As misteriosas mortes de Butch Cassidy e Sundance Kid

As misteriosas mortes de Butch Cassidy e Sundance Kid

Enquanto Carlos Pero encorajava sua mula a subir uma trilha acidentada no alto da Cordilheira dos Andes na manhã de 4 de novembro de 1908, o mensageiro da mineradora Aramayo, Francke e Cia mal percebeu que cada movimento seu estava sendo vigiado. Pero contou mais tarde que depois de escalar uma colina, ele foi “surpreendido por dois ianques, cujos rostos estavam cobertos com bandanas e cujos rifles estavam armados e prontos para disparar”. A dupla de bandidos mascarados roubou o correio da folha de pagamento da empresa e, em seguida, desapareceu na desolação pontilhada de cactos do sul da Bolívia.

Três dias depois, um quarteto de autoridades bolivianas encurralou uma dupla de americanos suspeitos de serem os perpetradores em uma casa alugada na poeirenta aldeia de San Vicente. A Pinkerton Detective Agency - que estava atrás de Butch Cassidy e Harry Longabaugh, conhecido como "Sundance Kid", por anos - havia alertado os bancos em toda a América do Sul para ficarem à procura da dupla que fugiu dos Estados Unidos para lá. Estados Unidos em 1901, e relatos posteriores relataram que essas eram as identidades dos dois americanos escondidos em San Vicente.

Quando um soldado boliviano se aproximou do esconderijo, os americanos atiraram nele. Seguiu-se uma breve troca de tiros. Depois que acalmou, o prefeito de San Vicente Cleto Bellot relatou ter ouvido “três gritos de desespero” seguidos por um único tiro, depois outro, dentro da casa. Quando as autoridades bolivianas entraram cautelosamente no esconderijo na manhã seguinte, encontraram os corpos dos dois estrangeiros.

O homem que se pensava ser o Sundance Kid estava caído contra uma parede com ferimentos de bala no corpo e um tiro na testa. O homem que se acredita ser Cassidy estava ao lado dele no chão com um buraco de bala na têmpora. Ao contrário do filme “Butch Cassidy e o Sundance Kid” de 1969, no qual os bandidos morrem em uma labareda de glória em meio a uma saraivada de balas, parecia que Cassidy havia atirado em seu parceiro ferido entre os olhos antes de apontar a arma contra si mesmo.

Em um inquérito, Pero identificou os cadáveres como os dos ladrões que o emboscaram - embora tudo o que ele já tivesse visto dos homens mascarados fossem seus olhos. Mas nem Pero nem qualquer outra pessoa identificou positivamente os dois homens mortos como Butch Cassidy e o Sundance Kid antes de seu alegado enterro em um túmulo sem identificação em um cemitério de San Vicente. Embora as descrições dos bandidos mortos tivessem alguma semelhança com os ladrões lendários, nenhuma fotografia dos corpos foi tirada para fornecer prova.

Sem evidências conclusivas para confirmar as mortes de Butch Cassidy e Sundance Kid, rumores se espalharam de que a dupla havia mais uma vez escapado do longo braço da lei, e avistamentos da dupla na América do Sul, México e Estados Unidos continuaram por décadas vir.

Os membros da família alimentaram as histórias, insistindo que os homens nunca foram mortos e, em vez disso, voltaram para os Estados Unidos para viver até a velhice. A irmã de Cassidy, Lula Parker Betenson, escreveu em seu livro de 1975 “Butch Cassidy, My Brother” que o fora-da-lei havia retornado ao rancho da família em Circleville, Utah, em 1925 para visitar seu pai doente e assistir a um casamento da família. Segundo Betenson, Cassidy contou à família que um amigo seu havia plantado a história de que um dos homens mortos na Bolívia era ele para que não fosse mais perseguido. Ela alegou que Cassidy viveu no estado de Washington com um pseudônimo até sua morte em 1937. Betenson disse que seu irmão foi enterrado em uma sepultura sem identificação em um local que foi mantido em segredo de família.

Por décadas, marido e mulher, os pesquisadores Daniel Buck e Anne Meadows vasculharam arquivos da América do Sul e relatórios policiais buscando rastrear a verdadeira história do que aconteceu com Butch Cassidy e o Sundance Kid, uma saga que Meadows detalhou em seu livro “Desenterrando Butch e Sundance. ” Embora a trilha de papel apontasse para a morte deles na Bolívia, evidências conclusivas sobre as identidades dos bandidos mortos em San Vicente em novembro de 1908 estavam sob o solo do cemitério da aldeia.

Os pesquisadores pediram a ajuda de Clyde Snow, o renomado antropólogo forense que identificou conclusivamente os restos mortais do criminoso de guerra nazista Josef Mengele e recebeu permissão das autoridades bolivianas para exumar os corpos dos ladrões. Guiados até seu suposto túmulo por um morador idoso cujo pai teria testemunhado o tiroteio, os escavadores em 1991 desenterraram o esqueleto de um homem junto com um pedaço de crânio de outro.

Após uma análise forense detalhada e uma comparação do DNA com os parentes de Cassidy e Longabaugh, Snow descobriu que não havia correspondência. Em vez disso, era provável que o esqueleto fosse de um mineiro alemão chamado Gustav Zimmer, que havia trabalhado na área. É possível que os corpos dos icônicos desesperados permaneçam enterrados em outro lugar do cemitério de San Vicente ou mesmo fora de seus muros. Sem qualquer prova conclusiva do paradeiro dos corpos de Butch Cassidy e Sundance Kid, no entanto, seu destino final permanece um mistério.


'Butch Cassidy e o garoto de Sundance:' Por que esse final?

Butch Cassidy e o Sundance KidO final de, um congelamento de nossos heróis fora da lei pouco antes de eles atacarem metade do exército boliviano, é repentino e pode até fazer o filme parecer incompleto. Com base em fatos históricos e nas probabilidades avassaladoras, podemos supor que essa "labareda de glória" termina com as mortes violentas de Butch e Sundance, interpretados por Paul Newman e Robert Redford. Mas por que o diretor George Roy Hill decidiu não nos mostrar o tiroteio? É uma das cenas mais memoráveis ​​do cinema dos anos 60, talvez porque não seja realmente uma "cena". É uma imagem parada, acompanhada pelos gritos dos soldados bolivianos e pelo som de enormes salvas de tiros.


Conteúdo

De acordo com um memorando da Agência de Detetives Pinkerton, datado de 29 de julho de 1902, ela foi "considerada. Ser do Texas", e em outro documento Pinkerton datado de 1906, ela é descrita como tendo "27 a 28 anos", colocando seu nascimento em 1878 ou 1879. Um registro da equipe do hospital de Denver, onde ela recebeu tratamento em maio de 1900, relata sua idade como "22 ou 23", colocando seu ano de nascimento em 1877 ou 1878.

Como a história de Etta Place, seu nome é um tanto ambíguo. "Place" era o sobrenome de solteira da mãe de Longabaugh (Annie Place), e ela está registrada em várias fontes como Sra. Harry Longabaugh ou Sra. Harry A. Place. No único caso em que se sabe que ela assinou seu nome, ela o fez como "Sra. Ethel Place". Os Pinkertons a chamaram de "Ethel", "Ethal", "Eva" e "Rita" antes de finalmente decidirem por "Etta" para seus cartazes procurados. [1] Seu nome pode ter se tornado "Etta" depois que ela se mudou para a América do Sul, onde falantes de espanhol tinham problemas para pronunciar "Ethel".

Em fevereiro de 1901, Etta Place acompanhou Longabaugh à cidade de Nova York, onde na joalheria da Tiffany's eles compraram um relógio de lapela e um alfinete, e posaram para o agora famoso retrato de DeYoung em um estúdio na Union Square na Broadway. É uma das duas únicas imagens conhecidas dela. Em 20 de fevereiro de 1901, ela navegou com Longabaugh e Parker (que agora se passava por "James Ryan", seu irmão fictício), a bordo do navio britânico Herminius para Buenos Aires.

Lá, ela se estabeleceu com os dois bandidos em um rancho que eles haviam comprado perto de Cholila, na província de Chubut, no sudoeste da Argentina, morando em uma cabana de madeira de quatro cômodos na margem leste do rio Blanco. Sob uma nova lei de 1884, eles receberam 15.000 acres (61 km²) de terras adjacentes para desenvolver, 2.500 dos quais pertenciam a Place, que tem a distinção de ser a primeira mulher na Argentina a adquirir terras sob a nova lei, como propriedade de terra anteriormente tinha sido negado às mulheres.

Em 3 de março de 1902, Longabaugh e ela voltaram para a cidade de Nova York na SS Príncipe Soldado, provavelmente para visitar a família e amigos nos Estados Unidos. Em 2 de abril, eles se registraram na pensão da Sra. Thompson na cidade de Nova York. Eles fizeram um tour por Coney Island e visitaram sua família (originalmente de Mont Clare, Pensilvânia, mas que na época morava em Atlantic City, Nova Jersey). Eles também possivelmente viajaram para um Hotel Inválido do Dr. Pierce em Buffalo, Nova York, para tratamento médico não especificado. Eles então viajaram para o oeste, onde novamente buscaram tratamento médico, desta vez em Denver, Colorado. Eles voltaram para Buenos Aires de Nova York em 10 de julho de 1902, a bordo do vapor Honorius, posando como mordomos. No dia 9 de agosto esteve com Longabaugh no Hotel Europa em Buenos Aires e no dia 15 embarcou com ele no vapor SS Chubut para voltar ao rancho.

No verão de 1904, ela fez outra visita com Longabaugh aos Estados Unidos, onde a Pinkerton Detective Agency os rastreou até Fort Worth, Texas, e à Feira Mundial de St. Louis, mas não conseguiu prendê-los antes de retornarem à Argentina. No início de 1905, o trio vendeu a fazenda Cholila, pois mais uma vez a lei começava a alcançá-los. A agência Pinkerton sabia seu endereço exato há meses, mas a estação das chuvas impediu o agente designado, Frank Dimaio, de viajar para lá e fazer uma prisão. O governador Julio Lezana emitiu um mandado de prisão, mas antes que pudesse ser executado, o xerife Edward Humphreys, um argentino galês que era amigo de Parker e apaixonado por Place, os avisou. O trio fugiu para o norte, para San Carlos de Bariloche, onde embarcaram no navio Condor através do Lago Nahuel Huapi e no Chile.

No final daquele ano, porém, eles estavam de volta à Argentina. Em 19 de dezembro de 1904, Place participou, junto com Longabaugh, Parker e um homem desconhecido, do assalto ao Banco de la Nacion em Villa Mercedes, 400 milhas a oeste de Buenos Aires. Perseguidos por homens da lei armados, eles cruzaram os Pampas e os Andes e novamente para o Chile.

Place há muito estava cansado da vida em fuga e lamentava profundamente a perda de seu rancho. A seu pedido, em 30 de junho de 1906, Longabaugh acompanhou-a de Valparaíso, Chile, a San Francisco, onde ela aparentemente permaneceu enquanto ele retornava definitivamente à América do Sul. Após essa separação, nenhuma evidência mostra que Longabaugh e Place se viram novamente.

Aqueles que conheceram Place afirmaram que a primeira coisa que notaram sobre ela foi que ela era incrivelmente bonita, com um sorriso muito bonito, e que ela era cordial, articulada, refinada na fala e nos modos, e um excelente atirador com um rifle. Diz-se que ela falou de maneira educada e indicou que era natural da Costa Leste, embora nunca tenha revelado uma localização exata.

Anos depois, testemunhas oculares disseram que Place era uma das cinco mulheres conhecidas por ter permissão para entrar no esconderijo do Wild Bunch em Robbers Roost, no sul de Utah, as outras quatro eram a namorada de Will Carver, Josie Bassett, que também esteve envolvida com Parker por um tempo A irmã de Josie e namorada de longa data de Parker, Ann Bassett, a namorada de Elzy Lay, Maude Davis, e a membro de gangue Laura Bullion. Acredita-se que Place já foi casada com uma professora, e pelo menos uma pessoa afirmou que a própria Place era uma professora que abandonou o marido e os dois filhos para ficar com Longabaugh. Também foi especulado que ela conheceu a gangue enquanto trabalhava como prostituta e era originalmente amante de Parker, e se envolveu com Longabaugh mais tarde, mas nenhuma evidência direta foi encontrada. Ela pode ter conhecido Parker e / ou Longabaugh no bordel de Madame Fannie Porter em San Antonio, que era frequentado por membros da gangue Wild Bunch. Vários membros de gangue encontraram namoradas na casa de Madame Porter, que mais tarde viajou com eles, incluindo Kid Curry e Della Moore, uma prostituta, e Will Carver e Lillie Davis. Acredita-se que Laura Bullion, membro da gangue Wild Bunch, tenha trabalhado no bordel de vez em quando. [2]

Editar teorias de identidade

Ethel Bishop Editar

O nome real do lugar foi sugerido como Ethel Bishop. Essa mulher morava em outro bordel, na rua Concho, 212, na esquina da casa de Madame Porter. No censo de 1900, a ocupação de Bishop foi dada como "professor de música desempregado". Nasceu na Virgínia Ocidental em setembro de 1876, ela tinha 23 anos na época. A hipótese Ethel Bishop combina a afirmação de que ela era uma professora com a de que ela era uma prostituta. [3]

Ann Bassett Editar

Outra conjectura é que ela era uma ladrão de gado chamada Ann Bassett (1878–1956), que conheceu e fugiu com o Wild Bunch na virada do século XX. Tanto Bassett quanto Place eram mulheres atraentes, com características faciais, estrutura corporal e cor de cabelo semelhantes. Bassett nasceu em 1878, mesmo ano em que se pensava que Place havia nascido. O Dr. Thomas G. Kyle, do Grupo de Pesquisa em Computação do Laboratório Nacional de Los Alamos, que realizou muitas comparações fotográficas para agências de inteligência do governo, conduziu uma série de testes em fotografias de Etta Place e Ann Bassett. Ambos tinham a mesma cicatriz ou topete no topo da testa. O Dr. Kyle concluiu que não poderia haver dúvida razoável de que eram a mesma pessoa. [4] A historiadora Doris Karren Burton também investigou a vida de ambas as mulheres e publicou um livro em 1992 afirmando que eram a mesma pessoa. [5]

No entanto, as cronologias de Bassett e Place não se alinham. Vários documentos provam que Bassett esteve em Wyoming durante grande parte do tempo em que Place esteve na América do Sul. Bassett foi preso e brevemente encarcerado em Utah por roubar gado em 1903, enquanto Place estava na América do Sul com Longabaugh e Parker. Bassett também se casou com seu primeiro marido em Utah naquele ano, portanto, não poderia ter estado na América do Sul naquela época. [6]

Eunice Gray Edit

Uma teoria outrora popular afirmava que ela era Eunice Gray, que por muitos anos operou um bordel em Fort Worth, e mais tarde dirigiu o Waco Hotel lá até que ela morreu em um incêndio em janeiro de 1962. Gray uma vez disse a Delbert Willis sobre o Fort Worth Press, "Moro em Fort Worth desde 1901. Exceto pela época em que tive que sair correndo da cidade. Fui para a América do Sul por alguns anos. Até que as coisas se acalmassem." Willis admitiu que Gray nunca alegou ser Etta Place - ele simplesmente fez essa conexão por conta própria, dadas as semelhanças entre as idades e o período em que Gray disse que ela estava na América do Sul coincidindo com o tempo de Place lá. Gray foi descrito como uma mulher bonita, e Willis acreditava que Place e Gray tinham uma semelhança notável um com o outro, mas nenhuma fotografia de Gray desse período está disponível para comparar com as de Place. Em 2007, a genealogista amadora Donna Donnell encontrou Eunice Gray em uma lista de passageiros de 1911 do Panamá. Seguindo essa pista, ela rastreou a sobrinha de Gray, que tinha duas fotos dela, uma delas foi tirada em sua formatura do ensino médio cerca de 1896 e outro de algum momento da década de 1920. Comparando essas fotos com as de Place, ambos concordaram que Eunice Gray definitivamente não era Etta Place. [7]

Madaline Wilson Editar

Outra teoria sugere que Place era na verdade Madaline Wilson, outra mulher do bordel de Fannie Porter. Sleuth Tony Hays observa que das cinco mulheres na "pensão" de Fannie, todas nasceram por volta de 1878-80. Uma mulher, Wilson, de 22 anos, apareceu nos registros do censo de 1900 do condado de Bexar, Texas, logo abaixo do nome de Madame Porter. Como Porter, Wilson foi listado como nascido na Inglaterra, imigrando para os Estados Unidos em 1884 com seis anos de idade. Hays teoriza que Wilson mudou seu nome, e que seu sotaque britânico, temperado por 16 anos na América, pode ser descrito como "refinado". Todos os vestígios de Wilson desapareceram após o censo de 1900, depois que Place e Longabaugh deixaram a cidade. [6]

Life after Longabaugh Edit

Um debate considerável ainda permanece quando o relacionamento de Place com Longabaugh terminou. Algumas afirmações indicam que Place terminou seu relacionamento com Longabaugh e voltou para os Estados Unidos antes de sua morte. Outros acreditam que os dois continuaram romanticamente envolvidos e que ela simplesmente se cansou da vida na América do Sul. Em 1907, ela já morava em San Francisco, mas depois disso, ela desapareceu sem deixar vestígios.

Em 1909, uma mulher que correspondia à descrição de Place pediu a Frank Aller (vice-cônsul dos Estados Unidos em Antofagasta, Chile) ajuda na obtenção de uma certidão de óbito para Longabaugh. Esse certificado não foi emitido e a identidade da mulher nunca foi confirmada. [8]

O escritor Richard Llewellyn afirmou que, enquanto estava na Argentina, encontrou indícios de que Place havia se mudado para o Paraguai após a morte de Longabaugh, e que ela havia se casado com um homem rico. Além disso, surgiram rumores de que Etta Place era na verdade Edith Mae, esposa do famoso promotor de boxe Tex Rickard, que se aposentou em um rancho no Paraguai logo após promover a famosa luta entre Jack Johnson e Jim Jeffries em 1910.

Um relatório Pinkerton afirma que uma mulher que corresponde à descrição de Place foi morta em um tiroteio resultante de uma disputa doméstica com um homem chamado Mateo Gebhart em Chubut, Argentina, em março de 1922. Outro relatório afirma que ela cometeu suicídio em 1924 na Argentina, e ainda outro afirma que ela morreu de causas naturais em 1966.

Várias afirmações adicionais foram feitas sobre sua vida após a morte de Longabaugh. Alguns acreditam que ela voltou para a cidade de Nova York, enquanto outras teorias sugerem que ela voltou para o Texas e começou uma nova vida lá. Uma alegação é que ela voltou para sua vida como professora, vivendo o resto de sua vida em Denver, Colorado, e outra história diz que ela viveu o resto de sua vida ensinando em Marion, Oregon. Além disso, várias alegações afirmam que ela voltou à prostituição, vivendo o resto de sua vida no Texas, Califórnia ou Nova York, mas essas alegações são mera especulação, sem qualquer evidência de apoio.

Pesquisador Larry Pointer, autor do livro de 1977 Em busca de Butch Cassidy, escreveu que a identidade e o destino de Place são "um dos enigmas mais intrigantes da história ocidental. As pistas se desenvolvem apenas para se dissolverem na ambigüidade". [9]


Aplicação da lei

No meio do segundo roubo, um misterioso pelotão aparece e começa a perseguir Butch e Sundance. "Quem são esses caras?" eles se perguntam, repetidamente. Eles destacam um marechal chamado Joe Lefors e um rastreador nativo americano chamado Lord Baltimore. Na vida real, EH Harriman contratou a Agência Nacional de Detetives Pinkerton para caçar a gangue de Cassidy. Os Pinkertons enviaram um destacamento atrás dos bandidos em 1899. O pelotão incluía Lefors, mas não Baltimore - ele não existia. A longa e inevitável busca do filme pelo oeste é fictícia. O verdadeiro Cassidy facilmente evitou o pelotão.


Conteúdo

Em 1899, em Wyoming, Butch Cassidy é o líder afável, inteligente e falador da gangue fora-da-lei Hole-in-the-Wall. Seu companheiro mais próximo é o lacônico "Sundance Kid". Os dois voltam para seu esconderijo em Hole-in-the-Wall (Wyoming) para descobrir que o resto da gangue, irritado com as longas ausências de Butch, escolheu Harvey Logan como seu novo líder.

Harvey desafia Butch para uma luta de faca pela liderança da gangue. Butch o derrota usando truques, mas abraça a ideia de Harvey de roubar a Union Pacific Overland Flyer trem em ambas as viagens para o leste e oeste, concordando que o segundo roubo seria inesperado e provavelmente renderia ainda mais dinheiro do que o primeiro.

O primeiro roubo vai bem. Para comemorar, Butch visita um bordel favorito em uma cidade próxima e observa, divertido, como o policial da cidade tenta, sem sucesso, organizar um pelotão para rastrear a gangue, apenas para ter seu endereço para o povo da cidade sequestrado por um vendedor de bicicletas amigável (ele liga é "o futuro"). Sundance visita sua amante, a professora Etta Place, e eles passam a noite juntos. Butch se junta a eles na manhã seguinte e leva Etta para um passeio em sua nova bicicleta.

No segundo assalto ao trem, Butch usa muita dinamite para explodir o cofre, que é muito maior do que o cofre do trabalho anterior. A explosão destrói o vagão de bagagem no processo. Enquanto a gangue luta para juntar o dinheiro, um segundo trem chega carregando uma equipe de seis homens da lei. O time de crack persegue Butch e Sundance, que tentam vários estratagemas para escapar, mas todos fracassam. Eles tentam se esconder no bordel e, em seguida, buscar a anistia do simpático xerife Bledsoe, mas ele diz que seus dias estão contados e tudo o que podem fazer é fugir.

Enquanto o pelotão continua em perseguição, apesar de todas as tentativas de evitá-los, Butch e Sundance determinam que o grupo inclui o renomado rastreador indiano "Lord Baltimore" e o implacável homem da lei Joe Lefors, reconhecível por seu skimmer branco. Butch e Sundance finalmente escapam de seus perseguidores pulando de um penhasco em um rio bem abaixo. Eles descobrem por Etta que o pelotão foi pago pelo chefe da Union Pacific, E. H. Harriman, para permanecer em seu encalço até que Butch e Sundance sejam mortos.

Butch convence Sundance e Etta de que os três devem ir para a Bolívia, que Butch vê como o paraíso de um ladrão. Ao chegar lá, Sundance fica consternado com as condições de vida e olha o país com desprezo, mas Butch continua otimista. Eles descobrem que sabem muito pouco espanhol para roubar um banco, então Etta tenta ensiná-los o idioma. Com ela como cúmplice, eles se tornam ladrões de banco bem-sucedidos, conhecidos como Los Bandidos Yanquis. No entanto, sua confiança cai quando eles veem um homem usando um chapéu branco (a assinatura do determinado homem da lei Lefors) e temem que o bando de Harriman ainda esteja atrás deles.

Butch sugere "ir direto", e ele e Sundance conseguem seu primeiro emprego honesto como guardas da folha de pagamento de uma empresa de mineração. No entanto, eles são emboscados por bandidos locais em sua primeira corrida e seu chefe, Percy Garris, é morto. Butch e Sundance matam os bandidos, a primeira vez que Butch atirou em alguém. Etta recomenda a agricultura ou pecuária como outras linhas de trabalho, mas eles concluem que a vida normal não é para eles. Sentindo que eles serão mortos caso voltem para o roubo, Etta decide voltar para os Estados Unidos.

Butch e Sundance roubam uma folha de pagamento e as mulas que a carregam e chegam a uma pequena cidade. Um menino reconhece a marca das mulas e alerta a polícia local, levando a um tiroteio com os bandidos. Butch tem que correr desesperadamente para as mulas para conseguir munição, enquanto Sundance fornece fogo de cobertura. Ambos estão feridos e se protegem em um prédio. Butch sugere que o próximo destino da dupla deve ser a Austrália. Eles saem do prédio, com as armas disparando, diretamente para uma saraivada de balas das tropas em massa que ocuparam todos os pontos de observação. O filme termina paralisado, com sons das tropas bolivianas atirando nos bandidos condenados.

    como Butch Cassidy como Sundance Kid como Etta Place como Percy Garris como Vendedor de bicicletas como Sheriff Bledsoe como Woodcock como Agnes como Harvey Logan como Marshal como Macon como "News" Carver como Flat Nose Curry como Card Player # 1 como Card Player # 2 como Mulher grande no trem

Edição de roteiro

William Goldman conheceu a história de Butch Cassidy no final dos anos 1950 e pesquisou intermitentemente por oito anos antes de começar a escrever o roteiro. [7] Goldman diz que escreveu a história como um roteiro original porque não queria fazer uma pesquisa para torná-la tão autêntica quanto um romance. [8] Goldman afirmou mais tarde:

Todo o motivo pelo qual escrevi o. Coisa, há aquela famosa frase que Scott Fitzgerald escreveu, que foi um dos meus heróis, "Não há segundos atos nas vidas americanas." Quando eu li sobre Cassidy e Longabaugh e a superposição que viria depois deles - isso é um material fenomenal. Eles correram para a América do Sul e moraram lá por oito anos e foi isso que me emocionou: eles fizeram um segundo ato. Eles eram mais lendários na América do Sul do que no velho oeste. É uma ótima história. Aqueles dois caras e aquela garota bonita indo para a América do Sul e todas essas coisas. Só me parece que é um material maravilhoso. [8]

A fuga dos personagens para a América do Sul fez com que um executivo rejeitasse o roteiro, já que era incomum em filmes de faroeste que os protagonistas fugissem. [9]

Edição de Desenvolvimento

De acordo com Goldman, quando ele escreveu o roteiro e o enviou para consideração, apenas um estúdio quis comprá-lo - com a condição de que os dois personagens principais não fugissem para a América do Sul. Quando Goldman protestou que foi isso que aconteceu, o chefe do estúdio respondeu: "Eu não dou a mínima. Tudo que sei é que John Wayne não fuja". [10]

Goldman reescreveu o roteiro, "não o alterou mais do que algumas páginas e, subsequentemente, descobriu que todos os estúdios o desejavam". [10]

O papel de Sundance foi oferecido a Jack Lemmon, cuja produtora, JML, havia produzido o filme Cool Hand Luke (1967), estrelado por Newman. Lemmon, no entanto, recusou o papel porque não gostava de andar a cavalo e sentiu que já havia interpretado muitos aspectos do personagem do Sundance Kid antes. [11] Outros atores considerados para o papel de Sundance foram Steve McQueen e Warren Beatty, que recusaram, com Beatty alegando que o filme era muito semelhante a Bonnie e Clyde. De acordo com Goldman, McQueen e Newman leram os roteiros ao mesmo tempo e concordaram em fazer o filme. McQueen acabou desistindo do filme devido a desentendimentos com Newman. Os dois atores acabariam se unindo no filme de desastre de 1974 The Towering Inferno. Jacqueline Bisset foi uma das principais candidatas ao papel de Etta Place. [12]

Edição de estreias

A estreia mundial do filme foi em 23 de setembro de 1969, no Roger Sherman Theatre, em New Haven, Connecticut. A estreia contou com a presença de Paul Newman, sua esposa Joanne Woodward, Robert Redford, George Roy Hill, William Goldman e John Foreman, entre outros. [13] Ele estreou no dia seguinte na cidade de Nova York [1] nos teatros Penthouse e Sutton. [14]

Edição de mídia doméstica

O filme foi disponibilizado em DVD em 16 de maio de 2000 em uma edição especial que também está disponível em VHS. [ citação necessária ]

Bilheteria Editar

O filme arrecadou $ 82.625 em sua semana de estreia em dois cinemas na cidade de Nova York. [14] Na semana seguinte, ele se expandiu e se tornou o filme número um nos Estados Unidos e Canadá por duas semanas. [15] [16] Ele acabou ganhando $ 15 milhões em aluguel de cinemas nos Estados Unidos e Canadá até o final de 1969. [17] De acordo com registros da Fox, o filme exigia $ 13.850.000 em aluguel para empatar e em 11 de dezembro de 1970 tinha ganho $ 36.825.000, então deu um lucro considerável para o estúdio. [18] Ele acabou retornando $ 45.953.000 em aluguéis. [19]

Com uma receita bruta final nos EUA de mais de $ 100 milhões, [20] foi o filme de maior bilheteria lançado em 1969.

Foi o oitavo filme mais popular de 1970 na França. [21]

Resposta crítica Editar

As primeiras críticas deram ao filme notas medíocres, e as críticas de Nova York e nacionais foram "misturadas a terríveis", embora melhores em outros lugares, o roteirista William Goldman relembrou em seu livro Qual mentira eu contei ?: Mais aventuras na troca de telas. [22]

Tempo A revista disse que as duas estrelas masculinas do filme "sofrem de esquizofrenia cinematográfica. Em um momento, eles são os restos vigorosos e maltratados de uma tradição descartada. No momento seguinte, são comediantes vulgares cujo relacionamento irritante - e o diálogo - poderiam ter sido retirados de um episódio de Batman e Robin . " [23] Tempo também criticou a trilha sonora do filme como absurda e anacrônica.

A crítica de Roger Ebert do filme foi uma mistura de 2,5 de 4 estrelas. Ele elogiou o início do filme e seus três atores principais, mas sentiu que o filme avançava muito devagar e tinha um final insatisfatório. Mas depois que Harriman contrata seu grupo, Ebert achou que a qualidade do filme diminuiu: "Hill aparentemente gastou muito dinheiro para levar sua empresa às locações para essas cenas, e acho que quando ele voltou para Hollywood, ele não suportou editá-las. da versão final. Assim, o Super-pelotão persegue nossos heróis incessantemente, até que há muito esquecemos como o filme começou bem. ” [24]

Com o tempo, os principais críticos de cinema americanos foram amplamente favoráveis. O Rotten Tomatoes dá ao filme um índice de aprovação de 88% com base em 52 avaliações e uma pontuação média de 8,3 / 10. O consenso crítico do site diz: "Com sua dupla icônica de Paul Newman e Robert Redford, roteiro animado e trilha sonora de Burt Bacharach, Butch Cassidy e o Sundance Kid caiu como um dos momentos decisivos no cinema americano do final dos anos 60. "[25]

The Writers Guild of America classificou o roteiro em 11º lugar em sua lista dos 101 maiores roteiros já escritos. [26]

Prêmios e nomeações Editar

Butch Cassidy e o Sundance Kid também ganhou recorde de nove British Academy Film Awards, incluindo Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Ator (ganho por Redford embora Newman também tenha sido indicado) e Melhor Atriz por Katharine Ross, entre outros. [28]

Em 2003, o filme foi selecionado para o Registro Nacional de Filmes dos Estados Unidos pela Biblioteca do Congresso como sendo "culturalmente, historicamente ou esteticamente significativo". O Arquivo de Filmes da Academia preservado Butch Cassidy e o Sundance Kid em 1998. [29]

Butch Cassidy e o Sundance Kid foi selecionado pelo American Film Institute como o sétimo melhor faroeste de todos os tempos na lista dos 10 principais 10 da AFI em 2008. [ citação necessária ]

Prêmio Categoria Destinatário / Nomeado Resultado
Prêmios da Academia Melhor foto John Foreman Nomeado
Melhor diretor George Roy Hill Nomeado
Melhor Roteiro Original William Goldman Ganhou
Melhor Cinematografia Conrad Hall Ganhou
Melhor Partitura Original Burt Bacharach Ganhou
Melhor Canção Original Burt Bacharach e Hal David Ganhou
Melhor som David Dockendorf e William Edmondson Nomeado
British Academy Film Awards Melhor filme George Roy Hill Ganhou
Melhor Direção George Roy Hill Ganhou
Melhor Ator em um Papel Principal Robert Redford Ganhou
Paul Newman Nomeado
Melhor Atriz em Papel Principal Katharine Ross Ganhou
Melhor Roteiro William Goldman Ganhou
Melhor Cinematografia Conrad Hall Ganhou
Melhor Edição John C. Howard e Richard C. Meyer Ganhou
Melhor Música Original Burt Bacharach Ganhou
Melhor som David Dockendorf e William Edmondson Ganhou
Golden Globe Awards Melhor Filme - Drama John Foreman Nomeado
Melhor Roteiro William Goldman Nomeado
Melhor Partitura Original Burt Bacharach Nomeado
Melhor Canção Original Burt Bacharach e Hal David Nomeado

O filme inspirou a série de televisão Alias ​​Smith e Jones, estrelado por Pete Duel e Ben Murphy como bandidos que tentam ganhar uma anistia. [30]

Uma paródia intitulada "Botch Casually and the Somedunce Kid" foi publicada em Louco. Foi ilustrado por Mort Drucker e escrito por Arnie Kogen na edição No. 136, julho de 1970. [31]

Em 1979 Butch e Sundance: os primeiros dias, uma prequela, foi lançada estrelando Tom Berenger como Butch Cassidy e William Katt como Sundance Kid. Foi dirigido por Richard Lester e escrito por Allan Burns. William Goldman, o escritor do filme original, era um produtor executivo. Jeff Corey foi o único ator a aparecer no original e na prequela.


Mas isso nos leva às cenas finais.

Em 3 de novembro de 1908, a folha de pagamento da empresa de mineração de prata Aramayo, na Bolívia, foi roubado por dois bandidos americanos. Uma grande quantia de dinheiro foi levada.

Mas, também foi levada uma mula. Essa mula tinha a marca da mineradora.
A mula se tornaria a razão para o fim de Butch e Sundance.

Poucos dias depois, os homens chegaram a San Vicente, Bolívia. É extremamente remoto e tem cerca de 15.000 pés de altura.
They found refuge for the night in a small house.
But the man who rented them the lodgings saw the brand and became suspicious.
He notified the authorities.

Several soldiers, along with the Mayor and others, approached the patio where the two men ate their dinner.

When the soldiers yelled for the men to surrender, two of them were shot and killed.
Very possibly this was the only time that Butch had killed someone.
The patio was surrounded by the soldiers and locals and there was a shootout.
As always with history, the facts are not clear.
One story is that one of the men tried to retrieve their rifles and ammunition from a pack mule and was killed.
Later, a single shot was heard.

Another story is that both men had been wounded
and that one of them had killed the other and then himself.

In the light of the next day, November 7, the two men were found dead.

The bodies were buried in unmarked graves and the world was told that the famous bandits,
Butch Cassidy and the Sundance Kid were dead.

Butch was 42 years old and Sundance was 41.

There is no actual evidence that the dead men really were Butch and Sundance.
But the sister of Sundance said that he had always written her and the letters stopped.

Regardless of rumors, there is no actual, credible evidence
that Butch ever returned to visit his family in the United States.

Years later, his sister wrote a book saying that he had visited in 1925.
Butch was the oldest of thirteen children but his other siblings denied that he had ever shown up.

Some of the reported sightings, including the story that Butch had been living near Spokane, were hoaxes.

However, the Pinkertons never actually closed the case.

It would be nice that Butch had survived. He was a gentleman outlaw.
But, I am sure that he and Sundance met their end, high in the Andes, in an unexpected and violent death.


I have based much of this webpage on a book that was first published in 1954.
The author, James Horan, had talked extensively with a Pinkertons detective,
(ninety years old at the time), who had been actively involved in the hunt for Butch and Sundance.
The author also spoke at length with Percy Siebert.

I believe this webpage is accurate.
I believe that Butch and Sundance really were killed in Bolivia.


Sundance Kid is not known to have killed anyone, despite being one of the most popular gunslingers in the Old West

Harry Alonzo Longabaugh better known as the Sundance Kid, was a notorious outlaw and member of Butch Cassidy’s Wild Bunch in the American Old West. Longabaugh likely met Butch Cassidy (real name Robert Leroy Parker) after Parker was released from prison around 1896.

Together with the other members of “The Wild Bunch” gang, they performed the longest string of successful train and bank robberies in American history.

Longabaugh was born in Mont Clare, Pennsylvania in 1867, the son of Pennsylvania natives Josiah and Annie G. Longabaugh. He was the youngest of five children (his older siblings were Ellwood, Samanna, Emma and Harvey). Longabaugh was of mostly English and German ancestry and was also part Welsh. Scroll down for video

At age 15, Longabaugh traveled westward in a covered wagon with his cousin George. In 1887, Longabaugh stole a gun, horse and saddle from a ranch in Sundance, Wyoming. While attempting to flee, he was captured by authorities and was convicted and sentenced to 18 months in jail by Judge William L. Maginnis.

During this jail time, he adopted the nickname of the Sundance Kid. After his release, he went back to working as a ranch hand, and in 1891, as a 25-year-old, he worked at the Bar U Ranch in what is today Alberta, Canada, which was one of the largest commercial ranches of the time.

Longabaugh was suspected of taking part in a train robbery in 1892, and in a bank robbery in 1897 with five other men. He became associated with a group known as the “Wild Bunch,” which included his famous partner Robert Leroy Parker, better known as Butch Cassidy.

Although Longabaugh was reportedly fast with a gun and was often referred to as a “gunfighter,” he is not known to have killed anyone prior to a later shootout in Bolivia, where he and Parker were alleged to have been killed. He became better known than another outlaw member of the gang dubbed “Kid”, Kid Curry (real name Harvey Logan), who killed numerous men while with the gang.

The “Sundance Kid” was possibly mistaken for “Kid Curry” many articles referred to “the Kid.” Longabaugh did participate in a shootout with lawmen who trailed a gang led by George Curryto the Hole-in-the-Wall hideout in Wyoming and was thought to have wounded two lawmen in that shootout. With that exception, though, his verified involvement in shootouts is unknown.

Longabaugh and Logan used a log cabin at what is now Old Trail Town in Cody, Wyoming as a hide-out as they planned to rob a bank in Red Lodge, Montana. Parker, Longabaugh, and other desperados met at another cabin brought to Old Trail Town from the Hole-in-the-Wall country in north-central Wyoming. That cabin was built in 1883 by Alexander Ghent.

Historically, the gang was for a time best known for their relatively low use of violence during the course of their robberies, relying heavily on intimidation and negotiation nevertheless, if captured, they would have faced hanging. However, that portrayal of the gang is less than accurate and mostly a result of Hollywood portrayals depicting them as usually “nonviolent.”

In reality, several people were killed by members of the gang, including five law enforcement officers killed by Logan alone. “Wanted dead or alive” posters were posted throughout the country, with as much as a $30,000 reward for information leading to their capture or deaths.

The Sundance Kid is seated first on the left.

They began hiding out at Hole-in-the-Wall, located near Kaycee, Wyoming. From there they could strike and retreat, with little fear of capture, since it was situated on high ground with a view in all directions of the surrounding territory. Pinkerton detectives led by Charlie Siringo, however, hounded the gang for a few years.

Parker and Longabaugh, evidently wanting to allow things to calm down a bit and looking for fresh robbing grounds, left the United States on February 20, 1901. Longabaugh sailed with his “wife” Etta Place and Parker aboard the British ship Herminius for Buenos Aires in Argentina.


The Myths and Legends of Butch Cassidy

So many myths and legends surround the life and demise of Butch Cassidy that it is difficult to sort fact from fiction. Charles Kelly related the story of sixteen-year-old Harry Ogden from Escalante, who spent his savings to purchase a good horse and a sixty-dollar saddle. When out riding along the border of Robbers’ Roost in 1898, an outlaw on a jaded mount forced young Ogden off his horse, gave the boy a quick kick in the pants, then rode off on Ogden’s animal. About three weeks later, Ogden received visitors at his home in Escalante. One of the men was Butch Cassidy, another was the outlaw who had stolen Ogden’s horse and was still riding it. When Cassidy asked Ogden if he had lost a horse, the boy quickly identified it. Butch Cassidy then ordered the outlaw off the horse and told him “to start walking toward a distant gap in the hills and keep on going.” He then said, “We don’t have any room in this country for a man who will mistreat a young boy.󈮂

Most who knew him described Butch Cassidy as an agreeable fellow with a sense of humor, generous with his associates, and quick to make friends with children. He also liked the ladies, and many apparently returned his affections. There is no documentation that he ever killed anyone, although some members of his loosely formed gang, called “The Wild Bunch,” could not make that claim. One of the prevailing beliefs, and one perpetuated by the movie Butch Cassidy and the Sundance Kid, is that Cassidy and the Sundance Kid met their deaths in Bolivia when they were involved in a shoot-out with the local military in 1912. There is no question that the two went with Etta Place to Argentina and later were in Bolivia. However, many individuals claim that Cassidy returned to the United States—some say to California, others claim to the Pacific Northwest—and lived the rest of his life within the law under an assumed identity.

Among those making the claim were members of his own family his sister Lula Parker Betenson claimed that Cassidy came for a visit in the fall of 1925. On that occasion he told members of his family that a friend, Percy Seibert, from the Concordia Tin Mines near San Vicente, Bolivia, identified the two bodies as being those of him and Sundance. Cassidy figured Seibert did this so he could make a new start for himself without being chased by the law, either in the United States or in South America. Apparently he had expressed just such a desire to Seibert on several occasions. In addition to his family’s claims, many former associates in Wyoming insisted that Butch Cassidy returned there for a visit in the 1930s.

Some residents of Garfield County also claim that they saw Butch Cassidy during the 1930s. In her autobiography, Emma Allene Savage Riddle recalled her experience: “One day I went with Dad to visit Elijah Moore. There were several other men at his home when we arrived. Elijah introduced us to them and one of them was an outlaw by the name of Leroy Parker, alias Butch Cassidy. This was after Butch had been reported killed in Bolivia, South America. I was in awe of the man, thinking I had met a real honest-to-goodness outlaw.󈮅

Wallace Ott told that Lige Moore invited him to come over to his home to meet Butch in 1937 or 1938. Ott said Kenneth Goulding, Sr., was also present. Reportedly Butch rehearsed for those gathered how he came to lead his life. He told Ott that while attending a dance in Panguitch he got into a fight with the boyfriend of one of the girls he danced with. At first everyone thought Butch had killed the guy, rather than just knocking him out. He quickly fled town, followed by a posse. In Red Canyon he eluded his pursuers by detouring up a gulch in the dark the posse rode on past him. Cassidy eventually made his way back to Circleville, where he packed up and headed for Colorado. A draw in Red Canyon today bears Cassidy’s name. The sequence of his exploits as he reportedly related them to those gathered in the Moore home does not agree with what has been written by others, and so the stories and speculation continue.

Sources:
46 Kelly, Outlaw Trail, 168󈞱.
49 Emma Allene Savage Riddle, autobiography, undated typescript, 1. The authors thank Nancy Twitchell for providing them a copy of this.

Charles Kelly believes the two died in Bolivia, but Pointer presents some compelling evidence disputing that theory. Betenson, Butch Cassidy, 184󈟁. Wallace Ott, interview with Linda King Newell, 4 July 1995, transcript in possession of authors. Ott, interview, 1993. Butch Cassidy Draw is the first major drainage area east of the two tunnels that motorists on Utah Highway 12 pass through today.


Did Butch Cassidy and Sundance Kid Die in Bolivia? Yes, but . . .

Butch Cassidy and the Sundance Kid met their maker in a dusty Bolivian town on Nov. 6, 1908. Historians say they are dead. What refuses to die is the legend that they survived that shootout and lived on.

Now comes a batch of new research that tends to lay the legend in its grave. But don’t bank on it.

A husband-and-wife team of researchers, Daniel Buck and Anne Meadows, after 10 years of digging, have exhumed long-lost Argentine police files that appear to locate the two desperadoes just where conventional wisdom says they should have been in the late 1900s, Bolivia.

Their findings are in the January issue of True West, but Buck is the first to concede that they do not constitute proof positive.

“There’s never a final word,” Buck said from his home in Washington, D.C. “You can only build circumstantial cases here. No one identified them when they were buried, and there are no photographs [of the bodies].

“But, then, no one has proven they came back, either. Then you build a positive circumstantial case that they were the two guys who died in Bolivia.”

Butch Cassidy was christened Robert Leroy Parker by his Mormon pioneer parents. The Sundance Kid’s real name was Harry Longabaugh. The two and their gang, known as the Wild Bunch, held up banks and robbed trains in the Rocky Mountains in the 1890s.

With the law on their heels, they fled to Argentina in 1901, along with Sundance’s girlfriend, Etta Place. The three homesteaded a ranch in the Cholila Valley. By 1905, though, they were back to robbing banks.

Most historians believe that Butch and Sundance died in a shootout in San Vincente, a town in Bolivia, across Argentina’s northern border, where a patrol discovered them holed up in a rented hut.

A gunfight ensued, ending when darkness fell. Later that night, townspeople reported hearing screams and two shots. In the morning, they found both outlaws dead, both shot in the head.

The writers Buck and Meadows believe that rather than be captured, Cassidy shot Sundance, then himself.

Since 1985 they had chased a rumor that police files would nail down the pair’s identity. In September they finally received a nine-pound, 1,500-page package of photocopied reports on outlaw bands that terrorized southern Argentina in the early 1900s.

A letter and three notes in the package of material were in Cassidy’s handwriting. They also found a Spanish translation of a letter from Sundance, and two other letters referring to the outlaws.

Cassidy, under his alias of “J.P. Ryan,” wrote on Feb. 29, 1904, to Dan Gibbon, a Welsh immigrant friend living in the Andean foothills of Chubut:

“I have been laid up with a bad case of the Town Disease and I don’t know just when I will be able to ride, but as soon as I am able I will be down. Look out for my horse.”

The letter was posted in Cholila. (And Cassidy probably had gonorrhea.) The papers included a receipt for Ryan’s purchase, for 150 pesos, of a chestnut stallion. Ryan added a postscript transferring ownership of the horse to Gibbon.

Another document details expenses by Ryan and “H. Place,” an alias used by Sundance, for routine ranching expenses.

The police record also held a June 28, 1905, letter from Sundance, translated into Spanish, and also addressed to Gibbon. It was posted in Valparaiso, Chile:

“I don’t want to see Cholila ever again, but I will think of you and of all our friends often. . . . . ” The letter also mentions leaving with his “wife,” presumably Etta Place, for San Francisco.

A June 30, 1905, visit by Sundance and Etta Place to his brother, Elwood, who lived in San Francisco, is recounted in Donna Ernst’s book, “Sundance, My Uncle.”

Jim Dullenty, founder of the Western Outlaw Lawman History Assn., says the papers are not conclusive, but “this is additional evidence that Butch and Sundance died in Bolivia.”

“I strongly believe it hasn’t been proven one way or the other,” he said from Hamilton, Mont. “This is still an unsolved mystery . . . [but] I would say the evidence is beginning to weigh more on the side of them dying in South America.”

Still, tales of one or both of the outlaws escaping back to the United States are unlikely to fade.

William T. Phillips, a Spokane, Wash., man who died in 1937, wrote an article titled “The Bandit Invincible,” in which he claimed that Cassidy survived the shootout, had plastic surgery in Paris, married and eventually moved to Spokane about 1910.

Buck says recent research has shown Phillips to have been most likely an impostor born in Michigan who picked up on the outlaw’s legend when he moved West.

Harold Schindler, who has written extensively on the Old West for the Salt Lake Tribune, remains unconvinced by Buck and Meadows’ discovery.

Schindler favors a 1991 account by a retired Utah Highway Patrol trooper, Merrill Johnson, who has since died. Johnson said his father-in-law, John Kitchen, introduced him in 1941 to “an old friend of the family, Bob Parker--Butch Cassidy.”


Last Outlaw of the West – The Final Fate of the Sundance Kid

Does the Sundance Kid need an introduction? The adventurer and bank robber, usually mentioned with his partner Butch Cassidy and the Wild Bunch Gang, is familiar to anyone who ever heard of the term the Wild West.

Sundance Kid, who was born Harry Alonzo Longabaugh, was known to be a resourceful bandit and a person with a light trigger finger. But was it really so? To this day, no evidence has been found that Longabaugh ever killed anyone. He robbed banks, for sure. And acted violently―most probably. But no one died at his hand at least no record exists that can claim otherwise.

So let’s start from the beginning. Harry Alonzo Longabaugh was born in Mont Clare, Pennsylvania, in 1867. His parents were of English descent, with German and Welsh ancestry. He began his outlaw career at the age of 20 when he stole a gun and a horse but ended up in jail for 18 months.

It was during his prison sentence that he adopted the nickname “the Sundance Kid.” After serving his time, the Sundance Kid went to work in a large ranch in Canada, but a few years down the road, he decided to return to a life of crime.

In 1892, the Sundance Kid was a prime suspect in a train robbery, and in 1897, he and five more men broke into a bank. He became associated with Robert LeRoy Parker, aka Butch Cassidy, and his gang, dubbed the Wild Bunch. Together they would pass into legend as the last outlaws of the Wild West.

Constantly playing “cat and mouse” with agents from the infamous Pinkerton National Detective Agency, the Wild Bunch lived up to its name, as several people were killed during their actions. This is noted due to the image created mostly by Hollywood pictures, in which the gang usually performed non-violent robberies, relying on sheer intimidation, or negotiating with clerks and hostages.

The gang operated mostly in Wyoming, using a cleverly picked hiding place known as the Hole-in-the-Wall. During one of the raids on their hideout, Longabaugh did participate in a shoot-out, when he allegedly wounded two Pinkerton detectives.

This is the only known case in which the Sundance Kid actually shot someone―luckily for the agents, with less success than perhaps intended.

Harry A. Longabaugh, alias the Sundance Kid, Ben Kilpatrick, alias the Tall Texan, Robert Leroy Parker, alias Butch Cassidy Standing: Will Carver & Harvey Logan, alias Kid Curry Fort Worth, Texas, 1900.

The confusion surrounding his reputation runs deeper, as the Sundance Kid was known as one of the fastest guns in the West during his life. An explanation of this misconception most probably lies in a mistaken identity. There were, in fact, two members of the Wild Bunch dubbed “the Kid.” The first one was, of course, Sundance. But the second one, Kid Curry, remains nothing but a footnote in the history of those turbulent times.

Kid Curry, which was an alias for a man called Harvey Logan, was the one prone to excessive violence and murder. During the robberies conducted by the Wild Bunch, Logan was responsible for killing at least five officers.

Harry Longabaugh, alias the Sundance Kid, and Etta Place

Since the gang was no stranger to murder, how did the Sundance Kid manage to keep his hands clean?

Well, that remains a question to be answered, but even though he didn’t kill anyone in the United States, he most probably did during the final shootout which claimed his life, together with the life of his partner in crime, Butch Cassidy, in Bolivia in 1908.

As early as 1901, the Wild Bunch decided to disband to avoid capture and death. The country was swarming with “Dead or Alive” posters with their faces on them. Butch Cassidy, the Sundance Kid, and Etta Price, Kid’s lady companion, decided to flee to Argentina, with the Pinkertons still on their tail.

During their time in South America, the bandits conducted more robberies and raids, living off what they knew best. That was until a Pinkerton posse tracked them down. The two allegedly lost their lives while in a desperate shootout that took place in 1908, in a small village called San Vicente, in southern Bolivia.

Outnumbered and outgunned, their story became legendary, and from that point on was used in numerous fictional portrayals in literature, film, and television.


Engineer William T. Phillips claimed he was the real Cassidy

For many years, it was believed that a Spokane engineer named William T. Phillips was in fact Cassidy. He seems to have done everything possible to encourage this theory, even writing a book – Bandit Invincible – about Cassidy’s exploits. He also died in 1937, though Lula claimed he was not Cassidy.

It does appear that Phillips was an imposter. Historian Larry Pointer has uncovered two mugshots – one of Cassidy and one of Phillips, from the same period in Wyoming. It appears the two men probably served time together in the penitentiary, and that Phillips may have ridden for a time with the Wild Bunch.

In the early 1990s, two bodies believed to be Cassidy and Sundance were exhumed in Bolivia. DNA tests conducted by Clyde Snow, one of the nation’s foremost forensic anthropologists determined they were not Cassidy and Sundance.

According to Bill Betenson, his family knew exactly where Cassidy was buried after his alleged real death in 1937: “My great-grandmother, Butch’s little sister Lula, was very clear. She said that where he was buried, and under what name, was a family secret that he was chased all his life and now he had a chance to finally rest in peace – and that’s the way it must be.”


Assista o vídeo: The Mystery Story Of Etta Place - Adventure with Butch Cassidy and The Sundance Kid