Grisostomo em Veneza, propriedade dos Grimanis. A ópera, com libreto do cardeal Vincenzo Grimani, durou 27 noites consecutivas. [82] O público, estupefato com a grandeza e sublimidade de seu estilo, [83] aplaudiu por Il caro Sassone ("o querido saxão" - referindo-se às origens alemãs de Handel).

Edição de chegada

Em 1710, Handel tornou-se Kapellmeister ao príncipe alemão George, o eleitor de Hanover, que em 1714 se tornaria o rei George I da Grã-Bretanha e da Irlanda. [84] Ele visitou Anna Maria Luisa de 'Medici e seu marido em Düsseldorf a caminho de Londres em 1710. Com sua ópera Rinaldo, baseado em La Gerusalemme Liberata do poeta italiano Torquato Tasso, Handel teve grande sucesso, embora tenha sido composto rapidamente, com muitos empréstimos de suas obras italianas mais antigas. [85] Este trabalho contém uma das árias favoritas de Handel, Cara sposa, amante carae a famosa Lascia ch'io pianga.

Em 1712, Handel decidiu se estabelecer definitivamente na Inglaterra. No verão de 1713, ele morou na propriedade do Sr. Mathew Andrews em Barn Elms, Surrey. [86] [87] Ele recebeu uma renda anual de £ 200 da Rainha Anne depois de compor para ela o Utrecht Te Deum e Jubilate, realizada pela primeira vez em 1713. [88] [89]

Um de seus patronos mais importantes foi o terceiro conde de Burlington e o quarto conde de Cork, um jovem e extremamente rico membro de uma família aristocrática anglo-irlandesa. [90] Enquanto vivia na mansão de Lord Burlington, Handel escreveu Amadigi di Gaula, uma ópera "mágica", sobre uma donzela em perigo, baseada na tragédia de Antoine Houdar de la Motte.

A concepção de uma ópera como uma estrutura coerente demorou a capturar a imaginação de Handel [91] e ele não compôs nenhuma ópera por cinco anos. Em julho de 1717 de Handel Water Music foi apresentada mais de três vezes no rio Tamisa para o rei e seus convidados. Diz-se que as composições estimularam a reconciliação entre Handel e o rei, supostamente irritado com o abandono do compositor de seu posto em Hanover. [92]

At Cannons (1717–19) Editar

Em 1717, Handel tornou-se compositor house em Cannons in Middlesex, onde lançou a pedra fundamental para suas futuras composições corais no Chandos Anthems. [93] Romain Rolland escreveu que esses hinos (ou Salmos) se relacionavam com os oratórios de Handel, da mesma forma que as cantatas italianas se relacionavam com suas óperas: "esplêndidos esboços das obras mais monumentais". [94] Outro trabalho, que ele escreveu para o primeiro duque de Chandos, o proprietário dos Cannons, foi Acis e Galatea: durante a vida de Handel foi o seu trabalho mais executado. Winton Dean escreveu, "a música recupera o fôlego e perturba a memória". [95]

Em 1719, o duque de Chandos se tornou um dos patronos importantes do compositor e assinante principal de sua nova companhia de ópera, a Royal Academy of Music, mas seu patrocínio diminuiu depois que Chandos perdeu dinheiro na bolha do Mar do Sul, que estourou em 1720 em um dos eventos históricos. maiores cataclismos financeiros. O próprio Handel investiu em ações do Mar do Sul em 1716, quando os preços estavam baixos [96] e vendidos antes de 1720. [97]

Royal Academy of Music (1719-34) Editar

Em maio de 1719, o primeiro duque de Newcastle, Lord Chamberlain, ordenou que Handel procurasse novos cantores. [98] Handel viajou para Dresden para assistir à ópera recém-construída. Ele viu Teofane de Antonio Lotti, e integrantes do elenco da Royal Academy of Music, fundada por um grupo de aristocratas para garantir um fornecimento constante de ópera barroca ou ópera séria. Handel pode ter convidado John Smith, seu colega estudante em Halle, e seu filho Johann Christoph Schmidt, para se tornarem seu secretário e amanuense. [99] Em 1723 ele se mudou para uma casa georgiana na 25 Brook Street, que alugou pelo resto de sua vida. [100] Esta casa, onde ele ensaiou, copiou música e vendeu ingressos, agora é o Museu da Casa Handel. [t] Durante doze meses entre 1724 e 1725, Handel escreveu três óperas de sucesso, Giulio Cesare, Tamerlano e Rodelinda. As óperas de Handel são repletas de árias da capo, como Núcleo Svegliatevi nel. Depois de compor Silete venti, ele se concentrou na ópera e parou de escrever cantatas. Scipio, da qual deriva a lenta marcha regimental da Guarda Granadeira Britânica, [101] foi realizada como um paliativo, esperando a chegada de Faustina Bordoni.

Em 1727, Handel foi contratado para escrever quatro hinos para a cerimônia de coroação do rei George II. Um desses, Zadok o Sacerdote, foi tocada em todas as cerimônias de coroação britânicas desde então. [102] As palavras para Zadok o Sacerdote são retirados da Bíblia King James. [103] Em 1728, John Gay's A ópera do mendigo, que zombou do tipo de ópera italiana que Handel popularizou em Londres, estreou no Lincoln's Inn Fields Theatre e teve 62 apresentações consecutivas, a mais longa da história do teatro até então. [104] Após nove anos, a Royal Academy of Music deixou de funcionar, mas Handel logo abriu uma nova empresa.

O Queen's Theatre em Haymarket (agora Her Majesty's Theatre), fundado em 1705 pelo arquiteto e dramaturgo John Vanbrugh, rapidamente se tornou uma casa de ópera. [105] Entre 1711 e 1739, mais de 25 óperas de Handel estrearam lá. [106] Em 1729, Handel tornou-se gerente adjunto do teatro com John James Heidegger.

Handel viajou para a Itália para contratar novos cantores e também compôs mais sete óperas, entre elas a obra-prima dos quadrinhos Partenope e a ópera "mágica" Orlando. [107] Depois de dois oratórios ingleses de sucesso comercial Ester e Débora, ele pôde investir novamente na South Sea Company. Handel retrabalhou seu Acis e Galatea que então se tornou seu trabalho de maior sucesso de todos os tempos. Handel não conseguiu competir com a Ópera da Nobreza, que contratou músicos como Johann Adolph Hasse, Nicolo Porpora e o famoso castrato Farinelli. O forte apoio de Frederico, Príncipe de Gales, gerou conflitos na família real. Em março de 1734, Handel compôs um hino de casamento Este é o dia que o Senhor fez, e uma serenata Parnasso em Festa para Anne, princesa real. [108]

Apesar dos problemas que a Ópera da Nobreza estava causando a ele na época, a vizinha de Handel em Brook Street, Mary Delany, relatou uma festa para a qual ela convidou Handel em sua casa em 12 de abril de 1734, onde ele estava de bom humor:

Eu tinha Lady Rich e sua filha, Lady Cath. Hanmer e seu marido, Sr. e Sra. Percival, Sir John Stanley e meu irmão, Sra. Donellan, Strada [soprano estrela das óperas de Handel] e Sr. Coot. Lord Shaftesbury implorou ao Sr. Percival que o trouxesse e, sendo um amigo professo do Sr. Handel (que também estava aqui), admitiram que nunca fui tão bem entretido em uma ópera! O Sr. Handel estava no melhor humor do mundo, dava aulas e acompanhava a Strada e todas as damas que cantavam das sete às onze. Dei-lhes chá e café e, cerca de meia hora depois das nove, trouxe uma bandeja com chocolate, vinho branco quente e biscoitos. Todos estavam tranquilos e pareciam satisfeitos. [109]

Ópera em Covent Garden (1734-41) Editar

Em 1733, o conde de Essex recebeu uma carta com a seguinte frase: "Handel tornou-se um príncipe tão arbitrário que a cidade murmura." O conselho de investidores principais esperava que Handel se aposentasse quando seu contrato terminasse, mas Handel imediatamente procurou outro teatro. Em cooperação com John Rich, ele iniciou sua terceira companhia no Covent Garden Theatre. Rich era conhecido por suas produções espetaculares. Ele sugeriu que Handel usasse seu pequeno coro e apresentasse a dança de Marie Sallé, para quem Handel compôs Terpsicore. Em 1735, ele introduziu concertos para órgão entre os atos. Handel permitiu pela primeira vez a Gioacchino Conti, que não teve tempo de aprender o seu papel, substituir árias. [110] Financeiramente, Ariodante foi um fracasso, embora ele introduzisse suítes de balé no final de cada ato. [111] Alcina, sua última ópera com um conteúdo mágico, e A festa de Alexandre ou o poder da música baseado em John Dryden Festa de Alexandre estrelou Anna Maria Strada del Pò e John Beard.

Em abril de 1737, aos 52 anos, Handel aparentemente sofreu um derrame que impossibilitou o uso de quatro dedos da mão direita, impedindo-o de se apresentar. [112] No verão, a desordem parecia às vezes afetar sua compreensão. Ninguém esperava que Handel pudesse se apresentar novamente. Mas quer a aflição fosse reumatismo, um derrame ou um colapso nervoso, ele se recuperou com notável rapidez. [113] Para ajudar em sua recuperação, Handel viajou para Aachen, um spa na Alemanha. Durante seis semanas tomou longos banhos quentes e acabou tocando órgão para um público surpreso. [114] Ele escreveu Faramondo em dezembro de 1737 e Serse em janeiro de 1738. Deidamia, sua última ópera, uma co-produção com o conde de Holderness, [115] foi apresentada três vezes em 1741. Handel desistiu do negócio da ópera, enquanto gozava de mais sucesso com seus oratórios ingleses. [116]

Em 1738 compôs música para um relógio musical com órgão de tubos construído por Charles Clay que foi comprado por Gerrit Braamcamp e foi em 2016 adquirido pelo Museu Speelklok de Utrecht. [117] [118]

Oratorio Edit

Il trionfo del tempo e del disinganno, uma alegoria, o primeiro oratório de Handel [119] foi composto na Itália em 1707, seguido por La resurrezione em 1708, que usa material da Bíblia. As circunstâncias de Ester e sua primeira apresentação, possivelmente em 1718, são obscuras. [120] Outros 12 anos se passaram quando um ato de pirataria o levou a aderir Ester Mais uma vez. [121] Três apresentações anteriores despertaram tanto interesse que naturalmente levaram à ideia de apresentá-lo a um público maior. A seguir veio Débora, fortemente colorido pelos hinos da coroação [122] e Atalia, seu primeiro oratório inglês. [123] Nestes três oratórios, Handel lançou as bases para o uso tradicional do coro que marca seus oratórios posteriores. [124] Handel tornou-se seguro de si, mais amplo em sua apresentação e mais diversificado em sua composição. [125]

É evidente o quanto ele aprendeu com Arcangelo Corelli sobre escrever para instrumentos, e com Alessandro Scarlatti sobre escrever para voz solo, mas não há um único compositor que o ensine a escrever para coro. [126] Handel tendeu cada vez mais a substituir os solistas italianos pelos ingleses. A razão mais significativa para essa mudança foi o declínio do retorno financeiro de suas óperas. [127] Assim, foi criada uma tradição para os oratórios que governaria seu desempenho futuro. As apresentações foram feitas sem fantasias e com ação os cantores apareceram com suas próprias roupas. [128]

Em 1736, Handel produziu Festa de Alexandre. John Beard apareceu pela primeira vez como um dos principais cantores de Handel e se tornou o tenor solista permanente de Handel pelo resto da vida de Handel. [129] A peça foi um grande sucesso e encorajou Handel a fazer a transição da escrita de óperas italianas para obras corais inglesas. No Saul, Handel estava colaborando com Charles Jennens e experimentando com três trombones, um carrilhão e tambores militares extragrandes (da Torre de Londres), com certeza ". Será muito barulhento". [130] Saul e Israel no Egito ambos a partir de 1739 encabeçam a lista dos grandes oratórios maduros, nos quais a ária da capo passou a ser a exceção e não a regra. [131] Israel no Egito consiste em pouco mais que refrões, emprestando do Hino fúnebre para a rainha Carolina. Em seus próximos trabalhos, Handel mudou seu curso. Nessas obras, ele deu maior ênfase aos efeitos da orquestra e dos solistas, o coro retirando-se para o segundo plano. [132] L'Allegro, il Penseroso ed il Moderato tem um caráter bastante divertido; o trabalho é leve e fresco.

Durante o verão de 1741, o 3º Duque de Devonshire convidou Handel para ir a Dublin, capital do Reino da Irlanda, para dar concertos em benefício dos hospitais locais. [133] His messias foi apresentada pela primeira vez no New Music Hall em Fishamble Street em 13 de abril de 1742, com a participação de 26 meninos e cinco homens dos coros combinados das catedrais da Igreja de São Patrício e de Cristo. [134] Handel garantiu um equilíbrio entre solistas e coro que ele nunca ultrapassou.


Aleluia! A história do Messias de Handel

Depois que a "temporada" de Londres terminou em 1741, Handel voltou-se, como de costume, para escrever obras para o outono seguinte. Uma delas foi a configuração de um novo libreto do erudito literário e editor das peças de Shakespeare, Charles Jennens, que havia fornecido o texto para Saul quatro anos antes. Ele descreveu messias como uma ‘Coleção de Escrituras’, uma série de pequenos extratos da Versão Autorizada da Bíblia, um pouco diferente da preferência usual de Handel por oratórios baseados em personagens grandiosos e histórias dramáticas do Antigo Testamento.

Handel, endividado e deprimido como resultado, começou a redação no sábado, 22 de agosto de 1741, completou os rascunhos de cada Parte em cerca de uma semana cada e "preencheu" a pontuação em mais alguns dias, um total de 23 dias para o trabalho - um ritmo de trabalho surpreendente, mesmo se alguns números fossem reciclados de músicas anteriores (por que jogar fora a boa música depois de suas apresentações públicas?).

Foi tão rápido, na verdade, que a maioria de nós seria pressionada a simplesmente copiar a música, quanto mais concebê-la virtualmente do zero.

Jennens ficou surpresa ao ouvir isso messias não estava programada para a primeira apresentação em Londres: ele escreveu em uma carta "foi um tanto mortificante para mim saber que, em vez de apresentá-la aqui, ele foi para a Irlanda com ela".

A evidência interna da pontuação, entretanto, sugere que Handel tinha isso em mente para Dublin, e não para os recursos mais generosos de Londres. É modestamente pontuado, apenas para cordas, trompetes e bateria, e requer apenas quatro solistas, um de soprano, alto, tenor e baixo.

O historiador da música inglesa Dr Charles Burney afirma que, quando era um menino de 15 anos na escola em Chester, ele viu Handel lá, a caminho de Dublin, "[fumando] um cachimbo sobre um prato de café no Exchange Coffee-House". Handel perguntou ao professor de música de Burney, o organista da catedral "se havia algum coro na catedral que pudesse cantar à vista, pois ele desejava provar alguns livros que foram transcritos às pressas tentando os coros que pretendia apresentar na Irlanda".

Um baixo, um impressor chamado Jansen, foi recomendado a ele e um ensaio aconteceu no Golden Falcon onde Handel estava hospedado. Jansen falhou miseravelmente em lidar com ‘E com suas listras’ de messias ao que, diz Burney, Handel, "depois de xingá-lo em quatro ou cinco línguas diferentes, gritou em um inglês ruim:" Seu shcauntrel, não me diga que sabia cantar à primeira vista? ". “Sim senhor”, diz o impressor, “e posso, mas não à primeira vista” '. Alguns estudiosos duvidaram dessa anedota animada. Para outros, soa verdadeiro porque parece bastante improvável que um escritor respeitável como Burney simplesmente o invente.

Handel chegou a Dublin vindo de Holyhead em 18 de novembro de 1741, seguido três dias depois por uma soprano, Christina Maria Avolio, que cantou para ele durante sua estada em Dublin. Ele rapidamente organizou uma série de seis concertos por assinatura, incluindo sua Ode baseada nos poemas pastorais de John Milton L'Allegro e Il Penseroso em uma sala de concertos recém-construída na Fishamble Street (nomeada em homenagem aos peixes que 'andam' ou barracas no mercado de lá). Os shows foram um sucesso imediato, Handel relatou que os assinantes encheram "uma sala de 600 pessoas, de modo que não precisei vender um único ingresso na porta".

O comparecimento não foi menor em janeiro, com tantos engarrafamentos que ‘Senhores e senhoras são solicitados a mandar seus treinadores e cadeiras descerem a Fishamble Street, o que evitará muitos incômodos que aconteceram na noite anterior’. No entanto, a promoção de concertos teve seus problemas. Jonathan Swift, decano da Catedral de São Patrício deu aprovação para vigários-corais do coro da Catedral para participar da série de Handel. De repente, aparentemente o resultado de uma falha de memória (ele foi descrito como 'morrendo do topo'), ele rescindiu a licença para 'ajudar em um clube de violinistas na Fishamble Street' e exigiu que seu 'Subdireto e Capítulo punissem tais vigários como sempre aparecerão lá, como cantores, violinistas, flautistas, trompetistas, percussionistas, tocadores de tambor, ou em qualquer qualidade sonal, de acordo com os agravos flagrantes de sua respectiva desobediência, rebelião, perfídia e ingratidão '. Swift parece ter esquecido essa mudança de opinião tão rapidamente quanto a experimentou pela primeira vez, e cantores de catedrais participaram, apesar de potenciais "agravos lamentáveis", em concertos de sucesso a partir de janeiro.

o Dublin Journal de 27 de março de 1742, anunciando a primeira apresentação de messias, enfatizou seus objetivos de caridade: 'Para Alívio dos Prisioneiros em várias Prisões, e para o Apoio do Hospital Mercer em Stephen's Street, e da Enfermaria de Caridade em Inns Quay, na segunda-feira, 12 de abril, será realizada no Musick corredor na Fishamble Street, Sr. O novo Grande oratório de Handel, chamado de MESSIAS, no qual os Cavalheiros dos Corais de ambas as Catedrais assistirão, com alguns Concertos no Órgão, do Sr. Handell. '

Os ingressos custam meio guinéu cada, cerca de £ 45 em dinheiro de hoje, mas também deram entrada para o ensaio no dia 9 de abril, que foi recebido por "um público muito grandioso, educado e lotado". Presumivelmente, em resposta a essas vendas de ingressos, o Diário publicou um apelo no dia 10 de abril que: 'As Senhoras que honram esta Performance com a sua Presença ficarão satisfeitas em vir sem o Hoops, pois irá aumentar muito a Caridade, ao abrir espaço para mais companhia', e no dia da performance, adiado até 13 de abril, 'Os Cavalheiros [eram] desejados que viessem sem suas espadas', e por uma boa razão - o 'Salão Musical' projetado para um público de cerca de 600, tinha 700 lotados nele por volta do meio-dia, quando a apresentação devidamente começou.

As informações sobre os artistas desta apresentação inaugural são bastante vagas. O número exato de cantores ou músicos de orquestra não é conhecido. Mas a orquestra foi certamente liderada por Matthew Dubourg, que se mudou de Londres para Dublin em 1728 e a partir de então dividiu seu tempo entre as duas capitais. Ele era um amigo de longa data de Handel, que lhe deixou £ 100 em seu testamento. Eles claramente parecem ter gostado de uma ou duas piadas irônicas: em uma ocasião, depois de improvisar uma cadência excepcionalmente longa, Handel declarou ‘Bem-vindo ao lar, Sr. Dubourg!’.

Presumivelmente, Handel dirigiu a apresentação do órgão, seu próprio instrumento de tamanho portátil que ele havia providenciado para ser levado a Dublin. Dos cantores solo, a soprano foi Christina Avolio, de quem Handel escreveu que "ela agrada extraordinária". Sua contralto feminina foi Susanna Maria Cibber, atriz e cantora que, de acordo com Charles Burney, "cativou todos os ouvintes com sensibilidade por sua doçura de voz e poderes de expressão nativos". Ela havia fugido de Londres para Dublin para escapar do escândalo de um caso de adultério e parece ter conseguido a absolvição pública quando um Rev. Dr. Delaney foi levado a se levantar de sua cadeira depois que ela cantou "Ele foi desprezado" e exclamou "Mulher, por este seja todos os teus pecados perdoados '.

Os outros solistas vieram dos Coros da Catedral, e também cantaram no coro. Isso era relativamente pequeno. Handel pode ter convocado até 26 meninos triplos das duas catedrais, mas, para as partes inferiores, o estudioso de Handel Donald Burrows contou com imaginação os homens conhecidos da catedral, subtraiu quatro que provavelmente foram ordenados e, portanto, não tinham permissão para participar de concertos seculares , e chegar a apenas três ou quatro cantores por parte - o tipo de escala de música de câmara para a qual estamos retornando de forma revigorante hoje.

A performance recebeu ótimas críticas. o Dublin Journal relatou: ‘… os melhores juízes permitidos [messias] para ser a peça mais acabada de Musick. Palavras estão querendo expressar o requintado deleite que proporcionou à admirável Audiência lotada. O Sublime, o Grande e o Terno, adaptados às Palavras mais elevadas e comoventes, conspiraram para transportar e encantar o Coração e o Ouvido arrebatados. Por 268 anos desde então, messias permaneceu proeminente entre os oratórios sagrados. Através de todas as suas adições clássicas de Mozart, pontuação gigantesca de Sir Thomas Beecham, renderizações do Palácio de Cristal por moldes de milhares (ver Outro belo messias verso), performances espontâneas "do zero", até a redescoberta mais recente de sua escala e caráter originais, nunca falhou em "transportar e encantar o violento Coração e Ouvido".


A história por trás do Messias de Handel

O Dr. Jerry Newcombe é um arquivista-chave da Biblioteca Legado D. James Kennedy, porta-voz e co-apresentador da Kennedy Classics.

Um favorito de Natal de muitos é Handel’s messias. Eu até ouvi dizer que as linhas de abertura de seu Hallelujah Chorus são as peças musicais mais reconhecidas em todo o mundo.

Uma vez eu estava com alguns amigos em Londres. Vimos um cartaz histórico em uma casa velha e dizia que George Friedrich Handel havia morado lá. Quase fiquei apoplético de alegria. Mas nas proximidades, no que me lembro era um prédio adjacente, havia outro marcador azul dizendo que Jimi Hendrix morou naquela casa por um tempo. E meus amigos ficaram mais emocionados com isso.

Há algo profundamente comovente sobre o que considero o maior trabalho de Handel, Messias. Além disso, acho que este trabalho é um grande zênite da civilização ocidental. A história por trás messias é fascinante.

Em seu livro, Vidas espirituais dos grandes compositores, Patrick Kavanaugh conta como Handel mal comeu durante os 24 dias em que escreveu messias. A certa altura, o compositor tinha lágrimas nos olhos e gritou para seu servo: "Eu realmente pensei que vi todo o Céu diante de mim, e o grande Deus em pessoa." Ele tinha acabado de escrever o Hallelujah Chorus.

Surpreendentemente, messias veio em um momento de sua vida em que Handel, de 56 anos, estava enfrentando a falência e o fracasso total. Além disso, algumas autoridades da Igreja da Inglaterra foram aparentemente críticas a ele e sua obra.

Ele parecia exausto - com seus melhores dias para trás. Mas escrevendo messias provou ser o ponto de viragem positivo em sua vida.

Handel nasceu na Alemanha. Seu pai queria que ele estudasse direito, mas George Friedrich tinha aptidão para a música, o que ficou claro desde o início. Sua mãe comprou para ele um cravo, que guardaram no sótão, em segredo de seu pai.

Aos doze anos, Handel escreveu sua primeira obra musical.

Mais tarde, após a morte de seu pai, ele tentou estudar Direito, mas não teve interesse. Então ele estudou música na Universidade de Halle.

Em 1712, Handel mudou-se para a Inglaterra e nunca mais voltou para a Alemanha.

Enquanto experimentava sucessos através de várias composições, incluindo óperas e óperas sagradas (oratórios baseados em temas bíblicos), Kavanaugh observa que os fracassos de Handel ameaçavam dominá-lo: "Seus sucessos comerciais ocasionais logo encontraram um desastre financeiro ... Ele se esforçou implacavelmente para se recuperar de um fracasso após outro e, finalmente, sua saúde começou a piorar. Em 1741, ele estava nadando em dívidas. Parecia certo que ele iria cair na prisão de devedores. "

Mas 1741 provou ser o ponto de inflexão. Por um lado, ele deu o que temia ser seu concerto de despedida. Por outro lado, um amigo seu, Charles Jennens, Jr., deu-lhe um libreto (um texto) para uma obra sagrada. Foi essencialmente uma assembléia de versículos bíblicos, focalizando o Messias, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento. Além disso, uma instituição de caridade em Dublin pagou-lhe dinheiro para escrever algo para uma apresentação de caridade.

messias foi o resultado, e foi muito bem-sucedido.

O papel de Jennens nesta obra-prima costuma ser perdido, mesmo para fãs de messias. Foi ele quem recolheu cuidadosamente a Bíblia King James e reuniu os versículos sobre o Cristo que Handel tão brilhantemente musicou.

O Rev. John Moore é um ministro da música que conheço, que participou diretamente de 300 apresentações de Messias---seja como maestro, cantor ou trompetista. Ele me contou mais sobre Jennens, uma cristã devota.

“O Iluminismo havia surgido”, disse Moore, “e havia muitas pessoas que rejeitavam o Cristianismo. E o deísmo era a religião da elite. E havia um homem chamado Charles Jennens que queria neutralizar isso, e ele também era um admirador fervoroso de Handel. E então ele forneceu o libreto e, como resultado, esta incrível obra-prima de música com ênfase cristã tem sido uma obra importante ao longo dos séculos, desde que foi escrita. ”

O libreto de messias consiste em 73 versículos da versão King James da Bíblia --- 42 do Antigo Testamento, 31 do Novo --- todos apontando para Jesus de Nazaré como o Cristo, ... o Ungido .... o Messias.

messias foi apresentado pela primeira vez em Dublin em 1742. Foi um concerto beneficente para a caridade. De acordo com uma fonte, a receita libertou 142 homens da prisão de devedores.

Um ano depois, o Rei George II esteve presente na primeira apresentação de messias em Londres. Diz-se que o monarca adormeceu e, na abertura do Coro do Aleluia, ele se levantou, pensando que era sua deixa. Seja qual for a razão, ele se levantou, e esse tem sido o costume desde então - ficar durante o Coro do Aleluia.

Mas a obra-prima de Handel, agora uma tradição de Natal e Páscoa, foi escrita com um propósito maior para seus ouvintes: "Eu deveria lamentar se apenas os entretinha. Eu desejo torná-los melhores. ”


Estreia e primeiras apresentações

Dublin, 1742

A decisão de Handel de dar uma temporada de concertos em Dublin no inverno de 1741-42 surgiu de um convite do Duque de Devonshire, então servindo como Lorde Tenente da Irlanda. Um amigo violinista de Handel & # 8217s, Matthew Dubourg, estava em Dublin como o Lord Lieutenant & # 8217s maestro que cuidaria dos requisitos orquestrais da turnê & # 8217s. Se Handel pretendia originalmente executar o Messias em Dublin é incerto, ele não informou Jennens de tal plano, pois o último escreveu a Holdsworth em 2 de dezembro de 1741: & # 8220 & # 8230 foi um tanto mortificante para mim ouvir isso em vez de executar o Messias aqui ele foi para a Irlanda com ele. & # 8221 Depois de chegar a Dublin em 18 de novembro de 1741, Handel arranjou uma série de seis concertos por assinatura, a serem realizados entre dezembro de 1741 e fevereiro de 1742 no Great Music Hall, Fishamble Street. Esses shows eram tão populares que uma segunda série foi rapidamente arranjada. Messias não figurava em nenhuma das séries.

No início de março, Handel começou a discutir com os comitês apropriados para um concerto de caridade, a ser dado em abril, no qual ele pretendia apresentar o Messias. Ele procurou e obteve permissão de St Patrick & # 8217s e das catedrais da Igreja de Cristo para usar seus coros nesta ocasião. Essas forças totalizaram 16 homens e 16 meninos coristas. Vários dos homens receberam peças solo. As mulheres solistas foram Christina Maria Avoglio, que cantou os papéis principais de soprano nas duas séries de assinaturas, e Susannah Cibber, uma consagrada atriz de palco e contralto que cantou na segunda série. Para acomodar o alcance vocal de Cibber & # 8217, o recitativo & # 8220Então os olhos dos cegos & # 8221 e a ária & # 8220Ele deve alimentar seu rebanho & # 8221 foram transpostos para Fá maior. A apresentação, também no salão da Fishamble Street, foi originalmente anunciada para 12 de abril, mas foi adiada por um dia & # 8220 a pedido de pessoas de Distinção & # 8221. A orquestra em Dublin era composta de cordas, dois trompetes e tímpanos, o número de músicos é desconhecido. Handel mandou enviar seu próprio órgão para a Irlanda para as apresentações, um cravo provavelmente também foi usado.

As três instituições de caridade beneficiadas foram o alívio da dívida dos prisioneiros & # 8217, o Hospital Mercer & # 8217s e a Enfermaria de Caridade. Em seu relatório sobre um ensaio público, o Dublin News-Letter descreveu o oratório como & # 8220 & # 8230 ultrapassando de longe qualquer coisa daquela Natureza que foi executada neste ou em qualquer outro Reino & # 8221. Setecentas pessoas assistiram à estreia em 13 de abril. Para que o maior público possível pudesse ser admitido no concerto, os cavalheiros foram solicitados a remover suas espadas e as senhoras foram convidadas a não usar argolas em seus vestidos. [38] O desempenho recebeu elogios unânimes da imprensa reunida: & # 8220As palavras desejam expressar o delicioso deleite que proporcionou ao admirado e abalado público & # 8221. Um clérigo de Dublin, Rev. Delaney, ficou tão emocionado com a tradução de Susanna Cibber & # 8217s de & # 8220Ele era desprezado & # 8221 que supostamente se levantou e gritou: & # 8220Mulher, que todos os seus pecados sejam perdoados! & # 8221. Os ganhos totalizaram cerca de £ 400, fornecendo cerca de £ 127 para cada uma das três instituições de caridade nomeadas e garantindo a libertação de 142 prisioneiros endividados.

Handel permaneceu em Dublin por quatro meses após a estreia. Ele organizou uma segunda apresentação do Messias em 3 de junho, que foi anunciada como & # 8220a última apresentação do Sr. Handel & # 8217s durante sua estadia neste reino & # 8221. Nesse segundo Messias, que era para benefício financeiro privado de Handel & # 8217, Cibber reprisou seu papel desde a primeira apresentação, embora Avoglio possa ter sido substituído por uma Sra. Maclaine [46] detalhes de outros artistas não foram registrados.

Londres, 1743-59

A calorosa recepção concedida ao Messias em Dublin não se repetiu em Londres quando Handel apresentou a obra no teatro Covent Garden em 23 de março de 1743. Avoglio e Cibber foram novamente os solistas principais, a quem se juntou o tenor John Beard, um veterano de Handel & # Óperas dos anos 8217, o baixo Thomas Rheinhold e duas outras sopranos, Kitty Clive e Miss Edwards. A primeira apresentação foi ofuscada por opiniões expressas na imprensa de que o tema da obra & # 8217s era muito exaltado para ser representado em um teatro, especialmente por cantoras-atrizes seculares como Cibber e Clive. Em uma tentativa de desviar tais sensibilidades, em Londres Handel evitou o nome de Messias e apresentou a obra como & # 8220New Sacred Oratorio & # 8221. Como era seu costume, Handel reorganizou a música de acordo com seus cantores. Ele escreveu uma nova configuração de & # 8220E eis, o anjo do Senhor & # 8221 para Clive, nunca usado posteriormente. Ele acrescentou uma canção tenor para Beard: & # 8220Their sound is gone & # 8221, que havia aparecido no libreto original de Jennens & # 8217, mas não tinha estado nas apresentações em Dublin.

O costume de representar o coro & # 8220Hallelujah & # 8221 origina-se da crença de que, na estreia em Londres, o rei George II o fez, o que obrigaria todos a se levantarem. Não há nenhuma evidência convincente de que o rei estava presente, ou que ele assistiu a qualquer apresentação subsequente do Messias, a primeira referência à prática de permanecer em pé aparece em uma carta datada de 1756.

A recepção inicialmente fria do Messias em Londres levou Handel a reduzir a temporada de seis apresentações para três, e a não apresentar a obra em 1744 - para grande aborrecimento de Jennens, cujas relações com o compositor azedaram temporariamente. A pedido de Jennens & # 8217s, Handel fez várias mudanças na música para o revival de 1745: & # 8220Seu som se foi & # 8221 tornou-se uma peça coral, a canção soprano & # 8220Rejoice grandemente & # 8221 foi recomposta em forma abreviada e as transposições para Cibber & # 8217s as vozes foram restauradas à sua gama de soprano original. Jennens escreveu para Holdsworth em 30 de agosto de 1745: & # 8220 [Handel] fez um ótimo entretenimento, embora não tão bom quanto ele poderia e deveria ter feito. Com grande dificuldade, fiz com que ele corrigisse algumas das falhas mais grosseiras da composição & # 8230 & # 8221 Handel dirigiu duas apresentações em Covent Garden em 1745, em 9 e 11 de abril, e depois deixou o trabalho de lado por quatro anos.

O revival de 1749 em Covent Garden, sob o título apropriado de Messias, viu o aparecimento de duas mulheres solistas que estavam, a partir de então, intimamente associadas à música de Handel & # 8217: Giulia Frasi e Caterina Galli. No ano seguinte, juntou-se a eles o alto masculino Gaetano Guadagni, para quem Handel compôs novas versões de & # 8220Mas que pode permanecer & # 8221 e & # 8220A arte de Ha subiu em alta & # 8221. O ano de 1750 também viu a instituição das apresentações anuais de caridade do Messias no Hospital Foundling de Londres & # 8217s, que continuou até a morte de Handel & # 8217 e além. A apresentação de 1754 no hospital é a primeira em que todos os detalhes das forças orquestrais e vocais sobrevivem. A orquestra incluía quinze violinos, cinco violas, três violoncelos, dois contrabaixos, quatro fagotes, quatro oboés, duas trombetas, duas trompas e bateria. No coro de dezenove havia seis agudos da Chapel Royal, o restante, todos homens, eram altos, tenores e baixos. Frasi, Galli e Beard lideraram os cinco solistas, que foram solicitados a auxiliar o coro. Para esta apresentação, as árias de Guadagni transpostas foram restauradas para a voz de soprano. Em 1754, Handel foi severamente afetado pelo início da cegueira e, em 1755, ele passou a direção do desempenho do Messias no hospital para seu aluno, J.C. Smith. Ele aparentemente retomou suas funções em 1757 e pode ter continuado depois disso. A última apresentação da obra em que Handel esteve presente foi em Covent Garden em 6 de abril de 1759, oito dias antes de sua morte.


5 coisas que você talvez não saiba sobre o Messias de Handel e # 39

No mundo da orquestra, George Frideric Handel's messias é uma tradição anual de Natal como gemada e Papai Noel de shopping centers lotados.

Somente na temporada 2014-2015, 13 das 22 maiores orquestras americanas irão se apresentar 38 vezes.

o messias oratório estreou em 1742 quando o alemão Handel foi o compositor proeminente em sua casa adotiva no Reino Unido. O nome de Handel atraiu uma multidão que os membros da audiência foram aconselhados a deixar suas saias e espadas em casa por medo de superlotação no De messias Estreia de Dublin.

Mas, por mais que o trabalho de Handel tenha se tornado uma tradição, muitos públicos modernos podem não saber exatamente como ele veio a ser e como veio a dominar o calendário da orquestra do tempo de Yule.

George Frideric Handel

1. Muitas pessoas pensaram que era uma blasfêmia

Dado o tema sagrado do oratório e a nota de Handel em seu manuscrito original que dizia "Somente a Deus a glória", é difícil imaginar que qualquer público pudesse ter interpretado a música como algo menos que devota.

No entanto, ópera e compositores clássicos eram frequentemente objeto de ultraje moral no século XVIII. Durante uma apresentação de uma ópera de Handel em 1727, duas sopranos principais vieram para bater no palco enquanto o público os enraizava. O incidente levou o satírico John Arbuthnot a escrever um panfleto sobre o absurdo do mundo da ópera de Londres que incluía a frase: "É uma pena que duas mulheres tão bem-educadas se chamem de b ---- e q ---, devem repreender e lutar. ”

Ópera de Handel Ester também causou indignação do bispo de Londres quando foi encenada por cantores de catedrais em 1732. Quando Handel passou da ópera para o oratório que tratava de assuntos religiosos, muitos críticos se opuseram à ideia de misturar os mundos sagrado e secular, onde o mesmo teatro poderia hospedar assunto religioso em um dia e comédia sugestiva no outro.

Handel esperava que anunciar a peça como “Um Oratório Sagrado” em vez de “Messias” ajudasse a acalmar parte da controvérsia, e sua decisão de estrear a obra em Dublin em vez de Londres foi em parte para tentar a obra longe dos bispos anglicanos. Mas mesmo na Irlanda, Jonathan Swift de As Viagens de Gulliver a fama ameaçou proibir publicamente os cantores da Catedral de São Patrício de participarem.

2. Não é uma peça de Natal

O libretista Charles Jennens, que era amigo próximo e colaborador de Handel, usou as histórias bíblicas de Jesus para o De messias texto. Jennens descreveu seu trabalho como "uma meditação de nosso Senhor como Messias no pensamento e na fé cristã".

Mas apenas o primeiro terço da obra era sobre o nascimento de Jesus. O segundo ato cobre a morte de Jesus e o terceiro enfoca sua ressurreição. Como tal, a peça foi originalmente concebida como uma obra para a Páscoa e foi estreada na primavera durante o período da Quaresma.

No século 19, messias tornou-se um grampo regular em dezembro, especialmente nos Estados Unidos. Laurence Cummings, maestro da London Handel Orchestra, disse Smithsonian Magazine que o costume da apresentação de Natal pode ter surgido em parte por necessidade.

"Há tanta música boa de Páscoa - a Paixão de São Mateus de Bach, mais especialmente - e tão pouca música sacra excelente escrita para o Natal", disse ele.

3. Foi escrito incrivelmente rápido

Handel escreveu a versão original de messias em três a quatro semanas. A maioria dos relatos históricos estima que o compositor passou apenas 24 dias escrevendo o oratório.

O que torna isso ainda mais surpreendente é a escala da pontuação de 259 páginas. Richard Luckett, autor de Messias de Handel: Uma celebração, escreve que existem alguns erros não corrigidos ou notas apagadas, mas notavelmente poucos erros, dada a velocidade da escrita de Handel.

O comentarista musical da NPR Miles Hoffman estima que haja cerca de 250 mil notas em messias. Com pouco mais de três semanas de dias de 10 horas, Hoffman disse que isso significa que Handel teria que manter um ritmo contínuo escrevendo 15 notas por minuto.

4. Não existe uma versão definitiva

Leonard Bernstein certa vez levantou as sobrancelhas ao reordenar seções de messias para uma apresentação no Carnegie Hall. Poucos regentes teriam a confiança para mexer com as intenções originais de um compositor como Handel, mas na realidade suas intenções originais são difíceis de adivinhar.

Handel reescreveu partes do oratório para melhor atender às habilidades dos solistas e dos instrumentos disponíveis em cada uma das 13 apresentações originais. Historicamente, messias continuou a mudar com os conjuntos que o executam. Mozart re-orquestrado messias em 1789 e deu-lhe um som mais moderno para os padrões da orquestra clássica. Ele escreveu humildemente que quaisquer alterações que fizesse não deveriam ser vistas como um esforço de melhoria.

5. O Rei George II ficou durante o coro de "Aleluia" ... ou talvez não

Uma lenda frequentemente repetida sobre messias conta a história do Rei George II, que ficou tão comovido com o coro "Hallelujah" durante a estreia de Londres de messias que ele se levantou e então todos os presentes seguiram o exemplo para não se sentarem quando o rei se levantasse.

Assim, acreditamos que a tradição regularmente debatida de ficar em pé durante o coro de “Aleluia” surgiu - também dando origem a incontáveis ​​batalhas passivo-agressivas de decoro de concerto entre os assistentes e os participantes.

No entanto, de acordo com vários especialistas, não há verdade nesta história. Na verdade, não há evidências de que o rei George II estava presente, e é improvável que os redatores de jornais que estavam na platéia deixassem de mencionar uma presença real. A primeira referência a essa história foi uma carta escrita 37 anos após o fato.

O ponto em que isso nos deixa no confronto stand-versus-sit anual, no entanto, ainda está em debate.


& # 8216Messiah & # 8217: The Story Behind Handel & # 8217s Masterpiece

Explore o & # 8216Messiah & # 8217 & # 8211 de Handel, um oratório que traça a história de Jesus Cristo e é uma das maiores obras corais de todos os tempos.

Handel composto Messias, um oratório de língua inglesa que narra a história de Jesus Cristo, em 1741. messias foi apresentada pela primeira vez em Dublin em 13 de abril de 1742 e estreou em Londres quase um ano depois. Após uma recepção pública inicialmente modesta, o oratório ganhou popularidade e eventualmente se tornou uma das peças corais mais conhecidas e executadas com mais frequência na música ocidental. O coro & # 8216Hallelujah & # 8217 é uma das peças mais famosas da música coral barroca e a seção mais conhecida da obra. Embora tenha sido escrito originalmente para a Páscoa, Handel é eminentemente cantável messias também se tornou um pilar da época festiva. Comemore a Páscoa vivenciando a história de Cristo por meio de uma das maiores obras corais de todos os tempos - Handel's messias.

Ouça nossa gravação recomendada de Handel's messias, gravado por Trevor Pinnock com o Concerto e Coro Inglês, agora.


Messias e George Frideric Handel

Em uma pequena casa londrina na Brook Street, um garçom suspira resignado enquanto arruma uma bandeja cheia de comida que ele espera não ser comida.

Por mais de uma semana, ele continuou fielmente a esperar por seu empregador, um compositor excêntrico, que passa horas após horas isolado em seu próprio quarto. De manhã, ao meio-dia e à noite, o homem entrega refeições atraentes ao compositor e retorna mais tarde para encontrar as tigelas e travessas quase intactas.

Mais uma vez, ele se prepara para seguir a mesma rotina, resmungando baixinho sobre como os músicos podem ser estranhamente temperamentais. Quando ele abre a porta da sala do compositor, o garçom para no meio do caminho.

O compositor assustado, com lágrimas escorrendo pelo rosto, vira-se para ele e clama: "Eu realmente pensei que vi todo o Céu diante de mim, e o grande Deus em pessoa." George Frideric Handel tinha acabado de escrever um movimento que tomaria seu lugar em história como o & quot Coro de Aleluia & quot.

Se o pai de Handel tivesse vencido, o & quot Coro de Aleluia & quot nunca teria sido escrito.Seu pai era um & cotirurgião-barbeiro & quot, um homem prático e prático que estava determinado a mandar seu filho para a faculdade de direito. Embora Handel tenha mostrado um talento musical extraordinário quando criança, seu pai se recusou por vários anos a permitir que ele tivesse aulas.

George Frideric nasceu em 1685, um contemporâneo de Bach, um companheiro alemão, e também criado como um companheiro luterano, mas eles nunca se encontraram. Embora muitos livros sobre a vida de grandes compositores comecem com Bach, na verdade, Handel nasceu várias semanas antes, em 23 de fevereiro de 1685.

Quando o menino tinha oito ou nove anos, um duque o ouviu tocar um postlúdio de órgão após um culto de adoração. O pai de Handel foi sumariamente solicitado a fornecer treinamento musical formal para o menino. Quando Handel completou 12 anos, ele havia escrito sua primeira composição e era tão proficiente no órgão que substituiu, ocasionalmente, seu próprio professor.

Ele pode ter se tornado um advogado
O jovem Handel continuou a dominar o clavicórdio, o oboé e o violino, bem como a composição ao longo dos anos. Em 1702, ele entrou na Universidade de Halle para estudar direito por respeito ao desejo de seu falecido pai. Mas ele logo abandonou seus estudos jurídicos e se dedicou inteiramente à música.

Ele se tornou violinista e compositor em um teatro de ópera de Hamburgo, depois trabalhou na Itália de 1706 a 1710 sob o patrocínio de suas cortes amantes da música. Em 1712, após uma curta estadia na corte de Hanover, mudou-se para a Inglaterra, onde viveu pelo resto da vida.

Handel era o tipo de pessoa que se destaca na multidão. De ossatura grande e barulhento, ele costumava usar uma enorme peruca branca com cachos caindo em cascata sobre os ombros. Quando ele falava, seu inglês estava repleto de fragmentos coloridos de alemão, francês e italiano.

Embora Handel tenha escrito sua melhor música na Inglaterra, ele sofreu contratempos pessoais lá também. Caindo e caindo em desgraça com a mudança de monarcas, competindo com compositores ingleses estabelecidos e lidando com audiências inconstantes e difíceis de agradar o deixaram à beira da falência mais de uma vez.

No entanto, Handel manteve seu senso de humor virtualmente em qualquer dificuldade. Certa vez, quando estava para começar um oratório seu, vários de seus amigos se reuniram para consolá-lo sobre a escassa audiência atraída pela apresentação. "Esquece", brincou Handel com os amigos. & quotA música soará melhor & quot devido à acústica aprimorada de uma sala de concertos muito vazia!

Mantenha a Bíblia na Igreja!
O público das composições de Handel era imprevisível, e até mesmo a Igreja da Inglaterra o atacou pelo que consideravam sua prática notória de escrever dramas bíblicos, como Ester e Israel no Egito para ser apresentado em teatros seculares. Seus sucessos comerciais ocasionais logo se encontraram com um desastre financeiro, à medida que companhias de ópera rivais competiam pelos detentores de ingressos de Londres. Ele se esforçou incansavelmente para se recuperar de uma falha após a outra e, finalmente, sua saúde começou a piorar. Em 1741, ele estava nadando em dívidas. Parecia certo que ele iria cair na prisão de devedores.

Hora de embalar?
Em 8 de abril daquele ano, ele deu o que considerou seu show de despedida. Miseravelmente desanimado, ele se sentiu forçado a se aposentar das atividades públicas aos 56 anos. Então, dois eventos imprevistos convergiram para mudar sua vida. Um amigo rico, Charles Jennings, deu a Handel um libreto baseado na vida de Cristo, tirado inteiramente da Bíblia. Ele também recebeu uma comissão de uma instituição de caridade de Dublin para compor uma obra para uma apresentação beneficente.

Inspiração incrível
Handel começou a compor em 22 de agosto em sua casinha na Brook Street, em Londres. Ele ficou tão absorto no trabalho que raramente saía do quarto, mal parava para comer. Em seis dias, a Parte Um foi concluída. Em mais nove dias, ele havia terminado a Parte Dois e, em outros seis, a Parte Três. A orquestração foi concluída em mais dois dias. Ao todo, 260 páginas do manuscrito foram preenchidas em um período extremamente curto de 24 dias.

Sir Newman Flower, um dos muitos biógrafos de Handel, resumiu o consenso da história: & quotConsiderando a imensidão da obra e o curto tempo envolvido, ela permanecerá, talvez para sempre, o maior feito em toda a história da composição musical. & Quot Título de Handel pois o trabalho encomendado foi, simplesmente, Messias.

Handel nunca saiu de casa durante essas três semanas. Um amigo que o visitou enquanto ele compunha o encontrou soluçando de intensa emoção. Mais tarde, enquanto Handel procurava palavras para descrever o que havia experimentado, ele citou São Paulo, dizendo: "Se eu estava no corpo ou fora do meu corpo quando o escrevi, não sei".

Em seus pés, pessoal!
Messias estreou em 13 de abril de 1742, como um evento beneficente, arrecadando 400 libras e libertando 142 homens da prisão de devedores. Um ano depois, Handel a encenou em Londres. A controvérsia que emanava da Igreja da Inglaterra continuou a atormentar Handel, mas o Rei da Inglaterra compareceu à apresentação. Quando as primeiras notas do triunfante & quotHallelujah Chorus & quot soaram, o rei se levantou. Seguindo o protocolo real, todo o público também se levantou, dando início a uma tradição que perdurou por mais de dois séculos.

Logo depois disso, a fortuna de Handel começou a aumentar dramaticamente e sua popularidade duramente conquistada permaneceu constante até sua morte. Ao final de sua longa vida, o Messias estava firmemente estabelecido no repertório padrão. Sua influência em outros compositores seria extraordinária. Quando Haydn mais tarde ouviu o & quotHallelujah Chorus & quot, ele chorou como uma criança e exclamou: & quotEle é o mestre de todos nós! & Quot

Handel conduziu pessoalmente mais de trinta apresentações de Messias. Muitos desses concertos foram benefícios para o Hospital Foundling, do qual Handel foi um grande benfeitor. As milhares de libras do desempenho de Handel em messias criado para a caridade levou um biógrafo a notar, & quotMessias alimentou os famintos, vestiu os nus, criou os órfãos. mais do que qualquer outra produção musical neste ou em qualquer país. ”Outro escreveu,“ Talvez as obras de nenhum outro compositor tenham contribuído tanto para o alívio do sofrimento humano ”.

O poder da música
Este trabalho teve um impacto espiritual incrível na vida de seus ouvintes. Um escritor afirmou que Do messias música e mensagem & quot tem provavelmente feito mais para convencer milhares de humanos de que existe um Deus sobre nós do que todas as obras teológicas já escritas. & quot

A avaliação do próprio compositor, mais do que qualquer outra, pode capturar melhor suas aspirações pessoais por sua obra amada. Após a primeira apresentação em Londres de Messias, Lord Kinnoul parabenizou Handel pelo excelente entretenimento. Handel respondeu: “Meu Senhor, lamentaria se apenas os entretivesse. Desejo torná-los melhores. & Quot

As crenças religiosas do compositor que criou a obra-prima religiosa mais popular do mundo confundiram muitos musicólogos. Em uma época em que músicos cristãos normalmente trabalhavam para igrejas locais, este compositor de ópera secular, câmara e música orquestral não se encaixava no padrão usual. No entanto, ele era um seguidor devoto de Cristo e amplamente conhecido por sua preocupação com os outros. A moral de Handel era irrepreensível. Na igreja, ele era freqüentemente visto de joelhos, expressando por sua aparência e gesticulações o maior fervor de devoção.

Seu amigo Sir John Hawkins registrou que Handel & quot ao longo de sua vida manifestou um profundo senso de religião. Em conversas, ele frequentemente declarava o prazer que sentia em colocar música nas Escrituras, e como a contemplação das muitas passagens sublimes nos Salmos havia contribuído para sua edificação. & Quot Em uma de suas poucas cartas que sobreviveram, Handel conforta seu cunhado sobre a morte da mãe de Handel: "Agradou ao Todo-Poderoso, a cuja grande Santa Vontade me submeto com submissão cristã."

E ele certamente precisava dessa graça cristã para suportar os golpes infligidos por seus concorrentes. Mas também houve um ataque violento de ataques de dentro de seu próprio acampamento. Mesmo depois messias estava se tornando bem conhecido, uma figura religiosa tão grande quanto John Newton, compositor do hino & quotAmazing Grace & quot, pregou frequentemente contra as atuações & quoteculares & quot deste oratório bíblico.

Conhecido universalmente por sua generosidade e preocupação com aqueles que sofriam, Handel doou gratuitamente para instituições de caridade, mesmo nos momentos em que enfrentou a ruína financeira pessoal. Ele era um otimista implacável, cuja fé em Deus o sustentava em todas as dificuldades. Criado como um luterano sincero, ele não nutriu animosidades sectárias e evitou divergências denominacionais. Certa vez, defendendo-se diante de um arcebispo briguento, Handel simplesmente respondeu: "Li minha Bíblia muito bem e vou escolher por mim mesmo."

Poucos dias antes da morte de Handel, ele expressou seu desejo de morrer na Sexta-Feira Santa, & quot na esperança de encontrar seu bom Deus, seu doce Senhor e Salvador, no dia de sua Ressurreição. & Quot Ele viveu até a manhã do Sábado Santo, abril 14 de 1759. Sua morte veio apenas oito dias após sua apresentação final, na qual ele dirigiu sua obra-prima, Messias.

Seu amigo íntimo James Smyth escreveu: & quot Ele morreu enquanto vivia - um bom cristão, com um verdadeiro senso de seu dever para com Deus e para com os homens, e em perfeita caridade com todo o mundo. & Quot Handel foi enterrado na Abadia de Westminster, com mais 3.000 presentes em seu funeral. Uma estátua erguida lá o mostra segurando o manuscrito para o solo que abre a Parte Três de Messias, & quotSei que meu Redentor vive. & quot

Esta edição de Vislumbres é resumido e adaptado de um capítulo sobre Handel em A vida espiritual dos grandes compositores por Patrick Cavanaugh, publicado em 1992 pela Sparrow Press, Nashville.


MESSIAS DE HANDEL

Você nunca ouviu o messias assim!

Combine o principal maestro coral do nosso tempo, a elite de Cambridge Singers, a Royal Philharmonic Orchestra e a intemporal partitura barroca de Handel, e você terá a celebração musical definitiva no Natal ou na Páscoa!

Cada palavra neste conjunto de 2 CDs vem das Escrituras e exalta o nome de Jesus! As palavras proféticas de Isaías, Ageu, Zacarias e Malaquias o ajudarão a antecipar a vinda do Messias. E então, nas palavras de Mateus e Lucas, os anjos aparecem de repente aos pastores cantando aquele coro familiar, Glória a Deus nas alturas! Paz na terra, boa vontade para com os homens.


Assista o vídeo: Handels Messiah Live from the Sydney Opera House