Jimmy Speirs

Jimmy Speirs

James Speirs nasceu em Govan, Glasgow, em 22 de março de 1886. Ele trabalhou como escriturário, mas era um futebolista talentoso e jogou pelo Maryhill na liga Júnior de Glasgow antes de ingressar no Glasgow Rangers. Sua estreia na Liga Escocesa ocorreu em setembro de 1905. Ele marcou seis gols em sua primeira temporada no clube.

Em outubro de 1906, Speirs casou-se com Elizabeth Lennox Maben. Ele permaneceu no Glasgow Rangers por três anos e, em 1908, Speirs jogou pela Escócia contra o País de Gales. A Escócia venceu por 2-1, mas Speirs não conseguiu marcar. Mais tarde naquele ano, Speirs foi transferido para Clyde.

No ano seguinte, Speirs assinou contrato com a cidade de Bradford. Ele se tornou capitão e marcou o único gol quando o time venceu a final da FA Cup contra o Newcastle United em 1911. No ano seguinte, Herbert Chapman conseguiu persuadir o Leeds City a pagar £ 1.400 por seus serviços. Ele desenvolveu uma boa parceria com Billy McCleod e na temporada 1912-13 o Leeds quebrou o recorde do clube com 70 gols.

Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial, Speirs alistou-se no Queens Own Cameron Highlanders. Ele foi enviado para a França em março de 1916. Depois de ganhar a Medalha Militar por bravura no campo, foi promovido ao posto de sargento.

James Speirs foi morto em Passchendaele em 20 de agosto de 1917 e está enterrado na Fazenda Dochy, no Novo Cemitério Britânico, na Bélgica.


Pesquisando Jimmy Speirs

Investigue a história de Jimmy Speirs usando os links abaixo. Nós esperamos que você ache esta informação útil!

Você sabia que no censo de 1881 do Reino Unido houve 1171 pessoas com o sobrenome Speirs? Naquele ano, Speirs foi classificado em número 2436 para popularidade no Reino Unido.

O nome Jimmy significa "Forma de JAMES. aquele que suplanta" e é de origem hebraica.

Novo na história da família? Confira nossa página de primeiros passos. Confira House Of Names para investigar as origens do sobrenome Speirs ou obtenha uma cópia do brasão da família Speirs (uma grande ideia de presente!).


Nunca se esqueça & # 8211 1916

Enquanto penso nas palavras para construir este artigo, minha mente volta cem anos para a Batalha do Somme. Pois foi neste dia, 01 de julho de 1916, que uma das batalhas mais famosas durante a Primeira Guerra Mundial começou. É relatado que quase 20.000 soldados, principalmente da Grã-Bretanha e Irlanda, juntamente com a Índia e a África do Sul, perderam suas vidas no primeiro dia desta batalha sangrenta. Quando a Batalha do Somme, que ocorreu no norte da França, terminou cinco meses depois, mais de um milhão de soldados de ambos os lados da guerra haviam perdido a vida ou ficaram feridos. Acho difícil imaginar quais devem ter sido as condições para os soldados nas trincheiras.

Durante o programa de notícias da BBC1, que foi ao ar às 22h do dia 29 de junho de 2016, houve uma notícia focada na Batalha do Somme. Neste artigo, o repórter destacou que Evelyn Lintott foi uma das que tragicamente perderam a vida no primeiro dia da Batalha do Somme. A notícia afirmava corretamente que Evelyn jogava futebol pelo Queens Park Rangers e pela Inglaterra, mas infelizmente eles não mencionaram que Evelyn também jogava pelo Bradford City.

Por que estou me referindo à Primeira Guerra Mundial e a um ex-jogador do Bradford City? Bem, por favor, deixe-me continuar minha história. No início de 2015, Andrew Ashcroft e Stephen Onions, que também são apoiadores de Bradford City, decidiram, junto comigo, que tentaríamos obter alguns ingressos para o torneio Euro 2016. De fato, Andrew e eu estivemos na Suíça e na Áustria em 2008 para assistir a alguns jogos durante o evento do Euro 2008. Graças aos esforços de Andrew, conseguimos bilhetes através do site oficial da UEFA, para um jogo em Paris que se realizaria a 13 de junho de 2016. Nesta altura, o sorteio ainda não tinha sido realizado para o Euro 2016, por isso não o fizemos saber quem iríamos ver jogar. No entanto, no início de dezembro de 2015 o sorteio foi realizado e sabíamos então que veríamos a República da Irlanda jogar contra a Suécia. Ironicamente, Andrew e eu vimos a Suécia perder para a eventual vencedora, a Espanha, em 2008.

À medida que o tempo passava, Andrew estava ansioso para obter ingressos para outro jogo, já que originalmente havia solicitado ingressos para três jogos. Em 2016, mais ingressos foram lançados pela UEFA e tivemos a sorte de comprar ingressos para o jogo Alemanha x Ucrânia, que seria disputado em Lille no domingo, 12 de junho de 2016. Durante as fases de planejamento da nossa viagem, decidimos visitar Dochy Fazenda Novo Cemitério Britânico. Como muitos leitores bem informados deste artigo saberão, nosso capitão artilheiro da equipe vencedora da FA Cup de 1911, Jimmy Speirs, está enterrado neste cemitério perto de Ypres, na Bélgica.

A manhã do sábado, 11 de junho de 2016, chegou. Andrew veio buscar Stephen e eu, então fomos para Kent. Como tínhamos reservado a balsa das 8h30 de Dover para Calais em 12 de junho, decidimos que seria melhor ficar em Kent na noite de 11 de junho. Naquela noite, alguns litros da cervejaria Shepherd Neame foram consumidos no pub Binger's Finger em Canterbury enquanto assistia ao primeiro jogo da Inglaterra no Euro 2016. Um gol no último minuto foi sofrido contra a Rússia e as coisas só iam terminar de uma maneira para a equipe de Roy Hodgson em este torneio!

Saímos do Travelodge às 6h30 do dia 12 de junho, para grande surpresa do funcionário na recepção. Mal sabiam eles que, mais tarde naquele dia, iríamos apresentar nossos respeitos a Jimmy Speirs e a muitos outros soldados no Dochy Farm New British Cemetery.

A travessia de balsa transcorreu sem problemas além de esperar quase uma hora na fila para embarcar na balsa devido aos 700 ciclistas que também viajavam na mesma balsa que nós. Assim, chegamos a Calais e depois viajamos pelo norte da França e pela fronteira com a Bélgica. Eu não tinha percebido quantos cemitérios existem no sul da Bélgica, onde milhares de soldados estão enterrados. Finalmente vimos uma placa de estrada para Dochy Farm New British Cemetery. Eu não sei o que estava esperando no cemitério além de fileiras e mais fileiras de lápides. Enquanto caminhávamos por uma estrada rural, nos deparamos com o Dochy Farm New British Cemetery em nosso lado esquerdo com uma pedra com as palavras: SEU NOME VIVE PARA SEMPRE MAIS. Para ser honesto, o cemitério era menor do que eu esperava, embora existam cerca de 1.500 lápides lá. O que mais me lembro é de como o cemitério era calmo e tranquilo. O único barulho que nós três ouvíamos era o melancólico canto dos pássaros. Nossa pesquisa envolveu a localização da lápide para Jimmy Speirs antes de nossa visita, então tínhamos uma ideia de onde Jimmy havia sido enterrado. Após alguns minutos de caminhada, encontramos seu lugar de descanso. Por um tempo, Andrew, Stephen e eu não nos falamos e paramos para observar os arredores. Não sei o que Andrew e Stephen estavam pensando naquele momento, mas imaginei como essa paisagem deve ter sido diferente um século atrás e como, menos de sete anos depois de vencer a maior competição de copa do mundo, Jimmy Speirs foi morto servindo seu país . Durante esses momentos sombrios, também pensei em minha mãe junto com a mãe de Andrew, que infelizmente faleceram nos últimos oito meses. Não me lembro exatamente quanto tempo ficamos no cemitério, mas antes de partir, escrevemos uma nota no livro de visitantes. Também notamos outras pessoas que fizeram referência a Jimmy Speirs no livro de visitantes. Devido às limitações de tempo, não visitamos nenhum dos outros cemitérios no sul da Bélgica, no entanto, ficamos satisfeitos por termos encontrado o Dochy Farm New British Cemetery.

Durante a Primeira Guerra Mundial, Jimmy Speirs foi promovido a sargento com os Cameron Highlanders e disse mostrar grandes qualidades de liderança. Será que ele levou isso do campo de futebol? Ele também foi premiado com a Medalha Militar por sua bravura. Com apenas 31 anos de idade, Jimmy Speirs foi morto em agosto de 1917. Ele conquistou muito em uma vida que terminou cedo demais. Nunca devemos esquecer ou subestimar os sacrifícios que muitas pessoas fizeram na Primeira Guerra Mundial e, como apoiadores de Bradford City, nunca devemos esquecer Jimmy Speirs.


Você apenas arranhou a superfície do Speirs história de família.

Entre 1953 e 2004, nos Estados Unidos, a expectativa de vida de Speirs estava em seu ponto mais baixo em 1953 e mais alto em 2001. A expectativa de vida média para Speirs em 1953 era de 30 e 76 em 2004.

Uma vida excepcionalmente curta pode indicar que seus ancestrais Speirs viveram em condições adversas. Uma vida curta também pode indicar problemas de saúde que antes eram prevalentes em sua família. O SSDI é um banco de dados pesquisável de mais de 70 milhões de nomes. Você pode encontrar datas de nascimento, datas de falecimento, endereços e muito mais.


Jimmy Speirs & # 8211 Um Herói do Futebol e do Campo de Batalha

Na & # 8216História Oficial da Grande Guerra & # 8217, o Brigadeiro-General J. E. Edmonds registra que 244.897 soldados britânicos e da Commonwealth foram vítimas durante a Terceira Batalha de Ypres. Entre os mortos estava um capitão vencedor da FA Cup que jogou mais de trezentos jogos como futebolista profissional antes de ser honrado no campo de batalha. Seu nome era Jimmy Speirs.

Nascido no distrito de Govan em Glasgow, em 22 de março de 1886, Speirs se tornou um atacante de renome que marcou mais de cem gols durante uma carreira de dez anos no futebol profissional inglês e escocês e foi o capitão de Bradford City até seu único triunfo na FA Cup em 1911. Ele então ganharia a Medalha Militar durante a Primeira Guerra Mundial antes de finalmente perder sua vida três semanas após a batalha que mais tarde seria simplesmente conhecida como Passchendaele.

Futebol escocês

James Hamilton Speirs começou sua carreira no futebol no extremamente bem-sucedido time amador local Maryhill FC, onde suas atuações impressionantes logo chamaram a atenção do gigante escocês Glasgow Rangers. Depois de completar a temporada 1904/05 com Maryhill, Speirs mudou-se para Ibrox com o companheiro de equipe John McFie no verão de 1905 e faria sua estréia em 25 de setembro de 1905, na derrota por 5-0 contra o Heart of Midlothian.

Apesar do decepcionante começo de vida no Rangers, Speirs logo se estabeleceu no time titular e faria nove gols em 21 jogos até o final de sua temporada de estreia no clube. Além disso, Speirs também ganharia sua primeira peça de prata na vitória do Rangers sobre o Queens Park por 3-2 na final da Glasgow Merchants & # 8217 Charity Cup. A temporada seguinte provou ser ainda mais produtiva para Speirs, se não para o Rangers, quando ele marcou o que viria a ser o melhor de sua carreira, 13 gols em 22 jogos do campeonato pelo clube. Apesar desta contribuição impressionante de Speirs, no entanto, o Rangers só conseguiu um decepcionante terceiro lugar, definhando a cerca de 10 pontos do campeão e arquirrival Celtic.

A campanha de 1907/08 foi igualmente desanimadora para o Rangers, uma vez que voltou a terminar duas posições atrás do Celtic, que terminou como campeão da Escócia pela quarta época consecutiva. Para Speirs, a temporada também representaria sua última temporada em Ibrox e, no verão de 1908, ele se mudou para Glasgow para ingressar na Clyde, então com base em Rutherglen. Speirs fez sua estreia na vitória por 1 a 0 sobre o Hamilton Academical em 15 de agosto de 1908, e iria marcar um número respeitável de 10 gols em 20 jogos da liga e da copa. Para Clyde, a temporada de estreia de Speirs & # 8217 provou ser indiscutivelmente a mais bem-sucedida em toda a história do clube & # 8217s, pois terminou em terceiro, apenas três pontos atrás do campeão, Rangers. O clube também teve um bom desempenho na copa, avançando para a semifinal antes de perder para o Celtic.

Bradford City

Depois de apenas uma temporada no Shawfield Park, Speirs foi persuadido a abandonar o futebol escocês e seguir para o sul para ingressar no Bradford City, da Primeira Divisão inglesa. O Bantams havia acabado de evitar o rebaixamento durante a temporada de 1908/09 e deveria estar novamente entre os lutadores durante a temporada de 1909/10. Speirs estreou-se na derrota por 1-0 no terreno do Manchester United a 1 de Setembro de 1909, antes de jogar o seu primeiro jogo em casa três dias depois, numa vitória por 4-1 sobre o Bristol City. Apesar de ter que esperar 16 jogos para marcar seu primeiro gol pelo seu novo clube, Speirs teve um impacto imediato no Valley Parade e estaria sempre presente, já que o City terminou em sétimo lugar na liga e chegou à segunda rodada da Copa da Inglaterra.

Na temporada seguinte, o City garantiu um quinto lugar altamente respeitável, com Speirs contribuindo com sete gols em 25 jogos disputados. Foi uma campanha impressionante do lado de Yorkshire, ainda mais aprimorada quando derrotou o Newcastle United por 1-0 no Replay da final da FA Cup em Old Trafford, vencendo a ilustre competição pela primeira e única vez em sua história. Para Speirs, o triunfo foi ainda mais memorável, já que ele não só foi o capitão do time, mas também marcou o gol que deu a vitória ao jogo. Foi o auge da carreira de Speirs como jogador e o City foi saudado por mais de 100.000 fãs em seu retorno a Bradford com o troféu após a final.

Depois dos altos da campanha de 1910/11, a temporada seguinte foi frustrante para Speirs e seu clube. Depois de começar bem a temporada, o capitão do City se lesionou no final de setembro e foi forçado a ficar de fora até meados de março de 1912. Em sua ausência, o City lutou com consistência e acabaria terminando no meio da tabela na Primeira Divisão . Na FA Cup, eles derrotaram o vizinho Bradford Park Avenue na terceira rodada, mas foram eliminados nas quartas de final pelo eventual vencedor, Barnsley.

Apesar de seus problemas de lesão, Speirs começou bem a temporada 1912/13. Depois de ter jogado 13 de sua equipe em 15 jogos, o escocês marcou nove vezes e estava de volta à sua melhor forma. Em dezembro de 1912, no entanto, Speirs encerrou sua estadia de três temporadas e meia em Bradford City, quando o ambicioso time da Segunda Divisão, o Leeds City, pagou £ 1400 para levá-lo a Elland Road. Foi uma espécie de golpe para o Leeds, agora treinado por Herbert Chapman, e esperavam que o fizesse chegar à primeira divisão do futebol inglês.

Em sua primeira temporada no Leeds, Speirs marcou dez gols em 20 jogos para ajudá-los a chegar à sexta posição. Foi um começo sólido, mas que Leeds e Speirs melhoraram na temporada seguinte, terminando em quarto lugar, cinco pontos atrás do campeão Notts County. Dominando a equipe, Speirs marcou 12 gols em 29 jogos e formou uma forte parceria com o artilheiro do clube e do # 8217, Billy McLeod, que marcou 27 gols.

No início da temporada 1914/15, que teria como pano de fundo a Primeira Guerra Mundial, muitos acreditavam que o Leeds era bom o suficiente para finalmente garantir um lugar na tabela de classificação do futebol inglês e a confiança no clube era alta. Ainda assim, o Leeds começou a temporada da pior maneira possível, perdendo seus primeiros quatro jogos da temporada, e acabaria terminando em um humilde 15º lugar. Foi uma campanha decepcionante para o clube, agravada por uma péssima atuação na Copa da Inglaterra. Para Speirs, essa também seria sua última temporada no futebol inglês.

Depois de disputar sua última partida pelo Leeds na derrota em casa por 2 a 0 para o Barnsley, em 24 de abril de 1915, Speirs decidiu voltar para Glasgow para se alistar no Exército Britânico. Em sua carreira de dez anos como jogador de futebol profissional, Speirs jogou um total de 256 jogos em todas as competições e marcou 104 gols. Ele também conquistou a medalha de campeão da FA Cup & # 8217 e foi internacionalizado uma vez por seu país.

Jimmy Speirs voltou a Glasgow logo após o auge da temporada de futebol de 1914/15 e se alistou no Queen & # 8217s Own Cameron Highlanders em 17 de maio de 1915. Postado no 3º Batalhão (Reserva) em Invergordon para treinamento uma semana depois, Soldado S / 18170 Speirs logo impressionou o suficiente para ser nomeado cabo de lança em 29 de julho de 1915.

Em 29 de março de 1916, Speirs foi destacado para o 7º Batalhão (de serviço) dos Cameron Highlanders, que estava na França como parte da 15ª Divisão (escocesa) desde julho de 1915, e posteriormente foi promovido ao posto de cabo completo em 19 Julho de 1916 e # 8211 três semanas após o início da grande ofensiva britânica ao norte do rio Somme. Como parte de um esquadrão de metralhadoras, Speirs estava para se envolver em combates pesados ​​no Somme e foi ferido no cotovelo esquerdo em 8 de setembro de 1916. Após o tratamento atrás das linhas, Speirs voltou rapidamente para sua unidade e novamente viu algo pesado ação durante a Batalha de Arras na primavera de 1917.

Os 7º Camerons sofreram pesadas perdas durante a ofensiva e foram finalmente enviados de volta à reserva para se reagrupar e se recuperar. Foi durante este período que Speirs foi recomendado para a Medalha Militar, concedida a outras patentes por & # 8220Bravery in the Field & # 8221. O prêmio foi posteriormente concedido e a notificação foi publicada no Suplemento do The London Gazette em 9 de julho de 1917.

Depois de passar os primeiros dois anos de serviço relativamente ileso, Speirs foi nomeado sargento interino em 1o de junho de 1917, antes de ser promovido a sargento pleno. Logo depois, Speirs recebeu licença para ir para casa e passaria um tempo em Glasgow, Leeds e Bradford antes de retornar à sua unidade durante a segunda semana de julho de 1917. Duas semanas depois, o Exército Britânico lançou uma grande ofensiva em torno de Ypres Salient, na Bélgica.

Em 20 de agosto de 1917, o 7º Camerons mudou-se para as linhas a leste de St. Julien, onde se prepararam para um ataque a um ponto forte alemão na Colina 35. Deixando suas trincheiras no Reduto Pommern, o batalhão fez progresso, mas logo foi detido por metralhadoras pesadas fogo proveniente da Fazenda Gallipoli e da Fazenda Ibérica. Depois de sofrer pesadas perdas, foram substituídos em 24 de agosto de 1917 e seguiram para Erie Camp, a sudeste de Poperinghe.

Dos 15 oficiais e 450 outras patentes que entraram em ação, os Camerons sofreram um total de 144 baixas. Entre os desaparecidos estava o Sgt Speirs, que teria sido atingido na coxa durante o ataque. Apesar das esperanças iniciais de que o popular NCO tivesse sido feito prisioneiro, nenhuma informação adicional foi recebida e Speirs foi eventualmente relatado como desaparecido, dado como morto.

O 7º Batalhão do Queen & # 8217s Own Cameron Highlanders veria ação adicional na Primeira Guerra Mundial, até que 600 de seus homens foram transferidos para o 6º Batalhão (de Serviço) em 10 de junho de 1918 e ele foi reduzido a quadro. Em agosto de 1918, o foi dissolvido como parte da grande reestruturação do Exército Britânico.

Em outubro de 1919, a esposa de Speirs # 8217, Bessie, recebeu a notícia de que o corpo de seu marido havia sido encontrado no campo de batalha onde ele havia caído, perto de Iberian Farm. Em 20 de agosto de 1920, ela recebeu uma nova comunicação do Ministério da Guerra informando-a de que seu marido agora estava oficialmente registrado como sendo & # 8220Morte em ação ou morreu de feridas em ou logo após 20 de agosto de 1917. & # 8217 Finalmente, em 6 de outubro de 1921 , Bessie Speirs foi informada de que os restos mortais de seu marido foram enterrados no cemitério da Fazenda Dochy, localizado a noroeste de Zonnebeke. Passaram-se mais de quatro anos desde sua morte e dois desde que seu corpo foi encontrado no campo de batalha.

Em uma última e triste reviravolta do destino, Jimmy Speirs ficou sob uma lápide com grafia incorreta por quase oito décadas após um erro administrativo em seu alistamento em 1915. Somente em 2007 a Commonwealth War Graves Commission finalmente concordou em remover o pedra gravando seu nome como Spires e substituindo-a por uma que carregasse a grafia correta.

Uma lista completa de fontes usadas para criar esta página pode ser encontrada aqui.


Jimmy Speirs - História

Jimmy Speirs nasceu em 22 de março de 1886 em Govan, Glasgow. O quinto dos 6 filhos de James Hamilton Speirs e Janet Shields Speirs. Ele se casou com Elizabeth Lennox Maben em 24 de outubro de 1906. Em 11 de dezembro de 1907 James Hamilton Speirs nasceu com Elizabeth Maben Speirs em 6 de agosto de 1912.

Ele trabalhou como escriturário enquanto jogava como atacante interno do Annandale F.C. Ele ganhou a Copa Júnior de Glasgow em 1904-05. Ele então se mudou para Lochburn Park Maryhill Juniors antes de se mudar para o Glasgow Rangers em 1905.

Jimmy fez sua estreia no dia 25 de setembro de 1905. Speirs teve que esperar até 2 semanas depois para marcar seu primeiro gol contra o Port Glasgow, vencendo novamente o Glasgow Merchants Cup na semifinal e final da competição. Speirs fez 53 partidas, marcando 24 gols em 3 anos no Ibrox. Em seu último ano, ele também conquistou sua única internacionalização pela Escócia, na vitória por 2 a 1 sobre o País de Gales em 7 de março de 1908

No verão de 1908, ele se juntou a Clyde, passando um ano no Shawfield Stadium. Speirs jogou apenas 14 partidas, mas ajudou-o a alcançar a terceira posição da liga mais alta, três pontos atrás do vencedor, o Celtic.

Depois de um ano no Clyde no verão de 1909, Jimmy mudou-se para o sul e juntou-se ao Bradford City, passando 2 anos no Valley Parade, fazendo 86 aparições, marcando 29 vezes. Foi aqui que Jimmy escreveu seu nome nos livros de História como Bradford vencendo o Capitão na FA Cup na temporada 1910-11 contra o Newcastle United após um replay. Marcar o único gol do jogo.

Em dezembro de 1912, ele assinou com o Leeds United por £ 1200, aparecendo 73 vezes e pontuando 32 vezes. Devido à eclosão da 1ª Guerra Mundial, Jimmy voltou a Glasgow no final da temporada 1914-15 e alistou-se no Queen’s Own Cameron Highlanders em 17 de maio de 1915.

O recrutamento (o recrutamento) estava a um ano do qual Speirs estaria isento por ser casado e ter 2 filhos pequenos. O soldado S / 18170 foi enviado para a sede dos regimentos em Inverness. Ele foi nomeado Lance Corporal durante o treinamento. Ele foi enviado para o exterior em 29 de maio de 1916. Mais tarde naquele mesmo ano, ele feriu o cotovelo.

Em abril de 1917, Speirs participou da segunda batalha de Arras, pela qual foi premiado com a Medalha Militar por bravura em maio de 1917. Depois de voltar para casa em licença por um curto período, ele retornou à França, onde foi morto durante a Batalha de Passchendaele nos arredores 20 de agosto de 1917 aos 31 anos. Ele está enterrado no novo cemitério britânico de Dochy Farm, perto de Ypres, na Bélgica.

Jimmy Speirs foi iniciado na Loja Saint Vincent Sandyford No.553 em 11 de março de 1908. O futebol o levou embora, mas ele voltou e se tornou um Mestre Maçom, então Membro Vitalício em 12 de fevereiro de 1913


Jimmy Speirs

James Hamilton Speirs MM (1886-1917) nasceu no distrito de Glaswegian de Govan em 22 de março de 1886 e morreu na Bélgica em 20 de agosto de 1917. Um atacante de renome, Speirs marcou mais de cem gols durante uma carreira de dez anos como profissional escocês e inglês futebol e capitão Bradford City para seu único triunfo FA Cup em 1911. Speirs alistou-se no Exército britânico durante a Primeira Guerra Mundial e acabaria por perder sua vida servindo com o Queen & # 8217s Own Cameron Highlanders durante a Terceira Batalha de Ypres.

Carreira no futebol

Speirs começou sua carreira no futebol no extremamente bem-sucedido time amador local Maryhill FC, onde suas atuações impressionantes logo chamaram a atenção do gigante escocês Glasgow Rangers. Depois de completar a temporada 1904/05 com Maryhill, Speirs mudou-se para Ibrox com o companheiro de equipe John McFie no verão de 1905 e faria sua estréia em 25 de setembro de 1905, na derrota por 5-0 contra o Heart of Midlothian.

Apesar deste começo decepcionante, Speirs logo se estabeleceu no Rangers e iria marcar nove vezes em 21 jogos até o final de sua temporada de estreia no clube. Além disso, Speirs também ganharia sua primeira peça de prata na vitória do Rangers sobre o Queens Park por 3-2 na final da Glasgow Merchants & # 8217 Charity Cup. A temporada seguinte provou ser ainda mais produtiva para Speirs, se não para o Rangers, quando ele marcou o que viria a ser o melhor de sua carreira, 13 gols em 22 jogos do campeonato pelo clube. Apesar desta contribuição impressionante de Speirs, no entanto, o Rangers só conseguiu um decepcionante terceiro lugar, definhando a cerca de 10 pontos do campeão e arquirrival Celtic.

A campanha de 1907/08 foi igualmente desanimadora para o Rangers, uma vez que voltou a terminar duas posições atrás do Celtic, que terminou como campeão da Escócia pela quarta época consecutiva. Para Speirs, a temporada também representaria sua última temporada em Ibrox e, no verão de 1908, ele se mudou para Glasgow para se juntar à Clyde, então com base em Rutherglen. Speirs fez sua estreia na vitória por 1 a 0 sobre o Hamilton Academical em 15 de agosto de 1908, e continuaria marcando respeitáveis ​​10 gols em 20 jogos, com Clyde terminando em terceiro na liga e avançando para a semifinal ou para a copa.

Depois de apenas uma temporada no Shawfield Park, Speirs foi persuadido a abandonar o futebol escocês e seguir para o sul para ingressar no Bradford City, da Primeira Divisão inglesa. O Bantams havia acabado de evitar o rebaixamento durante a temporada de 1908/09 e era esperado que estivesse entre os lutadores durante a temporada de 1909/10. Depois de estrear na derrota por 1 a 0 para o Manchester United em 1 de setembro de 1909, Speirs jogou sua primeira partida em casa três dias depois, na vitória por 4 a 1 sobre o Bristol City. Apesar de ter que esperar 16 jogos para marcar seu primeiro gol pelo seu novo clube, Speirs teve um impacto imediato no Valley Parade e estaria sempre presente quando o City terminou em sétimo lugar na liga e chegou à segunda rodada da Copa FA.

Na temporada seguinte, o City garantiu um quinto lugar altamente respeitável, com Speirs contribuindo com sete gols em 25 jogos disputados. Foi uma campanha impressionante do lado de Yorkshire, ainda mais aprimorada quando derrotou o Newcastle United por 1-0 no Replay da final da FA Cup em Old Trafford, vencendo a ilustre competição pela primeira e única vez em sua história. Para Speirs, o triunfo foi ainda mais memorável, pois ele não só foi o capitão do time, mas também marcou o gol que deu a vitória ao jogo. Foi o auge da carreira de Speirs como jogador e o City foi saudado por mais de 100.000 fãs em seu retorno a Bradford com o troféu após a final.

Depois dos altos da campanha de 1910/11, a temporada seguinte foi frustrante para Speirs e seu clube. Depois de começar bem a temporada, o capitão do City sofreu uma lesão no final de setembro e foi forçado a ficar de fora até meados de março de 1912. Em sua ausência, o City lutou com consistência e acabaria terminando no meio da tabela na Primeira Divisão . Na FA Cup, eles derrotaram o vizinho Bradford Park Avenue na terceira rodada, mas foram eliminados nas quartas de final pelo eventual vencedor Barnsley.

Apesar dos problemas com lesões, Speirs começou bem a temporada 1912/13. Depois de ter jogado 13 de sua equipe em 15 jogos, o escocês marcou nove vezes e estava de volta à sua melhor forma. Em dezembro de 1912, no entanto, Speirs encerrou sua estadia de três temporadas e meia em Bradford City, quando o ambicioso Leeds City, da Segunda Divisão, pagou £ 1400 para levá-lo a Elland Road. Foi uma espécie de golpe para o Leeds, agora treinado por Herbert Chapman, e esperavam que o fizesse chegar à primeira divisão do futebol inglês.

Em sua primeira temporada no Leeds, Speirs marcou dez gols em 20 jogos para ajudá-los a chegar ao sexto lugar. Foi um começo sólido, mas que Leeds e Speirs melhoraram na temporada seguinte ao terminar em quarto, cinco pontos atrás do campeão Notts County. Dominando a equipe, Speirs marcou 12 gols em 29 jogos e formou uma forte parceria com o melhor marcador do clube e do # 8217, Billy McLeod, que marcou 27 gols.

No início da temporada 1914/15, muitos acreditavam que o Leeds era bom o suficiente para finalmente garantir um lugar na tabela de classificação do futebol inglês e a confiança no clube era alta. Ainda assim, o Leeds começou a temporada da pior maneira possível, perdendo seus primeiros quatro jogos da temporada, e acabaria terminando em um humilde 15º lugar. Foi uma campanha decepcionante para o clube, agravada por uma péssima atuação na Copa da Inglaterra. Para Speirs, essa também seria sua última temporada no futebol inglês.

Depois de jogar sua última partida pelo Leeds na derrota em casa por 2 a 0 para o Barnsley, em 24 de abril de 1915, Speirs decidiu voltar para Glasgow para se alistar no Exército Britânico. Em sua carreira de dez anos como jogador de futebol profissional, Speirs jogou um total de 256 jogos em todas as competições e marcou 104 gols. Ele também conquistou a medalha de campeão da FA Cup & # 8217 e foi internacionalizado uma vez por seu país.

Serviço da Primeira Guerra Mundial

Speirs voltou a Glasgow logo após o auge da temporada de futebol de 1914/15 e se alistou no Queen & # 8217s Own Cameron Highlanders em 17 de maio de 1915. Enviado para o 3º Batalhão (Reserva) em Invergordon para treinamento uma semana depois, Soldado S / 18170 Speirs logo impressionou o suficiente para ser nomeado cabo de lança em 29 de julho de 1915. Ele foi então destacado para o 7º (serviço) Batalhão dos Cameron Highlanders em 29 de março e foi promovido ao posto de cabo em 19 de julho de 1916 & # 8211 por três semanas na grande ofensiva britânica ao norte do rio Somme.

Como parte de um esquadrão de metralhadoras, Speirs estava para se envolver em combates pesados ​​no Somme e foi ferido no cotovelo esquerdo em 8 de setembro de 1916. Após o tratamento atrás das linhas, Speirs voltou rapidamente para sua unidade e novamente viu algo pesado ação durante a Batalha de Arras na primavera de 1917. Tendo sofrido baixas significativas, o 7º Camerons foi finalmente enviado de volta à reserva para se reagrupar e se recuperar. Foi durante este período que Speirs foi recomendado para a Medalha Militar, concedida a outras patentes por bravura no campo. O prêmio foi posteriormente concedido e a notificação foi publicada no Suplemento do The London Gazette em 7 de julho de 1917.

Depois de passar os primeiros dois anos de serviço relativamente ileso, Speirs foi nomeado sargento interino em 1o de junho de 1917, antes de ser promovido a sargento. Logo depois, Speirs recebeu licença para ir para casa e passaria um tempo em Glasgow, Leeds e Bradford antes de retornar à sua unidade durante a segunda semana de julho de 1917. Duas semanas depois, o Exército Britânico lançou uma grande ofensiva em torno de Ypres Salient, na Bélgica.

Em 20 de agosto de 1917, o 7º Camerons mudou-se para as linhas a leste de St. Julien, onde se prepararam para um ataque a um ponto forte alemão na Colina 35. Deixando suas trincheiras no Reduto Pommern, o batalhão fez progresso, mas logo foi detido por metralhadoras pesadas fogo proveniente da Fazenda Gallipoli e da Fazenda Ibérica. Depois de sofrer pesadas perdas, foram substituídos em 24 de agosto e seguiram para Erie Camp, a sudeste de Poperinghe.

Dos 15 oficiais e 450 outras patentes que entraram em ação, os Camerons sofreram um total de 144 baixas. Entre os desaparecidos estava o Sgt Speirs, que teria sido atingido na coxa durante o ataque. Apesar das esperanças iniciais de que o popular NCO tivesse sido feito prisioneiro, nenhuma informação adicional foi recebida e Speirs foi finalmente relatado & # 8216 como dado como morto & # 8217.

Em outubro de 1919, Bessie Speirs recebeu a notícia de que o corpo de seu marido havia sido encontrado no campo de batalha onde ele havia caído, perto de Iberian Farm. Em 20 de agosto de 1920, ela recebeu nova comunicação do Ministério da Guerra informando-a de que seu marido estava oficialmente registrado como sendo & # 8216Morte em ação ou morreu de feridas em ou logo após 20 de agosto de 1917. & # 8217 Finalmente, em 6 de outubro de 1921 , Bessie Speirs foi informada de que os restos mortais de seu marido foram enterrados no cemitério da Fazenda Dochy, localizado a noroeste de Zonnebeke. Passaram-se mais de quatro anos desde sua morte e dois desde que seu corpo foi encontrado no campo de batalha.

Em uma última e triste reviravolta do destino, Speirs ficou sob uma lápide com grafia incorreta por quase oito décadas após um erro clerical em seu alistamento em 1915. Somente em 2007 a Comissão de Túmulos de Guerra da Comunidade Britânica concordou em remover a pedra. recording his name as Spiers and replaced it with one that carried the correct spelling.

COMPLETE CAREER STATISTICAL RECORD

Temporada Clube League Pos FA Cup League Games League Goals FA Cup Games FA Cup Goals
1904/05 Maryhill
1905/06 Rangers 4th (Scottish First Division) 18 6 3 3
1906/07 Rangers 3rd (Scottish First Division) 22 13 3 1
1907/08 Rangers 3rd (Scottish First Division) 13 5 3 1
1908/09 Clyde 3rd (Scottish First Division) 14 7 6 3
1909/10 Bradford City 7th (First Division) R2 38 6 2 1
1910/11 Bradford City 5th (First Division) C 25 7 6 2
1911/12 Bradford City 11th (First Division) R4 10 7 2 1
1912/13 Bradford City 13th (First Division) R1 13 9
1912/13 Leeds City 6th (Second Division) R1 19 10 1
1913/14 Leeds City 4th (Second Division) R2 29 12 2
1914/15 Leeds City 15th (Second Division) R2 25 10 2
Resumo
Bradford City 86 29 10 4
Clyde 14 7 6 3
Leeds City 73 32 5 0
Rangers 53 24 9 5
Totais 226 92 30 12

A full list of sources used to create this page can be found aqui.


Going goggle-eyed

Gogglebox – one of several come-bake-off-with-the-bride type programmes the girls of my family insist I must watch when I could be reading football memorabilia books – had its heroes viewing The Apprentice last time. I’ve always loathed this showcase for Alan Sugar, and the kids have finally banned me from delivering my solemn lecture about how it sets a bad example to the country, portraying work as an exercise in flogging tat, then backstabbing and bullying to have colleagues unfairly dismissed, by bosses who heroically overrate themselves.

The Gogglebox people are all nice(ish) and funny(ish), qualities vital to keep at bay total self-loathing that we are gathered as a family, watching on telly other people watching telly. But when the warm, cuddly Gogglebox folk watched The Apprentice, they turned mean, urging Lord Sugar to lift his stubby finger for a triple sacking, then cheering and rubbing their hands when he did. Amid the worries about rancour and dissatisfaction besetting Britain, basing so much popular culture on summary firing cannot be doing much good.


Place in History

Lieutenant Colonel Ronald C Speirs retired from the Army on 31 st March, 1964. He had served 22 years in the military and his career had spanned one of the most turbulent and dangerous periods in human history.

Commissioned into the Army at 22 years of age, Speirs joined the paratroopers – a new concept for an infantry fighting force – which at that time had only been used by the Germans and was originally disliked by US Army Commanders.

The Forties

The 101st Airborne was activated on 16 th August 1942 at Camp Claiborne, Louisiana. It’s first commander Major General William C Lee declared to his paratroopers in General Order Number 5, dated 19 th August, that ‘the 101st has no history but has a rendezvous with destiny.’

The start of Speirs’ military career was set against the backdrop of World War II – the deadliest conflict in history. It was a global war, fought in Europe, Africa, Asia and on the Atlantic and Pacific oceans. Over 100 million people served in the military and countries placed their entire economic, industrial and scientific efforts towards winning the war.

It was a war which saw the mass killing of civilians and resulted in over 60 million dead – the equivalent of 2.5% of the world’s population. It can’t be forgotten that it was also a war that included one of the most shameful events in human history – the holocaust. Added to this, World War II was the first and only war in which nuclear weapons have been used.

Speirs was part of that war. He parachuted behind enemy lines, directly into hostile territory on D-Day. He participated in Operation Market-Garden, the Battle of the Bulge and was part of the force that liberated Hitler’s Eagles Nest.

Post World War II saw the emergence of the United States and the Soviet Union as the world’s two global superpowers and then – due to differing ideologies – the start of the Cold War between them. Though the two never fought directly against each other they did fight indirectly by supporting opposing sides in many global conflicts that followed.

The Fifties

America in the 1950s was prosperous with growth in the manufacturing and construction industries, but was a nation highly concerned by the spread of communism – McCarthyism and the Second Red Scare are both terms associated with this period. This decade also saw the arrest of Julius and Ethel Rosenberg on charges of passing secret information on the atomic bomb to the Soviets, which ultimately lead to the execution of both. This still remains the only time in American history that two civilians have been executed for treason.

The Korean War started on 25 th June, 1950 and by 15 th September, 1950 Speirs was in theatre. The United States’ involvement resulted from the United Nations Security Council’s Resolution 84 which authorized military intervention. China and the Soviet Union backed the Northern Democratic People’s Republic of Korea. It is often called the Forgotten War but resulted in 33,686 battle deaths, 2,830 non-battle deaths and 8,176 missing in action. 1

American tanks and troops at Checkpoint Charlie

American Car Escorted By The East German Police

East German construction workers

Meanwhile, Berlin was a divided city still controlled by the Allies after World War II. Spiers was stationed there first as a Foreign Intelligence Officer in 1956 and then as Director of Spandau Prison in 1957. He left Berlin in 1958.

The Sixties

The 1960s was a decade which would see incredible change and seismic shifts in social attitudes and expectations. The decade began with the election and inauguration of President John F Kennedy on 20 th January, 1961. A former United States Senator from Massachusetts – the same state as Ronald Speirs – Kennedy, at 43 years old, was the second youngest president ever to be elected. It was a Presidency which began with an optimistic vision often described as a ‘Camelot’ because of its potential and promise for the future – but ended with the shocking assassination of President Kennedy.

In Europe, the construction of the Berlin Wall by East Germany began on 13 th August, 1961 and completely annexed West Berlin from East Berlin. This wall would stand for 28 years – until 9 th November, 1989.

Check Point Charlie, a crossing point in the Berlin Wall, was the scene of one of the most dangerous events of the Cold War occurring on 22 nd October, 1961 and was second in magnitude only to the Cuban Missile Crisis. It began when East German guards tried to examine the travel documents of a U.S. diplomat and ended with American and Soviet tanks facing each other less than 100 metres apart. The crisis was resolved on 28 th October, 1961 but highlighted the on-going and potentially deadly tensions between the US and the Soviets.

In Asia, the Laotian Civil War – to which Speirs was deployed 28 th August, 1961 – was another conflict that involved the United States and the Soviets arming, equipping and supporting the two differing and opposing sides.

The world held its breath in October 1962 as the United States and the Soviets began a 13 day impasse due to nuclear missile sites being built by the Soviets on the island of Cuba. This became known as the Cuban Missile Crisis and was the deadliest stand-off yet between the United States and the Soviets. This crisis brought the world to the brink of a nuclear war.

It was during the Cuban Missile Crisis that Speirs – working in the Plans Branch, Plans and Policy Division, Civil Affairs Directorate (ODCSOPS) in Washington DC – would receive a further military accolade. According to his Army Commendation Medal, 2 “Lieutenant Colonel Speirs assumed responsibility for the Plans and Policy Division, Civil Affairs Directorate, in the midst of the Cuban crisis of 1962 and provided the necessary leadership and guidance needed during this critical period.” His Army Commendation Medal also mentions his work during the Haitian crisis in 1963 when marshal law was imposed in Port-au-Prince, Haiti because of the threat of invasion from the Dominic Republic which resulted in the US State Department issuing a warning advising all Americans to evacuate. “Lieutenant Colonel Speirs directed his branch in providing timely and vital civil affairs planning support to the overall effort.” While his Legion of Merit 3 medal states, “In the field of civil affairs he demonstrated a profound understanding of existing politico-military situations and played a major role in the timely civil affairs support provided for military units involved in operations during periods of international crises.”

Protest Against The War In Vietnam

Ballistic Missile Site in Cuba

The sixties will always be remembered and associated with the Vietnam War – a war whose roots can be traced to Indochina and which began well over a decade earlier. Though Speirs did not serve in Vietnam, he did serve in Laos, part of Indochina where in 1961 he was a Senior Military Advisor. US involvement in Vietnam escalated in the early 1960s with an exponential increase of US troops in situ. This war would divide America and cause a fault line which exposed two sides – those for and those against – which ran across social and political boundaries. Continued involvement in Vietnam would lead to mass student demonstration, draft evasion, and distrust in public government.

Speirs continued his work at the Pentagon and was directly responsible for writing several basic civil affairs policy documents on behalf of the Department of Defence which “added new status to civil affairs planning by initiating a systematic and realistic review of civil affairs support of all contingency plans taken under consideration by this Directorate.” 4

His Legion of Merit awarded for “exceptionally meritorious service while serving in positions of responsibility from October 1961 to March 1964” further states, “Colonel Speirs’ outstanding effectiveness as a military leader, administrator, and organiser was of great value in furthering military objectives of major importance to the security effort worldwide” and continues, “by his inspiring leadership, professional competence, and devotion to duty, he contributed materially to the readiness posture of the armed forces of his country and to the defence effort of the Nation. Colonel Speirs’ distinguished performance of duty throughout this period represents outstanding achievement in the most cherished traditions of the United States Army and reflects the utmost credit upon himself and the military service.”

Lieutenant Colonel Ronald C Speirs retired from the military on 31 st March 1964 after serving 22 years on active duty.


Jimmy Speirs: A hero on the pitch and in battle

/>

Unlikely sporting successes tend to have ancillary benefits, too. In this case, one positive offshoot would be that the Yorkshire club would become famous to contemporary football fans for more than an appalling fire that claimed 56 lives at Valley Parade in 1985.

Regardless of the result, another positive ramification of Bradford’s march to Wembley is that it has provided a context for the telling of one of the most magical life stories to have taken form in the pre-War period when so many Scots helped the game in England to grow.

Jimmy Speirs was a Glaswegian war hero, a sergeant in the Cameron Highlanders who claimed the Military Medal for bravery in the field before perishing near Ypres in Belgium in 1917.

He was also, before volunteering, a Bradford City hero one whose contribution to the lore of the club has never been surpassed. Bradford won the FA Cup in 1911 and Jimmy Speirs was the captain and the scorer of the only goal by which Bradford beat Newcastle United 1-0 at the second attempt. Remarkably, he was one of eight Scots in the Bradford team that day.

“Jimmy Speirs was a man who died a lonely death in a muddy field, but six years earlier he was cheered to the rafters by tens of thousands of Bradford City fans for giving the club their greatest moment,” says Dave Pendleton, author of Glorious 1911, the story of Bradford’s only major trophy up to now. “I think that massive contrast is what adds to the fascination around him – plus the fact we have won bugger all since!

“But he was our captain, goalscorer, a real leader of men and quite a guy – apparently he had made a load of money from rubber shares – who then volunteered to fight for his country. He was a remarkable character.”

Before moving south Speirs was a goalscorer of note for Rangers, Clyde and Maryhill, the winner of a Scotland cap in 1908 and an inside left who was bought for £1,400 by the legendary Herbert Chapman when he was in charge at Leeds City – an eye-watering sum at the time. But his story has been curiously under-told, perhaps because Bradford have so rarely been of national news value.

The Scottish Football Museum has no Jimmy Speirs exhibit, while the SFA begrudgingly notes his international recognition in an online biography, dwelling on the fact that he “never really hit the high spots” during his time at Ibrox. This seems a conclusion based entirely on statistics because subsequent research into his life, character and importance to pre-War football has been revelatory.

The website jimmy-speirs.co.uk is a treasure trove of insight that has been lovingly put together by historian Andrew Pickles, with the help of Speirs’ grandchildren.

This was a footballer who didn’t just make history, but one who kept mementoes of it. Like, for example, his Leeds City player’s ticket, and commemorative menus from two dinners held to mark Bradford’s appearance in the 1911 FA Cup final. One was hosted by Sir William Priestley MB at the Trocadero in Piccadilly Circus after the original final at the Crystal Palace ended in a 0-0 draw, and the other by Bradford supporters at the city’s Victoria Hotel after the 1911 replay at Old Trafford, when Speirs’ header settled a needle contest.

Bradford was only an eight-year-old club at the time but there were 66,646 at the replay, with an estimated 30,000 locked out. And the celebrations back in the West Ridings city brought 100,000 out on to the streets to welcome Speirs and his fellow heroes home.

The Leeds Mercury reported: “The Cup has come home and Bradford has gone mad with delight. In the long history of the city there has never been anything to equal the extraordinary scenes which took place this evening.”

As captain, it fell upon Speirs to speak both at a civic reception held by the Lord Mayor, and on the steps at Old Trafford after he had received the famous trophy. He reportedly said that Bradford’s success would do a lot for football in Yorkshire and that he and his team had fulfilled a great ambition he finished by calling for three cheers for Newcastle United.

Every item of recorded evidence of Jimmy Speirs’ life builds the impression of a gallant individual, a leader of men who put principle before self-preservation. It was to be his undoing.

According to the website, he enlisted for service in a Glasgow recruiting office on 17 May, 1915 – more than a year before conscription. “Even then,” writes Pickles, “Jimmy would have been exempted on the grounds of being married with two young children.” Two years and three months later, Bessie Speirs would be widowed and Jimmy jnr and Elizabeth left without a father. But only after Jimmy had ascended from private to corporal and then sergeant, been wounded by a gunshot to the elbow in France in August 1916 and been awarded the Military Medal the following May, after the Second Battle of Arras. According to reports, Bessie’s last communication from her husband was the dreaded “we’re going over the parapet tomorrow”. His body was found some days later, and he was laid to rest at Dochy Farm New British Cemetery.

Jimmy Speirs scored 29 goals in three seasons at Rangers, ten in his only season with Clyde, 33 in four years at Bradford and 32 for Leeds City in the three seasons that preceded the outbreak of hostilities across Europe. And on one afternoon in Manchester, to Bradford City fans he became immortal.


Assista o vídeo: 1911 - Bradford Citys FA Cup Win - Vs. Newcastle United