Sapo matilda

Sapo matilda

Sapo matilda

O Matilda Frog era um tanque lança-chamas produzido na Austrália, em torno do tanque de infantaria A12 Matilda Mk II.

Os australianos produziram várias versões especializadas do Matilda, sob a designação geral de 'Equipamento de Circo'. Os tanques de lança-chamas europeus padrão, com um contêiner de combustível separado rebocado atrás do tanque, não eram adequados para uso na selva. O 'Sapo', portanto, carregava o projetor de chamas e 80 galões de combustível dentro da torre, junto com um único membro da tripulação.

Mais combustível foi transportado em tanques espalhados pelo veículo - 100 galões em um tanque externo na parte traseira do tanque, capaz de ser descartado, 30 galões no espaço normalmente usado pelos armários de ferramentas e 32 galões em quatro tanques na lateral do tanque, para um total de 242 galões. O projetor de chamas usava Geletrol, um combustível de chama espesso. Cada explosão consumiu 10 galões de combustível, e o combustível teve que ser transferido para o tanque da torre assim que ele estivesse vazio.

O lança-chamas substituiu o canhão principal no Matilda Mk IV ou no Matilda Mk V. Ele foi projetado para se parecer com o obus de 3 polegadas usado em alguns Mk IVs, em uma tentativa de fazer com que se destaque menos. A arma tinha um alcance de 80-100 jardas. Um problema era que ele usava um sistema de pressão de gás para alimentar o jato da chama e demorava 20 segundos para bombear o sistema entre os disparos.

Vinte e cinco sapos Matilda foram convertidos no final de 1944. O sapo Matilda foi usado operacionalmente em Bornéu, onde foi considerado um sucesso. Foi produzida uma versão usando cordite em vez da pressão de gás, como o Matilda Murray, mas chegou tarde demais para ver serviço ativo.


DLTK & # 39s Fairy Tale Activities A princesa e o Sapo

© Escrito por Tasha Guenther e ilustrado por Leanne Guenther - baseado no conto de fadas alemão coletado pela primeira vez pelos Irmãos Grimm

Era uma vez uma princesa. Ela não era uma princesa comum, no entanto. Esta princesa adorava brincar sozinha nos jardins do palácio enquanto ela jogava sua bola dourada radiante favorita.

Agora, o problema de jogar sozinho era que ninguém estava lá para pegar a bola se ela a jogasse muito alto. Um dia, enquanto corria em volta de lírios, margaridas, sebes e rosas, ela jogou a bola mais alto do que antes.

Sua linda bola dourada havia caído bem em um pequeno lago próximo! Ela correu até o lago e observou com tristeza enquanto a esfera dourada afundava cada vez mais na água. A princesa olhou para seu vestido. Ela estava usando seu vestido dourado favorito, os brilhos e joias na frente do vestido brilhante eram raros e ela estava com medo de que se entrasse na água ela destruiria sua roupa. Frustrada com sua situação, a princesa começou a chorar.

De repente, a princesa ouviu um barulho estranho vindo do meio da água. Saltar! Saltar!

"Você não sabe nadar?" perguntou um pequeno sapo. Saltar! A princesa ergueu os olhos e franziu o rosto ao ver a criatura verde sentada no nenúfar.

“Bem, por que você não entra?” ele perguntou.

“Eu não quero estragar meu lindo vestido dourado!” A princesa respondeu, revirando os olhos para o sapo.

“Bem, suponho que posso conseguir para você. ”O sapo começou.

"Você pode? Oh! Por favor faça! Por favor faça!" ela chorou.

Mas antes de pular na água, o sapo se virou para ela e perguntou:

"O que você vai me dar em troca por pegar sua bola de ouro?"

"Oh! Você pode ter qualquer coisa que desejar! ” a princesa respondeu, impaciente para jogar novamente.

“O que eu gostaria é de um amigo. Isso é tudo. Um amigo para ficar comigo, para jantar comigo, para ler para mim, para dormir ao meu lado e para me dar um beijo de boa noite! ” disse o sapo.

"Nada! Nada!" a princesa chorou.

E com isso, o pequeno sapo verde pulou na água e recuperou a bola de ouro da Princesa & # 39. No minuto em que ele a entregou, a garota correu rindo e jogando sua amada bola no ar, ela havia se esquecido completamente do sapo.

No jantar, a menina sentou-se à mesa com seu pai, o rei. Antes que qualquer um deles pudesse dar uma mordida, houve uma pequena batida na porta. O rei se levantou e foi abri-lo. Saltar! Saltar! Saltar! O pequeno sapo verde entrou.

"Eu vim jantar com você, princesa!" o sapo disse feliz, pulando na mesa. A princesa agarrou delicadamente o sapo e o colocou do lado de fora da porta.

Ela girou o calcanhar e sentou-se em seu lugar mais uma vez, ignorando o olhar desconfiado do rei.

"E quem era aquele, princesa?" Ele perguntou a ela.

O olhar severo de seu pai a fez ficar vermelha de vergonha. Ela disse a ele que havia prometido ao sapo que passaria um tempo com ele, e jantaria com ele, e leria para ele, e o deixaria dormir com ela, e lhe daria um beijo de boa noite.

“Mas eu não quero sair com ele. Ele é nojento! ” ela continuou.

“Uma promessa é uma promessa, princesa. Devemos sempre cumprir nossas promessas ”, disse o rei sabiamente. Com isso, a garota arrastou-se lentamente até a porta e a abriu.

O sapo jantou com ela e depois seguiu a princesa até seu quarto, onde ela começou a ler.

"O que você está lendo?" ele perguntou tentando espiar por cima do ombro dela para ver.

"Nada", ela respondeu encolhendo os ombros.

Infelizmente, a rã saltou para a cama e sentou-se no travesseiro. Antes que ele pudesse ficar confortável, a princesa correu até ele, pegou-o e colocou-o perto da janela.

"Mas você prometeu!" ele chorou.

Ela suspirou e o levou de volta para a cama. Ela leu para ele uma história de ninar e, surpreendentemente, o sapo era muito inteligente e engraçado. Ela realmente gostava de sua companhia.

Na hora de dormir, o sapo pediu um beijo na hora de dormir. Ela recusou, franzindo o rosto mais uma vez ao ver a criatura verde diante dela.

A princesa apagou a luz e tentou dormir. De repente, ela ouviu sons de choro. Ela acendeu a luz novamente para ver o sapo ao lado dela, enxugando as lágrimas de seus olhos.

Ela foi atingida por uma onda de culpa por fazer o pobre sapo chorar. Ela o acomodou na cama ao lado dela e o beijou suavemente.

De repente, o pequeno sapo verde se transformou em um belo jovem príncipe bem diante de seus olhos, ela saltou para trás com surpresa. O Príncipe informou a ela que uma bruxa malvada colocou um feitiço nele e apenas um beijo poderia devolvê-lo ao seu estado original. Acontece que a princesa foi a primeira a quebrar o feitiço.

Depois disso, o príncipe e a princesa puderam brincar juntos nos jardins do palácio. A princesa estava mais feliz do que nunca por ter um companheiro de brincadeira e, sempre que ela acidentalmente jogava a bola muito alto para o alto, ficava em êxtase por ter um companheiro para ir buscá-la para ela.


Esta aventura não é apenas um hobby para os Ollingers, eles estão dentro. Na verdade, Chad vendeu seu negócio de pulverização de grãos e sua casa no Texas para se mudar para Utah na esperança de descobrir um tesouro perdido. Algumas pessoas podem pensar que isso é um pouco extremo, mas mostra o quão dedicados eles são e o quão seriamente estão dispostos a levar este projeto.

Blind Frog Ranch tem uma história longa e assustadora, e não é algo com que muitas pessoas se sintam confortáveis ​​em mexer nele. Quando perguntado se eles encontraram algum local que está exatamente empolgado com seu projeto, Chad disse ao programa de TV Ace, & # 8220 isso é o que ouvimos da maioria das pessoas com quem conversamos, sejam nativos americanos ou apenas uma cidade local pessoas gostam disso. Eles estão muito hesitantes e preocupados com o que estamos fazendo. Sem dúvida. & # 8221


Matilda (1996)

Narrador: Todos nascem, mas nem todos nascem iguais.

Alguns se tornarão açougueiros, padeiros ou fabricantes de castiçais.

Alguns só serão realmente bons em fazer salada de gelatina.

De uma forma ou de outra, porém, cada ser humano é único, para melhor ou para pior.

A maioria dos pais acredita que seus filhos são as criaturas mais bonitas que já enfeitaram o planeta.

Outros adotam uma abordagem menos emocional.

Harry: Que perda de tempo!

Harry: E caro. $ 9,25 por uma barra de sabão?

Zinnia: Bem, eu tive que tomar um banho, Harry!

Harry: $ 5.000? Eu não estou pagando! O que eles vão fazer, retomar a posse da criança?

Família Matilda

Narrador: Harry e Zinnia Absinto viviam em um bairro muito legal, em uma casa muito bonita, mas eles não eram pessoas muito legais.

Os absinto estavam tão envolvidos em suas próprias vidas idiotas que mal perceberam que tinham uma filha. Se eles tivessem prestado atenção nela, teriam percebido que ela era uma criança extraordinária.

Zinnia: Oh, meu Deus, Matilda. Agora veja o que você fez!

Narrador: Eles a chamaram de Matilda.

Zinnia: Você deveria comer espinafre. Ooo. Ooo. Ooo. Ooo.

Bebês. É melhor você criar tomates.

Narrador: Quando tinha dois anos, Matilda tinha aprendido o que a maioria das pessoas aprende no início dos anos 30 como cuidar de si mesma.

Com o passar do tempo, ela desenvolveu um senso de estilo. Todas as manhãs, o irmão mais velho de Matilda, Michael, ia para a escola. Seu pai foi trabalhar vendendo carros usados ​​por preços injustos e sua mãe saiu para jogar bingo.

Zinnia: A sopa está no fogão. Aqueça se ficar com fome.

Narrador: Matilda foi deixada sozinha. Era assim que ela gostava.

O leitor de livros

Narrador: Quando tinha quatro anos, Matilda lia todas as revistas da casa. Uma noite, ela criou coragem e pediu ao pai algo que ela queria desesperadamente.

Harry: Um livro? Para que você quer um livro?

Harry: Para ler? Por que você gostaria de ler quando tem a televisão bem na sua frente?

Não há nada que você possa obter de um livro que não possa obter de uma televisão mais rápido.

Michael: Sai da frente!

Narrador: Matilda já sabia que era um pouco diferente de sua família. Ela viu que tudo o que ela precisava neste mundo, ela teria que conseguir.

Zinnia: Tem dedos de peixe no micro-ondas.

Narrador: Na manhã seguinte, depois que seus pais foram embora, ela saiu em busca de um livro.

Matilda: Onde estão os livros infantis, por favor?

Bibliotecário: Bem ali. Gostaria que eu escolhesse um com várias fotos?

Matilda: Não, obrigada. Tenho certeza que posso administrar.

Narrador: A partir daí, todos os dias, assim que a mãe ia ao bingo, Matilda caminhava os dez quarteirões até a biblioteca e devorava um livro após o outro.

Narrador: Quando ela terminou todos os livros infantis, ela começou a vagar em busca de outra coisa. A Sra. Phelps, que a observava com fascinação nas últimas semanas, ofereceu a Matilda algumas informações valiosas sobre a biblioteca.

Bibliotecário: Você sabe, você pode ter seu próprio cartão da biblioteca, e então você pode levar os livros para casa, e você não terá que andar aqui todos os dias. Você pode levar para casa quantos quiser.

Matilda: Isso seria maravilhoso.

Narrador: Então, a mente jovem e forte de Matilda continuou a crescer, alimentada pelas vozes de todos aqueles autores que enviaram seus livros ao mundo, como navios no mar. Esses livros deram a Matilda uma mensagem de esperança e consolo de que você não está sozinho.

Harry: Algum pacote chegou hoje?

De onde veio tudo isso?

Harry: A biblioteca? Você nunca pôs os pés em uma biblioteca. Você só tem quatro anos.

Harry: Se você tivesse seis anos e meio, já estaria na escola.

Matilda: Eu quero ir para a escola. Eu disse que deveria começar a escola em setembro. Você não quis ouvir.

Harry: Levanta-te, levanta-te, sai daqui, dá-me aquele livro.

Querida torta, quantos anos Matilda tem?

Matilda: Tenho seis anos e meio, mamãe!

Matilda: Eu tinha seis anos em agosto.

Matilda: Eu quero ir para a escola.

Harry: Escola? Está fora de questão. Quem estaria aqui para assinar os pacotes? Não podemos deixar valiosos

pacotes parados na porta. Agora vá assistir TV como um bom garoto.

Zinnia: Sabe, às vezes acho que há algo errado com aquela garota.

Harry: Hmph, me fale sobre isso.

Michael: Ei, dipface, coma um marshmallow. Coma outro marshmallow, dipface!

Narrador: Às vezes, Matilda ansiava por um amigo como os de seu livro, alguém como as pessoas amáveis ​​e corajosas de seus livros. Ocorreu a ela que, assim como dragões falantes e princesas com cabelo comprido o suficiente para escalar, essas pessoas podem existir apenas em livros de histórias.

Mas Matilda estava prestes a descobrir que ela poderia ser sua própria amiga, Que ela tinha um tipo de força da qual ela nem estava ciente.

Harry: Estou ótimo. Eu sou incrível.

Michael! Lápis e papel, na cozinha.

Zinnia: Vendemos alguns carros hoje?

Zinnia: Isso significa que podemos comprar aquela TV nova?

Harry: Sim. … Filho, um dia você vai ter que aprender a viver por conta própria. É hora de você aprender os negócios da família. Sentar-se. Certo.

Tudo bem. O primeiro carro que seu pai brilhante vendeu custou $ 320. Eu o vendi por $ 1.158. O segundo custou $ 512. Eu o vendi por $ 2.269.

Michael: Espere, pai. Você está indo rápido demais.

Harry: Apenas escreva. O terceiro custou $ 68. Vendi por $ 999. E o quarto custou $ 1.100, e eu o vendi por 7.839 grandes boffos americanos.

Qual foi o meu lucro do dia?

Michael: Você poderia repetir o último?

Matilda: $ 10.265… .. Verifique se você não acredita em mim.

Harry: Você é um trapaceiro. Você viu o jornal.

Matilda: De todo o caminho até aqui?

Harry: Você está sendo inteligente comigo? Se você está sendo inteligente comigo, jovem, você vai ser

Matilda: Punido por ser inteligente?

Harry: Por ser um espertinho! Quando uma pessoa é má, essa pessoa tem que aprender uma lição!

Narrador: Harry Wormwood, sem querer, deu à filha o primeiro conselho prático que ela poderia usar.

Ele queria dizer: "Quando uma criança é má". Em vez disso, ele disse: "Quando uma pessoa é má". E assim introduziu uma ideia revolucionária: que as crianças só podiam punir os pais quando merecessem, é claro.

Harry: Michael, entre no meu quarto.

Harry: Meu garoto. Hoje é o dia em que te levo à loja. O que você disse?

Michael: Não sei. O que você diz, pai?

Harry: Eu digo que a aparência é nove décimos da lei. As pessoas não compram um carro. Eles me compram. É por isso que cuido tão bem de mim mesma. & # 160 Cabelo bem oleado. Barbeado limpo. Terno Snappy.

Agora corra e se prepare para um grande dia de aprendizado, garoto. E também vai ser um grande dia de aprendizado. & # 160 A cada minuto nasce um otário, e vamos aceitá-lo com tudo o que temos.

Michael: Me dê os biscoitos!

Harry: Ok, meu garoto, herdeiro do trono. Hoje enganamos o cliente.

O que você tem? O que você está olhando?

Lovekins, onde está meu café da manhã?

Zinnia: Aqui estamos, cordas do meu coração.

Snickerdoodle, o que você fez com seu cabelo?

O FBI

Harry: Me dê essas coisas, me dê isso para onde estão indo com essas coisas, me dê essas coisas para entrar no carro. Continue. Entrar.

Narrador: Negociações sujas, como comprar peças de carro roubadas, nunca ficam em segredo por muito tempo. Especialmente quando o FBI consegue

FBI 1: 9:17, suspeito sai do domicílio.

Sr. Wormwood, o Grande Concessionário Automóvel

Harry: Michael, um dia tudo isso será seu. Veja este junker. Paguei cem dólares por ela. Ela tem 120.000 nela. A transmissão disparou, os pára-choques estão caindo. O que eu faço com ela. Eu vendo ela!

Nós realmente deveríamos soldar esses pára-choques, mas isso leva tempo, equipamento, dinheiro. Então, usamos 'Super Super Glue' em seu lugar. Vá em frente. Coloque aí.

Matilda: Não é perigoso?

Transmissão ... A serragem acalma as engrenagens e permite que o motor funcione com a suavidade de uma noz, por alguns quilômetros.

Matilda: Papai, isso é trapaça.

Harry: Claro que isso é trapaça. Ninguém nunca ficou rico sendo honesto. …

Há vinte anos, podíamos virar os números manualmente, mas, aqui, pegue meu chapéu! Mas os federais gostam de testar a engenhosidade do empresário americano.

Broca de duas direções. Você corre para trás, os números diminuem. Observe o velocímetro. Ver?

Matilda: Papai, você é um trapaceiro. Isso é ilegal.

Harry: Aqui. Continue perfurando. …. & # 160 Você ganha dinheiro. Você tem um emprego.

Matilda: Não. Mas as pessoas não precisam de bons carros? Você não pode vender carros bons, pai?

Harry: Ouça, seu pequeno sábio. Eu sou inteligente, você é burro. Eu sou grande você é pequeno. Eu estou certo, você está errado. E não há nada que você possa fazer a respeito.

Zinnia: Harry! Eu venci! Eu venci! Eu acertei o bingo duplo! Venha, pessoal. Estou levando todos vocês ao Café Le Ritz.

Harry: Deixe-me ver o dinheiro.

Zinnia: Não importa. Deus, seu cabelo está horrível. Espero que eles deixem você entrar.

Matilda: Aqui está seu chapéu, papai.

Harry: Entre no carro. … Quantos?

Zinnia: Cabe a mim saber e a você descobrir.

O chapéu e a supercola

Zinnia: É bom sair às vezes, não é? Você nunca nos tira.

Harry: Claro que sim. Eu levei você para "The Flipper".

Zinnia: Não me lembro de nenhum "Flipper".

Harry: O restaurante de peixe. Lembrar? Você encontrou aquele pente na bouillabaisse.

Zinnia: Oh, sim. Eu gostei daquele baseado.

Garçom: Bom dia. Esse caminho por favor.

Zinnia: Harry, tire o chapéu. Este é um lugar agradável. Você não pode usar um chapéu dentro.

Zinnia: Harry, ninguém liga para a aparência do seu cabelo.

Zinnia: O que há com esse chapéu.

Harry: Não consigo tirar. Eu não consigo tirar.

Zinnia: Só um minuto. Vou tirar este chapéu.

Zinnia: Acho que seu chapéu inchou muito.

Harry: Você está puxando a pele.

Zinnia: Você é um bebê. Pare!

Harry: As fibras estão fundidas na cabeça.

Zinnia: As fibras são fundidas ……. O que isto quer dizer.

O primeiro milagre

Harry: Não serei a figura do ridículo. Eu quero respeito, e quero agora.

Zinnia: Ainda não vejo como você grudou o chapéu na cabeça, Harry. Quer dizer, eu sei que você disse que não, mas obviamente disse.

Harry: Eu não colei meu chapéu na minha cabeça. O chapéu encolheu e as fibras se fundiram ao meu cabelo.

Zinnia: Baby! Espere um minuto. Estou entendendo agora. Estou entendendo. Mais um. Oh meu Deus.

Harry: De agora em diante, essa família faz exatamente o que eu digo, quando, exatamente quando eu digo. E agora, estamos jantando e assistindo TV.

Apresentador de TV: Você está pronto para ficar grudado em Micky.

Harry: Desligue a luz.

Anfitrião T V: Estou apenas revelando. Para aqueles idiotas que não sabem jogar, veja como funciona.

Para cada resposta correta, eles se moverão um passo mais perto de nosso Cubo de Dinheiro. Uma vez em nosso cubo de dinheiro,

qualquer dinheiro que grudar em seu corpo pegajoso, você leva para casa!

Harry: Você está nesta família. Olá! Você está nesta família. A hora do jantar é a hora da família.

Que lixo é esse que você está lendo?

Matilda: Não é lixo, papai. É adoravel. Chama-se "Moby Dick" de Herman Melville.

Harry: Moby o quê? Isso é imundície! Lixo! Lixo!

Matilda: Não é meu! É um livro da biblioteca!

Harry: Estou farto de toda essa leitura! Você é um absinto! Você começa a agir como um! Sente-se e olhe para a TV!

Harry: Claro, você não fez isso, seu idiota.

Zinnia: Eu disse que era um conjunto barato.

Harry: Não é um set barato. É um conjunto roubado. Acenda sua luz.

Narrador: Foi mágica ou coincidência? Ela não sabia. Diz-se que nós, humanos, usamos apenas uma pequena porção de nossos cérebros.

Matilda poderia nunca ter descoberto sua própria grande força de espírito, não fosse pelos eventos que começaram no dia seguinte.

O Trunchbull

T-bull: Eu preciso de um carro, barato mas confiável. Você pode me atender?

Harry: Por assim dizer, sim. Bem-vindo à Wormwood Motors. Harry Wormwood, proprietário,

T-bull: Agatha Trunchbull, diretora, Crunchem Hall Elementary School.

Eu o advirto, senhor. Eu quero um carro apertado, porque eu dirijo um navio apertado.

Harry: Oh sim, huh, bem, uh ...

T-bull: Minha escola é um modelo de disciplina! Use a vara, bata na criança. Esse é o meu lema.

T-bull: Você também tem pirralhos?

Harry: Sim, tenho um menino, Mikey, e um erro, Matilda.

T-bull: São todos erros, crianças! Coisas sujas e nojentas. Ainda bem que nunca fui um.

Harry: Uh, huh. Bem, como você é um educador, farei um ótimo negócio.

Jogando o martelo

Harry: Ei, você. Você está indo para a escola.

Harry: Primeira coisa amanhã. … Sim Sim Sim. Você receberá uma educação de verdade neste lugar.

Narrador: Matilda sempre quis ir à escola porque gostava de aprender. Ela tentou imaginar como seria sua nova escola. Ela imaginou um belo edifício cercado por árvores, flores e balanços.

Bem, havia um prédio ... E crianças, então independentemente de como Crunchem Hall parecia, ela estava feliz por estar lá. Afinal, qualquer escola era melhor do que nenhuma escola, não é?

T-Bull: Você, detenção. Você é muito pequeno. Cresça mais rápido. Atenção. Ombros para trás. Estômago para dentro. Fique em pé.

Lavender: Tudo bem. É muito melhor do que estar lá fora.

Matilda: Essa é minha professora?

Lavender: Não. Esse é o princípio, Srta. Trunchbull.

Matilda: Você só pode estar brincando!

Hortensia: Você esguicha melhor skedaddle. Eu não estou brincando.

O Trunchbull gosta de estalar o chicote ali para ver quem está tentando se esconder.

T-Bull: Troque essas meias! Muito rosa!

Matilda: Ela realmente não bate em crianças com aquele chicote, bate?

Hortensia: Não. É principalmente para assustar. O que ela faz é pior. Como ontem, na segunda série, o Trunchbull faz uma visita semanal a todas as salas de aula, para mostrar aos professores uma ou duas coisas sobre como lidar com crianças. E Julius Rottwinkle comeu dois M & ampMs durante a aula.

Matilda: E ela o pegou?

Hortensia: Depois de ser jogado pela janela, é claro, ele não estava bem. Ele viveu, se é isso que você quer dizer.

Lavanda: O Trunchbull costumava estar nas Olimpíadas: arremesso de peso, dardo, arremesso de martelo. O golpe do martelo era sua especialidade.

Matilda: Então ela faz isso o tempo todo?

Hortensia: Melhor do que ser colocado no "The Chokey".

Hortensia: Sim, o Chokey. É um buraco alto e estreito na parede atrás de uma porta. Você tem que ficar em pé nos canos gotejantes com bordas irregulares, e as paredes têm vidros quebrados com pregos para fora.

T-Bull: Sai da vista, sua bola de pus purulenta!

Matilda: Ela coloca crianças lá?

Hortensia: Eu estive lá duas vezes. Às vezes ela deixa você aí o dia todo.

Matilda: Você não contou aos seus pais?

Hortensia: Eles não acreditaram em mim. Quero dizer, seus pais acreditariam.

T-Bull: Sessenta linhas - "Devo obedecer à Srta. Trunchbull." … Fora do meu caminho!

Amanda: O que é o quê, Srta. Trunchbull?

T-Bull: pendurado pelas orelhas.

Amanda: Você quer dizer minhas tranças?

T-Bull: Você é um porco, Amanda !?

Amanda: Não, Srta. Trunchbull.

T-Bull: Eu permito porcos na minha escola?

Amanda: Minha mãe acha que eles são fofos.

T-Bull: Sua mãe é uma TWIT. Você vai cortá-los antes da escola amanhã ou eu….

Alunos: Bom loft. Excelente lançamento. Acha que ela vai fazer a cerca? Vai ser um próximo.

T-Bull: Quieto! Vá para a aula antes que eu coloque todos vocês no Chokey.

Matilda: Lavender, como é minha professora?

Narrador: Mas a professora de Matilda, Srta. Honey, era uma daquelas pessoas notáveis ​​que aprecia cada criança pelo que ela é.

Amanda: Eu peguei isso para você, Srta. Honey.

Querida: Que lindo. Obrigada, Amanda.

Querida: Ok. Ouça todos. Temos um novo aluno conosco hoje. Esta é Matilda Absinto. Eu gostaria que você se sentasse aqui com Lilá. Agora, todos vocês se lembram de como foram assustadores seus primeiros dias na escola, então eu gostaria que vocês fossem especialmente legais com Matilda e a fizessem se sentir bem-vinda.

Querida: Você poderia pegar a apostila dela, por favor? Você pode se sentar.

Narrador: Miss Honey era uma professora maravilhosa e amiga de todos. Mas sua vida não era tão simples e bonita quanto parecia. Miss Honey tinha um segredo profundo e sombrio. E embora isso lhe causasse grande dor, ela não deixou que isso interferisse em seu ensino.

Querida: Bem, Matilda. Você veio em um dia muito bom, porque vamos revisar tudo o que aprendemos até agora. Agora, está tudo bem se você não sabe entender nada disso, porque você é novo em folha, mas se você souber uma resposta, apenas levante a mão.

Querida: Ok, agora estamos trabalhando em nossa tabuada dupla. & # 160 Alguém gostaria de fazer uma demonstração? … OK. Vamos fazer juntos. Duas vezes quatro é. Duas vezes seis é …….? Duas vezes nove é ...? Excelente. Você tem praticado. Em breve você será capaz de qualquer multiplicação, seja duas vezes 7…. Muito bom. Ou 13 vezes 379.

Matilda: Quatro mil novecentos e vinte e sete.

Matilda: Acho que essa é a resposta. 13 vezes 379. Quatro nove dois sete.

Querida: Matilda, você sabe multiplicar números grandes?

Matilda: Eu li este livro no ano passado sobre matemática na biblioteca.

Matilda: Sim. Eu amo ler.

Querida: O que você gosta de ler?

Matilda: Tudo. Mas ultimamente tenho lido Darles Chickens. … Quero dizer Charles Dickens. Eu poderia lê-lo todos os dias.

Querida: Eu também…. Tudo bem, pessoal. Retire suas pastas de trabalho. Vamos começar com a seção três. Eu estarei de volta em um momento.

Miss Honey visita Trunchbull

T-Bull: Yippee! Te peguei bem no pescoço! E você…. Entre, entre, seja você quem for. … Quase peguei você. … Bom te ver. Boa. Boa. Bom. & # 160 Está na hora de uma de nossas conversas sinceras?

Honey: Na verdade, é sobre a nova garota na minha classe, Srta. Trunchbull. Matilda Wormwood.

T-Bull: O pai dela diz que ela é uma verruga de verdade. Um carbúnculo. Uma bolha. Uma pústula purulenta de lodo maligno.

Querida: Oh, não. Matilda Wormwood é uma garota muito doce e muito inteligente.

Querida: Sim. Ela pode multiplicar grandes somas em sua cabeça.

T-Bull: Uma calculadora também.

Querida: Bem, acho que ela poderia ser mais feliz em uma classe mais velha e mais avançada.

T-Bull: Ahh. Eu sabia. Você não consegue lidar com a pequena víbora, então está tentando empurrá-la para um dos outros professores. Típica. Preguiçoso. Covardia.

T-Bull: Me escute, Jen. A distância que o arremesso de peso vai depende do esforço que você coloca nele. Transpiração! Se você não consegue lidar com a pirralha, vou prendê-la no chokey!

T-Bull: Entendeu? Um dia, Jen, você verá que tudo o que faço é para o seu bem ... e para o bem daquelas criancinhas putrescentes.

Voltar para casa

Zinnia: Volte para a Tiffany, quando ela estava tendo aquele bebê.

Matilda: A escola foi ótima. Meu professor me deixa fazer o trabalho da sexta série. Olhar. Álgebra e geografia,

Zinnia: A coisa com o irmão de Valerie. Você está brincando. ….. Espere um minuto. … Você não pode ver que estou no meio de um telefonema importante.

Matilda: Bem, você acabou de me perguntar como era a escola.

Zinnia: Quieto! … Bem, o que mais ela deveria fazer? O bebê não era dele.

Matilda: Bem, foi realmente ótimo.

Zinnia: De jeito nenhum. Eles têm que ser implantes.

Matilda: O princípio é insano. Ela jogou uma garota por cima da cerca pelos cabelos.

Zinnia: Mudaria sua vida também, se você depurasse a sua. Eu sou positivo.

Matilda: Eu tenho uma professora maravilhosa.

Zinnia: Os meus estão me deixando louca. Estou te dizendo. Seis horas por dia na escola não é suficiente.

A visita

Harry: Golpeie na barriga. Um tapa na cara. Burns está ferido! Ele está nas cordas! …. & # 160 Salvo pelo sino. … Pacotes a esta hora?

Harry: Não damos dinheiro. Não gostamos de instituições de caridade. Não compramos bilhetes de rifa.

Honey: Sr. Absinto, sou Jennifer Honey. Sou a professora da Matilda.

Harry: O que ela fez agora? Você, vá para o seu quarto! Agora mesmo! Agora mesmo! Cai fora! … Olhar. Seja o que for, ela é problema seu agora.

Querida: Não. Não há problema.

Harry: Então vá embora! Estamos assistindo TV.

Querida: Sr. Absinto, se você acha que algum programa de TV podre é mais importante do que sua filha, então talvez você não deva ser pai. Agora, por que você não desliga essa maldita coisa e me escuta.

Harry: Tudo bem. Entre. Acabar com isso. A Sra. Wormwood não vai gostar disso.

Harry: Vamos. … Feche a porta.

Harry: Que professor. Diz que precisa falar com você sobre Matilda. & # 160

Zinnia: Por que você fez isso? Ele tinha Velasquez nas cordas.

Querida: Tenho certeza de que você já sabe que Matilda tem uma mente brilhante.

Harry: Sim. Direito! Mikey, me dê uma cerveja.

Honey: Suas habilidades matemáticas são simplesmente extraordinárias. Ela está lendo material….

Querida: Não, obrigado, querida. … material que eu não vi até meu segundo ano de faculdade. Eu realmente sinto que, com as aulas particulares, ela estaria pronta para a faculdade em apenas alguns anos.

Zinnia: Olha, Srta. Snit, uma garota não chega a lugar nenhum agindo de forma inteligente. Quer dizer, dê uma olhada em você e em mim.

Zinnia: Você escolheu livros - eu escolhi looks. Tenho uma bela casa, um marido maravilhoso. ... & # 160

Zinnia: E você está trabalhando duro ensinando a crianças com nariz melindroso seus ABCs. Você quer que Matilda vá para a faculdade? Ha, ha, ha ha.

Harry: Faculdade? Eu não fui para a faculdade. Não conheço ninguém que o tenha feito.

Harry: Um bando de hippies e vendedores de fossa, ha ha ha ha.

Querida: Não zombe das pessoas instruídas, Sr. Wormwood.

Querida: Se você ficar doente, Deus me livre, seu médico se formará na faculdade.

Querida: Ou - ou digamos que você foi processado por vender um carro com defeito. O advogado que o defendeu também teria feito faculdade.

Harry: Que carro? Processado por quem? Com quem você está falando ?!

Querida: Ninguém. … Oh céus. Eu posso ver que não vamos concordar, vamos? Não. …. Sinto muito por explodir em você assim. Desculpa.

Zinnia: Devíamos processá-la por interromper nosso show.

Harry: Me fale sobre isso! Por que ele está parado no meio do ringue?

Zinnia: Ele está parado no meio do ringue porque acabou.

Zinnia: Como posso saber. Você desligou!

Harry: Foi minha culpa que ela veio no meio da luta.

Bruce e o Bolo

T-Bull: Pule para! Hippity hop! A escola inteira irá para a sala de montagem imediatamente.

T-Bull: Bruce Bogtrotter. … O pequeno Brucey poderia subir aqui, por favor.

Lavender: Uh, oh !! … Ele mora no meu quarteirão.

T-Bull: Este menino, Bruce Bogtrotter, não é outro senão um ladrão furtivo cruel.

Você é um criminoso nojento, não é?

Bruce: Não sei do que você está falando.

T-Bull: Bolo. Bolo de chocolate. Você deslizou como uma serpente para a cozinha da escola e comeu meu lanche pessoal. Você nega isso? … Confessar!

Bruce: Bem, é difícil para mim lembrar de um bolo específico.

T-Bull: Este era meu e era o bolo mais delicioso do mundo inteiro.

T-Bull: É, é. Como você pode ter certeza a menos que tenha outra peça. Sente-se, Bog!

Aqui vamos nós. Cheira a chocolate, sim. Agora coma!

Bruce: Não quero, obrigado.

Ela não daria bolo a ele.

T-Bull: Parece que você gostou disso, Brucey. Você deve ter um pouco mais.

T-Bull: Mas você vai ferir os sentimentos do cozinheiro. Biscoito. …

Ela fez este bolo só para você ficar sozinho. O suor e o sangue dela entraram neste bolo, e você não sairá desta plataforma até que tenha consumido todo o confeito.

Cookie: confecção inteira. Te vejo na hora do almoço. Crianças podres.

T-Bull: Você queria bolo, você tem bolo. Agora coma!

Lavanda: Ele vai vomitar. Eu não consigo olhar. Ele vai vomitar?

Hortensia: Bruce parece muito mal.

Matilda: Você consegue, Brucey! Você consegue!

Aluno: Sim. Você pode fazer isso, Bruce.

Bruce! Bruce! Bruce! Bruce! Bruce! Bruce! Bruce! Bruce! Bruce! Bruce!

A assembléia inteira ficará cinco horas depois da escola e uma cópia do dicionário. Todas as crianças que fizerem objeções irão direto para o chokey, juntas.

Harry: Mocinha! Onde você estava.

Matilda: A Srta. Trunchbull ficou com a escola inteira até tarde porque esse menino comeu um bolo de chocolate.

Harry: Essa é a maior mentira que já ouvi. Veja esses pacotes. Eles foram deixados de fora para o mundo inteiro ver porque você não estava aqui para recebê-los.

Zinnia: Não acho que seja justo, caipiras. Você obtém tudo isso de catálogos e eu não recebo nada.

Harry: Não são catálogos. São as peças do carro, doçura. São negócios.

Zinnia: Oh, se for um negócio, por que você não manda para o escritório?

Harry: Porque os policiais podem estar vigiando o escritório.

Matilda: Os policiais estão vigiando a casa. Eles estão estacionados do lado de fora agora.

Zinnia: Você é um ignorante. Esses são vendedores de lanchas. Caras realmente legais.

Harry: Lanchas. Não há lagos por aqui.

Zinnia: Sim, mas algumas pessoas gostam de viajar nos fins de semana. Algumas pessoas se divertem.

Matilda: E algumas pessoas são policiais …….

Harry: Eles não são. Devo saber se há policiais vigiando minha casa. Agora vá para a cama sua pequena lacraia mentirosa.

Narrator: With the FBI watching her father and the Trunchbull terrorizing her school, it was a rare and happy moment when Matilda could just play with her friends.

Lavender: A frog!! A frog!! A frog!!

Students: What is it, Lavender.

Students: It's a salamander. It's a chameleon.

Matilda: It's a newt. "Any of the small semi-aquatic salamanders from the genus triturus".

Bruce: "Some are brightly colored and secrete irritating substances."

Lemon

T-Bull: How could you keep going, you useless, flaming car. … Wormwood!

Sell me a lemon! You're heading for the chokey, young lady!

T-Bull: You and your father think you can make a fool out of me.

T-Bull: The guy with the stupid hair cut!

Matilda: I'm nothing like my father.

T-Bull: You're a spitting image. The apple never rots far from the tree.

The Weekly Visit

Honey: Miss Trunchbull teaches our class today, Lavender. Please get a water pitcher.

Honey: No, quickly. She'll be here any second. … Oh, make sure the water's cold, Lavender.

Vinny, cover the fish. Put away the art project. Put away anything colorful. Charley, won't you get those crayons for me?

Narrator: Most great ideas come from hard work and careful planning. Of course, once in a while, they just jump out at you.

Honey: Rayna. Rayna. Cover the birds and the beetles. Hurry! I hear her coming!

Okay now. Last time, some of you forgot yourselves. Don't speak unless you're spoken to. Don't laugh.  Don't smile. Don't even breathe loudly.

T-Bull: Don't breathe at all.

Honey: Good morning, Miss Trunchbull.

Students: Good morning, Miss Trunchbull.

T-bull: SIT. …..  Shoo.  I have never been able to understand why small children are so disgusting. They're the bane of my life. They're like insects: (Where's Matilda) they should be got rid of as early as possible.

My idea of a perfect school is one in which there are no children. at all. Do you agree, Miss Honey? Now you, front of the class!

T-Bull: Next time I tell you to empty your pockets, you'll do it faster, won't you.

Student: Yes, Miss Trunchbull.

T-Bull: Miss Honey, this might be the most interesting thing you've ever done.

Sit down, you squirming worm of vomit.

Amanda: Miss Honey taught us how to spell a long word yesterday. We can spell "difficulty".

T-Bull: You couldn't spell 'difficulty' if your life depended on it.

Amanda: She taught us with a poem.

T-Bull: A poem. How sweet. What poem would that be?

students: Mrs. D.   Mrs. I.    Mrs. F - F - I.    Mrs. C    Mrs. U.    Mrs. L - T - Y.

T-Bull: Why are these women married. Mrs. D. Mrs. I. You're supposed to be teaching spelling, not poetry.

T-bull: I cannot for the life of me understand why small children take so long to grow up. I think they do it

deliberately, just to annoy me.

What's funny. Vamos. Spit it out. Speak up. I like a joke as well as the next fat person.

It's a snake! It's a snake! It's a snake! One of you tried to poison me! Quem? Oh, Matilda. Eu sabia.

Matilda: I just thought you'd like to know, it's not a snake. It's a newt.

Matilda: It's a newt, Miss Trunchbull.

T-Bull: Stand up, you villainous sack of goat slime! You did this!

Matilda: No, Miss Trunchbull.

T-Bull: Did you act alone, or did you have accomplices.

T-Bull: You didn't like the chokey, did you. Thought you'd pay me back, didn't you. Well, I'll pay you back, young lady.

Matilda: For what, Miss Trunchbull?

T-Bull: For this newt, you pissworm!!

Matilda: I'm telling you, I didn't do it.

T-Bull: Besides, even if you didn't do it, I'm going to punish you, because I'm big and you're small, and I'm right, and you're wrong. And there's nothing you can do about it.

You're a liar and a scoundrel, And your father's a liar and a cheat. You're the most corrupt low-lifes in the history of civilization. Am I wrong. I'm never wrong!

In this classroom, in this school,     I   AM   GOD.

Honey: How could she possibly have done it when she was sitting way over here.

T-Bull: I'll be watching you. Each and every one of you. When you turn the corner. When you go to your little cubbies to get your smelly little coats. When you skip merrily to lunch. I'll be watching you. All of you, and especially you!

Lavender: Thanks for not telling.

Matilda: Best friends don't tell. She can really dance.

Honey: You all go outside, then I'll come out and help fill the bird-feeder. Okay? I'll be out there in a minute.

Matilda: Miss Honey, I did it.

Matilda: I made the glass tip over.

Oh, sweetheart. Don't let Miss Trunchbull make you feel that way. Nobody did it. It was an accident.

Matilda: I did it with my eyes. Watch. I'll prove it to you.

Honey: It's wonderful you feel so powerful. Many people don't feel powerful at all.

Matilda: Come on, glass. Tip over!

Honey: It's all right, Matilda.

Matilda: I really did it, Miss Honey.

Honey: One of the odd things about life is sometimes you can do something until you want to show someone, and then you can't.

Or, sometimes when you think something's broken and you take it to be fixed …..

Matilda: This isn't like that. … I don't know. Maybe I made myself tired.

Honey: Matilda, would you like to come over to my house this afternoon.

Matilda: I'd like that very much, Miss Honey.

Miss Honey's Cottage

Matilda: I just stare very hard, and then my eyes get all hot, and I can feel the strongness. I feel like I can move almost anything in the world.

You do believe me, don't you?

Honey: Oh, I believe that you should believe in whatever power you think you have inside of you. Believe it with all your heart.

That's where Miss Trunchbull lives.

Matilda: Why is there a swing?

Honey: A girl I know used to live in that house. Her life was good and happy.

When she was just two years old, her mother died. Her father was a doctor, and he needed someone to look after things at home, so he invited the mother's step-sister to come and live with them.

But the girl's aunt was a mean person who treated the girl very badly.

Honey: Yes. And worst of all, when the girl was five, her father died.

Matilda: How did her father die?

Honey: The police decided he'd killed himself.

Matilda: Why would he do such a thing?

The end is happier. She found a small cottage. She rented it from this lovely rhubarb farmer for just $50 a month. And she covered it in honeysuckle, and she planted hundreds of wild flowers, and she moved out of her wicked aunt's house, and she finally got her freedom.

Honey: Do you know why I told you this?

Honey: You were born into a family that doesn't always appreciate you, but one day things are going to be very different.

Shall we go inside and have tea and cookies?

This is the cottage from your story! … That young woman is you! … But then, ….. No!

Honey: Yes. Aunt Trunchbull.

When I left my home …. Aunt Trunchbull's home, I had to leave all my treasures behind.

Honey: Photographs of my mother and father, and a beautiful doll my mother gave me with a China face. Liccy doll, I called her.

Matilda: Yes, please. … Why don't you run away?

Honey: I've often thought about it, but. I can't abandon my children. And if I couldn't teach, I'd have nothing

Matilda: You're very brave, Miss Honey.

Honey: Not as brave as you.

Matilda: I thought grown-ups weren't afraid of anything.

Honey: Quite the contrary. All grown-ups get scared, just like children.

Matilda: I wonder what Miss Trunchbull is afraid of.

Miss Trunchbull's Home

Matilda: She's afraid of a cat?

Honey: Black cats. She's very superstitious.

Matilda: Hopefully. … Let's go get your treasures.

Matilda: Well, she's gone. Vamos!

T-Bull: Come on. Move, you piece of junkyard fodder. Shift ……

Oh my! My father's portrait used to hang there.

Matilda: Whoever painted the Trunchbull must have had a strong stomach. A really strong stomach!

My father's chocolate box. After supper, he'd take a chocolate, cut it in half, and he'd always give me the bigger half. When he died, Aunt Trunchbull would count them, so I couldn't even sneak one. She'd take a chocolate, raise it to her lips, and say, ….

T-Bull: …. Much too good for children …..

Matilda: Where's Liccy doll?

This is my room. … That's my dad.

Honey: Magnus. I used to call him "King Magnus", and he called me "Bumblebee".

Matilda: I don't think Magnus killed himself.

Matilda: Is that Liccy doll?

T-Bull: WORMWOOD. You useless used-car salesman scum! I want you around here now with another car! sim. I know what 'caveat emptor' means, you low-life liar! I'm going  to sue you, burn down your show room, and take that no-good jalopy and shove it up your bazooka! When I'm finished with you, you're going to look like road-kill! You what ….?

Matilda: Shouldn't we hide or something?

Honey: Yeah. Go to the end of that hallway, down the stairs, and out the kitchen door. I'll distract her.

T-Bull: Who's in my house. Come on out and fight like a man.

T-Bull: Some rats are going die today!

Matilda: Feel my heart. Weren't you the most scared you've ever been in your whole life?

Matilda: She shouldn't be allowed to treat people like that. Somebody's got to teach her a lesson. … We'll wait until she leaves again, then we'll go get your doll.  Just kidding.

Honey: Come here. Matilda, promise me you will never go back in that house again.

Matilda Practices

Zinnia: So he came home with 2,000 dollars cash, and he threw it up in the air, and we both swam in it like we were both on the "Million Dollar Sticky". Do you like that show?

Zinnia: That was the old days. Now we've got money in banks all over this planet, and does he give me a dime.

Matilda, this is Bob and this is Bill.

Zinnia: They are not cops, they're Ace powerboat salesmen.

Harry: Baby-face, I'm starved.

Who are you. … What is this, a hot tub party. Get the hell out of here!

I slave all day. I come home, and you're entertaining a couple of surfer dude, body-builders!

FBI 1: Are you interested in time-share?

Zinnia: You don't let me talk to people! I am in a cage, Harry. I need to talk to some body besides our stupid kids!

Harry: Oh, yeah. Well a man is entitled to come home and find dinner on the table, without having to wade through a convention of male strippers!

Harry: Shut up, and leave us alone!

Harry: Yell at you. I'll come in there and pound your miserable hide!

What do I have to do to gain respect around here! I'm going to give you a tanning like you've never had in your life! My word is my law! You understand, law!

Narrator: No kid likes being yelled at, but it was precisely Harry's ranting and raving that gave Matilda the key to her power. To unlock that power, all she had to do was practice.

Harry: You're a little cheat. (…. You're a Wormwood. It's time you started acting like one! …..) What are you, stupid. I'm smart, you're dumb. I'm big, you're little.

T-Bull: The apple never rots far from the tree.

Zinnia: There is something wrong with that girl!

Harry: I'm right, you're wrong, and there's nothing you can do about it!

Michael: Hey, dipface. Here's your book!

Harry: You're a Wormwood! It's time you started acting like one! (started acting like one!)

The FBI

FBI 2: Shouldn't we have a search warrant to do this?

FBI 1: Nah! This guy's dirty. Once we show this tape in court, Wormwood's goose is cooked. I'm sure that box is full of stolen car parts.

FBI 2: You've been taping all week. How about letting me handle that camera for awhile?

FBI 1: Do you know how to use it? Do you know about the zoom and the white balance? Do you know how to adjust the eyepiece?

FBI 2: I can handle it. Besides, it's my turn.

FBI 1: Yeah. Your turn to drop it.

FBI 2: I won't drop it. Vamos.

Matilda: You two men are going to be in a lot of trouble very soon.

FBI 2: It's the female minor.

FBI 1: Aren't you supposed to be in school, young lady?

Matilda: I really hope you have a search warrant. According to a constitutional law book I read in the library, if you don't have one, you could lose your job or go to federal prison.

FBI 1: It's your father who's going to federal prison. And you know where you'll end up? In a federal orphanage.

If you cooperate, we'll make sure it's a nice orphanage, the kind with food, teeny-weeny cockroaches. What do you say? (car starts running)

Matilda: There's another crime in the making. Your car is about to run a stop sign.

Matilda Returns to Trunchbull's House

Narrator: So she bought a little time for her dad to come to his senses.

But now, Matilda had bigger fish to fry, much bigger.

Michael: Hey, dip face, where you going?

Michael: Hey, dip face, have a carrot!

Harry: Chew your food. You’re an animal.

Narrator: Having power isn't nearly as important as what you choose to do with it. And what Matilda had in mind was nothing short of heroic.

Matilda: Come on! Come on, Liccy doll. Come, Liccy. Vamos! Vamos! Vamos! Please come here.

T-Bull: Leave me alone! … Magnus.

The Third Miracle

Matilda: Miss Honey! Miss Honey! You'll never believe what I got you.

Oh. I also brought you this. I ate mine last night.

T-Bull: I will be teaching your class today.

Narrator: In the time it took Miss Honey to get very, very nervous, Matilda had formulated a plan.

Honey: She is really raving mad.

Matilda: What is it your father used to call you? Hummingbird?

Honey: Bumblebee. I'm sure she knows the doll's missing.

Matilda: And he called her Trunchbull?

Honey: No. I suppose he called her Agatha. Sim.

Matilda: And she called him Magnus? Direito?

Honey: Yeah. sim. … Maybe I could go back to the house and put the doll back while she's still at school.  Oh, no. I can't do that.

Matilda: Calm down, Miss Honey. Mesmo. It's going to be okay. Eu prometo.

Honey: Sweetheart, you promised you wouldn't go back into that house again.

Matilda: I didn't. I was on the garage roof. I did it with my powers.

Honey: Okay. … On the garage roof …. With your powers. … I need to think….

Matilda: Mm. Hmm. I think I've got them down. Watch this. … No more Miss Nice Girl!

T-Bull: Inside! Inside! Quickly! Run! Run! Run! … Get against that wall! Quickly! Don't make me wait … Water. And hold the newt. … Join the ranks! Move!

I am here to teach you all a lesson! … Sometimes in life, horrible and unexplainable things happen. These things are a test of character, … and I have character! … Form a line across the room, quickly! Run! Run! Run! Don't keep me waiting! Fill this gap!

I expect you're wondering what I'm talking about, hmmm. sim. A child came to my house. I don't know how. I don't know when. I don't know why.

Honey: Miss Trunchbull, may I…..

T-Bull: No, you may not! … But I know a child came. So, did you know it was illegal to enter someone's home without their permission?

Students: Yes, Miss Trunchbull. Sir.

T-Bull: Stand up straight! Stomach in! Shoulders back! Do any of you recognize …. this?

Let's play a little game, shall we. Who was wearing a pretty red hair ribbon yesterday and isn't wearing one today? Can you answer me that? Who does this disgusting ribbon belong to?

I shall personaly see to it that the demented, slime-breathed, little lilliputian who owns this disgusting ribbon will never see the light of day again! YOU.

Honey: Miss Trunchbull, I was the one who was at your house last night.

T-Bull: I broke your arm once before. I can do it again, Jenny.

Honey: I am not seven years old anymore, Aunt Trunchbull!

You will  be put away in a place where not even the crows can land their droppings.

Students: Look! … The chalk! And the blinds!

A G A T H A.   THIS IS MAGNUS.  GIVE MY LITTLE BUMBLEBEE BACK HER HOUSE AND HER MONEY. THEN GET OUT OF TOWN. IF YOU DON'T, I WILL GET YOU.  I WILL GET YOU LIKE YOU GOT ME. THAT IS A PROMISE!

Honey: No. No. No. Miss Trunchbull. Please don't throw him.

Hortensia: It's the Trunch! … Uau! … Hey, you guys, look at this! Sim!

Lavender: I didn't know I could do that.

Narrator: And the Trunchbull was gone, never to be seen or heard from. Never to darken a doorway again.

Narrator: Miss Honey moved back into her father's house. Of course, Matilda was a frequent visitor.

Matilda: Did you know that the heart of a mouse beats at the rate of 650 times a minute?

Honey: My….. Where did you learn that?

Matilda: …. in a book. It beats so fast that it doesn't sound like it's beating a all. It sounds like it's humming. A porcupine's heart beats 300 times a minute.

Zinnia: Hey, you. Ei. We're leaving. Vamos lá. Get in the car. Hurry up. … Let's wrap up these cookies. Vamos. We're leaving. Now!

Honey: I'd be happy to walk her home.

Zinnia: Well, nobody'll be there. We're moving to Guam. Vamos. Vamos lá.

Zinnia: Yeah. Daddy's not going to be in the auto business anymore.

Matilda: I don't want to leave!

Zinnia: We're going on a permanent vacation.

Harry: Yeah. And we've got to beat the speedboat salesmen to the airport.

Matilda: I love it here! I love my school. it isn't fair! Miss Honey, please don't let them.….

Harry: Get in the car, Melinda!

Matilda: I want to stay with Miss Honey.

Zinnia: Miss Honey doesn't want you. Why would she want some snotty, disobedient kid?

Honey: Because she's a spectacularly wonderful child, and I love her.

Matilda: Adopt me, Miss Honey! You can adopt me.

Harry: Look, I don't have time for all these legalities!

Matilda: One second, Dad. I have the adoption papers.

Zinnia: What? Where did you get those?

Matilda: From a book in the library. I've had them since I was big enough to Xerox.

Zinnia: Are you hearing this, Harry.

Matilda: All you have to do is sign them.

Michael: I'll be an only child, again.

Harry: Shut up! I can't think with all these sirens! What do you think, pumpkin?

Zinnia: You're the only daughter I ever had, Matilda. I never understood you. Not one little bit. … Who's got a pen?

Narrator: And doing perhaps the first decent thing they ever did for their daughter, the Wormwoods signed the adoption papers.

Matilda: And here…. And here……

Harry: All right. Vamos. Turn around.

You're not going to be calling us for support payments, or something, are you.

Honey: Oh, no. We'll have everything we need. Não se preocupe.

Harry: All right. Aqui. Let's roll.

Narrator: So Harry and Zinnia got away. And as bad as things were before, that's how good they became.

Miss Honey was made principal of Crunchem Hall which had to add an upper school because children never wanted to leave.

And Matilda found to her great surprise, that life could be fun, and she decided to have as much of it as possible. After all, she was a very smart kid.

But the happiest part of the story was that Matilda and Miss Honey had each gotten what they'd always wanted …. A loving family.

And Matilda never had to use her powers again. Well, I mean, almost never.


In Search of a Book

[Matilda walks from the house until she gets to a small group of crowded people at the traffic lights. As the people began to cross the road, Matilda followed them. The truck waits until the crossing is clear before it sets off slowly. Matilda then finds the public library. Inside, it was well-lit with a elderly woman, Mrs. Phelps sitting at the desk. Matilda walks into the reception are and approaches the desk.]

Matilda: Where are the children's books, please? Mrs. Phelps: In that room right over there. Would you like me to pick you out one with lots of pictures in it? Matilda: No thank you. I'm sure I can manage.

[She walks to the room as Mrs. Phelps looks on with surprise. Matilda arrives in the children's books section and picks a book, before she sits on a small comfy chair and starts to read it. The next day shows Matilda walking to the traffic lights, where they turned green to allow pedestrians to cross the road. She walks to the library and reads another book.]

Narrator: From then on, every day, as soon as her mother went to bingo, Matilda walked the ten blocks to the library, and devoured one book after another. [She giggles upon reading, as Mrs. Phelps hears her whilst working. Matilda places some books on a table, before she puts them back.] When she finished all the children's books, she started wandering around in search of something else. Mrs. Phelps, who had been watching her with fascination for the past few weeks, offered Matilda some valuable library information.

[Mrs. Phelps watches Matilda looking around the library and decides to talk to her. The next scene shows them talking in an another section of the library.]

Mrs. Phelps: You know, you can have your very own library card, and then you could take books home, and you wouldn't have to walk here every day. You can take home as many as you'd like. Matilda: That would be wonderful.

[The next scene shows Matilda carrying a number of books in her pull wagon. The shot fades to show that different books are placed in the wagon.]

Narrator: So Matilda's strong, young mind continued to grow, nurtured by the voices of all those authors who had sent their books out into the world, like ships onto the sea. [As the 4 year old Matilda walks in the park with her wagon, the shot fades to the 6 year old Matilda still walking in the park.] These books gave Matilda a hopeful and comforting message you are not alone.

[She watches some children playing in a playground before she sits under a tree and reads her book. The scene changes where Matilda is reading "Ivanhoe" in her bedroom as Harry opens the door.]

Harry: Any packages come today? Matilda: [as she shakes her head] Mm-hmm Harry: [as he slight kicks some books] Where'd all this come from? Matilda: The library. Harry: The library? You've never set foot in a library. You're only four years old. Matilda: Six-and-a-half. Harry: You're four! Matilda: Six-and-a-half. Harry: If you were six-and-a-half, you'd be in school already. Matilda: I want to be in school. I told you I was supposed to start school in September. You wouldn't listen. Harry: [as he grabs Matilda by the arm and drags her out of the bedroom] Get up, get up, get out of here, give me that book. [He takes the book and tosses it aside, briefly catching Michael's attention. Harry takes Matilda to their bedroom where Zinnia is applying peroxide in her hair.] Dearest pie, how old is Matilda? Zinnia: Four. Matilda: I'm six-and-a-half, mommy! Zinnia: Five, then! Matilda: I was six in August. Harry: You're a liar. Matilda: I want to go to school.

[Harry and Zinnia laugh before Harry scoffs]

Harry: School? It's out of the question. Who would be here to sign for the packages? [he then applies his hair oil into his hair] We can't leave valuable packages sitting out on the doorstep. Now go watch TV like a good kid.

[Matilda begins to look upset and turns to leave the bedroom.]

Zinnia: You know, sometimes I think there's something wrong with that girl. Harry: Hmph, tell me about it.

[In the hallway, Michael begins to bully Matilda as she picks her book.]

Michael: Hey, dipface! [he throws some marshmellows at her as she walks to her bedroom, ignoring him.] Have a marshmallow. Have another marshmallow, dipface! Dipface! [She closes her door.]

[In her bedroom, some teardrops fall onto the pages as Matilda is crying. She hugs her doll.]

Narrator: Sometimes Matilda longed for a friend, someone like the kind, courageous people in her books. [she closes the book and gazes at the front cover where it shows the illustration of Ivanhoe.] It occurred to her that, like talking dragons and princesses with hair long enough to climb, such people might exist only in storybooks. But Matilda was about to discover that she could be her own friend, [The next scene shows Harry joyfully running to the house, laughing] that she had a kind of strength that she wasn't even aware of.


Its Afterlife

Frogging can be seen across many cultures – referencing a person’s class, status, and even occupation. Due to its longevity and cultural relevancy, frogging is still referenced today within the mass and luxury markets, as seen in Valentino’s Fall 2015 Couture collection (Fig. 5). Olivier Rousteing, who was appointed creative director of Balmain in 2011, referenced frogged-military jackets for the brand’s Fall 2016 Menswear collection (Fig. 6).

Fig. 5 - Valentino (Italian). Valentino | Fall 2015 Couture (Details), Fall 2015 Couture. Source: Vogue

Fig. 6 - Balmain (French). Balmain | Fall 2016 Menswear, Fall 2016. Source: Vogue

Referências:
  • Cumming, Valerie, C. Willett Cunnington, Phillis Cunnington, and Charles Relly Beard. The Dictionary of Fashion History. New York: Berg, 2010. http://www.worldcat.org/oclc/1005840681 .
  • “Frog (Fastening).” Wikipedia , April 11, 2018. https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Frog_(fastening)&oldid=835893908 .
  • Hennessy, Kathryn and Anna Fischel. Fashion: The Definitive History of Costume and Style. Edited by Susan Brown. New York: DK Publishing, 2012. http://www.worldcat.org/oclc/1041708396 .
  • Ireland, Patrick John. Encyclopedia of Fashion Details. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1987. http://www.worldcat.org/oclc/988800918.

Sobre o autor

Joseph Pollard

Joseph Pollard, an Advertising Design BFA student at FIT (class of 2019), researched and wrote this while taking HA 344: The History of Western Costume (Fall 2018), taught by Prof. Justine De Young.


A Year with Frog and Toad

A Year with Frog and Toad is a Tony Award-nominated musical that follows two of literature’s greatest friends, Frog and Toad, through four fun-filled seasons. Come along as they wake up from their winter-long hibernation to find the joys in the everyday, and celebrate the differences that make their friendship one that endures every season.

Producer: Noa Saunders
Director: Julia Sioss
Stage Manager: Maggie McCloskey
Music Director: Lila Danielson Wong
Assistant Director/Choreographer: Carolyne Sandoval
Assistant Stage Manager: Vanessa George
Education Coordinator: Carah Pioli-Hunt
Scenic Designer: Madeline Rose Barnes
Technical Director: Katelyn Paddock
Costume Designer: Hayley Ryan
Sound Designer: Justin Brault
Graphic Designer: McKenna Black

Frog – Kim Anderson
Toad – Jayden M. Choquette
Snail – Cameron Brownell
Turtle – Jamie Roberts*
Mouse – Stella Pappas

*Denotes first performance with Lyric Theatre

Thanks to the generosity of our donors and sponsors, Lyric Theatre Company is proud to bring this show to young audiences for free, in collaboration with local libraries and outdoor educational venues.

We are very thankful to the Vermont Department of Libraries for helping to make this production possible. We are also thrilled to be working with the Children’s Literacy Foundation to inspire a love of reading in our young audience members. To help your young audience member, click HERE for our study guide about this beloved story, its amphibious stars, and other fun activities!

Performances

June 11, 2021 – 7:00 pm | Isham Family Farm in Williston A Special Benefit Performance to Support Lyric e First: Earth Summer Series, a non-profit created by Isham Family Farm that supports our natural environment. | THIS EVENT IS SOLD OUT.

PLEASE NOTE: Due to an overwhelming response, ALL performances listed are SOLD OUT or FULL. Unfortunately, we are not keeping a waitlist for any of the performances. Thank you so much for your interest in this show. We encourage you to sign up for the Lyric newsletter HERE to be the first to know about upcoming productions.

June 12, 2021 – 10:30 am & 3:30 pm | Shelburne Museum (All performances are full.)

June 19, 2021 – 10:00 am & 3:00 pm | Dorothy Alling Library, Williston (These performances will now take place on SUNDAY, June 20 at 10:00 & 3:00, due to expected rain. No need to adjust your reservation, and if you were unable to secure a spot earlier, you are now welcome to join us for these performances only!)

June 26, 2021 – 10:00 am & 3:00 pm | Fletcher Free Library, Burlington (Both performances are full.)

Rain dates will be Sunday June 13, 20, and 27 at the same times and locations listed above.


Users

Reino Unido
Zanarkand and the Besaid Islands
Gallia-Bruhl
Rubrum and the Peristylium
New Akiba
Tenebrae and Solheim
Basel-Ebel


Tiddalick the Frog

Once upon a time, a long time ago, in the Dreamtime, lived a frog called Tiddalick.

Tiddalick was the largest frog in the entire world. One very warm morning, he woke up with feeling very, very thirsty and started to drink the fresh water. He drank and he drank and he kept drinking until all the fresh water in the entire billabong was gone!

When the other animals arrived at the billabong to get their morning drink, they found it was all dried up. This made them very sad.

They knew Tiddalick the frog had drunk all the water. They knew they needed to come up with a plan to get the water back, but they didn’t know how. They thought and they thought and they thought until they realised that the best way to get the water back was to make Tiddalick laugh. If they could make him laugh then all the water would come spilling out of his mouth and back into the billabong!

The first animal to try and make him laugh was the echidna. She rolled herself up into a tight little ball and rolled down the bank of the billabong like a bowling ball! The kangeroo laughed and so did the emu, but Tiddalick didn’t laugh.

The next animal to try and make Tiddalick laugh was the wombat. The wombat stood up on his hind legs and danced around in a circle until he fell over in the dirt! The Galah laughed and so did the goanna, but Tiddalick didn’t laugh.

The next animal to try and make Tiddalick laugh was the kookaburra. She perched herself on a branch close to Tiddalick and told her funniest story. It was so funny that she burst out laughing! But Tiddalick didn’t laugh. He just sat there with his big belly full of all the water.

Finally, the snake decided to try and make Tiddalick laugh. She started to dance and dance, wriggling and squirming all over the ground until she eventually tied herself into a knot. The knot was so tight that she struggled and struggled to untie herself but was stuck! Tiddalick watched struggle around, trying to untie herself, and let out a small chuckle. That small chuckle turned into a rumbling in his tummy before it turned into a great big belly laugh! The water came gushing out of his mouth and filled the billabong back up once again.

All the animals jumped with joy as they took big, long, gulps of water to quench their thirst.

Read More Dreamtime Stories

Way, way back in the first time, when everything was new, there was a group of Aboriginal people living on a mountain. It was a lovely place, but everyone was worried. It had not rained for a long, long time…

This is where we used to come every year for our holidays. It was called One Tree and the one tree was a wynnum which is called a pandanus. We would camp up on top of the knoll here and…

This story is about Gulaga, which is our mother mountain, our sacred mountain. It’s about her two sons Najanuga and Barranguba. Barranguba is Montague Island, that’s what the white people call it. Barranguba is the older son of Gulaga and…


The Life Cycle of Frogs

Watch this!

Act Out the Frog Life Cycle

Miss Emily, Naturalist/Education Director at the Cable Natural History Museum, demonstrates the stages of a frog’s life, and invites students to play along! (1:42)

Try this!

Put the Frog Life Cycle in Order!

Print out this drawing of the frog life cycle. Cut out each of the stages. Then put them in order again. Can you remember how they go?

Listen to this!

Singing is part of a frog’s life cycle. Male frogs sing so that they can attract female frogs to their pond. Then the female frogs can lay eggs in the water and the male frogs an fertilize them. What happens next? You know this: tadpoles!

The loudest singers attract the most females, but they also use a lot of energy. Tiny frogs can make sounds that are as loud as a lawnmower!

Each species of frog makes a unique sound. Listen to their calls below, and try to imitate them.

Click on the name of each frog to read more about them on the eek! Environmental Education for Kids website from the Wisconsin Green Schools Network.

Wood frogs spend the winter frozen solid in a frog-cicle! They have a black mask over their eyes.

These tiny treefrogs are pale green or tan with brown stripes. They live in marshes and wetlands.

Chorus frogs sound like running your fingernail over a fine-tooth comb.

These tiny, light brown treefrogs have a darker brown X on their back.

A single spring peeper sounds like its name. A pond full of them sounds like jingle bells.

You can often find these spotted frogs in your yard or garden, far from the lake.

These frogs sound like they are snoring!

Toads have brown, lumpy skin and are great at eating insects in your garden.

Toads make a musical trill lasting up to 30 seconds.

These frogs can be gray or green, and live on trees near water.

The musical trill of a gray treefrog is short and repeated.

These frogs can be green to brown and live in all kinds of lakes and ponds.

The green frog’s call sounds like GUNK! And resembles the sound made by plucking a loose banjo string.

A bullfrog’s tympanum (the sound-making circle behind their eye) is always bigger than their eye. Bullfrogs live in ponds and lakes that don’t dry up.

Bullfrogs make deep bass notes similar to a foghorn or “jug-o-rum!”

Watch this!

Phenology is the study of when seasonal events happen every year.

Here’s an animation of the frogs who are calling throughout the spring and summer. Can you hear all the species of frogs? Watch again and sing along! (0:22)

Watch this!

Watch this fun frog program with Wisconsin naturalist, David Stokes. He even has live frogs! (4:08)

Try this!

Make an Origami Jumping Frog!

Our friends over at eek! Environmental Education for Kids have instructions for folding a frog out of paper…and it jumps!

Go Outside!

Find a frog pond near you!

In early spring, many frogs are singing from small wetlands in the forest–wetlands that often dry up eventually. As summer progresses, you’re more likely to hear frogs near bigger lakes and ponds that will not dry up. Go outside and follow your ears! How many species can you hear? How many frogs can you see? How many frogs can you CATCH!? (0:55)

We’d love to hear what you find! Just post to Instagram and mention @Cable.Natural.History.Museum or post to Facebook and “check in” at the Cable Natural History Museum. A Museum Naturalist will give you a personalized reply!

Read more!

Read these stories about frogs from Miss Emily’s Natural Connections blog.


Assista o vídeo: Sting - Shape of My Heart Official Music Video