Eleições israelenses 2020/21 v4 - História

Eleições israelenses 2020/21 v4 - História

Eleições israelenses 2019/2020/2021, versão quatro

2 de março de 2021

Esta noite saiu a última enquete do Canal 13. As mudanças são pequenas e ainda depende de qual dos partidos tem ou não votos suficientes para chegar ao Knesset. Netanyahu não conseguiu obter nenhum voto e não tem um caminho provável para um governo. Nas últimas semanas, o lento vencedor foi o Partido de Yair Lapid, que vem subindo lentamente nas pesquisas. As pesquisas, embora pareçam estáticas, ainda são um péssimo indicador, com o Prof Camil Fuchs, o pesquisador, dizendo que o número de indecisos é sem precedentes. Ele disse que está decidindo entre três partes. Acontece que eu compartilho sua indecisão, assim como a maioria dos eleitores que conheço.

A decisão da Suprema Corte reconhecendo a conversão conservadora e reformista para os fins da Lei do Retorno acrescentou um novo elemento à corrida. Interessante, é mais uma vez Avigdor Lieberman, que saiu com mais vigor na defesa da Suprema Corte e atacou os partidos ultraortodoxos por sua posição sobre o assunto. A questão ficou ainda mais acalorada quando o Judaísmo da Torá Unida, Yitzhak Pindrus, afirmou que as mulheres que os Rabinos das FDI converteram são consideradas shiksas. Se alguém se casar com eles, suas famílias devem entrar em luto. Lieberman atacou Netanyahu, Gantz e o Chefe do Estado-Maior do Exército por não terem vindo em defesa das conversões do exército.

16 de fevereiro de 2021

Faltam cinco semanas para a eleição israelense, e para ser honesto; trata-se da eleição mais chata sobre a qual me lembro de ter escrito. O primeiro-ministro Netanyahu assumiu a ofensiva tentando fazer de Lapid seu principal oponente, configurando assim um confronto clássico entre direita e esquerda. Será que um número suficiente de israelenses cairá novamente? É difícil dizer. Na verdade, os oponentes de Netanyahu têm sido relativamente incapazes de apresentar qualquer visão alternativa real a Netanyahu, que não tem nenhuma ideia real além da auto-sobrevivência no momento. Abaixo está a última pesquisa do Canal 13, que mostra poucas mudanças. Com base nessa pesquisa, Netanyahu ainda carece dos 61 votos mágicos necessários para criar um governo disposto a lhe dar imunidade. Acho que é crucial não acreditar que você possa levar as pesquisas tão a sério. Quase ninguém com quem falo, a não ser os ativistas do partido, decidiu em quem votar, exceto os leais a Netanyahu. Ninguém que eu conheça se entusiasma com qualquer candidato e, na verdade, todos estão cansados ​​de eleições. No entanto, embora apenas uma pessoa seja responsável por essas eleições, duvido que isso vá fazer com que perca qualquer apoio entre a sua base.

2 de fevereiro de 2021

A seguir estão os resultados da enquete do Canal 13. Esta é a última votação antes de os partidos apresentarem suas listas. Houve mudanças significativas. O maior é o renascimento do Partido Trabalhista. Desde as primárias trabalhistas e a eleição de Meirav Michaeli, o Partido Trabalhista deixou de atingir o limite para sete cadeiras. O partido do prefeito de Tel Aviv, Huldai, praticamente desapareceu com a expectativa de que ele desista. Com o número atual, o primeiro-ministro Netanyahu não tem uma coalizão e os que se opõem a ele têm um governo. Mas muito pode mudar.

30 de dezembro de 2020

A seguir estão os resultados da pesquisa do Canal 13. Nela vemos que Bennet e Sa'ar perderam força com o novo partido de Huldia ganhando força. A Lista Árabe Conjunta tem apenas 10 cadeiras contra 14 na última eleição, mas isso é um pouco suspeito.

29 de dezembro de 2020 Huldai forma novo partido

Israel tem outro novo partido político - "Os israelenses". Ron Huldai, prefeito de Tel Aviv anunciou a formação deste novo partido. Em um excelente discurso, Huldai expôs com paixão o que ele e o novo partido defendem. Os israelenses são, sem dúvida, um partido liberal, posicionado à esquerda do centro. Huldai deixou claro que é um homem de ação e que sua experiência e histórico de vida lhe permitirão não apenas defender valores, mas cumprir o que prometeu.

Huldai lembrou aos ouvintes que ele foi um piloto de caça na Guerra dos Seis Dias e na Guerra do Yom Kippur, chegando ao posto de Brigadeiro-General e comandante da maior base da Força Aérea de Israel. Depois de se aposentar da Força Aérea, Huldai foi um diretor muito bem-sucedido de uma escola secundária e, é claro, foi o notável prefeito de Tel Aviv nos últimos 22 anos. Embora Huldai não seja universalmente amado, ele é amplamente admirado como um excelente administrador. Huldai é creditado com o renascimento de Tel Aviv e seu título arduamente conquistado como uma das grandes cidades do mundo. Você pode ler minha entrevista com Huldai de quatro anos atrás aqui.

Que diferença isso fará? Primeiro, há um lugar para essa nova festa. O Partido Trabalhista, do qual Huldai foi membro vitalício, está virtualmente morto. O Meretz parece incapaz de ganhar mais do que seus habituais 5-6 assentos, e sua liderança está longe de ser dinâmica. Isso deixa apenas Yesh Atid na centro-esquerda. Lapid provou ser um político capaz, mas há uma sensação de que ele atingiu seu teto. Especialmente após o intervalo de seu apoiador de longa data, Ofer Shelach, que recentemente deixou o partido Yesh Atid, Lapid está sujeito a perder apoio. Acho que é possível que Huldai reúna o voto da centro-esquerda, mas seu sucesso dependerá de quem ele conseguirá entrar em sua lista, espero que incluindo algumas mulheres.

Junto com Huldai em sua entrevista coletiva estava Avi Nisenkorn, que até poucas horas atrás havia sido o Ministro da Justiça, do partido Azul e Branco. Nisenkorn se juntou a uma longa lista de pessoas que saíram do Blue and White nos últimos dias.

O ministro da Defesa, Benny Gantz, também deu uma entrevista coletiva esta noite que, de alguma forma, foi forte e patética ao mesmo tempo. Ele falou com uma voz apaixonada e urgente, com uma convicção robusta. No entanto, o discurso foi sobre o que ele fez e o que desistiu. No discurso, Gantz deixou claro que planeja continuar na política - embora eu não tenha certeza de que as próximas pesquisas irão projetar que seu partido terá votos suficientes para passar do limite. Nesse ponto, Gantz não tem um eleitorado natural.

23 de dezembro de 2020 Eleições mais uma vez.

Acho difícil acreditar que estou escrevendo sobre a quarta eleição de Israel para o Knesset em dois anos. Enquanto Israel lida com sua terceira onda do vírus COVID-19, e provavelmente entrará em seu terceiro bloqueio, o Parlamento israelense foi oficialmente dissolvido, desencadeando automaticamente uma nova eleição. A causa técnica da queda do governo foi o fracasso em aprovar um orçamento de estado, neste caso, o orçamento para 2020. Esta é a primeira vez na história de Israel que um governo caiu por esse motivo.

Após a terceira eleição, o chefe do partido Blue & White, MK Benny Gantz, foi encarregado de formar o próximo governo. No entanto, depois que dois membros de sua facção (Tzvi Hauser e Yoaz Hendel) se recusaram a apoiar um governo apoiado pela Lista Conjunta Árabe de fora da coalizão, Gantz, portanto, não tinha meios de formar uma coalizão governante.

Foi então, há apenas oito meses, que Gantz concordou em entrar em uma coalizão com o primeiro-ministro Benjamin "Bibi" Netanyahu, rotulada como uma "emergência, governo Coronavirus". Os eleitores do Blue & White confiaram na palavra de Gantz de que nunca se juntaria a um governo liderado por Netanyahu. Ao fazer isso, Gantz chocou e desiludiu seus apoiadores, que votaram esmagadoramente nele para substituir Netanyahu. O acordo alcançado entre o Likud de Netanyahu e o Partido Azul e Branco de Gantz supostamente garantia que Gantz se tornaria primeiro-ministro na segunda metade do mandato de três anos do governo; e até então, Gantz controlaria metade dos ministérios do governo. As Leis Básicas de Israel foram modificadas para refletir esse novo arranjo.

Quando o acordo foi assinado, um ansioso Netanyahu prometeu "sem truques, sem truques". No entanto, em retrospecto, ficou claro que Netanyahu tinha uma manobra tática significativa na manga. Segundo a lei israelense, um orçamento nacional deve ser aprovado em uma data específica e, se nenhum orçamento for aprovado nessa data predeterminada, o Parlamento será automaticamente dissolvido. Gantz não acreditava que a aprovação do orçamento representaria um problema, já que parte de seu acordo com Netanyahu estipulava que um orçamento de dois anos seria aprovado até agosto - e havia sido uma exigência do Likud para autorizar um orçamento de dois anos.

Mas agosto chegou e nenhum orçamento foi apresentado pelo confidente de Netanyahu, o ministro das Finanças, Yisrael Katz. Assim, chegou-se a um acordo para alterar outra Lei Básica para estender a data de apresentação do orçamento para o ano corrente (2020) até 20 de dezembro, com a promessa adicional de aprovar os orçamentos de 2020 e 2021. Tornou-se aparente que a razão pela qual Netanyahu se recusou a aprovar um orçamento foi para se dar o máximo de flexibilidade, em relação a quando novas eleições seriam realizadas - de tal forma que privaria Gantz de servir como primeiro-ministro nesse ínterim. (O acordo Netanyahu-Gantz determinava que se o governo caísse como resultado de um voto de não-confiança, Gantz se tornaria o primeiro-ministro durante o período anterior à eleição; mas não havia previsão para que isso acontecesse se o Knesset se dissolvesse por causa de um orçamento não foi aprovado.)

Com a proximidade de dezembro, a Blue & White declarou explicitamente que não estava disposta a permitir que um orçamento de um ano para 2020 fosse aprovado sem um orçamento para 2021, o que garantiria que Gantz substituiria Netanyahu como primeiro-ministro quando fosse sua vez, e também iria fornecer a Israel estabilidade econômica adicional. Ao mesmo tempo, Netanyahu queria manter aberta sua rampa de fuga de seu acordo com Gantz, o que ele só poderia cumprir não aprovando um orçamento de 2021.

Netanyahu parece despreocupado com um governo que tem operado sem um orçamento aprovado e atualizado nos últimos dois anos. Além disso, o primeiro-ministro parece acreditar que realizar eleições no final da primavera ou no início do verão seria um momento melhor para ele do que ir às urnas no final de março. Como tal, é de seu interesse aprovar o orçamento de 2020, sem a aprovação de um orçamento para 2021. A esperança de Netanyahu é que no final da primavera, a maior parte da população de Israel seja vacinada contra o Coronavírus, permitindo que a sociedade e a economia estejam em seu caminho para a recuperação do COVID-19, e os israelenses estariam mais propensos a esquecer os fracassos de seu governo.

Apesar de suas negativas contínuas, Netanyahu parecia mais do que disposto a realizar novas eleições, se pudesse evitar a transferência do primeiro-ministro para Gantz. No entanto, a disposição de Netanyahu de precipitar as eleições mudou em 8 de dezembro, quando MK Gideon Sa'ar, (um fiel ao Likud de longa data) anunciou que deixaria o Likud e formaria um novo partido para se opor a Netanyahu. As pesquisas iniciais mostram que o novo partido de Sa'ar pode se sair muito bem nas próximas eleições.

Sa'ar, cujas opiniões estão na ala direita do espectro político israelense, torna um alvo difícil para Netanyahu atacar com suas zombarias padrão, chamando todos os seus oponentes de "esquerdistas radicais". Tendo Sa'ar (que prometeu não entrar em um governo com Netanyahu) na foto, faz com que as perspectivas de reeleição de Netanyahu pareçam menos prováveis.

Percebendo a importância dessa mudança nas alianças políticas, Netanyahu reabriu negociações sérias com a Blue & White. Embora as negociações tenham progredido, Netanyahu não quis ceder e concordar em aceitar o acordo inicial, sem concessões adicionais de Gantz em relação ao Ministério da Justiça, que supervisiona indiretamente seu julgamento. Enquanto Gantz parecia disposto a concordar com algumas das exigências de Netanyahu, vários membros de seu próprio partido Azul e Branco estavam menos inclinados.

Durante a noite de 21 de dezembro, com o relógio no Knesset prestes a se dissolver automaticamente à meia-noite do dia 22, foi feita uma tentativa de última hora para prorrogar o prazo, alterando a lei que exige a aprovação do orçamento até o dia 22. Alguns membros da Blue & White tinham COVID-19 e outros estavam em quarentena; vários membros da Blue & White recusaram-se a apoiar outra extensão; e, finalmente, alguns membros do Likud subitamente votaram contra o governo (ou seja, aqueles alinhados com Sa'ar, que renunciou ao Knesset após anunciar a formação de um novo partido). Assim, apesar dos esforços de Netanyahu, a votação falhou e em 23 de março, Israel, que não tem meios de votação remota ou pelo correio, realizará sua quarta eleição para o Knesset em dois anos - em meio a uma pandemia.

Seis semanas atrás, um ex-líder do Likud me disse em particular que Netanyahu deveria concordar com a rotação com Gantz, porque se as eleições fossem realizadas, Netanyahu perderia. Ao longo dos anos, as pesquisas eleitorais projetariam a força da direita contra a esquerda. Desta vez, isso parece ser um fator menor. Em vez disso, os pesquisadores têm apresentado a força dos partidos "pró" e "anti" -Bibi. Se as eleições fossem realizadas hoje, e se as pesquisas estivessem corretas, Netanyahu não teria caminho para formar um novo governo.

Ainda assim, ninguém deve subestimar as habilidades cruas de Netanyahu como político. Ele tem sucessos significativos que pode apontar, incluindo providenciar para que Israel receba um grande número de vacinas contra o Coronavirus muito cedo, e acordos de paz com quatro estados muçulmanos assinados nos últimos meses. Dito isso, três meses é muito tempo na política israelense e as próximas eleições serão conduzidas à sombra do julgamento de corrupção de Netanyahu. Também deve ser observado que Netanyahu não conseguiu ganhar uma coalizão governamental em nenhuma das últimas três eleições.

Muito pode acontecer nos próximos três meses - ou seja, criação de novos partidos, fusões de antigos partidos, entrada de novos e veteranos líderes na cena política. Ainda assim, para a maioria dos israelenses, as próximas eleições parecerão muito com o dia da marmota ... onde, mais uma vez, a única questão real na votação será - Netanyahu deve continuar como primeiro-ministro? Fique ligado.

A primeira eleição

Sobre esta seção - por Marc Schulman

Esta é a quarta parte das eleições israelenses de 2019/2020 2021. Israel e, especificamente, o primeiro-ministro Netanyahu forçou a eleição anterior. Tudo o que aconteceu nas versões 1 e 2 e 3 nas páginas anteriores é relevante, mas é uma nova eleição e, como tal, as coisas podem ser muito diferentes, ou talvez não.

Este site geral começou com uma seção sobre as eleições presidenciais americanas - um assunto sobre o qual escrevi extensivamente e sobre o qual escrevi um livro História das Eleições Presidenciais Americanas: De George Washington a Donald Trump"). Tenho observado / participado de perto na política israelense desde 1975. Em 1977, votei em Israel pela primeira vez, escolhendo o partido que prometia a mudança," Shinui ". Eu estava de uniforme na primeira vez que votei, como estava a segunda vez (durante o serviço de reserva), quando provavelmente fui uma das poucas pessoas naquele momento a votar de fora de Israel, pois estava estacionado no lado egípcio da fronteira durante o desligamento. Desde então, recebi um acadêmico compreensão da política israelense, tendo sido aluno do falecido Asher Arian, considerado o reitor de especialistas em eleições israelenses. Nos últimos mais de sete anos, tive mais uma vez a oportunidade de observar de perto a política israelense, após retornar a Israel após uma ausência. Nos últimos cinco anos, publiquei uma coluna na Newsweek chamada "Diário de Tel Aviv", que me proporcionou um acesso mais próximo às pessoas e aos eventos. Ao longo dos próximos meses, espero registrar e analisar os marcos significativos e d momentos decisivos nas eleições israelenses deste ano, aqui nestas páginas. Algumas dessas conjunturas decisivas chegarão à Newsweek e outras aparecerão em nosso novo aplicativo econômico de Israel, chamado DigitOne. Algumas delas podem aparecer em nosso novo site de notícias econômicas DigitOne.News


Política

Siga a cobertura completa da PBS NewsHour & # 8217s de política, Congresso, Suprema Corte e a presidência.

As empresas foram processadas por um grupo de seis cidadãos adultos do Mali que alegaram que foram retirados de seu país quando crianças e forçados a trabalhar em fazendas de cacau na vizinha Costa do Marfim.

Por Jessica Gresko, Associated Press

O Senado terá uma votação importante na próxima semana em uma ampla reformulação da lei eleitoral e de votação, estabelecendo um teste dramático de unidade democrata em uma prioridade que os republicanos estão prometendo bloquear.

Por Brian Slodysko, Christina A. Cassidy, Associated Press

As cinco mulheres e dois homens no painel incluem três pessoas de cor, tornando-o o painel mais diversificado desde que o comitê foi criado, há mais de 40 anos.

Por Matthew Daly, Associated Press

O governo dos Estados Unidos está alcançando os negros que comemoram o fim da escravidão nos Estados Unidos há gerações com um dia chamado "Décima quinta".

Por Lindsay Whitehurst, Jim Vertuno, Associated Press

O Texas agora permitirá que as pessoas carreguem revólveres sem primeiro passar por uma verificação de antecedentes e treinamento. É o maior e mais recente em uma lista crescente de estados a reverter os requisitos de licenciamento para o porte de armas em público.

Os juízes, por uma votação de 7-2, deixaram toda a lei intacta ao decidir que o Texas, outros estados liderados pelo Partido Republicano e dois indivíduos não tinham o direito de entrar com o processo no tribunal federal.

Por Yesica Fisch, Associated Press

Gbagbo foi extraditado para o Tribunal Penal Internacional de Haia em 2011 e passou oito anos aguardando julgamento por crimes de guerra. Um juiz o absolveu em 2019, dizendo que os promotores não conseguiram provar seu caso.

Por Marcy Gordon, Associated Press

O presidente Joe Biden instalou um crítico enérgico da Big Tech como principal regulador federal em um momento em que o setor está sob intensa pressão do Congresso, de reguladores e de procuradores-gerais estaduais.

Por Jay Reeves, Michael Kunzelman, Associated Press

A proposta surge em meio a questões persistentes sobre a resposta do governo à crise e a origem do vírus que matou mais de 600.000 americanos.


A eleição de 2020 teve a maior participação eleitoral da história moderna

A projeção de 161 milhões de americanos votou na eleição presidencial.

Um número recorde de americanos votou na corrida presidencial deste ano entre o presidente Donald Trump e o agora presidente eleito Joe Biden. Biden acaba de ganhar a presidência com mais de 74,4 milhões de votos, e muitos ainda estão sendo contados. O ex-vice-presidente obteve mais votos do que qualquer candidato presidencial na história americana.

Para ambos os partidos, a participação eleitoral foi recorde. De acordo com a Bloomberg, pelo menos 161 milhões de americanos votaram na eleição de 2020, o maior número de eleitores em uma eleição presidencial dos EUA na história.

Embora mais pessoas tenham votado do que em qualquer outro momento da história americana, em termos percentuais, esse número não bate recordes. Dado que cerca de 239,2 milhões de americanos estavam qualificados para votar em 2020, o número projetado de eleitores nos leva a uma taxa de participação de 66,8%. Isso faz de 2020 o ano com a maior participação eleitoral desde 1900, quando o republicano William McKinley venceu a reeleição com 73,7% de participação.

O maior comparecimento eleitoral da história foi em 1876, quando 82,6% dos eleitores elegíveis votaram na disputa entre o republicano Rutherford Hayes e o democrata Samuel Tilden. Hayes acabou conquistando a presidência em uma eleição disputada e acirrada.

Esses números históricos têm uma ressalva, no entanto, dado que muitos segmentos da população foram excluídos do processo eleitoral. Durante grande parte da história americana, apenas homens brancos podiam votar. Embora a eleição de 1876 incluísse homens brancos e negros, os números poderiam ter sido ainda maiores sem a imensa repressão aos eleitores dos negros americanos, e as mulheres ainda não podiam votar.

Quanto à história moderna, os números de 2020 superaram os das recentes eleições presidenciais. Na disputa de 2016 entre a ex-secretária de Estado Hillary Clinton e o então candidato Donald Trump, a taxa de participação foi de 60,2%. Quanto ao mandato do presidente Barack Obama, em 2008, quando concorreu ao senador John McCain, a participação foi de 62,2%. Em 2012, contra o senador Mitt Romney, a participação foi menor, de 58,6%.

Parte da alta participação deste ano pode ser atribuída à expansão do acesso a cédulas de correio e votação antecipada, com muitos estados mudando suas políticas devido à pandemia do coronavírus. Mais de 100 milhões de votos foram lançados durante o período de votação inicial, um grande aumento em relação aos anos anteriores.


V-Dem: Padrões Globais, Conhecimento Local

Varieties of Democracy (V-Dem) é uma nova abordagem para conceituar e medir a democracia. Fornecemos um conjunto de dados multidimensional e desagregado que reflete a complexidade do conceito de democracia como um sistema de governo que vai além da simples presença de eleições. O projeto V-Dem distingue cinco princípios de democracia de alto nível: eleitoral, liberal, participativo, deliberativo e igualitário, e coleta dados para medir esses princípios.

Somos uma equipe de mais de 50 cientistas sociais em seis continentes. Trabalhamos com mais de 3.500 especialistas nacionais e um Conselho Consultivo Internacional verdadeiramente global. Leia mais sobre o trabalho que fazemos aqui.

Principais descobertas:

  • O declínio global durante os últimos 10 anos é acentuado e continua em 2020, especialmente na região da Ásia-Pacífico, Ásia Central, Europa Oriental e América Latina.
  • O nível de democracia desfrutado pelo cidadão médio global em 2020 caiu para os níveis encontrados pela última vez por volta de 1990.
  • A autocracia eleitoral continua sendo o tipo de regime mais comum. Junto com autocracias fechadas, eles somam 87 estados, onde vivem 68% da população mundial.
  • A maior democracia do mundo se transformou em uma autocracia eleitoral: a Índia com 1,37 bilhão de cidadãos.
  • As democracias liberais diminuíram na última década, de 41 para 32 países, com uma parcela da população de apenas 14%.
Gráfico da semana Novas ferramentas de gráficos PART Forecasting Tool DemSpace Forecasting Tool Gráfico de variáveis ​​do painel PanDem V-Dem Dataset Versão 11.1 Download V-Dem Dataset v11.1 Download V-Party Dataset Download PanDem Dataset Download ERT Dataset

O que é Shmita, o ano sabático?

Compostagem: uma prática judaica?

My Jewish Learning não tem fins lucrativos e depende da sua ajuda

Ano sabático

O sétimo ano, durante o qual os campos deveriam ser deixados em pousio (Levítico 25: 1-7) e dívidas liberadas (Deuteronômio 15: 1-11) [é chamado em] hebraico Shemitá (& ldquoRelease & rdquo). Os sete anos são contados no ciclo de cinquenta que culminam no Jubileu [ver abaixo] e são conhecidos pela tradição. O ano 2000/1, por exemplo, [foi] um ano sabático. Para evitar o cancelamento de todas as dívidas, uma séria dificuldade em nossa sociedade comercial, o dispositivo foi introduzido mesmo em tempos talmúdicos de entregar as dívidas antes do final do ano sabático, a um tribunal temporário composto por três pessoas, as dívidas sendo então considerado como tendo sido pago ao tribunal antecipadamente.

O problema do trabalho agrícola no ano sabático não surgiu nos tempos modernos até que, sob o impacto do sionismo, colônias foram estabelecidas na Palestina. É uma grande dificuldade agora que o Estado de Israel foi estabelecido. Os mais ortodoxos observam as leis do ano sabático, usando apenas produtos agrícolas comprados dos árabes [ou importados].

Mas outros rabinos ortodoxos tentaram encontrar uma dispensa observando que, de acordo com muitas autoridades, o ano sabático é, como o ano do jubileu, obrigatório pela lei bíblica apenas quando a maioria dos judeus vive na terra de Israel. (Essas leis não se aplicam a fazendas pertencentes a judeus fora de Israel.) As leis agora são rabínicas [ou seja, tendo apenas a autoridade da legislação rabínica, não da lei bíblica], de modo que é mais fácil encontrar uma dispensa. Além disso, há dúvidas consideráveis ​​se a identificação atual dos anos sabáticos está correta e se a contagem começa novamente no ano do jubileu, o quinquagésimo, ou no ano seguinte, o quinquagésimo primeiro após o ciclo anterior.

Por tudo isso e pela grande dificuldade em guardar a lei, o Rabinato oficial em Israel adota a ficção legal de vender a terra a um gentio na analogia da venda de fermento antes da Páscoa. Muitos sentiram, entretanto, que, embora as ficções legais tenham seu lugar na lei judaica, parece mais do que um pouco absurdo efetuar uma venda meramente formal de todas as terras judaicas para um gentio. Alguns kibutzim religiosos recorrem ao novo método científico da hidroponia para evitar a proibição e doam parte de seus rendimentos durante o ano sabático para instituições de caridade. Em qualquer caso, o trabalho não agrícola é permitido no ano sabático, que é chamado de & ldquothe sábado da terra. & Rdquo

Jubileu

[Jubileu é] a instituição descrita no livro de Levítico (25: 8-24), onde é afirmado que uma série de quarenta e nove anos [deveria] ser contada (há considerável incerteza quanto à data de quando a contagem está para começar, mas tradicionalmente é desde a criação do mundo) e a cada quinquagésimo ano declarava um ano especial durante o qual não deveria haver trabalho agrícola, todas as propriedades fundiárias deviam ser revertidas ao seu dono original e os escravos deviam ser libertados. O nome Jubileu vem da palavra hebraica yovel, & ldquoram & rsquos chifre & rdquo o ano sendo assim chamado porque um chifre de carneiro foi soado quando foi proclamado (Levítico 25: 9). Visto que este versículo diz: & ldquo [Proclame a liberdade] em toda a terra para todos os seus habitantes, & rdquo a visão talmúdica é que o Jubileu não foi observado durante o período do Segundo Templo porque a maioria dos judeus não vivia mais na terra de Israel.

Reproduzido com permissão de A religião judaica: um companheiro, publicado pela Oxford University Press.


Conteúdo

Eleição primária

As primárias partidárias são realizadas se apenas um candidato se candidatar a uma posição. Para avançar para a eleição geral, um candidato deve obter a maioria (mais de 50 por cento) dos votos. Se nenhum candidato em uma disputa ganha a maioria - como nos casos em que mais de dois candidatos estão competindo por uma vaga - um segundo turno é realizado entre os dois primeiros candidatos. & # 911 & # 93 & # 912 & # 93

Embora o Texas tenha oficialmente encerrado as primárias (exigindo que os eleitores declarem a filiação partidária com antecedência para participar), as primárias do estado são funcionalmente aberto: qualquer eleitor registrado pode votar nas primárias de qualquer partido se não tiver votado nas primárias de outro partido. As eleições estão encerradas, no entanto, os eleitores não podem participar nos procedimentos (segundo turno das primárias ou convenção) de outro partido a partir daí. & # 911 e # 93

Eleições gerais

Os candidatos vencedores das primárias de cada partido principal, bem como quaisquer candidatos adicionais de partidos menores, competem em uma eleição geral na primeira terça-feira após a primeira segunda-feira de novembro. Se um candidato não tiver oposição nas eleições gerais, seu nome ainda aparecerá na cédula da eleição geral. & # 911 & # 93 & # 913 & # 93


Jonas seguiu o mesmo caminho que Jesus seguirá

Os homens de Nínive serão ressuscitados com esta geração

Por Craig C. White

Você pode citar um profeta hebreu que foi enviado a outra nação além de Israel? Eu posso. Ele é o Profeta Jonas. Jonas foi enviado aos assírios na antiga cidade de Nínive. Os assírios eram os piores canalhas do velho mundo. Os assírios fizeram coisas indizíveis aos seus inimigos. A cidade de Nínive era a capital do antigo Império Assírio. Hoje, as ruínas de Nínive estão dentro das fronteiras de Mosul, no norte do Iraque. Mosul é a cidade natal e a sede do ISIS. Muitas das coisas horríveis que o EI fez foram aprendidas com seus antepassados ​​assírios. Hoje o ISIS no norte do Iraque é um estado assírio revivido. Não é de se admirar por que Jonas não queria ir para Nínive.

Então Deus enviou Jonas aos assírios em Nínive. Os assírios representavam o pior entre as nações gentias. Jonas alertou Nínive para se arrepender ou Deus destruiria sua cidade. Os assírios em Nínive se arrependeram, mas vários anos depois atacaram Israel e levaram cativos. Um desses cativos foi o Profeta Nahum. Nahum também tinha uma mensagem para Nínive.

Tanto Jonas quanto Naum profetizaram contra a mesma cidade de Nínive, mas suas missões eram diferentes. Jonas pregou arrependimento aos gentios que viviam em Nínive, enquanto Naum consolava a nação de Israel. Os assírios capturaram os judeus e os trouxeram para Nínive. Naum garantiu a Israel que seus captores logo seriam derrotados.

O livro de Naum é principalmente sobre a inundação e destruição da antiga Nínive. Em 612 aC, os babilônios lideraram um cerco a Nínive. Nínive foi talvez a maior cidade fortificada do mundo antigo. Nínive era cercada por muros de quinze metros de altura e estava situada às margens do rio Tigre. Depois que Deus enviou chuvas torrenciais que encheram o rio Tigre e erodiram os alicerces das muralhas da cidade, os babilônios, medos e persas puderam entrar em Nínive e saquea-la até que não restasse nada.

Agora vou lhe dizer que muitas das mesmas coisas que Nahum previu que aconteceriam há muito tempo em Nínive, aconteceram recentemente de novo em Mosul. Lembre-se de que Mosul, no norte do Iraque, é Nínive. Os mesmos três exércitos que destruíram a antiga Nínive agora também derrotaram o ISIS em Mosul. Acho que as previsões de Nahum também se aplicam hoje.

O livro de Nahum também contém outra história que foi quase completamente esquecida até agora. O primeiro capítulo de Nahum descreve Jesus Cristo quando ele vem em um redemoinho de fogo para as Colinas de Golã. As Colinas de Golan separam o norte de Israel da Síria e do Líbano. No livro de Naum, Deus primeiro queima as Colinas de Golã com o calor de sua vinda, e então ele destrói Nínive com uma inundação de água. Em 612 aC, Deus destruiu a antiga Nínive com um dilúvio, mas, por favor, observe que Deus nunca antes queimou as colinas de Golã com um redemoinho de fogo. Isso me leva a suspeitar que o livro de Nahum está prevendo eventos futuros. Meus queridos amigos, acho que Jesus Cristo virá às Colinas de Golã em um redemoinho de fogo até as Colinas de Golã e depois viajará para o norte do Iraque para inundar Mosul. Essas coisas acontecerão quando Jesus retornar para ressuscitar e arrebatar sua Igreja!

No primeiro capítulo de Naum, ele nos diz que Deus julgará os ímpios. Nahum continua descrevendo Jesus Cristo quando ele vem em um redemoinho pelo norte de Israel, sul da Síria e sul do Líbano (Basã, Carmelo e Líbano). Este é o mesmo caminho que Jonas seguiu após ser libertado do mar.

Naum 1: 3-7 O Senhor é tardio em irar-se e grande em poder; de maneira nenhuma absolverá o ímpio; o Senhor tem o seu caminho no redemoinho e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés. 4 Ele repreende o mar, e o faz secar, e esgota todos os rios; enfraquecem Basã e o Carmelo, e murcha a flor do Líbano. 5 As montanhas tremem com ele, e as colinas derretem, e a terra é queimada em sua presença, sim, o mundo e todos os que nele habitam. 6 Quem pode resistir à sua indignação? e quem pode permanecer na ferocidade de sua raiva? sua fúria é derramada como fogo, e as pedras são derrubadas por ele. 7 The LORD is good, a strong hold in the day of trouble and he knoweth them that trust in him.

Nahum tells us that Jesus will fight on the Golan Heights. In Nahum verse 7 it says that God will protect believers in that day of trouble. Could this be telling us that the Resurrection and Rapture will happen when Jesus returns to the Golan Heights to repel Israel’s enemies?

Jonah was living in northwestern Israel when God commanded him to go to Nineveh. But Jonah refused to go. Instead he boarded the first boat headed for the nearby Island fortress of Tarshish. Jonah was trying to hide from God. Tarshish was located just one mile off of the shore of Tyre in southern Lebanon (Isaiah 23:10). You probably know the rest of the story. Jonah was swallowed by a great fish and spit out on dry land somewhere between Joppa and his desired destination of Tarshish. Jonah began his trip to Nineveh from the Mediterranean seacoast somewhere between northern Israel and southern Lebanon. That puts him right at the Golan Heights! Amazingly the events that are described in the book of Nahum follow the same path that Jonah traveled on his way to Nineveh. I think that Jesus will follow this same path when he returns. Jesus will fight against a Turkish led invasion on the Golan Heights and then travel eastward towards Mosul to wipe out one last ISIS uprising in Mosul. Jesus will gather Christians at that same time.

Why do I think that Turkey will invade the Golan Heights? There are three reasons. 1) Ezekiel chapter 38 describes a Turkish led invasion into Israel. 2) Every nation that is listed in Ezekiel chapter 38 is fighting in Syria. 3) Turkish President Erdogan has called on the Islamic nations to take the Golan Heights away from Israel. I think that Turkey will destroy Damascus and then lead the forces that are now fighting in Syria into northern Israel just thirty miles away.

Read Jonah chapter 2 below. This describes Jonah’s trial as he sunk to the depths of the sea while inside of a great fish. These verses are repeated in several Psalms. They also describe Jesus Christ’s descent into the depths of the earth at his death. Jonah illustrates the death, burial, and resurrection of the believer.

Jonah 2:1-10 Then Jonah prayed unto the LORD his God out of the fish’s belly, 2 And said, I cried by reason of mine affliction unto the LORD, and he heard me out of the belly of hell cried I, and thou heardest my voice. 3 For thou hadst cast me into the deep, in the midst of the seas and the floods compassed me about: all thy billows and thy waves passed over me. 4 Then I said, I am cast out of thy sight yet I will look again toward thy holy temple. 5 The waters compassed me about, even to the soul: the depth closed me round about, the weeds were wrapped about my head. 6 I went down to the bottoms of the mountains the earth with her bars was about me for ever: yet hast thou brought up my life from corruption, O LORD my God. 7 When my soul fainted within me I remembered the LORD: and my prayer came in unto thee, into thine holy temple. 8 They that observe lying vanities forsake their own mercy. 9 But I will sacrifice unto thee with the voice of thanksgiving I will pay that that I have vowed. Salvation is of the LORD. 10 And the LORD spake unto the fish, and it vomited out Jonah upon the dry land.

The book of Jonah points to the resurrection of Jesus Christ and also to the resurrection of every believer. The resurrection of Church age Christians happens on one particular day. I think that Jonah is telling us when. It will be when Jesus returns to repel Israel’s enemies on the Golan Heights and then travels eastward to Mosul to destroy it with a flood.

Now look at Matthew chapter 12. Jesus promised to give Israel one sign that he was truly their Messiah. Jesus would give them the sign of Jonah. In verse 41 Jesus points to the day that the men of Nineveh would rise from the dead. So the resurrection of Gentiles will be a sign to Israel that Jesus has power over death. Like the book of Jonah the sign of Jonah also directs us to the day of resurrection.

Matthew 12:38-41 Then certain of the scribes and of the Pharisees answered, saying, Master, we would see a sign from thee. 39 But he answered and said unto them, An evil and adulterous generation seeketh after a sign and there shall no sign be given to it, but the sign of the prophet Jonas: 40 For as Jonas was three days and three nights in the whale’s belly so shall the Son of man be three days and three nights in the heart of the earth. 41 The men of Nineveh shall rise in judgment with this generation, and shall condemn it: because they repented at the preaching of Jonas and, behold, a greater than Jonas is here.

Since the resurrection of Gentiles is embodied in the sign of Jonah and is illustrated by the city of Nineveh, then we should probably look to Nineveh concerning our own resurrection. Jonah and the book of Nahum both follow the same path. They start at the Mediterranean Sea. Then they travel across northern Israel to Nineveh in northern Iraq. This could be the same path that Jesus will follow when he returns for his Church. I think that the Resurrection will happen when Jesus returns to judge Nineveh (which is modern day Mosul). According to Nahum chapter 1 the flooding of Mosul is preceded by God as he comes in a whirlwind of fire to the Golan Heights. It seems that today the Turkish Army is headed towards the Golan Heights by way of Damascus.


New Jersey Division of Elections

O HON. Tahesha Way, Secretary of State

11/5 Reports of Robo-calls Directing Voters to Incorrect Polling Locations

Some counties in NJ have received reports of robo-calls directing voters to incorrect polling locations. We are advising all voters to check authorized State and county web sites for the correct information.

You can look your polling location up on the Division of Elections website at https://voter.njsvrs.com/elections/polling-lookup.html

Information for the NJ Voter about the upcoming elections.

Voter Registration Deadline for the General Election is October 12th

Tendendo

THIS NOTICE WILL BE UPDATED AS NEEDED.

Electronic Poll Book Certification

Information and applications for Electronic Poll Book Certification.

Candidate Petition Filing

Pursuant to Executive Order 216 (2021), as a measure to mitigate the spread of COVID-19, candidates can file their nominating petitions electronically. It is encouraged that nominating petitions be filed electronically rather than in-person. Petitions can be filed electronically 7 days a week, 24 hours a day with the exception of 4 p.m. on the petition filing deadline. Independent candidate petitions for Governor of the State of New Jersey, N.J. State Senate- all 40 Legislative Districts and N.J. General Assembly- all 40 Legislative Districts must be received by 4:00 p.m. on June 8, 2021.

If you do not have the capability to file your nominating petition electronically you can file in-person. PLEASE BE ADVISED: State Buildings are currently closed to the Public. As a result of the public not being allowed in State buildings, petitions being submitted in person require a petition filing appointment. Appointments are available now. Walk-ins will only be permitted on petition filing deadline day. However, candidates with appointments will be serviced first.

We suggest filing your petition as early as possible!

09/08/20 - Press Release New Jersey Launches Online Voter Registration

This week, New Jersey’s Division of Elections launched the state’s first online voter registration tool.


SC General Election

South Carolina's general election will be held November 3, 2020.

We are unable to cover city and town-level elections at this time. However, you can visit the SC Election Commission Candidate Tracking System to find out who has filed for municipal elections.

Local Offices

    - features candidate websites - includes school board, water commissions, and special district elections
    - calendar of SC city and town elections

State Offices

    - next election 2022 - next election 2022 - Governor, Lt Governor, Secretary of State, Attorney General, Superintendent of Education, Treasurer, and Comptroller

Federal Offices

South Carolina Constitutional Amendment


8 predictions of Nostradamus for 2021

(ORDO NEWS) &mdash After the 2020 coronavirus pandemic and various cataclysms, it is difficult to surprise humanity with something. But Nostradamus claims that the most significant events that will forever change the planet are still ahead.

Nostradamus is perhaps the most famous prophet in human history. His predictions are written in the form of quatrain verses (quatrains), and many of them have already come true.

There have been many predictions about the future this year that are believed to belong to the great Nostradamus. Here are 8 of his prophecies for 2021.

1. Zombie apocalypse

A Russian scientist will create a biological weapon-virus that can turn people into zombies. The end of humanity may be closer than we think

2. Biblical famine

Nostradamus predicts that the first signs of the end of the world will be hunger, earthquakes, various diseases and epidemics. They will happen more often. The 2020 coronavirus pandemic marks the beginning of a series of adverse events that will affect populations around the world. A catastrophe of immense proportions will return us to the past, and most of the world&rsquos population will not be able to overcome this curse.

3. Muslims will take over Europe

The &ldquocamel&rdquo from the prophecies of Nostradamus is a symbol of the Arab population that floods all of Europe. It is unclear whether 2021 will see a new wave of emigration, or demographic projections of low fertility in Europe and large numbers of refugees will catalyze this change.

4. Solar storms

In 2021, there will be powerful solar storms that can cause great damage to the planet. It is believed that Nostradamus warned: &ldquoWe will see how the water rises, and the earth hides under it.&rdquo The harmful effects of climate change will lead to many wars and conflicts as the world competes for resources and massive migration ensues.

5. The asteroid will collide with the Earth or come close to it

&ldquoIn the sky, a person will see fire and a long trail of sparks.&rdquo This can be interpreted as impending natural disasters, but according to other interpretations of this quatrain, we are talking about a large asteroid that will collide with Earth. Once in the Earth&rsquos atmosphere, the asteroid will heat up and appear to be on fire in the sky. Indeed, NASA has announced that there is a very real danger that asteroid 2009 KF1 will collide with Earth on May 6, 2021.

6. A terrible earthquake will destroy California

According to the interpretation of the quatrain, written by Nostradamus, an extremely powerful earthquake will destroy California in 2021. Nostradamus predicts that a massive earthquake will hit the New World (&ldquowestern lands&rdquo), and California is the most obvious place where it could happen. According to astrologers, the verse &ldquoMercury in Sagittarius, Saturn is extinguished&rdquo indicates the next date when the planets Mars and Saturn will be in this position in the sky &ndash November 25, 2021.

7. Chips will be implanted into the heads of American soldiers

American soldiers will be the first human robots to save humanity. The chip implanted in his brain should give us the digital intelligence we need to go beyond biology.

8. Pope Francis will bring people closer to the church

No matter how many years Pope Francis remains the leader of the Catholic Church, he will leave a wonderful and impressive legacy in his wake. The church will become a lifeboat for more and more people.