Lakeland LSM-373 - História

Lakeland LSM-373 - História

Lakeland
Uma cidade no condado de Polk, Flórida, 30 milhas a leste de Tampa.

(LSM-373: dp. 520; 1. 204 '; b. 35'; dr. 7 ', s. 13 k., Cpl. 106; a. 2 40 mm., 4 20 mm., 7,50 cal. AA mg; cl. L ~ S. ~ -I)

Lakeland (LSM-373) foi estabelecido como LSJ! -878 pela Brown Shipbuilding Co., Houston, Tex., 9 de dezembro de 1944
lançado em 30 de dezembro; e comissionado em 27 de janeiro de 1945, o tenente (.g.) Robert W. Mueller no comando.

Após o shakedown, o LSM - 7S partiu de Gulfport, Mississippi, em 4 de março de 1945 para o Pacífico. Navegando via San Pedro e Pearl Harbor, ela chegou a Eniwetok em 4 de maio. Carregando óleo lubrificante nas Marianas, ela partiu para Okinawa, chegando em 8 de junho. LSJ178 descarregou sua carga para as forças dos EUA que lutavam por esta base estratégica que ficava na porta de entrada para a pátria japonesa. Durante as semanas restantes da Segunda Guerra Mundial, o navio de desembarque continuou suas operações nas Marianas, nas Ilhas Salomão e em Okinawa.

Após a aceitação dos termos de paz dos Aliados pelo Japão, o LSM-373 enviou tropas e suprimentos para as forças de ocupação na Coréia e na China. Saindo de Guam em 25 de abril de 1946, ela voltou aos Estados Unidos, chegando a Mobile, Alabama, em 15 de julho. O LSI-373 foi desativado lá em 14 de outubro de 1946 e ingressou na Frota da Reserva do Atlântico em Green Cove Springs, Flórida.

Ela foi recomissionada em Charleston, S.C., em 28 de fevereiro de 1958, com o Tenente D. O. Evans no comando. Após treinamento e reparos, o LSM-.373., Chegou a Miami em 7 de abril para servir como navio de abastecimento logístico. Nos 18 meses seguintes, ela transportou suprimentos de Miami e Norfolk para postos navais no Caribe. O navio de desembarque recebeu o nome de Lakeland em 14 de outubro de 1959 e foi desativado em Norfolk em 5 de novembro de 1959. Foi retirado da lista da Marinha em 1 de janeiro de 1980 e vendido para Portsmouth Salvage Co. em 6 de outubro de 1960.


Lakeland, Flórida

Lakeland é uma cidade no condado de Polk, Flórida, parte da área da baía de Tampa, localizada ao longo da Interstate 4 a leste de Tampa. De acordo com a estimativa do U.S. Census Bureau de 2019, a cidade tinha uma população de 112.136 habitantes. [6] Lakeland é a principal cidade da Área Estatística Metropolitana de Lakeland – Winter Haven.

Os colonos europeus-americanos chegaram a Lakeland vindos do Missouri, Kentucky, Tennessee, Geórgia e Carolina do Sul na década de 1870. A cidade se expandiu na década de 1880 com a chegada do serviço ferroviário, com os primeiros trabalhadores ferroviários libertos se estabelecendo aqui em 1883. [7] Eles e os imigrantes europeus também vieram por causa das oportunidades de desenvolvimento de terras com o desenvolvimento da agricultura, citros, gado e indústria de fosfato. Lakeland abriga a reserva Circle B Bar de 1.267 acres. [ citação necessária ]


Conteúdo

Em 1940, a Comissão da Cidade de Lakeland aprovou uma resolução para substituir o Aeroporto Municipal de Lakeland da cidade, que foi construído em 1933 e no início de 1934. O novo aeroporto, provisoriamente denominado Aeroporto Municipal de Lakeland nº 2 foi nomeado Drane Field em homenagem a Herbert J. Drane, um dos cidadãos mais destacados de Lakeland.

A cidade mal havia começado as obras do novo aeroporto quando, com a guerra já ocorrendo na Europa, alugou as instalações para o Departamento de Guerra. O Corpo de Engenheiros do Exército dos EUA melhorou as três pistas existentes e construiu uma instalação de treinamento para bombardeiros e caças. A nova base, inicialmente uma sub-base do MacDill Field em Tampa, foi nomeada Lakeland Army Air Field, mas ainda era conhecido como Drane Field. Milhares de pilotos, navegadores, bombardeiros e tripulantes das Forças Aéreas do Exército dos EUA receberam parte de seu treinamento de voo avançado em Lakeland durante a Segunda Guerra Mundial, principalmente no B-26 Marauder. Após o fim da guerra, o campo de aviação do Exército ficou sem uso devido ao tamanho das instalações que excediam em muito as necessidades da cidade, bem como os custos envolvidos na sua conversão para uso civil.

Na década de 1950, o Aeroporto Municipal de Lakeland (renomeado Al Lodwick Field em 1948) estava diminuindo devido ao fechamento da Lodwick Aircraft, que era o principal locatário do aeroporto. Com o fechamento da Lodwick Aircraft, a cidade decidiu eliminar o Lodwick Field como um aeroporto municipal no verão de 1957 e concentrar seus recursos no Drane Field no sul de Lakeland. O Drane Field se deteriorou e ficou subutilizado por muitos anos após a saída das Forças Aéreas do Exército dos EUA em 1945. Após vários anos de nova construção e conversão em um aeroporto civil, foi rededicado como Aeroporto Municipal de Lakeland em 1960, com Don Emerson como seu primeiro diretor. [5]

Na década de 1970, a instalação foi renomeada para Aeroporto Regional de Lakeland no final dos anos 1980 e foi novamente renomeada como Aeroporto Regional de Lakeland Linder para o empresário local Paul Scott Linder. Linder fundou a Linder Industrial Machinery, com sede em Lakeland, uma empresa multimilionária de maquinário de construção pesada, em 1953. Presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Lakeland, Linder também foi diretor do Conselho dos 100 da Flórida, da Câmara de Comércio da Flórida e da Flórida Conselho de Educação Econômica. Ele foi nomeado o Empreendedor Livre do Ano da Flórida em 1988, recebeu um prêmio Aluno Distinto da Universidade da Flórida e foi nomeado Empreendedor do Ano na Flórida em 1989. Paul Scott Linder morreu em 11 de novembro de 1990. [6]

Em novembro de 2017, o Aeroporto Internacional Lakeland Linder inaugurou seu primeiro Centro de Aviação Geral de Proteção de Fronteiras e Alfândega dos EUA, permitindo que aeronaves internacionais com 20 passageiros ou menos pousassem no campo com uma autorização de sobrevoo aprovada. [7]

Em 2017, o aeroporto operou com 129.504 aeronaves, com média de 355 por dia: 97% da aviação geral, 2% militar, 1% táxi aéreo e & lt1% companhia aérea. Em agosto de 2018, 248 eram aeronaves baseadas no aeroporto: 161 monomotores, 35 multimotores, 42 jato, 9 helicópteros e 1 planador. [1]

Com o fechamento iminente de Lodwick Field, a National Airlines mudou seus Lodestars para Drane Field em 1947, a companhia aérea deixou o aeroporto em 1962.

Durante os anos 1960 e início dos anos 1970, antes da desregulamentação das companhias aéreas, o serviço aéreo era fornecido pela Allegheny Commuter e pela ex-Sun Airlines.

Correção nos "FATOS" sobre o serviço Allegheny Commuter em Lakeland. Vou mostrar as datas dos horários usados ​​(como já fiz) e isso é fácil de verificar com algumas pesquisas no computador. O serviço não existia antes da Lei de Desregulamentação da Companhia Aérea de 1978, mas depois. Allegheny & amp sua divisão de Allegheny Commuter não iniciou o serviço no mercado da Flórida até 1979. O serviço Allegheny Commuter foi fornecido pela Chautaugua Airlines com base em Jamestown, NY usando 15 passageiros Beech 99s. O CALENDÁRIO DA ALLEGHENY AIRLINES datado de 22 de fevereiro de 1979 mostra 5 viagens de ida e volta diárias para Orlando e afirma que este é um NOVO serviço para Lakeland. A Allegheny Airlines mudou seu nome para USAir em 28 de outubro de 1979. Devido à baixa demanda, a USAir interrompeu o serviço Allegheny Commuter para Lakeland em 15 de setembro de 1980. Isso é mostrado na Tabela de tempo da USAIR de 15 de setembro de 1980. Novamente, com base em fatos nas datas do calendário fornecidas. [8]

De 2006 a 2008, o aeroporto teve serviço aéreo limitado sob FAR Parte 135 (AirTaxi) fornecido pela DayJet utilizando aeronaves Eclipse 500 very light jet (VLJ). A DayJet também manteve uma instalação "DayPort" no edifício do terminal principal do aeroporto. No entanto, o DayJet encerrou as operações em setembro de 2008 e, posteriormente, declarou falência.

Os voos regulares de companhias aéreas voltaram ao aeroporto em junho de 2011, quando a Direct Air, voando Boeing 737s, começou a operar para Myrtle Beach, SC Niagara Falls, NY, e Springfield, IL. O serviço terminou em 13 de março de 2012, quando a Direct Air anunciou inesperadamente o fim das operações. A Direct Air foi então sujeita à liquidação do Capítulo 7 em 12 de abril de 2012. Em 23 de julho de 2020, a Amazon Air iniciou as operações após a abertura de uma nova instalação de processamento de carga de 285.000 pés quadrados. [9]

Edição de companhias aéreas de carga

^ a Os voos da Amazon Air são operados pela Air Transport International, Southern Air e Sun Country Airlines. Nem todas as cidades atendidas com voos de ida e volta.

O aeroporto acolhe 84 empresas e organizações que empregam mais de 1.450 pessoas. Por meio da combinação de operações de aeronaves e negócios locais, o aeroporto teve um impacto econômico de mais de $ 284 milhões (em 2012). O aeroporto está atualmente embarcando em um novo estudo de impacto econômico para 2017.

O Centro de Operações de Aeronaves (AOC) da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) foi realocado para Lakeland da Base da Força Aérea de MacDill em junho de 2017. O NOAA AOC é a sede de todas as nove aeronaves de pesquisa operadas pela NOAA, incluindo seus mundialmente famosos caçadores de furacões NOAA (Aeronave WP-3D Orion).

Além disso, uma empreiteira de defesa, Draken International, está sediada no aeroporto. Draken fornece suporte de treinamento para as Forças Armadas dos EUA com sua frota de aeronaves táticas de propriedade privada, que inclui Douglas A-4 Skyhawk, Mikoyan-Gurevich MiG-21, Aermacchi MB-339, Aero L-39 Albatros e aeronaves Dassault Mirage F1. [27]

O aeroporto é a casa da Black Diamond Jet Team, uma equipe de demonstração acrobática civil que pilota quatro Aero L-39 Albatros de alto desempenho e um T-33.

Da década de 1970 até 1999, o campo de aviação foi uma instalação civil-militar conjunta quando hospedou o Centro de Apoio à Aviação do Exército nº 2 da Guarda Nacional do Exército da Flórida, operando helicópteros UH-1 Huey aposentados, seguido pelo UH-60L Blackhawk local helicópteros do Destacamento D, 171º Batalhão de Aviação (TA). O estabelecimento dessas unidades e aeronaves em Lakeland foi devido principalmente aos esforços do ex-senador dos EUA e posteriormente governador da Flórida, Lawton Chiles, um nativo de Lakeland. Em 2000, as unidades de aviação da Guarda Nacional do Exército da Flórida foram transferidas para uma nova instalação no Aeroporto Regional de Brooksville-Tampa Bay em Brooksville, Flórida.

Apesar da partida dos militares do Aeroporto Internacional Lakeland Linder, aeronaves da Guarda Nacional do Exército da Flórida, bem como aeronaves da Força Aérea MacDill AFB, aeronaves da Guarda Costeira de CGAS Clearwater, aeronaves da Reserva do Exército do Centro de Apoio à Aviação do Exército no Aeroporto Internacional de St. Petersburg-Clearwater , As aeronaves da Marinha dos EUA de Pensacola e outras aeronaves militares transitórias nos Estados Unidos continuam a usar o campo de aviação para aproximações, pousos e decolagens de prática. O principal operador de base fixa (FBO) do aeroporto também continua a fornecer serviços de combustível de aviação por contrato do DoD para aeronaves militares transitórias.

A LAL é a anfitriã da Central Florida Aerospace Academy, uma escola pública de ensino médio com mais de 250 alunos. A academia, parte do Conselho Escolar do Condado de Polk, mantém quatro cursos, que os alunos podem seguir ao longo de sua carreira no ensino médio, incluindo A & ampP, Aeroespacial, Aviônica e Engenharia.

A LAL também hospeda o Lakeland Aero-Club, o maior clube de vôo de escola secundária do país. O clube constrói e restaura aeronaves antigas, promove treinamento de voo para seus membros e voa para Oshkosh, Wisconsin "Airventure" anualmente em todos os aviões antigos que fornecem aos membros treinamento de voo cross-country.

Além disso, o aeroporto abriga uma faculdade (Polk State College) e uma faculdade de carreira (Travis Technical College). A Polk State tem mais de 240 alunos em seus quatro programas de graduação (Administração Aeroespacial, Ciências Aeroespaciais, Administração de Manutenção de Aviação e Ciência Piloto Profissional). PSC é a única faculdade pública que oferece bacharelado em Aeroespacial no estado da Flórida. Enquanto o Travis Career Center permite que os alunos obtenham sua licença A & ampP após o ensino médio.

O aeroporto abrange 1.710 acres (692 ha) a uma altitude de 142 pés (43 m). Tem duas pistas de asfalto: 9/27 tem 8.499 por 150 pés (2.590 x 46 m) e 5/23 tem 5.005 por 150 pés (1.526 x 46 m). [1] Ele tem uma pista de grama: 8/26, que tem 2.205 por 60 pés (672 x 18 m) e requer permissão prévia para uso.

Ao longo dos anos, o aeroporto passou por várias modificações de layout. Uma pista original de 5.000 pés (1.500 m) a noroeste / sudeste foi convertida em pista de taxiamento para permitir a construção da instalação de aeronaves corporativas da rede de supermercados Publix na extremidade noroeste, enquanto a pista 9/27 foi alongada para 6.000 pés (1.800 m) no no final dos anos 1950 e depois para 8.500 pés (2.600 m) no final dos anos 1990. A pista 9/27, seu sistema de taxiway associado e a atual área de rampa do terminal do aeroporto podem acomodar até aeronaves Boeing 747 e 777.

O Lakeland VORTAC está no campo de aviação e as pistas 9/27 e 5/23 têm sistemas de iluminação de pista de alta intensidade (HIRL) e P4L Precisão de Aproximação de Percurso Indicador (PAPI). A pista 9 está equipada com um Sistema de Pouso por Instrumentos (ILS) Categoria I e um Sistema de Luzes de Aproximação de Média Intensidade com Luzes Indicadoras de Alinhamento da Pista (MALSR). Além disso, as pistas 5/23 e 27 publicaram aproximações de não precisão. O aeroporto tem sido um aeroporto controlado por torre desde a década de 1970 e a FAA opera uma torre de controle de tráfego aéreo Nível I no âmbito do Programa de Torres de Contrato da FAA. A FAA também instalou uma estação terrestre de transmissão de vigilância dependente automática (ADS-B) no aeroporto.

Os serviços de emergência são prestados pelo Corpo de Bombeiros de Lakeland, que mantém uma estação tripulada 24 horas no campo de aviação com um caminhão e tripulação especializados em resgate de aeronaves e combate a incêndios (ARFF). [1]

O edifício principal do terminal contém os escritórios administrativos do aeroporto, área de processamento de passageiros, áreas de espera de passageiros e um restaurante com tema de aviação. Um Hilton Hotels Corporation Hilton Garden Inn está localizado ao lado do terminal. Um hotel de estadia prolongada Staybridge Suites tornou-se o segundo hotel no Aeroporto de Lakeland, inaugurando em dezembro de 2017 e situado em 2,18 acres ao lado do Hilton Garden Inn. Este novo alojamento acomoda a expansão de parques corporativos próximos, centros de distribuição e o aumento da capacidade das instalações aeroportuárias.


The Big Freeze

Alan se aposentou em 1974 e seus três filhos, Sam, Martin e Julian (que ainda estava na escola!) Assumiram os negócios da família. O congelamento doméstico era a "coisa certa" e Lakeland liderava o caminho.

Um momento de inspiração disse-nos que as pessoas que congelam a comida, também a cozinham! Então veio o catálogo ‘Everything for Home Cooking’. Reduzimos o lado agrícola e seguimos na direção de todas as coisas de utensílios de cozinha.

Michelle Kershaw juntou-se à Lakeland e rapidamente aprendeu tudo o que havia para saber sobre congelamento doméstico e utensílios de cozinha. Nossa especialista residente, Michelle, era a cara da Lakeland e, por fim, tornou-se nossa Diretora de Clientes, uma função que ela amou profundamente até falecer em 2004.

Mais uma vez, é hora de ir para um local maior, desta vez para a casa do Mestre da Estação em desuso. Nosso primeiro escritório real - os pedidos eram feitos na sala da frente e os registros dos clientes eram armazenados na banheira de ferro fundido!


História (HIST)

Este curso fornece um levantamento das origens e crescimento das bases sociais, religiosas, políticas e econômicas da cultura da Europa Ocidental até o final da Reforma, concluindo em 1648.

HIST 1250 Civilização Ocidental II: Idade da Revolução até o Presente (TAG, TM) 3 créditos

Este curso fornece uma visão geral do desenvolvimento da sociedade europeia moderna, desde a era do absolutismo até o presente. Ele é projetado para fornecer aos alunos uma compreensão da evolução política, religiosa, econômica, intelectual e cultural da tradição ocidental de 1648 até o presente.

HIST 1450 Civilização Mundial I: O Mundo Antigo e Medieval (TAG, TM) 3 créditos

Este curso é um levantamento da história mundial desde suas origens no Oriente Próximo até 1500. Ele é projetado para fornecer aos alunos uma compreensão da evolução política, religiosa, econômica, intelectual e cultural ocidental e não ocidental da história mundial.

HIST 1550 Civilização Mundial II: O Mundo Moderno (TAG, TM) 3 créditos

O curso explora o desenvolvimento do mundo de 1500 até o presente. Ele é projetado para fornecer aos alunos uma compreensão das principais facetas da história social, política, econômica, cultural, religiosa e intelectual não ocidental e ocidental.

Crédito HIST 1700 Modelo UN / Modelo OTAN 1

Este curso tem como objetivo preparar os alunos para uma participação efetiva nas conferências Modelo das Nações Unidas (MUN) e Modelo do Tratado do Atlântico Norte (MNATO). Os alunos aprenderão sobre as questões globais atuais e as maneiras pelas quais essas importantes organizações internacionais trabalham para resolvê-las. Durante o semestre, os alunos aprenderão como pesquisar as posições de política externa de um país, desenvolver estratégias para resolver problemas internos importantes, defender com eficácia a posição de um país por meio da aplicação de habilidades de debate apropriadas e desenvolver habilidades no emprego de regras de procedimento parlamentar, negociação e compromisso, construção de consenso e redação de resoluções. Ao longo do semestre, os alunos participarão de conferências Modelo da ONU e da OTAN, bem como ajudarão a organizar uma conferência MUN / OTAN em Lakeland. Este curso está listado como HIST 1700 Modelo UN / Modelo OTAN e POLS 1700 Modelo UN / Modelo OTAN. Os alunos que fizeram o curso com a ID de curso alternativo não devem fazer este curso.

HIST 2150 U.S. History: Colonization Through Reconstruction (TAG, TM) 3 créditos

Este curso aprofundado examina os fatores, do século XVI ao terceiro quarto do século XIX, que resultaram na criação da civilização americana única. O curso enfatiza a interação entre o ambiente demográfico e geográfico americano e a influência cultural dos colonos europeus junto com as contribuições africanas. Também se concentra nos desenvolvimentos políticos, econômicos, culturais e sociais que provocaram a Guerra Civil e as tentativas de reconstrução.

HIST 2250 U.S. History: Reconstruction to the Present (TAG, TM) 3 créditos

Este curso traça o desenvolvimento dos Estados Unidos desde a conclusão da Reconstrução (1877) até o presente. Ele examina os componentes que transformaram os Estados Unidos em uma potência mundial e as mudanças no papel e na posição do governo na vida de seu povo e instituições.

HIST 2410 Os Estados Unidos no Contexto Global 3 Créditos

O objetivo geral deste curso é ajudar os alunos a adquirir uma compreensão histórica sólida da relação entre os Estados Unidos e o mundo desde 1945. O curso examina as facetas sociais, políticas, econômicas, culturais e intelectuais da história dos Estados Unidos em um contexto global desde o fim da Segunda Guerra Mundial até o presente. É dada atenção especial aos principais temas da história pós-Segunda Guerra Mundial, incluindo a Guerra Fria, a Guerra do Vietnã, o colapso da União Soviética, o surgimento dos Estados Unidos como a única superpotência e a Guerra contra o Terror.

HIST 2450 Mulheres na História dos EUA (TM) 2 créditos

Este curso explora a experiência das mulheres, bem como as idéias e relações de gênero, como parte da história mais ampla da América do século XIX e XX. Ele examina os desenvolvimentos sociais, culturais, jurídicos, econômicos e políticos que moldaram a vida das mulheres e sua participação e resposta a essas mudanças.

HIST 2600 Ohio History (TM) 3 créditos

Este curso oferece um levantamento aprofundado da história da região desde os tempos pré-históricos até o século XX. Ele enfatiza as forças políticas, econômicas e sociais que fizeram de Ohio um estado único na União Europeia. O curso se concentra no aprendizado ativo por meio de visitas de campo a agências históricas regionais combinadas com discussões e apresentações em grupo.

HIST 2700 Vietnam Era and Its Legacy (TM) 3 créditos

Este curso especializado examina as forças que levaram os Estados Unidos ao envolvimento na Indochina. Inicialmente, este curso enfoca o ambiente histórico e cultural do sudeste asiático, seguido por uma visão detalhada da experiência francesa na região. Ele enfatiza as principais decisões de tomadores de decisão influentes que orientaram o envolvimento dos Estados Unidos nesta guerra e por que eles não conseguiram ver o potencial de desastre que se aproxima. O curso examina como essa guerra afetou a América culturalmente, economicamente, politicamente e socialmente, tanto durante a guerra quanto nas décadas que se seguiram. Finalmente, o curso tira conclusões sobre como o país continuou a ser afetado pela guerra nas gerações seguintes.

HIST 2750 História da América Latina 3 créditos

Este curso oferece uma visão geral detalhada da história da América Latina desde os tempos pré-históricos até o presente, traçando influências antigas e coloniais, revoluções do século 20, ditaduras, o crescimento da democracia e a evolução da economia global nas nações modernas da área. O curso enfatiza o desenvolvimento político, econômico e social de Cuba, México, Brasil, Argentina e Chile, mas discutirá todas as nações e povos, bem como o papel que os Estados Unidos têm desempenhado tanto no auxílio quanto no impedimento do desenvolvimento latino-americano.

HIST 2800 Introdução à História Britânica 3 créditos

Este curso fornece uma compreensão geral da história da ilha da Grã-Bretanha desde o seu desenvolvimento inicial até os dias atuais. A aula se concentra principalmente na Inglaterra, observando as relações com a Escócia e o País de Gales no decorrer da unificação política da Grã-Bretanha e depois. Também explorados são os padrões culturais, políticos, intelectuais, sociais e econômicos da vida britânica, particularmente em conjunção com o surgimento do Império Britânico. Finalmente, a interação entre a Grã-Bretanha e a Irlanda, o continente e o resto do mundo são considerados.

HIST 2850 East Asia 1900 para apresentar 3 créditos

Este curso fornece um levantamento dos principais eventos e desenvolvimentos na Ásia Oriental, concentrando-se no período de cerca de 1900 até o presente. Foco especial será dado à China, Japão, Coréia e Sudeste Asiático.

HIST 2900 Tópicos Especiais da História 2-3 Créditos

Esses cursos especializados fornecem exames aprofundados de questões históricas, problemas ou períodos não cobertos em detalhes em outras partes do currículo.


Cerca de

Lakeland Protege as pessoas. É o que fazemos. Nossos produtos são usados ​​todos os dias em uma ampla variedade de indústrias e aplicações em todo o mundo. Usado para garantir que os trabalhadores fiquem protegidos de perigos, incluindo produtos químicos, chamas e calor.


Protegendo Pessoas efetivamente requer um alto nível de Perícia. A experiência em Lakeland vem de várias décadas de história - junto com funcionários com longos anos de experiência - na indústria. Lakeland foi membro fundador da primeira empresa no mundo a fabricar macacões de proteção de não tecidos de fibra de polímero extrudado e permanece na vanguarda da proteção de trabalhadores envolvidos em situações de risco em todo o mundo.

Excelência em Fabricação também é uma necessidade para que as pessoas sejam protegidas de maneira eficaz. Para a Lakeland, a qualidade é o fator número 1. As roupas de proteção da Lakeland são produzidas de acordo com as especificações mais exigentes de acordo com a ISO 9000 e o Módulo D do Regulamento de PPE (UE) 2016/425 dos procedimentos de controle de qualidade. Os usuários de roupas Lakeland sabem disso como sinônimo de proteção de qualidade.

Serviço único, significa estoques mantidos em todos os centros regionais globalmente e por nossos muitos distribuidores parceiros, para garantir que nossos usuários tenham as roupas de proteção certas onde e quando precisarem. Além do escritório central e do centro de distribuição perto de Kingston upon Hull, no Reino Unido, a empresa abriu recentemente um armazém de distribuição perto de Varsóvia, na Polônia, para melhor atender ao número crescente de clientes do Leste Europeu.

Lakeland na Índia

A Lakeland India começou como uma fábrica de luvas em Noida, Nova Delhi. Embora a fábrica de luvas tenha fechado em 2012, ela foi logo substituída pela primeira fábrica de macacões da empresa na Índia, inicialmente produzindo macacões para os mercados local e norte-americano. A adição de macacões Safegard com certificação CE e MicroMax NS seguiu para venda em todo o mercado indiano, bem como a exportação para a Europa e outros mercados que exigem roupas de proteção de estilo europeu com certificação CE.


A fabricação agora está localizada em uma instalação recém-desenvolvida e construída especificamente, onde os controles de produtos de alta qualidade e especificações da Lakeland são mantidos. As roupas da Lakeland, fabricadas nas instalações de Noida e na base de manufatura global da Lakeland, agora estão disponíveis em todo o mercado indiano no centro de vendas e distribuição da Lakeland no mesmo local.

“Se tudo o que você tem é um martelo ... … Tudo parece um prego ”.

As linhas de produtos da Lakeland oferecem mais opções com opções padrão, premium, sob medida e compostas. A extensa gama da Lakeland permite a seleção da melhor ferramenta para o trabalho, o que significa que os usuários não estão apenas melhor protegidos, mas também que o conforto é maximizado e o custo é minimizado.


Inovações como macacões Cool Suit e vestimentas FR secundárias Pyrolon fornecem aos usuários opções exclusivas para melhores combinações de proteção contra riscos múltiplos e proteção com conforto. Já a nossa vestimenta de estilo “Super-B” desenvolvida especialmente para o mercado europeu e com uma combinação única de características oferece peças que se ajustam melhor, são mais confortáveis ​​e duráveis.

Conheça o seu criador ...

Ao contrário de muitos “fabricantes” na indústria de PPE, a Lakeland possui sua própria base de manufatura global e nossos principais produtos são sempre feitos por nós. Portanto, o controle do planejamento de produção, qualidade e despacho permanece principalmente interno e não está sujeito às demandas conflitantes de empreiteiros que fornecem clientes conflitantes ...

Nós projetamos, desenvolvemos, fazemos, entregamos.

Tudo para proteger seu pessoal®

Digite seu e-mail para se manter atualizado com a Lakeland. Cerca de uma vez por mês, enviamos as últimas ofertas de produtos, notícias e recursos diretamente para sua caixa de entrada.


Lakeland LSM-373 - História

SOBRE LAKELAND

A história do Lakeland Community College tem sido aquela em que "comunidade" tem sido a palavra-chave. Concebido em 1964 por um grupo de 22 cidadãos do Condado de Lake, o colégio cresceu consideravelmente, atendendo às necessidades educacionais de mais de 250.000 pessoas. O objetivo da faculdade permaneceu constante: oferecer um programa abrangente de transferência de faculdade de dois anos, fornecer programas técnicos e paraprofissionais, fornecer educação geral e fornecer aconselhamento educacional profissional. Além disso, a Lakeland atendeu às necessidades da comunidade oferecendo vários programas, incluindo solicitações específicas geradas pela indústria para um impacto direto no Condado de Lake e arredores. Hoje, quase 11.000 pessoas frequentam a Lakeland todos os anos em programas de crédito e não-crédito.
Lakeland Community College foi a primeira faculdade em Ohio criada pelo voto do povo. Vinte e dois cidadãos de Lake County forneceram o ímpeto para o estabelecimento de uma faculdade comunitária em Lake County por meio de uma petição ao Conselho de Comissários. A petição levou à geração de um Estudo de Viabilidade, que recomendava que a "criação de um distrito universitário comunitário" fosse uma consideração séria. Ansiosa para seguir em frente, a Liga das Eleitoras deu início a uma petição em 1965 para apresentar a questão aos eleitores do Condado de Lake. Em 2 de novembro de 1965, os eleitores do condado de Lake aprovaram a questão por uma margem estreita. O estado de Ohio apoiou ainda mais o movimento em 1966, autorizando a criação de uma faculdade comunitária e, naquele ano, um conselho de curadores foi nomeado. Em 2 de maio de 1967, os cidadãos do Condado de Lake aprovaram uma taxa de 1,7 milhões, dando assim a aprovação final para a abertura e operação de um distrito universitário comunitário.

Quando a Lakeland abriu suas portas em setembro de 1967, o primeiro grupo de 1.073 alunos assistia às aulas que estavam espalhadas por Painesville em várias instalações. Entre eles estão o Cleveland Trust Building, o YMCA, um local na Mill Street e a Painesville Methodist Church. A administração estava alojada em uma casa mortuária abandonada. O colégio acabou comprando aproximadamente 400 acres pertencentes à propriedade de Edward W. Moore para abrigar o local permanente do colégio. No verão de 1971, o colégio mudou-se para o local atual e o sonho de 22 cidadãos tornou-se uma realidade que poucos poderiam ter imaginado nas primeiras reuniões organizacionais de 1964.

De origens humildes a um campus moderno, a faculdade foi orientada por cinco presidentes - Dr. Wayne L. Rodehorst (1967-1981) Willis P. Kern (1977) Dr. James L. Catanzaro (1981- 1987) Dr. Ralph R. Doty (1988-2001) e Dr. Morris W. Beverage Jr. (2001-presente). Eles lideraram a faculdade conforme ela se expandia em seu tamanho físico e nos programas e serviços que oferece. A faculdade agora abrange 10 edifícios. A bela e histórica Mooreland Mansion, a casa principal da propriedade de Moore, passou por uma extensa restauração e agora serve como um elegante centro de conferências e recepção. O número de professores e funcionários também aumentou desde o início da faculdade, de modo que Lakeland agora emprega aproximadamente 1.300 pessoas.

Desde 1967, o número de aulas e programas de estudo cresceu substancialmente. Lakeland Community College agora oferece 900 cursos de crédito, 75 graus, 63 certificados e módulos de transferência que fornecem créditos transferíveis para outras faculdades e universidades localizadas em todo o país. Os alunos podem fazer aulas no campus principal, por meio de cursos online, em formato acelerado, como alunos do ensino médio no College Credit Plus ou no Tech Prep Program. O Holden University Center de Lakeland Community College foi inaugurado no outono de 2011 para oferecer acesso conveniente para concluir um bacharelado ou pós-graduação em uma variedade de faculdades e universidades líderes. Lakeland promove a aprendizagem ao longo da vida para pessoas de todas as idades, desde acampamentos de verão para crianças a aulas de crédito grátis para adultos mais velhos. Cursos de desenvolvimento profissional sem crédito são oferecidos para aprender novas habilidades.

Culturalmente, Lakeland se tornou um ponto focal para artes regionais de alta qualidade e apresentações de palestras. A faculdade acolhe produções teatrais profissionais, concertos frequentes e mostras de arte em uma das maiores galerias do nordeste de Ohio. Lakeland é o lar de competições de música e arte famosas que atraem artistas de todo o país. Além disso, uma variedade de séries de palestras e simpósios são oferecidos anualmente para lidar com importantes questões políticas, econômicas, ambientais e educacionais que afetam os cidadãos da área.

A expansão da faculdade em termos de tamanho físico, número de funcionários e programas oferecidos tem sido impressionante desde seu início em 1967. Novos programas estão sendo criados quase anualmente para atender às necessidades de uma sociedade, economia e força de trabalho em constante mudança. Os residentes do Condado de Lake sustentam a faculdade por meio de dois impostos operacionais e um título de melhoria de capital que mantém Lakeland sempre trabalhando para o Condado de Lake. Por mais de 50 anos, o Lakeland Community College atendeu gerações de nordestinos de Ohio e, à medida que continua a crescer, permanecerá fiel ao seu princípio orientador original: servir à comunidade.

Contribuidor: O falecido Dr. John C. Kesler, Professor de História »Leia mais

O Holden University Center da Lakeland é inaugurado, oferecendo graduação e pós-graduação de uma variedade de instituições parceiras de quatro anos.
" Consulte Mais informação


História

Quando o Lakeland Terrace Hotel abriu suas portas pela primeira vez em 1924, ela foi saudada como uma das melhores pousadas da Flórida durante todo o ano, o que na época era um conceito bastante inovador. Prior to that, because air conditioning was not widely used yet, hotels simply opened for &ldquoThe Season,&rdquo and closed for the summer. Fortunately, the prosperity of the early 1920s meant that tourists by the trainload were pouring into cities like Lakeland, in the Sunshine State. The warm weather and the lucrative real estate market made the journey all the more enticing.

Seeing this influx of tourism and trade, Florida Collier Court Hotels built their comfortable hotel in the heart of downtown Lakeland, a sister to other hotels in Miami, West Palm Beach, and Tampa.

In those days, guests entered the hotel from Main Street, via a luxurious tropical garden that opened on to Massachusetts Avenue. There, guests were immediately surrounded by potted palms that accentuated the majestic, high-ceilinged lobby. Huge French windows in the lounge overlooked Lake Mirror. From her ample restaurant and bar, visitors enjoyed fine meals served in a restful atmosphere. Guest rooms were simply and thoughtfully appointed with then-modern comforts and conveniences that few other hotels could match.

In 1998, The Lakeland Terrace re-opened its doors as downtown's newest hotel. restored its charming historic exterior, completely refurbishing the hotel to luxurious modern standards. In addition to 73 spacious hotel rooms, The Terrace Hotel also offers 15 comfortable guest suites, plus elegant conference and banquet facilities. Our professionally decorated guestrooms capture the hotel's original style while considering the needs of modern-day travelers.

Today, the Terrace Hotel Lakeland hotel has entered the next chapter of its illustrious history with its new ownership and management. Our hotel boasts updated interiors and has joined Hilton under its new name the Terrace Hotel Lakeland, Tapestry Collection by Hilton. Every Tapestry Collection property has its unique style and vibrant personality that allows an authentic connection to their destination while providing them with the peace of mind and reassurance associated with the Hilton name, in addition to the benefits of the award-winning Hilton Honors program.

The design inspiration for the Terrace Hotel Lakeland's renovation took cues from its flamboyant 1920's art deco history, the elegant lines of the royal family's swan descendants, as well as the lush gardens and vibrant hues of citrus groves nearby. All spaces feature new finishes, local artworks, and a mix of eclectic furnishings tying together the local flora, fauna, and wildlife's color palette and textures.

Upon entering the guestrooms and suites of The Terrace Hotel Lakeland, guests are greeted with old-world glamour that is classic and timeless. The design brings the outside in, as guests experience the blooming landscape's elegance and calming colors of the surrounding lakes. Unique patterns throughout the rooms and baths give an unexpected twist to the swan, whose presence can be seen throughout the property and Lakeland.

The Terrace Grille Restaurant features elements restore from the original building like its iconic floor-to-ceiling arched windows, dramatic pecky cypress patterned ceilings, and black and white patterned floors. The Lake Mirror Room and Cypress Ballroom continue to be Lakeland's top venues for wedding receptions and business gathering celebrations.

Celebrations to remember take place in our handsomely furnished banquet rooms that are located on the mezzanine floor. We host events capable of accommodating groups of 55 to 100 for small meetings and events.


Uma breve história

“Curiosity to explore lake depths” was reported in the Newark Evening News as being the reason for founding the Lakeland Emergency Squad. That was only partly true. The founders, looking ahead, considered this the first step to what we see today. At that time, there was a void in emergency underwater recovery services, whether it was personal property or that of a drowning victim. The Squad was the first volunteer group in the United States to use diving gear for the recovery of those victims. The first diving gear was a helmet made from a gas tank of a car with air supplied by hand pumps. The surprising thing was that it worked! Word of the novel group spread, and by 1940 the Squad’s services were requested by officials from a wide area. Thus, the Squad continued to expand. The helmet gave way to back-pack entry suits and that led to SCUBA.

By the end of 1939, plans were underway to expand into other forms of rescue. Equipment was made, borrowed, begged for, and sometimes purchased toward that end. This continued expansion has gone on to this day. When problems can be foreseen, the Squad will prepare for them before they happen.

A major expansion occurred in 1949 when the membership voted to inaugurate ambulance and first aid service. This was operational on January 1, 1950, and since then the bulk of the Squad’s activity has been in this field.

The group was originally named the Cranberry Lake Salvage Unit. This was later changed to the Lakeland Volunteer Salvage Unit when it incorporated. The name was changed again in 1954 to Lakeland Emergency Squad as that name better described the combination of first aid and rescue services provided to the public.

In 1939, the total membership was fifteen, mostly teenagers. World War II drained most of the membership, and during that period operations were limited. After 1946, the returning veterans resumed active roles in the Squad, and from there membership grew and remained constant at about forty. It is not clear why the membership has not increased in proportion to the growing population of our coverage area.

Housing the Squad equipment was originally a simple matter. As time went on, the volume and value of this equipment expanded and the housing problem assumed major proportions. The first housing was in the long row of garages at the entrance to South Shore Road in Cranberry Lake.

Later, it was moved to Paterson’s building (the present site of Lynn’s Nissan). Ground was broken for the present day headquarters in the fall of 1956, and the Squad moved into its own new building the following year. With the exception of the roofing and heating, this building was constructed entirely with volunteer labor. The building has since been renovated and expanded four times. In 1981, a major addition of three vehicle bays was completed. In that same year, a second building was dedicated in Andover Township at the corner of Goodale Road and Route 206 (present day Goodale Sub-station).

In the first year of operations, the Squad answered 13 calls (compared to today’s over 1,200 per year). From 1939 to 1979, approximately 17,000 calls were answered and from 1979 to 2008, approximately 21,000 calls have been answered by the Squad.

Initially, the Squad equipment was carried in private vehicles. In 1940, a 1928 Ford was purchased and sold without ever seeing active service. In 1947, a 1926 Hudson fire truck was purchased by the Squad, converted, and put into service. The first ambulance was an early 1930s Studebaker. The ambulances and the rescue truck were periodically replaced as the years went on. As the demands on the Squad increased, additional vehicles and equipment were added. Presently, the Squad operates four ambulances, one heavy rescue truck, and one first response / incident command vehicle.

During the early years, the Squad was financed by member dues, fines, and donations. By 1946, the financial needs increased so much that the public was asked to help. Municipal and County appropriations soon followed. Today, the Squad depends on the generosity of our three towns and our annual fund drive.

Ever since the diving helmet was constructed, the Squad has prided itself in the progressive training and service it has provided to all in need. This commitment to excel in our field has led to many “firsts” from the first underwater recovery unit to use divers as a practice the first squad to be trained outside the British Empire by the Order of St. John (Canada) the first squad to conduct a rescue school in New Jersey the first squad in the Country to have a registered EMT the first squad in New Jersey to have a first response vehicle and one of the first two squad in New Jersey to carry defibrillators.

Since its inception, Lakeland Emergency Squad has been at the forefront of emergency care and always using that knowledge to assist our fellow man. This philosophy continues to this day. The Squad looks at the past to gain knowledge and guidance to meet the demands of the future. In 2014, we proudly celebrated our seventy-fifth year of service!

On October 1, 2016 the Squad went live with electronic patient care reporting, using mobile tablet computers to better enhance the care we provide to our patients. All four BLS units were outfitted with GPS-enabled wifi modems allowing their location to be tracked at all times by our regional dispatch centers.

Early 2017 brought additional operational changes to the Squad. For several years leading up to this point, members had been mulling over the decision to begin an insurance billing program to help cover the rising costs of training, vehicle maintenance, fleet and equipment replacement/upgrades, insurance, building refurb, etc. On February 10, 2017, Lakeland EMS became a State Licensed BLS provider with the NJ Department of Health, Office of Emergency Medical Services, thus changing our business model to include insurance billing for patients we transport. For the first time in the Squad’s history, 2017 also saw the remount of ambulances instead of purchasing new, completed through our longtime partnership with VCI Emergency Vehicles of Berlin, NJ. Both of our 2003 Horton units were upgraded to 2016 Ford F-series chassis, the first truck-body ambulances the Squad had purchased in roughly 25 years. To close out 2017, after many years with Sparta Police Dispatch handling our Byram-based incidents, Lakeland and the other public safety agencies in Byram migrated to Sussex County Communications on December 13th, 2017.

In 2018, Lakeland completed another technology upgrade to start the year. By mid-January, the BLS fleet was equipped with mobile CAD software from Sussex County Communications delivered on Panasonic Toughbook computers mounted in the cabs of the ambulances, allowing real-time incident data and mapping to be provided to the crews at the click of a button.

Founding Members of the Lakeland Emergency Squad

Today, the Lakeland Emergency Squad proudly serves Andover Borough, Andover Township, and Byram Township. Our first due coverage area is approximately 50 square miles of southern Sussex County, where over 15,000 people reside, about 10% of the County’s population. We provide mutual aid to the surrounding towns including Newton, Stanhope, Netcong, Hopatcong, Frankford, Fredon, Stillwater, Green, Lafayette, Allamuchy, Hampton, and Sparta.


Florida Obituary and Death Notice Archive

Mildred Peterson

Mildred "Millie" Peterson, 86, of Englewood, Fla., died Jan. 20, 2002, at Bon Secours-Venice Hospital, Venice, Fla. Lemon Bay Funeral Home is in charge of arrangements.

Kenneth M. Harvey

Kenneth M. Harvey was born April 27, 1926, on a perfect spring day in Muskegon, Mich., and died Feb. 14, 2002, on a perfect San Diego, Calif., day.

It's been said that wealth is not measured in how big your home is or how large your 401k, but it's measured rather by how large your heart is and how many who knew you enjoyed your company.

If the latter be true, Ken Harvey was a very wealthy man.

Born and raised in Muskegon, leaving as a sailor for the Pacific, Ken spent 1944-1946 fighting for his country on LSM 373. Ken graduated post-war in 1947 from Muskegon High.

Married May 14, 1948, to Jean Massot, they spent 54 happy years together. Starting in Roosevelt Park and then 23 years in Twin Lake, they raised two children. Ken spent this time busy on every civic and church board imaginable and as a firefighter with the Twin Lake Volunteer Fire Department. Ken was employed by Bennett Pump for 34 years. He was a member of the Twin Lake Methodist Church.

Jean and Ken retired to Punta Gorda, Fla., in 1984, where Ken "unretired" to Winn-Dixie supermarkets for 16 years. Ken and Jean enjoyed several years of grandchildren and entertaining "northern" friends. Ken was a lifetime member of VFW Post 10192 and the USS LSM-LSMR Association.

Diagnosed with a progressive terminal disease, Ken, with Jean, moved to San Diego in June 2001 to live with their son and family, and lived his last days in comfort, surrounded by family who loved him greatly. A simple, honest and generous man, Ken gave his love to others freely, never asking for any payment in return. He was a very, very rich fellow indeed and will be greatly missed. Anchors aweigh, my boy .

He is survived by his loving wife, Jean daughter, Susan son, Dave daughter-in-law, Gayle four grandchildren, John Charles Burmeister III and Rebecca, Leslie and Amanda Harvey two great-grandchildren, Bryana and John Charles Burmeister IV brother, Eugene (Norma) Harvey and sister, Ruth Haynes.

Cards can be sent to Jean Harvey, 1580 Carmel Ave., Chula Vista, CA 91913. Donations may be sent to Sharp Hospice Care Fund, Grossmon Hospital Foundation, P.O. Box 158, La Mesa, CA 91944.

Frances M. Langill

Frances M. Langill, 81, of Port Charlotte, Fla., died Tuesday, Feb. 12, 2002, at her Port Charlotte residence.

Born Dec. 2, 1920, in Brockton, Mass., she moved to this area in 1976 from Hingham, Mass., and was of the Protestant faith.

Survivors include her children, two sons, Edward J. Langill Jr. of Hingham, Mass., and William Langill of Tenn. two daughters, Jane A. Andrews and Leslie Langill, both of Punta Gorda, Fla. one brother, Charles Richards of Brockton, Mass. several grandchildren and great-grandchildren, and two great-great-grandchildren. Her husband, Edward J. Langill, and a son, Richard (Dickie), preceded her in death.

Visitation will be held Monday, Feb. 18, 2002, from 6 p.m. until start of service at 7 p.m. at Roberson Funeral Home, Port Charlotte Chapel. The Rev. Derek Goldstein of Port Charlotte United Methodist Church will officiate. Inurnment will be held later in Bay Pines National Cemetery in St. Petersburg, Fla.

Arrangements are by Roberson Funeral Home & Crematory, Port Charlotte Chapel.

Wilton J. Roberts

Wilton J. "Pop-Pop" Roberts, 76, of Port Charlotte, Fla., passed away Thursday, Feb. 14, 2002, at his residence. He was born Oct. 5, 1925, in L'Anse, Mich., and has lived here since moving in 1988 from Browns Mills, N.J.

He retired in 1985 from the U.S. Air Force, serving in World War II, the Korean War and the Vietname War. He was a member of St. Charles Borromeo Catholic Church.

Mr. Roberts is survived by his wife of 49 years, Annie (Williams) Roberts daughter, Rose R. Keech of Port Charlotte two sons, Walter J. Roberts of Corpus Christi, Texas, and Henry L. Roberts of Browns Mills two sisters, Dorothy Celello of Iron Mountain, Mich., and Sharon Schroeder of Chicago, Ill. four grandchildren, Alicia Keech of Port Charlotte, Rhiannon Roberts of Corpus Christi, Ryan Roberts of Browns Mills, and Mason Lessa of Browns Mills and two great-grandchildren.

Mass of Christian Burial will be celebrated at 10:15 a.m. Monday, Feb. 18 at St. Charles Borromeo Catholic Church, 2500 Easy St., Port Charlotte. Friends may visit with the family from 9 to 9:30 a.m. Monday at Charlotte Memorial Funeral Home, 5200 Indian Springs Road, Punta Gorda.

In lieu of flowers, memorial contributions may be made to the Hepatitis Foundation International, 30 Sunrise Terrace, Cedar Grove, N.J. 07009-1423, or to the Florida Lions Eye Bank, University of Miami School of Medicine, Bascom Palmer Eye Institute, 900 N.W. 17th St., Miami, FL 33136.

L.C. Duke Bitler

L.C. Duke Bitler succumbed to cancer Feb. 13, 2002. Born in Waynesburg, Ohio, he grew up in Lakewood, Ohio, and graduated from Ohio University after a tour of duty with the Maritime Service during World War II.

He was a member of Phi Delta Theta fraternity and had received his 50-year pin. His entire business career was with Ohio Bell Telephone Co., where he was a division manager, manager of the Akron/Canton/Youngstown district and served on loan to AT&T as a consultant in Australia to assist in the restructuring of the telephone system there.

He was a charter member of Silver Lake Country Club, former president of The Russet Wood Association in Walden, former member and president of Walden Golf and Tennis Club, former president and long-time board member of Pelican Landing Association in Englewood, Fla., and a former member of the Akron Regional Development Board. A resident of Florida since his retirement in 1988, Mr. Bitler summered at his home in Stow, Ohio. He was a long-time member of The Church in Silver Lake, and the Akron and Lakewood Masonic lodges, where he was a 32nd degree Mason, The Shrine in Sarasota, the Englewood Elks Club and the Englewood Historical Society. He also was an Eagle Scout.

He is survived by his wife, Marcye children, Jon, James and Dougless stepchildren, James Armington Jr. and Suegene Armington Wagner and eight grandchildren.

Calling hours are on Saturday, Feb. 16 at the Clifford-Shoemaker Funeral Home in Cuyahoga Falls, Ohio. A memorial service will be held at 2 p.m. on Sunday, Feb. 17 at The Church in Silver Lake with the Rev. Mary Willis officiating. Friends may send contributions to The Church in Silver Lake or the Englewood Historical Society.

Delaine Vivian Fisher

Delaine Vivian Fisher, of Rotonda West, Fla., died on Feb. 14, 2002. She was born in Columbus, Ohio. She moved to this area 12 years ago from Columbus. She was a barber at the Tarpon Center Barber Shop in Grove City for four years.

She is survived by her husband, Daniel Fisher, of Rotonda West three daughters, Jeannie McDermott, Linda Wallace and Karen Wallace three stepchildren, Dixie Fisher, Candy Fisher and Scott Fisher two brothers, Richard Luty and Raymond Luty and seven grandchildren, Michael McDermott, Mark McDermott, Sam Fisher, Katti Fisher, Michael Fisher, Mitchell Wallace and Danielle Shea.

Farley Funeral Home & Crematory, North Port Chapel is in charge of arrangements.

Raymond F. Flannigan

Raymond F. Flannigan, 84, of Charlotte Harbor, Fla., died Feb. 14, 2002. Arrangements by Kays-Ponger/Royal Palm Funeral Homes and Cemetery, Punta Gorda Chapel.

Charles Arden Prickett

Charles Arden Prickett, 82, died Jan. 30, 2002, in Port Charlotte, Fla. Arrangements by Kays-Ponger/Royal Palm Funeral Homes and Cemetery.

Clayton B. Woodward

Clayton B. Woodward, 82, of Port Charlotte, Fla., and Westmoreland, N.H., died Feb. 14, 2002. Arrangements by Roberson Funeral Home & Crematory, Port Charlotte Chapel.

Andrew Amendola

Andrew "Andy" Amendola, 58, of Fruitland, Park, Fla., died Feb. 9, 2002.

Mr. Amendola was a long distance technician for Sprint in Leesburg, Fla. He was born in New Haven, Conn., and moved to Port Charlotte, Fla., in 1994. He was a member of First Baptist Church of Fruitland Park. He was a Vietnam veteran and in the U.S. Army Reserves.

Survivors are his wife, Joanne Amendola of Fruitland Park sons, Andrew Amendola and James (Laura) Amendola, both of Port Charlotte a brother, James Amendola of West Haven, Conn. a grandson, Alex Grantham of Port Charlotte and his mother, Emma Talbot of Holiday, Fla.

Funeral services will be conducted at 11 a.m. Wednesday, Feb. 13, at First Baptist Church of Fruitland Park, with Pastor Gary Washburn officiating. Interment will be at Shiloh Cemetery, Fruitland Park.

In lieu of flowers, contributions may be made to Hospice of Lake & Sumter County, 12300 Lane Park Road, Tavares, FL 32778 or the Salvation Army. Arrangements are by Beyers Funeral Home, Leesburg, Fla.

Edna T. Punch

Edna T. Punch, 77, of Port Charlotte, Fla., passed away Feb. 8, 2002.

She was born Dec. 28, 1924, in Grenada, West Indies, to John and Evalina (Mark) Millet. She worked as a teacher and financial clerk before retiring in 1987. She moved to Port Charlotte in 1988 from Brooklyn, N.Y. She was a member of St. Charles Borromeo Catholic Church and was a volunteer at the Cultural Center of Charlotte County.

She is survived by three children, Francis Punch and Florence Punch, both of Brooklyn, N.Y., and Anthony Punch of Port Charlotte five grandchildren two sisters, Sybil Millet of Brooklyn and Evelyn Bromet of Aruba, NA.

Visitation will be from 2 p.m. to 6 p.m. Wednesday, Feb. 13, at Kays-Ponger Funeral Home, Port Charlotte Chapel. A Mass of Christian Burial will be offered at 10 a.m. Thursday, Feb. 14, at St. Charles Borromeo Catholic Church, with Burial to follow at Royal Palm Memorial Gardens.

Harry Warburton

Harry Warburton, 73, of Port Charlotte, Fla., died Feb. 4, 2002.

He was a member of Elks Lodge No. 2153, VFW Post No. 5690, American Legion Post No. 110, and served as post commander of R.L. Cochran Jr. DAV Post No. 82, past commander of DAV districts No. 2 and No. 13, adjunct treasurer of DAV Post No. 82, and judge advocate of state of Florida DAV for five years.

Surviving is a niece, Lynn Ambrose of Punta Gorda.

A memorial service will be conducted at 10 a.m. Thursday, Feb. 14, in the Post Charlotte Chapel of the Kays-Ponger/Royal Palm Funeral Home, with American Legion Post No. 110 providing military honors. Inurnment with military honors will be at 1 p.m. Friday, Feb. 15, at Florida National Cemetery in Bushnell, Fla.

Memorials may be made to DAV, Sunnydale Plaza, Port Charlotte, FL 33952.

Patricia A. Todd

Patricia Ann Todd, 42, died at her residence in North Port, Fla., on Feb. 9, 2002.

She was born on Oct. 6, 1959, in Boston, Mass., and came to North Port from Walpole, Mass., in 1990. She was the co-owner of A-1 Superior Pest Control Co. in Englewood, Fla., for the last five years. She was a teachers assistant at Charlotte School District for four years and attended San Pedro Catholic Church in North Port.

Survivors include her son, Brian Todd of North Port a daughter, Loretta Washburn of East Granby, Conn. her fianc , Brian Scott of Englewood a brother, Paul Stella of North Port a sister, Lorraine Whitneour of Granby, Conn. her father, Paul Stella Sr. of Sharon, Mass. and two grandchildren.

A memorial Mass will be celebrated at 11 a.m. Feb. 12, at San Pedro Catholic Church in North Port.

Memorial donations may be made to Hospice of Southwest Florida, 5955 Rand Blvd., Sarasota, FL 34238 or to the American Cancer Society, South County Unit, 2100 S. Tamiami Trail, Ste. A, Venice, FL 34293. Arrangements are by Farley Funeral Home and Crematory, North Port Chapel.

Willette Murrill

Willette Smith Murrill, 79, of Arcadia, Fla., died Feb. 9, 2002, in Arcadia.

Mrs. Murrill was born Sept. 6, 1922, in Dublin, Ga., and moved to Arcadia in 1964. She was a retired school teacher, having taught grammar school in DeSoto County for 18 years, and was a graduate of the University of Georgia in 1944, with a degree in education. She was a member of Trinity United Methodist Church, the Retired Teachers Association, Daughters of the American Revolution, the Alpha Chi Omega sorority, and the Arcadia Women's Club.

She is survived by her daughter, Maryesther (Merrill) Jackson of Nashville, Tenn. two sons, Lee Murrill and Ed Murrill, both of Arcadia her sister, Esther Hudgins of Atlanta, Ga. four grandchildren, Cristina, Olivia, Abigail and Jordan and two great-grandchildren, Levi and Leigha. She was preceded in death by her husband, Louis Lee Murrill Sr.

Visitation will be from 6 p.m. to 8 p.m. Tuesday, Feb. 12, at Ponger-Kays-Grady Funeral Home. Funeral services will be conducted at 11 a.m. Wednesday, Feb. 13, at the funeral home chapel, with the Rev. Ken Hostetler and the Rev. Glenn Clulow officiating. Interment will follow in Oak Ridge Cemetery, Arcadia.

Sadie Carr

Sadie Carr, 80, of North Port, Fla., died Feb. 9, 2002, in Bon Secours-Venice Hospital. Arrangements are by the James A. McKee Funeral Homes, North Port.

James D. Dale

James D. Dale, 70, passed away Feb. 10, 2002. Arrangements are by National Cremation Society of Port Charlotte, Fla.

Marvin L. Davis

Marvin L. "Dick" Davis, 69, of Rotonda West, Fla., passed away Feb. 8, 2002, at Englewood Community Hospital, Englewood, Fla. Arrangements are by Lemon Bay Funeral Home, Englewood Chapel.

Della A. Martin

Della A. (Fox) Martin, 82, of Mansfield, Conn., and Punta Gorda, Fla., formerly of Smithtown, Long Island, N.Y., and beloved wife of Robert F. Martin, died Friday, Feb. 1, 2002, at Windham Memorial Hospital with her family by her side.

Della was born April 14, 1919, in Brooklyn, N.Y., daughter of the late Joseph and Augusta (Beck) Fox. She was a resident of Mansfield for the past nine years.

Della was employed by the town of Smithtown in the Assessors Office for 10 years. She was a member of the Ladies Auxiliary Nesconset Fire Department and was active in the Smithtown Bay Yacht Club.

Della was a loving and devoted wife, mother, grandmother, great-granmother, sister and friend. She will be deeply missed by all who knew and loved her.

Besides Della's husband of 61 years, Robert, she is survived by a daughter and son-in-law, Diane and Ronald Nichols of Coventry, Conn. two sons and two daughters-in-law, Robert Jr. and Evelyn Martin, and William and Kathleen Martin, all of Smithtown 10 grandchildren, seven great-grandchildren a sister, Evelyn Cooney two brothers, William and Robert Fox many nieces and nephews and other relatives and friends. She was predeceased by a brother, Joseph Fox.

Funeral services will be at 8:30 a.m. Tuesday, Feb. 5 at the Coventry Funeral Home, 2665 Boston Turnpike (Route 44), Coventry, followed by a Mass of Christian Burial at 9:30 a.m. at St. Mary Church, 1600 Main St., Coventry. Burial will be in St. Mary Cemetery. Calling hours will be 6 p.m. às 21h00 Feb. 4.

Grace P. Riegel

Grace P. Riegel, 54, of North Port, Fla., died Monday, Jan. 28, 2002 at her residence.

She was born Sept. 1, 1947 in Camden, N.J., and moved to North Port in 1994 from Titusville, Fla. She was a cashier at the Port Charlotte Kmart Store. She was a member of the American Red Cross, Charlotte County Chapter and was a Catholic.

She is survived by her husband, Charles E. Riegel of North Port two daughters, Jennifer Gawrys of Cocoa, Fla., and Joanne Thomas of Estill Springs, Tenn. a son, Lacy Taylor of Titusville father and stepmother, Elwood & Dolores Pifer of Cherry Hill, N.J. four sisters, four brothers, and six grandchildren.

Memorial services will be held at 11 a.m. Thursday, Feb. 7, 2002 at Roberson Funeral Home Port Charlotte Chapel. Memorial contributions may be made to the American Red Cross, Charlotte County Chapter, 1300-D Enterprise Drive, Port Charlotte, FL 33953. Arrangements are by Roberson Funeral Home & Crematory Port Charlotte Chapel.

Doris Jean Schmidt

Doris Jean Schmidt, 86, of Bradenton, Fla., and formerly of Port Charlotte, Fla., died Saturday, Feb. 2, 2002 at her residence.

She was born March 30, 1915 in Detroit, Mich., and moved to Port Charlotte in 1986 from Dearborn, Mich., and in 1989 moved to Bradenton. Mrs. Schmidt was an avid golfer and a former member of the Punta Gorda Country Club. She was a former president of the Women's Golf Association of the Washtenaw Country Club of Ypsilanti, Mich., and a former president of the Lawyers Wives of Dearborn.

She is survived by two daughters, Barbara J. Metzler of Winnetka, Ill., and Sandra Schmidt of Bloomfield, Mich. two sons, James J. Schmidt of Fort Gratiot, Mich., and Russell Schmidt III of Troy, Mich. eight grandchildren and six great-grandchildren.

Memorial services will be held at 11 a.m. Wednesday, Feb. 6, 2002 at Roberson Funeral Home Port Charlotte Chapel. The Rev. James R. Kuse of the Port Charlotte United Methodist Church will officiate. Inurnment will be in Restlawn Memorial Gardens, Port Charlotte.

Arrangements are by Roberson Funeral Home & Crematory Port Charlotte.

Pareleah Russell Warren

Pareleah Russell Warren, 69, of Fort Myers, Fla., and formerly of Punta Gorda, Fla., passed away Saturday, Feb. 2, 2002, in Port Charlotte, Fla.

She had been a resident of this area since 1952, moving from Kentucky.

Mrs. Warren was preceded in death by her parents, James A. Garfield Russell and Cynthia Jane Miller, and two sisters, Beth Phillips and Nellie Irene Russell. She is survived by her husband of 52 years, Buell Warren children, Fred G. Warren of Nashville, Tenn., Edna Alyne Warren Phillips of Fort Myers, Douglas Evert Warren of Punta Gorda and James Wayne Warren of Lehigh Acres, Fla. brothers, James, David, Paul, Johnny, Homer, Larry and Robert Russell sisters, Margaret Wheeler, Faye Smith, Dorothy Tyner, Martha Ewers and Fletta Jackson grandchildren, Rodney Buell Phillips, Stephanie Louise Warren, Jessica Lynn Warren, Jordan Elizabeth Warren and Caleb John Warren great-grandchildren Shane Alexander Phillips, Spencer Adam Phillips, Sarah Kathryn Jokela and Scott George Jokela.

Funeral services will be held at 2 p.m. Tuesday, Feb. 5, 2002, at the Punta Gorda chapel of Kays-Ponger/Royal Palm Funeral Home, 635 E. Marion Ave. Interment will follow at Indian Springs Cemetery. The family will receive friends from 5 p.m. to 8 p.m. Monday, Feb. 4, at the funeral home. Memorials may be made to the Charlotte/DeSoto Alzheimer's Chapter, P.O., Box 510042, Punta Gorda, FL 33951.

Florida Obituary and Death Notice Archive is maintained by GenLookups with WebBBS 5.12 .


Assista o vídeo: 30 instrucciones en LSM