Santo Ambrósio

Santo Ambrósio


História

Em 1899, a fim de acomodar o número crescente de famílias católicas que se amontoavam na seção de Ashmont e tinham dificuldade de frequentar sua igreja paroquial em Lower Mills, construiu uma capela de madeira substancial que acomodaria setecentas pessoas e a dedicou a Saint Marque o Evangelista, sendo São Gregório a “Igreja Matriz”. . Tinha uma base de tijolos e foi construída na esquina da Dorchester Avenue com a Roseland Street.

O território ao redor da nova Capela de São Marcos começou a encher-se de moradias tão rapidamente nos cinco anos seguintes que foi necessário fazer de São Marcos uma paróquia independente em 17 de dezembro de 1905, quando foi colocada pelo Arcebispo Williams sob os cuidados do Padre John A. Daly.

Os limites da Paróquia de São Marcos são os mesmos hoje do início e são os seguintes - no norte pela Melville Avenue e Parkman Street no leste pela Adams Street no sul pela Ashmont Street e no oeste por Washington Rua. Com esses limites estreitos, a Paróquia de São Marcos é provavelmente a menor paróquia territorialmente em todo o país. Tem apenas três quartos de milha quadrada, com a igreja quase exatamente no centro. Logo depois que o padre Daly assumiu o comando, tornou-se evidente que logo ele teria que construir uma igreja maior, bem como uma escola paroquial e um convento, e se preparar para aquela população em rápida expansão. Em maio de 1910, o Gately Estate na Samoset Street por US $ 7.500 e dois anos depois as terras agrícolas adjacentes que se estendiam até a Center Avenue por US $ 3.000. Hoje é o site da escola e do convento. Então, em mais dois anos, ele garantiu o grande Driscoll Estate por $ 12.000, no qual a atual igreja foi construída.

Neste mesmo ano de 1914 a nova igreja foi iniciada no dia 4 de fevereiro e em menos de um ano estava pronta para ocupação em 24 de janeiro de 1915. Foi solenemente consagrada no domingo, 30 de maio de 1915, por Sua Eminência William Cardeal O'Connell, um colega de faculdade do Padre Daly. A nova igreja é construída em tijolos em estilo gótico Tudor, com detalhes em arenito.


Edição de Fundação

St. Ambrose foi fundado como um seminário e escola de comércio para jovens em 1882, conhecido como St. Ambrose Academy. Deve o seu início ao primeiro bispo de Davenport, O Reverendíssimo John McMullen, DD, que o fundou sob os auspícios da Diocese de Davenport. A afiliação continua forte hoje. [ citação necessária ]

Nos primeiros três anos, as aulas foram ministradas em duas salas da antiga Escola de Santa Margarida, localizada no terreno do que hoje é a Catedral do Sagrado Coração, em Davenport. O bispo McMullen morreu em 1883 e o reverendo "A.J." Aloysius Schulte foi nomeado o primeiro presidente de Santo Ambrósio aos 23 anos. [ citação necessária ]

A escola foi transferida para Locust Street em 1885, onde a parte central do atual Ambrose Hall foi construída. Localizado em um bosque isolado de carvalhos, o local ficava bem longe da cidade. Nesse mesmo ano, Santo Ambrósio foi incorporado como "uma instituição literária, científica e religiosa". Os artigos de incorporação declaravam: “Nenhuma fé religiosa particular será exigida de qualquer pessoa para lhe dar o direito de admissão ao referido seminário. [4] ”

No início do século 20, uma divisão mais clara estava sendo feita entre a academia do ensino médio e o programa da faculdade. Em 1908, o nome da instituição foi oficialmente alterado para “St. Ambrose College ”para expressar a missão da instituição. As aulas noturnas foram inauguradas em 1924, e a primeira sessão da escola de verão foi realizada em 1931. [ citação necessária ]

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Marinha dos Estados Unidos escolheu o St. Ambrose College como local para o treinamento de muitos oficiais. Por um curto período, as aulas regulares cessaram e o campus tornou-se um campo de treinamento para os esquadrões V-12 da Marinha. [5]

St. Ambrose Academy Editar

O programa do ensino médio, St. Ambrose Academy, foi fundado ao mesmo tempo que a faculdade e instalado nos prédios da faculdade. De 1886 a 1931, alguns dos alunos da academia foram internados no campus. [6] O reverendo Ambrose Burke, que se tornaria o presidente da faculdade em 1940, foi nomeado o primeiro diretor da academia em 1929. Em 1955, a diocese decidiu que Davenport deveria ter uma escola secundária católica central, e que Santo Ambrósio e a Imaculada Conceição academias devem ser fundidas. Eles se mudaram para seus novos aposentos na Assumption High School em 1958. Essa mudança proporcionou espaço adicional no campus para o crescimento contínuo da faculdade. [ citação necessária ]

Edição de crescimento

Em 1968, St. Ambrose tornou-se totalmente misto, embora as mulheres estivessem tendo aulas no campus desde os anos 1930.

St. Ambrose começou a oferecer aulas de pós-graduação em 1977 com o programa de mestrado em administração de empresas H.L. McLaughlin. Suas ofertas de pós-graduação desde então se expandiram para 14 programas.

Em 23 de abril de 1987, o St. Ambrose College tornou-se a St. Ambrose University sob a direção do Conselho de Diretores. A universidade foi organizada nas faculdades de Negócios, Serviços Humanos (agora Saúde e Serviços Humanos) e Artes e Ciências.

Em 1997, a St. Ambrose começou a oferecer seu primeiro programa de doutorado, o Doctor of Business Administration (DBA).

A universidade matricula 3.118 alunos, no outono de 2017. [1] 2.370 desses alunos eram alunos de graduação e 748 eram alunos de pós-graduação. O corpo discente é aproximadamente 60 por cento feminino e 86 por cento são estudantes em tempo integral. Mais de 12% dos alunos se identificam como pertencentes a um grupo minoritário. [ citação necessária ]

A universidade emprega 335 membros do corpo docente e 270 funcionários. A proporção aluno-professor é de aproximadamente 12 para 1, com turmas em média de 20 alunos. [ citação necessária ]

Irmã Joan Lescinski, CSJ substituiu o Dr. Edward Rogalski como presidente em 2007, tornando-se a primeira mulher a ocupar esse cargo. [ citação necessária ]

Para uma universidade de seu tamanho, St. Ambrose possui uma grande variedade de programas acadêmicos de graduação [7] e pós-graduação [7]. Com uma forte ênfase nas artes liberais, os alunos de graduação devem fazer uma ampla variedade de cursos de educação geral em filosofia, teologia, artes / humanidades e ciências.

Programas notáveis ​​incluem um dos únicos programas de Mestrado em Terapia Ocupacional que levam a um diploma de terapeuta ocupacional registrado no estado de Iowa. [8] Além disso, as taxas de aprovação no Exame Nacional de Fisioterapia são consistentemente altas; a taxa média de dois anos é de 97%. [9]

Existem 13 programas de mestrado [10] e três programas de doutorado: fisioterapia, [11] terapia ocupacional [12] e administração de empresas. [13]

St. Ambrose University é credenciada pela Comissão de Ensino Superior. Em sua revisão de 2017-18, a Comissão recomendou uma aprovação de 10 anos para St. Ambrose.

Edição de acreditações especializadas

College of Business Edit

Por meio de seu credenciamento pelo Conselho de Credenciamento para Escolas e Programas de Negócios, o College of Business também credenciou programas de graduação, pós-graduação e liderança organizacional. [14]

Edição de Educação

Edição de engenharia industrial

A Comissão de Credenciamento de Engenharia do Conselho de Credenciamento de Engenharia e Tecnologia [16] [17]

Edição de engenharia mecânica

A Comissão de Credenciamento de Engenharia do Conselho de Credenciamento de Engenharia e Tecnologia [16] [17]

Edição de enfermagem

Comissão de Educação Colegiada em Enfermagem (CCNE) [18]
O Conselho de Enfermagem de Iowa [19]

Terapia ocupacional Editar

Conselho de Acreditação para Educação em Terapia Ocupacional (ACOTE) da American Occupational Therapy Association (AOTA) [20]

Fisioterapia Editar

Edição de trabalho social

Fonoaudiologia Editar

Conselho de Credenciamento Acadêmico da American Speech-Language Hearing Association [21] (ASHA) 2019–2027.

Médico assistente de estudos Editar

Status de provisão de credenciamento pelo ARC-PA [22]

Em 2020, a St. Ambrose University foi rotulada como uma "Faculdade de Distinção". [23] No mesmo ano, U.S. News & amp World Report classificou a St. Ambrose University em 27º para Universidades Regionais do Meio-Oeste em uma região de 12 estados. [24] É também a 19ª universidade do país em Best Colleges for Veterans devido a ajudar os veteranos e membros do serviço ativo a pagar por seus diplomas e 32º no geral no país pelo valor total (calculado em 2019-2020, custo líquido de atendimento) [ 24]

Em 2019, The Princeton Review classificou a universidade em sua seção Melhor do Meio-Oeste de sua "2020 Melhores Faculdades Região por Região". [25]

As equipes atléticas de St. Ambrose [26] são conhecidas como Fighting Bees. A universidade é membro da National Association of Intercollegiate Athletics (NAIA), competindo na Chicagoland Collegiate Athletic Conference (CCAC). A equipe St. Ambrose Football compete na Mid-States Football Association (MSFA) Midwest League, a equipe masculina de vôlei compete na Chicago Collegiate Athletic Conference (CCAC), as equipes masculinas e femininas de lacrosse competem na Kansas Collegiate Athletic Conference (KCAC), e esportes masculinos e femininos competem na National Association of Collegiate Esports (NACE). [ citação necessária ]

Os esportes masculinos incluem beisebol, basquete, boliche, cross country, futebol, golfe, lacrosse, futebol, natação / mergulho, tênis, atletismo e vôlei. Os esportes femininos incluem basquete, boliche, dança competitiva, cross country, golfe, futebol, softball, natação / mergulho, tênis, atletismo, lacrosse e voleibol. Os esportes mistos incluem torcida e esportes esportivos. [ citação necessária ]

    , projetado por Victor Huot, é o prédio mais antigo do campus e está listado no Registro Nacional de Locais Históricos. [citação necessária], localizado fora do campus, na esquina da Brady Street e Kirkwood Boulevard e abriga os escritórios da Alumni and Advancement, está listado no National Register of Historic Places. [citação necessária]
  • O Centro Rogalski, construído em 2004, abriga praça de alimentação, livraria, salão de festas e escritórios administrativos, entre outros. Sua função é comparável à de um prédio de sindicato estudantil. [citação necessária]
  • A capela de Cristo Rei, projetada pelo arquiteto de Cincinnati Edward J. Schulte, tem uma torre proeminente de tijolos brancos e foi construída em 1952. [27] Ela passou por uma renovação de $ 5,2 milhões em 2007. [28]
  • A Biblioteca da Universidade St. Ambrose foi projetada em 1995 por Evans Woolen de Woolen, Molzan and Partners. A biblioteca foi inaugurada em março de 1996. [29]

KALA (FM) (88.5FM / 106.1 FM) Esta estação de rádio sem fins lucrativos de formato público de 10.000 watts, localizada no campus do Galvin Fine Arts Center, transmite para todas as cidades quadradas. O formato variado da estação, inclui notícias locais e nacionais, informações e entretenimento da Rádio Pública e da Rádio Pública Internacional. O formato da música inclui jazz mainstream e fusion, blues, roots, gospel, latino, rock clássico, oldies, música pop, contemporâneo urbano e R & ampB clássico. A KALA também é afiliada ao programa Floydian Slip do Pink Floyd. A estação também cobre programas de rádio "ao vivo", como notícias do campus da SAU, um calendário local de eventos, atualizações diárias do clima e programas de rádio dirigidos por estudantes. Um dos pilares do compromisso da estação com a comunidade universitária é a cobertura ao vivo / remota dos eventos esportivos da St. Ambrose University. Isso inclui os jogos de basquete, futebol americano e beisebol do SAU's Fighting Bees / Queen Bees. [ citação necessária ]

SAUtv é o canal de televisão do Centro de Comunicação da Universidade St. Ambrose. On-line, a canalização do programa e o conteúdo dos alunos são transmitidos em toda a área da cidade Quad no canal a cabo local. Isso inclui Dateline SAU, The Ray Shovlain Show, The Krista Van Hauen Show e Mike Magistrelli Show. A emissora e as emissoras estudantis individuais ganharam prêmios devido à qualidade de seu conteúdo da Iowa Broadcast Network Association (IBNA). SAUtv também tem cobertura ao vivo de esportes da St. Ambrose University, incluindo Fighting Bee e Queen Bee basquete, futebol e jogos de beisebol. [30]


Santo Ambrósio - História

Durante as décadas de 1920 e 1930, uma grande migração de famílias alemãs e checas mudou-se
para a área do muro para cultivar e fazer para si uma casa. A maioria dessas pessoas eram
das freguesias de São José e São Bonifácio, no concelho de Runnels. Algumas famílias eram de
lugares mais distantes, incluindo os condados de Falls e Colorado.

Uma vez que essas famílias eram predominantemente católicas, eles trouxeram sua fé com eles
junto com seus arados e espírito pioneiro. Essas famílias católicas assistiam à missa em
Paróquia do Sagrado Coração em San Angelo, e as crianças também frequentavam aulas de catecismo.
Durante esse tempo, os católicos do Muro lembram que, quando o festival era realizado, o país
as pessoas eram convidadas a assar o peru e a ajudar no trabalho do festival. A celebração
geralmente acontecia no centro da cidade e incluía um jantar e um baile.

À medida que a população católica crescia, uma aparente necessidade de uma igreja católica se desenvolveu.
Durante o verão de 1940, várias famílias católicas se reuniram na casa do Sr. e
Sra. Frank Gerngross, Sr. para discutir a possibilidade de construção de uma igreja católica em
Muro. Os presentes foram:

Sr. e Sra. Frank Hirt Sr. e Sra. Elo Wilde
Sr. e Sra. A.W. Strube, Sr. Sr. e Sra. Mack Halfmann
Sr. e Sra. Ben Book Sr. e Sra. W.E. Mikulik
Sr. e Sra. Frank Gerngross, Sr.

Nesta época a Diocese de San Angelo ainda não havia sido formada e esta área fazia parte
da Diocese de Amarillo. Este bispo da Diocese de Amarillo era o Reverendíssimo
Robert E. Lucey.

Pouco depois desta reunião, Sr. e Sra. Frank Gerngross, Sr. e Sr. e Sra. Mack
Halfmann foi visitar o pastor da Igreja Católica de São José em Rowena. O pastor era
o falecido Rt. Rev. Monsenhor Francis J. Pokluda. Monsenhor Pokluda tinha um grande interesse em
o número crescente de católicos em Wall, especialmente porque muitos deles vieram de
Rowena e ele os conheciam pessoalmente. Monsenhor Pokluda era muito a favor de
começando uma nova igreja, e em Wall. Ele queria envolver o resto da comunidade.
Ele queria encontrar um lugar onde eles pudessem começar a ter missa e prometeu providenciar um
padre por isso.

Uma reunião foi realizada no auditório da escola Wall em 18 de julho de 1940. Todos os católicos
na área foram convidados a participar e discutir a possibilidade de começar uma nova paróquia e
construir uma nova igreja. Monsenhor Pokluda conduziu a discussão nesta reunião de cerca de sessenta
pessoas. Nessa reunião, o Comitê da Igreja original foi selecionado e consistia em:


Nossa história

O cardeal Gibbons atribuiu ao padre Philip Walsh, assistente na paróquia de São Gregório, a tarefa de
indo para o bairro de Park Heights para determinar se uma paróquia era necessária. Padre Walsh
desceu da carruagem no final de 1906 e começou seu trabalho. Ele primeiro reuniu o
Famílias católicas no salão de baile do Old Suburban Hotel, que geralmente ficava vago em
Domingo de manhã. Além do hotel e alguns edifícios extensos, o jovem padre viu pouco
mais na vizinhança. Pequenas casas e lojas estavam desconectadas ao longo da Park Heights Avenue
enquanto subia para o Pimlico Race Track. O padre Walsh estava esperançoso!
Durante o primeiro ano, não houve reitoria ou igreja e a igreja não possuía nenhuma propriedade. Pai
Walsh continuou a viver na casa paroquial de São Gregório e comutou para o território paroquial. Depois ele
encontrou alojamento na esquina de Wylie e Park Heights no edifício que agora abriga um
barbearia. Mais tarde, ele morou em uma casa alugada em 4773 Park Heights Avenue até que comprou um
casa em 1909 na esquina de Wylie e Park Heights, o local atual do edifício do nosso convento.
O Padre Walsh decidiu atacar as profundezas, e com fé em Deus e nas pessoas, poucos
embora sejam, ele foi capaz de comprar uma propriedade na esquina de Wylie e Park Heights
Avenida no valor de $ 7.000. Logo uma igreja com moldura de madeira foi construída e dedicada a Santo
Ambrose em 30 de junho de 1907. Padre Walsh continuou a caminhar de Park Heights e Virginia
Avenidas para a igrejinha de moldura para a missa diária. Mais tarde, em 1907, ele procurou a ajuda do
Missionários Auxiliares do Sagrado Coração que ensinaram catecismo às crianças da paróquia para o
próximos vinte anos.

Em maio de 1920, o padre Walsh comprou o Old Suburban Hotel para fins escolares. No
época, havia 245 crianças nas aulas de catecismo da paróquia. Padre Walsh não viveu para
ver a escola se tornar uma realidade. Ele morreu repentinamente em 15 de julho de 1920 para o choque de muitos
Católicos e não católicos.
Em agosto de 1920, o cardeal Gibbons nomeou o padre Reynolds como pastor de Saint Ambrose.
O Padre Reynolds construiu um anexo à casa paroquial, ampliou a sacristia e renovou o
edifício antigo do hotel na escola. Padre Thomas McGuigan foi o terceiro pastor de Saint
Ambrose quando o terreno foi iniciado para a escola atual
Em 7 de dezembro de 1924, o arcebispo Curley lançou a pedra fundamental da escola. A escola era
dedicado em 11 de outubro de 1925 pelo Arcebispo Curley e as Irmãs Escolares de Nossa Senhora
veio ensinar as crianças da paróquia. Em 17 de junho de 1928, durante o pastorado de Monsenhor
Hugh Monahan, a pedra angular da nova igreja foi lançada e abençoada pelo Arcebispo
McNamara, e no ano seguinte, em 12 de maio de 1929, a bela igreja nova foi
dedicada. Em 22 de março de 1942, um incêndio danificou o convento. Em maio de 1942, duas casas foram
comprado na Wylie Avenue para usar como um convento. Em 7 de dezembro de 1944, um incêndio destruiu o antigo
igreja e tirou a vida de seis pessoas. O Auditório paroquial foi inaugurado em fevereiro
16, 1947 pelo Bispo McNamara. Em 1955, os atuais edifícios da reitoria e convento eram
finalizado. Todo o plano paroquial de igreja, casa paroquial, convento, escola e auditório foi concluído.
Com a agitação civil e a criação de uma aplicação justa de habitação na cidade de Baltimore em meados
1960, o bairro de Park Heights começou a mudar. Em 1968, o padre Henry Zerhusen
tornou-se o oitavo pároco de Santo Ambrósio e foi o maior responsável pela dessegregação da paróquia
e escola. O padre Henry fez com que muitos dos residentes afro-americanos recém-chegados se sentissem
bem-vindo. Em 1972, durante o pe. Pastorado de Henry, diácono Americus Roy, o primeiro africano
Diácono americano da Arquidiocese de Baltimore, iniciou seu ministério na paróquia. Pai
Henry faleceu em 9 de agosto de 2003.

Em 1972, o Saint Ambrose Outreach Center foi inaugurado sob a direção de Ir. Charmaine
Krohe, SSND. O centro fornece serviços e esperança para o bairro de Park Heights e
além. Sem pastor residente, o final dos anos 1980 foi um momento difícil para a paróquia, obrigado
para Deus diácono Watson Fulton e Irmã Charmaine Krohe, IENS eram administradores e
pastoreado o povo.

Em 1992, a pastoral paroquial foi entregue aos Frades Franciscanos Capuchinhos do
A Província de Santo Agostinho e o Padre John Pfannenstiel, OFM Cap, foi nomeado 12º pároco.
Padre John serviu a paróquia por 12 anos. Em 2003, pe. Michael Joyce, OFM Cap (irmão Mick)
foi nomeado 13º pároco e em agosto de 2004, pe. Paul Zaborowski, OFM Cap. foi nomeado 14º
pastor. A Reitoria de Santo Ambrósio ganha agora a dimensão acrescida de convento capuchinho.
Os padres Roman, Bill, John e Paul residem atualmente no convento.

Em agosto de 2005, as Irmãs Oblatas da Providência, através do ministério da Irmã Mary
Loretto Evans, OSP, como Coordenador da Escola Dominical, voltou à paróquia. Irmã Mary Oblata
Stephen Beauford continua nesse ministério. Logo depois, a irmã Oblata Philomena Chizea ajudou
com o nosso ministério aos enfermos. Em 2009, as Irmãs Escolares de Notre Dame retornaram com Ir. Ann
Marie Whalen como Ministra para os Doentes e Presos em Casa e logo depois Ir. Rita Bueche começou seu
trabalhar com o Processo RCIA.

Somos abençoados por ter os diáconos Seigfried Presberry e Steven Rubio auxiliando no ministério paroquial. Nos últimos onze anos, a Paróquia tem ajudado como uma colocação para o Departamento de Teologia Pastoral do St. Mary's Seminary & University e nos últimos sete anos os frades estudantes do Capuchin College, Washington, DC têm ajudado no ministério paroquial também . As Irmãs Oblatas da Providência Eva, Stella e Maria também ajudaram no programa de Educação Religiosa.

Fundado em 1907, Saint Ambrose é um farol de luz na comunidade Park Heights.


Igreja Católica de Santo Ambrósio
4502 Park Heights Avenue
Baltimore, Maryland 21215

VENHA COMEMORAR CONOSCO!
Rosário de domingo: 9h30
Missa de Domingo: 10h00


Edifício da Escola Saint Ambrose
Para obter informações: consulte www.archbalt.org

Santo Ambrósio de Milão

Festa: 7 de dezembro

Santo Ambrósio nasceu na Gália, onde seu pai era prefeito do pretório romano, por volta do ano 340. Seu pai morreu quando ele ainda era uma criança, e com sua mãe voltou para Roma, onde teve uma boa educação, aprendeu a língua grega, tornou-se um bom poeta e orador. Mais tarde, mudou-se para Roma quando seu irmão o nomeou governador de uma das regiões. Suas virtudes no cargo e a voz de uma criança que o proclamou bispo, marcaram-no para o povo de Milão como seu bispo. Tanto crentes como não crentes o elegeram como seu primeiro bispo, uma posição que ele aceitou com relutância. Por ser apenas catecúmeno, recebeu o Sacramento do Batismo, após o qual foi consagrado Bispo, em 374, aos 34 anos.

Depois de dar sua fortuna à Igreja e aos pobres, ele se dedicou ao estudo da escritura e dos escritores eclesiásticos, colocando-se sob as instruções de Simpliciano, um sacerdote da Igreja de Roma, que mais tarde o sucedeu no Arcebispado de Milão. Seu ataque contra os arianos foi tal que no ano 385 muito poucos não reivindicaram a Cristo como seu salvador. Ambrósio foi muito influente na resolução de disputas entre os imperadores e a Igreja. Ele não teve dificuldade em corrigir ou responsabilizar qualquer político que pensasse estar violando o bem comum.
Teve a satisfação de testemunhar a conversão e o baptismo do grande Santo Agostinho, a quem baptizou em 387. Depois de uma vida de trabalho e de oração, o Santo Bispo de Milão faleceu em 397.
De acordo com a lenda, quando Santo Ambrósio era criança, as abelhas enxameavam em torno de sua boca. Isso levou seu pai a proclamar: “quando se tornar homem, será um pregador poderoso”. As palavras de seu pai tornaram-se verdadeiras --- St. Ambrose pregou o Evangelho de Jesus Cristo com ousadia e poder. Ele é o santo padroeiro dos apicultores e produtores de mel. Sua festa é comemorada em 7 de dezembro.


Conteúdo

Edição de juventude

Ambrose nasceu em uma família cristã romana por volta de 339 e foi criado na providência romana de Gallia Belgica, cuja capital era Augusta Treverorum. [3] Seu pai às vezes é identificado com Aurelius Ambrosius, [4] [5] um prefeito pretoriano da Gália [6], mas alguns estudiosos identificam seu pai como um oficial chamado Uranius que recebeu uma constituição imperial datada de 3 de fevereiro de 339 (endereçada em um breve extrato de um dos três imperadores que governaram em 339, Constantino II, Constâncio II ou Constante, no Codex Theodosianus, livro XI.5). [7] [8] [9]

Sua mãe era uma mulher de intelecto e piedade [10] e membro da família romana Aurelii Symmachi, [11] e, portanto, Ambrósio era primo do orador Quintus Aurelius Symmachus. Ele era o caçula de três filhos, que incluíam Marcellina e Satyrus (que é o tema da De excessu fratris Satyri), também venerados como santos. [12] Há uma lenda que, quando criança, um enxame de abelhas pousou em seu rosto enquanto ele estava deitado em seu berço, deixando para trás uma gota de mel. Seu pai considerou isso um sinal de sua futura eloqüência e língua doce. Por isso, muitas vezes aparecem abelhas e colmeias na simbologia do santo.

Por volta do ano 354, Ambrósio, o pai, morreu, quando a família mudou-se para Roma. [13] Lá ele estudou literatura, direito e retórica. Ele então seguiu os passos de seu pai e entrou no serviço público. O prefeito pretoriano Sextus Claudius Petronius Probus primeiro deu-lhe um lugar no conselho e então por volta de 372 o fez governador da Ligúria e Emília, com sede em Milão. [6] Em 286, Diocleciano mudou a capital do Império Romano Ocidental de Roma para Mediolanum (Milão).

Ambrósio foi governador de Aemilia-Liguria no norte da Itália até 374, quando se tornou bispo de Milão. Ambrósio era uma figura política muito popular e, como havia sido governador na capital efetiva do Ocidente romano, era uma figura reconhecível na corte de Valentiniano I.

Bispo de Milão Editar

No final do século 4, houve um profundo conflito na diocese de Milão entre a Igreja de Nicéia e os arianos. [14] [15] Em 374, o bispo de Milão, Auxentius, um ariano, morreu, e os arianos desafiaram a sucessão. Ambrósio foi à igreja onde ocorreria a eleição, para evitar um alvoroço, que era provável nesta crise. O seu discurso foi interrompido por um apelo "Ambrósio, bispo!", Que foi feito por toda a assembleia. [15]

Ambrósio era conhecido por ser um cristão niceno na fé, mas também aceitável para os arianos devido à caridade demonstrada em questões teológicas a esse respeito. A princípio, ele recusou energicamente o cargo, para o qual não estava de forma alguma preparado: Ambrósio não foi batizado nem formalmente treinado em teologia. [6] Após sua nomeação, Ambrose fugiu para a casa de um colega procurando se esconder. Ao receber uma carta do imperador Graciano elogiando a conveniência de Roma nomear indivíduos evidentemente dignos de posições sagradas, o anfitrião de Ambrósio o desistiu. Em uma semana, ele foi batizado, ordenado e devidamente consagrado bispo de Milão.

Como bispo, ele imediatamente adotou um estilo de vida ascético, distribuiu seu dinheiro aos pobres, doando todas as suas terras, cuidando apenas de sua irmã Marcelina (que havia se tornado freira). Isso aumentou ainda mais sua popularidade, dando-lhe considerável influência política até mesmo sobre o imperador. Após a inesperada nomeação de Ambrósio para o episcopado, seu irmão Sátiro renunciou à prefeitura para se mudar para Milão, onde assumiu a administração dos assuntos temporais da diocese. [3]

Em 383, Graciano foi assassinado em Lyon, França, e Paulino de Nola, que havia servido como governador da Campânia, foi a Milão para estudar na escola de Ambrósio. [16]

Arianism Edit

Ambrósio estudou teologia com Simplician, um presbítero de Roma. [10] Tirando vantagem de seu excelente conhecimento do grego, então raro no Ocidente, ele estudou o Antigo Testamento e autores gregos como Filo, Orígenes, Atanásio e Basílio de Cesaréia, com quem também trocava cartas. [17] Ele aplicou esse conhecimento como pregador, concentrando-se especialmente na exegese do Antigo Testamento, e suas habilidades retóricas impressionaram Agostinho de Hipona, que até então havia pensado mal dos pregadores cristãos.

No confronto com os arianos, Ambrósio procurou refutar teologicamente suas proposições, que eram contrárias ao credo niceno e, portanto, à ortodoxia oficialmente definida. Os arianos apelaram para muitos líderes de alto nível e clérigos nos impérios ocidental e oriental. Embora o imperador Graciano ocidental apoiasse a ortodoxia, o jovem Valentiniano II, que se tornou seu colega no Império, aderiu ao credo ariano. [18] Ambrósio não influenciou a posição do jovem príncipe. No Oriente, o imperador Teodósio I também professava o credo niceno, mas havia muitos adeptos do arianismo em todos os seus domínios, [10] especialmente entre o alto clero.

Nesse estado de opinião religiosa contestado, dois líderes dos arianos, os bispos Palladius de Ratiaria e Secundianus de Singidunum, confiantes nos números, persuadiram Graciano a convocar um conselho geral de todas as partes do império. Este pedido parecia tão justo que ele atendeu sem hesitação. No entanto, Ambrósio temeu as consequências e persuadiu o imperador a que o assunto fosse decidido por um conselho de bispos ocidentais. Conseqüentemente, um sínodo composto por trinta e dois bispos foi realizado em Aquiléia no ano 381. Ambrósio foi eleito presidente e Palladius, sendo chamado a defender suas opiniões, recusou. Uma votação foi então encaminhada e Palladius e seu associado Secundianus foram depostos de seus cargos episcopais. [10]

No entanto, o aumento da força dos arianos foi uma tarefa formidável para Ambrósio. Em 385 [18] ou 386, o imperador e sua mãe Justina, junto com um número considerável de clérigos e leigos, especialmente militares, professavam o arianismo. Eles exigiram que duas igrejas em Milão, uma na cidade (a Basílica dos Apóstolos) e a outra nos subúrbios (São Victor), fossem alocadas aos arianos. [18] Ambrósio recusou e foi obrigado a responder por sua conduta perante o conselho. [6] [ página necessária Ele foi, sua eloqüência em defesa da Igreja supostamente intimidando os ministros de Valentiniano, então ele foi autorizado a se aposentar sem fazer a rendição das igrejas. No dia seguinte, quando realizava o serviço divino na basílica, o prefeito da cidade veio persuadi-lo a desistir pelo menos da basílica de Portian nos subúrbios. Como ele ainda recusou, certos reitores ou oficiais da corte foram enviados para tomar posse da basílica de Portian, pendurando nela escudos imperiais [18] para preparar a chegada do imperador e de sua mãe na festa de Páscoa que se seguiu. [19]

Apesar da oposição imperial, Ambrósio declarou: "Se você exigir minha pessoa, estou pronto para me submeter: leve-me à prisão ou à morte, não resistirei, mas nunca trairei a igreja de Cristo. Não invocarei o pessoas para me socorrer, morrerei aos pés do altar, em vez de abandoná-lo. O tumulto do povo não encorajarei: mas só Deus pode apaziguá-lo. " [19]

Em 386, Justina e Valentiniano receberam o bispo ariano Auxentius, o mais jovem, e Ambrósio foi novamente condenado a entregar uma igreja em Milão para uso ariano. Ambrose e sua congregação se barricaram dentro da igreja, e a ordem imperial foi rescindida. [20]

Relações imperiais Editar

Ambrósio havia causado a inimizade da imperatriz Justina no inverno de 379 ao ajudar a nomear um bispo de Nicéia em Sirmium. [21]: 129 Justina era fortemente ariana. Não muito depois, Valentiniano II, sua mãe e a corte deixaram Sirmium, que ficou sob o controle de Teodósio, e foram para Milão, que era governada por Graciano. Quando Graciano foi morto por Magnus Maximus, em 383, Valentiniano tinha 12 anos, o que deixou Justina em uma posição semelhante a de um regente. [21]: 129-130 Conflito entre Ambrose e Justina seguido com Ambrose sendo ordenado a entregar sua basílica e recusar, uma tentativa de sequestro e outra tentativa de prendê-lo e forçá-lo a deixar a cidade. [21]: 130 Várias acusações foram feitas, mas ao contrário de John Chrysostum, nenhuma acusação formal foi apresentada, provavelmente devido à popularidade de Ambrose com o povo. [21]: 131 Quando Magnus Maximus usurpou o poder na Gália, e estava considerando uma descida sobre a Itália, Valentiniano enviou Ambrósio para dissuadi-lo, e a embaixada foi bem-sucedida. [19] Uma segunda embaixada depois não teve sucesso. O inimigo entrou na Itália e Milão foi tomada. Justina e seu filho fugiram, mas Ambrósio permaneceu e mandou derreter o prato da igreja para socorrer os pobres. [19]

O massacre de Tessalônica, na Grécia, foi um massacre de civis locais pelas tropas romanas em 390, após um motim que matou um oficial romano. Teodósio estava em Milão quando isso aconteceu, mas a maioria dos estudiosos pensa que ele desempenhou algum papel tanto na ordenação quanto na permissão do massacre, embora outros afirmem que os soldados simplesmente perderam o controle. [22] : 223 The bishop of Milan, Ambrose, was absent from court when these events took place, having been sent away at Theodosius' displeasure. [23] : 31 Ambrose was one of Theodosius' many counselors, but he was not one of the consistory, Theodosius' closest advisory council. Ambrose had managed to get information on the "confidential decisions of the imperial consistory" through an informant, and this had angered Theodosius. [23] : 31

Ambrose was duly informed of events concerning Thessalonica, including Theodosius saying he had ordered the massacre and then changed his mind. [24] : 103 Ambrose responded by writing Theodosius a private letter using the example of David and Uriah to argue that the emperor needed to demonstrate repentance for the massacre, adding that Theodosius would be forbidden from receiving the Eucharist until he had done so. [19] McLynn writes that Theodosius would have welcomed this as an opportunity to save face and restore his public image. [25] : 262 Whatever his reason was, history indicates "Theodosius duly complied and came to church without his imperial robes, until Christmas, when Ambrose openly admitted him to communion". [25] : 262

Alan Cameron observes that Theodosius' actions are often explained in terms of his falling under the dominating influence of Bishop Ambrose, which, Cameron says, is "often spoken of as though documented fact . But there is not a shred of evidence for Ambrose exerting any such influence over Theodosius". [26] : 60,63,131 Modern scholars indicate that "the encounter at the church door has long been known as a pious fiction". [27] : 291 [26] : 63,64 McLynn observes that the documents that reveal their relationship seem less about any purported personal friendship than negotiations between the institutions the two men represent: the Roman state and the Italian church. [27] : 292

In 392, after the death of Valentinian II and the fall of Eugenius, Ambrose supplicated the emperor for the pardon of those who had supported Eugenius after Theodosius was eventually victorious. [19]

Attitude towards Jews Edit

In his treatise on Abraham, Ambrose warns against intermarriage with pagans, Jews, or heretics. [28] In 388, Emperor Theodosius the Great was informed that a crowd of Christians, led by their bishop, had destroyed the synagogue at Callinicum on the Euphrates. He ordered the synagogue rebuilt at the expense of the bishop, [29] but Ambrose persuaded Theodosius to retreat from this position. [30] He wrote to the Emperor, pointing out that he was thereby "exposing the bishop to the danger of either acting against the truth or of death" in the letter "the reasons given for the imperial rescript are met, especially by the plea that the Jews had burnt many churches". [31] Ambrose, referring to a prior incident where Magnus Maximus issued an edict censuring Christians in Rome for burning down a Jewish synagogue, warned Theodosius that the people in turn exclaimed "the emperor has become a Jew", implying that if Theodosius attempted to apply the law to protect his Jewish subjects he'd be viewed similarly. [32] In the course of the letter Ambrose speaks of the clemency that the emperor had shown with regard to the many houses of wealthy people and churches that had been destroyed by unruly mobs, with many then still not restored and then adds: "There is, then, no adequate cause for such a commotion, that the people should be so severely punished for the burning of a building, and much less since it is the burning of a synagogue, a home of unbelief, a house of impiety, a receptacle of folly, which God Himself has condemned. For thus we read, where the Lord our God speaks by the mouth of the prophet Jeremiah: 'And I will do to this house, which is called by My Name, wherein ye trust, and to the place which I gave to you and to your fathers, as I have done to Shiloh, and I will cast you forth from My sight, as I cast forth your brethren, the whole seed of Ephraim. And do not thou pray for that people, and do not thou ask mercy for them, and do not come near Me on their behalf, for I will not hear thee. Or seest thou not what they do in the cities of Judah?' [Jeremiah 7:14] God forbids intercession to be made for those." [31] [33]

In his exposition of Psalm 1, Ambrose says: "Virtues without faith are leaves, flourishing in appearance, but unproductive. How many pagans have mercy and sobriety but no fruit, because they do not attain their purpose! The leaves speedily fall at the wind's breath. Some Jews exhibit purity of life and much diligence and love of study, but bear no fruit and live like leaves." [34]

Attitude towards pagans Edit

Under his influence, emperors Gratian, Valentinian II and Theodosius I carried on a persecution of paganism [35] [b] [37] [38] Theodosius issued the 391 "Theodosian decrees," which with increasing intensity outlawed pagan practices. [36] [39] The Altar of Victory was removed by Gratian. When a new request to restore the Altar arose, Ambrose opposed it forcefully, and Valentinian rejected requests to restore the altar, though Ambrose wrote he did not bring this decision about.

Later years and death Edit

In April 393 Arbogast, magister militum of the West and his puppet Emperor Eugenius, marched into Italy to consolidate their position in regard to Theodosius I and his son, Honorius, whom Theodosius had appointed Augustus to govern the western portion of the empire. Arbogast and Eugenius courted Ambrose's support by very obliging letters but before they arrived at Milan, he had retired to Bologna, where he assisted at the translation of the relics of Saints Vitalis and Agricola. From there he went to Florence, where he remained until Eugenius withdrew from Milan to meet Theodosius in the Battle of the Frigidus in early September 394. [40]

Soon after acquiring the undisputed possession of the Roman Empire, Theodosius died at Milan in 395, and two years later (4 April 397) Ambrose also died. He was succeeded as bishop of Milan by Simplician. [19] Ambrose's body may still be viewed in the church of Saint Ambrogio in Milan, where it has been continuously venerated – along with the bodies identified in his time as being those of Saints Gervase and Protase.

Character Edit

Many circumstances in the history of Ambrose are characteristic of the general spirit of the times. The chief causes of his victory over his opponents were his great popularity and the reverence paid to the episcopal character at that period. He used several indirect means to obtain and support his authority with the people. [19]

It was his custom to comment severely in his preaching on the public characters of his times and he introduced popular reforms in the order and manner of public worship. It is alleged, too, that at a time when the influence of Ambrose required vigorous support, he was admonished in a dream to search for, and found under the pavement of the church, the remains of two martyrs, Gervasius and Protasius. The saints, although they would have had to have been hundreds of years old, looked as if they had just died. The applause of the people was mingled with the derision of the court party. [19]

Ambrose joins Augustine, Jerome, and Gregory the Great as one of the Latin Doctors of the Church. Theologians compare him with Hilary, who they claim fell short of Ambrose's administrative excellence but demonstrated greater theological ability. He succeeded as a theologian despite his juridical training and his comparatively late handling of Biblical and doctrinal subjects. [19]

Ambrose's intense episcopal consciousness furthered the growing doctrine of the Church and its sacerdotal ministry, while the prevalent asceticism of the day, continuing the Stoic and Ciceronian training of his youth, enabled him to promulgate a lofty standard of Christian ethics. Thus we have the De officiis ministrorum, De viduis, De virginitate e De paenitentia. [19]

Ambrose displayed a kind of liturgical flexibility that kept in mind that liturgy was a tool to serve people in worshiping God, and ought not to become a rigid entity that is invariable from place to place. His advice to Augustine of Hippo on this point was to follow local liturgical custom. "When I am at Rome, I fast on a Saturday when I am at Milan, I do not. Follow the custom of the church where you are." [42] [43] Thus Ambrose refused to be drawn into a false conflict over which particular local church had the "right" liturgical form where there was no substantial problem. His advice has remained in the English language as the saying, "When in Rome, do as the Romans do."

One interpretation of Ambrose's writings is that he was a Christian universalist. [44] It has been noted that Ambrose's theology was significantly influenced by that of Origen and Didymus the Blind, two other early Christian universalists. [44] One quotation cited in favor of this belief is:

Our Savior has appointed two kinds of resurrection in the Apocalypse. 'Blessed is he that hath part in the first resurrection,' for such come to grace without the judgment. As for those who do not come to the first, but are reserved unto the second resurrection, these shall be disciplined until their appointed times, between the first and the second resurrection. [45]

One could interpret this passage as being another example of the mainstream Christian belief in a general resurrection (that both those in heaven and in hell undergo a bodily resurrection), or an allusion to purgatory (that some destined for heaven must first undergo a phase of purification). Several other works by Ambrose clearly teach the mainstream view of salvation. For example: "The Jews feared to believe in manhood taken up into God, and therefore have lost the grace of redemption, because they reject that on which salvation depends." [46]

Giving to the poor Edit

He was also interested in the condition of contemporary Italian society. [47] Ambrose considered the poor not a distinct group of outsiders, but a part of the united, solidary people. Giving to the poor was not to be considered an act of generosity towards the fringes of society but a repayment of resources that God had originally bestowed on everyone equally and that the rich had usurped. [48]

Mariology Edit

The theological treatises of Ambrose of Milan would come to influence Popes Damasus, Siricius and Leo XIII. Central to Ambrose is the virginity of Mary and her role as Mother of God. [49]

  • The virgin birth is worthy of God. Which human birth would have been more worthy of God, than the one in which the Immaculate Son of God maintained the purity of his immaculate origin while becoming human? [50]
  • We confess that Christ the Lord was born from a virgin, and therefore we reject the natural order of things. Because she conceived not from a man but from the Holy Spirit. [51]
  • Christ is not divided but one. If we adore him as the Son of God, we do not deny his birth from the virgin. . But nobody shall extend this to Mary. Mary was the temple of God but not God in the temple. Therefore, only the one who was in the temple can be worshiped. [52]
  • Yes, truly blessed for having surpassed the priest (Zechariah). While the priest denied, the Virgin rectified the error. No wonder that the Lord, wishing to rescue the world, began his work with Mary. Thus she, through whom salvation was being prepared for all people, would be the first to receive the promised fruit of salvation. [53]

Ambrose viewed celibacy as superior to marriage and saw Mary as the model of virginity. [54]

In matters of exegesis he is, like Hilary, an Alexandrian. In dogma he follows Basil of Caesarea and other Greek authors, but nevertheless gives a distinctly Western cast to the speculations of which he treats. This is particularly manifest in the weightier emphasis which he lays upon human sin and divine grace, and in the place which he assigns to faith in the individual Christian life. [19]

  • De fide ad Gratianum Augustum (On Faith, to Gratian Augustus)
  • De Officiis Ministrorum (On the Offices of Ministers, an ecclesiastical handbook modeled on Cicero's De Officiis. [55] )
  • De Spiritu Sancto (On the Holy Ghost)
  • De incarnationis Dominicae sacramento (On the Sacrament of the Incarnation of the Lord)
  • De mysteriis (On the Mysteries)
  • Expositio evangelii secundum Lucam (Commentary on the Gospel according to Luke)
  • Ethical works: De bono mortis (Death as a Good) De fuga saeculi (Flight From the World) De institutione virginis et sanctae Mariae virginitate perpetua ad Eusebium (On the Birth of the Virgin and the Perpetual Virginity of Mary) De Nabuthae (On Naboth) De paenitentia (On Repentance) De paradiso (On Paradise) De sacramentis (On the Sacraments) De viduis (On Widows) De virginibus (On Virgins) De virginitate (On Virginity) Exhortatio virginitatis (Exhortation to Virginity) De sacramento regenerationis sive de philosophia (On the Sacrament of Rebirth, or, On Philosophy [fragments])
  • Homiletic commentaries on the Old Testament: the Hexaemeron (Six Days of Creation) De Helia et ieiunio (On Elijah and Fasting) De Iacob et vita beata (On Jacob and the Happy Life) De Abraham De Cain et Abel De Ioseph (Joseph) De Isaac vel anima (On Isaac, or The Soul) De Noe (Noah) De interpellatione Iob et David (On the Prayer of Job and David) De patriarchis (On the Patriarchs) De Tobia (Tobit) Explanatio psalmorum (Explanation of the Psalms) Explanatio symboli (Commentary on the Symbol).
  • De obitu Theodosii De obitu Valentiniani De excessu fratris Satyri (funeral orations)
  • 91 letters
  • A collection of hymns on the Creation of the Universe.
  • Fragments of sermons
  • Ambrosiaster or the "pseudo-Ambrose" is a brief commentary on Paul's Epístolas, which was long attributed to Ambrose.

Stained-glass window by Sergio de Castro based on the Ambrosian hymns about the Creation of the universe, Church of the Benedictines at Couvrechef – La Folie (Caen), 1956–59.

Detail of the Seventh Day of Creation: divine rest with the Ambrosian hymns.

Ambrose is traditionally credited but not actually known to have composed any of the repertory of Ambrosian chant also known simply as "antiphonal chant", a method of chanting where one side of the choir alternately responds to the other. (The later pope Gregory I the Great is not known to have composed any Gregorian chant, the plainsong or "Romish chant".) However, Ambrosian chant was named in his honor due to his contributions to the music of the Church he is credited with introducing hymnody from the Eastern Church into the West.

Catching the impulse from Hilary of Arles and confirmed in it by the success of Arian psalmody, Ambrose composed several original hymns as well, four of which still survive, along with music which may not have changed too much from the original melodies. Each of these hymns has eight, four-line stanzas and is written in strict iambic tetrameter (that is 4 × 2 syllables, each iamb being two syllables). Marked by dignified simplicity, they served as a fruitful model for later times. [19]

  • Deus Creator Omnium
  • Aeterne rerum conditor
  • Jam surgit hora tertia
  • Jam Christus astra ascenderat
  • Veni redemptor gentium (a Christmas hymn) [19]

In his writings, Ambrose refers only to the performance of psalms, in which solo singing of psalm verses alternated with a congregational refrain called an antiphon.

Saint Ambrose was also traditionally credited with composing the hymn "Te Deum", which he is said to have composed when he baptised Saint Augustine of Hippo, his celebrated convert.

Ambrose was Bishop of Milan at the time of Augustine's conversion, and is mentioned in Augustine's Confissões. It is commonly understood in the Christian Tradition that Ambrose baptized Augustine.

In a passage of Augustine's Confissões in which Augustine wonders why he could not share his burden with Ambrose, he comments: "Ambrose himself I esteemed a happy man, as the world counted happiness, because great personages held him in honor. Only his celibacy appeared to me a painful burden." [56]

Reading Edit

In this same passage of Augustine's Confissões is an anecdote which bears on the history of reading:

When [Ambrose] read, his eyes scanned the page and his heart sought out the meaning, but his voice was silent and his tongue was still. Anyone could approach him freely and guests were not commonly announced, so that often, when we came to visit him, we found him reading like this in silence, for he never read aloud. [56]

This is a celebrated passage in modern scholarly discussion. The practice of reading to oneself without vocalizing the text was less common in antiquity than it has since become. In a culture that set a high value on oratory and public performances of all kinds, in which the production of books was very labor-intensive, the majority of the population was illiterate, and where those with the leisure to enjoy literary works also had slaves to read for them, written texts were more likely to be seen as scripts for recitation than as vehicles of silent reflection. However, there is also evidence that silent reading did occur in antiquity and that it was not generally regarded as unusual. [57] [58] [59]

  • Hexameron, De paradiso, De Cain, De Noe, De Abraham, De Isaac, De bono mortis – ed. C. Schenkl 1896, Vol. 32/1 (In Latin)
  • De Iacob, De Ioseph, De patriarchis, De fuga saeculi, De interpellatione Iob et David, De apologia prophetae David, De Helia, De Nabuthae, De Tobia – ed. C. Schenkl 1897, Vol. 32/2
  • Expositio evangelii secundum Lucam – ed. C. Schenkl 1902, Vol. 32/4
  • Expositio de psalmo CXVIII – ed. M. Petschenig 1913, Vol. 62 editio altera supplementis aucta – cur. M. Zelzer 1999
  • Explanatio super psalmos XII – ed. M. Petschenig 1919, Vol. 64 editio altera supplementis aucta – cur. M. Zelzer 1999
  • Explanatio symboli, De sacramentis, De mysteriis, De paenitentia, De excessu fratris Satyri, De obitu Valentiniani, De obitu Theodosii – ed. Otto Faller 1955, Vol. 73
  • De fide ad Gratianum Augustum – ed. Otto Faller 1962, Vol. 78
  • De spiritu sancto, De incarnationis dominicae sacramento – ed. Otto Faller 1964, Vol. 79
  • Epistulae et acta – ed.Otto Faller (Vol. 82/1: lib. 1–6, 1968) Otto Faller, M. Zelzer ( Vol. 82/2: lib. 7–9, 1982) M. Zelzer ( Vol. 82/3: lib. 10, epp. extra collectionem. gesta concilii Aquileiensis, 1990) Indices et addenda – comp. M. Zelzer, 1996, Vol. 82/4
  • H. Wace and P. Schaff, eds, A Select Library of Nicene and Post–Nicene Fathers of the Christian Church, 2nd ser., x [Contains translations of De Officiis (under the title De Officiis Ministrorum), De Spiritu Sancto (On the Holy Spirit), De excessu fratris Satyri (On the Decease of His Brother Satyrus), Exposition of the Christian Faith, De mysteriis (Concerning Mysteries), De paenitentia (Concerning Repentance), De virginibus (Concerning Virgins), De viduis (Concerning Widows), and a selection of letters]
  • St. Ambrose "On the mysteries" and the treatise on the sacraments by an unknown author, translated by T Thompson, (London: SPCK, 1919) [translations of De sacramentis e De mysteriis rev edn published 1950]
  • S. Ambrosii De Nabuthae: a commentary, translated by Martin McGuire, (Washington, DC: The Catholic University of America, 1927) [translation of On Naboth]
  • S. Ambrosii De Helia et ieiunio: a commentary, with an introduction and translation, Sister Mary Joseph Aloysius Buck, (Washington, DC: The Catholic University of America, 1929) [translation of On Elijah and Fasting]
  • S. Ambrosii De Tobia: a commentary, with an introduction and translation, Lois Miles Zucker, (Washington, DC: The Catholic University of America, 1933) [translation of On Tobit]
  • Funeral orations, translated by LP McCauley et al., Fathers of the Church vol 22, (New York: Fathers of the Church, Inc., 1953) [by Gregory of Nazianzus and Ambrose],
  • Cartas, translated by Mary Melchior Beyenka, Fathers of the Church, vol 26, (Washington, DC: Catholic University of America, 1954) [Translation of letters 1–91]
  • Saint Ambrose on the sacraments, edited by Henry Chadwick, Studies in Eucharistic faith and practice 5, (London: AR Mowbray, 1960)
  • Hexameron, Paradise, and Cain and Abel, translated by John J Savage, Fathers of the Church, vol 42, (New York: Fathers of the Church, 1961) [contains translations of Hexameron, De paradise, e De Cain et Abel]
  • Saint Ambrose: theological and dogmatic works, translated by Roy J. Deferrari, Fathers of the church vol 44, (Washington: Catholic University of American Press, 1963) [Contains translations of The mysteries, (De mysteriis) The holy spirit, (De Spiritu Sancto), The sacrament of the incarnation of Our Lord, (De incarnationis Dominicae sacramento), and The sacraments]
  • Seven exegetical works, translated by Michael McHugh, Fathers of the Church, vol 65, (Washington: Catholic University of America Press, 1972) [Contains translations of Isaac, or the soul, (De Isaac vel anima), Death as a good, (De bono mortis), Jacob and the happy life, (De Iacob et vita beata), Joseph, (De Ioseph), The patriarchs, (De patriarchis), Flight from the world, (De fuga saeculi), The prayer of Job and David, (De interpellatione Iob et David).]
  • Homilies of Saint Ambrose on Psalm 118, translated by Íde Ní Riain, (Dublin: Halcyon Press, 1998) [translation of part of Explanatio psalmorum]
  • Ambrosian hymns, translated by Charles Kraszewski, (Lehman, PA: Libella Veritatis, 1999)
  • Commentary of Saint Ambrose on twelve psalms, translated by Íde M. Ní Riain, (Dublin: Halcyon Press, 2000) [translations of Explanatio psalmorum on Psalms 1, 35–40, 43, 45, 47–49]
  • On Abraham, translated by Theodosia Tomkinson, (Etna, CA: Center for Traditionalist Orthodox Studies, 2000) [translation of De Abraham]
  • De officiis, edited with an introduction, translation, and commentary by Ivor J Davidson, 2 vols, (Oxford: OUP, 2001) [contains both Latin and English text]
  • Commentary of Saint Ambrose on the Gospel according to Saint Luke, translated by Íde M. Ní Riain, (Dublin: Halcyon, 2001) [translation of Expositio evangelii secundum Lucam]
  • Ambrose of Milan: political letters and speeches, translated with an introduction and notes by JHWG Liebschuetz, (Liverpool: Liverpool University Press, 2005) [contains Book Ten of Ambrose's Letters, including the oration on the death of Theodosius I Letters outside the Collection (Epistulae extra collectionem) Letter 30 to Magnus Maximus The oration on the death of Valentinian II (De obitu Valentiniani).]

Several of Ambrose's works have recently been published in the bilingual Latin-German Fontes Christiani series (currently edited by Brepols).

Several religious brotherhoods which have sprung up in and around Milan at various times since the 14th century have been called Ambrosians. Their connection to Ambrose is tenuous


What Now?

If you like the information I've presented here, you should join my Secret Information Club.

If you're not familiar with it, the Secret Information Club is a free service that I operate by email.

I send out information on a variety of fascinating topics connected with the Catholic faith.

In fact, the very first thing you’ll get if you sign up is information about what Pope Benedict said about the book of Revelation.

He had a lot of interesting things to say!

If you’d like to find out what they are, just sign up at www.SecretInfoClub.com or use this handy sign-up form:

Just email me at [e-mail & # 160 protegido] if you have any difficulty.

In the meantime, what do you think?

Jimmy Akin Jimmy was born in Texas and grew up nominally Protestant, but at age 20 experienced a profound conversion to Christ. Planning on becoming a Protestant pastor or seminary professor, he started an intensive study of the Bible. But the more he immersed himself in Scripture the more he found to support the Catholic faith. Eventually, he entered the Catholic Church. His conversion story, “A Triumph and a Tragedy,” is published in Surprised by Truth. Besides being an author, Jimmy is the Senior Apologist at Catholic Answers, a contributing editor to Catholic Answers Magazine, and a weekly guest on “Catholic Answers Live.”


Who was Ambrose of Milan?

Ambrose of Milan (AD 339&ndash397), also called St. Ambrose, was the first early church father to be born into a Roman Christian family. He is best remembered for his successful fight against Arianism, his contributions to church music, his stance on the separation of church and state, and his mentorship of the church father Augustine. Long after his death, Ambrose would be named a “doctor of the church” in the Catholic Church along with others such as Augustine, Pope Gregory, and Jerome.

Ambrose was born shortly after the First Council of Nicea into a wealthy and powerful Roman family. He became the governor of northern Italian provinces and was summoned to settle a conflict between rival religious factions: orthodox Catholics and Arians. Ambrose supported the Nicene Creed and had spoken against Arian theology. However, he was so well respected by both sides of the conflict that they demanded he become their bishop.

Ambrose’s experience in politics served him well in his role as bishop. Among his most distinctive teachings was his perspective on the relationship between church and state. Contrary to many of his peers, Ambrose held that the church was not morally subject to the ruling government. Rather, he taught, the government was subject to the moral authority of the church. Ambrose went so far as to ban the ruling emperor, Theodosius, from communion unless he repented of his role in a massacre of civilians.

This sense of political independence extended to Ambrose’s views of church matters, as well. While he agreed that Rome was the “spiritual” head of the universal church, he did not support the idea of Rome being the legal or governmental authority over all Christians.

Ambrose made several long-lasting contributions to Western Christianity. Among these are the first known book on Christian ethics&mdashOn the Duties of the Church’s Servants&mdashas well as a massive library of writings, including the anti-Arian works On the Faith e On the Holy Spirit. His mastery of Greek allowed him to analyze previous theologians with considerable depth. Ambrose is also credited with introducing the concept of congregational singing, which at the time was somewhat controversial.

By all accounts, Ambrose was an excellent preacher. One of his sermon quotes has entered modern parlance as an idiom: “When you are at Rome, live in the Roman style,” usually quoted as “When in Rome, do as the Romans do.” In his sermons, Ambrose of Milan greatly emphasized the role of the Holy Spirit in the life of each believer, along with a rejection of legalism and a clear support for personal faith. Interestingly, while he opposed excessive legalism, Ambrose encouraged asceticism&mdashan austere, self-denying lifestyle. His work attracted the attention of a young Christian named Augustine, who would later be baptized by Ambrose and surpass him as a great figure in early Christian history.

Both the Roman Catholic Church and the Eastern Orthodox Church venerate Ambrose as a saint, commemorating him on December 7 of each year.


  • Baltimore’s oldest non-profit housing provider with over 125,000 families served since 1968 .
  • Innovative and evolving programs that help 3,000 low- and moderate-income families each year:
    • buy their first home
    • share their home
    • move from shelters to permanent housing
    • obtain quality, affordable, rentals
    • avoid loss of homeownership
    • purchase a quality renovation at an affordable price
    • committed and concerned individuals
    • local corporations and financial institutions
    • local and national foundations
    • City of Baltimore
    • State of Maryland
    • federal government
    • religious organizations
    • community and civic organizations
    • First HUD Asset Control Area manager
    • Baltimore pilot program for Homeownership Preservation Effort, 1-888-995-HOPE
    • Maryland’s only homesharing program

    Gestão

    • Gerard J. Joab, Executive Director
    • Amy Larocque-Rumano, Deputy Director
    • Jo Ann Thomas, Director, Rental Services
    • Cheryl Hinton, Chief Financial Officer
    • Lindsey Henley, Director, Resource Development
    • Jill Johnston, Director, Human Resources
    • Brittny Herring, Director, Homesharing
    • David Sann, Director, Housing Development
    • Owen Jarvis, Esq., Director, Legal Services
    • Pamela Petty, Interim Director, Housing Counseling

    Support Staff

    • Darius Bacote
    • Owen Bement
    • Kula Carter
    • Gary Davis
    • Mary Ann Dixon
    • Marian Ervin
    • Jacqueline Grant
    • Denise Hairston
    • Jeffrey Hayes
    • Carla Hinson
    • Rebecca Holbrook
    • Linda Logan
    • Ella Lynn
    • Dwight Madison
    • Leah Mason-Grant
    • Curtis McNeil
    • Keith Nolen
    • Kevin O&rsquoReilly
    • Grace Parker
    • Faye Pierce
    • Keishia Powell
    • Angela Robinson
    • Jennifer Roy
    • Jonathan Royster
    • Lucy Shaffer
    • Sam Tsembides
    • Karen White
    • Judy Yorker

    Volunteers and Interns

    St. Ambrose is grateful for the talent provided by the following institutions through their internship and summer work programs.


    Sobre esta página

    APA citation. Loughlin, J. (1907). St. Ambrose. In The Catholic Encyclopedia. New York: Robert Appleton Company. http://www.newadvent.org/cathen/01383c.htm

    MLA citation. Loughlin, James. "St. Ambrose." The Catholic Encyclopedia. Vol. 1. New York: Robert Appleton Company, 1907. <http://www.newadvent.org/cathen/01383c.htm>.

    Transcription. This article was transcribed for New Advent by Gordon & Pat Hermes.


    Assista o vídeo: Santo Ambrósio