Pierre Beauregard

Pierre Beauregard

Pierre Toutant Beauregard nasceu em St. Bernard Parish, Louisiana, em 28 de maio de 1818. Ele foi educado na Academia Militar dos Estados Unidos em West Point e se formou em 1838, ficando em segundo lugar em sua classe de 45. Ele serviu no Corpo de Engenheiros durante a Guerra do México (1846-1848) e foi ferido duas vezes.

Beauregard foi Superintendente da Academia Militar dos Estados Unidos até renunciar em 1861 para ingressar no Exército Confederado. Sua primeira postagem foi para Charleston, na Carolina do Sul. O presidente Jefferson Davis considerou que, após a separação de um estado, os fortes federais se tornaram propriedade do estado.

Beauregard recebeu a responsabilidade de assumir o Fort Sumter. Em 12 de abril de 1861, Beauregard exigiu que o Major Robert Anderson rendesse o Forte Sumter. Anderson respondeu que estaria disposto a deixar o forte em dois dias, quando seus suprimentos acabassem. Beauregard rejeitou esta oferta e ordenou que suas tropas confederadas abrissem fogo. Após 34 horas de bombardeio, o forte foi severamente danificado e Anderson foi forçado a se render.

Em 21 de julho, Beauregard participou da primeira batalha em Bull Run contra o Exército da União liderado por Irvin McDowell. As tropas confederadas lideradas por Beauregard, Joseph E. Johnston, Thomas Stonewall Jackson e James Jeb Stuart derrotaram facilmente as inexperientes tropas da União. As baixas no norte totalizaram 1.492, com outros 1.216 desaparecidos.

O presidente Jefferson Davis ficou impressionado com as conquistas de Beauregard e, em 31 de agosto, foi nomeado general do Exército Confederado. Em 6 de abril, Beauregard atacou o exército de Grant em Shiloh. Pego de surpresa, o exército de Grant sofreu pesadas perdas até a chegada do General Don Carlos Buell e reforços. Beauregard assumiu o comando quando seu superior, Albert S. Johnston, foi morto e se retirou para Corinth, Mississippi. O Exército da União sofreu 13.000 baixas e os Confederados perderam 10.000. No entanto, o Exército da União, com a chegada do general Henry Halleck e suas tropas, era agora mais forte e tinha pouca dificuldade em expulsar Beauregard de Corinto.

Beauregard adoeceu em junho de 1862 e, enquanto recuperava o comando do Exército Confederado, foi para Braxton Bragg. Quando Beauregard recuperou a forma, foi colocado no comando das defesas costeiras da Geórgia e das Carolinas. Em abril, ele foi trazido de volta para a Virgínia e em maio de 1864 derrotou um exército da União comandado pelo general Benjamin Butler em Drury's Bluff.

Após a Guerra Civil Americana, Beauregard foi presidente da ferrovia e da Loteria da Louisiana. Pierre Toutant Beauregard, que escreveu The Campaign and Battle of Manassas (1891), morreu em 20 de fevereiro de 1893 em New Orleans, Louisiana.

O general Albert Sidney Johnston, que comandou as forças confederadas no início da batalha (Siloh), foi incapacitado por um ferimento na tarde do primeiro dia. Essa ferida, como entendi depois, não era necessariamente fatal, nem mesmo perigosa. Mas ele era um homem que não abandonaria o que considerava uma importante confiança diante do perigo e consequentemente continuou na sela, comandando, até tão exausto pela perda de sangue que teve que ser tirado de seu cavalo, e logo em seguida faleceu.

O general Beauregard foi o próximo na patente de Johnston e sucedeu ao comando, que manteve até o final da batalha e durante a retirada subsequente em Corinto, bem como no cerco daquele lugar. Suas táticas foram severamente criticadas por escritores confederados, mas não acredito que seu chefe caído pudesse ter feito melhor nas circunstâncias. Alguns desses críticos afirmam que Shiloh foi vencido quando Johnson caiu e que, se ele não tivesse caído, o exército sob o meu comando teria sido aniquilado ou capturado.

Nossa perda na luta de dois dias foi de 1.754 mortos, 8.408 feridos e 2.885 desaparecidos. Destes, 2.103 estavam no Exército de Ohio. Beauregard relatou uma perda total de 10.699, dos quais 1.728 foram mortos, 8.012 feridos e 957 desaparecidos. Esta estimativa deve estar incorreta. Enterramos, pela contagem real, mais mortos do inimigo apenas do que aqui relatado, e 4.000 foi a estimativa das festas funerárias para todo o campo.


Pierre Gustave Toutant Beauregard

1818–1893, general confederado, b. Paróquia de São Bernardo, Louisiana, grad. West Point, 1838. Como engenheiro da equipe de Winfield Scott na Guerra do México, ele teve um papel de destaque na conquista da Cidade do México. Mais tarde, ele fez trabalhos de engenharia na Louisiana e, por cinco dias em janeiro de 1861, foi superintendente de West Point. Beauregard, renunciando ao exército em fevereiro, logo foi nomeado general-de-brigada confederado e recebeu o comando em Charleston, onde ordenou o fogo no Forte Sumter. Assumindo o comando do exército em NE Virginia (junho), ele foi o segundo em comando para J. E. Johnston na primeira batalha de Bull Run (16 de julho de 1861) e foi promovido a general.

Ele foi enviado para o Ocidente em 1862 e sucedeu ao comando do Exército do Tennessee após a morte de A. S. Johnston na batalha de Shiloh. Problemas de saúde e atritos com Jefferson Davis, a quem ele criticou depois de Bull Run, resultaram em sua remoção do comando. Depois de um descanso, ele foi encarregado da defesa da costa da Carolina do Sul e da Geórgia, que habilmente defendeu contra os ataques da União, particularmente aqueles em Charleston em 1863. Em maio de 1864, Beauregard reforçou Lee na Virgínia. Ele derrotou B. F. Butler em Drewry & # 8217s Bluff e manteve Petersburg contra Grant até que Lee chegasse. Nos últimos meses da guerra, ele estava nas Carolinas com J. E. Johnston. Depois da guerra, Beauregard foi presidente da ferrovia, gerente da loteria estadual da Louisiana e, por muitos anos, ajudante geral daquele estado. Suas habilidades superiores de engenharia ofuscaram suas deficiências como comandante de campo.


Caroline Beauregard

Em 1860, o viúvo Pierre Beauregard casou-se com Caroline Deslonde, cuja família possuía plantações na Louisiana e uma casa na Esplanade Avenue em Nova Orleans conhecida como Stalian Hall. A irmã Mathilde de Caroline e # 8217 casou-se com John Slidell, um senador americano da Louisiana. Ambos os homens desempenharam papéis importantes na Confederação, Beauregard como o famoso general e Slidell como um importante diplomata confederado.

Imagem: General P.G.T. Beauregard

Pierre Gustave Toutant Beauregard nasceu em 28 de maio de 1818, na casa de fazenda de sua família, Contreras, em St. Bernard Parish perto de New Orleans, Louisiana. Seus pais eram o plantador crioulo Jacques Toutant Beauregard e Helene Judith de Reggio Beauregard. Começando aos oito anos, Gustave (como era chamado na juventude) frequentou três anos em uma academia privada em Nova Orleans. Aos 12 anos, ele foi enviado para um internato francês na cidade de Nova York por quatro anos, onde aprendeu a falar inglês.

Gustave foi nomeado para a Academia Militar dos Estados Unidos em West Point aos 16 anos e se formou em segundo lugar em sua classe em 1838, que também incluía seu futuro oponente de Bull Run, Irvin McDowell. Enquanto estava na academia, seu instrutor de artilharia foi Robert Anderson, que ele enfrentaria mais tarde durante a Guerra Civil em Fort Sumter. Sua grande admiração pelo líder francês Bonaparte rendeu-lhe o apelido de Pequeno Napoleão por parte de seus colegas.

Beauregard foi contratado como segundo-tenente do Corpo de Engenheiros do Exército. Em 1838, ele ajudou na construção de Fort Adams em Brenton & # 8217s Point em Newport, Rhode Island. Em 1839, ele foi promovido a primeiro-tenente e designado para construir defesas costeiras na Flórida, antes de ser transferido para a Louisiana no ano seguinte.

De 1840 a 1844, ele esteve envolvido em dois grandes projetos de engenharia nas passagens do Rio Mississippi e na construção do Forte Livingston na Ilha Grand Terre na Baía de Barataria. Ele também foi enviado para Pensacola, Flórida, e mais tarde em 1844-45, em Fort McHenry em Baltimore, Maryland.

Durante a Guerra do México (1846

1848), Beauregard serviu sob o comando do General Winfield Scott. Ele esteve envolvido na construção de defesas em Tampico, México. Durante o cerco de Vera Cruz, ele foi fundamental na colocação de baterias de artilharia, o que ajudou a concluir a operação com sucesso. Ele continuou a assistir à ação em Cerro Gordo, Contreras, Chapultepec e finalmente na Cidade do México, onde foi ferido duas vezes. Pouco depois, Beauregard recebeu o brevetrank de Major. Com o fim da guerra & # 8217s, Beauregard voltou aos deveres em tempos de paz nos Estados Unidos.

Em setembro de 1841, Beauregard casou-se com Maria Antonieta Laure Villere, filha de Jules Villere, um plantador de açúcar na paróquia de Plaquemines e membro de uma das famílias crioulas mais proeminentes do sul da Louisiana. O casal teve três filhos: René, Henri e Laure. Marie morreu em março de 1850, ao dar à luz Laure.

Após quatorze anos de serviço contínuo na patente de tenente, Beauregard alcançou a patente de capitão em 3 de março de 1853. Ele mais uma vez foi engenheiro do exército na Louisiana, corrigindo problemas de navegação no rio Mississippi e supervisionando a construção do Forte Proctor a leste de Nova Orleans nas margens do Lago Borgne. Beauregard também supervisionou o reparo das fortificações em Mobile Bay e ao longo do baixo rio Mississippi, atualizou o sistema de diques e estabilizou a Federal Customs House, que estava perto do colapso devido ao assentamento do solo macio da Louisiana. Ele recebeu o posto de capitão em 3 de março de 1853 e serviu como engenheiro-chefe para a drenagem de Nova Orleans em 1858-1861.

Em 1860, o viúvo Beauregard casou-se com Caroline Deslonde, filha de André Deslonde, um plantador de açúcar da Paróquia de St. James. Sua família tinha uma plantação substancial em Belle Pointe, Laplace, Louisiana, onde hoje é a Paróquia de São João Batista. Os recém-casados ​​passaram a lua de mel no que hoje é chamado de Beauregard-Keyes House em 1113 Chartres Street.

Imagem: Rear Gardens na Beauregard-Keyes House
No Bairro Francês de Nova Orleans

Em 23 de janeiro de 1861, P.G.T. Beauregard foi nomeado Superintendente da Academia Militar dos Estados Unidos em West Point, Nova York. O debate separatista atingiu massa crítica neste ponto e as inclinações pró-sul de Beauregard & # 8217 foram a causa provável para sua imediata remoção deste posto em 28 de janeiro de 1861, dando-lhe o mandato mais curto como Superintendente na história de West Point.

Poucos dias depois, seu cunhado, o senador John Slidell, fez um apaixonado discurso de secessão. Em 26 de janeiro, a Louisiana retirou-se da União, o que levou Beauregard a renunciar à sua comissão em 20 de fevereiro de 1861, encerrando assim sua carreira como oficial militar dos Estados Unidos. Beauregard voltou para casa na Louisiana e se juntou aos Guardas de Orleans, uma unidade voluntária composta de cavalheiros crioulos de elite de Nova Orleans, com o posto de soldado raso.

Pouco tempo depois, ele recebeu o comando de todas as unidades de artilharia e engenharia das forças do estado da Louisiana com a patente de coronel. Braxton Bragg havia recebido o comando de todas as forças do estado com a patente de general de brigada. Insultado, Beauregard prontamente recusou. A pedido do governador Thomas Overton Moore, no entanto, ele fez recomendações para fortalecer as defesas do baixo rio Mississippi nos fortes Jackson e St. Philip.

Em abril de 1861, General P.G.T. Beauregard foi colocado no comando em Charleston, SC. Ele disparou o primeiro tiro no Fort Sumter, na Carolina do Sul - onde seu ex-instrutor de artilharia em West Point, Major Richard Anderson, estava no comando. Beauregard liderou o ataque ao Forte Sumter e aceitou sua rendição em 12 de abril, iniciando a Guerra Civil.

Oferecendo seus serviços à incipiente Confederação, Beauregard foi colocado no comando das defesas de Charleston, na Carolina do Sul, com o posto de Brigadeiro-General. A guarnição federal em Fort Sumter, localizada no porto de Charleston, logo seria abastecida. Beauregard se viu diante de seu antigo instrutor de artilharia, Major Robert Anderson, que agora comandava a guarnição do Forte Sumter. Anderson recusou o pedido de rendição, fazendo com que seu ex-aluno iniciasse um bombardeio de 36 horas. Fort Sumter foi entregue às forças confederadas em 14 de abril de 1861, e o Pequeno Napoleão se tornou um nome familiar em todo o sul.

Depois que o Forte Sumter foi evacuado, Beauregard foi imediatamente enviado para a Virgínia e recebeu uma recepção heróica em cada uma das estações ferroviárias ao longo da rota. Ele recebeu o comando da Linha de defesas de Alexandria contra uma ofensiva federal iminente que estava sendo organizada pelo General da União Irvin McDowell (um dos colegas de West Point de Beauregard e # 8217) contra o entroncamento ferroviário confederado em Manassas.

Beauregard planejou estratégias para concentrar as forças do general Joseph E. Johnston com as suas próprias para iniciar uma ofensiva contra McDowell. Apesar de sua antiguidade no posto, Johnston concordou com o plano de Beauregard & # 8217, que essencialmente deu ao crioulo o controle da batalha iminente. Embora colocado sob o comando do General Joseph E. Johnston, na décima primeira hora, Beauregard foi fundamental na vitória dos confederados na Primeira Batalha de Bull Run (Manassas) em 21 de julho de 1861. Quando as tropas finais de Johnston e # 8217 chegaram do Shenandoah Valley, os confederados lançaram um contra-ataque que derrotou o Exército da União, enviando-o de volta para Washington em desordem.

Beauregard (e Johnston) criticaram o presidente da Confederação, Jefferson Davis, por falta de suprimentos que atrapalhou o avanço para Washington. E Beauregard enfureceu Davis quando sua reportagem sobre Bull Run foi publicada no jornal, sugerindo que a interferência de Davis nos planos de Beauregard e # 8217 impediu a perseguição e destruição total do exército de McDowell e # 8217s.

Este foi o primeiro de vários conflitos futuros com Davis, que considerava muitos dos planos de batalha de Beauregard & # 8217 muito complicados para um exército tão inexperiente como os Confederados eram em 1861. Durante a guerra, Davis e Beauregard discutiram sobre as tendências de Beauregard & # 8217s para conceber grandes estratégias baseadas em princípios militares formais, mas com pouca consideração à logística, inteligência, forças militares relativas e política.

Beauregard, a figura mais romântica, recebeu a maior parte da aclamação pela vitória em Bull Run da imprensa e do público em geral. Em 23 de julho, o general Johnston recomendou ao presidente Davis que Beauregard fosse promovido a general pleno, e Davis aprovou.

Beauregard permaneceu como segundo em comando do Exército da Virgínia do Norte sob Joseph E. Johnston até 29 de janeiro de 1862, quando foi enviado para o oeste para servir como segundo em comando do Exército do Mississippi sob o general Albert Sidney Johnston ( nenhuma relação com Joseph E. Johnston), efetivo em 14 de março de 1862.

Os dois generais planejaram a concentração das forças confederadas para se opor ao avanço do major-general Ulysses S. Grant antes que ele pudesse combinar seu exército com o do major-general Don Carlos Buell em uma investida rio acima em direção a Corinth, MS. Na Batalha de Shiloh, que começou em 6 de abril de 1862, os Confederados lançaram um ataque surpresa contra o exército de Grant & # 8217 e quase o derrotaram. Mais uma vez, um general mais graduado chamado Johnston transferiu para o júnior Beauregard o planejamento do ataque.

O ataque frontal massivo foi prejudicado pela organização inadequada de forças de Beauregard e # 8217, que causou a mistura de unidades e confusão de comando, e falhou em concentrar a massa no local apropriado na linha para afetar os objetivos gerais do ataque. No meio da tarde, o general Albert Sidney Johnston, que estava perto da frente do combate, foi mortalmente ferido. Beauregard, posicionado na retaguarda do exército para enviar reforços adiante, assumiu o comando. À medida que escurecia, ele optou por cancelar o ataque contra a linha defensiva final de Grant & # 8217, que havia se contraído em um semicírculo apertado de costas para o rio Tennessee em Pittsburg Landing.

A decisão de Beauregard foi uma das mais polêmicas da Guerra Civil e muitos se perguntam o que poderia ter acontecido se o ataque tivesse ocorrido noite adentro. Beauregard presumiu que a batalha estava essencialmente ganha e seus homens poderiam acabar com Grant pela manhã. Além disso, o terreno a ser cruzado (uma ravina íngreme contendo um riacho) era extremamente difícil, e a linha defensiva de Grant & # 8217 estava repleta de artilharia concentrada.

Sem o conhecimento de Beauregard, Buell & # 8217s Army of the Ohio chegou durante a noite, e ele e Grant lançaram um contra-ataque massivo em 7 de abril, em uma derrota surpresa que produziu 23.000 baixas. Oprimidos, os confederados recuaram para Corinto. Mais tarde, as tropas da União se aproximaram das fortificações de Beauregard & # 8217, e ele retirou-se de Corinto em 29 de maio para Tupelo, MS, porque o abastecimento de água contaminado em Corinto estava causando vítimas significativas em seu exército.

E quando Beauregard saiu de licença médica de seu exército sem solicitar permissão prévia, o presidente Davis o retirou do comando em 27 de junho de 1862, substituindo-o pelo general Braxton Bragg. A pedido de Beauregard & # 8217s, seus aliados no Congresso Confederado pediram ao presidente Davis para restaurar seu comando no Ocidente, mas Davis permaneceu zangado com a ausência não autorizada de Beauregard. A carreira de Beauregard e # 8217 sofreu muito.

Em agosto de 1862, Beauregard foi mandado para Charleston e assumiu o comando das defesas costeiras na Carolina do Sul, Geórgia e Flórida. Ele não estava feliz com sua nova missão, acreditando que merecia o comando de um dos grandes exércitos de campo confederados, mas se defendeu do formidável cerco de Charleston pelas forças navais e terrestres da União. Ele ocupou este cargo até abril de 1864.

Caroline Deslonde Beauregard morreu em 2 de março de 1864. O casal não teve filhos juntos. Ao visitar suas forças na Flórida, Beauregard recebeu um telegrama contando-lhe sobre sua morte. Ela foi deixada para trás na Nova Orleans ocupada pela União e esteve gravemente doente por um período de dois anos. Beauregard também perdeu uma filha muito amada no parto, seguida logo pela morte de seu neto.

Um jornal de tendência do Norte em Nova Orleans publicou a opinião de que a condição da Sra. Beauregard & # 8217 tinha sido exacerbada pelas ações traiçoeiras de seu marido. Esta opinião popular negativa em Nova Orleans que 6.000 pessoas compareceram ao seu funeral, e o General da União Nathaniel Banks providenciou um navio para carregar seu corpo rio acima para o enterro em sua paróquia natal. Beauregard escreveu que gostaria de resgatar & # 8220 sua sepultura sagrada & # 8221 à frente de um exército.

Em 23 de abril de 1864, Beauregard recebeu o comando do Departamento da Carolina do Norte, ao qual acrescentou a designação & # 8220and Southern Virginia. & # 8221 Em meados de maio em Bermuda Hundred, Virginia, Beauregard interrompeu o avanço do General da União Benjamin Butler o rio James em direção a Richmond. As forças de Beauregard & # 8217s derrotaram as tropas de Butler & # 8217s em 16 de maio na Batalha de Drewry & # 8217s Bluff, e as engarrafaram em um estreito pescoço de terra entre os rios James e Appomattox nas Bermudas Hundred linhas.

Com a chegada do general Ulysses S. Grant para reforçar Butler, Beauregard foi forçado a se retirar diante de números superiores e se concentrar na proteção de Petersburg, Virgínia. A chegada do General Robert E. Lee e do Exército da Virgínia do Norte relegou-o a um status secundário pelo resto do cerco de Petersburgo.

Beauregard serviu sob o comando de Lee até setembro de 1864, quando assumiu o comando da Divisão Militar do Oeste, que incluía dois exércitos sob os generais Richard Taylor e John Bell Hood, no Alabama e na Geórgia, respectivamente. Em outubro de 1864, Beauregard foi para a Carolina do Norte, onde se uniu ao general Joseph E. Johnson para resistir à marcha do general William Tecumseh Sherman.

Sherman & # 8217s March to the Sea no final de 1864 causou estragos com o comando Beauregard & # 8217s. Quando suas forças recuaram para o norte nas Carolinas, ele foi nomeado segundo em comando do Exército do Tennessee em 16 de março de 1865, sob o comando do General Joseph E. Johnston. Johnston e Beauregard entregaram suas forças a Sherman em 26 de abril de 1865.

Após o colapso da Confederação, Beauregard voltou a Nova Orleans e fez o juramento de lealdade aos Estados Unidos. Embora ele tenha pedido o perdão presidencial, levaria três anos antes que um fosse concedido. A legislação que suspende todas as restrições aos ex-oficiais confederados não foi aprovada até 1876.

O general Beauregard, abatido pela guerra e pela paz, mudou-se para a casa na 1113 Chartres Street - onde ele e Caroline haviam passado a lua de mel em 1860 - por 18 meses, entre 1866 e 1868, enquanto procurava trabalho.

Beauregard se envolveu na promoção de ferrovias, tanto como diretor de uma empresa quanto como engenheiro consultor. Ele foi o presidente da New Orleans, Jackson e Mississippi Railroad de 1865 a 1870, e presidente da New Orleans e Carrollton Street Railway de 1866 a 1876, para a qual ele inventou um sistema de vagões elétricos movidos a cabo.

O general Beauregard falou a favor dos direitos civis e do voto a favor dos escravos recentemente libertados. Durante o verão de 1873, o Partido da Reforma, liderado por Beauregard e outros que lutaram pela Confederação, apresentou uma proposta de unificação do povo com divisão igual de poder entre brancos e negros, com cada raça preenchendo sua cota para cargos públicos. Os republicanos rejeitaram porque os negros não confiavam em seus antigos mestres. Os democratas rejeitaram porque achavam que o conceito de direitos iguais para os negros era um absurdo.

Beauregard serviu no governo do Estado da Louisiana, primeiro como Ajudante Geral da milícia estadual de 1878 a 1888, e depois com menos sucesso como gerente da Loteria da Louisiana. Embora considerado pessoalmente honesto, ele falhou em reformar a corrupção na loteria. Ele foi nomeado comissário de obras públicas de Nova Orleans em 1888 e publicou Um comentário sobre a campanha e a batalha de Manassas em 1891.


Pierre Beauregard - História


Links Relacionados:

Sites relacionados:

Crioulo francês europeu

Pierre Gustave Toutant-Beauregard
nascido em Nova Orleans - 28 de maio de 1818
morreu em Nova Orleans - 20 de fevereiro de 1893

Como oficial de estado-maior com Winfield Scott no México, ele ganhou dois brevets e foi ferido em Churubusco e Chapultepec. Nos anos entre guerras, ele estava empenhado em limpar as obstruções do rio Mississippi. Em 1861, ele serviu o mandato mais curto de todos os tempos - 23-28 de janeiro como superintendente em West Point. As inclinações do sul provavelmente resultaram em sua remoção imediata. Em 20 de fevereiro de 1861, ele renunciou à capitania dos engenheiros e ofereceu seus serviços ao sul.


Suas atribuições confederadas incluíram: general de brigada, CSA (1 de março de 1861) Colocado no comando das tropas da Carolina do Sul em Charleston Harbor, ele obteve a vitória quase sem derramamento de sangue em Fort Sumter. "O Pequeno Crioulo" foi saudado em todo o sul. Ordenado para a Virgínia, ele comandou as forças opostas a Washington e criou o Exército Confederado do Potomac.

Utilizando o estilo napoleônico, ele esboçou as ordens de ataque para Shiloh e assumiu o comando quando Johnston foi mortalmente ferido no primeiro dia da batalha. Na noite do primeiro dia, ele deixou a vitória escapar por entre os dedos ao cancelar os ataques. A controvérsia sobre sua decisão persiste até hoje.

Ordenado ao norte, ele assumiu o comando na Carolina do Norte e no sul da Virgínia, enquanto Lee enfrentava Grant no norte da Virgínia. Gradualmente, as duas forças foram colocadas juntas em um arranjo de comando estranho.
Beauregard conseguiu engarrafar Benjamin F. Butler nas Bermuda Hundred linhas depois de derrotá-lo em Drewry's Bluff. Este foi o melhor desempenho de Beauregard na guerra.

Nos últimos dias da guerra, ele foi novamente o segundo em comando, atrás de Joseph E. Johnston, desta vez na Carolina do Norte. Após a capitulação, ele retornou a Nova Orleans e recusou altos postos nos exércitos egípcio e romeno. Envolvido em ferrovias, sua reputação foi manchada por sua associação com a Loteria da Louisiana como supervisor.


Pierre Gustave Toutant Beauregard (& quotO Pequeno Napoleão & quot, & quotO Pequeno Crioulo & quot)

Foi o responsável pelo surto de Ft. Sumter e teve sucesso em First Manassas. Mais tarde, caiu em desgraça com o governo quando ele tornou públicas suas diferenças com Jefferson Davis. Pierre Beauregard teve uma carreira notável nos exércitos dos Estados Unidos e da Confederação. Ele se formou em segundo lugar em sua classe em West Point (1838) e foi atualizado de artilharia para engenheiro depois de apenas uma semana. Winfield Scott escolheu o Louisianan para sua equipe pessoal durante a Guerra do México, e Beauregard respondeu à homenagem: ele foi ferido duas vezes e ganhou duas promoções por bravura. (O Exército manteve seu orçamento baixo, não dando promoções completas para bravura.)

A partir desse ponto alto, ele passou vários anos puxando obstáculos para fora do Mississippi. Apenas no início de 1861 foi nomeado Superintendente de West Point, mas graças às suas opiniões políticas foi transferido menos de uma semana depois. Pouco importou que ele renunciou à capitania três semanas depois e estava prontamente no serviço confederado.

Seu primeiro trabalho foi sitiar o Forte Sumter. Um homem com honra espinhosa, Beauregard trabalhou incrivelmente bem com os agressivos Carolinianos do Sul. Ele transformou seu entusiasmo em canais produtivos, construindo um anel de baterias em torno do porto de Charleston que não apenas dominava o Fort Sumter, mas continuava aliviando os navios americanos.

Depois que Robert Anderson se rendeu e a brecha entre o Norte e o Sul foi definitiva, Beauregard foi para o norte da Virgínia. Novamente, ele trabalhou como engenheiro, tentando amarrar uma linha defensiva sob o nariz dos ianques, no Potomac em Alexandria. Ele construiu o Exército Confederado do Potomac, mas logo se afastou um pouco daquele rio e se posicionou ao redor de Manassas. Suas forças foram reduzidas a um corpo de exército em 20 de julho de 1861, um dia antes da Primeira Batalha de Manassas.

Joe Johnston pode ter sido promovido em vez dele, mas os dois homens trabalharam bem neste momento. Johnston sabia que Beauregard tinha uma compreensão melhor do terreno e permitiu que seu subordinado controlasse a batalha, enquanto ele trabalhava para enviar tropas aos homens no local. Ambos concordaram que poderiam ter marchado sobre Washington, se apenas houvesse suprimentos suficientes.

A estrela de Beauregard estava em seu apogeu no sul. Ele foi o vencedor da Suméria e co-vencedor de Manassas. Jefferson Davis, um homem sensível, provavelmente ficou aborrecido com isso, e enquanto ele promovia Beauregard a general (caridosamente remontando à Batalha de Manassas), ele logo enviou Beauregard para o teatro ocidental.

Beauregard era o número 2 no oeste também, atrás de Albert Sidney Johnston, um dos comandantes mais ferozes ao redor. Novamente, Beauregard recebeu considerável latitude para um subordinado e redigiu as ordens para o que se tornou a batalha de Shiloh. (Como convinha a um homem que idolatrava Bonaparte, eles eram bastante frouxos e exigiam tanto um espírito-guia quanto subordinados agressivos.) Quando Johnston foi ferido no primeiro dia, Beauregard assumiu o comando, mas não foi agressivo o suficiente e deixou uma provável vitória escapar. . Ele consolidou suas posições em vez de continuar com tropas desorganizadas e, da noite para o dia, a União trouxe mais homens e contra-atacou.

Ele teve que recuar, e sua relação com Jeff Davis piorou rapidamente. Beauregard estava doente, mas não esperou permissão para tirar licença médica, e isso deu a Davis sua vaga: por ordem presidencial especial, Beauregard foi demitido. Ele não comandava mais o Exército, nem o Departamento do Mississippi.

Ele era muito útil para ser deixado na prateleira para sempre e foi trazido de volta apenas dois meses depois. Robert E. Lee organizou a defesa da costa Geórgia-Carolina do Sul depois que a União se apoderou de Port Royal como base, agora que Beauregard teria de manter Charleston contra a Marinha dos Estados Unidos. Por mais de dezoito meses ele manteve a cidade, contra assalto naval, assalto terrestre, bombardeio e bloqueio. Assim que a União se exaurisse, Beauregard poderia ser poupado.

Ele voltou a Richmond na primavera de 1864, encarregado da área por trás da retirada do Exército da Virgínia do Norte de Lee. Ele tinha poucas tropas, mas enfrentou Ben Butler, um candidato a ser o comandante do exército mais incompetente da guerra. Butler tinha uma força esmagadora e, se tivesse atacado rapidamente, poderia agarrar Richmond, Petersburgo ou simplesmente pegar a linha de trem no meio. Em vez disso, Butler hesitou. Beauregard agarrou todos os homens que pôde e prendeu Butler no gargalo das Cem das Bermudas.

Enquanto Grant estava avançando para o sul em direção a Richmond e Petersburgo, ele conseguiu dar a Butler mais um empurrão, e o próximo esforço de Butler foi tentar agarrar Petersburgo. Mais uma vez Beauregard aguentou firme, com velhos e meninos cuidando das fortificações, até que os reforços chegassem. Butler foi demitido pouco depois, e seu nêmesis Beauregard transferido para o teatro ocidental, já que não havia motivo para um comandante independente em Petersburgo com Lee baseado lá.

Beauregard também deixou o sucesso subir à sua cabeça e elaborou esquemas fantasiosos envolvendo a tomada da maioria das forças de Lee, derrotando Butler e Grant e, em seguida, invadindo o norte. Davis provavelmente já estava farto deles em 1864 e os encontrou mais um motivo para afastar o pequeno Napoleão "para mais longe.

Em setembro de 1864, Beauregard se viu encarregado de todo o teatro ocidental, mas sem tropas para fazer muito. Ele tinha o exército de John Hood do Tennessee e as tropas no Alabama.


Yankees conquistam vitórias importantes antes da Batalha de Shiloh

Nos seis meses anteriores à Batalha de Shiloh, as tropas ianques subiram os rios Tennessee e Cumberland. Kentucky estava firmemente nas mãos da União e o Exército dos EUA controlava grande parte do Tennessee, incluindo a capital Nashville. O general Ulysses S. Grant obteve grandes vitórias nos fortes Henry e Donelson em fevereiro, forçando o general confederado Albert Sidney Johnston (1803-62) a reunir as forças rebeldes dispersas em Corinth, Mississippi. Grant trouxe seu exército, 42.000 homens, para um encontro com o general Don Carlos Buell (1818-98) e seus 20.000 soldados. O objetivo de Grant era Corinto, um centro ferroviário vital que, se capturado, daria ao Sindicato o controle total da região. A vinte milhas de distância, Johnston se escondia em Corinth com 45.000 soldados.

Você sabia? Union General Lew Wallace (1827-1905), que desempenhou um papel controverso na Batalha de Shiloh, mais tarde escreveu o popular romance de 1880 & # x201CBen Hur. & # X201D

Johnston não esperou que Grant e Buell combinassem suas forças. Ele avançou em 3 de abril, atrasado por chuvas e estradas lamacentas que também atrasaram Buell.


Vida pós-guerra [editar | editar fonte]

Após a guerra, Beauregard falou a favor dos direitos civis e do voto nos escravos recém-libertados. Beauregard era um democrata que trabalhou para acabar com o domínio republicano durante a reconstrução.

Os escritos militares de Beauregard incluem Princípios e máximas da arte da guerra (1863), Relatório sobre a defesa de Charleston, e Um comentário sobre a campanha e batalha de Manassas (1891). Ele era o co-autor não creditado de As Operações Militares do General Beauregard na Guerra entre os Estados (1884). Ele contribuiu com o artigo "The Battle of Bull Run" para Century Illustrated Monthly Magazine in November 1884. During these years, Beauregard and Davis published a series of bitter accusations and counter-accusations retrospectively blaming each other for the Confederate defeat.

General Beauregard declined offers to take command of the armies of Romania (1866) and Egypt (1869). Instead he became involved in promotion of railroads, both as a company director and a consulting engineer. He was the president of the New Orleans, Jackson & Mississippi Railroad from 1865 to 1870, and president of the New Orleans and Carrollton Street Railway, 1866 to 1876, for which he invented a system of cable-powered street railway cars.

Beauregard served in the government of the State of Louisiana, first as adjutant general for the state militia (later National Guard), and then less successfully as manager of the Louisiana Lottery. Though considered personally honest, he failed to reform corruption in the lottery. Perhaps the leading critic of the lottery on moral grounds was Benjamin M. Palmer, longtime pastor of the First Presbyterian Church of New Orleans, who worked to kill the project.

In 1888, Beauregard was elected as New Orleans' commissioner of public works.

P.G.T. Beauregard died in New Orleans and is interred in the tomb of the Army of Tennessee in the historic Metairie Cemetery there. Beauregard Parish in western Louisiana and Camp Beauregard, a National Guard camp near Pineville in central Louisiana, are named in his honor.

An equestrian monument by Alexander Doyle depicting Beauregard is placed in an intersection where Esplanade Avenue enters City Park in New Orleans called Beauregard Circle. He lived in the building now called the Beauregard-Keyes House in New Orleans. ⎯]


P G T Beauregard

Pierre Beauregard was a senior Confederate officer during the American Civil War. Beauregard did not overly care for his Christian names and he tended to sign himself as G T Beauregard (Gustave Toutant) and ignored the ‘Pierre’ or ‘P’.

Beauregard was born on May 28 th 1818 in Louisiana. His family had a French-Spanish Creole background and French was his primary language in his early years. Beauregard only learned to speak English at the age of twelve when he started a new school in New York.

Beauregard joined the US Military Academy in 1834. It was while he was at West Point that he changed his surname from Toutant-Beauregard and used Toutant as a middle name with Beauregard used solely as his surname. He excelled in military engineering and artillery and passed out second in his class in 1838.

Beauregard fought in the Mexican-American War. He held the rank of temporary major by the time the war ended.

From 1848 to 1860, Beauregard worked on a variety of engineering projects defences against a flooding Mississippi River, building forts in Florida and maintaining ones already built, improving shipping channels at the mouth of the Mississippi River. Just before the outbreak of the American Civil War, Beauregard was charged with saving the New Orleans Federal Customs House from sinking into the soft mud it was built on. He successfully achieved this.

Beauregard was appointed a Superintendent at West Point in January 1861 but the appointment came to nothing when Louisiana seceded from the Union and the appointment was withdrawn. Technically, Beauregard held the post for five days. He claimed that the position had been withdrawn purely because he was a Southern officer and Washington could not accept a man from a state that had seceded from the Union. Beauregard also claimed that his removal from the position badly reflected on himself. For his part, it was a serious cause of anger against the government in Washington.

As war approached, Beauregard returned to Louisiana and brought with him an expert knowledge of federal fortifications built there and in the South in general. He also knew a great deal about how the Mississippi River could be of use to the Confederacy and how it could hinder the North.

Beauregard used his family’s political connections to get advanced promotion in the newly formed Confederate Army. He did little to disguise what he was doing – contacting Jefferson Davis, for instance – and it caused anger among other newly appointed senior military figures in the new army. To appease everyone, Davis appointed Beauregard to take command of the defence of Charleston – an important potential target for the North. The status of commanding the defences of Charleston appealed to Beauregard’s vanity. He was promoted to Brigadier General on March 1 st 1861. He set about assessing the city’s defences with energy and zeal. He found that they were in a poor condition and would need a considerable revamp if the city was to withstand a Union attack.

Beauregard was in a curious position in Charleston as Fort Sumter was the most obvious sign of federal/Union authority near the city. His former teacher at West Point was Robert Anderson, who now commanded Fort Sumter. Beauregard had a high regard for Anderson and sent him cigars and brandy as gifts – which in view of the difficult political position of the time were politely returned by Anderson.

Beauregard knew that Fort Sumter was shortly to receive new supplies, which would make it a far more difficult target to defeat. He therefore called on Anderson to surrender to him. Anderson refused and on April 12 th , Fort Sumter was fired on by Confederate artillery based at Fort Johnson. It was the start of the American Civil War.

Fort Sumter’s surrender made Beauregard an immediate hero in the Confederacy. He was summoned to Richmond to meet Jefferson Davis. He was given the command of what was called the ‘Alexandria Line’ – a line of defences to stop a Union invasion of the South.

Beauregard’s bravery at First Battle of Bull Run (July 1861) cannot be denied. Fearing that his men might be overrun by Union troops, he rode among his men flying his regimental colours and shouting out encouragement. His line held and the Confederate media applauded his leadership in the field. For the part he played in the First Battle of Bull Run (First Manassas), Davis promoted Beauregard to full General as of July 21 st .

Beauregard was not an easy man to work with and his promotion to full General further bloated his opinion about his own ability. He publicly criticised Jefferson Davis for interfering with his plans for the First Bull Run and claimed that if Davis had not interfered, the South would not only have won the battle but could have advanced at some speed to Washington. Davis was infuriated. Beauregard also made public his belief that politicians had no military authority over senior commanders in the Confederate Army. However, Davis was in a difficult position. He had promoted Beauregard to full General and in the eyes of the public in the Confederacy, Beauregard was still a hero after his exploits at Fort Sumter. To keep everyone happy, Davis made Beauregard second-in-command of the Army of Mississippi. This senior position appealed to Beauregard’s ego and it also got him away from Richmond where it was felt he could do some harm to the political hierarchy there.

Facing Beauregard in Tennessee was Major General Ulysses Grant and Major General Don Carlos Buell. The armies of both sides fought at Shiloh, which began on April 6 th 1862. The commanding officer for the Army of Mississippi was General Albert Johnson. He was killed during the battle and Beauregard assumed full command of the army once he learned of Johnson’s death. After a full day of Confederate assaults on Union lines, Beauregard decided to call off any further attacks as night fell. By the next day, however, Buell’s army had arrived at Shiloh to support Grant. On April 7 th , Grant launched an overwhelming counter-attack and Beauregard was forced to withdraw to the important railway center at Corinth. He remained in Corinth until May 29 th when he withdrew his men to Tupelo.

Beauregard was subsequently criticised by those he had already fallen out with in Richmond. They wanted to know why Beauregard had not continued his attack on Grant during the night as Confederate junior officers who had survived at Shiloh had made it known that there was a general belief among the men that Grant’s force was so weakened by the constant Confederate attacks during the day, that success was all but guaranteed. When Beauregard took medical leave without permission, Jefferson Davis used it as an opportunity to dismiss Beauregard and replace him with Braxton Bragg.

Beauregard then called on his supporters in Richmond to pressurise Davis so that he would reinstate Beauregard. This did not work. Instead, Davis ordered Beauregard to Charleston where he was given command of Confederate coastal defences along the Atlantic coastline. Though Beauregard did not want the post, he did a good job once he was in Charleston.

However, he could not forgive Davis. Beauregard made public his plan that state governors from both sides should meet to thrash out a peace settlement. It had its supporters in the Confederate Congress (where Beauregard still had supporters) and it took a great deal of skill by Davis to have the idea rejected. But the move by Beauregard did show that Davis was to some degree vulnerable.

In April 1864, Beauregard was given command of the Department of North Carolina and Southern Virginia. His primary mission was the defence of Virginia and he is best known in this capacity for his successful defence of Petersburg. With an army of 5,400 men, he stopped an attack by 16,000 Union troops on the vital rail city in June 1864. Beauregard hoped to be rewarded by being given an appointment of some worth. However, both Davis and Robert E Lee selected others for any senior appointments that came up. Clearly, Beauregard had made too many enemies as a result of his past behaviour and these were not vanquished by his heroics at Petersburg. He was eventually made commander of the newly created Department of the West. But it was a command in name only as the real authority in the field lay with generals Hood and Taylor. Beauregard’s brief as head of the department was to give advice. Hood effectively ignored any advice given to him and only told Beauregard what he was doing with great reluctance. It was only after the damage had been done that Beauregard found out that Hood’s army had been severely defeated at the Battle of Nashville in December 1864.

Both Davis and Robert E Lee believed that Beauregard exaggerated his reports about the speed of William Sherman’s movements in his drive to the sea and his march north to link up with Grant. Lee persuaded Davis to dismiss Beauregard in February 1865 because of his “feeble health”. Joseph Johnston replaced Beauregard.

After the war he worked as a chief engineer on railroads and in 1866 he was made President of the New Orleans and Carrollton Street Railway – a post he held for ten years. Beauregard made his wealth with the introduction of the Louisiana Lottery in 1877 of which he was the supervisor. Along with Jubal Early, Beauregard presided over lottery drawings. He held this position until 1892.


Gen. P.G.T. Beauregard was a rebel hero. Now his statue in New Orleans is gone.

At Fort Sumter, he ordered the attack that opened the Civil War.

At Manassas, he helped rout the Union army and send its rookie soldiers fleeing back to Washington.

And after the battle there in 1861, he championed use of the distinct Confederate flag that would vex the nation for generations after he died.

He was Gen. Pierre Gustave Toutant Beauregard, the Confederate States of America’s first mega hero, and early Wednesday morning a statue of him astride his horse was removed from its pedestal in New Orleans under the watchful eye of mounted police and police snipers.

Before Robert E. Lee, “Stonewall” Jackson, and Jefferson Davis, the South had P.G.T. Beauregard. He was handsome, and dashing, with carefully slicked hair, a neat moustache and chin whiskers. As he got older, it was said, he dyed his hair. Raised in the slave-owning Louisiana aristocracy, he had grown up speaking French on a sugar plantation in St. Bernard Parish, New Orleans.

“He was chivalric and arrogant in the best Southern tradition,” biographer T. Harry Williams wrote. “A vague air of romance, reminiscent of older civilization, trailed after him wherever he went. When he spoke and when he acted, people thought of Paris and Napoleon and Austerlitz and French legions…bursting onto the plains of Italy.”

Beauregard attended a French school in New York founded by two men who had served with Napoleon, then went to West Point. He fought in the Mexican War with West Point classmates Lee and future Union Gen. Ulysses S. Grant, and had been appointed superintendent at West Point when the war broke out.

He threw in with the cause of the Confederacy, and was sent to command in Charleston, S.C., where he besieged and attacked Fort Sumter, starting the war.

He was an instant Southern hero — 43 years old and glamorous in his tightly buttoned uniform with its embroidered collar and sleeves. A special march was later composed for him, according to Encyclopedia Virginia, and he was welcomed by large crowds when he was summoned to Richmond.

On July 21, 1861, at the chaotic Battle of Manassas, or Bull Run as it was known in the North, his southern forces were victorious. But there was confusion on the battlefield because some northern soldiers wore gray uniforms and some rebel forces wore blue — the reverse of the eventual uniform colors of blue and gray. And, crucially, some officers mistook the red, white and blue American flag for the red, white and blue “Stars and Bars” Confederate flag.

After the battle, Beauregard lobbied for a more distinctive Confederate ensign to avoid further battlefield confusion. The result was the red banner with the blue St. Andrew’s Cross that most people recognize today as the Confederate flag.


A Canadian Family

Andre Beauregard / Jarret | Marguerite Anthiaume

January 12th, 1676 Montreal (Notre-Dame)

[Occ.mil., Lieut. in Carignan-Salieres, de Contrecoeur]

Fonte: Researchers – Jean-Marie Beauregard, Lise Dandonneau

Daniel Beauregard / Tetu | Marie Denoyon

November 29th, 1717 Montreal (Notre-Dame)

[Occ. mil. surgeon, troupes de la Marine, de La Chassaigne]

Fonte: Researchers – Marcel Fournier

Pierre Beauregard / Lyaumon / Glaumont | Jeanne-Elisabeth Lemire

November 26th, 1676 Quebec (Notre-Dame)

[Occ. soldier – Quebec garrison]

Fonte: Researchers – Christian Siguret, Lise Dandonneau

Sebastien Langelier | Marie Beauregard

November 12th, 1665 Quebec (Notre-Dame)

Marie Beauregard was a Fille du Roi.

Variations or associated surnames

Davignon
De Beauregard – Dupuis – Fanchon
Frappier – Glaumont – Grosset – Jared
Jaret(t) – Leaumont – Mederic
Poignet – Testu
Tetu

This series of Early French Canadian Pioneers microposts is dedicated to the earliest settlers of Quebec. If you are new to the genealogy of French-speaking Canadians, please be aware that the earliest French settlers can also descend from the Acadian pioneers who originally settled in what are now Nova Scotia and New Brunswick. In addition, please note that any Native related links refer back to other posts citing census, marriage or other documents with indigenous or Metis individuals of that surname, however those individuals do not necessarily descend from those particular French Canadian settlers. The posts are intended as Finding Aides – a place to find possible clues and start your own research!

Filles du Roi is the name that’s been given to about 700/800 women who emigrated from France to Quebec in the middle of the 17 th century. They were called the King’s Daughters because Louis XIV (King of France) had sponsored their trips to the New World. Cada Fille received her passage, a hope chest and room and board until her marriage (read further at The Canadian Encyclopedia).

Marie Beauregard was a Fille du Roi.She was born about 1647 and was from Paris, France (St-Germain-l’Auxerrois). Her parents were Olivier Beauregard e Philippe Ardouin. Her father’s parents were Pierre Hardouin e Nicole Legros.


Assista o vídeo: Tu cruises - Pierre Beauregard 1991